Filosofia e Pré-Socráticos Turma: M3S-RQ Professor

Propaganda
FILOSOFIA E OS
PRÉ-SOCRÁTICOS
TERCEIRÃO – COLÉGIO DRUMMOND 2017
PROF. DOUGLAS PHILIP
O CONCEITO E A
ORIGEM DA FILOSOFIA
A ruptura com o pensamento mítico não se dá de forma imediata, mas de forma
progressiva, passando a ser parte da tradição cultural e não mais forma básica
de explicar a realidade.
Houve um determinado momento em que as teorias míticas não satisfaziam
mais os gregos. Eles precisavam de uma explicação mais consciente pautada
pelos princípios da racionalidade. É nesse contexto que surgirá a filosofia.
CONDIÇÕES HISTÓRICAS PARA
O NASCIMENTO DA FILOSOFIA
1. AS VIAGENS MARÍTIMAS: permitiram aos gregos descobrir que os locais
que os mitos diziam habitados por deuses, titãs e heróis eram, na verdade,
habitados por outros seres humanos.
2. A INVENÇÃO DO CALENDÁRIO: que é uma forma de calcular o tempo
segundo as estações do ano, as horas do dia, os fatos importantes que se
repetem, revelando, com isso, uma capacidade de abstração nova, ou uma
percepção do tempo como algo natural e não como um poder divino
incompreensível;
CONDIÇÕES HISTÓRICAS PARA
O NASCIMENTO DA FILOSOFIA
3. A INVENÇÃO DA MOEDA: que permitiu uma forma de troca que não se realiza através das
coisas concretas ou dos objetos concretos trocados por semelhança, mas uma troca abstrata,
uma troca feita pelo cálculo do valor semelhante das coisas diferentes.
4. ESCRITA ALFABÉTICA: que, como a do calendário e a da moeda, revela o crescimento da
capacidade de abstração e de generalização.
5. A INVENÇÃO DA POLÍTICA: na pólis, a ideia da lei como resultado da vontade coletiva, com
suas regras e ordens, servirá de modelo para a Filosofia determinar o aspecto do mundo como
um mundo racional.
O CONCEITO E A
ORIGEM DA FILOSOFIA
A Filosofia é uma forma de pensamento que nasce na
Grécia antiga, por volta do séc. VI a.C. sucedendo o
pensamento mítico. A palavra Filosofia vem de duas
palavras de origem grega (philos e sofia) e pode ser
traduzida por amigo do saber.
Segundo a tradição, o criador do termo foi o filósofo e
matemático Pitágoras (570 – 495 a.C.) que acredita só
ser possível aos deuses uma pose total da sabedoria.
OS PRIMEIROS FILÓSOFOS
Tales de Mileto: considerado o primeiro filósofo,
segundo Aristóteles, viveu nas colônias gregas da jônia
(Ásia Menor). Foi assim considerado, porque buscou
por meio dos seus estudos uma explicação para a
origem das coisas de forma racional e científica. Ao
lado dele, são considerados os primeiros filósofos:
Anaximandro,
Anaxímenes,
Pitágoras,
Anaxágoras, Empédocles e Demócrito.
Heráclito,
COSMOGONIA X COSMOLOGIA
Cosmogonia:
Narrativa da origem do mundo a partir de
forças geradoras divinas.
Cosmologia:
Mundo natural, enquanto realidade
ordenada, com certos princípios
racionais.
PHYSIS, ARCHÉ,
KOSMOS E LOGOS
PHYSIS: A natureza, a substância física no mundo;
ARCHÉ: Princípio originário, formador de todas as coisas (“matéria prima” de que são feitas as coisas).
KOSMOS: Mundo natural, bem como o espaço celeste, enquanto realidade ordenada de acordo com
certos princípios racionais. O cosmo, entendido assim como ordem, opõe-se ao caos, que seria
precisamente a falta de ordem, o estado da matéria anterior à sua organização.
LOGOS: Enquanto discurso, difere fundamentalmente do mito, porque é uma explicação em que
razões são dadas. É o discurso racional, argumentativo, em que as explicações são justificadas e estão
sujeitas à crítica e à discussão.
A ARCHÉ SEGUNDO
DIFERENTES FILÓSOFOS
FILÓSOFO
CIDADE
PERÍODO
ARCHÉ
TALES
MILETO
624 a.C. a 546 a.C.
ÁGUA
ANAXÍMANDRO
MILETO
611 a.C. a 546 a.C.
ÁPEIRON
ANAXÍMENES
MILETO
586 a.C. a 525 a.C.
AR
PITÁGORAS
SAMOS
580 a.C. a 500 a.C.
NÚMEROS
HERÁCLITO
ÉFESO
535 a.C. a 470 a.C.
FOGO E
MOVIMENTO
EMPÉDOCLES
AGRIGENTO
492 a.C. a 432 a.C.
4 ELEMENTOS
ANAXÁGORAS
CLAZÔMENAS
499 a.C. a 428 a.C.
HOMEOMERIAS
DEMÓCRITO
ABDERA
460 a.C. a 370 a.C.
ÁTOMOS
TALES (623 – 558 a.C.)
ÁGUA
Em sua busca de sua arché, Tales deparou-se com a importância particular da
água na vida dos seres vivos. De fato, ele constatou:
- Tudo quanto é vivo é constituído de água;
- Quando chove, sempre nasce algo;
- Quando falta água, os seres morrem;
- Quando os seres morrem, eles secam;
- Quando um animal é gerado, ele fica dentro de um recipiente cheio de líquido;
- O princípio de geração dos animais, o sêmen, é líquido, e, portanto, feito de
água;
ANAXIMANDRO (611 – 546 a.C.)
APEÍRON
Tinha um argumento contra Tales:
o ar é frio, a água é úmida, e o fogo é quente, e essas
coisas são antagônicas entre si, portanto um o
elemento primordial não poderia ser um dos elementos
visíveis, teria que ser um elemento neutro, que está
presente em tudo, mas está invisível.
Considerava o infinito como o princípio das coisas, e o
chamou de apeíron, considerava então, que o limitado
não poderia ser a origem das coisas limitadas. Explica
que as coisas nascem do infinito através de um
processo de separação dos contrários (seco-úmido).
ANAXIMENES (586 – 525 a.C.)
O AR
Discípulo de Anaximandro, discorda de que os
contrários podem gerar várias coisas. Colocou o ar
como Arché, porque o ar, melhor que qualquer outra
coisa, se presta a variações, e também devido à
necessidade vital deste para os seres vivos. A
rarefação e condensação do ar formam o mundo.
A alma é ar, o fogo é ar rarefeito; quando acontece
uma condensação, o ar se transforma em água, se
condensa ainda mais e se transforma em terra, e por
fim em pedra
PITÁGORAS (580 – 500 a.C.)
NÚMEROS
Os pitagóricos interessavam-se pelo estudo das
propriedades dos números - para eles o número
(sinônimo de harmonia) era considerado como
essência das coisas - é constituído então da soma de
pares e ímpares, noções opostas (limitado e ilimitado)
respectivamente
números
pares
e
ímpares
expressando as relações que se encontram em
permanente processo de mutação.
Teriam chegado à concepção de que todas as coisas
são números.
HERÁCLITO (535 – 470 a.C.)
FOGO E MOVIMENTO
Atribuiu o fogo como princípio de todas as coisas: "O
fogo transforma-se em água, sendo que uma metade
retorna ao céu como vapor e a outra metade
transforma-se em terra. Sucessivamente, a terra
transforma-se em água e a água, em fogo."
Mas Heráclito era mobilista e afirmava que todas as
coisas estão em movimento como um fluxo perpétuo.
Ou seja, usa o fogo apenas como símbolo de todo este
movimento. Heráclito imaginava a realidade dinâmica
do mundo sob a forma de fogo, com chamas vivas e
eternas, governando o constante movimento dos seres.
“NUNCA NOS BANHAMOS NO MESMO RIO, PORQUE NA SEGUNDA JÁ
NÃO SOMOS MAIS OS MESMOS E O RIO TAMBÉM!”
PARMÊNIDES (530 – 460 a.C.)
OPÕE-SE A HERÁCLITO
Nos oferece uma ideia contrária à de Heráclito.
Em seu pensamento, o filósofo define o seguinte:
“O ser é único, imutável,
infinito e imóvel”.
Para ele, o ser é sempre idêntico a si mesmo.
DEMÓCRITO (460 – 370 a.C.)
ÁTOMOS
Os atomistas seguiram a linha de que a natureza era
comporta por partículas infinitas. Diziam que tudo que
realmente existia era constituído de átomos e de vazio
(este último os espaços entre os átomos).
Considera que nada pode surgir do nada, assim, os
átomos eram eternos, imutáveis e indivisíveis. O que
acontecia, era que eles eram irregulares e podiam ser
combinados para dar origem aos corpos mais
diversos.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards