O que é um antirretroviral?

Propaganda
EDIÇÃO PARA PROFESSORES
Em dia
com as
Número 4
CIÊNCIAS NATURAIS
Eduardo Canto
Autor de Ciências Naturais, aprendendo com o cotidiano – Editora Moderna
O que é um antirretroviral?
Antirretrovirais são usados no “coquetel antiaids” porque o HIV é um retrovírus.
Em abril de 2008, o medicamento antirretro­viral
tenofovir foi declarado de “interesse público” pelo
Ministério da Saúde. Isso visava a acelerar a análise
da patente que tramitava no Instituto Nacional de
Propriedade Industrial (INPI). A expectativa era
de que, a exemplo do que já havia acontecido nos
Estados Unidos, a patente fosse negada porque a
molécula da substância medicamentosa já era co­
nhecida, o que não caracteriza inventividade por
parte do fabricante. A negação permitiria a outros
laboratórios produzir o remédio, barateando o custo.
© 2014 Eduardo Leite do Canto (www.professorcanto.com.br) – Venda proibida
Em abril de 2007, outro antirretroviral,
o efavirenz, também foi declarado de “interesse
público”. Nesse caso, por outro motivo: permitir a
quebra da patente, o que também baratearia o custo.
O HIV consiste em RNA dentro de um envol­
tório. Quando o vírus entra em uma célula, o RNA
é liberado no citoplasma e uma enzima do vírus, a
transcriptase reversa, produz DNA a partir desse
RNA. Essa situação é o oposto do que normalmente
ocorre nas células, a síntese de RNA a partir de
DNA. Por isso, o HIV e os outros vírus que têm essa
característica são denominados retrovírus.
O DNA produzido entra no núcleo e se in­
corpora ao genoma da célula hospedeira do vírus.
A partir desse DNA, novos vírus são produzidos
utilizando a estrutura celular. Por causa da íntima
associação entre vírus e célula, é difícil conceber
um medicamento que atue sobre o vírus, mas não
sobre o hospedeiro. Difícil, mas não impossível. Uma
das linhas de pesquisa de medicamentos antivirais
está centrada na busca de substâncias que atuem
exclusivamente nas etapas da atividade celular que
produzem os novos vírus, mas não sobre os proces­
sos metabólicos normais do organismo hospedeiro.
O tenofovir e o efavirenz são medicamentos
antirretrovirais porque atuam contra retrovírus. A
montagem da molécula do DNA viral, sob ação da
transcriptase reversa, pode ser comparada à reunião
de contas de um colar, uma a uma. As contas con­
têm nucleosídeos, substâncias presentes na célula.
O tenofovir imita uma dessas contas e se incorpora
ao DNA em construção. Contudo, após essa incor­
poração, a transcriptase reversa não mais consegue
incorporar outras contas, e a síntese do DNA para.
O tenofovir é, por isso, considerado um inibidor nucleosídico da transcriptase reversa. Já o efavi­renz se
liga diretamente à molécula da enzima, atrapalhando
a sua a atuação. Ele é um inibidor não nucleosídico
da transcriptase reversa.
Um “coquetel antiaids” é composto por, pelo
menos, três medicamentos antirretrovirais, e pode
incluir o tenofovir e o efavirenz. Por isso, a preo­
cupação com o custo de tais medicamentos é tão
importante para o Programa Nacional de DST-Aids.
Só o tenofovir responde por 10% dos gastos com
remédios do programa. Ele é usado por 30 mil pa­
cientes no Brasil.
Vírus
adentrando
a célula
Membrana plasmática
RNA viral
Ação da transcriptase reversa
O tenofovir e o efavirenz
inibem essa etapa
DNA
viral
Núcleo
DNA viral
Instruções
para a
produção
de novos
vírus
Célula do sistema
imunitário suscetível
ao ataque do HIV
Novos
vírus
E isso tem a ver com...
• Vírus — 7o ano, cap. 12
• Glóbulos brancos — 8o ano, cap. 4
• Aids — 9o ano, cap. extra 3
Ciências Naturais, aprendendo com o cotidiano, 4 volumes, 4a edição.
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards