3974 - ABEn Eventos

Propaganda
3974
Trabalho 390 - 1/3
Cuidado clínico de enfermagem a pessoas com insuficiência
cardíaca: relação entre diagnósticos NANDA, modos adaptativos de
Roy e intervenções da NIC
Cruz, Daniela Barbosa Saboia 1
Rocha, Luciana Alves da2
Fiuza, Maria Luciana Teles3
Rolim,Anapaula Arruda4
Silva, Lúcia de Fátima da5
Entre as doenças cardiovasculares, a insuficiência cardíaca (IC) é fonte de
inquietação e de rico aprendizado. Ultimamente, a IC tornou-se um dos
maiores problemas de saúde pública, com a prevalência de 1 a 2% na
população mundial. Esta doença é a via final mais comum da maioria das
cardiopatias, sobretudo por constituir uma síndrome endêmica em todo o
mundo e um importante problema de saúde pública, com prevalência e
incidência crescentes e altos índices de hospitalizações associadas a elevados
índices
de
morbimortalidade,
particularmente
quando
presentes
co-
morbidades.Trata-se de uma doença crônica para a qual se exigem adaptações
nos hábitos de vida diária. Referidas modificações geralmente são conflitantes,
pois interferem em vários aspectos da vida dessas pessoas. Estudo acerca da
adaptação de pessoas portadoras de IC à sua condição de doente crônico que
objetivou caracterizar pacientes com IC acompanhados em um ambulatório de
cardiologia, em Fortaleza- Ceará; associar os modos de adaptação de Callista
Roy a diagnósticos de enfermagem da North American Association (NANDA)
identificados na clientela; analisar os problemas de adaptação por ela
apresentados e propor intervenções de enfermagem necessárias, partir da
taxonomia da Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC). Trata-se
de pesquisa descritiva e transversal, desenvolvida entre maio a agosto de
2007, com 28 pessoas portadoras de IC. Utilizou-se para coletar os dados, uma
entrevista clínica e um roteiro de exame físico. Após identificar os diagnósticos
1.Enfermeira. Coordenadora de enfermagem do Centro de Terapia Intensiva e Pediátrica do
Hospital Geral Dr Waldemar Alcântara (HGWA). E-mail:[email protected]
2.Enfermeira. Mestre em Cuidados Clínicos em Saúde. Coordenadora de enfermagem da
Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto do Hospital Geral Dr Waldemar Alcântara.
3.Enfermeira. do ambulatório de infectologia do hospital Universitário Walter
Cantídio.Especialista em Enfermagem Clínico-Cirurgico. Coordenadora de enfermagem do
Bloco Cirúrgico do Hospital Geral Dr Waldemar Alcântara.
4.Enfermeira. Especialista em enfermagem em emergência. Gerente de enfermagem e de risco
do Hospital Geral Dr Waldemar Alcântara. Enfermeira do Instituto Dr José Frota (IJF).
5.Enfermeira. Doutora em enfermagem. Docente do Curso de graduação e do mestrado
acadêmico em Cuidados Clínicos da Universidade Estadual do Ceará. Enfermeira do Hospital
de Dr Carlos Alberto Studart Gomes.
3975
Trabalho 390 - 2/3
de enfermagem, com base em Risner, eles foram relacionados aos problemas
comuns de adaptação de Callista Roy. Tal associação foi discutida com base na
literatura vigente e, para os problemas de adaptação, foram propostas
intervenções de enfermagem. Todos os preceitos legais foram rigorosamente
considerados.
O
estudo
revelou
uma
população
predominantemente
masculina; casada, de faixa etária entre 35 a 60 anos; residente na capital; com
ensino fundamental incompleto e renda familiar de 1 a 3 salários mínimos.
Quanto à etiologia da IC, a mais freqüente foi a miocardiopatia dilatada. Foram
analisados
21
dos
27
diagnósticos
de
enfermagem.
Os
principais
foram:dentição prejudicada; intolerância à atividade; sentimento de impotência;
desempenho de papel ineficaz; disfunção sexual; insônia; controle ineficaz do
regime terapêutico; comportamento de saúde propenso a risco; dor aguda;
constipação; nutrição desequilibrada: mais do que as necessidades; percepção
sensorial perturbada-visão. Os diagnósticos de enfermagem identificados se
caracterizavam como problemas de adaptação à condição de saúde. Como
principais problemas de adaptação identificados mencionam-se: intolerância à
atividade; impotência; falha de papel; disfunção sexual; privação de sono; dor
aguda; constipação; nutrição desequilibrada mais do que as necessidades
corporais; deficiência de um sentido primário. Diante dos achados, espera-se
suscitar reflexões dos enfermeiros para considerarem os problemas de
adaptação de seus pacientes portadores de IC no desempenho do cuidado
clínico a eles dispensados, de modo que ao implementarem intervenções de
enfermagem, os estimulem ao alcance de sua adaptação à condição de doente
crônico. Assim, o estudo traz contribuições para a consolidação do uso de
teorias no processo de cuidar em enfermagem.
Palavras-chaves: Insuficiência cardíaca, adaptação, enfermagem.
Bibliografia
BARRETO, A.C.; DRUMOND NETO, C.; MADY, C. et al. Revisão das II
Diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia para o diagnóstico e
tratamento da insuficiência cardíaca. Arq. Bras. Cardiol., São Paulo, v. 79, supl.
4, p. 1-30, 2002.
CORRÊA, L.A.; SANTOS, I. dos.; SOUSA, T. Pesquisando/cuidando de clientes
com insuficiência cardíaca congestiva: a escuta sensível na consulta de
Enfermagem. Online Brazilian Journal of Nursing., v.5, n.3, 2006 [Online].
3976
Trabalho 390 - 3/3
DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM DA NANDA (North American Nursing
Diagnoses Association). Definições e Classificação (2007-2008). Porto Alegre:
Artmed, 2008.
DOCHTERMAN, G; BULECHEK, G. (Org.). Classificação das Intervenções de
Enfermagem (NIC). Tradução de Regina Garcez. 4. ed. Porto Alegre: Artmed,
2008. 998 p.
BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução
196/1996. Brasília, 1996.
Download