Fundação Pró-Rim
FORM:
DP-003B
Revisão:
02
Programa de TreinamentoTeórico-Prático
para DPA (Paciente/Familiar)
Treinamento em Diálise Peritoneal
Nome do Paciente:
Nome do Familiar:
Primeira aula
Data:

Apresentação do setor de diálise peritoneal e da equipe interdisciplinar.

Formas de tratamento da insuficiência renal (CAPD/DPA, HD e TX), bem como vantagens e
desvantagens de cada método.

Fisiologia e anatomia renal.

Como funciona a diálise peritoneal; O que cavidade e membrana peritoneal

Conceito básico sobre diálise peritoneal exemplificando sobre osmose, difusão e ultrafiltração.

Uréia, creatinina, potássio - Relação com IRC e diálise.

A doença renal (como enfoque específico da patologia).

Sinais e sintomas da IRC, (HAS, DM, edema, anemia e a redução da diurese).

Princípios, componentes do sistema de diálise peritoneal.

Entrega do material didático para o treinamento; explicação do treinamento teórico e prático.

Demonstração dos materiais (bolsa de diálise peritoneal, cateter, titânio, equipo de
transferência, Prep-Kit (máscara, cápsula e fitas adesivas).

Diferença de concentração e cores das bolsas de diálise peritoneal.
Sim
Não
Sim
Não
 Responsabilidades da equipe, do paciente e da família.
Observação:
Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Segunda aula
Data:

Descrição do cateter. Técnica de Implante do cateter peritoneal e preparo para anestesia.

A localização do túnel e orifício de saída do cateter.

Cuidados com o cateter após o implante (banho, curativo, limpeza e fixação do cateter).

Apresentação das bolsas e tipos de soluções, aquecimento, volume, concentração, aspecto,
integridade.
 Orientação sobre o descarte do material reciclável, destino do líquido drenado e das bolsas
utilizadas.
 Demonstração da técnica de conexão e desconexão pelo paciente e/ou familiar, manipulação do
sistema, manuseio da cicladora com auxílio da enfermeira
Observação:
Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Fundação Pró-Rim
FORM:
DP-003B
Terceira aula
Revisão:
02
Programa de TreinamentoTeórico-Prático
para DPA (Paciente/Familiar)
Data:

Procedimento de auto cuidado.

Flora bacteriana normal e patológica.

Diferença entre o sujo, limpo e estéril. Relação entre assepsia e contaminação, que pode levar à
infecção.

Demonstração da lavagem das mãos - sua importância, cuidados e técnica.

Como realizar a técnica asséptica e preparo do ambiente para a instalação do paciente em
diálise.
Cuidados no momento da realização da troca (uso da máscara, portas e janela fechada, ar
condicionado e ventilador desligado para evitar circulação de ar).


Observação, identificação, validade, e integridade das bolsas.

Cuidados com o cateter durante a instalação de bolsas.

Como identificar sinais de complicação, contaminação e pontos frágeis do sistema.

Demonstrar as diferentes maneiras que podem acarretar em contaminação e como evitá-las.

Como proceder em caso de haver contaminação.
Sim
Não
Sim
Não

Simulação do treinamento prático paciente/familiar sob supervisão da equipe da diálise
peritoneal.
Observação:
Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Quarta aula




Data:
Balanço Hídrico, ganho de peso X inchaço, Sal, água e PA.
Aumento rápido do peso; Aparecimento de inchaço. O que acontece quando há sobrecarga
hídrica; Descontrole da pressão arterial. O peso e a pressão arterial como indicadores da
presença ou não de excesso de liquido.
Sobrecarga do coração e todo sistema circulatório. O papel do sal e a importância de sua
restrição para manutenção do peso e pressão arterial ideais.
Ausência de restrição em relação à quantidade dos alimentos sólidos. Orientação sobre o
consumo de certas frutas e legumes, bem como os caldos que fazem parte do balanço hídrico.

As formas de perda de água pelo organismo (efluente, urina, fezes e respiração).

As diferentes concentrações das bolsas e sua indicação para maior retirada de água do
organismo, e seus efeitos indesejáveis.
A importância dos horários da troca; tempo de permanência e volume de líquido na cavidade,
especialmente para bolsa de maior concentração em glicose.
Orientação sobre a aferição da pressão arterial diariamente. Orientação sobre a pesagem uma
vez na semana para controle do peso.



Dicas de com dissimular a sede.

Importância da realização a diálise DPA todas as noites. Importância da anotação do total de
líquido ultrafiltrado
 Simulação do treinamento prático paciente/familiar sob supervisão da equipe da diálise
peritoneal.
Observação:
Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Fundação Pró-Rim
FORM:
DP-003B
Quinta aula
Revisão:
02
Programa de TreinamentoTeórico-Prático
para DPA (Paciente/Familiar)
Data:

Orientação sobre o acompanhamento com a nutricionista para realizar as orientações sobre
alimentação.

A absorção de glicose das bolsas e a sensação de saciedade.

Medicações utilizadas: Eritropoetina, Insulina, Anti-hipertensivos, Hidróxido de ferro
endovenoso, Quelantes de fósforo e etc.; orientar o paciente onde deverão ser aplicados estes
medicamentos.

A importância de tomar a medicação no horário prescrito pelo médico.

Avaliação dos conceitos passados na aula teórica do dia, revisão dos conceitos de balanço
hídrico.

Demonstração da realização do curativo do cateter e fixação do mesmo.
Sim
Não
Sim
Não
Sim
Não

Simulação do treinamento prático paciente/familiar sob supervisão da equipe da diálise
peritoneal.
Observação:
Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Sexta aula
Data:

Intercorrência e urgência relacionadas a diálise peritoneal.

Orientação sobre os sinais e sintomas e o fator relacionado

Demonstração da realização do curativo do cateter e fixação do mesmo

Simulação do treinamento prático para paciente e familiar sob supervisão da equipe da diálise
peritoneal.
Observação:
Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Sétima aula
Data:

O que é peritonite?E quais são os sinais e sintomas?(efluente turvo, febre, náuseas, vômitos e
dor abdominal intensa). E o que fazer quando ocorrem estes sintomas?


O que é infecção do local de saída do cateter? E o que é tunelite?

Manter longe do cateter tesoura, gilete, estilete e agulhas.


Demonstração da realização do curativo do cateter e fixação do mesmo.
Sinais e sintomas de inflamação e infecção no local e saída do cateter. (vermelhidão, dor, calor
e secreção purulenta). O que fazer?
Simulação do treinamento prático paciente/familiar sob supervisão da equipe da diálise
peritoneal.
Observação:
Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Fundação Pró-Rim
FORM:
DP-003B
Oitava aula
Revisão:
02
Programa de TreinamentoTeórico-Prático
para DPA (Paciente/Familiar)
Data:

Dia a dia do paciente em diálise peritoneal.

Trabalho, lazer, atividade física, banho de piscina e praia.

Atividade sexual.


Viagens X esquema de trocas de bolsa.
Sim
Não
Sim
Não
Simulação do treinamento prático paciente/familiar sob supervisão da equipe da diálise
peritoneal.
Observação:
Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Nona aula

Data:
Avaliação do treinamento

Recapitulação (O que é peritonite? Quais os sinais e sintomas da peritonite?)
Recapitulação (Cuidado com o cateter, túnel e local de saída. Quais os sinais flogísticos de
infecção do local de saída do cateter peritoneal).
 Recapitulação (Concentração de bolsa e as corres. Assepsia e higiene pessoal e higiene das
mãos).
 Encerramento da simulação do treinamento prático paciente/ familiar sob supervisão da equipe
da diálise peritoneal. Ao término do treinamento deverá ser avaliada a necessidade de novas
aulas.
Observação:

Assinatura do Paciente:
Assinatura do Familiar:
Assinatura e Carimbo Enfermeiro Responsável
Download

(PACIENTE-FAMILIAR) - Fundação Pró-Rim