Osteologia

Propaganda
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
Osteologia
Membro inferior:constituído por: anca, coxa, perna, pé.
Osso coxal
 osso chato
 quadrado irregular
 constituído por 3 porções: ílion, púbis e ísquion.
 a superfície lateral tem uma superfície articular profunda – acetábulo – que articula com
a cabeça do fémur.
 acima do acetábulo encontra-se o ílion, que é constituído pelo corpo (inferior) e pela asa
(superior). No ílion temos o buraco obturado (isquiático) que tem à sua frente o púbis e
atrás a tuberosidade isquiatica (isquíon).
 em posição ântero-inferior ao acetábulo encontra-se o foramen obturado.
 à frente do foramen obturado encontra-se o púbis e atrás o ísquion.
 o púbis é formado pelo corpo, ramo superior (horizontal) e ramo inferior (descendente).
Unem o púbis à tuberosidade isquiática e ao corpo
 o ísquion é formado pelo corpo, ramo ascendente e ramo descendente.
 a união do ramo inferior do púbis com o ramo do ísquion constitui o ramo ísquio-púbico.
 apresenta um contorno irregularmente quadrilátero pelo que se podem descrever duas
faces (externa e interna), quatro bordos (anterior,posterior, superior e inferior) e quatro
ângulos (2 superiores e 2 inferiores).
 face externa:
 apresenta na sua porção média o acetábulo- cavidade cotilóideia.
-1-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
 O acetábulo é circunscrito por um rebordo circular não constante –
margem/limbo do acetábulo – que apresenta a incisura acetabular entre o ísquion e
o púbis. O rebordo acetabular pode apresentar 3 pequenos entalhes/incisuras
(vestígio das 3 partes que na vida embrionária constituem o osso coxal) que marcam
a separação das 3 porções constituintes do osso coxal, são elas a incisura
isquiopúbica (inferior, a maior, é constante e é ocupada por um ligamento), a
incisura iliopúbica (anterior) e a incisura ilioesquiática (posterior).
O fundo do acetábulo não é homogéneo, apresenta 2 superfícies:
 tem uma porção não articular – fossa acetabular – que constitui o fundo
da cavidade acetabular.
 tem uma porção articular – superfície lunata ou semi-lunar – periférica,
em forma de meia lua (crescente), circunscreve uma parte central-fossa
acetabular.
 acima do acetábulo encontra-se a superfície gluteal (fossa ilíaca externa
antigamente)
 é dividida pelas 3 linhas saliências semi-circulares chamadas linhas
glúteas:
 Linha glútea inferior
Separam as superfícies de inserção dos músculos pequeno,
 Linha glútea anterior
médio e grande glúteos.
 Linha glútea posterior
 atrás da linha posterior, a região superior rugosa dá inserção ao
grande glúteo, a região inferior lisa dá inserção a parte do ligamento
sacrotuberoso e piriforme.
 entre as linhas posterior e anterior, abaixo da crista ilíaca,
insere-se o glúteo médio
 entre as linhas anterior e inferior insere-se o pequeno glúteo
 abaixo do acetábulo encontra-se o buraco (foramen) obturado
 é circunscrito acima pelo acetábulo, à frente pelo púbis e atrás pelo
ísquion.
 bordo circunferencial que está situado por baixo do ramo horizontal do
púbis, que constitui a goteira infrapúbica ou sulco obturado, por onde passam, os
nervos e os vasos obturadores.
 encontra-se preenchido pela membrana obturadora
 face interna:
 Na parte média encontra-se uma saliência-linha arqueada-inclinada, que se
estende da crista ilíaca até ao púbis. Linha oblíqua para baixo e para diante e que divide
esta face em duas partes – uma superior ocupada pela fossa ilíaca interna (nde se insere o
músculo ilíaco)e outra inferior. Desta parte inferior descreve-se primeiro que nada a
tuberosidade ilíaca (saliência volumosa). Descreve-se também uma superfície articular que
parece um pavilhão auricular- superfície auricular para o sacro. Há uma superfície plana
quadrilátera (onde se insere o musculo obturador interno). De seguida tem-se o buraco
obturado.
-2-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
 bordo anterior
 este bordo, muito acidentado, apresenta, de cima para baixo, a espinha ilíaca
ântero-superior (insere-se o músculo sartórios e o tenso da fáscia látea),incisura fémurocutânea (por onde passa o nervo cutâneo femural lateral), a espinha ilíaca ântero-inferior
(inserem-se os músculos recto anterior e recto femural),a incisura do psoas-ilíaco, a
eminência ilio-púbica (onde se insere o pequeno psoas),a crista pectínea, o tubérculo
púbico e o ângulo do púbis.
 bordo posterior
 apresenta, de cima para baixo, a espinha ilíaca póstero-superior, a incisura
inominada, a espinha ilíaca póstero-inferior, a grande incisura ciática, a espinha
isquiática e a pequena incisura ciática e a tuberosidade isquiática.
As incisuras grande e pequena ciática foram convertidas em orifícios grande e pequeno
ciático por onde passam músculos, vasos e ligamentos sacro espinhosos e sacro tuberosos.
 bordo superior
 também conhecido por crista ilíaca, tem a forma de S dando inserção aos
músculos do abdómen (oblíquo interno, externo e transverso).
Desde a espinha ilíaca antero-superior até á espinha ilíaca postero-inferior.
 a crista ilíaca apresenta um lábio externo, um lábio interno e uma área
intermédia.
 bordo inferior
 é constituído pelo ramo inferior do púbis e pelo ramo ascendente do ísquion.
-3-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
2004/2005
 ângulos
Anterior- espinha ilíaca Antero-superior
Superiores
Posterior- espinha ilíaca postero-superior
ÂNGULOS
Anterior- ângulo do púbis
InferioresPosterior-tuberosidade isquiática
Coxa:
Fémur





Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
osso longo
par
grande eixo dirige-se obliquamente para baixo e para dentro
articula com o osso coxal, tíbia e patela
tem um corpo (diáfise) e duas extremidades (epífises).
-4-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
 corpo - forma de prisma triangular com 3 faces e 3 bordos:
∆
 a face anterior da inserção aos músculo quadricípede femural
 a face póstero-lateral (externa) dá inserção ao músculo quadricípede femural
 a face póstero-medial (interna) não apresenta inserções musculares
 os bordos medial e lateral são arredondados
 o bordo posterior, também conhecido por linha áspera (porque dá inserção vários
músculos) (linea aspera), é muito espesso e mais saliente e dá inserção:
 ao vasto interno no lábio medial
 ao vasto externo no seu lábio lateral
 aos adutores magno, longo e curto e à curta porção do bicípete femural
no seu interstício
 quadricípede (4 partes)- os aductores que atrás têm inserção na linha
média e os vastos interno e externo.
em baixo a linha áspera bifurca-se para dar dois ramos (interno e externo) que
alcançam os côndilos do fémur e circuncrevem o triângulo popliteu.
 em cima a linha áspera trifurca-se, dando origem a 3 ramos:
 um externo- tuberosidade glútea,que termina no grande trocânter e dá
inserção ao glúteo máximo.
 um médio, ou linha pectínea, que alcança o pequeno trocânter e dá
inserção ao músculo pectíneo
 um interno, passa à frente(?) do pequeno trocânter, dirige-se para a
região anterior do fémur e na região anterior da extremidade superior do fémur
passa a chamar-se linha intertrocanteriana.
 extremidade superior
 Apresenta uma saliência com forma de 2/3 de uma esfera que é a cabeça do
fémur – com uma pequena depressão fávea da cabeça do fémur, onde se insere o
ligamento redondo.
 Apresenta também outras duas saliências que são o grande e o pequeno
trocanter. Saliências separadas por zonas mais apertadas que são o colo anatómico.
 entre a cabeça e os trocânteres encontra-se o colo anatómico e, o colo cirúrgico
separa a diáfise das epífises.
 o grande trocânter é achatado, encontra-se para fora do colo e dá inserção aos
músculos:
 Bordo anterior: pequeno glúteo
 Bordo superior: piriformes
 Face externa: médio glúteo
 Face interna (na zona do colo anatómico): existem duas pequenas
cavidades para inserção dos músculos obturadores e gémeos.
-5-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
O grande trocanter une-se ao pequeno trocanter pela crista intertrocanteriana
atrás (muito saliente) e pela linha intertrocanteriana à frente (pouco saliente).
 o pequeno trocânter situa-se na porção posterior e inferior do colo e dá inserção
ao músculo psoas
 extremidade inferior
 Tem uma tróclea femural à frente que é uma superfície articular para a patela.
 a face posterior apresenta os côndilos femurais (medial e lateral), separados
pela fossa intercondiliana (cavidade). Os côndilos articulam-se com a extremidade
superior da tíbia.
 o côndilo medial apresenta uma saliência o epicôndilo medial e o côndilo lateral
apresenta o epicôndilo lateral.
 Por cima dos côndilos há os tubérculos supracondelianos.
(?)A linha áspera bifurca-se e forma o triângulo oblíquo.
Patela
 Osso anexo ao tendão do músculo quadricípede femural
 a face anterior rugosa é comparada a um triângulo de vértice inferior.
 a face posterior é na sua maior parte articular. Nos 2/3 ou (3/4) superiores
articula-se com a tróclea do fémur.
Ossos da perna: tíbia (interna) e fíbula (externa).
Tíbia
 osso longo
 par
 corpo
 forma de prisma triangular (é ao contrário do fémur) com três faces e três
bordos.
∆
 o bordo anterior é também conhecido por crista da tíbia.
 a face antero interna (medial) é superficial e encontra-se relacionada com a
pele (subcutânea). Não tem inserções musculares.
 a face antero externa (lateral) dá inserção ao músculo tibial anterior.
-6-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
 a face posterior apresenta superiormente uma saliência - linha do solear
(saliência óssea),que se dirige obliquamente para baixo e para dentro, onde se insere o
músculo solear. A linha solear divide a face posterior da tíbia em duas partes:
 Uma superior-para o músculo poplíteo
 Uma inferior para o músculo tibial
posterior e para o músculo longo
flexor dos dedos.
 o bordo medial
 o bordo lateral (interósseo) dá inserção à membrana/tendão interóssea que une
a tíbia à fíbula.
 o bordo anterior termina na tuberosidade da tíbia.
 extremidade superior
Tem duas saliências –côndilos medial e lateral. Tem na sua parte superior
superfícies articulares para os côndilos do fémur. Os côndilos suportam duas cavidades
-7-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
articulares – superfícies articulares superiores da tíbia antigamente chamadas cavidades
glenóides de tíbia, uma medial e outra lateral.
 as duas cavidades glenóides estão separadas pela eminência intercondiliana, que
é formada ela própria por duas saliências: tubérculos intercondilares lateral e medial.
 atrás e à frente da eminência existem as áreas intercondilares anterior e
posterior, onde se inserem os ligamentos cruzados.
 trás do côndilo lateral há uma superfície articular para a fíbula. Há ainda a
tuberosidade da tíbia, linha oblíqua da tíbia, um tubérculo onde se insere o ………
 extremidade inferior
 é muito menos volumosa que a extremidade superior
 tem uma forma cubóide, podendo por isso descrever-se seis faces:
 a face superior continua-se com o corpo do osso.
 a face inferior apresenta uma superfície articular para o talos.
 a face anterior é lisa e relaciona-se com os músculos extensores dos dedos.
 a face posterior tem uma saliência que separa dois sulcos onde deslizam os
tendões dos músculos tensores que vão para a planta do pé (flexor do halux, do tibial
posterior e longo flexor dos dedos)(?).
 a face lateral tem uma faceta articular para a fíbula.
 a face medial apresenta uma saliência – maléolo tibial.
Fíbula
 osso longo
 par
 situado na porção externa da perna.
 tem uma porção afilada anterior.
 tem também um corte triangular com uma face posterior e com um bordo anterior tal
como a tíbia. O ligamento interósseo une o bordo da tíbia à face interna da fíbula.
∆
 corpo
 forma de prisma triangular
 a face antero externa (lateral) recebe os músculos longo e curto peroneais que
vão para a parte lateral da perna.
 a face antero interna (medial) recebe os músculos extensores dos dedos e
extensores do halux(?). A face interna está dividida pelo ligamento interósseo em parte
anterior (à frente do ligamento interósseo) e em parte posterior (atrás do ligamento
interósseo). Assim na parte anterior inserem-se os músculos que vão para a frente (dorso
-8-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
do pé) e chegam aos dedos- extensor dos dedos e extensor do hallux (1º dedo); na parte
posterior inserem-se os músculos posteriores que vão para a planta do pé- músculo tibial
posterior.
 a face posterior dá inserção aos músculos que vão para a planta do pé (músculo
flexor do halux(?)).
 o bordo medial dá inserção ao músculo tibial posterior.
 o bordo posterior dá inserção ao septo intermuscular posterior, que separa
regiões musculares.
bordo anterior-crista da fíbula.
 extremidade superior
 também chamada de cabeça da fíbula.
 articula com o côndilo lateral da tíbia.
 A cabeça prolonga-se por uma saliência – ápex da fíbula.
 extremidade inferior
 tem a forma de uma saliência volumosa designada de maléolo lateral, que se
articula com a extremidade inferior da tíbia.
(?) porção medial apresenta uma faceta articular triangular que articula com o
talus.
(?) porção lateral apresenta um sulco onde se encontram os tendões dos peroneais
laterais.
Ossos do pé
Tarso
Metatarso
Dedos-que são formados pelas falanges
Talus (chamado astrágalo no Esp. Pina)
 osso com 3 parte, dividindo-se em: cabeça, colo, tróclea.
 forma ≈ cubóide – esboça um cubo
 a face superior apresenta uma tróclea – superfície articular para a tíbia (que lhe
está por cima)
Posterior
 a face inferior apresenta 2 facetas articulares
Anterior – q por xs está
para a face superior do calcâneo,
dividida em 2
separadas por uma ranhura – sulco do talus.
 a face externa apresenta uma faceta articular em forma de ; por baixo existe
o processo lateral do talus.
 a face interna tem uma faceta articular em forma de vírgula articula-se com o
maléolo medial.
 a face anterior apresenta a cabeça do talus que articula com o navicular,
através da superfície articular.
 a face posterior apresenta uma saliência – processo do talus – que tem duas
saliências: os tubérculos medial e lateral.
-9-
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
Calcâneo – por baixo do Talus
 é o osso mais volumoso do tarso – corresponde ao calcanhar
 tem uma forma irregularmente cubóide:
 a face superior articula-se com o Talus; atrás tem 1 superfície rugosa, p/
inserção de músculos
Tem duas superfícies articulares:
Posterior
Anterior – que se pode dividir em 2
Entre as duas existe uma goteira, que se opõe a outra para formar o seio so tarso
NOTA: entre o talus e o calcâneo existe um túnel: seio do tarso, formado pelo sulco do
talus e pelo sulco do calcâneo (opostos)
 a face inferior é muito rugosa, dando inserção a músculos e ligamentos.
Apresenta na sua porção posterior 1 saliência com 2 tubérculos: os processos medial e
lateral, que no seu conjunto constituem a tuberosidade do calcâneo.
(Pode existir a Tróclea Peroneal) ???
 a face lateral apresenta a tuberosidade externa do calcâneo ou tróclea
peroneal, acima e abaixo da qual existem 2 saliências que se relacionam c/ tendões dos
músculos longo e curto peroniais; tem uma superfície articular triangular p/ a fíbula
 a face interna apresenta uma goteira, onde se inserem os tendões do músculo
flexor do Hálux (Longo) e apresenta tb o sustentáculo tálico do calcâneo – saliência
anterior da face interna.
 a face anterior tem uma faceta articular para o cubóide.
 a face posterior ñ é articular, é muito rugosa e dá inserção ao tendão calcaneano
(antigamente de Aquiles); constituída pela tuberosidade do calcâneo.
- 10 -
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
Navicular (forma da navio):
 articula atrás com o talus, à frente com os três cuneiformes e lateralmente com o
cubóide.
 medialmente ajuda a constituir o bordo interno do pé.
 2 faces: anterior e posterior
 2 bordos: superior (constitui o dorso do pé) e inferior (constitui a planta do pé)
 2 extremidades: a extremidd interior apresenta a tuberosidd do navicular, que recebe a
inserção do músculo tibial posterior
Cubóide – forma de cubo;
 face superior ‹=› osso do pé: inserção do curto extensor dos dedos
 face inferior: apresenta 1 saliência – a Tuberosidade ou Crista do Cubóide (?) e o sulco o
tendão do longo peronial lateral
 articula atrás com o calcâneo, à frente com os 2 últimos metatársicos (4º e 5º) e com o
cuneiforme lateral.
- 11 -
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
Cuneiformes (3)
 estão situadas entre o navicular e os 4 primeiros metas, que de dentro para fora são
medial, intermédio e lateral
 têm forma de cunha (≈ )
 o cuneiforme medial tem uma base inferior e um vértice superior (
) enquanto que os
cuneiformes intermédio e lateral tem a base superior e o vértice inferior (
)
 cuneiforme medial recebe o tendão do tibial anterior (q tb se insere no 1º meta)
Metatársicos
 são ossos longos
 características gerais (existem no geral, excepto na 1ª e 5ª):
 têm um corpo (diáfise) e duas extremidades (epífises)
 corpo tem forma de prisma triangular
 desenha uma curva de concavidade inferior
 a extremidade posterior tem 3 facetas articulares e não articulares (superior e
inferior)
 a extremidade anterior tem forma arredondada (côndilo) que articula com as
falanges proximais.
 o corpo tem forma de prisma triangular com uma ligeira concavidade inferior.
 características particulares:
 o 1º é o mais grosso (volumoso) e mais curto
 o 5º é o mais fino.
 o 1º articula com o cuneiforme medial e c/ o 2º meta, tendo na extremidade posterior
uma tuberosidd, onde se insere o músc. Longo Peronial Lateral
 o 2º articula com os 3 cuneiformes
 o 3º só articula com o cuneiforme lateral
 o 4º articula com o cuneiforme lateral e com o cubóide
 o 5º articula apenas com o cubóide, inserção do Curto Peronial Lateral
- 12 -
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
- 13 -
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
Falanges
 tem 3 divisões: cabeça, corpo e base ou extremidd posterior
 todos os dedos têm 3 falanges à excepção do 1º que só tem duas (1ª e 3ª).
 a falange proximal na extremidade posterior apresenta uma cavidade glenóide que
articula com o côndilo do metatársico correspondente. A extremidade anterior tem uma
forma de tróclea.
 as falanges médias têm na extremidade posterior uma cavidade glenóide.
 as falanges distais na extremidade anterior têm a forma de um crescente rugoso que
suporta a unha.
Sesamóides:
 1 interno e 1 externo
 ossos pequenos, à volta das articulações ou na espessura dos tendões
 mais constante na face inferior da 1ª articulação metatarso falângica
Artrologia
Articulação coxo-femural
 enartrose
 superfícies articulares:
 cabeça do fémur – revestida por fibrocartilagem e apresenta 1 fóvea
(superfície irregular sem cartilagem), onde se insere o ligamento redondo.
 acetabulo e o seu debrum (ou labrum) – q aumenta profundidade da superfície
articular;
Tem 2 partes:
 superfície lunata (em forma de meia lua) – é esta que articula
 fossa acetabular – esta não articula
 labrum acetabular – aumenta a cavidade acetabular. Circunscreve o acetábulo,
mas é interrompida ao nível da incisura ísquio.púbica, passando por cima dela como se fosse
uma ponte formando o orifício isquio-púbico. Dá-se o nome de ligamento transverso
acetabular à porção do labrum acetabular que se encontra situada sobre a incisura isquiopubica.
- 14 -
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
 meios de união: 1 cápsula e 3 ligamentos de reforço
 capsula articular
 a nível do osso coxal fixa-se no rebordo acetabular em todo o seu
contorno, excepto ao nível da incisura ísquio-púbica, inserindo-se na face externa
do ligamento transverso do acetábulo.
 a nível do fémur insere-se em volta do colo do osso e na crista/linha
intertrocanteriana
 (*1) ligamento ílio-femural – dd a espinha ilíaca ântero-inferior até à linha
intertrocanteriana e pequeno trocânter. Podem distinguir-se dois feixes: 1 superior, perto
do grande trocânter e 1 inferior, perto do pequeno trocânter
 (*2) ligamento pubo-femural –dd o lábio anterior da goteira infra-púbica e
eminência ilio-púbica dirige-se depois para baixo, para fora e para trás indo inserir-se no
pequeno trocânter do fémur.
O ligamento pubo-femural (*2) e o ligamento ílio-femural (*1) formam um conjunto
ligamentoso em forma de N
 ligamento ísquio-femural – insere-se no rebordo do acetabulo e as sua fibras
vão até à face interna do grande trocânter, na porção posterior da região da articulação.
 ligamento redondo ou interarticular (?) – insere-se na fóvea da cabeça do fémur
e dirige-se para a incisura ísquio-púbica, onde se divide em 3 feixes: 1 dirige-se para a
extremidade posterior, outro para a extremidade anterior e um médio para a fora do
ligamento transverso.
 sinovial:
 a sinovial da articulação coxo-femural é formada por duas porções distintas: uma
constitui a sinovial propriamente dita e a outra a bainha sinovial do ligamento redondo.
- 15 -
Anatomia I
Membro Inferior
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
1º Ano
2004/2005
 movimentos:
 flexão, extensão, abdução, adução (ampla), rotação e circundução (∑ de todos os
movimentos) da coxa.
Articulação do joelho
 trócleo-bicôndilo-meniscartrose
 superfícies articulares:
 extremidade inferior do fémur
Tróclea à frente e côndilos interno e externo (estes dois separados por 1
fossa intercondeliana)
 extremidade superior da tíbia
Côndilos lateral e medial da tíbia, separados pela eminência intercondilar e
pelas áreas intercondilares anterior e posterior
 face posterior da patela
Articula-se com a tróclea, MAS só nos ¾ superiores da face posterior
 meniscos lateral e medial
Fazem parte das superfícies articulares p/ aumentar a concavidade da face
superior da tíbia, para a sua articulação com os côndilos;
Não ocupam toda a largura das superfícies articulares;
O Menisco Lateral (ou externo) tem uma forma ≈ de um O (sendo, portanto,
quase fechada, embora não o seja verdadeiramente);
O Menisco Medial é + aberto, tendo a forma de um C
Os 2 meniscos inserem-se pelos Freios Meniscais anteriores e posteriores
às áreas intercondelianas e aí se fixam;
LIGAMENTO MENISCO-FEMURAL: dd menisco lateral/externo, até ao
côndilo interno do fémur;
À frente
LIGAMENTO TRANSVERSO DO JOELHO: une 1 menisco ao outro
 meios de união:
- 16 -
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
 cápsula articular – tem a forma de uma manga, com duas soluções d continuidade
(?) – comparável a 1 cilíndro
Na zona da patela está interrompida, mas insere-se
à sua volta
 inserção femural – faz-se segundo uma linha que percorre, à frente, o
contorno do escavado supratroclear e atrás passa por cima do côndilos
sobe
+ à frente q atrás
 inserção tibial – faz-se, à frente, no contorno da patela e depois inserese no contorno dos côndilos; atrás entra na incisura intercondeliana e no ligamento
cruzado;
 ligamento anterior – formado por vários ligamentos (*3), dispostos em 3 planos:
 plano profundo – retináculos patelar medial e lateral (reforços do
ligamento anterior do joelho) que vêm dd os bordos laterais da patela e vão para os
côndilos da tíbia
 plano médio – expansão dos vastos, parte do quadricípede femural
 plano superficial – aponevrose superficial.
NOTA: Soluções d continuidd:
patela;
atrás da articulação do joelho, a cápsula dirige-se para o
interior do espaço entre os côndilos e insere-se ao nível dos
ligamentos cruzados (se não existisse, a cápsula tinha outro
buraco, como tem na patela)
(*3) Ligamento Patelar ou Roteliano: desde o bordo inferior da patela até à tuberosidade
da tíbia; é a continuação do tendão de inserção do músculo do quadricípede femural,
estando separado da tíbia pela bolsa sero-adiposa
- 17 -
Anatomia I
Membro Inferior
1º Ano
Helena Temido
Inês Barreto
Marta Costa
2004/2005
 ligamento lateral interno –estende-se desde o epicôndilo medial até à tíbia.
 ligamento lateral externo – estende-se desde o epicôndilo lateral do fémur até
à cabeça da fíbula.
 ligamento posterior – divide-se em duas feixes:
 ligamento poplíteu [poplítiu] obliquo – estende-se desde o côndilo lateral
do fémur até ao ponto em que se continua com o tendão do semimembranoso, ou seja, no
côndilo medial da fíbula.
 ligamento poplíteu arqueado – insere-se na cabeça da fíbula, contorna o
músculo popliteu e termina no ligamento posterior.
 ligamentos cruzados:
 anterior – dd o côndilo externo até à área intercondilar anterior.
 posterior – dd o côndilo interno até à área intercondilar posterior.
Encontram-se formando uma cruz, dd a incisura intercondilar do fémur, até ao
côndilo da tíbia.
 sinovial:
 começa acima do triângulo ou escavado supra-troclear (a 5 cm), reveste a face
anterior do fémur (acima da tróclea), e dirige-se para o contorno da patela.
 os ligamentos cruzados impedem que o fémur se desloque para a frente ou para
trás na tíbia.
 quando chega ao menisco (ao seu contorno), ela pára (interrompe-se), formando
2 cavidades articulares: supra-meniscal – acima do menisco – infra-meniscal – abaixo do
menisco; reveste, também, as faces laterais do ligamentos cruzados.
 NUNCA reveste as superfícies articulares com cartilagem
 movimentos:
 flexão, extensão, rotação (muito pouca; não tão ampla como a anterior)
- 18 -
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards