prevalência da cárie dental e avaliação das necessidades de

Propaganda
1
PREVALÊNCIA DA CÁRIE DENTAL E AVALIAÇÃO DAS NECESSIDADES DE
TRATAMENTO EM ESCOLARES DE 12 ANOS DA SEXTA SÉRIE DO ENSINO
FUNDAMENTAL NO CIEP 417 DE CAMPOS DOS GOYTACAZES.
Prevalence of Dental Caries and Treatment Needs in Twelve-Year-Old Scholars from
the Sixth Grade at Campos Dos Goytacazes’ CIEP 417.
SALES, Luis André Henriques.
RESUMO
O desenvolvimento de ações de saúde bucal requer o conhecimento da situação
epidemiológica dos diferentes grupos populacionais e o índice CPO-D é o ponto básico
de referência para o diagnóstico das condições dentais dos mesmos. Esta pesquisa tem o
objetivo de avaliar a prevalência de cárie dental e de expôr as necessidades de tratamento
de criancas da sexta série do ensino fundamental do CIEP 417 (CIEP José do Patrocínio),
localizado em Campos dos Goytacazes, no Parque São Jorge. A amostra consiste de 53
escolares da faixa etária de 12 anos, de ambos os sexos. O CPO-D obtido foi de 3,77
(dp=2,94) enquanto que os livres de cárie foram 18,9%. O componente cariado
predominou sobre os demais. Quanto `as necessidades de tratamento, as restaurações
compuseram a maior parte e os selantes e a remineralização, a menor. Apesar da
prevalência de cárie dentária ser classificada como moderada, as metas propostas pela
OMS para a idade de 12 anos em relação ao CPOD e livres de cárie não foram
alcançadas. Esses escolares necessitam de uma atenção odontológica integral e resolutiva
para melhorar suas condições de saúde bucal. É preciso que se estimule o diagnóstico
precoce da cárie para que os planos de tratamentos sejam estabelecidos dentro do
contexto de promoção da saúde.
PALAVRAS-CHAVE
Cárie dentária. Necessidades de tratamento. Epidemiologia. Escolares.
INTRODUÇÃO
A saúde bucal é parte integrante e essencial da saúde geral e sendo assim, é um
fator determinante para a qualidade de vida. Os agravos à saúde bucal são problemas de
saúde pública porque têm um impacto significante no indivíduo e na comunidade,
possuem alta prevalência e podem ser efetivamente prevenidos e controlados pela ação
conjunta da comunidade, profissionais e indivíduos. (MELLO; ANTUNES;
WALDMAN, 2005).
2
O índice de ataque de cárie (CPO), originalmente formulado por Klein e Palmer
em 1937, continua sendo o mais utilizado do mundo, mantendo-se como o ponto básico
de referência para o diagnóstico das condições dentais e para a formulação e avaliação
de programas de saúde bucal. Quando o dente é utilizado como unidade de medida, temos
o índice CPO-D : dentes cariados, perdidos e obturados (PINTO, 2008).
O objetivo desta pesquisa é a obtenção da prevalência de cárie e das necessidades
de tratamento em escolares de 12 anos de idade, da sexta série do CIEP 417, em Campos
dos Goytacazes. A identificação das condições bucais, quanto à cárie, nestas crianças,
subsidiará a definição de prioridades no cuidado odontológico das mesmas. Os dados
obtidos, futuramente, servirão também para a avaliação da eficácia de ações, no âmbito
da saúde bucal, que venham a ser executadas.
A realização desta pesquisa é justificada pela necessidade da obtenção destes
dados, ainda não coletados, porém de suma importância, que levarão ao conhecimento da
experiência de cárie da população estudada dos tratamentos dentários necessários `a
mesma.
O diagnóstico precoce das lesões iniciais de cárie, ainda em estágio reversível, e a
avaliação de fatores determinantes auxiliam na avaliação de risco de cárie e tornam o
tratamento mais simples, menos invasivo e de menor custo, envolvendo uso de flúor e
mudanças de comportamento com relação à dieta e à higiene bucal.
MATERIAL E MÉTODO
Trata-se de uma pesquisa descritiva/observacional. A amostra consta de 53
escolares na faixa etária de doze anos, de ambos os sexos, matriculadas na sexta série do
ensino fundamental no CIEP 417 (CIEP José do Patrocínio), no Paque São Jorge, em
Campos dos Goytacazes.
A coleta de dados foi realizada por apenas um cirurgião-dentista examinador,
auxiliado por um anotador. O exame epidemiológico foi realizado sob luz natural, no
pátio da escola, com o examinador e paciente sentados um em frente ao outro. Para os
exames, utilizou-se espelho bucal plano e sonda exploradora odontológica com ponta
romba.
Os índices usados seguiram os códigos e critérios recomendados pela
Organização Mundial de Saúde (OMS). A prevalência de cárie dentária foi avaliada
através do índice CPO-D. Os códigos e critérios para a utilização dos mesmos constam
no Quadro 1 (Apêndice A). O tratamento recomendado para cada elemento dentário em
cada indivíduo avaliado consta no Quadro 2 (Apêndice B).
O índice CPO foi proposto por Klein e Palmer em 1937. Ele expressa o número
de dentes permanentes atacados por cárie. No indivíduo examinado ele é o resultado da
soma do número de dentes permanentes cariados mais o número de dentes “obturados” e
o número de dentes perdidos. Portanto, na dentição permanente, seus valores variam de
zero até 32 (todos os dentes atacados por cárie). Em uma população, o índice CPO é
3
resultado da soma de todos os dentes atacados por cárie dividido pelo número de
individuos examinados (PEREIRA, 2003).
Quando a unidade de medida é o dente, temos o índice CPO-D, ou seja, dentes
cariados, perdidos e obturados. Cáries radiculares não estão incluídas, pois o índice é
específico para problemas verificados na região da coroa dentária (PINTO, 2008).
No Brasil, o CPO costuma ser dividido em quatro componentes, acrescentando os
dentes com extração indicada (Ei). Os fatores obturados (O) e extraídos (E), representam
a história passada, enquantos os fatores cariado (C) e extração indicada (Ei),
correspondem `as necessidades de tratamento. Quando forem considerados apenas os três
componentes clássicos, como ocorrem nos estudos internacionais que empregam a
metodologia da OMS, as extrações indicadas devem ser incluídas no componente cariado
(C ). Dentes perdidos são sinônimo de dentes extraídos (PINTO, 2008).
Como a cárie aumenta com a idade, é recomendado o cálculo do CPO em cada
idade. A classificação do ataque de cárie dentária com base nos valores do CPO aos 12
anos de idade é a seguinte: Muito baixa (0,0 a 0,1); Baixa (1,2 a 2,6); Média (2,7 a 4,4);
Alta (4,5 a 6,5) e Muito alta (maior ou igual a 6,6) (PEREIRA, 2003).
O CPO-D das crianças será analisado de forma estatística, por frequência de
ocorrência, em números absolutos e percentuais, e será confrontado com o índice obtido
nos úlimo estudo nacional sobre a prevalência de cárie dental da população brasileira,
realizado pelo Ministério da Saúde em 2003. Os tipos de tratamento recomendados para a
os indivíduos estudados serão tabulados e expostos em números percentuais e absolutos.
Será utilizado o software Microsoft Excel.
RESULTADOS
Foram realizados 53 exames clínicos nos escolares de 12 anos da sexta série do
CIEP 417, em Campos dos Goytacazes. A distribuição da amostra, segundo índices de
cárie (CPO-D) está na Tabela 1.
TABELA 1: Distribuição dos escolares em relação ao CPO-D.
IDADE GÊNERO ÍNDICE CPO-D
TOTAL
12
12
12
FEM
MASC
TOTAL
MÉDIA
4,03
3,43
3,77
DP
3,07
2,79
2,94
N
30
23
53
%
56,6
43,4
100
Aos 12 anos o CPO-D foi 3,77 (dp=2,94) e 18,9% livres de cárie. Encontrou-se
uma média de CPO-D igual a 3,43 (dp=2,79) para o sexo masculino (17,4% livres de
4
cárie) sendo que no sexo feminino o valor encontrado foi de 4,03 (dp=3,07), sendo que
20% estavam livres de cárie.
A distribuição dos componentes do índice CPO-D encontrado está no gráfico 1. O
componente preponderante foi o cariado.
GRÁFICO 1 – Distribuição percentual dos componentes do índice CPO-D
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
78
16,5
5,5
Cariados
Perdidos
Obturados
Dentre as necessidades de tratamento, as restaurações de uma superfície
representaram 74,2% do total. As restaurações de duas ou mais superficies respondem
por 23,2%, as extrações por 2,58%, os tratamentos endodônticos 0,64%, a
remineralização 0,08% e os selantes 0% (Gráfico 2).
GRÁFICO 2: Necessidades de tratamento da população estudada.
74,2
Endodontia
0,08
0
Selante
0,64
Remineralização
2,58
Extração
Restauração de
2 ou mais faces
23,2
Restauração de
1 face
100
80
60
40
20
0
Tratamentos Recomendados
5
DISCUSSÃO E CONCLUSÃO
A cárie dental ainda é uma doença comum nas crianças brasileiras, porém seu
declínio tem sido relatado mundialmente, assim como vem ocorrendo no Brasil. Algumas
causas associadas a essa queda são: o uso do flúor, mais acesso aos serviços
odontológicos, mudanças nos critérios de diagnóstico de cárie e ampliação das ações de
promoção e educação em saúde bucal (PEREIRA, 2003).
Em 1986, o Ministério da saúde realizou o primeiro levantamento epidemiológico
de cárie dentária no Brasil, e o índice CPO-D aos 12 anos foi de 6,65, colocando o Brasil
entre os países com as maiores prevalências de cárie no mundo (MEDEIROS, 1990;
FERREIRA, 1998).
Em 1996, o Ministério da Saúde realizou o segundo levantamento epidemiológico
em saúde bucal, realizado em escolares de 6 a 12 anos de idade, o qual revelou um
declínio de 53,9 % nos indices anteriormente observados. O CPO-D, que era 6,65, passou
a ser 3,06, aos 12 anos de idade. Para a dentição permanente foi encontrada correlação
direta entre aumento do índice e aumento da idade (FREIRE, 1997; FERREIRA, 1998).
No levantamento mais recente, realizado em 2003, o índice CPO-D aos 12 anos
foi de 2,73, mostrando uma redução de 58,3% em relação ao primeiro levantamento
(Brasil, 2004).
Os primeiros molares permanentes são os dentes mais acometidos por lesões
cariosas, provavelmente por terem sua erupção concluída em torno dos 6 anos de idade;
podem, portanto, ser confundidos com dentes decíduos e, erroneamente, acabam por
merecer menor atenção quanto à higiene bucal. Sua anatomia oclusal, fortemente
caracterizada pela presença de fóssulas e fissuras, aumenta sua susceptibilidade à cárie
(PINE; PITTS; NUGENT, 1997).
Em relação `a cárie dentária, a Organização Mundial de Saúde (OMS), e a
Federação Dentária Internacional (FDI) recomendaram, para o ano de 2000, a adoção de
várias metas (TABELA 2, APÊNDICE C). Durante o 4o Congresso Mundial de
Odontologia Preventiva, realizado na Suécia em 1993, as metas propostas para 2010
ficaram ainda mais ambiciosas (TABELA 3, APÊNDICE D).
A existência de metas mundiais oferece referências para comparacões
internacionais. Por outro lado é importante assinalar que as autoridades sanitárias
responsáveis pelos sistemas de saúde tanto em âmbito local quanto regional, ou de cada
país, devem estabelecer metas de saúde bucal coerentes `a sua realidade para orientar o
planejamento e a avaliação de ações e dos serviços de saúde. A determinação de metas é
um instrumento tanto para tomada de decisão em nível local como para justificar pressão
por mais recursos para melhorar os níveis de saúde bucal em âmbito mais global.
Pesquisadores também têm recomendado referências, `as vezes impropriamente
denominadas parâmetros, para avaliar o estado de saúde bucal das populações. Novos
objetivos devem ser traçados quando as metas são alcançadas (PEREIRA, 2003).
O Declinio da cárie, por se tratar de média populacional, não é homogêneo em
todas as regiões do país, nem em todas as classes sociais. É maior entre os segmentos de
6
melhor renda e escolaridade, e mais modesto, ou inexpressivo, em grupos de baixa renda
e escolaridade (Narvais e Cols., 1999).
Embora tenha havido uma melhora substancial na saúde bucal em vários locais e
em todas as classes sociais, uma quantidade enorme de pessoas ainda sofre de problemas
odontológicos. A maior parte das cáries se encontra agora, em uma minoria de crianças.
Esse padrão de transição epidemiológica se chama polarização – concentração da maior
parte das doenças e das necessidades de tratamento em uma pequena parcela da
população (Nadanovsky, 2000).
A prevalência de cárie dentária encontrada aos 12 anos (CPO-D= 3,77) pode ser
classificada como moderada tendo como referência a escala de severidade da OMS,
estando próxima dos dados nacionais do levantamento realizado em 1996 (CPO-D de
3,06 aos 12 anos), no entanto, acima do valor encontrado nos escolares do último
levantamento nacional realizado em 2003, cujo índice CPO-D foi de 2,78. O CPO-D
encontrado nesta pesquisa também ficou acima das metas da OMS para o ano 2000, que
seria menor ou igual a 3.
Os possíveis motivos para os valores encontrados seriam deficiência da
assistência odontológica prestada pela rede pública no município, o baixo nível sócio
econômico da população, além da falta de ações de prevenção e promoção da saúde
bucal.
Aos 12 anos, a porcentagem de indivíduos livres de cárie foi de 18,9%, inferior
aos resultados do Projeto SB Brasil 2003, a nível nacional (31,1%), que apresentou
dados de escolas públicas e particulares, demonstrando assim as piores condições de
saúde bucal na população estudada.
Os dados obtidos sugerem que é necessário que seja dada uma maior atenção aos
programas de prevenção e promoção da saúde afim de aumentar o percentual de crianças
livres de cárie e consequentemente obter melhores padrões de saúde bucal.
Apesar da prevalência de cárie dentária ser classificada como moderada, as metas
propostas pela OMS não foram alcançadas, sendo que esses escolares necessitam de uma
atenção odontológica integral e resolutiva para melhorar sua saúde bucal.
Quanto às necessidades de tratamento, verificou-se que estas estavam
concentradas no tratamento restaurador de uma superfície dentária. Despertou atenção a
pequena demanda por tratamento remineralizador (medida de inativação de cáries em
estágio inicial). Isso pode ter ocorrido pela dificuldade em identificar tais lesões iniciais
(mancha branca ativa), em levantamentos epidemiológicos, já que a população
apresentava elevada experiência de cárie.
Pelo exposto acima, conclui-se que é importante sugerir que a cobertura
odontológica do serviço público em Campos dos Goytacazes seja revista, a fim de que
possa haver uma cobertura mais abrangente da população, implementação de programas
de saúde bucal mais adequados, e realização mais efetiva do diagnóstico precoce da cárie
dentária, para que assim possam ser estabelecidos planos de intervenção dentro do
contexto da promoção da saúde.
7
ABSTRACT
The development of oral health actions and programs requires knowledg of the
different groups’ epidemiological’s situation and the DEF rate is the basic reference point
to diagnose one’s dental conditions. This research aims to evaluate the caries’ prevalence
and to expose the treatment needs in twelve-year-old students from the sixth grade at the
CIEP 417, (CIEP José do Patrocínio) in Campos dos Goytacazes, in Parque Sao Jorge
neigborhood. The sample consists of 53 twelve-year-old scholars , from both genders.
The obtained DEF rate was 3,77 (E=2,94), while 18,9% of the individuals were free from
Dental Caries. The decayed (D) component from the rate was prevalent over the others.
About the treatment needs, the fillings were the most needed while sealers and
remineralization were the least. Although caries’ prevalence can be classified as
moderate, the proposed WHO goals were not reached. These scholars need complete and
effective dental attention in order to improve their dental health. It is necessary to
stimulate early caries’ diagnose to establish treatment plans according to health
promotion parameters.
KEYWORDS
Dental caries. Epidemiology. Treatment needs. Scholars.
8
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção
Básica. Projeto SB Brasil 2003: Condições de Saúde Bucal da população brasileira 2002
– 2003: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. 63p.
FREIRE, M. C. M.; BATISTA, S. M. O. Prevalência de cárie e necessidade de
tratamento em escolares de seis a doze anos da rede pública de ensino. Rev. Saúde
Pública, São Paulo, v. 33, n. 4, p. 15-21, ago. 1999.
FREIRE, M. C. M.; BATISTA, S. M. O. Prevalência de cárie e necessidade de
tratamento em escolares de seis a doze anos de idade, Goiânia, GO, Brasil, 1994. Rev.
Saúde Pública, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 1-5, fev. 1997.
FERREIRA, R. A. Em queda livre?. Rev. Assoc. Paul Cir. Dent., São Paulo, v. 52, n. 2,
p. 104-110, mar./abr.1998.
MEDEIROS, U. V.; PARAIZO, C. A. Epidemiologia da cárie dentária em escolares no
estado do Rio de Janeiro. Rev. Brasileira Odontol., Rio de Janeiro, v. 47, n. 6, p. 23-28,
nov./dez. 1990.
MELLO, Tatiana Ribeiro de Campos, ANTUNES, José Leopoldo Ferreira e
WALDMAN, Eliseu Alves. Áreas rurais: pólos de concentração de agravos à saúde
bucal?. Arq Med, jan. 2005, vol.19, no.1-2, p.67-74. ISSN 0871-3413.
NARVAI, P.C,; FRAZÃO, P.; CASTELLANOS, R.A. Declínio na experiência de cárie
em dentes permanentes de escolares brasileiros no final do século XX. Odontologia e
Sociedade. V. 1 , p. 25-9 , 1999.
NADANOVSKY, P.O declínio da cárie. In: PINTO V.G. Saúde bucal coletiva. São
Paulo: Santos, 2000.
PEREIRA, A.C. Odontologia em saúde coletiva: Planejando ações e promovendo
saúde. Porto Alegre: Artmed, 2003. 440p.
PINE, C. M.; PITTS, N. B.; NUGENT, Z. J. British Association for the Study of
Community Dentistry (BASCD) guidance on sampling for surveys of child dental health.
A BASCD coordinated dental epidemiology program quality standard. Commun Dent.
Health. v. 14, p. 10-17,1997.
PINTO, V. G. Saúde Bucal Coletiva. 5. Ed. São Paulo: Livraria Santos Editora, 2008.
635p.
9
APÊNDICE
APÊNDICE A
QUADRO 1 – Critérios e códigos utilizados para o índice CPO.
Critério de diagnóstico
Çódigo*
Dente não erupcionado
0 (0)
Quando apresentar: a) evidência de esmalte
socavado (há uma cavidade definida onde o
explorador penetra); b) em sulcos e fissuras
onde o explorador prende, desde que exista
tecido cariado amolecido e/ou opacidade de 1(6)
esmalte e manchas de cárie; c) em faces
proximais se o explorador prende, ficando
retido ao se fazer movimentos na direção
cérvico-oclusal; d) em casos onde o explorador
penetra entre o dente e a restauração; e) há uma
restauracão mas estea presente um dos critérios
acima.
Obtutado(Restaurado) O dente estea perfeitamente restaurado com
material definitivo como ouro, amálgama, etc. 2(7)
Pode haver uma falha na restauracnao, mas
nnao se consegue inserir o explorador entre o
dente e ela.
Extraído
A perda se deu devido `a cárie dentária. Nnao 3
se aplica `a dentiçnao temporária.
Extracão indicada
Há lesão que atingiu a câmara pulpar
4(8)
Hígido
Inexiste cárie ou restauração
5 (9)
Exclusões
O dente foi extraído por outras razões que não
a cárie dental, como fratura, correção X(X)
ortodôntica, doena periodontal ou necessidade
protética.
Entre parêntesis consta o código para a dentição temporária. Códigos e critérios são
válidos para os indices CPO-D, CPO-S, ceo-d, ceo-s. O índice é o resultado da soma
dos códigos 1, 2, 3 e 4.
Condição dental
Espaço vazio
Cariado
10
APÊNDICE B
QUADRO 2 - Códigos para os respectivos tratamentos recomendados.
Código
R
F
1
2
3
4
Tratamento recomendado
Remineralização: medidas para inativação de cáries
Selante de fissuras e fóssulas
Restauração de uma superfície
Restauração de duas ou mais superfícies
Tratamento endodôntico
Extracão indicada
APÊNDICE C
TABELA 2: Objetivos da OMS e da FDI, em relação `a cárie dentária, para o ano 2000.
GRUPO ETÁRIO
OBJETIVO
5-6 anos
50% livres de cárie
12 anos
CPO-D menor ou igual a 3
18 anos
85% , P* = 0
35-44 anos
20 ou mais dentes : 75%.
65 a 74 anos
20 ou mais dentes: 50%.
* P se refere ao número de dentes perdidos.
11
APÊNDICE D
TABELA 3: Metas propostas para 2010 durante 4o Congresso Mundial de Odontologia
Preventiva, realizado na Suécia em 1993.
GRUPO ETÁRIO
OBJETIVO
5-6 anos
90% livres de cárie
12 anos
CPO menor que 1
18 anos
100% P* = 0
35-44 anos
20 ou mais
desdentados
65 a 74 anos
Até 5% desdentados
* P se refere ao número de dentes perdidos.
dentes:
90%,
até
2%
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards