Enviado por Do utilizador2420

Planificação para o aluno - Estudo do movimento

Propaganda
Conteúdos
Objetivos
Modulo I - Osteologia e Artrologia
A – Noções fundamentais para o estudo da Anatomia
1. Posição descritiva anatómica.
2. Planos descritivos e noções associadas.
B – Tecido conjuntivo
1. Características gerais.
2. Características dos principais tipos de tecido
conjuntivo:
2.1. Tecido conjuntivo propriamente dito:
2.1.1. Laxo;
2.1.2. Denso – denso modulado e denso não modelado.
2.2. Tecido cartilagíneo:
2.2.1. Cartilagem hialina;
2.2.2. Cartilagem elástica;
2.2.3. Cartilagem fibrosa.
2.3. Tecido ósseo;
2.4. Tecido adiposo.
C – Noções gerais sobre as articulações
1. Noção e tipos de articulações:
1.1. Imóveis;
1.2. Semimóveis;
1.3. Móveis.
2. Constituintes articulares típicos das articulações
móveis:
2.1. Superfícies articulares;
2.2. Cartilagem articular;
2.3. Cápsula articular;
2.4. Ligamentos;
2.5. Membrana sinovial;
2.6. Meniscos;
2.7. Recetores articulares – nociceptores e
proprioceptivos.
3. Tipos de movimentos articulares e de articulações
móveis.
4. Relação entre mobilidade e estabilidade articular.
D – Descrição e caracterização funcional do sistema
ósseo e articular do tronco e da cabeça
1. Constituição geral e funções da coluna vertebral:
1.1. Suporte;
1.2. Proteção;
1.3. Mobilidade;
Conhecer e utilizar noções fundamentais para o estudo da anatomia
 Identificar a posição descritiva anatómica e os planos de orientação espacial.
 Identificar as noções de superior/inferior; anterior/posterior; externo/interno; interior/exterior; proximal/distal, na descrição de estruturas corporais.
Conhecer a organização do geral do tecido conjuntivo
 Caracterizar genericamente os quatro tipos de tecidos básicos do organismo humano: conjuntivo, muscular, nervoso e epitelial.
 Identificar as funções gerais do tecido conjuntivo.
 Caracterizar funcionalmente os diferentes tipos de tecido conjuntivo.
 Distinguir as variedades de tecido conjuntivo propriamente dito.
 Distinguir as variedades de tecido cartilagíneo.
 Distinguir entre organização esponjosa e organização compacta do tecido ósseo.
 Identificar a sua distribuição nos ossos longos, curtos e chatos.
 Descrever genericamente o processo de crescimento do osso em comprimento e em espessura.
 Enumerar os efeitos gerais da atividade física sobre as estruturas de tecido conjuntivo, nomeadamente, ao nível dos ligamentos, do tendão, da
cartilagem articular e do osso.
Dominar as noções fundamentais para o estudo das articulações
 Definir o conceito de articulação.
 Discriminar os três tipos de articulações de acordo com o grau de movimento.
 Descrever a constituição geral da articulação móvel e a função geral de cada elemento.
 Distinguir as articulações móveis quanto à forma das superfícies articulares e quanto à mobilidade (uniaxiais, biaxiais, triaxiais e de deslize).
 Identificar a nomenclatura dos movimentos articulares tendo como referência os vários planos do movimento, designadamente na flexão, na extensão,
na aducção, na abducção,na rotação, na supinação e na pronação.
 Reconhecer os fatores que afetam o binómio estabilidade/mobilidade articular.
 Caracterizar a morfologia das superfícies articulares, meios de união, envolvimento muscular e mecanismos neurais.
Conhecimento da estrutura e as características funcionais da
cabeça, coluna vertebral e do tórax.
 Identificar a constituição óssea geral do crânio e da face.
 Identificar as diferentes funções da coluna vertebral.
 Distinguir na coluna vertebral as vértebras cervicais, dorsais, lombares, sagradas, atlas e áxis.
 Descrever as características morfofuncionais mais importantes e a mobilidade de cada região da coluna vertebral.
1.4. Amortecimento.
2. Curvaturas da coluna vertebral:
2.1. Lordoses;
2.2. Cifoses;
2.3. Escolioses.
3. Disco intervertebral.
4. As regiões da coluna vertebral e a sua caracterização
morfofuncional.
5. Ligamentos da coluna vertebral:
5.1. Vertebral comum anterior;
5.2. Vertebral comum posterior;
5.3. Supra-espinhoso;
5.4. Cervical posterior;
5.5. Interespinhosos;
5.6. Intertransversários;
5.7. Ligamentos amarelos.
6. Constituição geral dos ossos da cabeça.
7. Ligação coluna vertebral-crânio.
8. Constituição geral do tórax.
9. O tórax e os movimentos respiratórios.
E – Descrição e caracterização funcional do sistema
ósseo e articular do membro superior
1. Cintura escapular:
1.1. Esterno-clavicular;
1.2. Acrómio-clavicular.
2. Complexo articular do ombro e seu funcionamento
nos movimentos do braço:
2.1. Ligamento coraco-umeral;
2.2. Ligamentos gleno-umerais;
2.3. Tendões da coifa dos rotadores;
2.4. Ritmo escápulo-umeral.
3. Complexo articular do cotovelo e seu funcionamento
nos movimentos do antebraço:
3.1. Ligamento anterior;
3.2. Ligamento posterior;
3.3. Ligamentos laterais;
3.4. Ligamentos à distância.
4. Constituição geral dos ossos da mão.
5. Complexo articular do pulso e mão e seu
funcionamento nos movimentos da mão:
5.1. Ligamento triangular;
5.2. Ligamentos laterais.
6. A preensão: papel do polegar e sua importância
funcional.







Explicar quando e como se formam as curvaturas da coluna vertebral.
Identificar as funções do disco intervertebral.
Descrever a localização dos principais ligamentos da coluna vertebral.
Identificar os movimentos da coluna vertebral e os respetivos fatores osteo-articulares de limitação da mobilidade.
Identificar os movimentos da cabeça e as articulações envolvidas em cada um dos movimentos.
Descrever a constituição óssea do tórax.
Descrever o funcionamento do tórax nos movimentos respiratórios.
Revelar conhecimento da estrutura e características funcionais do membro superior
 Identificar os ossos constituintes da cintura escapular, braço e antebraço.
 Classificar funcionalmente as articulações da cintura escapular.
 Identificar a importância funcional da falsa articulação omo-costal.
 Classificar funcionalmente a articulação escápulo-umeral.
 Identificar os principais constituintes articulares da articulação escápulo-umeral.
 Identificar os movimentos do braço e os respetivos fatores ósteo-articulares de limitação da mobilidade.
 Identificar os movimentos da omoplata.
 Descrever a participação da cintura escapular nos movimentos de elevação do braço.
 Explicar os fatores contribuintes para a grande mobilidade do braço, nomeadamente, a morfologia das superfícies articulares da escápulo-umeral, o
reforço ligamentar, o envolvimento muscular e as características das outras articulações do complexo articular do ombro.
 Identificar as articulações que constituem o complexo articular do cotovelo.
 Classificar funcionalmente o complexo articular do cotovelo.
 Identificar os principais constituintes articulares do cotovelo.
 Identificar os movimentos do antebraço e os respetivos fatores ósteo-articulares de limitação da mobilidade.
 Identificar as articulações onde ocorrem os movimentos de supinação/pronação.
 Identificar a constituição óssea geral da mão.
 Classificar funcionalmente a articulação rádio-cárpica;
 Identificar os principais constituintes articulares da articulação rádio-cárpica.
 Classificar funcionalmente as articulações entre os ossos do carpo.
 Identificar os movimentos da mão e os respetivos fatores ósteo-articulares de limitação da mobilidade.
 Classificar funcionalmente as articulações carpo-metacárpicas (2ª à 5ª).
 Classificar funcionalmente a articulação primo-carpo-metacárpica.
 Identificar os movimentos do polegar.
 Classificar funcionalmente as articulações metacarpo-falângicas.
 Identificar os movimentos característicos das articulações metacarpo-falângicas.
 Classificar funcionalmente as articulações inter-falângicas.
F – Descrição e caracterização funcional do sistema
ósseo e articular do membro inferior
1. Cintura pélvica:
1.1. Sacro-ilíacas;
1.2. Sínfise púbica.
2. Bacia:
2.1. Morfologia das superfícies articulares;
2.2. Reforço ligamentar;
2.3. Envolvimento muscular;
2.4. Articulações da bacia.
3. Articulação coxo-femural e seu funcionamento nos
movimentos da coxa:
3.1. Ligamento pubo-femural;
3.2. Ligamento ileo-femural;
3.3. Ligamento isqueo-femural;
3.4. Ligamento redondo.
4. Complexo articular do joelho e seu funcionamento
nos movimentos da perna:
4.1. Meniscos;
4.2. Ligamento rotuliano;
4.3. Ligamentos laterais;
4.4. Ligamentos popliteus;
4.5. Ligamentos cruzados.
5. Constituição geral dos ossos do pé.
6. Complexo articular do tornozelo e pé e seu
funcionamento nos movimentos do pé:
6.1. Ligamento lateral externo;
6.2. Ligamento lateral interno.
7. Pontos de apoio do pé no solo e arcos plantares:
7.1. Anterior;
7.2. Posterior;
7.3. Interno.
 Identificar os movimentos característicos das articulações inter-falângicas.
 Reconhecer os fatores que contribuem para a mobilidade da mão aliada à função de preensão.
Revelar conhecimento da estrutura e características funcionais do membro inferior
 Identificar os ossos constituintes da cintura pélvica, coxa e perna.
 Classificar funcionalmente as articulações da cintura pélvica.
 Classificar funcionalmente a articulação coxo-femoral.
 Identificar os principais constituintes articulares da articulação coxo-femural.
 Identificar os movimentos da coxa e os respetivos fatores ósteo-articulares de limitação da mobilidade.
 Identificar os movimentos da bacia: anteversão e retroversão.
 Enunciar os fatores contribuintes da estabilidade da coxa.
 Identificar as articulações que constituem o complexo articular do joelho.
 Classificar funcionalmente o complexo articular do joelho.
 Identificar os principais constituintes articulares do joelho.
 Identificar os movimentos da articulação do joelho e os respetivos fatores ósteo-articulares de limitação da mobilidade.
 Identificar a constituição óssea geral do pé.
 Classificar funcionalmente a articulação do tornozelo.
 Identificar os principais constituintes articulares da articulação do tornozelo.
 Identificar os movimentos da articulação do tornozelo.
 Identificar os movimentos do pé e os respetivos fatores ósteo-articulares de limitação da mobilidade.
 Identificar o sentido dos movimentos de flexão e extensão dos dedos.
 Identificar os pontos de apoio do pé.
 Identificar os arcos plantares.
 Explicar as funções de amortecimento e propulsão do pé.
Módulo 2: Miologia
A – Organização macroscópica e propriedades do
músculo esquelético
1. Organização e estrutura geral:
1.1. Ventre muscular;
1.2. Aponevroses;
1.3. Tendões.
2. Papel da elasticidade muscular:
2.1. Como fator protetor da atividade muscular;
2.2. Como fator de organização da atividade muscular;
2.3. Principais elementos elásticos do músculo.
Conhecer a organização macroscópica e as propriedades do músculo esquelético
 Distinguir no músculo esquelético o ventre muscular, as aponevroses e os tendões.
 Descrever as propriedades do músculo esquelético.
 Identificar os principais elementos elásticos do músculo.
 Explicar a importância da elasticidade muscular.
B – Organização microscópica e processo de contração
muscular
1. Constituição da fibra muscular.
2. Caracterização das funções gerais dos principais
elementos:
2.1. Placa motora;
2.2. Miofibrilhas;
2.3. Proteínas contrácteis (actina e miosina);
2.4. Cálcio;
2.5. Adenosina trifosfato (ATP);
2.6. Fosfocreatina (CP);
2.7. Mitocôndrias;
2.8. Mioglobina;
2.9. Glicogénio.
3. O sarcómero e a contração muscular.
4. Processos de contração e relaxamento:
4.1. Transmissão do estímulo na placa motora;
4.2. Ação do cálcio;
4.3. Formação do complexo actomiosina (pontes
cruzadas).
5. Noção de tétano muscular.
6. Curvas força / alongamento e força / velocidade da
fibra muscular.
C – Processos energéticos no músculo esquelético
1. Necessidades energéticas da fibra muscular.
2. Papel do ATP.
3. Processos de resíntese do ATP:
3.1. Aeróbico;
3.2. Anaeróbico aláctico e láctico.
4. Interação dos diferentes processos em diversos tipos
de esforço.
D – Tipos de fibras musculares
1. Características metabólicas e contrácteis das fibras
dos tipos I e II.
2. Distribuição dos tipos de fibras nos músculos
corporais.
E – Conceitos relacionados com a determinação das
ações musculares
1. O músculo esquelético e a função articular.
2. Noções de origem e de inserção.
3. Tipos de ação muscular:
3.1. Dinâmica concêntrica;
Revelar conhecimento da organização microscópica e o processo de contração muscular
 Explicar as funções gerais dos diversos constituintes da fibra muscular.
 Descrever os principais passos dos processos de contração e de relaxamento muscular.
 Definir a noção de tétano muscular.
 Relacionar a sua intensidade com a frequência de estimulação.
 Explicar as curvas força / alongamento e força / velocidade da fibra muscular.
Conhecer os processos energéticos no músculo esquelético
 Identificar os processos musculares que requerem consumo energético.
 Explicar a hidrólise do ATP como forma de obtenção de energia utilizável pela célula
 muscular.
 Identificar genericamente os três processos de resíntese do ATP.
 Relacionar a síntese do ATP em ambiente aeróbio, anaeróbio aláctico e anaeróbio láctico
 com os diferentes esforços físicos.
 Caracterizar o papel da fosfocreatina.
 Definir o conceito de consumo máximo de O2 (VO2 max).
 Identificar os fatores musculares que condicionam o consumo máximo de O2.
Abordar de forma fundamentada os diferentes tipos de fibras musculares
 Distinguir os diferentes tipos de fibras musculares (I e II), segundo as suas características
 metabólicas, neurológicas e contrácteis.
 Explicar a lógica de distribuição dos diferentes tipos de fibras nos diferentes músculos
 corporais.
 Identificar a composição muscular enquanto fator justificativo das diferenças inter
 individuais em diferentes capacidades físicas.
Compreender os diferentes conceitos relacionados com a determinação das
ações musculares
 Determinar a ação de um músculo a partir das noções de origem e de inserção.
 Identificar os diferentes tipos de ação muscular.
 Identificar os diferentes papéis que os músculos podem desempenhar.
 Aplicar os conhecimentos sobre o tipo de músculo ao respetivo desempenho.
3.2. Dinâmica excêntrica;
3.3. Estática;
3.4. Ciclo muscular alongamento/encurtamento.
4. Papéis funcionais que os músculos desempenham no
movimento:
4.1. Músculos agonistas;
4.2. Músculos antagonistas;
4.3. Músculos fixadores.
F – Organização geral e caracterização dos principais
músculos do tronco
1. Músculos da camada profunda da região posterior do
tronco:
1.1. Músculos espinais;
1.2. Nuca.
2. Músculos da camada superficial da região posterior do
tronco:
2.1. Trapézio;
2.2. Grande dorsal.
3. Músculos da região lateral do pescoço:
3.1. Escalenos;
3.2. Esternocleidomastoideo.
4. Músculos do tórax:
4.1. Intercostais;
4.2. Grande dentado;
4.3. Grande peitoral.
5. Paredes musculares da cavidade abdominal:
5.1. Antero-lateral;
5.2. Superior;
5.3. Inferior;
5.4. Posterior.
6. Músculos da parede posterior do abdómen:
6.1. Psoas-ilíaco;
6.2. Quadrado dos lombos.
7. Músculos da parede antero-lateral do abdómen:
7.1. Grande reto;
7.2. Grande oblíquo;
7.3. Pequeno oblíquo;
7.4. Transverso.
G – Organização geral e caracterização dos principais
músculos do membro superior
1. Músculos da cintura escapular:
1.1. Deltóide;
1.2. Infraespinhoso;
1.3. Pequeno redondo.
2. Músculos do braço:
2.1. Região anterior:
Conhecer a organização geral dos músculos do tronco
 Caracterizar os músculos mais importantes na produção de movimento.
 Descrever os grupos musculares da camada profunda da região posterior do tronco a sua ação geral.
 Descrever os músculos principais da camada superficial da região posterior do tronco.
 Identificar a respetiva origem dos músculos da região posterior do tronco, a sua inserção e ação.
 Descrever os músculos principais da região lateral do pescoço.
 Identificar a respetiva origem dos músculos da região lateral do pescoço, a sua inserção e ação.
 Descrever a ação geral dos músculos intercostais no tórax.
 Descrever os músculos superficiais principais do tórax.
 Identificar a respetiva origem dos músculos superficiais principais do tórax, a sua inserção e ação.
 Identificar as paredes musculares da cavidade abdominal.
 Descrever os músculos constituintes da parede posterior do abdómen.
 Identificar a respetiva origem dos músculos constituintes da parede posterior do abdómen, a sua inserção e ação.
 Descrever os músculos constituintes da parede antero-lateral do abdómen.
 Identificar a respetiva origem dos músculos constituintes da parede antero-lateral do abdómen, a sua inserção e ação.
Conhecer a organização geral dos músculos do membro superior
 Caracterizar os músculos mais importantes na produção de movimento.
 Descrever os músculos principais da cintura escapular.
 Identificar a respetiva origem dos músculos principais da cintura escapular, a sua inserção e ação.
 Descrever os músculos principais das regiões anterior e posterior do braço.
 Identificar a respetiva origem dos músculos principais das regiões anterior e posterior, a sua inserção e ação.
 Identificar os três tipos de ação dos músculos do antebraço: pronação e supinação, movimentos da mão e movimentos dos dedos.
 Descrever no antebraço duas regiões musculares.
2.1.1. Bicípete braquial;
2.1.2. Braquial anterior;
2.1.3. Longo supinador.
2.2. Região posterior – tricípete braquial.
3. Regiões musculares do antebraço:
3.1. Antero-interna;
3.2. Postero-externa.
4. Regiões musculares da mão:
4.1. Palmar interna;
4.2. Palmar externa;
4.3. Palmar média.
H – Organização geral e caracterização dos principais
músculos do membro inferior
1. Músculos superficiais e profundos da bacia:
1.1. Grande, médio e pequeno glúteo;
1.2. Tensor da fascia lata.
2. Músculos da coxa:
2.1. Região anterior – quadricípete crural e costureiro;
2.2. Região posterior – hamstrings;
2.3. Região interna – adutores.
1. 3. Músculos da perna:
3.1. Região anterior – tibial anterior;
3.2. Região posterior – tricípete sural;
3.3. Região externa – peroneais laterais.
4. Regiões musculares do pé:
4.1. Dorsal;
4.2. Plantar interna;
4.3. Plantar externa;
4.4. Plantar média.
 Identificar a ação genérica das duas regiões musculares do antebraço.
 Descrever as três regiões musculares da mão.
 Identificar a ação genérica das três regiões musculares da mão.
Conhecer a organização geral dos músculos do membro inferior
 Caracterizar os músculos mais importantes na produção de movimento.
 Descrever os músculos superficiais da bacia.
 Identificar a respetiva origem dos músculos superficiais da bacia, a sua inserção e ação.
 Descrever os músculos profundos da bacia.
 Identificar a ação genérica dos músculos profundos da bacia.
 Descrever os músculos principais das regiões anterior, posterior e interna da coxa.
 Identificar a respetiva origem dos músculos principais das regiões anterior, posterior e interna, a sua inserção e ação.
 Descrever os músculos principais das regiões anterior, posterior e externa da perna
 Identificar a origem dos músculos principais das regiões anterior, posterior e externa, a sua inserção e ação.
 Descrever as quatro regiões musculares do pé.
 Identificar a ação genérica das quatro regiões musculares do pé.
Módulo 3: Controlo e coordenação do movimento
A – Sistema Nervoso
1. Organização geral, funções e estrutura funcional.
2. Sistema Nervoso Periférico.
3. Receção de informação e recetores.
4. Efeção e efetores:
4.1. Músculo liso;
4.2. Músculo cardíaco;
4.3. Músculo esquelético;
4.4. Glândulas endócrinas;
4.5. Glândulas exócrinas.
5. Sistema Nervoso Somático e Sistema Nervoso
Autónomo.
6. Neurónio e sinapse.
B – Sistema Nervoso Central
1. Funções gerais e estrutura.
2. Andares do SNC:
2.1. Córtex cerebral;
Compreender os aspetos fundamentais da estrutura e funcionamento do
sistema nervoso
 Identificar as funções gerais do sistema nervoso.
 Caracterizar o modelo funcional do sistema nervoso.
 Identificar as funções dos nervos, recetores e efetores.
 Distinguir anatómica e funcionalmente Sistema Nervoso Central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP).
 Distinguir informação sensitiva extero, intero e proprioceptiva.
 Identificar os tipos de efetores.
 Distinguir funcionalmente Sistema Nervoso Somático e Sistema Nervoso Autónomo.
 Identificar o neurónio como a célula nervosa e a sinapse como a estrutura de ligação entre neurónios.
Revelar conhecimento da estrutura e funções gerais do sistema nervoso central
 Identificar os três andares do SNC.
 Caracterizar genericamente os três estágios de processamento de informação: tratamento da informação sensorial, decisão e programação.
 Localizar a medula.
2.2. Encéfalo baixo;
2.3. Medula.
3. Estágios de processamento de informação.
4. Medula:
4.1. Localização;
4.2. Funções:
4.2.1. Condução;
4.2.2. Regulação reflexa.
5. Porções do tronco cerebral:
5.1. Bulbo raquidiano;
5.2. Ponte de Varólio;
5.3. Pedúnculos cerebrais.
6. Córtex cerebral:
6.1. Localização;
6.2. Lobos:
6.2.1. Occipital;
6.2.2. Temporal;
6.2.3. Parietal;
6.2.4. Frontal.
6.3. Função geral;
6.4. Tipos de áreas funcionais:
6.4.1. Motoras;
6.4.2. Sensitivas;
6.4.3. Associação.
7. Substância reticulada:
7.1. Estrutura;
7.2. Localização;
7.3. Funções gerais:
7.3.1. Regulação do tónus muscular;
7.3.2. Nível de vigília cortical.
8. Cerebelo:
8.1. Localização;
8.2. Funções gerais:
8.2.1. Programação motora;
8.2.2. Pré-programação de movimentos rápidos;
8.2.3. Função comparadora;
8.2.4. Regulação do tónus muscular;
8.2.5. Regulação do equilíbrio.
9. Sistema límbico e o controlo das emoções.
C – Recetores sensoriais que mais contribuem para a
regulação do comportamento motor
1. Estrutura e funções gerais
2. Distinção entre sensibilidade somática e sensibilidades
específicas:
2.1. Cutâneos;
2.2. Articulares;
2.3. Musculares;




















Identificar as funções da medula.
Caracterizar a função dos motoneurónios medulares.
Identificar o nervo espinal como um nervo misto.
Definir e compreender a noção de ato reflexo.
Localizar o tronco cerebral;
Distinguir as três porções do tronco cerebral.
Localizar o córtex cerebral.
Identificar os principais lobos corticais do córtex cerebral.
Caracterizar a função geral do córtex cerebral.
Distinguir funcionalmente os três tipos de áreas corticais.
Descrever a função geral da área da motricidade voluntária.
Justificar a representação do corpo na área da motricidade voluntária.
Descrever a função geral da área da sensibilidade somática.
Justificar a representação do corpo na área da sensibilidade somática.
Descrever genericamente a estrutura, a localização e as funções da substância reticulada.
Localizar o cerebelo.
Descrever genericamente as funções do cerebelo.
Relacionar o sistema límbico e o controlo das emoções.
Identificar a função geral das três estruturas no ouvido interno.
Descrever a função da membrana do tímpano.
Perceber a estrutura e as funções gerais dos recetores sensoriais que mais
contribuem para a regulação do comportamento motor.
 Identificar os recetores que contribuem para a sensibilidade somática.
 Explicar a função dos dois principais recetores musculares.
 Descrever a constituição geral e as funções dos principais constituintes do globo ocular.
 Distinguir funcionalmente entre cones e bastonetes.
 Distinguir a fóvea das restantes regiões da retina.
 Descrever a constituição geral do ouvido, bem como a função geral de cada um dos seus três componentes.
2.4. Viscerais;
2.5. Fuso Neuromuscular;
2.6. Órgão Tendinoso de Golgi.
3. Constituição geral e funções dos principais
constituintes do globo ocular:
3.1. Esclerótica;
3.2. Retina;
3.3. Córnea;
3.4. Íris;
3.5. Pupila;
3.6. Lente.
4. Constituição geral e funções dos principais
constituintes do ouvido:
4.1. Ouvido Externo;
4.2. Ouvido Médio;
4.3. Ouvido Interno;
4.4. Caracol;
4.5. Vestíbulo;
4.6. Canais semicirculares.
D – Mecanismos de coordenação neuromuscular
1. Coordenação intramuscular e intermuscular.
2. Conceitos de unidade motora e de grupo motor.
3. Mecanismos de coordenação intramuscular –
recrutamento e frequência de descarga das
unidades motoras.
E – Regulação central do movimento
1. Regulação reflexa.
2. Reflexo miotático e miotático inverso.
3. Iniciação do movimento voluntário.
4. Programação do movimento.
5. Regulação do tónus muscular.
6. Regulação em cadeia fechada e aberta.
7. Utilização de informação visual no controlo de
diferentes tipos de movimentos.
8. Conceito de movimentos balísticos e de préprogramação.
F – Regulação do equilíbrio
1. Músculos antigravíticos – posturais.
2. Recetores nervosos implicados no processo de
equilíbrio:
2.1. Recetores Vestibulares;
2.2. Visão;
2.3. Recetores tácteis da planta dos pés;
Compreender os principais mecanismos de coordenação neuromuscular
 Distinguir coordenação intramuscular e intermuscular.
 Definir o conceito de unidade motora.
 Descrever o funcionamento da unidade motora à luz da Lei do Tudo ou Nada.
 Definir o conceito de grupo motor.
 Identificar os mecanismos de coordenação intramuscular: recrutamento de unidades motoras e frequência de descarga das unidades motoras.
 Explicar como são reguladas as contrações com diferentes condições de carga externa,
velocidade e duração, com base nos mecanismos de coordenação intramuscular.
Compreender os diferentes níveis de regulação central do movimento
 Definir o conceito de regulação reflexa do movimento.
 Descrever genericamente o reflexo miotático.
 Explicar a importância do reflexo miotático na regulação da atividade muscular.
 Distinguir a origem e os efeitos do reflexo miotático estático e dinâmico.
 Descrever, genericamente, o reflexo miotático inverso.
 Explicar a importância do reflexo miotático inverso na regulação da atividade muscular.
 Identificar a área cortical da motricidade voluntária como responsável pela iniciação dos movimentos voluntários.
 Explicar em que consiste a programação do movimento.
 Explicar o conceito de tónus muscular.
 Distinguir ações reguladas em cadeia fechada e em cadeia aberta.
 Definir os movimentos balísticos e justificar o facto de serem movimentos pré-programados.
 Caracterizar a utilização de informação visual no controlo do movimento e apontar as suas limitações temporais.
Conhecer os componentes fundamentais da regulação do equilíbrio
 Identificar os principais grupos musculares antigravíticos.
 Identificar os recetores nervosos implicados no processo de equilíbrio e o papel específico de cada um.
 Enumerar os principais centros envolvidos no processo de equilíbrio.
 Relacionar os principais centros envolvidos no processo de equilíbrio com os diferentes níveis de regulação do equilíbrio.
2.4. Fusos Neuromusculares Dos Músculos
Antigravíticos;
2.5. Recetores Articulares Da Coluna;
2.6. Recetores articulares dos membros inferiores.
3. Principais centros e processos envolvidos na regulação
do equilíbrio:
3.1. Medula;
3.2. Núcleos Vestibulares;
3.3. Substância Reticulada;
3.4. Cerebelo;
3.5. Córtex Cerebral.
G – Fadiga neuromuscular
1. Conceito, factores que influenciam o seu
aparecimento (condicionamento físico dos sujeitos,
tipo de músculo, natureza da tarefa) e respectiva
influência.
2. Causas musculares de fadiga.
3. Causas nervosas de fadiga.
H – Adaptações neuromusculares ao exercício físico
1. Alterações de volume muscular:
1.1. Conceito De Hipertrofia;
1.2. Conceito de hiperplasia.
2. Adaptações metabólicas.
3. Alterações na composição muscular.
4. Alterações neurais ao exercício físico:
4.1. Na Coordenação Intramuscular;
4.2. Na Coordenação Intermuscular;
4.3. No Ganho de origem reflexa.
Compreender as diferentes formas de manifestação da fadiga muscular
 Definir o conceito de fadiga muscular.
 Identificar os fatores que influenciam o aparecimento de fadiga muscular (condicionamento físico dos sujeitos, tipo de músculo, natureza da tarefa) e a
forma como o fazem.
 Identificar as possíveis causas musculares de fadiga.
 Relacionar as possíveis causas musculares de fadiga com o tipo de esforço físico em que se manifestam.
 Identificar as possíveis causas nervosas de fadiga.
 Relacionar as possíveis causas nervosas de fadiga com o tipo de esforço físico em que se manifestam.
Apreender as principais adaptações neuromusculares ao exercício físico
Identificar os elementos que contribuem para o aumento da massa muscular.
 Distinguir os conceitos de hipertrofia e de hiperplasia musculares.
 Identificar as principais alterações musculares que estão na base da hipertrofia da fibra muscular e os fatores de que dependem.
 Identificar as possibilidades de adaptação metabólica muscular ao exercício físico.
 Identificar as possibilidades de alteração da composição muscular ao exercício físico.
 Identificar as principais alterações neurais ao exercício físico a três níveis: alterações na coordenação intramuscular, alterações na coordenação
intermuscular, alterações no ganho de origem reflexa.
Módulo 4: Fundamentos de mecânica para análise do movimento
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards