psoríase x qualidade de vida

Propaganda
PAULO ANTÔNIO OLDANI FELIX
Etiologia:
 Doença inflamatória
 Fatores ambientais, genéticos e imunológicos
 Não infecciosa e não contagiosa
 Sistêmica
 Acomete principalmente pele e articulações
 Pode levar a deformidades e incapacidades
 Histórico:
 Psora= escama
 Não encontrada descrição no antigo Egito
 Hipócrates e no Velho testamento: descritas junto com a
lepra
 No antigo testamento era descrita a melhora da lepra
com exposição solar.
 Até o século XIV eram tratados como leprosos, sendo
isolados, a igreja considerava como mortos e chegaram
a ser queimados.
 Somente em 1850 foi considerada uma entidade
diferente da lepra.
Histórico:
Tratamento:
 Início do séc. XIX
 crisarobina, βnaftol, enxofre, mercúrio
 Inicio do séc. XX
 Irradiação, UV artificial, ac. salicílico, coaltar, injeções de
leite, ou de extrato de adrenal, dietas, arsênico
 Final do séc. XX
 Fototerapia, corticóides tópicos, análogos da vit D,
metotrexato, retinóides, ciclosporina, sulfas, biológicos
Quadro Clínico:
 Pode ser variado
 Lesões eritematosas,
descamativas que acometem
principalmente cotovelos,
joelhos e couro cabeludo
 Pode disseminar
acometendo todo o
tegumento
 Pode ser acompanhada de
coceira e/ou ardência.
 Quadro Clínico:
 Acometimento articular pode
preceder, ser simultâneo ou
surgir após as lesões cutâneas.
 Raramente é letal
 Associação com HA,
Diabetes, obesidade,
triglicerídeos
 Maior incidência de infarto
do miocárdio, acidente
vascular cerebral.
 É mais do que ter uma boa saúde física ou mental. É estar de
bem com você mesmo, com a vida, com as pessoas queridas,
enfim, estar em equilíbrio.
 A psoríase afeta todos os índices de qualidade de vida, desde
as relações familiares, sociais e profissionais, até às
atividades de rotina diária.
 O impacto da psoríase na qualidade de vida do doente é
superior ou idêntico ao de outras doenças crônicas como
diabetes, insuficiência cardíaca e hipertensão arterial.
Pele e psique:
 É fundamental na formação do aparelho psíquico
 1º contato com o meio exterior e com o outro
 A pele não é um órgão como qualquer outro. É um
dos principais órgãos sensoriais, que também
contribui para a beleza física de uma pessoa, para a
capacidade de atrair parceiros e para as relações
interpessoais.
Pele e psique:
 Funções da pele:
 Órgão fronteiriço entre Eu e Não-Eu (função de limite)
 Órgão de contato com o meio (função de continente)
 Órgão de expressão interna com o meio (comunicação)
 Órgão gerador de impressões que dá as noções de belezafeiura, limpeza-sujeira, claridade-escuridao
 Órgão sensitivo que auxilia a percepção de estímulos e
sensações como rubor, frio,calor, prurido, qualidade
tácteis e de excitação sexual
Pele e psique:
 Ego:
 Experiência que o indivíduo possui de si mesmo, ou
concepção que faz de sua personalidade
 Freud:
 “O próprio corpo de uma pessoa, e acima de tudo a sua
superfície, constitui um lugar onde podem originar-se
sensações, tanto internas como externas. “
 O ego é primeiro e acima de tudo, um ego corporal, não é
simplesmente uma entidade de superfície, mas é, ele
próprio, a projeção de uma superfície.
 “O ego em ultima análise deriva das sensações corporais,
principalmente das que se originam da superfície do
corpo.”
Trabalho/escola
A interação com colegas de trabalho ou escola é
muito afetada, tanto no relacionamento
interpessoal (vergonha) como a doença grave ou
o acometimento articular podem impossibilitar
os doentes de trabalhar.
Atividades diárias
Exclusão dos doentes psoriásicos em locais
públicos (clubes, praias, trabalho, vestiários, etc.)
99% dos pacientes sentem rejeição social
Atividade sexual
 Os doentes com psoríase,
particularmente as
mulheres, têm dificuldade
em iniciar ou manter
relações de caráter sexual.
 41% dos pacientes
referem redução da vida
sexual e 60% destes
associam a sua aparência
 Uso de drogas
 Maior incidência de uso de tabaco e álcool entre os pacientes
com psoríase.
 A estigmatização
 Compreender um número de sentimentos negativos graves
observados nos doentes psoriásicos: antecipação de rejeição,
sentimento de se ser defeituoso, sensibilidade às atitudes dos
outros, atitudes negativas e secretismo
 Idéias Suicidas
 Aproximadamente 10% dos doentes com psoríase têm
pensamentos suicidas, realçando a relação entre a
mente e a pele, comparativamente aos 3% entre os
doentes clínicos em geral.
 Relações Familiares
 Muito afetada por vários aspectos:
 Tempo gasto com o tratamento
 Inconvenientes do tratamento (medicações oleosas,
escamas de pele, etc.)
 Relutância em sair de casa
 Evitar relacionamentos sociais
 Evitar locais públicos
 Custo do tratamento X fardo para família
 Infância:
 Tato entre mãe - criança muito comprometido
 Acomete face, causando maior rejeição
ESTUDO DA EUROPSO
34% afirmam ter sofrido perturbações do
sono
27% relatam experiências de dificuldades
sexuais
56% alteraram o seu vestuário
27% alteraram as suas atividades diárias
40% iniciaram a doença antes dos 20 anos
«Sentimos que não temos alternativa, porque
temos de recorrer constantemente aos
tratamentos para minorar os efeitos da
psoríase. Nestas condições, é extremamente
difícil levar uma vida que possamos considerar
normal.»
Mara Maccarone
Estudo Europsor
“Fui forte na hora que precisou mas
parece que agora veio tudo para fora e
não esta dando para segurar.”
Paciente 49 anos, 3 anos após a morte
da mãe e o pai ter sofrido um AVC.
“Estou
me divorciando, saindo de um
casamento de 20 anos, porque não
agüento mais conviver com minha
esposa, já que não consigo manter um
casamento normal, não tenho relações
sexuais há 8 anos.”
MC, 51 anos
“Doutor, vim lhe agradecer!!
Recebi o maior presente que uma mãe
pode ter!
Não via meu filho sem camisa há mais de
20 anos, este fim de semana encontrei
com ele andando na praia só de sunga.”
NMS, mãe de paciente de 40 anos com psoríase há 28.
«A psoríase continua a ser vista
como um problema cosmético
de menor dimensão.
Esperamos que através dos
resultados deste inquérito
possamos contribuir para um
maior esclarecimento sobre o
impacto da doença na vida dos
indivíduos afetados e dos seus
familiares e, em última análise,
para o desenvolvimento de
melhores tratamentos.»
Seppo Heikki Salonen
Presidente da EUROPSO
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards