Enviado por Do utilizador2750

aula1mrciasemalteraoaigrejaapostlica-161104122228

Propaganda
A identidade de um povo é construída pelo conjunto de
características morais, éticas, religiosas e culturais, agrupadas
num processo histórico que se perpetua pela transmissão de
uma geração a outra.
Investigar o desenvolvimento das ocorrências na
história mundial da igreja, entendendo sua trajetória
evangelística e missionária bem como suas lutas e vitórias
através dos séculos, será nosso objetivo ao longo do curso,
tendo a consciência que não esgotaremos todo o seu
universo.
História (do grego antigo "pesquisa",
"conhecimento advindo da investigação")
Enquanto ciência estuda o Homem e sua ação
no tempo e no espaço.
Tucídes, século V a.C., é o primeiro a aplicar
métodos críticos, como o cruzamento de dados e
fontes diferentes.
Para os gregos, a história não se referia
necessariamente ao passado, sendo antes uma lista ou
descrição sistemática de fatos.
• No grego, ekklesia designava uma assembleia
pública, e este significado ainda foi mantido no NT
(At 19.32, 39, 41).
• Ekklesia no NT designa a igreja cristã, tanto local
( Mt 18.17; At 15.41; Rm 16.16; 1 Co 4.17; 7.17;
14.33; Cl 4.15) quanto universal ( Mt 16.18; At
20.28; 1 Co 12.28; 15.9; Ef 1.22).
De forma geral nosso curso está organizado em
dois grandes períodos:
1) A Igreja ANTIGA
• A Igreja Apostólica(pentecostes até o final do primeiro século)
• As perseguições ( I ao IV século )
• Os pais da igreja ( I ao V século)
2) A Igreja MEDIEVAL
• Cristianismo Oriental
• As cruzadas
• Misticismo medieval
• Decadência do papado.
DIVISÃO DA HISTÓRIA
Pompeu conquista a Judeia 63 a.C. ele é assassinado no
Egito em 48 a.C.
• Herodes, o Grande (37 a.C. - 4 a.C): Reforma(EUSÉBIO PG 25)
• Herodes Arquelau (04 a.C. - 06 d.C.) governou
mandou matar as crianças de Belém. (Mateus 2:1-16)
• Herodes Antipas (de 06 d.C. a 39): morte de João
Batista e tomou parte no julgamento de Jesus.
(Mateus 14:1-12 e Lucas 23:5-7)
• Herodes Agripa I ( 41 até 44 d.C): ordenou a morte de
Tiago e a prisão de Pedro. (Atos 12:1-23)
• Herodes Agripa II (57 a 59 d.C.): ouviu a defesa de
Paulo em Cesárea. (Atos 25:13-26-32)
• Massada, cerca de 520m acima do Mar Morto.
• Fortaleza de Herodes.
• Em 66 d.C., tornou-se refúgio para os judeus
zelotes 6 anos. Cerca de 1.000 homens, mulheres e
crianças foram mortos.
Diáspora
Diáspora
Uma das regiões mais conservadas desse período
Do
Pentecostes até a morte do
apóstolo João(30 a 100 d.C ).
• O ponto de partida da igreja de Cristo foi a cidade de
Jerusalém.
• O fundador da Igreja foi Jesus, o Cristo. Foi ele também
quem elegeu os apóstolos.
• Os discípulos regressam a Jerusalém, obedecendo ao
que Cristo havia ordenado e vão se reunindo no
Cenáculo.
• No dia de Pentecostes ( festa hebraica das colheitas) a
Igreja nascente é fortalecida pelo Espírito Santo e
conhece um notável desenvolvimento .
• Iluminou as mentes dos discípulos.
• Compreenderam que era um reino espiritual,
na pessoa de Jesus, e não um império político,
que governava de modo invisível a todos que o
aceitavam pela fé.
• Revigorou a todos, repartindo com eles o fervor
do Espírito Santo, que fazia de cada testemunho
um motivo de convicção.
• “Porque a promessa é para vós, para vossos filhos e
para todos os que estão longe, a quantos o Senhor
nosso Deus chamar.” At 2.39
• Muitos, porém, dos que ouviram a palavra creram, e
chegou o número desses homens a quase cinco mil.
At 4.4
• O Espírito Santo no centro da Igreja.
• Os milagres e maravilhas ecoavam como som de
sinos a clamar o povo à adoração.
• Sansões do Sinédrio.
Todos os membros da Igreja Pentecostal eram
judeus, não se considerava até este momento a ideia
de gentios como membros, não se concebia a
existência de uma igreja fora dos limites do Judaísmo.
Seria mais fácil admitir que o mundo gentílico se
tornaria Judaico.
Considerada por alguns autores como: "O
Período da Igreja Pentecostal."
• Hebreus, cujos os antepassados haviam
habitado à Palestina, seriam a verdadeira raça
israelita, falavam o hebraico e o aramaico.
• Judeus Gregos da dispersão, judeus cujo lar ou
antepassados estavam em terras estrangeiras.
• Os prosélitos, pessoas não descendentes de
judeus, aceitavam a lei judaica e passavam a
pertencer à Igreja cedendo o rito da circuncisão.
• Os mesmos Judeus que levaram Cristo à Morte , viram-se
agora contra os que anúnciavam que ele havia ressuscitado.
• A crescente conversão de Judeus ao Cristianismo levou à
intervenção das autoridades Judaicas.
Bernardo Strozzi- A libertação de Pedro,1635.
Caráter Messiânico de Jesus.
 Morte e ressurreição de Jesus.
 Segunda vinda de Cristo, esperada a qualquer
momento.
Criam no Espírito Santo, de cuja presença estavam
cônscios.
Viviam em amor e comunhão.
Criam no perdão dos pecados.
Viviam uma fé do coração, com entrega pessoal.
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na
comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” Atos 2.42
As sedes gerais da igreja eram o Cenáculo, no
Monte Sião, e o Pórtico de Salomão, no Templo.
Tinham claro o conceito de templo de modo a não
valorizar o prédio, mas ,a presença do Espírito Santo.
Sala superior, ou local onde ocorreu a Última Ceia,
se encontra atualmente um grande templo.
Palavra
latina
cena,
significa
“jantar”
• Estevão, um dos diáconos, diante do Sinédrio.
• Isto contrasta com o modo que o mesmo Sinédrio
havia tratado Pedro e João.
• “Todos foram dispersos pelas terras da Judeia e de
Samaria, exceto os apóstolos. Atos” 8:1
• As autoridades religiosas judaicas levantaram-se e
empreenderam uma campanha selvagem, violenta e
sistemática contra o Cristianismo.
• Todavia a perseguição impeliu a Igreja a ampliar sua
missão.
• A perseguição foi o meio pelo qual a Igreja nascente
chegou a uma compreensão mais segura do
Evangelho que Jesus lhe dera a pregar, e por ela
alcançou uma visão ampla da obra que Jesus lhe
propusera
• “Mas os que andavam dispersos iam por toda
a parte, anunciando a palavra.” Atos 8:3
• Filipe funda a Igreja em Samaria, os apóstolos
enviam Pedro e João para supervisionar.
• Viajem de Pedro, “reconheço que Deus não trata as
pessoas com base em preferências” Atos 9:34
• Batismo de Cornélio, oficial romano.
“Estes primeiros cristãos eram uma pequena minoria,
frequentemente situada na periferia da vida pública,
mas eles não consideravam a sua missão como um
assunto privado. Era algo que tinha a ver com a
transformação do mundo.” - John W. de Gruchy
• Começa a se formar uma igreja fora do âmbito da
Judéia.
Primeiros séculos
1. Porque Deus quis!
2. Ação direta do Espírito Santo.
3. Difusão da língua e Cultura Helênica.
4. Fruto da Evangelização dos cristãos.
5. Sinagogas – Lugares de Culto que poderiam ser
utilizados pelos Evangelizadores.
6. Grande expectativa messiânica por parte do povo
Judeu.
7. Facilidade das vias terrestres e marítimas
8. O Evangelho era compreensível, promovia esperança
9. A unidade do Império Romano.
Vídeo: Como eram construído as estradas romanas.
Vídeo: Como eram construído as estradas romanas.
• O trabalho missionário em si foi levado a cabo por
algumas pessoas cujos nomes conhecemos - Paulo,
Barnabé, Apolo, Felipe Marcos, etc. , mas também
por centenas de cristãos anônimos que iam de um
lugar ao outro levando sua fé e seu testemunho.
•
”...Porque assim nos
ordenou o Senhor: Eu te
pus para luz dos gentios,
a fim de que sejas para
salvação até os confins
da terra...” Atos 13:47
• Sua conversão ocorre no
ano 33 d.C.
• Escreve a carta ao
Romanos em 57 d.C.
Conversão de S. Paulo - Caravaggio
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Era de Tarso na Cilícia 5 d.C.
Da linhagem e ascendência de Benjamim.Fl 3.5-6
Descendente de helenistas. ( gregos)
Recebeu a Educação Judaica, aprendiz de Gamaliel.
Falava grego, latim e aramaico.
Assolava a Igreja.... Atos 8.3
Respirava ameaças e morte... Atos 9.1
Perseguidor da Igreja...Gl 1.13
Encerrava os crentes em prisões Atos 26.9-11
 O Concílio completou o período de transição entre
uma igreja judaica para uma igreja de todas as raças
e nações.
 Ficando resolvido as questões entre o cristianismo
e a Lei Mosaica.(Atos 15- 28,29)
 Na época do concílio de Jerusalém, no ano 50,
ainda não havia sido escrito nenhum dos livros do
Novo Testamento.
 Foi composto por apóstolos e anciãos que
expressavam a voz da igreja.
• Plural : Espirito Santo, apóstolos, presbíteros,
diáconos, toda a igreja Atos 14.23
• Com destaque para Paulo, Pedro e Tiago.
• Nunca sozinho.
• Primeiro aos judeus, depois aos gentios.
• Planejava, deseja, mas, o E.S. era quem direcionava.
At.15.28 , 16.6,7
• Anunciava depois voltava nomeando os presbíteros
• Fundou igrejas em pelo menos sete cidades e abriu,
o continente da Europa à pregação do Evangelho.
• Obras Epístolas maiores: Romanos,1-2 Coríntios,
Gálatas e 1-2 Tessalonicenses.
Cartas da prisão: Efésios, Filipenses, Colossenses e
Filemon. Cartas pastorais: 1-2 Timóteo e Tito.
13 cartas mais Hebreus.
1◦, 2◦ Ts
• Companheiros nessa viagem foram Lucas e
Aristarco.
• Evangelizou em Sidon, Mirra, Creta e Malta onde
estiveram três meses após o naufrágio.
• Desde os criminosos confessos aos soldados que os
guardavam, a todos foi anunciado o evangelho.
• Ficou em Prisão domiciliar.At.28.16-29
• Já era idoso Fm 1.9
• Anunciou Cristo à guarda pretoriana. Fl.1.13.
• Escreveu as epístolas: Éfeso, Filipenses,
colossenses e Filemon.
• Paulo foi o missionário que mais contribuiu para o
crescimento da Igreja.
• Nenhum evento no progresso da história da
igreja a afeta tão profundamente quanto a conversão de
Saulo de Tarso, do mais violento opositor de Cristo ele
se tornou o mais zeloso defensor da fé .
• A tradição declara que em Nicópolis no Mar
Adriático, Paulo foi preso e enviado outra vez para
Roma, onde foi martirizado no ano 68.
• Paulo foi lançado em uma masmorra escura,
úmida, fria e insalubre, da qual as pessoas saíam
leprosas ou para o martírio(Tm 4.13)
• Como cidadão romano, não poderia ser
crucificado, merecia uma execução com a espada, a
decapitação.
• Produzindo possivelmente nesse último período :
Primeira a Timóteo, Tito e Segunda a Timóteo.
Paulo não se cria portador de uma nova religião,
mas sim do cumprimento das promessas feitas a
Israel. Sua mensagem não era que Israel tivesse ficado
desamparado, mas que agora, em virtude da
ressurreição de Jesus, a nova era do Messias havia
começado e agora não somente para os judeus, mas
também para os gentios.
“...quando já fores velho, estenderás as tuas mãos, e
outro te cingirá, e te levará para onde tu não queiras..”
E disse isto, significando com que morte havia ele de
glorificar a Deus.
João 21:18,19
Caravaggio- Martírio de S. Pedro
64 d.C.
• Por palavras - “um coração cheio de amor
incendiando um outro coração.”
• Por atos – Tertuliano: “O mundo pagão diz: vejam
como eles se amam. Eles amam-se a ponto de um
dar a vida pelo outro.”
• Pela morte – Tertuliano: “O sangue dos mártires é a
semente de Novos Cristãos.”
Quadro de Leon Jerome – A última oração do mártires cristãos
• Os Annales de Tácito informam:
“... uma grande multidão foi condenada não apenas pelo
crime de incêndio mas por ódio . E em suas mortes, eles
foram feitos objetos de esporte, pois foram amarrados nos
esconderijos de bestas selvagens e feitos em pedaços por
cães, ou cravados em cruzes, ou ainda incendiados, e, ao
fim do dia eram queimados para servirem de luz noturna.’’
"Cobertos com peles de bestas os cristãos eram rasgados
por cães e pereciam outrosim pregados em cruzes ou
consumidos por chamas para servirem como iluminação
noturna nos jardins de Nero."
• Nero culpabiliza os Cristãos pelo incêndio.
• As execuções deram-se nos Jardins de Nero foram
feitas de modo cruel e teatral.
• Três Gêneros de Suplícios :
1. Venatio- Os cristãos eram revestidos de pele de
feras para que os cães os dilacerassem.
2. Crusifixio- Pregados ou atados numa cruz.
1. Tunica molesta- queimados vivos para iluminarem
as trevas noturnas
Nesta perseguição foram mortos mais de mil
cristãos, entre eles os Apóstolos Pedro e Paulo
Por volta de 66 os judeus rebelaram-se, contra
um império de cento e vinte milhões de habitantes ou
duzentos e cinquenta mil soldados disciplinados e
peritos na arte da guerra. Além disso, os próprios
judeus estavam uns contra os outros.
Vespasiano ocupa o trono. Enquanto isso seu
filho General Tito, após prolongado cerco agravado
pela fome e guerra , toma Jerusalém, que ficou
parcialmente destruída.
• Flavio Josefo afirma que 1.100.000 pessoas
morreram durante o cerco e que 97.000 foram
capturadas e escravizadas
• A destruição do Templo e das sinagogas dividiu
por fim Judeus e Cristãos.
• Relatos de Eusébio sobre a fome...
“ Então, quem estiver na Judéia deve fugir para as
montanhas.” Mt 24.16
• As Catacumbas eram os locais que serviam de
cemitério subterrâneo. Algumas ocupavam cerca de
cinco andares abaixo da terra com mais de vinte
quilômetros de corredores que levam aos diversos
túmulos.
• Serviam como abrigo para reuniões, antes do nascer
do sol ou à noite.
• As catacumbas foram construídas ao longo das
estradas romanas, como a via Appia.
• Mesmo quando havia paz, a perseguição podia
recomeçar a qualquer momento.
• Durante esses dias milhares de cristãos foram
mortos, especialmente em Roma.
• Agia como uma peneira, aos doblez e fracos.
• Durante a perseguição de Domiciano(81-96) João, o
último dos apóstolos, que vivia na cidade de Éfeso,
foi preso e exilado na ilha de Patmos no Mar Egeu.
• A perseguião, um perigo comum, aproximou as
igrejas e exerceu influência para que elas se
unissem e se organizassem.
No segundo século, já havia cristãos em todas as
nações.
Em uma carta de Plinio ao imperador Trajano
“...templos dos deuses abandonados...”
Observavam o dia do Senhor como sendo o primeiro
da semana.
A ceia era celebrada onde os cristãos se reuniam,
porém, não em reuniões públicas.
Reuniões eram uma derivação das realizadas nas
sinagogas judaicas.
Liam-se o A.T. porções das cartas apostólicas, os
Evangelhos e Salmos.
Já aumentava a tendência de elevar os bispos,
acima de seus companheiros os anciãos, o que
conduziu ao sistema eclesiástico.
Os diáconos são mencionados como
funcionários da igreja.
As normas de caráter eram elevadas, porém a
vida espiritual era inferior aos dias apostólicos .
Contudo , por toda parte a igreja era forte, ativa
e próspera .
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
1. Perseguição sob Nero (64-68)
2. Perseguição de Domiciano ( 81-96)
3. Perseguição de Trajano (112-117)
4. Perseguição de Adriano (117-138)
5. Perseguição de Marco Aurélio (161-180)
6. Perseguição de Sétimo Severo (193-211)
7. Perseguição de Maximino, o Trácio (235-38)
8. Perseguição de Décio (250-251) 1ª a nivel Imperial
9. Perseguição de Valeriano (257-59)
10.Perseguição de Diocleciano e Galério (303-324)
• Algumas Perseguição foram estilo Trajano (por denúncia).
• Décio (249-251) Implacável.
• Alguns mártires:
• Inácio, bispo de Antioquia da Síria, foi lançado às feras e
declarou ser uma honra morrer por seu Senhor.
• Simão sucessor de Tiago,morto em 62, tambem irmão do
Senhor e líder da Igreja em Jerusalém, crucificado em 107.
• Perpétua e Felicida.
• Policarpo, bispo de Esmirna, na Ásia Menor, "Oitenta e seis
anos o servi, e somente bens recebi durante todo o tempo.
Como poderia eu agora negar ao meu Senhor e Salvador?" foi
queimado vivo.
Inácio de Antioquia "... Deixem-me ser pasto das
feras...sou o trigo de Deus, moído pelos dentes das
feras para tornar-me o pão duro de Cristo..."
• 1. O caráter inclusivo do Paganismo -havia muitas
religiões pagãs tradicionais, religiões pagãs de
mistério- Mitraismo, filosofias, mistura de religiões-e
o caráter exclusivo do Cristianismo
• 2. Por não adorar aos ídolos ligados a vida cotidiana.
• 3. A Adoração ao Imperador.
• 4. As Reuniões Secretas dos Cristãos.
• 7. A Igualdade na Igreja Cristã.
• 8. Os Interesses Econômicos.
Mitraísmo, culto a Mitra, O culto surgiu
na Índia em 67 a.C. tendo se difundido pela Pérsia e
mais tarde pelo Médio Oriente, foi abolido em 391 d.C.
• " Os pagãos atribuem aos cristãos toda sorte de
calamidade pública, todo flagelo. Se as águas do
Nilo não crescem para inundar os campos, se
houver seca, carestia, peste, terremoto, é tudo
culpa dos cristãos, que desprezam os deuses, e
de todos os lados se grita: os cristãos aos leões!“
• Ou quando os patrícios ambiciosos desejavam
apoderar-se das propriedades dos cristãos ricos.
• Ateavam fogo nos templos com os cristãos
encerrados dentro.
• Adriano destruiu o Templo de Jerusalém.
• proibiu todo o povo judeu de sequer colocar os pés
nas imediações de Jerusalém, de forma que nem de
longe podiam contemplar o solo pátrio.” (Eusébio
de Cesária)
• Proíbe a circuncisão .
• Em 134 d.C. Ocorre mais uma diáspora, dispersão
dos judeus pelas províncias romanas, só voltaria a
existir um Estado Judeu em 1948.
• A Judeia é rebatizada de Palestina para
indicar que o povo de Israel havia sido eliminado.
• Diáspora Israel em 722 a.C.
• Diáspora judaica no ano de 586 a.C.
• A Segunda Diáspora aconteceu muitos anos
depois, no ano 135 d.C
• No ano 70 d.C. Os romanos destruíram Jerusalém
Ao mesmo tempo que um mártir morria por sua
fé, quem o condenava o fazia levado por sentimentos
de lealdade política. Os melhores Imperadores foram
os mais ativos nas perseguições.
• Um dos Maiores Imperadores romanos, foi acérrimo
perseguidor dos cristãos.
• Buscava restaurar a antiga simplicidade da vida
romana.
• Milhares de crentes foram decapitados e devorados
pelas feras na arena. Entre a multidão: Policarpo, bispo
de Esmirna, queimado vivo e Justino Mártir filósofo dos
mais competentes de seu tempo.
• Caracala (211-217) Confirma a cidadania.
• Cidadão romano não podia ser lançado
as feras nem crucificado.
• Para Diocleciano (284-305) o Cristianismo era o
último obstáculo à unidade e à concórdia política.
No primeiro dos editos de perseguição, exigia-se que
todas as escrituras e obras cristãs fossem entregues às
autoridades imperiais sob pena de aprisionamento dos
que fossem contra a medida.
Ademais, as igrejas cristãs foram demolidas, os cristãos
foram proibidos de fazerem alegações em juízo sobre a
morte dos perseguidores .
Os cristãos de alta dignidade foram privados de seus
privilégios, muitos dos libertos e escravos foram
aprisionados.
• O segundo edito ordenava o aprisionamento dos
bispos, diáconos e clérigos.
• O terceiro dispunha que apenas após efetuar um
sacrifício o cristão estaria livre da prisão.
• No quarto e último comportava a ordem de sacrifícios
gerais cuja negação era a morte.
• O Edito de Galério, do ano 311, considerava o
Cristianismo uma religião ilícita e suspeita, cujos
membros estavam sujeitos ao aprisionamento, à
condenação e à pena capital.
• No Oriente, em abril de 311, Galério admite o
insucesso da perseguição aos cristãos e admite o
retorno a sua religião e seus lugares de culto.
• Ademais, pediu que os cristãos rezassem a seu Deus
pela saúde dos imperadores, da res pública e de sua
comunidade
• extinguiu os editos persecutórios, e incluiu o Deus dos
cristãos no conjunto das divindades que
salvaguardariam o Império Romano.
• Enquanto a igreja era judaica, havia uma tendência
para os pensamentos legalistas, no entanto os cristão
do segundo e terceiro séculos lutaram não só contra as
perseguições do Império romano, mas também contra
heresias e doutrinas corrompidas dentro da Igreja.
• Os ataques internos vinham do judaísmo e de dentre os
próprios cristãos, que queriam impor aos novos
convertidos partes da Lei;
Como a Igreja reagiu
• A expansão da igreja para além dos limites do
Império Romano, exigia organização , disciplina e a
autoridade de um dirigente, um exército de Deus.
• A perseguição aproximou as igrejas.
• Ocorre o surgimento das heresias.
• O desenvolvimento da doutrina.
Como a Igreja reagiu as
heresias
Com o surgimento das heresias a Igreja, teve que reagir
com três soluções:
1)O Desenvolvimento Hierárquico, bispo singular,
episcopado. idem gov. Imperial.
2) A formação do Cânon
3) O Símbolo Apostólico (Credo de Nicéia)
• A igreja criou uma estrutura hierárquica, com
comando centralizado, surgindo então a figura do
bispo monárquico, que centralizava a comunidade.
• Esse bispo era considerado sucessor dos apóstolos e
guardião da tradição.
• Cada bispo governava sua própria diocese tendo
presbíteros e diáconos sob suas ordens.
• A igreja se tornara um exército disciplinado e unido.
• Dentro do império romano, havia "outro“ império de
vida abundante e de poder sempre crescente, que era
a igreja cristã.
• Os cristãos eram a décima parte da população
• Foram as razões principais para definir o Cânon do
Novo testamento:
1) Muitas igrejas orientais estavam empregando livros
espúrios nos seus cultos
2) O Édito de Diocleciano (303 d.C) determinou a
destruição dos livros sagrados.
3) Para que ficasse claro quais eram, de fato, os livros
sagrados pelos quais valia a pena morrer.
4) O Cânon foi por reconhecimento e não imposição.
• Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da
terra. E em Jesus Cristo, seu único Filho Nosso Senhor,
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu
da Virgem Maria , padeceu sob Pôncio Pilatos, foi
crucificado, morto e sepultado, desceu a mansão dos
mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos Céus,
está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,
donde há de vir a julgar os vivos e mortos. Creio no
Espírito Santo. Na Santa Igreja Católica, na comunhão
dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição
da carne, na vida eterna. Amém.
• O primeiro artigo fala de Deus o criador do mundo
(contra os gnósticos);
• O segundo fala do Filho, concebido pelo poder do
Espírito Santo (contra os que negavam a divindade de
Jesus), que ele nasceu da virgem Maria (contra os que
negavam a humanidade de Jesus), padeceu sob
Pôncio Pilatos (Jesus era um personagem real,
histórico);
• fala também que a Igreja era católica, isto é, universal
e termina com a ressurreição do corpo (contra os
gnósticos)
• A fé genuína de entrega pessoal da lugar a uma fé
mental, do intelecto com um sistema rigoroso e
doutrina inflexível.
• Toda ênfase era dada à forma de crença, e não à vida
espiritual interna.
• As escolas de teológicas: destinadas as famílias pagãs
convertidos a fé cristã, logo viram centros de
investigação das doutrinas da igreja.
• Alexandria na Grécia
• Ásia Menor
• Cartago na África
Download
Random flashcards
Criar flashcards