curso de capacitação – programa rafcal

Propaganda
Psicologia do Emagrecimento
Programa RAFCAL
Reeducação Afeto-Cognitiva do Comportamento Alimentar
CURSO DE CAPACITAÇÃO – PROGRAMA RAFCAL
O presente material foi elaborado para fins didáticos, não se prestando à reprodução. Esses
pacientes merecem nossa admiração e respeito por contribuírem com suas histórias para o
nosso crescimento como clínicos.
Caso Clínico
Iniciou o tratamento em agosto de 2005. É psicóloga clínica e psicopedagoga, trabalha para o
estado. Relata ter ficado empolgada com a possibilidade de trabalhar a vinculação do seu peso
com seus estados emocionais, pois reconhece a conexão.
Janete tem 36 anos é casada e tem dois filhos. Seu marido é representante comercial. Relata que
há aproximadamente quatro anos começou a apresentar dificuldade em emagrecer. Informa
também já ter feito psicoterapia outras vezes.
Um dos motivos da procura anterior foi dificuldade no relacionamento conjugal. É casada Há 17
anos. Nesse período teve diagnóstico de depressão e recebeu apoio medicamentoso. Janete é
adepta da homeopatia: faz tratamento há cinco anos para enxaqueca.
“Janete diz ser “totalmente emocional” – infantil, carente, adolescente, mas que gosta de ser
assim”.
“Eu me considero a minoria da minoria, eu não consigo acompanhar as coisas, algumas
conversas de pessoas rapidinhas eu fico totalmente perdida”. Às vezes uma colega de trabalho
me trata de um jeito que me sinto burra”.
“Sou metódica, detalhista, eu sinto necessidade de me sentir organizada.”
O pai faleceu Janete tinha 11 anos, faz vinte e seis anos que ele morreu e Janete ainda se sente
muito sensível ao assunto. No aniversário de morte há sempre muita sensibilidade presente. Diz
que nunca conseguiu atingir o objetivo de se achegar à mãe.
Para Janete emagrecer tem o objetivo de se sentir mais confortável em relação às suas roupas e a
auto-imagem.
“Eu gosto muito de comer. Com calma, devagar, com mastigações de 20 a 35 por colherada).
Acredito que minhas perdições sejam a massa e o chocolate”. Relata que a dieta prescrita pela
médica é largamente proibitiva - “ tudo que eu gosto é proibido nela”.
No decorrer do processo Janete foi desenvolvendo comportamento magro, adotando uma dieta
variada, mas com cuidado na quantidade.
Janete diz querer ter mais auto-estima e saúde com a conquista do emagrecimento. Há problemas
de gastrite, e outras dificuldades hepáticas.
Um aspecto sensível para Janete diz respeito ao seu relacionamento. São constantes as
insatisfações e frustrações no relacionamento conjugal.
Por várias anos e oportunidades diversas Janete “se apaixonou platonicamente” por outros
homens. Do trabalho ou de outras fontes de relacionamento. Janete freqüenta uma igreja
evangélica.
Nesses períodos de paixão voltava a adolescência escrevendo poesias, declarações de amor não
entregues. Numa ocasião houve um beijo com uma dessas “paixões”.
Janete declara que sente necessidade de escrever para extravasar os sentimentos, para se
organizar internamente. Isso ajuda na lida com a ansiedade.
Maria Marta Ferreira CRP08/07401-2
www.psicobela.com.br
Des. Otávio do Amaral, 457 (fundos) – Bigorrilho/ Fones: 41 3015-8818 / 9186-1464/e-mail:
[email protected]
Psicologia do Emagrecimento
Programa RAFCAL
Reeducação Afeto-Cognitiva do Comportamento Alimentar
Os conflitos conjugais são freqüentes, Janete cogitou a possibilidade de separação, mas o marido
se mostrou contra, procurou conquistá-la novamente, e ela passou a viver uma tentativa de
restauração do relacionamento. Mas afirma: “não era o que eu imaginava para mim”!
Janete se diz romântica e ingênua.
O relacionamento sexual do casal sofreu com todas essas crises. Janete não tem interesse sexual
pelo marido. A pós-relação sexual traz sempre algum sofrimento. O marido também não cuida
de aspectos básicos para isso como a qualidade do hálito dele por exemplo.
Diz: “Há coisas que ainda me espantam e me paralisam”.
Acredita que uma fonte de estresse importante na vida dela é o marido e os filhos. Naturalmente
por motivos diferentes.
Janete também se incomoda com sua impulsividade, dizendo que não sabe lidar com isso. Isso
está muito forte nos relacionamentos das mais diversas ordens. Seu coração é capaz de ficar em
frangalhos pelas circunstâncias diversas que as relações alcançam.
Janete percebe que há por parte dela uma supervalorização das situações afetivas de sua vida.
Chegando a perceber sentimentos de dependência em relação a outras pessoas.
Na TPM esses sentimentos ficam bastante exacerbados. A irritabilidade fica muito saliente. As
compulsões alimentares eram freqüentes nesses períodos, atualmente ocorrem alguns excessos,
mas não compulsões. Janete reconhece ter dificuldade em externalizar sentimentos agressivos.
As preocupações afetam expressivamente o sono de Janete deixando-a ainda mais suscetível as
fragilidades emocionais. Percebe-se bastante sensível ao estresse.
É comum Janete construir momentos nostálgicos, recuperando fotografias de tempos passados.
Nesses momentos relata sentimentos antagônicos de alegria e tristeza. Pergunta-se em relação a
essas pessoas: “ Será que eu estou aproveitando”?
Histórico de peso:
15.09.05 = 93.8
13.10.05 = 91.0
24.11.05= 91.8
22.12.05= 91.4
26.01.06= 89.8
09.02.06= 88.8
30.03.06= 82.8
08.06.06= 80.4
03.08.06= 77.6
31.08.06= 76.6
24.10.06= 74.8
A meta de peso de Janete é 72/70 quilos.
24.10.06 = 74.8
29.01.07 = 77.6
01.03.07 = 79.4
17.05.07 = 82.0
27.06.07 = 81.6
09.08.07 = 80.8
04.10.07 = 82.4
01.11.07 = 83.6
Atualmente observa-se as relações familiares mais tranqüilas, tendo Janete desenvolvido melhor
assertividade. As crises conjugais têm sido menos freqüentes. Percebe que está exigindo menos
atenção nos relacionamentos especialmente nos profissionais. Chama isso de “superação”.
Janete apresentou nos últimos meses problemas gástricos importantes o que gerou alterações
significativas na sua alimentação e tentativa de encontrar um padrão alimentar que não
prejudicasse sua saúde. Está acompanhada por gastro, nutricionista e homeopata.
Foi encaminhado para a homeopata um relatório sobre os estados e histórico emocional da
paciente para verificação da possibilidade de intervenção medicamentosa homeopática nos
estados de excessiva emotividade da paciente que apresenta personalidade com perfil histriônico.
Tarefa:
Discuta o caso com o grupo sob a perspectiva da Metodologia RAFCAL. Descreva sobre a
compreensão diagnóstica do caso, as possíveis intervenções terapêuticas e a expectativa
diagnóstica que o caso sugere.
Maria Marta Ferreira CRP08/07401-2
www.psicobela.com.br
Des. Otávio do Amaral, 457 (fundos) – Bigorrilho/ Fones: 41 3015-8818 / 9186-1464/e-mail:
[email protected]
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Criar flashcards