Resenha Histórica

Propaganda
Resenha Histórica
Face à evolução constante das Forças Armadas no sentido da modernização e a crescente
mecanização dos seus meios materiais, foi aumentada a necessidade de se dotar o Exército de
um corpo de pessoal especializado. Estes meios humanos seriam indispensáveis para uma
correta utilização, permanente manutenção e profundo domínio do conhecimento na reparação
dos armamentos e materiais de que as tropas eram continuamente dotadas. Assim, foi
publicado no "Diário do Governo", Iª Série, nº 256, o Decreto-Lei nº 40 880, de 24 de Novembro
de 1956, criando o Serviço de Material "para todos os assuntos de carácter técnico relativos à
aquisição, manutenção e reabastecimento de material".
Em 1958, enquanto decorriam as obras no Edifício Militar da Rua de Santo António à Sé com
vista à instalação da Direção do Serviço de Material, esta funcionou provisoriamente no edifício
do Estado-Maior do Exército. Foi investido no cargo de Diretor do Serviço de Material o, então,
Coronel de Artilharia, engenheiro fabril, João António de Saldanha Oliveira e Sousa, oficial que
viria a ser o primeiro Brigadeiro Diretor do Serviço de Material.
Em Santo António à Sé, permaneceu a Direção do Serviço de Material entre 1960 e 1964, tendo
seguidamente transitado para os 2º, 3º e parte do 4º andares do nº 180 da Rua Rodrigo da
Fonseca, Edifício que passou a ser conhecido pelo “Edifício do Quartel-Mestre”.
Nos finais de 1980, a Direção do Serviço de Material conheceu a sua terceira instalação no nº 49
da Avenida Infante Santo, ocupando os 3º e 4º andares do chamado “Edifício Ceuta”, no qual se
encontrou sediada até à sua extinção.
A partir do início dos acontecimentos militares em África, até 1975, a atividade mais significativa
da Direção do Serviço de Material foi a de conduzir a aquisição, receção e distribuição dos
equipamentos e sobressalentes requeridos pelas três frentes de operação nos territórios de
Angola, Moçambique e Guiné-Bissau. Em 1976, a título experimental, foi implantada uma nova
organização interna que agrupou, sob a responsabilidade de uma mesma repartição, o conjunto
de atividades consideradas afins ou complementares, para que, sobre um só responsável, se
fechasse o respetivo ciclo de vida do material. De acordo com o Decreto-lei nº 50/93, a Direção
do Serviço de Material integra-se no Comando da Logística, com a designação de Direção dos
Serviços de Material e foi criada para tratar de todos os assuntos de carácter técnico, relativos à
aquisição, manutenção e reabastecimento de material da sua gestão.
Em 24 de Maio de 2006 é extinta a Direção dos Serviços de Material por Despacho nº
12251/2006 de S. Exª o Ministro da Defesa Nacional tornando-se efetiva em 20 de Junho.
Em 16 de junho de 2006, e por Despacho nº 12.555/2006 de S. Exª o Ministro da Defesa
Nacional, foi criada a Direção de Material e Transportes, tornada efetiva por intermédio do
Despacho nº 131/CEME/2006 de 21 de junho de 2006.
A partir desta data, a Direção de Material e Transportes passou a integrar a extinta Direção dos
Serviços de Material e aglutinou também, parte das missões e responsabilidades das antigas
Direções dos Serviços de Intendência, dos Serviços de Transmissões, dos Serviços de
Engenharia, dos Serviços de Saúde e da Chefia do Serviço de Transportes, tendo atualmente a
responsabilidade da execução das atividades logísticas de Reabastecimento, Manutenção
Transporte e Serviços de Campanha, exceto o que se refere à aquisição e alienação de
abastecimentos.
«AMOSTRARÃO ESFORÇO MAIS QUE HUMANO»
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards