jornal astrológico - Associação Portuguesa de Astrologia

Propaganda
abril a junho
Primavera 2014 | N.º
jornal astrológico
8
Propriedade da ASPAS
Diretora
Isabel Guimarães
Diretora Editorial
Luiza Azancot
Edição
Isabel Guimarães
Conselheiros Astrológicos
Realização Gráca
Ana Cláudia
http://cargocollective.com/AnaClaudia
Redação e Administração
Av.da República-1226-6ºFrente
Mafamude - V.N. deGaia
t. 221 450390
Email:
[email protected]
Website:
http://www.associacaoportuguesadeastrologia.com
Blog:
http://associacaoportuguesastrologia.
blogspot.pt
Facebook:
https://www.facebook.com/AspasAssociacaoPortuguesaD
eAstrologia
Periodicidade
Trimestral
Distribuição:
Gratuita via link no site da Aspas
Orgãos Sociais da ASPAS
Direção
Isabel Guimarães (Presidente)
Inês Miranda (Secretária)
Susana Oliveira (Tesoureira)
Assembleia Geral
Miguel Soares (Presidente)
Vânia Rodrigues (Vogal)
Ivo Silva (Secretária)
Conselho Fiscal
Pedro Torres (Presidente)
João Soares (Vogal)
Marta Castro (Tesoureira)
Conselheiros Astrológicos
João Medeiros
Luís Resina
Luiza Azancot
Direitos
Este jornal em formato digital não pode
ser reproduzido, no todo ou em parte,
por qualquer processo mecânico, fotográfico ou electrónico, nem ser introduzido numa base de dados, difundido ou de qualquer forma copiado
para uso público ou privado – além do
uso legal como breve citação em artigos e críticas – sem prévia autorização
dos autores.
Decreto Lei nº 334/97
EDITORIAL
Aqui vem mais uma primavera quente dominada pela
quinta quadratura exata Urano Plutão analisada não
só para Portugal e Brasil nas cartas de ingresso da nova
estação mas também com uma visão aprofundada
nos pontos quentes do globo. Desviamos da economia e da política e olhamos para a ciência através de
um artigo do astrólogo americano David Perloff sobre
a astrologia do Bóson de Higgs que também está intimamente ligada ao ciclo Urano Plutão.
Segue-se a astrologia na esfera pessoal com a astrologia psicológica de Márcia Ferreira da Silva, um testemunho pessoal de Luiz Saraiva e a resposta a uma
pergunta horária feita e interpretada pelo próprio astrólogo, Paulo Alexandre Silva.
Cada vez mais astrólogos fazem uso da astrocartografia, aliás mencionada várias vezes neste jornal e
impõe-se publicar uma introdução sobre este assunto. Sendo a nossa editora especialista nesta técnica,
coube-lhe elucidar quem ainda não a conhece.
Iniciamos neste número uma coluna a que chamámos
Arquétipos Vivos da autoria de um membro estudante
e convidamos os outros membros estudantes a seguirlhe o exemplo e enviar proposta de artigos para
[email protected]
Ao inicarmos o novo ano zodiacal a Aspas, comemorou
o Equinócio da Primavera, com os membros Carlos
Hollanda, Isabel Guimarães , Luis Resina, Luiza Azancot e Márcia Mattos, no Quiron – Centro Português de
Astrologia em Lisboa, com uma calorosa recepção
por parte da Astróloga e fundadora do Quiron, Maria
Flávia Monsaraz. Na continuidade de seus festejos, a
Aspas, realizou no passado dia 28/03, na sua sede, a
eleição aos novos cargos dos orgãos sociais, soldificando a sua nova restruturação. Adiantamos que o
Jornal 4 Estações passará a estar disponivel de forma
gratuita para todos, na sua versão digital, aquando o
seu lançamento. Várias serão as novidades para este
novo mandato, onde poderão consultar a equipa de
orgões sociais, no site da Aspas.
O próximo jornal será temático e inteiramente dedicado ao AMOR. Membros da ASPAS contribuam com
as vossas ideias. Este jornal é vosso e só continuará a
existir com a nossa partilha dos nossos saberes. Entrem
em contacto com (mail jornal), skype ou telefone.
Participem!
7 Ingresso Vernal 2014
13 Em abril, sarilhos mil
25 O Bóson de Higgs, o
Professor Higgs e a astrologia que os liga
35 Os complexos segundo a Teoria Junguiana
43 Astrologia e Esoterismo
51 Pergunte ao Astrólogo
57 Astrocartografia uma introdução
67 Arquétipos vivos Lady Gaga, Adele e
Prince
77 Portugal Astrológico
- Parte IV
87 Efemérides
7
13
25
35
43
51
57
67
77
87
7
Por: João Medeiros
Membro N.º19
www.joaomedeiros.org
INGRESSO
2
VERNAL 0
Este texto é a continuação da série de
artigos dedicados a técnicas tradicionais de Astrologia Mundial. Interpretamos
agora o ingresso do Sol em Carneiro/
Áries, em 2014, para Portugal e Brasil.
Lembramos que no último artigo, no
caso português, referimos a tendência
para o aperto de contas nos funcionários
públicos, particularmente, em Fevereiro
e Março tendência que se veio a comprovar, bem como uma atmosfera de
progresso comunicada pelo governo.
1
4
O INGRESSO DE 2014 PARA PORTUGAL
Ao mapa do início da Primavera de 2014 para Portugal poderíamos baptizar de “Português Suave”. Tem um Ascendente
Virgem o que, segundo as regras tradicionais, torna o mapa
funcional apenas para a primeira metade do ano (ou seja,
com validade até 22 Setembro de 2014).
Diagrama A – Mapa do Ingresso do Sol em Áries/ Carneiro de 2014, calculado para Lisboa
9
O tema do mapa está mais uma vez relacionado com a gestão dos funcionários
públicos (Mercúrio na Casa 6 em Peixes)
e do desemprego, com alguma dificuldade em se aliar a eficiência organizativa do Estado com a solidariedade
(Mercúrio debilitado). Porém, está conjunto a uma estrela fixa benéfica (Fomalhaut) e em trígono a um belo Júpiter em Caranguejo/ Câncer na Casa
11 o que favorece bastante o encontro
de soluções e uma atmosfera optimista.
O sextil de Júpiter ao Ascendente também favorece um clima de esperança
e de progresso durante estes 6 meses.
Na prática, poderemos esperar uma
melhoria dos índices de emprego, promovidos por atividades turísticas ou culturais (Peixes/ Mar) e pelo investimento
de grandes grupos (Júpiter na 11).
O Sol não forma muitos aspetos e está
na entrada da Casa 8 (uma dívida
“brilhante) o que sugere que a questão
da dívida ainda estará presente
como tema dominante da política.
Podemos esperar um equilíbrio algo
precário mas razoável da mesma , atendendo a que o seu regente, Marte,
ainda que exilado e retrógrado na
Casa 2, está conjunto à estrela altamente benéfica Spica. Esta posição
também avisa para a dificuldades de
decisões económicas mais corajosas
do governo pelo receio de desagradar
ao povo.
O principal desafio deste mapa prendese com a conjunção da Lua em Escorpião com Saturno, na Casa 3, associada aos meios de comunicação.
Uma vez que a Lua representa o povo e
Saturno representa as instituições, será
normal que assistamos a uma atitude
mais contestária e agressiva nos jornais
e televisões, e uma certa necessidade
coletiva de alguma confrontação e
debate de ideias.
O INGRESSO DE 2014 PARA O BRASIL
O mapa do ingresso do Sol em Áries/Carneiro para o Brasil revela
uma panorâmica completamente diferente. Desde logo um Ascendente Cardinal (Câncer) sugere um ano mais movimentado
e a validade deste mapa apenas para a análise do 1º trimestre
(até 20 Junho).
E qual o tema principal? O atraso e preocupação com as infraestruturas desportivas e de segurança para a Copa do Mundo:
a Casa 4 é a mais preenchida, com a presença da Lua aflita em
Escorpião, Saturno retrógrado e Marte retrógrado em Libra/ Balança no Fundo-do-Céu. Atendendo a que é uma Casa Cardinal,
a preocupação será mais evidente no início do trimestre (o mês
de Abril de 2014).
Podemos assim chamar a este mapa “Os Atrasos dos Estádios”.
Diagrama B – Mapa do Ingresso do Sol em Áries/ Carneiro de 2014, calculado para Brasília
11
Uma vez que a Lua rege o povo e
está numa posição tensa, será natural que o povo tenha atitudes mais impacientes, desiludidas e desagradas
com o grande investimento no evento
e que se evidenciem atrasos na preparação do mesmo (a presença das
maléficas retrógradas na casa das infra-estruturas aponta para essa tendência) ou instabilidade de algumas obras.
Dado que a Lua está em Escorpião e Marte no Fundo-do-Céu é de esperar que
os temas de segurança e controlo da
violência assumam uma preocupação
considerável neste primeiro trimestre.
A estrela benéfica Spica no Fundodo-Céu pode, contudo, favorecer a
dinâmica estética dos estádios e do
evento colaborando para criação de
uma atmosfera mais harmoniosa e cultural.
O Sol na Casa 9 pode também favorecer a imagem internacional do Brasil.
A presença de Júpiter em Câncer na
Casa 12, regente da Casa 9 também
impulsionará a proteção, presença e
incentivo estrangeiro ao evento. Como
as Casas Cadentes estão associadas
ao último terço do trimestre (20 Maio
a 20 Junho) e, uma vez que o evento
começa a 12 Junho, está favorecido
ainda assim o seu início com um certo
glamour.
REFERÊNCIAS
◘ Artigo “Astrologia Mundial: Teoria e Prática”, por João Medeiros, publicado na
Edição Especial do Jornal Astrológico 4 Estações, de Dezembro de 2012
◘ Artigo “Astrologia Mundial: Portugal e
Brasil”, por João Medeiros, publicado na
Edição Especial do Jornal Astrológico 4 Estações, de Abril de 2013
◘ Mundane Astrology, M. Baigent, N. Campion e C. Harvey (1989)
◘ The Book of World Horoscopes, Nick Campion (1995)
◘ Tetrabiblos, de Claudius Ptolomeu (séc. II
d. C.)
◘ De Magnis Coniunctionibus, de Abu
Ma’shar al-Balkhi, tradução de Yamamoto, Ch. Burnett, Leiden (2000), 2 volumes,
(Textos em árabe e Latim)
◘ Mapas astrológico calculado através do
software Solar Fire
13
Por: Rosita Iguana
Membro N.º41
www.rositaiguana.com
EM
ABRIL,
SARILHOS MIL
A grande cruz cardinal de Urano, Plutão, Júpiter e Marte
que se prolonga ao longo do mês abril toca a Ucrânia,
Putin, Washington, a Nato e mexe com interesses energéticos, geo-estratégicos, nacionalistas e bélicos.
15
TEMPOS DE DISCÓRDIA E RENOVAÇÃO
De setembro de 1965 a junho de 1966
Urano e Plutão estiveram conjuntos por
volta dos 15 graus de Virgem. Agora,
desde de 2012 e até 2015 Urano e Plutão
encontram-se numa série de sete quadraturas, os primeiros tempos de alta
tensão, conflito de interesses e transformação dos temas lançados na conjunção, numa análise cíclica parcial dos
movimentos planetários e da História.
São esses os anos charneira dos aspetos
exatos mas temos de ter também em
consideração a aproximação e afastamento planetário e consequentemente estarmos também atentos ao
potencial crescendo e queda da perturbação socio-política, militar ou financeira que envolve essas datas chave.
Ao enunciarmos as grandes transformações, conflitos revoluções ou
crispação da conjuntura dos anos 60
podemos naturalmente esperar que as
mesmas façam parte do enredo dos
episódios seguintes - no tempo das
quadraturas que agora atravessamos.
As quadraturas atuais são por isso fases
críticas no ciclo de Urano Plutão que
começou no anos 60 em Virgem mas
isso não quer dizer que agora as cenas
e respostas sejam idênticas já que Urano e Plutão percorreram desde então
vários signos, ao mesmo tempo que
ocorreram outros tantos ciclos de outros
planetas - o todo co-relacionado com
a evolução social, política e de consciência do coletivo. Agora Urano está
em Carneiro e Plutão em Capricórnio.
Urano no signo regido por Marte revela
como estamos prontos abruptamente
a quebrar com o passado. Plutão no
signo regido por Capricórnio traz transformações profundas nas estruturas de
poder politico ou financeiro que até
agora eram o paradigma, revelando
podres, corrupções e abusos e forçando a renovação das relações e sistemas. Depois do abrir jogo da conjunção, a liberdade de Urano choca agora
com a interdependência de Plutão em
todos os sectores que ainda não estão
livres dos ónus do passado. Com o trânsito atual do Nódulo Norte em Balança
- até ao final das sete quadraturas de
Urano a Plutão que desde 2012 até
2015 pontuam as mudanças de paradigma globais - o caminho vai ter de
passar por novos equilíbrios de podermas isso é conflituoso….
DOS ANOS 60 PARA AGORA
Vejamos alguns exemplos de desenvolvimentos históricos dos anos 60 que estão a passar por convulsões ou evolução nesta atual série de quadraturas:
◘ Nos anos 60, terminou a descolonização dos pós Guerra- exceto para Portugal mas que viu nessa década o agravamento do conflito. Agora é nesses
países, em particular nos países árabes do norte de África que está em curso o novo desafio de consolidação da vontade popular como a Primavera
Árabe ainda em curso e fonte de conflitos e repressão de toda a natureza.
◘ Nos anos 60 deu-se a revolução hippie, o amor livre, a tomada de consciência da Era do Aquário, de relações não comprometidas de abertura ao mundo.
Agora está a dar-se mais um passo nessa revolução sexual e social com a legalização do casamento gay e um mundo de contatos livres através da cibernética
internet, verdadeiro símbolo das ondas de Aquário e os conceitos New Age já
adotados pelas campanhas de marketing.
◘ Nos anos 60 foi inventada a pílula que deu novo poder às mulheres e agora
como nunca, as mulheres chegam a cargos de chefia em todas as áreas do coletivo.
◘ Nos anos 60, americanos e soviéticos lançaram-se na corrida à conquista do
espaço e este ano a nave espacial “Terra” completou outra revolução anual
em torno do Sol e segue para nova ronda de mais 940 milhões de quilometros no
tempo e espaço…
UCRÂNIA NA QUADRATURA DA GUERRA FRIA
São muitas outras as sequências que podem ser enunciadas e que se enquadram na agenda e simbolismo dos ciclos de Urano e Plutão mas o que
de mais premente se passa agora é o eminente conflito entre os EUA e a
Rússia sobre o destino e opções política de um país longe das fronteiras
dos Estados Unidos, tal como aconteceu nos anos 60. Foi em plena conjunção Urano Plutão, em novembro de 1965 que as tropas Americanas
se envolveram na batalha de La Drang no Vietnam. Estava-se no auge
da Guerra fria e capitalismo e comunismo defrontaram-se no sudeste
asiático até à queda de Saigão em 1975, enquanto os países fronteira
da Europa democrática e comunista eram território de mísseis e minas.
Agora, em plena quadratura, são de novo os fantasmas da Guerra Fria
que se fazem sentir com a corrida de navios militares norte-americanos
e russos para o Mar Negro em prol da futuro da Ucrânia, com ou sem
Crimeira, dependente ou não das fontes de energia e financiamento russas, também simbolizadas por Urano num plutoniano jogo de forças em
que a opinião de quem está no terreno, nas praças de liberdade, se faz
ouvir em todos os meios de comunicação.
Depois de nos anos 60, o Flower Power ter posto o mundo a ouvir baladas
de amor e liberdade em contestação à Guerra do Vietnam e Guerra fria na
Europa, na quadratura o dinamismo crítico é maior e a expressão criativa
pode traduzir-se em novo ativismo ou ação revolucionária, em prol da defesa das identidades nacionais o que é ilustrado por Júpiter em Caranguejo.
17
TUDO EM CAUSA EM ABRIL
Em meados de Abril, no dia em que
Plutão entra retrógrado, em quadratura
a Urano, a Júpiter e a Marte também
retrógrado, respetivamente nos signos
de Capricórnio, Carneiro, Caranguejo
e Balança, o poder, a vontade e a segurança e o equilíbrio entre a Guerra
e a Paz- tudo em volta dos graus 13
desses signos, - os horóscopos de Putin, dos EUA e da Ucrânia são direta e
exatamente tocados em pontos chave
por essa grande quadratura cósmica.
Vladimir Putin, 7 outubro 1952, 9.30 am, Sao Petersburgo, Rússia
Estados Unidos da América, 4 julho 1776, 5.10 pm, Filadélfia, Pensilvânia
Ucrânia, 24 agosto 1991, 5.31 pm Kiev, USSR (GMT -3:00)
Essa grande quadratura tem impacto em todos os horóscopos pessoais ou coletivos que tenham Urano ou Plutão em lugares chaves ou cujos planetas natais ou
progredidos sejam “apanhados” na trama das tensões.
De facto, de 15 a 30 de abril tudo parece vir a ser posto em causa. Este é um
dos períodos mais tensos e intensos do ano. Como pano de fundo temos Plutão
que entra retrógrado a 13 graus de Capricórnio no dia 15 o que significa que até
setembro não avançaremos mais com novas transformações estruturais mas sim
teremos de aprofundar ou rever as já decididas. Em quadratura todo o mês a
este Plutão está Urano em Carneiro que exige iniciativas mesmo que conflituosas.
E Júpiter em Caranguejo expandindo sentimentos nacionalistas e Marte retrógrado em Balança pondo em causa equilíbrios e acordos de paz, completam uma
grande cruz cardinal, uma força centrífuga que nos vai levar pela força para outra realidade, outra “estação”. Em grau exato, a 20 de abril, Júpiter repete o estrondo do final de fevereiro, Lua nova de março, - quando a questão da Ucrânia
se levantou com as manifestações populares que levaram à fuga do governo,
- re-activando a quadratura de Urano a Plutão que por seu lado fica exata a
21 e tem Marte, a 23, a forçar ainda mais as mudanças estruturais profundas por
força do re-equilíbrio de alianças e poderes.
Ou seja, temos aqui matéria explosiva, transformações profundas, golpes nas relações pessoais e políticas, crises e restruturações financeiras, poderes que caem
e outros que se instalam.
A pontuar estes desenvolvimentos da quinzena há dois eclipses.
O primeiro é dia 15 de abril
e ocorre a 25 graus de Balança numa Lua Cheia,
tecnicamente
conjunta
a Marte, que exacerba a
oposição entre o desejo de
ação independente e a necessidade de compromissos
e um segundo eclipse dia
29 de abril, desta vez do Sol,
numa Lua Nova a 8 graus
de Touro que simboliza o arranque de um novo pacote
de valores ou definição de
situação material dentro do
contexto de transformações
em curso já que esta Lua
nova é praticamente em
trígono a Plutão em Capricórnio.
Eclipse Lunar Total, 15 de Abril de 2014, 7:42 am, Lisboa, Portugal
UMA CRISE PROLONGADA
Até à quadratura de Urano a Plutão seguinte, em novembro, em que a grande
cruz se disfaz mas Marte está conjunto a Plutão, Júpiter, já em Leão, acabou de
fazer trígono a Urano e Saturno se encontra exatamente no mesmo grau de Escorpião do que quando entrou retrógrado no ínicio da crise da Ucrânia, vamos
assistir ou participar em processos complexos de exacerbação de posições individualistas ou de interesse nacionalista que provocam reações violentas e que
acabarão por se traduzir numa restruturação dos poderes vigentes em novas
interdependências, porque Plutão em trânsito em Capricórnio é isso que exige:
que os poderes plutonianos como as grandes corporações, poderes financeiros,
a questão das dívidas públicas, todos os poderes sem rosto passam a permear
as estruturas de poder tradicionais e a condicionar o seu funcionamento. O recurso à força bruta ou militar pode fazer parte do processo mas em última análise
o verdadeiro motor de resultados será o poder financeiro com Plutão e Saturno
em receção mútua no signo do poder e das dívidas . A Cabeça do Dragão em
Balança a chegar, em janeiro de 2015, - durante a última quadratura de Urano a
Plutão deste ciclo - aos 13 graus de Balança, - o ponto que é ativado agora em
abril - trará assim no arranque do próximo ano resposta diplomática, equilibrada
às relações de força em conflito, contas feitas às dependências energéticas e
financeiras.
19
Este calendário de conflito e resolução aplica-se não só ao caso da Ucrânia
e intervenientes como Putin ou EUA como também a qualquer um de nós ou
país ou instituição cujos planetas pessoais estejam nos graus da grande cruz ou
quadraturas de Urano a Plutão.
MÚLTIPLOS SINAIS
No caso específico da Ucrânia e das
partes que apoiam e contrariam as escolhas desse país entre fazer parte da
esfera de influência russa ou ocidental,
é interessante e relevante olhar não só
para os seus horóscopos como para
os horóscopos do ingresso de Carneiro
a 20 de março, quatro dias depois do
referendo previsto na Crimeia sobre a
sua opção geo-estratégica. O ingresso
de Carneiro, regido por Marte, planeta
da Guerra, visto sobre as capitais em
questão revela já a grande cruz cardinal de abril.
O ingresso do Sol em Carneiro 20 março 2014
em Washington
em Moscovo
21
Em Kiev
Cai em pleno nos ângulos do horóscopo do ingresso para Moscovo com ascendente a 13 de Balança,- o que é o grau do Sol de Putin; em pleno para Washington com um Ascendente a 13 graus de Caranguejo - o que corresponde
exatamente ao Sol dos EUA e em pleno para Kiev com um Ascendente a 9 graus
de Balança. Com todos os ângulos consequentemente envolvidos, tudo indica
que abril vai ser um mês critico para o agravamento do conflito já que Marte cai
na casa I de Moscovo e de Kiev e na IV de Washington, como se o conflitos dos
outros entrasse pela porta dentro dos EUA e se abatesse na sua cena política
- em trígono ao Marte natal na VII, oposto a Quíron na IV e com o Júpiter em
trânsito conjunto ao Sol na VIII que sofre da oposição de Urano e da quadratura
de Plutão no horóscopo natal dos EUA. É ainda de notar Plutão - no descente
da carta de ingresso de Carneiro em Washington é sinal de conflito profundo e
transformação das parcerias, tanto internacionais como dos equilíbrios políticos
internos. No horóscopo da Federação Russa a crise astral de abril cai em cheio
em cima do Nódulo Norte e Urano da casa V, regente da VII, sinal de que o “
filho” Ucrânia quer libertar-se da parceria, como inimigo declarado- casa VII.
Para completar a análise do
conflito, há que olhar para o
horóscopo da NATO já que
esta pode ser chamada a intervir por assumir por natureza
a defesa das forças aliadas
EUA e Europa. Também aqui
não restam margens para
dúvidas quanto o impacto
desta grande cruz e quadratura de Urano a Plutão.
Federação Russa – hastear da bandeira, 25 dezembro 1991, 7.45 pm,
Moscovo, Russia
Nato, 4 abril 1949, 4:52 pm, Washington, DC
O Sol da NATO está a 14 graus
de Carneiro oposto a Neptuno a 13 de Balança e por isso
em abril Urano faz disparar
o potencial bélico da NATO
– mas também pode em
simultâneo levar a cisões nos
seu interior tal como aconteceu na conjunção de Urano a
Plutão nos anos 60 quando a
França saíu da organização.
Em simultâneo Marte vai estar
conjunto a Neptuno numa
afirmação ideologica mas
a sua oposição ao Sol pode
trazer ações irrefletidas enquanto que a quadratura de
Plutão ao Sol em grau exato
só virá em 2015 sinal de que
os eventos deste ano terão
consequências
profundas
na organização e princípios
de uma estrutura lançada
pós segunda Guerra mundial
mas que agora pode evitar
ou participar noutro conflito
coletivo.
23
O TESTE DA ASTROCARTOGRAFIA
As cruzes cardinais sempre foram augúrio de crise e transformação como se sabe
de qualquer manual de astrologia. A evolução vem do confronto com a paz
podre e o caminho faz-se deixando o passado para trás. Ao recorrer ao uso da
força na Ucrânia, Putin responde ao desafio da grande cruz cardinal sobre o seu
Sol usando velhos métodos a que os outros agentes do processo reagem também com respostas tradicionais, até que, por força do insucesso a via do diálogo
preconizada pela presença do Nódulo Norte em Balança seja seguida. Na astrocartografia de Putin a Crimeia é o grande teste de transformação já que o
Plutão natal, na casa X da acção e carreira, cai exactamente sobre essa península… Não só a Crimeia é o seu ponto de força como a Venezuela o seu ponto
de saída…
Detalhes da astrocartografia de Vladimir Putin (tema natal)
NOTAS
Fonte dos mapas dos Paises e Organizacoes – The
Book of World Horoscopes, Nicholas Campion, 2004
Fonte do mapa de Vladimir Putin – www.astro.com
Mapas calculados com Solar Fire, Casas Placidus
25
David Perloff é um astrólogo americano que vive na zona de Boston. É o secretário da seção de Boston do National Council for
Geocosmic Research, NCGR (2008-presente).
Especializou-se na obra de Marc Edmund Jones. David ensina
astrologia na sua cidade e deu palestras em Filadelfia, Búfalo e
em vários locais da Nova Inglaterra. Vai ser palestrante em São
Francisco em Maio próximo. Os seus artigos apareceram já em
várias publicações da NCGR e proximamente no The Mountain
Astrologer. Pode ser contactado através de [email protected]
Por: David Perloff
O BÓSON DE HIGGS,
O PROFESSOR HIGGS
EA
ASTROLOGIA QUE
OS LIGA
27
Muito temos falado da quadratura entre Úrano e Plutão sobretudo num contexto político e económico. O astrólogo americano David Perloff descreve aqui uma manifestação desta
formação dinâmica no mundo da ciência sem que por isso
tenha menos grandes implicações para a humanidade.
SIMULAÇÃO DA DESINTEGRAÇÃO
DO BÓSON DE HIGGS
A FÍSICA
No título de primeira página do New
York Times de 4 julho de 2012 lia-se:
“Physicists Find Elusive Particle Seen
as Key to Universe”. (Físicos encontram a partícula fugidia considerada a chave do universo)
A partícula em questão é conhecida por partícula de Higgs ou bóson
de Higgs, em homenagem ao físico
britânico Peter Higgs.
No liceu podemos ter ouvido falar
de eletrões, protões e neutrões que
são partículas subatómicas. Desde
então, os físicos têm adicionado
outras, como os quarks, os neutrinos
e os bósons. Os bósons permitem
que múltiplas partículas idênticas
existam no mesmo espaço e no
mesmo estado quântico. Eles não
têm rotação intrínseca, nem carga
elétrica e nenhuma carga de cor.
Também são muito instáveis, desintegrando-se em outras partículas
quase imediatamente.
Imagem produzida pelo CERN, autor Lucas Taylor
Por que é que a descoberta do bóson de Higgs é tão importante? Penso que é porque confirma a existência do chamado campo de Higgs,
descrito desta forma no artigo NYT:
“Um campo de força invisível, um
melaço cósmico que permeia o espaço e imbui partículas elementares com massa. “
Isto não soa um pouco ao que antigamente se chamava “éter” – ou o
quinto elemento?
O artigo do New York Times continua:
“Sem o campo de Higgs, ou algo parecido, todas as formas elementares da matéria mover-seiam à velocidade da luz, atravessando as nossas
mãos como luar. Não haveria átomos ou vida.”
Um outro autor chama-lhe mais prosaicamente
a cola que liga o universo físico.
As experiencias foram realizadas em Genebra,
no Grande Colisionador de Hadrões (Large
Hadron Collider – LHC), um acelerador de
partículas concebido para desfazer os átomos
nas muitas partículas que os compõem. LCH é o
maior instrumento científico jamais construído,
com uma circunferência de 27 km. Encontra-se
num túnel subterrâneo na fronteira franco-suíça.
Ao longo dos dois anos anteriores, muitos físicos
usando milhares de computadores em todo
o mundo analisaram cerca de 800 triliões de
colisões protão-protão de alta energia. A teoria
era que o melaço cósmico, normalmente invisível, produziria sua própria partícula quântica
se atingida pela quantidade certa de energia
e de força. Os resultados da experiencia anunciados a 4 julho referiam um valor sigma 5, o
que em estatística equivale uma certeza de
99,99994 %.
E agora a Astrologia:
Higgs nasceu durante a quadratura minguante de Úrano a
Plutão, publicou sua teoria na
década de 1960 durante a conjunção e sua teoria foi confirmada na quadratura crescente de
com Úrano - Plutão.
Peter Higgs nasceu 29 de maio
de 1929 (hora desconhecida)
em Newcastle-upon-Tyne, Reino
Unido
29
TEMA NATAL
◘ Higgs nasceu nove meses antes da descoberta de Plutão. (O seu Plutão
está a menos de um grau do Plutão na carta da sua descoberta).
◘ A sua quadratura Úrano -Plutão tem uma órbita de 6 graus - bem dentro
dos oito graus que Richard Tarnas permite para quadraturas de planetas
lentos.
◘ Tem Úrano em Carneiro, e a notícia de 4 de julho Higgs sobre a sua partícula ocorreu muito próximo de seu retorno de Úrano (menos de dois graus).
◘ O quintil está relacionado com a criatividade, e Higgs tem Mercúrio num
quintil exato (3 minutos de arco) com Úrano.
◘ Nasceu sob a fase da Lua convexa minguante ou disseminadora - Ele em
algo para compartilhar!
◘ Apresenta um grande trígono bastante apertado em Fogo (Saturno - Vénus - Neptuno).
◘ O Saturno natal está em Sagitário e é muito perto do Centro Galáctico.
◘ O seu padrão de temperamento é a locomotiva, com Saturno como o
motor. Diz-se que as pessoas tipo “locomotiva” têm um início de vida lento e
demoram a criar vapor. Higgs admitiu que se “não era bom aluno” em física
quando estava na escola, e suas ideias sobre o bóson foram inicialmente
ridicularizadas. Um primeiro artigo sobre a sua teoria foi rejeitado.
A EPIFANIA DE 1964
◘ O momento “eureka “ de Higgs supostamente chegou num lampejo de
inspiração durante a caminhada nas Cairngorm (montanhas da Escócia)
em 1964, no meio da conjunção Úrano - Plutão.
◘ Higgs publicou seu primeiro artigo sobre sua teoria quando Júpiter por trânsito fazia uma conjunção ao Nodo Norte, e Vénus por trânsito fazia uma
conjunção com seu Mercúrio natal.
◘ Mais tarde, em 1964, quando um de seus artigos iniciais sobre este assunto
foi rejeitado, teve a certeza de que a revista não o tinha entendido. Posteriormente, quando a sua teoria foi publicada ainda em 1964, Higgs e seus colegas foram ridicularizados como aspirantes a cientistas e instados a abandonar suas pesquisas ou incorrer na possibilidade de “suicídio profissional”.
(Quando a revista recebeu o artigo, Úrano por transito fazia um quincôncio
ao Úrano natal de Higgs).
O DESENLACE DE 2012
◘ O anúncio do sucesso da experiencia a 4 de julho de 2012 foi apenas uma
semana e meia após a primeira das sete quadraturas Úrano -Plutão.
◘ Seis planetas estavam em signos cardinais. (Cientistas, liguem os motores!)
◘ Foi uma semana e meia antes da estação de Úrano.
◘ Vénus por trânsito fez uma conjunção ao Sol de Higgs no dia da comunicação. Quando Higgs entrou na reunião recebeu uma ovação prolongada.
◘ O ambiente da conferência de imprensa foi descrita como um concerto
rock. O símbolo Sabeu para o Ascendente em Genebra é: Uma barcaça
transformada num clube repleta de foliões.
Na descrição de Marc Edmund Jones deste grau, menciona “as relações
de cooperação com seus companheiros”. Isto leva-nos ao seguinte ponto:
◘ As descobertas científicas são muitas vezes feitas em diferentes locais mas
basicamente ao mesmo tempo. Este é um exemplo do que Richard Tarnas
designa como eventos sincrónicos que ocorrem em todo o mundo coincidentes com os aspetos astrológicos. Em 1964, num espaço de quatro meses,
seis físicos trabalhando em três grupos independentes publicaram esta teoria. Os outros são: Tom Kibble, do Imperial College, em Londres; Carl Hagen,
da University of Rochester, Dr. Guralnik, da Brown University, e François Englert e Robert Brout, ambos Université Libre de Bruxelles.
◘ Na Índia, há uma certa insatisfação pelo pouco tem sido dito sobre Satyendranath Bose, o físico indiano que deu origem à palavra “bóson”. Trabalhou na
década de 1920 com Albert Einstein na definição de partículas subatómicas
impregnadas de força e que podem ocupar o mesmo espaço se estiverem no
mesmo estado – tal como o raio laser. Todas as partículas que se comportam assim e - a de Higgs, bem como fotões, gravitões e outros - são chamados bósons.
O PRÉMIO NOBEL DE FÍSICA - 2013
Peter Higgs na Real Academia Sueca das Ciências em dezembro de 2013
Foto: Bengt Nyman
31
No dia 8 de outubro de 2013 o Prémio Nobel de Física foi concedido a Peter Higgs
e François Englert.
Aqui está o texto da comunicação:
A Real Academia Sueca de Ciências decidiu atribuir o Prémio Nobel de Física de 2013,
a François Englert, Université Libre de Bruxelles, em Bruxelas, Bélgica, e Peter W. Higgs,
da Universidade de Edimburgo, Reino Unido, pela descoberta teórica de um mecanismo que contribui para a nossa compreensão da origem da massa das partículas
subatómicas, e que recentemente foi confirmada através da descoberta da pressuposta partícula fundamental pelas experiencias ATLAS e CMS do LHC do CERN.
FRANÇOIS ENGLERT
O cientista com quem Higgs dividiu o Prémio Nobel é o físico belga François Englert. Nasceu a 06 de novembro de 1932 às 02:20, Etterbeek, Bélgica segundo
http://www.astro.com/astro-databank/Englert,_Fran%C3%A7ois
Tal como Higgs nasceu durante a quadratura Úrano - Plutão.
A astrologia do anúncio do Prémio Nobel
A partir do vídeo gravado considero que o anúncio foi feito às 12:43 CET, Estocolmo, Suécia.
◘ A coisa mais impressionante para mim foi o retorno de Úrano de Peter
Higgs.
Úrano natal de Higgs - 10 graus e 27 minutos de Carneiro
Úrano na hora do anúncio - 10 graus e 20 minutos de Carneiro
◘ Marte em Leão estava muito próximo ao retorno de Marte de Englert (a 19
minutos de arco).
◘ O anúncio foi apenas 3 semanas antes da próxima quadratura exata de
Úrano - Plutão.
LUA VAZIA DE CURSO
A difusão do anúncio foi atrasada cerca de uma hora do horário programado. Pensa-se que o comité estava tentando informar Higgs da atribuição
do prémio. Mas, tanto antes como depois do anúncio, ninguém sabia onde
estava Higgs.
A Lua estava vazia de curso (29 + graus de Escorpião) no momento do anúncio. Marc Edmund Jones escreve sobre este grau: “um individuo refresca-se,
ou liberta-se momentaneamente das insistentes exigências da vida”.
O jornal inglês The Guardian escreveu: “Peter Higgs ouviu pela primeira vez
que ele tinha ganho o mais famoso prémio científico quando uma vizinha
idosa o parou na rua. Higgs, um físico teórico discreto que valoriza a sua
vida privada, tinha deliberadamente desaparecido na terça-feira manhã e
dirigia-se sozinho para um almoço, ao mesmo tempo que o comité do prémio Nobel em Estocolmo se preparava para anunciar que ele era este ano
vencedor conjunto de seu prémio para a física.
Rumores circularam que ele tinha ido para as montanhas escocesas. Até
mesmo seus amigos mais íntimos não sabiam onde ele estava. Ele não tem
portátil, nem computador e não usa correio eletrónico.”
“Curiosamente ouvi a notícia quando estava voltando do meu almoço no
final da tarde “, disse Higgs. Uma senhora em seus 60 ou 70 anos saiu [do
carro] e apresentou-se como uma ex- vizinha. Felicitou-me sobre a notícia e
eu disse “que notícia”? Ela disse-me que sua filha tinha telefonado de Londres para alertá-la para o fato de que eu tinha conseguido este prémio.”
ENGLERT E HIGGS
No anúncio completo o Comité Nobel observou que Higgs e Englert, trabalhando de forma independente, tinham separadamente escrito artigos teóricos sobre esta partícula em 1964. A data mencionada pelo comité para o
artigo de Englert foi a de 31 de agosto. Embora a data que o comité citou
para o para o artigo de Higgs tenha sido 19 de outubro, que foi a data da
publicação final do seu trabalho completo sobre o assunto, 31 de agosto foi
uma data chave para Higgs. Foi quando o artigo foi recebido pelo editor.
Não só Úrano e Plutão estavam conjunção nessa altura, mas a 31 de Agosto
de 1964 Úrano, Plutão, o Sol e Mercúrio estavam conjuntos dentro duma orbe
de 5 graus.
Assim, tanto Higgs e Englert nasceram na quadratura Úrano – Plutão; publicaram de forma independente as suas teorias durante a conjunção Úrano
-Plutão da década de 1960, e tiveram as suas teorias confirmadas e homenageadas na quadratura Úrano – Plutão seguinte.
Englert e Higgs nunca se tinham encontrado até o 4 de julho de 2012 na conferência de imprensa no Cern.
Englert e Higgs no Cern
Imagem divulgada por inúmeros media
No dia do anúncio do Prémio Nobel Marte por trânsito estava apenas tinha a 16’ de arco da conjunção exata com o Sol da carta
composta de Englert e Higgs.
A PARTÍCULA DE DEUS
Podem ter ouvido referir a partícula de Higgs como a “partícula de Deus “ (God
particle). Isto vem do título de um livro sobre as partículas subatómicas, escrito
pelo físico americano Leon Lederman em 1993. Conta-se anedoticamente que
Lederman queria usar a expressão “ partícula maldita “ (the goddamn particle)
porque foi irritantemente esquiva durante décadas, mas seu editor não gostou
daquela escolha de palavras.
ÚRANO E JÚPITER
Em “Cosmos and Psyche”, Richard Tarnas explica: “ os grandes marcos na história
da ciência coincidiram com o ciclo Júpiter - Úrano com uma consistência extraordinária”. No dia 4 de julho de 2012 deu-se uma conjunção de Vénus- Júpiter
– Ceres em sextil a Úrano.
O FUTURO
Tem havido uma grande quantidade de provações nas quadraturas Úrano
-Plutão. Historicamente os eventos associados a aspetos Úrano – Plutão tem sido
dolorosos. Para inserir um toque de esperança e otimismo faço notar que esses
aspetos também sido acompanhados por grandes avanços e descobertas.
Professor Joseph Incandela na Universidade da Califórnia em Santa Barbara, declarou que esta descoberta poderia gerar uma nova era de tecnologia e desenvolvimento, da mesma forma que as leis da gravidade de Newton levaram
a equações básicas de mecânica que tornaram possível a revolução industrial.
Vou acabar este artigo com a citação que termina a notícia do New York Times
de 4 de julho: Nima Arkani - Hamed, um físico do Instituto de Estudos Avançados
de Princeton, disse: “É um dia triunfante para física fundamental. Agora começa
o divertimento. “
33
35
Graduada em Psicologia pela PUC-SP, com aprofundamento
em Psicologia Junguiana.
Formação completa em Astrologia pela Escola Regulus-SP.
Diretora do C.E.A.P. - Centro de Estudos de Astrologia Psicológica em Campinas - www.astrologiaceap.com.br, onde mantém
cursos presenciais e online, supervisões e ministra palestras.
O enfoque da astrologia no C.E.A.P. tem sido, desde sua
fundação em 2005, a partir de uma visão psicológica e arquetípica.
Obteve o título ISAR, C.A.P. (Certified Astrological Professional),
reconhecido mundialmente e ainda único no Brasil. A partir disso, foi convidada para a função de Vice-Presidente do ISAR - International Society for Astrological Research (organização internacional de astrologia) e atualmente realiza a implementação
desse Programa de Certificação para o Brasil.
Por: Márcia Ferreira Silva
Membro N.º82
www.astrologiaceap.com.br
OS
COMPLEXOS SEGUNDO A
TEORIA JUNGUIANA
Vimos em nosso artigo anterior (publicado no Jornal no. 6) que o Inconsciente Coletivo é a morada dos Arquétipos e que o Inconsciente Pessoal a
morada dos Complexos.
Para entendermos melhor: por trás de
um complexo, existe um arquétipo,
como podemos ver mais claramente
na figura.
Os complexos são construídos em torno
dos arquétipos, dessas estruturas psíquicas solidamente interligadas, como vimos anteriormente.
Portanto, o que seriam os Complexos?
Ao longo do desenvolvimento do seu
trabalho com os seus pacientes e, especialmente, através de seu teste de
associação de palavras - quando ele
observou que determinadas palavras
provocam reações intensas ou produzem menos reação do que o esperado - Jung percebeu que há distúrbios na consciência que aparecem
independentemente da compreensão
racional da pessoa. Tais configurações
ele denominou de Complexos.
São grupos de idéias inconscientes associadas a eventos ou a experiências
particulares com um colorido emocional. A partir de seu tom afetivo, o qual
pode ser suave ou forte, eles serão
mais ou menos carregados de energia
psíquica. Quanto mais intenso o complexo, maior a emoção, as imagens
mentais e a tendência à ação.
Para citar um exemplo: o “complexo materno” é formado
gradualmente quando experimentamos o Arquétipo da
Grande Mãe.
A definição de complexo segundo
Jung:
“Idéias e experiências que são agrupados no inconsciente de tal forma a
exercer influência sobre o comportamento do indivíduo”.
Tais “núcleos de crenças” vão se formando e são reforçados por eventos
ambientais e pela interação com os
outros, e podem se autoperpetuar.
Ele os denominou de “centros autônomos de complexos” por terem essa
forte energia psíquica própria e por criarem suas próprias crenças, e concluiu
que a psique é composta por muitos
destes centros autônomos altamente
carregados. Instala-se um caráter autônomo em torno de um conteúdo
afetivo e uma constelação energética
se forma em torno deste conteúdo.
Estes complexos resultam, segundo
Jung, do “choque entre uma exigência de adaptação e a constituição especial e inadequada do indivíduo para suprir essa exigência”.
Jung diz: “Quando ativado, o padrão
atrai como um magnetismo os conteúdos da consciência, reunindo as idéias
altamente carregadas e experiências
emocionais carregadas de afeto que
compõem o complexo pessoal”.
Como exemplo, pensemos num complexo com a figura materna que esteja
anteriormente de alguma forma inativo no inconsciente. Ao haver o contato com uma pessoa ou alguma situação que lembre a figura maternal, tal
complexo que se encontrava submerso no inconsciente vem à consciência
e a tendência é de que ele “domine a
cena”, dominando o panorama consciente. Nesta fase, emoções, memórias e idéias relacionadas à mãe ascendem à consciência, deslocando outros
complexos temporariamente para o
inconsciente.
Tais centros autônomos causam um
aprisionamento da repetição pela
forma automatizada e inconsciente
em que se dão. Acarretam uma falta
de renovação e um empobrecimento
psíquico.
37
PROJEÇÃO
Os complexos, quando inconscientes e em desacordo com o ego,
tendem a ser projetados sobre o
meio ambiente e nos relacionamentos, criando-se uma interligação de processos projetivos e
introjetivos. Por não estar integrado
em si mesmo, um complexo é facilmente projetado sobre outra pessoa e com isso desenvolve-se um
relacionamento com o complexo
projetado e não com a pessoa real
do mundo externo.
Um exemplo claro são os processos
de apaixonamento onde a pessoa amada fica totalmente investida de aspectos positivos e com a
eventual mudança desse estado
psíquico, rapidamente esse quadro pode ficar alterado tornando a
pessoa em questão investida de
aspectos negativos. Tais projeções
e introjeções podem ocorrer indefinidamente no campo interpessoal,
assim como no próprio relacionamento intrapsíquico.
Quando um complexo é tocado,
reagimos de modo exageradamente emocional quando ele se
encontra na esfera do inconsciente, pois não reagimos somente à
situação atual, mas sim a todas as
situações semelhantes que tivemos
no decorrer da vida.
PSICOPATOLOGIA
Quando
inteiramente
inconscientes, comportam-se como
psiques parciais, mas não se trata
de psiques parciais dissociadas,
mas sim de conteúdos psíquicos
ainda não vinculados ao complexo
do eu.
Quanto maior a comoção conectada ao complexo e maior sua intensidade emocional, mais restrito
será nosso livre-arbítrio.
Em situações muito fortes, podemos
dizer não que temos os complexos,
mas que na verdade eles nos têm,
como colocou Jung.
As neuroses contêm um complexo
que se diferencia de outros complexos pelo fato de ser carregado
de maneira extraordinariamente
forte e forçar o complexo do eu a
ficar sob sua influência.
Em casos mais extremos, tais
complexos autônomos quando
muito primitivos e muito carregados emocionalmente, têm uma
tendência a comportar-se como
personalidades parciais que se
opõem ou controlam o ego. Estas
personalidades podem chegar ao
ponto de assumir a forma de alucinações através de imagens visuais
ou auditivas, tais como personalidades separadas, como nos casos
dos transtornos esquizóides, por exemplo.
RESOLUÇÃO
Enquanto o complexo permanecer inconsciente, esse processo acontecerá
de forma autônoma. Porém, a resolução
possível seria sair desse padrão repetitivo
para um uso criativo dessas energias.
O caminho para se lidar com os complexos não é o da defesa e nem o do
controle, mas sim o de incorporá-los ao
consciente por meio do trabalho com o
símbolo. Como exemplo desses símbolos, temos os sonhos onde os complexos
muitas vezes aparecem personificados.
Quando esses conteúdos do inconsciente são abordados no nível da emoção
ou do significado, o conjunto dessas
conexões inconscientes é ativado ( constelado ) juntamente com a emoção
pertencente a ele.
Caso consigamos conectá-los ao Complexo do Eu, os complexos podem enriquecer muito a nossa vida, pois neles se
encontra a energia necessária para tornar a vida mais criativa. É um incentivo
para o desenvolvimento, portanto os
complexos têm o lado positivo também.
ASTROLOGIA
Em um mapa astrológico, podemos detectar a presença de complexos pelas
configurações astrológicas existentes.
Um complexo é essa rede de ligação
que se forma em um mapa, esse centro
autônomo altamente carregado e que
carrega suas próprias crenças.
É o “networking” que se forma onde os
planetas, que são os símbolos dos nosso
processos arquetípicos, estão envolvidos
e contextualizados na vida de alguém,
formando os complexos pessoais.
O próprio Jung também foi capturado
e aprisionado por esses centros autônomos altamente carregadas de complexos como todos nós, pois todos nós carregamos nossos complexos em nossos
mapas.
39
Vamos observar no Mapa do Jung, o complexo formado entre o seu ascendente
em Aquário e seu Sol em Leão na casa VII, opondo-se a esse ASC.
Como foi explicado anteriormente, é muito comum termos o mecanismo de defesa conhecido como Projeção presente em um Complexo inconsciente.
Sabemos por outro lado em astrologia que uma manifestação típica do aspecto
de Oposição (180 graus) é justamente este mesmo mecanismo de Projeção, ou
seja, a pessoa atribuir ao outro alguma característica sua indesejável. A pessoa
não reconhece em si mesma e vê essas características no outro.O fato de estar
ocorrendo entre ASC e CASA VII enfatiza ainda mais essa tendência às Projeções.
Em tais configurações de oposição, a vivência deste complexo pode se dar como
num movimento de balança, onde ora a pessoa polariza e se identifica com um
dos lados da balança, ora se identifica com o outro. Ao se identificar com um
desses dois lados antagônicos, é muito comum projetar inconscientemente os
próprios conteúdos que são sintônicos com o outro lado dessa oposição. Desta
forma fica-se com um dos dois lados, vivenciando este lado como sendo seu
e quase que não reconhecendo o outro lado como parte sua e sim somente
reconhecendo-a no outro com quem se relacione. Este “outro” fica totalmente
investido dessas qualidades que foram expelidas da vida psíquica da pessoa em
questão.
No mapa do Jung, nós podemos ver o seu ASC aquário. Aquário é um arquétipo
com um instinto civilizador, mais voltado para questões sociais. A influência desse
signo no ASC já nos diz muita coisa da parte mental do Jung, pois aquário é um
signo de ar, mental e acentuadamente voltado para o âmbito mais coletivo.
Já podemos começar a entender a sua tendência em se interessar por ex. pela
teoria dos arquétipos, desses extratos que subjazem em toda a espécie humana,
por arqueologia, por astrologia. Aquário tem essas características de excentricidade, de constestação, de uma certa rebeldia, de vanguardismo, de contestar
as regras sociais, o status quo, de ser o “estranho no ninho”.
Ao mesmo tempo ele tinha o SOL em leão. O signo de leão é oposto ao signo
de aquário e suas necessidades básicas caminham na direção oposta. Leão
quer reinar na sociedade e em geral é muito favorável ao status quo. Gosta de
tradição, brasões, sobrenomes, tudo o que simbolizar o ouro, a posição mais alta
em uma sociedade. É o signo dos estadistas, dos chefes, das pessoas que estão
no comando.
Portanto, nós temos aqui nosso primeiro complexo no mapa do Jung, esse antagonismo que ele carregava dentro de si. Os dois lados co-existiam dentro dele.
Durante a adolescência, Jung viveu esse complexo de forma a ficar polarizado
na identificação com a Persona, ou seja, nesse ASC aquário. Nessa fase a sua
identificação se dava na forma contestatória em relação aos seus superiores na
escola, projetando o seu sol leonino em autoridades ou pessoas mais velhas que
de certa forma representavam a tradição e o status quo. Por muito tempo, este
mesmo mecanismo se deu na sua relação com seu pai também, o qual é simbolizado por esse Sol, que é o símbolo do pai por excelência no mapa astrológico.
Podemos ver algumas de suas colocações desta fase, as quais foram mais tarde
integradas em sua vida e vividas de forma mais evoluída:
“A minha convicção é que todos os superiores não me viam com bons olhos e
que eu provocava suspeitas e repreensões”
ou em outra situação, quando ele coloca:
“A maioria dos professores considera-me estúpido e desleal, quando algo de errado acontecia na escola, as suspeitas recaíam sobre mim; eu sentia que mesmo se eu não tivesse realmente cometido o ato, ainda assim eu seria capaz de
cometê-lo”
Neste próximo exemplo vemos claramente a expressão do ascendente aquário:
“Dentro de mim, criou-se uma tendência geral em passar despercebido; eu queria desesperadamente escapar deste maldito isolamento da minha singularidade, ao qual eu estava predestinado de várias maneiras”
Isto se deu numa fase mais precoce de sua vida, na adolescência, mas Jung trabalhou-se com muita intensidade psíquicamente. Através de um intenso trabalho
de autoconhecimento e aprofundamento psíquico, conseguiu sair desse padrão
repetitivo e se dirigiu a um uso criativo dessas energias. É muito interessante observarmos a sua superação em relação a seus conflitos mais íntimos.
41
Pelos seus trabalhos com os símbolos em relação ao
seu próprio mundo interno através das mandalas
e principalmente de seus próprios sonhos, ele conseguiu conectar estes conteúdos em uma expressão
mais criativa e vivenciar dentro de si-mesmo estes
dois lados aparentemente e inicialmente antagônicos, tornando-se esta mesma autoridade e com um
papel definido e de destaque na sociedade.
É desnecessário discorrer sobre o brilhantismo de
Jung e a posição que ele ocupou no meio da psicologia na fase adulta de sua vida. Ele pôde exercer o
seu brilho e autoridade leoninos de forma vanguardista, à frente de seu tempo, incorporando inovações
e tendências revolucionárias, bem ao estilo de seu
ASC aquário.
Dessa forma ele conseguiu fazer a integração de
seus lados antagônicos e vivenciar esse complexo
de maneira integrada.
◘ CURSO DE ASTROLOGIA PSICOLÓGICA
Encontro com a Astrologia com a Astróloga Brasileira –Márcia Ferreira
Silva
Sábado dia 3 de maio – das 10h30 às 12h30 | 14h30 às 18h30
43
Luiz Saraiva é o pseudonimo de um membro estudante da ASPAS mas por respeito à sua privacidade o seu numero de sócio não é publicado. Pode porém
ser contatado através de email: [email protected]
Por: Luiz Saraiva
45
ASTROLOGIA E
ESOTERISMO
A minha aprendizagem de vida com a astrologia e as
outras ciências esotéricas. Relato de uma experiência
pessoal
O PANO DE FUNDO
Sou originário de uma família de aventureiros por quase
todos os lados da árvore genealógica. Por um dos lados,
os antepassados tem quase todos uma ligação antiga e
repetida aos focos históricos da expansão portuguesa no
oriente. Pelo lado com menos navegações, acontece a
saída do interior de Portugal, inicialmente para as cidades
principais do país, e depois também para fora de Portugal. Se navegações, viagens e mudanças parecem muito
comuns em Portugal, esta grande frequência e repetição
não o são para a maioria dos portugueses. As influências
uranianas e os aspetos Úrano – Lua e outros de Úrano são
muito fortes em muitos lados da família.
Não é evidente uma inclinação esotérica devida unicamente a aqueles antecedentes uranianos. Mas existia
também em paralelo uma tradição familiar de preferência pelos países menos conhecidos e pelas culturas mais
diferentes. Havia também um respeito razoável pela religião estabelecida, mas sempre interpretada de um
modo original. Era habitual não aceitar as interpretações
tradicionais, mesmo quando pertenciam às hierarquias
oficiais.
A combinação daquelas viagens uranianas, do meu Sol e
Meio do Céu em Aquário, daquelas originalidades espirituais jupiterianas, e do meu Júpiter no ascendente, e também sem esquecer as influências neptunianas pessoais,
conduziram-me às experiencia astrológicas e esotéricas.
AS EXPERIÊNCIAS PESSOAIS
Mesmo com todos estes antecedentes já bastante originais,
desde muito novo que notei que as minhas reações nalgumas
situações pessoais e sociais não eram muitas vezes as mesmas
dos meus amigos ou da família. Não precisava de acender as
luzes para ir de uma parte da casa para outra à noite. Notava
entoações e impressões na presença e no que diziam algumas
pessoas. E por vezes antecipava os gestos ou atitudes de outras
pessoas antes de eles acontecerem. Tudo isto era cada vez mais
presente para mim, mas não era falado abertamente, para não
ser marginalizado ou objeto de troça.
Diante deste pano de fundo de aventura e dos meus primeiros
contactos com o mundo esotérico, numa pequena viagem no
estrangeiro comprei em 1980 o meu primeiro manual de astrologia. O “Complete Astrology” do Alan Oken, autor que mais tarde viria a interessar-se pelas perspetivas mais esotéricas. O Úrano
fazia uma quadratura ao meu Sol e outros planetas, para uma
abertura a novas perspetivas. Plutão fazia quadratura aos nodos
lunares para alterar o meu rumo de vida.
As primeiras leituras a só, e sem instrução astrológica durante
muitos anos, fazem-me logo notar que havia também muito
conhecimento esotérico que não era baseado nas sensações
pessoais ou na intuição. Existia uma estrutura bem definida, de
regras quase estatísticas ou até econométricas, que eram a
base das interpretações.
Ao correr dos anos e apesar de uma carreira profissional tradicional carregada, e geograficamente movimentada (os aspetos Lua Úrano da família), o conhecimento da astrologia, agora
ocasionalmente com instrutores, cursos, e participações em encontros internacionais, ia-se desenvolvendo cada vez mais. Também o estudo dos vários ramos da astrologia, como a mundana,
financeira, astrocartogarfia, e as suas interações, foi ampliando
os meus conhecimentos. Vão também explicando acontecimentos e propondo soluções para enigmas que sem o estudo
da astrologia não tinham explicação para mim. Por exemplo a
grande facilidade de integração nalguns países e com os seus
habitantes nalgumas zonas geográficas do oriente, explicada
em parte pela astrocartografia.
47
A ASTROLOGIA E OS OUTROS MÉTODOS
ESOTÉRICOS
Em todo este processo de aprendizagem
é cada vez mais evidente a complexidade da astrologia e a interação dos
seus vários métodos ou abordagens, e
níveis de análise. As primeiras impressões
são confirmadas sucessivamente por métodos astrológicos mais profundos e a
outros níveis de análise; surgem contradições ou esclarecimentos muitas vezes
essenciais. Sem estas informações, a natureza humana que sabemos também
ser complexa, seria ainda mais difícil de
explicar.
Num desejo de maior conhecimento e
esclarecimento daquela complexidade,
e abrindo o leque de contribuições para
outros métodos esotéricos, reparo também noutras abordagens que não as da
astrologia, e nos seus praticantes, embora mesmo nesses métodos a estrutura da
astrologia continue a ser uma guia imprescindível para referência e compreensão.
Noutras abordagens esotéricas existem
alguns métodos de interpretação que estão menos estruturados, ou estruturados
de um modo diferente, ou então menos
sistematizado em documentos escritos.
Aí se manifestam mais os aspetos intuitivos, que fazem surgir as interpretações
com menos exigência de estruturas.
Aqui surgem as perguntas como, qual é
a proporção mais certa para a estrutura
mais fixa e para a interpretação mais aberta? Quanto da nossa vida é destino e
quanta é sorte (destiny and fate)? Qual
é o nosso conhecimento das estruturas
fixas, e da complexidade e possibilidades
de escolha da nossa evolução?
Na tomada de consciência de
outros métodos de trabalho esotéricos, que numa proporção
ou noutra envolvem mais conhecimentos e interpretações intuitivas, realçaria com base no
meu conhecimento o tarot, os
dados astrológicos, o pêndulo,
a análise da fisionomia e a interpretação dos movimentos,
a visão de imagens, etc. Este
conjunto de métodos são complexos e diferentes, embora com
a prática também se notem os
aspetos comuns. Mas apesar
das vantagens de cada uma
destas técnicas esotéricas, a
referência essencial continua a
ser a astrologia e os seus arquétipos. Até quando se começa a
receber impressões diretas, ou
com menos necessidade de um
dos vários médiuns de intermediação aqui mencionados, os
arquétipos e as referências astrológicas são necessárias para
uma melhor compreensão.
CRITÉRIOS ESSENCIAIS E PERSPETIVAS
As experiencias pessoais ligadas à astrologia podem ser diferentes para cada um, e os métodos de trabalho esotérico preferidos também. Escolas diferentes, maior ou menor grau de técnicas intuitivas. Estes métodos também podem ser vistos em
relação à astrologia como métodos esotéricos independentes,
ou complementares ou de confirmação, mas para mim até agora a ancora, a linguagem de referência, e a base de interpretação dos outros métodos esotéricos continua a ser a astrologia.
Um aspeto ainda mais complexo com que a minha experiencia
se deparou são os conceitos éticos. Se a astrologia já se debruçou muito sobre estes temas, e já existem regras e procedimentos razoavelmente estabelecidos que respeitam critérios éticos, alguns inspirados ou ligados à psicologia, os outros métodos
esotéricos ainda não trabalham tão publicamente sobre eles.
Os métodos esotéricos como o tarot, dados astrológicos, pêndulo, etc., se acreditamos na sua validade, benefícios e consequências, também devem ter regras éticas próprias e respeitar
um conjunto de normas que sejam coerentes, positivas e uteis
para todos. No entanto devido ao tipo de estruturação destes
métodos, essas regras éticas, quando existem, são menos conhecidas. Talvez por alguns destes métodos serem ensinados em
grupos mais pequenos, ou escolas de natureza mais fechada?
A minha experiencia levou-me a concluir que para muitos de nós
a astrologia é a grande porta pela qual muitos iniciam o estudo
do mundo esotérico, e que segundo a nossa personalidade e os
nossos interesses pode também dar acesso aos outros métodos.
Para mim o exemplo do desenvolvimento atual da astrologia é
um bom exemplo a seguir. Mas existem também as outras portas diferentes ou complementares da astrologia. Podem não ser
da preferência de todos, mas com os devidos critérios podem
acrescentar conhecimentos válidos e uteis. As discussões abertas destas experiencias e perspetivas pessoais podem contribuir
mais para avançar o estudo das ciências esotéricas.
Pelo meu lado Neptuno em trânsito aproxima-se do meu Mercúrio natal e irá aumentar seguramente a minha intuição e dissolver barreiras, pelo que estou pronto.
49
51
Por: Paulo Alexandre Silva, DMA
Membro Efetivo N.º57
www.astrologiamedieval.com
ao
PERGUNTE
ASTRÓLOGO
astrologia horária - caso n.º3
Esta rubrica visa responder a questões reais usando técnicas de
delineação astrológicas muito específicas, técnicas essas que se
encontram num dos ramos da Astrologia - a Astrologia Horária.
De salientar que as informações apresentadas ao longo destes
casos têm a autorização prévia dos envolvidos, omitindo-se apenas os nomes reais.
“O meu cartão de débito foi
clonado, vou reaver o meu
dinheiro?”
“Pergunta colocada por mim mesmo”,
Paulo Alexandre Silva
Alguma clarificação sobre as circunstâncias que envolvem a pergunta:
Tinha estado de férias no México,
onde utilizei o meu cartão de débito,
da mesma forma que fazemos em
Portugal, nas caixas multibanco para
levantamento de Pesos Mexicanos.
Quase duas semanas depois de já me
encontrar em Portugal dou pela falta
de um montante elevado na minha
conta corrente. Entrei em contacto
com o banco o qual me informou que
o meu cartão tinha sido clonado e
que estava a ser utilizado para levantamento de dinheiro nos Estados Unidos da América.
FIGURA HORÁRIA
Sistema de Casas: Regiomontanus
DADOS
27 de Dezembro de 2013 AD GC
8:48:47 PM Amora / Portugal - GMT
+00:00:00
9w07 00 / 38n37 00
53
Significador do querente: Sol; co-significador: Lua
Significador do quesito/dinheiro: Mercúrio
Regente da Hora: Vénus
“O querente é aquele ou aquela que faz a pergunta e deseja uma resolução; o
quesito é aquele ou aquela, ou a coisa procurada, ou sobre o que se pergunta.
O significador é não mais do que aquele planeta que rege a casa que significa a
coisa perguntada ... seja qual for o signo ascendente, o planeta que for regente
desse signo será chamado senhor da casa ou significador da pessoa que pergunta ...
De forma que, em primeiro lugar, quando qualquer pergunta é apresentada, o
signo ascendente e o seu regente são sempre dados àquele ou àquela que faz
a pergunta.
Em segundo lugar, deve-se considerar o assunto apresentado e ver qual das doze
casas ele pertence devidamente; quando se tiver encontrado a casa, considerar
o signo e o regente desse signo ...
Em todas as perguntas damos a Lua como co-significador do querente com o
regente do ascendente ...”
Astrologia Cristã, William Lilly, págs. 123, 124. Tradução CMM, QHP - Edição Biblioteca Sadalsuud
Quanto à radicalidade da figura
horária (conjunto de regras que nos
diz se a figura pode ou não ser julgada):
◘ A Lua encontra-se na Via Combusta
(os últimos 15º de Balança/Libra e os
primeiros 15º de Escorpião);
◘ Vénus, regente da hora, encontrase na mesma Triplicidade que o Sol,
regente do Ascendente - ambos encontram-se num Signo de Terra; Capricórnio.
◘ Não ascendem nem os primeiros
nem os últimos graus do Signo.
◘ A Lua na Via Combusta denota o
grande desconforto e o elevado stress
em que me encontrava aquando da
colocação da pergunta; devido a isso
declinei esta posição da Lua como
indicador quer de uma resposta negativa quer como uma recomendação
para não julgar a Figura Horária
Pode-se então dar início à delineação:
De notar que Mercúrio, o significador
do dinheiro, por ser o regente da casa
II, à data da pergunta dado como
perdido/roubado, está combusto, ou
seja está debilitado pelo Sol, ocultado pela sua luz, logo o dinheiro não se
‘via’, estava oculto; o que de fato era
uma realidade, pois o dinheiro tinha
saído da minha conta bancária, e estava longe do meu alcance.
Mercúrio, o planeta significador do
meu dinheiro, apesar de combusto
caminha para uma conjunção com
o Sol, o meu significador pessoal, portanto podia concluir que eu iria reaver o meu dinheiro.
55
A Lua minha co-significadora também está a formar um sextil aplicativo
com Mercúrio, mais um testemunho
de que iria reaver o dinheiro.
Muito possivelmente devido à debilidade do Mercúrio, o significador do
dinheiro, causada pela combustão
pelo Sol, deparei-me com algumas dificuldades e atrasos na recuperação
do mesmo.
É de considerar que a distância entre
o Mercúrio, o meu dinheiro, e o Sol,
a minha pessoa, é de aproximadamente um grau, e levei cerca de um
mês a conseguir recuperar o meu dinheiro.
Sendo assim, e respondendo à minha
pergunta: “O meu cartão de débito
foi clonado, vou reaver o meu dinheiro?” Sim, vou reaver o meu dinheiro,
e foi assim que sucedeu ao fim de
aproximadamente um mês!
“Combustão: Diz-se que um planeta está combusto do Sol quando, no
mesmo signo em que se encontra o
Sol, não dista dele antes ou depois,
mais do que 8° 30’; assim, se Júpiter
estiver no décimo grau de Carneiro
e o Sol estiver a dezoito de Carneiro,
Júpiter está combusto ... e deve-se
observar que um planeta está mais
aflito quando o Sol se aproxima da
sua conjunção do que quando o Sol
se afasta dele, visto ser o corpo do Sol
que aflige ...”
Astrologia Cristã, William Lilly, págs. 113. Tradução
CMM, QHP - Edição Biblioteca Sadalsuud
“A Sexta Consideração é verificar outro modo pelo qual os planetas estão
debilitados ou enfraquecidos e afligidos ... a 3ª quando está combusto ...”
Anima Astrologiae, Guido Bonatus, pág. 4.
Tradução CMM, QHP - Edição Biblioteca Sadalsuud
57
Luiza Azancot estuda e utiliza com os seus clientes
a técnica da Astrocartografia há mais de 10 anos.
Candidatou-se junto da Jim Lewis Foundation ao
exame que lhe concede a certificação e o título
de “Astrocartography Practicioner” e lhe dára as
credenciais necessárias para ensinar esta técnica
em qualquer parte do mundo… sobretudo onde
tenha Júpiter no Meio do Céu!
Por: Luiza Azancot
Membro N.º15
www.luizaazancot.com
ASTROCARTOGRAFIA
UMA INTRODUÇÃO
A astrocartografia é uma técnica desenvolvida pelo astrólogo americano
Jim Lewis, nascido a 5 de junho de 1941
em Nova Iorque. Faleceu em 1995 mas
deixou como herança um trabalho
que deu um enorme impulso à astrologia moderna.
A astrocartografia baseia-se na convicção que a dimensão espacial imprime uma energia diferente à nossa
vida. Quem já trabalhou com estas
cartas ou por experiência própria sabe
que se viajamos para outro país ou permanecemos num lugar diferente do
nascimento registam-se alterações na
maneira de ver o mundo, no comportamento, até no tipo de acontecimentos que nos afetam. Assim a carta recalculada para outro ponto do globo
à mesma hora tem os planetas a ocupar os mesmos graus zodiacais mas os
ângulos e as casas são diferentes.
Quando os planetas natais na carta
recolocada ficam conjuntos aos ângulos, Ascendente (As), Descendente
(Ds), Meio do Céu (Mc) e Fundo do
Céu (Ic), ganham força e relevância
na dinâmica pessoal. Neste exemplo
vemos como ida para Yalta afetou
Winston Churchill, primeiro-ministro inglês durante a II Guerra Mundial. Com
Neptuno natal na casa 8 em muitas
ocasiões agiu como o salvador (Neptuno) nos tempos de crise da Europa
da primeira metade do seculo XX. Em
fevereiro de 1945 com a previsível da
queda de Hitler, Churchill reúne-se com
o presidente americano Roosevelt e o
presidente russo Joseph Stalin em Yalta (agora na Ucrânia) para discutirem
a reorganização da Europa dos pós
guerra.
59
Olhando para a carta de Churchill recalculada para Yalta vemos que Neptuno
está agora conjunto ao descendente e Júpiter conjunto ao ascendente. A combinação de confiança em si próprio e ver o mundo de forma otimista (Júpiter no
Ascendente) com a dificuldade de distinguir claramente as intenções dos outros
e de admitir a possibilidade de ser enganado em negociações (Neptuno no Descendente) teve consequências desastrosas para a Polonia e para todo o bloco
de Leste pois Stalin nunca teve intenções de cumprir o que foi acordado em
Yalta. Teria o mundo sido diferente se a conferencia se tivesse realizado noutro
local ou se Churchill tivesse consciência das energias que o afetavam em Yalta?
Com certeza. Através deste exemplo vemos o poder e as implicações da carta
recolocada.
Jim Lewis desenvolveu um programa de astrocartografia que calcula para todo
o mundo os locais onde cada planeta está numa posição angular e esta informação é mostrada através de um mapa em projeção Mercator. Os mapas apresentados neste artigo são calculados em Solar Fire.
Por razões de síntese apresento apenas energias natais puras sem entrar em consideração com aspetos, trânsitos, etc.
Além das linhas que mostram a angularidade dos planetas, a astrocartografia
permite calcular também os parans e as linhas espaciais locais.
PLANETAS ANGULARES
O eixo Meio do Céu / Fundo do Céu é criado pela rotação da Terra e por isso as
linhas que mostram em que locais os planetas estão conjuntos a este eixo apresentam-se como verticais. O eixo Ascendente / Descendente é criado não só
pela rotação da Terra mas também pela mudança de latitude de forma que as
linhas que mostram os contactos dos planetas com este eixo são uma combinação de verticalidade e curva, formando uma onda de sul para norte e depois de
norte para sul. A inclusão dos cálculos de latitude celeste é a grande diferença
entre uma carta recalculada só com coordenadas diferentes e astrocartografia.
Este cálculo é difícil mesmo para quem tem bases de astronomia astrológica mas
é muito fácil de apreender ao olhar para o mapa de astrocartografia. Permite
num abrir e fechar de olhos aceder a um grande quantidade de informação
sobre energias planetárias pelo mundo fora. Todas estas linhas têm campos energéticos de centenas de quilómetros mas a sua energia obviamente é tanto mais
forte quanto mais próxima do local exato de interseção.
Aqui está um exemplo de um personagem mais atual do que Churchill. Vemos
que tem uma conjunção natal Júpiter Úrano. Este aspeto é resumido assim por
Sue Tompkins no seu livro “Aspects in Astrology”:
◘ Grandes ideias radicais
◘ Integração da fé com a verdade
◘ Mudança de convições
◘ Acreditar na liberdade
◘ Viagens repentinas
Olhando para o mapa de vemos que Júpiter e Úrano estão conjuntos ao Ascend61
ente na Indonésia e Japão (linhas brancas), ao Descendente na costa Leste dos
EUA e América do Sul (linhas pretas), ao Fundo Céu em Africa e na Europa de Leste
(meridianos) e ao Meio do Céu num meridiano que vem dos confins do Alasca e
atravessa todo o Oceano Pacifico. Todo o Oceano Pacifico? Não…. passa por uns
pontinhos assinalados dos por mim a vermelho que são as Ilhas do Havai. E foi no
Havai que Edward Snowden, nascido a 21 de junho de 1983, às 4:42 em Elizabeth
City, North Carolina, teve uma grande mudança de convições e sentiu a necessidade de mostrar ao mundo a verdade sobre as ações de espionagem que os EUA
levam a cabo. As revelações aos médias internacionais foram verdadeiros atos de
rebelião pública contra o sistema e também teve que repentinamente abandonar
o Havai. Quem o contratou e o mandou para lá não dominava a Astrocartografia!
PARANS
As linhas parans são linhas de latitude que indicam onde dois planetas estão a fazer um angulo que coincide com o angulo do meridiano e do horizonte nessa latitude. A explicação é confusa mas
mais uma vez a visualização é fácil. Para um determinado ponto do
mapa atingido por um planeta angular traça-se uma linha horizontal sobre o local desejado e verifica-se quais são as linhas planetárias que se cruzam nessa latitude. O Solar Fire tem a capacidade de
listar os parans ou de os mostrar no mapa o que no meu entender
fica muito confuso. Os parans enriquecem a interpretação das energias angulares, não as substituindo mas modelando-as.
O exemplo clássico é o de J.F. Kennedy cuja carta natal apresenta
Plutão no Mc em Dallas, Texas. Foi aí que ele foi assassinado a 22
de novembro de 1963. Plutão no Mc é um meridiano que passa por
muitas outras cidades dos EUA e do Canadá. O que tinha Dallas de
especial? Os parans alinhados com esta cidade indicavam um alto
nível de risco.
Imagem retirada de “Working with Astrology”, Michael Harding and Charles Harvey, Consider 1998, pag. 317
Da esquerda para a direita os parans são: Marte no Meio do Céu/ Úrano no Descendente, Marte no Descendente/ Úrano no Fundo do Céu, Sol no Fundo do
Céu/Úrano no Ascendente e Marte no Ascendente/ Neptuno no Fundo do Céu.
A energia dos parans faz-se sentir numa zona bastante precisa de máximo 120
km. Bastava que J.F. Kennedy tivesse ido para Austin ou Houston, cidades também no Texas, para sair da zona de influência destes parans.
LINHAS ESPACIAIS LOCAIS
Este tópico foi desenvolvido por Michael Erlewine
As linhas espaciais locais irradiam do local de nascimento, transportam a sua influência à volta
do mundo, voltando a juntar-se no lado oposto ao do nascimento. São círculos máximos projetados na carta Mercator que indicam a direção em que os planetas se encontravam quando
vistos a partir do local do nascimento. A zona energética é também bastante precisa e estas
energias são muitos pessoais e não se encontram relacionadas com os ângulos.
Aqui estão as linhas espaciais locais de George W. Bush (6 de julho de 1946, 7:26, New Haven,
CT, USA)
A sua linha de Marte passa exatamente sobre Bagdad e a guerra com o Iraque
foi uma guerra despida de motivos políticos reais embora tendo arrastado uma
serie de países e provocando milhares de mortos nessa vingança pessoal.
UTILIZAÇÕES DA ASTROCARTOGRAFIA
No foro pessoal
O mundo está cada vez mais pequeno e viajamos mais. Se há possibilidade de
escolha para férias convém saber onde estão as linhas energéticas que propiciam o que vamos fazer. Ao marcar uma lua de mel talvez evitar locais onde Saturno está prevalecente e escolher locais onde a energia de Vénus se faz sentir. Se
vamos para um retiro espiritual as energias de Neptuno são uma grande ajuda.
As companhias internacionalizam e deslocam pessoal. A situação económica
obriga muita gente a emigrar. Aqui muitas vezes não há escolha, temos que nos
adaptar às energias do local mas é melhor conhecê-las para estarmos prevenidos. Também podemos canalizá-las para expressões positivas em vez de as viver
negativamente ou como projeções.
Eu tive a “sorte” de viajar para a costa leste dos Estados Unidos mais precisa63
mente para Rhode Island e mesmo antes de saber astrocartografia senti-me lá
muito feliz. Anos depois casei lá, em Providence, e vivi durante muitos anos em
Washington e Cape Cod locais ao longo da costa atlântica, onde tenho Vénus
no Descendente. Não tenho dúvida que a minha relação com o meu marido foi
muito beneficiada pelas energias aí sentidas.
Apesar da linha de Plutão no Mc estar
a 6 graus de Washington a sua influência fez-se sentir. Enquanto aí vivia, ajudada pelos parans dessa cidade Sol
no Ds / Neptuno no Mc, Mercúrio no
Ds/ Saturno no Mc, Saturno no Ic/ Úrano no As dediquei-me inteiramente ao
estudo da Astrologia e iniciei a minha
carreira de Astróloga.
Luiza Azancot, 15 de Junho de 1950, 22:15, Lisboa, Portugal
ASTROLOGIA PSICOLÓGICA
O astrólogo que pratica a vertente psicológica da astrologia pode usar as informações da astrocartografia para facilitar a resolução de complexos e de projeções dos seus clientes. Aqui a astrocartografia torna-se um instrumento muito
poderoso no desenvolvimento pessoal e integração de energias de difícil assimilação. Nem sempre é necessário ir geograficamente ao local onde essas energias
estão facilitadas bastando cultivar um relacionamento através de pessoas ou
coisas provenientes desse local. Para quem se interessa em explorar este lado da
astrocartografia aconselho a leitura de “The Psychology of Astro*Carto*Graphy”
de Jim Lewis with Kenneth Irving.
NO QUADRO DA ASTROLOGIA MUNDANA
Nos vários exemplos que dei, vimos como as cartas pessoais dos políticos tem
consequências para todo o mundo. As cartas dos países, as cartas de ingresso,
Júpiter
e Vénus
presentes
nas capitais
dos vencedores,
Júpiter quando
no Mc perto
de
de eclipses
e lunações
também
têm resultados
muito poderosos
analisaLondres
Paris e Vénus no Ic em Moscovo. Perto de Berlim está Neptuno no Ic e
dos pelaeastrocartografia.
Úrano
no Ds.
A carta
ingresso
em Washington
sobretudo
tristeza
Comecei
falando
da de
II guerra
mundial
e termino mostra
da mesma
forma.aAqui
estáde
o
um
país
com
Lua
conjunta
a
Saturno
no
Meio
do
Céu
e
Neptuno
no
Ascendente
mapa de ingresso do Sol em Carneiro para 1945 que é absolutamente revelador
pois
Franklin
D. Roosevelt,
desde
1932, o pairende-se.
da nação,
a 12
de
do que
iria acontecer.
Nopresidente
dia 7 de maio
a Alemanha
Osmorre
aliados,
Franabril
de 1945, e
sem
ter podido
celebrar
a derrota decom
Hitler
ça, Inglaterra
União
Soviética
são os vencedores
o para
auxílioque
dostanto
EUA. contribuiu.
Ainda na carta de ingresso temos Plutão no Ic no Japão, onde em agosto de
1945 foram lançadas bombas atómicas em Hiroshima e Nagasaki por ordem do
novo presidente dos EUA, Truman.
Júpiter e Vénus presentes nas capitais dos vencedores, Júpiter no Mc perto de
Londres e Paris e Vénus no Ic em Moscovo. Perto de Berlim está Neptuno no Ic e
Úrano
no Ds. A carta
de ingresso
em Washington
a tristeza
de
A combinação
das cartas
de ingresso
com as dosmostra
paísessobretudo
e seus líderes
políticos
um
Lua conjunta
a informação
Saturno no Meio
Céu e Neptuno
no Ascendente
trás país
umacom
enorme
riqueza de
parado
o astrólogo
mundano.
pois Franklin D. Roosevelt, presidente desde 1932, o pai da nação, morre a 12 de
abril de 1945, sem ter podido celebrar a derrota de Hitler para que tanto contribuiu.
CONCLUSÃO
Ainda
na foi
carta
ingresso
temos
Plutãoabriu
no Ic
no Japão,
onde
em agosto
de
Jim Lewis
um de
génio
e o seu
trabalho
grandes
portas
à astrologia
mod1945
atómicasrequer
em Hiroshima
e dedicação.
Nagasaki porComo
ordem
do
erna foram
mas a lançadas
prática dabombas
astrocartografia
estudo e
disse
novo
presidente
dos EUA,
Carl Jung
numa carta
a R. Truman.
Kroon de 15 de novembro de 1958 “A astrologia é uma
ferramenta capaz quando utilizada de forma inteligente. Não é de todo infalível e
é um verdadeiro aborrecimento quando usada por uma mente estreita a racionalística.”
A combinação das cartas de ingresso
com as dos países e seus líderes políticos trás uma enorme riqueza de informação para o astrólogo mundano.
65
CONCLUSÃO
Jim Lewis foi um génio e o seu trabalho abriu grandes portas à
astrologia moderna mas a prática da astrocartografia requer
estudo e dedicação. Como disse Carl Jung numa carta a R.
Kroon de 15 de novembro de 1958 “A astrologia é uma ferramenta capaz quando utilizada de forma inteligente. Não é de
todo infalível e é um verdadeiro aborrecimento quando usada
por uma mente estreita a racionalística”.
67
“Nasci em Vila Nova de Gaia no ano de 1990.
Em 2009 comecei a despertar para os assuntos da espiritualidade, tema que se tornou numa busca consciente em 2013
quando entrei para o Gabinete Isastros (agora Faces - Isabel
Guimarães), iniciando-me no Reiki e na formação em Astrologia, a qual venho prosseguindo os meus estudos como estudante do 2ºnível.
Nesse mesmo ano de 2013, licenciei-me em Geografia pela
Faculdade de Letras da Universidade do Porto.”
Por: Ivo Miguel Silva
Membro Estudante N.º70
ARQUÉTIPOS
A
G
A
VIVOS
G
Y
D
LA
ADELE
E
C
N
I
R
P
Esta coluna, a primeira de uma série de 4, da autoria de Ivo Miguel Silva, membro estudante N.º 70,
mostra as qualidades e características de cada
signo do zodíaco através da vida de uma figura
publica. Hoje descreve os signos que correspondem aos meses que este jornal cobre: Carneiro
com Lady Gaga, Touro com Adele e Gémeos com
Prince. Não pretende ser uma análise exaustiva do
tema astral de cada um mas sim uma ilustração
que por ser despretensiosa e divertida não perde
em profundidade astrológica.
Bom divertimento!
69
http://thatgrapejuice.net/2013/11/lady-gaga-assesses-fame-artpop-teases-tour-ellen/
Lady Gaga | Carneiro
Dados de Nascimento: 28 de Março de 1986; 09:53, New York
Palavras-Chave: Individualismo. Competitividade. Espontaneidade. Conquista.
Pioneirismo. Empreendedorismo. Liderança. Espirito aventureiro
Lady Gaga é uma figura incontornável quando se fala de música. Desde o seu
primeiro álbum, em 2008, foi um constante bater de recordes que a catapultou
para os cumes mais altos da fama. Como representante do arquétipo de Carneiro, nota-se claramente uma personalidade fulgurante que, abrindo caminho
por entre a multidão, se afirma perante o mundo com uma expressão que podia
bem ser “Eu estou aqui”. Mas aqui, aonde? Ora bem, aonde ninguém tinha ido,
pois pioneira como é, marcou o seu próprio lugar no mundo da música. Contudo, os seus comportamentos sempre provocadores também ajudaram a marcar
pontos para a consolidação de uma imagem que, constantemente, tem a capacidade de gerar críticas e chocar a opinião pública.
A sua forma de se expressar extrovertida e calorosa normalmente serve de
veículo às suas mensagens sociais (Sol na casa 11), sempre irreverentes e surpreendentes, provocando os outros, levando-os a reagir.
O sucesso que teve não lhe caiu do céu, na verdade, teve de arregaçar as mangas e partir para a conquista do mundo. Aventureira como é, nunca se ficou
pelos sucessos iniciais, pelo contrário, buscou os desafios, procurando sempre
inovar e fazer diferente.
Naturalmente criativa e aberta a
várias influências musicais que lhe
proporcionaram o seu estilo único,
ela era da opinião que “uma vez
que você aprende a pensar sobre
arte, você pode ensinar a si mesmo.” Assim, individualista e decidida a percorrer o seu próprio caminho e o de mais ninguém, tornou-se
uma pioneira no seu género e como
também é dona de um forte espírito competitivo não é de estranhar
quando a própria afirma “Eu não
quero parecer presunçosa, mas eu
fiz o meu objectivo de revolucionar
a música pop. A última revolução foi
lançada por Madonna há 25 anos
atrás.”
Esta sua grande vitalidade também
já lhe causou alguns dissabores, sobretudo quando teve de cancelar
vários eventos devido à sua excessiva entrega que originou uma inflamação das articulações, sendo
que chegou a omitir esse facto à
sua equipa, pois como bom Carneiro, não mostrou fraquezas, embora,
ingenuamente, essa crença de ser
capaz de ultrapassar as suas próprias limitações lhe tenha agravado
ainda mais o seu estado.
Outras das suas qualidades é um
pendor para a liderança, pois o seu
jeito irreverente de ser é bastante
admirado, sendo que acabou por
reunir em torno da sua figura um leal
grupo de seguidores.
Outro aspecto a considerar é Vénus
71
em Carneiro. Por essa posição vemos
como o seu pioneirismo estende-se ao
mundo da moda e justifica a escolha
dos seus vestidos, pois então quem não
se recorda do famoso vestido de carne
crua que ela levou para os MTV Video
Music Awards? Vestido esse que, por
sinal, revestia-se de uma mensagem e
ela sugeria os direitos sociais expressos
pela posição na casa 11. “Se nós não
defendermos aquilo em que acreditámos e se não lutarmos por nossos direitos, muito em breve vamos ter tantos
direitos quanto a carne dos nossos ossos”.
Na verdade, não é difícil encontrar
excentricidades no vasto repertório
das suas actuações inusitadas, a mais
evidente parece reforçar o lado selvagem de Carneiro, quando Lady
Gaga, numa das suas performances
apareceu pintada e pendurada sangrando até, teatralmente, morrer. Mas
isto é só em espetáculo, na vida real,
ela fundou com a sua mãe uma instituição chamada “Born This Way Foundation” cuja principal missão é a capacitação e consciencialização dos
jovens, conferindo-lhe apoio em temas como bullying e dotando-os de
confiança.
Expressando suas mensagens colectivas da forma mais original possível,
adquirindo a hostilidade de vários
quadrantes sociais, Lady Gaga impôsse pela sua atitude que, não sendo
representativa de harmonia e bom
gosto, serviu para romper barreiras e
conquistar o seu espaço, sempre desafiando…
Adele | Touro
Dados de Nascimento: 5 de Maio de 1988, 03:02, Londres
Palavras-Chave: Estabilidade; Simplicidade; Resistência; Teimosia; Receptividade; Fertilidade; Sensações; Amor-próprio
http://blitz.sapo.pt/users/0/65/adele-d282-e283.jpg
Como representante do signo de Touro temos Adele. A sua voz poderosa, o seu
corpo arredondado e uma maneira de ser genuína e ao mesmo tempo simples,
caracterizam uma das mais faladas cantoras da actualidade.
Muitos cantores pertencem ao signo Touro, tal não é por acaso pois o signo rege
a garganta em geral e, em particular, a voz e as cordas vocais. Ora Adele é
sobejamente conhecida pelo seu vozeirão, marca mais distinta nas suas performances que, como selo de qualidade, foi o meio de se projectar na fama.
Sendo nova nesta experiência de se passear pelo mundo das celebridades,
Adele parece no entanto encarar tudo com uma postura de descontração, de
quem não quer a coisa. É como se tudo fosse perfeitamente natural. Ela demonstra pragmatismo e ter os pés bem assentes na terra, mostrando que possui a maturidade suficiente para não se deixar levar pelos fogos-fátuos que caracterizam
o mundo da música, procurando inclusive evitar esse excesso que outros artistas,
contudo, tanto procuram. Já lhe tentaram colocar vários rótulos e epítetos, comparando-a com outros ícones musicais, mas Adele com a sua postura descontraída e prática, declina teimosamente afirmando que há espaço para todos.
Esta leveza muito se pode dever à sua personalidade que parece irradiar amor73
próprio e, como taurina, possuí igualmente um excelente sentido das suas próprias capacidades, isto é, Adele sabe aquilo que vale e sabe que aliada à sua autoconfiança estão os seus talentos naturais, desenvolvidos por mérito próprio na
BRIT – School for Performing Arts and Technology.
A sua aparência física é outro atributo que está fortemente associado ao seu
signo solar. Por um lado, apesar de não ser modelo profissional, transborda de
uma sensualidade natural, ou não fosse Vénus ser o planeta regente do signo
de Touro. Adele enverga um estilo muito próprio, talvez mais convencional e recatado, à moda de uma elegância mais clássica, enfatizando possivelmente as
suas influências musicais. Os seus vestidos assentam-lhe que nem uma luva, reforçando uma imagem mais madura e passando por cima, com todo o charme
evidentemente, daqueles que dizem que a magreza é algo fundamental. Adele
chegou a afirmar, quando abordada sobre essas questões: “Eu adoro comida
e detesto exercício. Eu não quero estar na capa da playboy ou da Vogue. Eu
quero estar na capa da Rolling Stone ou Q. Eu não sou uma ditadora de tendências. Sou cantora. Prefiro pesar uma tonelada e fazer um álbum magnífico que
parecer a Nicole Richie e fazer um álbum de merda. Meu objectivo na vida é
nunca ser magra.” [tradução livre]. E este que bem podia ser o lema de muitos
taurinos, amantes dos prazeres da vida, apreciando o conforto e a qualidade
através dos seus apurados sentidos.
A sua faceta romântica também é digna de realce. O seu primeiro álbum parece
dever-se às suas próprias experiências sobre amor, as quais canalizou para a
música através dos seus dotes artísticos. Disse ela: “Os desgostos podem definitivamente dar-te uma profunda sensibilidade para escrever canções. Eu baseeime bastante nos desgostos quando estava a escrever o meu primeiro álbum.”
[tradução livre]
Adele sempre teve uma enorme vontade em ser mãe. Relativamente jovem, realizou o seu desejo aos 24 anos e já é mãe de um filho. De facto, a sua imagem feminina e redonda associa-se bastante a palavras do signo de Touro como
produtividade e fertilidade. Por alguma razão a Lua (a mãe; as emoções; o sentimento nutritivo…) está exaltada neste signo.
A última nota vai para a conjunção que o seu Sol em Touro faz com Júpiter,
planeta relacionado com a expansão. Ou seja, tudo aquilo que se falou sobre
Adele… é ampliado…
Com toda a naturalidade, Adele haveria de uma maneira ou doutra reivindicar
o seu espaço no mundo da música.
Todavia, este caracter multifacetado
não se fica apenas pelo seu nome;
Prince também é considerado um
multi-instrumentista, ficando patente o
seu lado experimental e a sua evidente destreza física e movimentos rápidos. Esta sua habilidade manual leva
Prince a saber tocar teclado, bateria,
baixo, para além de guitarra, instrumento em que foi considerado o 33º
melhor de todos os tempos e que implica muito o uso de mãos. Para além
de tudo isto ainda canta, claro está.
http://palcoprincipal.sapo.pt/fotos_noticias/Image/Janeiro%202009/PRINCE.jpg
Prince | Gémeos
Dados de Nascimento: 7 de Junho
de 1958, 18:17, Minneapolis (Estados
Unidos)
Palavras-chave: Dualidade; Agilidade; Extroversão; Destreza física;
Linguagem; Movimentação; Jovialidade; Inconstância
De aparência jovial, Prince evidencia-se por uma constituição física que, apesar de magra, sugere
grande agilidade e flexibilidade. Estamos pois perante uma pessoa cujo
signo solar é Gémeos.
Ao arquétipo de Gémeos está comummente associada a múltipla
personalidade. Ora Prince não fez
por menos e, ao longo do seu percurso profissional, adotou vários nomes artísticos, o mais célebre simplesmente “Prince”, mas também
“O Artista”, “O Artista anteriormente
conhecido como Prince” e até
mesmo um símbolo impronunciável,
mostrando uma certa apetência
para este jogo de palavras que era
a sua identidade. É pois um artista
de muitas caras e muitos rostos. De
um momento para o outro decidia
mudar o nome e isso conferia-lhe
uma certa imprevisibilidade.
Mas dentro da música a sua versatilidade também se estende à grande
diversidade de estilos musicais, como
funk, R&B, soul, jazz, rock, pop e hip
hop, que ele congregou num estilo
único. Para além de tudo isto era ele
quem escrevia, compunha e produzia
todas as suas músicas. Ah sim…também dançava, era actor e director de
filmes… Por esta altura já devem ter
apanhado a ideia que, há boa maneira de Gémeos, Prince é o “homem
dos sete ofícios”. Prince desdobra-se
e desdobra-se e desdobra-se num
processo típico de dispersão e fragmentação deste signo. Os críticos são
unanimes em elogiar o seu trabalho
pela evidente versatilidade e diversidade, até porque a sua banda era
caracterizada por ser constituída de
forma multirracial, misturando brancos
e pretos, aliás o próprio Prince declarou que o seu pai era descendente de
afro-americanos e sua mãe era branca, mistura de várias etnias.
75
Destaque também para a linguagem e para a importância das letras na sua
música que, não sendo de admirar a eloquência das suas palavras, o facto
de ter o Sol na casa 8 (casa associada à sexualidade), justifica claramente do
porquê dessa mesma linguagem estar recheada de fortes conotações sexuais.
Esta linguagem sexual não se ficava pelas palavras, ela estendia-se ao ritmo da
música, à cadência, à expressão do próprio corpo… Os movimentos, os sons,
as palavras pareciam reverberar com a excitabilidade e o nervosismo típico de
Gémeos, nunca ficando por muito tempo fixo a um lugar ou agarrado a uma
posição, sempre disperso, sempre num constante vai-e-vem.
Em termos profissionais a vida de Prince parece igualmente corresponder a este
síndrome de nunca se focar numa posição estável, muito por culpa do lado oscilatório e instável do seu sucesso, umas vezes sendo extraordinariamente bemsucedido e aclamado pelo público, outras, apanhando o reverso da moeda,
sentiu os seus trabalhos receberem alguma indiferença. Destaque também ao
facto de rejeitar vínculos, aliás parece que foi o vínculo com a Warner Bros, gravadora, que lhe trouxe vários problemas e atribulações na vida.
Devido ao seu virtuosismo, Prince surge-nos como um dos cantores mais
carismáticos, ocupando dentro da música um lugar muito próprio, simultaneamente único e sem igual e, ainda assim, tão difícil de o categorizar. No fim de
contas…é de Gémeos que falámos.
77
Por: Luís Resina
Membro N.º22
PORTUGAL ASTROLÓGICO
PARTE IV
O fim da Dinastia de Avis e os grandes momentos da História
de Portugal até à Restauração e início da IV Dinastia.
1552 – Ingresso de Plutão em Peixes
Este período corresponde ao nascimento de D. Sebastião e à publicação da obra épica – os Lusíadas.
A última vez que Plutão ingressou no signo de Peixes foi em 1307.
Neste período, nomeadamente, em 1312, deu-se a extinção da Ordem dos Templários. Ainda com Plutão em Peixes no ano de 1319
dá-se a Fundação da Ordem de Cristo. Nesta última passagem de
Plutão em Peixes, houve uma transformação radical e um processo
de regeneração na principal ordem militar e religiosa do Reino de
Portugal.
“D. Sebastião I de Portugal (Lisboa, 20 de Janeiro de 1554 — Alcácer-Quibir, 4 de Agosto de 1578) foi o décimo sexto rei de Portugal,
cognominado O Desejado por ser o herdeiro esperado da Dinastia
de Avis, mais tarde nomeado O Encoberto ou O Adormecido. Foi o
sétimo rei da Dinastia de Avis, neto do rei João III de quem herdou o
trono com apenas três anos. A regência foi assegurada pela sua avó
Catarina da Áustria e pelo Cardeal Henrique de Évora.
Aos 14 anos assumiu a governação manifestando grande fervor
religioso e militar. Solicitado a cessar as ameaças às costas portuguesas e motivado a reviver as glórias do passado, decidiu-se a empreender um esforço militar em Marrocos, planeando uma cruzada
após Mulei Mohammed ter solicitado a sua ajuda para recuperar o
trono. A derrota portuguesa na batalha de Alcácer-Quibir em 1578
levou ao desaparecimento de D. Sebastião em combate e da nata
da nobreza, iniciando a crise dinástica de 1580 que levou à perda
da independência para a dinastia Filipina e ao nascimento do mito
do Sebastianismo”
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sebasti%C3%A3o_de_Portugal
79
D. Sebastião em pintura atribuída a Cristóvão de Morais
Seguindo as pisadas do seu tetravô, D. Afonso V, D. Sebastião vira-se para as
campanhas de África como forma de recuperar o poder territorial nas terras
do Magreb. Descontente com a política conservadora do seu avô, D. João
III, D. Sebastião pretende dar vida a uma série de ideais de cavalaria que ficaram esquecidos no tempo e aproveita o declínio do Império, para se opor
à lenta agonia da nobreza lusitana. Face à decadência e à apatia reinante,
D. Sebastião contrapõe a imagem do herói em busca de novos feitos e conquistas.
81
Saliências no Mapa de D. Sebastião
◘ Sol em Aquário em conjunção com Marte e Ascendente – forte
vontade, carisma, espírito combativo, personalidade que revela
presença, fortes ideais colectivos.
◘ Sol e Marte em quadratura a Neptuno em Touro – sonhos de
conquistas terrestres, ideais de cavalaria.
◘ Saturno, regente tradicional de Aquário é o Almutem do mapa,
o planeta com mais dignidades no tema natal. Estando em Peixes
na Casa I numa posição forte e sendo regente do Nó Lunar Sul e
da Vénus em Capricórnio denota uma conexão karmica com a
sociedade e o colectivo. Aliás, a sua conjunção com o Sol esotérico de Portugal representa alguém que irá ter bastante impacto
na identidade nacional.
◘ Júpiter regente do MC posicionado na casa 8 indica que a
posição social do individuo e o papel que este representa na sociedade está sujeito a profundos processos de morte e regeneração. Os trígonos de Júpiter ao Sol e de Urano a Mercúrio indicam
uma visão larga e uma capacidade intuitiva da mente para ver
mais além do que o comum, no entanto, a sua teimosia e obstinação (preponderância de signos fixos) levaram-no a seguir um
caminho mais impulsivo e temerário, representado pela conjunção de Sol com Marte.
◘ A Cruz em T formada com a oposição da Lua em leão a Plutão,
ambos em quadratura ao MC, assinala emoções intensas, mas
inseguras, e uma dificuldade para escutar opiniões alheias.
No momento da batalha de Alcácer Quibir, os aspectos astrológicos são desfavoráveis apontando para uma saída inglória, mas o
mapa não aponta para uma morte clara do rei.
O Arco Solar de Vénus e o trânsito de Urano ambos em trígono a
Júpiter podem apontar para que ele possa ter sobrevivido após o
desaire.
Alcácer Quibir – o Sebastianismo e o mito do Encoberto
1578 - Plutão em Carneiro, Alcácer Quibir
As duas últimas passagens de Plutão em Carneiro correspondem
à vinda dos condes D. Henrique e D. Raimundo para a Península
Ibéria por volta de 1090 (1º Ciclo, o de Borgonha). Na segunda vez
que Plutão transitou este signo deu-se o nascimento de D. João
I (1357) e de Nuno Álvares Pereira (2º Ciclo, o de Avis), a descoberta das Canárias no reinado de D. Afonso IV e a coroação de
Dona Inês – rainha póstuma.
Na data da batalha de Alcácer Quibir temos Plutão a 1º de Carneiro o que marcará o início do 3º ciclo de Portugal (perda da
soberania).
Alcácer Quibir – Posições astrológicas
◘ Nó Lunar Norte em Peixes em conjunção com o Marte do mapa
de 1136 (ver artigo no 1º número do Jornal da Aspas) e em quadratura ao nó lunar norte.
◘ Neptuno encontra-se posicionado a 10º de Caranguejo em
quadratura a Júpiter, em oposição a Saturno e em quadratura a
Marte. Toda esta Cruz Cósmica em signos Cardinais forma aspectos maiores com o Ascendente de Portugal, situado por volta de
10º de Caranguejo!
◘ Neptuno, o planeta do sonho, da universalização e da diluição
acaba por dissolver a individualidade (conjunção com ascendente), a primeira identidade de um reino que é representada pelo
seu monarca. O evento começa por volta das 6h00 com o Sol em
Leão na casa 12, o que é sempre uma posição desfavorável para
o rei que toma a iniciativa da batalha.
83
◘ Se compararmos este mapa com o de D. Sebastião saltam à vista as seguintes
interacções: três planetas pessoais, Sol, Lua e Vénus transitam a casa 7 (tradicionalmente a casa dos inimigos declarados, no caso de litígios). O Sol está
em oposição a Marte e a Mercúrio, Vénus em oposição a Saturno e a Lua em
oposição a Plutão! Aqui observamos três oposições vindas da casa 7 para a 1ª
casa do mapa de D. Sebastião, sendo que Vénus e Mercúrio são regentes da
casa 8, a casa da morte e das transformações!
◘ Saturno em trânsito no Capricórnio está em conjunção exacta com o Nó Sul de
D. Sebastião localizado na casa 12 do Horóscopo. Vénus em oposição a Saturno
coloca em evidência os regentes da casa 1 e da casa 8, regentes tradicionais
da vida e da morte.
◘ Para finalizar, queria ainda salientar que Urano se encontra na casa 8 do mapa
natal de D. Sebastião, e faz por trânsito, uma conjunção com o Sol em Aquário
que é o Hyleg ou regente da vida do rei.
◘ O Nó Lunar Norte em Peixes vem também realçar, que o reino de Portugal teria
que passar por esta provação para que os desígnios a que está destinada este
povo se venham a cumprir no futuro!
◘ O mistério relacionado com o desaparecimento do seu corpo está visível na
auréola criada à sua volta, e que aqui está representada, pela oposição exacta
de Neptuno em trânsito com a sua Vénus natal. Vénus é regente da casa 8 e
Neptuno cria um véu sobre a sua morte!
85
Aspectos salientes deste mapa:
◘ Júpiter a 10º de Capricórnio em oposição à Lua a 11º do Caranguejo, Marte a 19º de Peixes.
◘ Os planetas angulares do tema da Restauração estão em
conjunção exacta com o eixo Ascendente/Descendente de
Portugal. Marte em conjunção com o Sol esotérico de Portugal
dinamiza a vertente do nacionalismo e acentua a afirmação e
a autonomia da identidade portuguesa.
25 Março de 1646
Nossa Senhora da Conceição é nomeada oficialmente Protectora de Portugal
Foi em 25 de Março de 1646, que o decreto real ratificou a decisão das Cortes de nomear Nossa Senhora Conceição como
Protectora de Portugal, em agradecimento à independência
da nação. A partir de então os reis da IV dinastia deixaram
de utilizar a cerimónia da coroação e substituíram-na pela
aclamação. A verdadeira coroa portuguesa passava assim a
estar sob a vigilância e a protecção da Virgem.
Continua no próximo número…
87
Por: Inês Miranda
Membro N.º6
EFEMÉRIDES
ABRIL
Dia 1 às 00:00
Hora Legal
26°23’ Carneiro
28° 40’ Carneiro
19° 05’ Peixes
19° 21’ Peixes
24° 51’ Aquário
24° 51’ Aquário
11° 08’ Carneiro
11° 18’ Carneiro
21° 52’ Balança Rx
21° 49’ Balança Rx
11° 28’ Caranguejo
11° 29’ Caranguejo
22° 36’ Escorpião Rx
22° 36’ Escorpião Rx
12° 23’ Carneiro
12° 24’ Carneiro
06° 21’ Peixes
06° 21’ Peixes
13° 31’ Capricórnio
13° 31’ Capricórnio
1◘ Sol Quadratura Júpiter Tente dominar as atitudes demasiado otimistas que
poderão conduzir a escolhas precipitadas.
Júpiter Quadratura Urano Poderá sentir uma marcada tensão e irritabilidade
acompanhadas por uma forte vontade de libertação. Tente relaxar e evite agir
prematuramente.
Sol Conjunção Urano Aproveite este período para se reinventar!
3◘ Mercúrio Trígono Saturno Reflexão, diplomacia e estudo metódico encontram-se favorecidos.
Sol Quadratura Plutão A vontade de desafiar a autoridade e a resistência a mudanças poderão estar latentes.
5◘ Ingresso de Vénus em Peixes
21:31
17:31
7◘ Ingresso de Mercúrio em Carneiro
16:35
12:35
9◘ Sol Oposição Marte Canalize a sua energia na realização de algum exercício
físico e esquive-se a possíveis confrontos.
12◘ Vénus Conjunção Neptuno Sensibilidade, criatividade e intuição em alta.
Excelente dia para se doar à arte e ao amor.
Júpiter Oposição Plutão Poderá tender a impor os seus valores e crenças ao
outro. Procure ser mais flexível e valorizar a opinião dos demais.
14◘ Mercúrio Quadratura Plutão Dada a elevada profundidade mental poderá
tender à desconfiança e a confrontos através da palavra. Cultive o silêncio.
Mercúrio Quadratura Júpiter Evite chegar a conclusões sem ter em atenção
todos os detalhes.
Mercúrio Conjunção Urano Excelente dia para criar pois a mente encontra-se
aguçada, inventiva e original.
15◘ Lua Cheia 25º15´Balança08:4304:40
Eclipse Total da Lua
16◘ Mercúrio Oposição Marte Tendência a reações impulsivas que poderão
levar a conflitos.
Vénus Trígono Júpiter Sentimentos de otimismo e esperança no futuro à flor da
pele.
Estação Retrógrada de Plutão 13º34’ Capricórnio 00:48
19◘ Vénus Sextil Plutão Dia favorável para aprofundar os seus relacionamentos.
20◘ Ingresso do Sol em Touro
04:56
00:56
89
FORMAÇÃO EXPLOSIVA – grande cruz envolvendo Plutão, Úrano, Júpiter e Marte
Marte Quadratura Plutão – Tendência a uma forte tensão sexual. Os desejos estão
intensos e impulsionam a ação.
Marte Quadratura Júpiter – Grande necessidade de agir de forma a expandir os
seus projetos. Cuidado com o entusiasmo e otimismo em excesso.
Marte Oposição Úrano – Poderão surgir conflitos inesperados. Evite conversações
importantes pois a impulsividade e teimosia são prováveis.
23◘ Ingresso de Mercúrio em Touro
10:16
06:16
26◘ Vénus Trígono Saturno Negociações encontram-se favoráveis.
Sol Conjunção Mercúrio Dia positivo para se expressar. A comunicação encontra-se beneficiada portanto aproveite para partilhar as suas ideias.
27◘ Mercúrio Sextil Neptuno Use a sua imaginação e intuição.
28◘ Sol Sextil Neptuno Período introspetivo e de contemplação. Aproveite para
meditar.
29◘ Lua Nova 08º51’ Touro07:1503:15
30◘ Mercúrio Sextil Júpiter Momento favorável para o ensino e aprendizagem.
91
MAIO Hora legalLISBOA RIO DE JANEIRO
3◘ Ingresso de Vénus em Carneiro
02:22
22:50
5◘ Sol Trígono Plutão Utilize a capacidade transformadora deste período e inicie
alguns processos de mudança.
Sol Sextil Júpiter Otimismo e bom humor em alta. Divirta-se!
7◘ Ingresso de Mercúrio em Gémeos 15:57
11:57
11◘ Sol Oposição a Saturno Poderá sentir que está a perder o controlo da sua
vida. Aproveita esta fase para perceber o que realmente quer e para definir objetivos.
Vénus Oposição a Marte Fase de muita tensão, principalmente nos relacionamentos com o sexo oposto.
Mercúrio Quadratura Neptuno Poderá sentir a sua mente um pouco confusa.
Evite compromissos.
12◘ Mercúrio Trígono Marte Dia favorável para colocar em prática as suas ideias.
Parta para a ação!
14◘ Lua Cheia 23º54’ Escorpião 20:1616:16
15◘ Vénus Quadratura Plutão Momento propenso a comportamentos obsessivos
e a situações de disputa de poder.
16◘ Vénus Conjunção Urano Dia favorável para conhecer novas pessoas de forma surpreendente e imprevisível.
Mercúrio Sextil Urano Desafie a sua mente e abra espaço a novas ideias.
19◘ Vénus Quadratura Júpiter Tendência a comportamentos exagerados e a atitudes extravagantes nos relacionamentos.
Mercúrio Sextil Vénus As conversas fluem proporcionando interações harmoniosas.
20◘ Estação Direta de Marte 09º01’ Balança 02:32
22:32
21◘ Ingresso do Sol em Gémeos04:0000:00
24◘ Júpiter Trígono Saturno Excelente período para realização de negócios e expansão de projetos.
28◘ Lua Nova 07º21´de Gémeos19:4015:40
29◘ Ingresso de Vénus em Touro02:4622:46
Ingresso de Mercúrio em Caranguejo 10:12
06:12
Sol Quadratura Neptuno A visão do que o rodeia poderá estar distorcida e é possível sentir vontade de se escapar à realidade. Tente evitar fugir às suas responsabilidades.
JUNHO
Hora legal
LISBOA RIO DE JANEIRO
1◘ Sol Trígono Marte Poderá sentir-se energético e competitivo. Canalize esta energia para atividades que exijam esforço físico.
5◘ Vénus Sextil Neptuno Dia de grande sensibilidade em que poderá ser procurado por outros para conforto e apoio.
7◘ Sol Sextil Urano Momento favorável para sair da rotina pois poderá encontrar
algo novo que o surpreenda e satisfaça.
8◘ Estação Retrógrada de Mercúrio 03º09’ Caranguejo 12:57 08:57
9◘ Vénus Trígono Plutão Período benéfico para aprofundamento dos seus relacionamentos mais íntimos.
10◘ Estação Retrógrada de Neptuno 07º35’ Peixes 20:50
16:50
93
13◘ Vénus Oposição Saturno Procure equilibrar o prazer com o trabalho de forma
a não se sentir insatisfeito.
Lua Cheia 22º05’ Sagitário05:1201:10
19◘ Vénus Sextil Júpiter Dia favorável para troca de valores, ideias e filosofias com
os que lhe são mais próximos.
20◘ Sol Conjunção Mercúrio A sua mente encontra-se ativa e intensa. A comunicação escrita e falada está favorecida.
21◘ Ingresso do Sol em Caranguejo
11:52
07:52
23◘ Ingresso de Vénus em Gémeos13:3409:34
27◘ Lua Nova 05º37’ Caranguejo 09:0905:09
30◘ Vénus Quadratura Neptuno Poderá sentir-se vulnerável na interação com os
outros. Procure direcionar a sua marcada imaginação e sensibilidade para a expressão artística.
Sol Trígono Neptuno Momento favorável para voluntariado pois denota elevada
compaixão e sensibilidade ao que o rodeia. A intuição e o processo criativo também se encontram favorecidos.
PUBLICIDADE
Antes de tudo, a Associação Portuguesa de Astrologia é um
tributo ao trabalho do Astrólogo. Tentamos aperfeiçoar os
ensinamentos e princípios, sabendo que nada é nosso mas
sim de Todos.
Uma associação é feita por todos aqueles que a constituem,
é isso que a honra e é isso que nos faz dizer “Juntos fazemos
a diferença”.
Download