0063 brincando de morrer

Propaganda
A MELHOR MANEIRA DE PASSAR O SÁBADO
0063
BRINCANDO DE MORRER
Marcelo Augusto de Carvalho
ATOS 5. 1-10
-Muitas pessoas perguntam assustadas “Por que Deus trata de forma tão
dura com o pecado e com os pecadores? Por que Ele parece ser tão
intransigente com pequenas faltas e erros?”.
1- ELE SABE QUÃO MORTAL É O PECADO.
 Foi na madrugada chuvosa do dia 16 de julho de 1945, numa área de
testes de bombas do exército americano, em Alamogordo, Novo México,
quando ocorreu a primeira explosão nuclear da história. Umas luz vinte
vezes mais brilhante que a do sol, acendeu a noite e fez o céu, o deserto e
as montanhas próximas ficarem brancas como papel. Mais lento que a luz,
o som veio segundos depois- um estalo seco, seguido de um trovão. Uma
imensa bola de fogo com 2 Km de diâmetro levantou-se, mudando de
amarelo para laranja, e depois para vermelho, esta bola alcançou poucos
minutos depois, 15 Km de altura. A energia liberada foi de 18 quilotons, o
equivalente a explosão de 18 mil toneladas de dinamite!.
 Três anos foram gastos neste projeto atômico, envolvendo centenas de
milhares de engenheiros e trabalhadores civis, bem como físicos e
químicos famosos, tendo entre estes 10 ganhadores do Prêmio Nobel. Para
que tenhamos uma idéia de como tal projeto foi abraçado pelos EUA,
cidades foram construídas, e outras cresceram em “minutos”, tudo para
alimentar o projeto desta “super-bomba”, e mantê-lo em segredo até o
grande evento de seu uso em guerra. Em menos de 1 ano foram
construídos 250 mil quilômetros de ferrovias, 600 quilômetros de estradas,
casas para 40 mil operários , uma fábrica de plutônio (combustível
nuclear) , e 9 fábricas espalhadas pelo país a fim de fornecer peças ou
combustível para o projeto.
 Vinte e hum dias depois do teste em Almologordo, veio o pesadelo. Em
meio à II Guerra Mundial, que já se estendia pôr 6 anos, Alemanha e Itália
já haviam se rendido, mas o Japão continuava a combater contra o resto
do mundo. Decidiu-se então, atacar a cidade japonesa de Hiroshima,
forçando o Japão a se render. Você pode perguntar: Por que foi escolhida
Hiroshima? A primeira cidade escolhida foi Kyoto, antiga capital imperial
japonesa, com mais de 1 milhão de habitantes e, repleta de templos,
palácios e jardins, era um símbolo da nacionalidade do país, portanto um
perfeito alvo para quem o queria vencer. Também foi escolhida porque era
suficientemente grande e povoada para que fosse analisado o poder
destrutivo da nova bomba- que era exclusividade americana. Porém Kyoto
saiu da lista no momento em que se concluiu que atacar um alvo tão
carregado de simbolismo dificultaria a reconciliação com o Japão, depois
da guerra. Havia também o risco de, nessas condições, o Japão acabar
caindo nos braços da União Soviética. Hiroshima então foi escolhida. Com
seus 325 000 habitantes, era um lugar onde a bomba surtiria os efeitos
físicos e psicológicos esperados. Outra vantagem era a topografia da
cidade, plana. O impacto da bomba ali não seria diminuído pôr morros,
vales ou colinas que impedissem a progressão de suas potencialidades
www.4tons.com
Pr. Marcelo Augusto de Carvalho
1
A MELHOR MANEIRA DE PASSAR O SÁBADO





0063
destrutivas. Outra vantagem era que Hiroshima não havia sofrido
bombardeios. Estava virgem de ataques aéreos, e assim se poderia bem
avaliar os efeitos da nova arma.
A bomba atômica, que na época custou 2 bilhões de dólares- 20 bilhões
hoje, era de 3 metros de comprimento pôr 70 centímetros de diâmetro,
pesando 4000 quilos e apelidada de “Little Boy”, foi colocada num
gigantesco quadrimotor B-29, o melhor avião americano, com o nome de
Enola Gaye, pilotado pôr Paul Tibbets.
A operação para arrasar a cidade teve início à zero hora do dia 6 de agosto
de 1945, quando um pequeno grupo de militares americanos se reuniu na
base onde serviam, em Tiniam, nas Ilhas Marianas, Pacífico Sul, para
receberem as orientações finais da missão. Seguiu-se um ofício religioso,
comum antes das missões difíceis, em que o capelão pediu a Deus: “Que os
homens que voam esta noite estejam sob a Tua proteção, e que retornem
sãos e salvos”. Às 2h45, o coronel Tibbets decolou a bordo do Enola Gay,
acompanhado pôr dois aviões de observação.
Tudo se passou da melhor forma possível, ao amanhecer daquele dia. Fazia
um belo dia de verão, em Hiroshima. Céu de brigadeiro. Os americanos
queriam ter certeza de que a bomba atingiria o alvo e surtiria os efeitos
desejados, por isso dependiam crucialmente do tempo. Assim, na manhã
de 6 de agosto de 1945, às 8h 16m a bomba foi jogada. O avião fez uma
curva de 180 graus, mergulhou, e acelerou fugindo da explosão. Quarenta
e três segundos depois veio o momento fatal! O que se viu então, foi como
se estivessem recebendo a visita do sol. A bomba explodiu no ar, a 580
metros de altitude, formando uma bola de fogo que logo se expandiu, até
atingir um raio de 230 metros. Seria um belo espetáculo, se não fosse o
resto. A bola de fogo manteve a máxima intensidade de seu brilho por dez
segundos. A temperatura, que havia atingido 7 000 graus centígrados, caiu
para 1 500 graus centígrados depois de 3 segundos. No hipocentro, o ponto
em terra situado bem abaixo, calcula-se que a temperatura subiu para 3
000 ou 4 000 graus centígrados. Isso é bem mais do que a temperatura em
que o ferro se funde- 1 535 graus centígrados! Na verdade, foi uma
amostra do que seria um esbarrão do Sol!
A bomba atômica queimou, e queimou como coisa alguma criada pelo
homem havia queimado antes. Tudo e todos que se expuseram a seu flash
pegaram fogo, tal a intensidade do calor que dela se desprendia. A cidade
ficou qualhada de incêndios. Quase ninguém, a menos de 5 000 metros dali
sobreviveu. Os testemunhos vistos deste momento, de quem sobreviveu
são horrendos: “ Vi minha tia em chamas. Ela estava viva e em chamas”.
“Vi pessoas sem cabelo e outras com a pele pendurada, como uma casca
que se solta. Os bondes ficaram retorcidos. Cavalos e bois corriam
enlouquecidos, queimados, inchados”. “Vi uma menina de uns 4 anos com
a barriga rasgada e os intestinos pendurados para fora”. “Vi uma jovem
mãe carregando uma criança nas costas, e essa criança estava sem
cabeça”. “Vi pessoas com a pele caindo como papel que se descolasse.
Muita gente corria, alguns fugindo da cidade, outros tentando entrar nela
para encontrar parentes e amigos”.
A segunda maneira das mortes ocorridas foi pôr simples
“desaparecimento”, sem ficarem sequer carbonizados os cadáveres. No
Museu da Paz de Hiroshima, vêem-se fotos de pedaços de calçada, ou
escada, com uma mancha negra. É tudo o que restou da pessoa que se
encontrava ali. Mas também muitos morreram calcinados pelo fogo. Podese ver, no dia seguinte à explosão, uma casa onde telhado e paredes
haviam desaparecido, mas o chão estava intacto. Também foi visto um
www.4tons.com
Pr. Marcelo Augusto de Carvalho
2
A MELHOR MANEIRA DE PASSAR O SÁBADO




0063
casal e suas 4 crianças, sentados em volta de uma mesa redonda, todos
carbonizados, imobilizados como estavam no momento da explosão. o pai
estava com uma tigela de arroz na mão, e a mãe tinha os braços
estendidos, como se quisesse proteger os filhos ao seu redor, e as outras
duas crianças tinham os braços estendidos em direção à ela, como se
pedissem proteção”. Foram encontrados centenas de cadáveres
carbonizados debaixo de pontes, que foram amontoados em pilhas para
depois serem transpostos. Uma testemunha contou: “Às 3h da tarde, vi na
Ponte Motoyasu uma mulher de pé, apoiada no parapeito da ponte, com
um filho nas costas e outro no colo, os três mortos carbonizados do jeito
em que se encontravam”. Outro diz: “Havia gente com a pele
escorregando do corpo. Quem usava chapéu ficou com uma parte do rosto
protegida das queimaduras, onde o chapéu lançava sua sombra, a outra
não. Igualmente, quem usava camisa de manga curta tinha uma parte do
braço salva e a outra queimada. Havia gente com os lábios caídos para
fora. Gente inchada”. Muita gente queimada procurava alívio no rio, e
morria. O rio estava cheio de cadáveres. As ruas irreconhecíveis.
Quem não morria ou ficava ferido pela exposição direta ao calor produzido
pela bomba, podia-se morrer ou ficar ferido pêlos incêndios que
rapidamente tomaram conta da cidade. o calor e o fogo foram a primeira
causa da destruição, ferimentos e morte. A segunda foi o impacto da
explosão. Ao clarão seguiu-se um deslocamento de ar de loucas
proporções. a furiosa rajada viajou a 740 metros no segundo posterior à
explosão - mais de duas vezes a velocidade do som, que é de 340 metros
pôr segundo. Ela fez 4 quilômetros em 10 segundos, e 11 km em 30
segundos, após o que sua velocidade declinou rápidamente. A exposição
direta a esta furiosa rajada de vento deslocou os membros de centenas de
pessoas, como atirou em todas as direções pedaços de materiais, que
ficaram cravados nos corpos das pessoas. Muitos sobreviventes tiveram a
experiência de ver seu corpo expulsando naturalmente cacos de vidro que
neles penetraram naquele momento, e que só foram expelidos anos
depois. Pelo deslocamento de ar, muitos prédios desabaram matando a
milhares.
Outros sofreram terríveis alucinações e delírios, pôr terem visto a luz que
da bomba irradiou. No hospital, um dizia: “Doutor, o senhor vê aquele
cisne nadando no lago?”. Outro dizia: “Deixei cair meu lenço. O senhor o
apanharia para mim?”. Outro: “Como é linda essa fonte”. Tinham
alucinações de brancura. Suspeita-se que o violento flash de luz quando a
bomba caiu ficou gravado na retina deles e que esse flash reaparecia a eles
na forma de alucinações de brancura antes de eles morrerem.
Outro tipo de morte foi ainda mais traiçoeiro: a radiação. Nos dias
seguintes, muitos sobreviventes começaram a perder os cabelos e a
sentirem-se muito cansados. Era o começo do pesadelo, que era seguido
pôr pequeninas bolinhas avermelhadas na pele e sangramento na gengiva.
A maioria morreu entre 3 e 10 dias depois do aparecimento de tais
sintomas. Descobriu-se que a radiação, tendo penetrado a medula óssea e
as glândulas linfáticas, destruía os glóbulos brancos do sangue,
ocasionando a morte. No dia da explosão, caiu sobre a cidade uma chuva
preta, , causada pelas cinzas que se levantara do intenso fogo em baixo da
explosão. Muitos morreram contaminados pela radiação que esta dissipou.
Para se ter uma idéia do poder de destruição daquele dia, dos 325 000
habitantes de Hiroshima, 74% morreram no mesmo dia, e 89% nas duas
primeiras semanas. Mas nos anos seguintes continuaram a aparecer
vítimas. Pela radiação que ficou pelo ar e incrustada nos objetos e no
www.4tons.com
Pr. Marcelo Augusto de Carvalho
3
A MELHOR MANEIRA DE PASSAR O SÁBADO





0063
corpo das pessoas, o número de mortos que foi de 70 000 naquele
primeiro dia subiu para 140 000 nos 4 meses seguintes, totalizando 200
000 vítimas até 1950. Em 1947 começaram a aparecer casos de catarata
entre os sobreviventes. No mesmo ano, registraram-se as primeiras
ocorrências de leucemia, cuja incidência atingiria um pico no período
1950-1954. Mas a radiação foi tão intensa que é impossível saber quantos
morreram pôr esta contaminação, e quantos hoje ainda sofrem pôr ela.
A cidade quase desapareceu. 50 000 edifícios ruíram. Dos 76 000 prédios,
95% sofreram danos. A maior parte sumiu. Cidades vizinhas, a quilômetros
de distância sentiram a explosão. Cortinas, sem qualquer material
inflamável pôr perto, queimavam num instante. O ar ficou pesado e uma
sensação de asfixia foi sentida pôr muitos.
Três dias depois, outro pesadelo. A bomba que caiu sobre Nagasaki
também tinha um apelido- “Flat Man”- “O Gordo”. Ela tinha 3,5 metros de
comprimento e uma barriga proeminente- 1,5 metro, em seu diâmetro
máximo. Pesava 4,5 toneladas e era feita de plutônio. Portanto, era maior,
mais pesada, feita de material diferente e mais poderosa do que a bomba
de Hiroshima, tendo 20 quilotons de TNT contra os 18 da de Hiroshima.
Às 11h02 da manhã do dia 9 de agosto de 1945, a bomba de Nagasaki
explodiu, a 500 metros de altitude. Nagasaki foi escolhida pôr acaso.
Quando o B-29 pôr nome de Bock’s Car decolou, na madrugada do dia 9,
pilotado por Charles Sweeney, carregando a segunda bomba atômica da
história, tinha como objetivo a cidade de Kokura, situada ao norte de
Nagasaki. Porém, o tempo estava nublado, e o piloto sobrevoou Kokura 3
vezes sem conseguir enxergá-la. Rumou então para o sul, em busca do alvo
alternativo, Nagasak. Sobrevoou-a uma primeira vez, e também não
conseguiu enxergá-la. Já eram quase 11 horas da manhã e o combustível
do avião começava a escassear. Na segunda vez que sobrevoou Nagasaki,
deu para vislumbrá-la em parte, num buraco nas nuvens. Assim, a bomba
foi lançada.
A bomba acabou caindo não no centro mas no norte da cidade. Isso, mais o
fato de a topografia de Nagasaki ser irregular, cheia de colinas, subidas e
descidas que serviam de obstáculo à propagação do fogo e do vento,
explica o fato de ali os danos e o número de vítimas terem sido menores
do que em Hiroshima, apesar de a bomba ter mais potência. Mas o
resultados para os atingidos foi o mesmo contemplado em Hiroshima.
A bomba atômica possui tal poder de destruição porque por sua explosão,
ela libera energia que decompõe, instantaneamente, as substâncias e
objetos que se encontram em seu raio de ação. E não há como se proteger
de tal devastação!
2- POR MENOR QUE SEJA, É ALTAMENTE DESTRUTIVO.
Bactéria
 Ser vivo unicelular e microscópico pertencente ao reino monera. Como todos os
seres desse grupo, é formada por uma célula procarionte (desprovida de
membrana nuclear).
 As bactérias causam várias doenças infecciosas. A transmissão pode-se dar pelo ar
ou por contato direto (gotículas de saliva ou muco) e indireto.
 As bactérias são classificadas segundo a forma.
 As esféricas são chamadas cocos; as alongadas em forma de bastão são os bacilos;
 as espiriladas, espirilos; e as com formato de meia espiral denominam-se vibriões.
 As bactérias são muito resistentes a variações de temperatura e também a agentes
químicos.
 A maioria das doenças causadas por elas é tratada com antibióticos, substâncias
produzidas por microrganismos (os mais comuns são os fungos) ou sintetizadas em
www.4tons.com
Pr. Marcelo Augusto de Carvalho
4
A MELHOR MANEIRA DE PASSAR O SÁBADO
0063
laboratório, capazes de impedir seu crescimento ou mesmo de destruí-las. No
entanto, o tratamento nem sempre é eficaz, pois elas desenvolvem resistência
contra certos medicamentos, que perdem seu efeito.
 Algumas espécies de bactéria podem provocar doenças fatais. É o caso da
Streptococcus beta hemolíticos (causadora da escarlatina), que estimulam a
superativação dos linfócitos, os glóbulos brancos responsáveis pela defesa do
organismo. Ao produzir grande quantidade de citosina e óxido nítrico, causam
grave desequilíbrio na composição e na circulação sanguínea, que pode resultar na
morte do paciente. Esse quadro clínico é conhecido como síndrome da reação
inflamatória sistêmica (Sirs). Outros tipos, como a Escherichia coli (causadora de
diarréia), podem atingir a circulação sanguínea e provocar infecção generalizada,
que também pode levar à morte. Mas a maior parte das espécies de bactéria é
benéfica ao homem. Elas são responsáveis, por exemplo, pela fixação do
nitrogênio da atmosfera no solo, fundamental para o desenvolvimento das plantas.
Também realizam a fermentação necessária para a fabricação de vinagre e queijo.
3- ELE ENTRA EM NOSSA VIDA E RETIRA TODA A NOSSA FORAÇA, A NOSSA
FELICIDADE.
Câncer
 Nome dado a todas as formas de tumores malignos. A palavra vem do latim cancer,
que significa caranguejo. Esse nome se deve à semelhança entre as pernas do
crustáceo e os tentáculos do tumor, que se infiltram nos tecidos sadios do corpo.
 Os tumores se desenvolvem quando certas células de um organismo se multiplicam
de maneira descontrolada em virtude de uma anormalidade nos genes. Forma-se,
então, um núcleo celular sólido e uma rede de vasos sanguíneos para sustentá-lo.
Através da corrente sanguínea ou linfática, as células malignas atingem outros
órgãos e originam novos tumores, processo conhecido como metástase. Em geral,
o câncer é uma doença de longa evolução. Até atingir o tamanho aproximado de
uma azeitona, que é quando costuma ser diagnosticado, um tumor pode levar
alguns anos para ser descoberto. Existem mais de cem tipos de câncer. Cerca de
90% deles são curáveis se diagnosticados precocemente e tratados de maneira
correta.
 Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1996 mais de 6 milhões de
pessoas morreram de câncer em todo o mundo e cerca de 10 milhões de novos
casos foram diagnosticados. Até 2020, pelo menos 15 milhões de pessoas devem
desenvolver a doença. Os tipos de câncer mais comuns são os de pulmão,
estômago, intestino, fígado, mama, esôfago, boca e colo do útero. No Brasil, o
câncer é a terceira causa de morte, depois de doenças circulatórias e de fatores
externos (acidente, homicídio etc.).
 Tratamento – A cirurgia e a radioterapia são formas locais de combate à doença. A
cirurgia é usada para a retirada dos tumores. Já a radioterapia mata a célula
maligna pelo efeito da irradiação, mas pode atingir outros tecidos, provocando
inflamações. A quimioterapia, tratamento à base de drogas, impede a reprodução
celular e leva as células malignas à morte. Atua também sobre as células normais,
causando efeitos colaterais temporários, como a queda de cabelo, o vômito e a
diarréia. A hormonoterapia é usada para combater os tumores mais sensíveis à
ação dos hormônios, como os de mama e os de próstata.
 E não adianta tentar vencê-lo por suas próprias forças. Não há
ninguém que possa ser mais forte do que seu pecado. Prova maior é
que todos morremos.
 A picada da cobra naja Hannah, a maior entre as cobras venenosas,
mata um elefante em 4 horas. O pecado mata o mais forte homem
espiritual.
SOLUÇÃO
www.4tons.com
Pr. Marcelo Augusto de Carvalho
5
A MELHOR MANEIRA DE PASSAR O SÁBADO
0063
1- JOÃO 3.3-4 NASCEMOS COM O CORAÇÃO INFECTADO POR ELE. É PRECISO
A CONVERSÃO. SÓ A MUDANÇA DE CORAÇÃO RESOLVE.
Doença de Chagas
 Doença infecciosa causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi e
transmitida pelo inseto Triatoma infestans, conhecido como
barbeiro. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1996
cerca de 18 milhões de pessoas no mundo tinham a doença.
Ao picar uma pessoa já infectada pelo parasita, o barbeiro torna-se
portador dos tripanossomos. Enquanto pica um indivíduo sadio, o
inseto defeca e elimina fezes contaminadas. A vítima, ao coçar o
local da picada, espalha as fezes do mosquito sobre o ferimento.
Assim, os parasitas penetram na pele e atingem a circulação
sanguínea. Nessa fase, os sintomas são raros, podendo incluir forte
reação local à picada e febre alta. Se não diagnosticada, a doença
evolui para a forma crônica. Os tripanossomos instalam-se nos
músculos humanos, em especial no coração. Ao atingir e destruir as
fibras musculares, provocam insuficiência e arritmia cardíaca, que
podem levar à morte. A prevenção consiste no saneamento básico,
no combate ao inseto transmissor e na melhoria das condições de
habitação.
2- MIQ. 6.8 - COMUNHÃO COM DEUS- RETÉM OS TERRÍVEIS RAIOS DO
PECADO
Camada de ozônio
 Situada na estratosfera , entre os quilômetros 20 e 35 de altitude, a
camada de ozônio
tem cerca de 15 km de espessura. Sua
constituição permitiu o desenvolvimento de vida na Terra, já que o
ozônio, um gás rarefeito, impede a passagem de grande parte da
radiação ultravioleta emitida pelo Sol.
 Redução da camada – Como a composição da atmosfera nessa
altitude é bastante estável, a camada de ozônio manteve-se
inalterada por milhões de anos. Nas últimas décadas, entretanto,
vem ocorrendo uma diminuição na concentração de ozônio, causada
pela emissão de poluentes na atmosfera. O maior responsável é o
cloro presente em clorofluorcarbonetos (CFCs). Ele é utilizado como
propelente de sprays, em embalagens de plástico, chips de
computador, solventes para a indústria eletrônica e, especialmente,
em aparelhos de refrigeração, como geladeira e ar-condicionado.
 Em 1984, é detectado um buraco na camada de ozônio sobre a
Antártica, cuja extensão, 7.000.000 km², supera as previsões mais
pessimistas.
 Um novo inimigo é descoberto em 1992: o brometo de metila, um
inseticida usado em plantações de tomate e morango, que existe em
quantidade bem menor que o CFC, mas é 50 vezes mais prejudicial.
 Conseqüências – A redução da camada de ozônio causa maior
incidência dos raios ultravioleta, o que diminui a capacidade de
fotossíntese nos vegetais e afeta as espécies animais. Nos seres
humanos compromete a resistência do sistema imunológico e causa
câncer de pele e doenças oculares, como a catarata.
www.4tons.com
Pr. Marcelo Augusto de Carvalho
6
A MELHOR MANEIRA DE PASSAR O SÁBADO
0063
 Entre 1988 e 1995, a utilização de CFC cai 76% no mundo inteiro. Os
Estados Unidos, em 1994, substituem totalmente o produto, assim
como vários países europeus. O Brasil reduz sua utilização em 31%.
Mas, como o CFC leva anos para chegar à estratosfera, estima-se que
a camada de ozônio só vai começar a se recuperar no final da
década e não será totalmente reconstituída antes de um século.
3- DEIXE DEUS GUIAR SUA VIDA. DEIXE QUE ELE USE AS CIRCUNSTÂNCIAS DA
VIDA, O RESULTADO DE SEUS FACASSOS PARA TRATAR DE SEU PROBLEMA.
 O óleo de rícino é extraído das sementes da mamoneira, que contém
um veneno potente, o rícino.
 O pecado é o melhor remédio para aniquilar a si mesmo. Por isto
muitas vezes Deus permite suas conseqüências em nossa vida. Elas
são o único meio de nos separar dele.
Pr. MARCELO AUGUSTO DE CARVALHO SP 2001
www.4tons.com
Pr. Marcelo Augusto de Carvalho
7
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards