Evolução

Propaganda
Evolução
**/**
 Lamarck
- Lei do Uso e do Desuso
- Lei de transmissão dos caracteres adquiridos
Segundo o exemplo da girafa, Lamarck explicaria assim. De tanto usar seu pescoço, ele foi
crescendo, e assim essa característica foi crescendo. Essa seria a do uso, mas funcionaria
inversamente. Um homem de tanto usar seus músculos possui músculos maiores, e um que não
possui, perde seus músculos.
De início essa teoria parecia boa, mas depois passaram a criticá-la uma vez que o fato de um
homem ser musculoso não significa que seus descendentes vão possuir as mesmas
características.
 Charles Darwin 1850
SELEÇÃO NATURAL
VARIABILIDADE
ADAPTAÇÃO
Segundo Darwin, há muito tempo havia animais (girafas) de todos os tamanhos, mas ao chegar
competição (zebras), alguns acabaram morrendo. Apenas aqueles mais adaptados sobreviveram
e assim passaram essas características de adaptação aos seus descendentes.
Darwin explicou isso com diversos animais.
O que contribui para comprovar a teoria de Darwin é os fósseis. Ao analisar fósseis na África,
foram-se encontrando girafas com o pescoço comprido até certa profundidade. A partir daí, foram
sendo encontrados fósseis com pescoço de todos os tamanhos (variabilidade). O que comprova
a teoria de Darwin.
Se Lamarck estivesse certo, eles deveriam encontrar ao escavar girafas com pescoços cada vez
menores (gradação)
OBS: Um fóssil não é um osso real de um animal, mas sim, uma pedra com o formato de um
osso (o cálcio foi substituído por outros minerais)
O que Darwin não explicava?
A ORIGEM DA VARIABILIDADE GENÉTICA
A resposta para essa pergunta só foi encontrada muitos anos mais tardes, com a descoberta do:
DNA
Neo-darwinismo ou Teoria Sintética da Evolução
SELEÇÃO NATURAL
VARIABILIDADE
Mutação
ADAPTAÇÃO
Crossing-Over ou Permutação
 Exemplos da Teoria Darwinista
- O Pinguim Imperador ou Real
Antigamente, havia pingüins de todas as cores. Mas aqueles que possuíam pelugem negra no
dorso, ao nadarem, confundiam os predadores aéreos (pássaros) ao se parecerem com a cor
escura do fundo do mar. Ao mesmo, aqueles que possuíam pelugem branca no ventre, não eram
vistos pelos leopardos-marinhos que vivem no fundo do mar, por se camuflarem com a superfície
clara das águas. Assim os pingüins que possuíam essa combinação de cores sobreviveram e
passaram essas características aos seus descendentes, enquanto os outros menos adaptados
morreram.
- Pavão
Nos pássaros, as fêmeas são menos chamativas e barulhentas, pois elas que chocam os ovos, e
não podem atrair a atenção de predadores.
Já os machos são chamativos, pois precisam atrair a atenção das fêmeas, para poder então,
acasalar com ela.
Os pavões macho e fêmea eram presentes antigamente, em todas as cores. O macho colorido ao
longo do tempo sobreviveu, pois ser colorido era indicio de ser mais sadio. Aquele macho mais
colorido, naturalmente sobreviveu mais tempo, e assim ao ser escolhido pela fêmea acabou
tendo descendentes com essas características, que também eram mais sadios. Esses mais
adaptados se reproduziram.
Aquela fêmea que escolheu o macho menos chamativo, provavelmente acasalou com o macho
menos sadio, mais fraco, e assim não tiveram filhotes que sobreviveram.
O contrário aconteceu com as fêmeas. As mais feias sobreviveram, pois não foram comidas por
predadores enquanto chocavam os ovos; o que aconteceu com as coloridas.
- Avestruz
Parece uma
moita
Vê em
preto e
branco
Rente ao
chão para
esconder
cabeça e
pescoço
A história é a mesma, aqueles que abaixaram a cabeça por instinto, sobreviveram, enquanto os
outros foram mortos por predadores.
- Bactérias e Antibióticos
Bacilo do Koque – Tuberculose – variabilidade de bactérias
Alexander Flemming descobriu a penicilina – 1eiro antibiótico
- sem efeitos colaterais em cobaias
- cuidava de quase todas as bactérias
Mas hoje, muitas dessas bactérias ainda existem.
Hoje, se uma pessoa pega TB, o tratamento indicado é de antibiótico por 6 meses. No entanto,
grande parte das pessoas para o tratamento com 4 meses, quando já esta se sentindo bem; e
realmente, 99% das bactérias já morreram. Mas, o 1% que sobreviveu, são as mais resistentes, e
adaptadas àquele antibiótico. Assim essas se reproduzem, sendo resistentes ao mesmo
antibiótico. Logo os sintomas voltam, mas dessa vez será necessário um antibiótico ainda mais
forte, onde o mesmo, provavelmente acontecerá.
Nesse ciclo, bactérias cada vez mais resistentes são selecionadas, tanto que não existem hoje,
antibióticos para certos tipos de bactérias transmissoras de TB e de outras doenças.
 Camuflagem e Mimetismo
Mimetismo:
Quando um animal possui características que fazem com que ele se pareça (imite) outro ser
(plantas e animais)
Ex: lagarta de borboleta (imita uma cobra), bicho-folha, falsa coral (predadores com medo da
verdadeira), borboletas com olhos de coruja nas asas (corujas são carnívoras)
Camuflagem:
Quando um ser possui características que o ajudam a se misturar com o meio em que habita (o
ambiente)
Ex: pinguin, urso-polar, tigres, onças, sapos
 esses mais adaptados foram selecionados, enquanto os outros morreram.
 Homens e Mulheres
- “Sucesso do macho raro”
As fêmeas vão buscar aquele diferente/ aquele macho raro, pois esse instinto de aumentar a
variabilidade genética é segundo Darwin, o que irá garantir a sobrevivência da espécie.
“Os opostos se atraem” para aumentar a variabilidade genética
Mas no caso dos humanos, não foi somente o sucesso do macho raro, mas o da mulher rara, que
garantiu a sobrevivência da espécie, uma vez que os machos também “buscam” na nossa
espécie.
Por isso os brasileiros morenos se interessam pelas loiras, quanto os europeus loiros pelas
morenas raras.
 Estudos Comprovam – Instintos passados de nossos descendente
Homem
Mulher
Vai CAÇAR
Cada um fica num canto por causa das presas
 SILÊNCIO
VISÃO DE PROFUNDIDADE  visão focada
em um ponto e capaz de prever objetos a
longas distâncias, por isso conseguem dirigir a
altas velocidades
Suas mentes são como MAPAS  para se
localizarem nas matas e conseguirem voltar
para casa e alimentar seus descendentes
Fica na CAVERNA cuidando da prole
Divisão dos trabalhos e afazeres 
CONVERSAR E SOCIALIZAR
VISÃO PERIFÉRICA  necessária para coletar
e para cuidar de coisas a sua volta, por isso
conseguem ver apenas objetos a distâncias
próximas e ver o ambiente como um todo.
PERDIDA  por não precisarem sair das
cavernas, possuem pouca noção de direita e
esquerda e de localização.
 Tipos de Reprodução
Tipo de Reprodução
Sexuada
Assexuada
Características
Envolve gametas e é presente
em todos os reinos depois de
platelmintos (a partir de
nematelmintos)
É a mais comum devido ao
imenso número de bactérias.
Não envolve gametas e é
presente nos platelmintos,
poríferos, cnidários, roseiras e
nas bactérias.
Vantagens
VARIABILIDADE GENÉTICA
 maiores chances na
seleção natural a partir do
Com grande rapidez, basta
apenas um indivíduo.
crossing over
Desvantagem
Muito lenta, necessita de dois
indivíduos, cada qual com um
dos gametas.
MENOR VARIABILIDADE
GENÉTICA
 apenas aquelas geradas a
partir de mutações, sendo que
essas são geralmente ruins e a
maioria dos seres acabam
morrendo por causa dessas.
 Especiação – formação de espécies
Características:
- isolamento geográfico
- muito tempo – mutações
- isolamento reprodutivo – de modo que ao copularem com membros da espécie que o
originou, não produzam outros seres férteis (não serão da mesma espécie)
EX: URSO POLAR
Urso Pardo (mais antigos)  EVOLUÇÃO  Urso Polar (mais recentes)
No norte dos EUA, em meio às florestas escuras, alguns ursos pardos tiveram filhotes albinos.
Esses filhotes acabaram passando fome, uma vez que suas presas os viam, e fugiam. Mas ao
nevar, todos aqueles ursos pardos que conseguiram carregar suas reservas de energia iam
hibernar, enquanto os ursos albinos que não tinham se alimentado, precisavam caçar na neve.
Quando a neve começa a derreter, eles foram fugindo para o norte onde a neve branca os
possibilitava de caçar. Eles assim ficam isolados na neve.
Ao se reproduzirem, eles só se cruzavam entre eles (isolamento reprodutivo dos ursos polares)
Albino X Albino = Filhotes Albinos
Com o passar do tempo, muitas mutações foram ocorrendo e surge uma nova espécie de urso:
com caninos maiores para caçar focas, com maior retenção de gordura por causa das
temperaturas extremas e um melhor olfato para captar o cheiro de presas distantes.
Hoje o urso pardo e o polar são considerados espécies diferentes, pois ao copularem não
produzem descendentes ou não produzem seres férteis  espécies diferentes.
Assim sendo, o urso polar hoje, não consegue ter filhotes com o urso pardo, apesar de ter
originado dele.
 Migração Humana
O berço da humanidade é a África, pois os fosseis mais antigos datam na África.
 200 mil anos atrás – Homo sapiens – todos eram negros
Mais tarde eles foram para a Eurásia (100 mil anos atrás)
Para a Europa (40 mil anos atrás)
Para a Ásia (30 mil anos atrás)
100
m
40mil
m
il
14mil
il
Estreito
de
Bering
30mil
200mil
12mil
60mil
12mil
Mas claro que os primeiros europeus eram negros, e possuíam as características de
negros.
Como eles ficaram brancos e com narizes menores?
É muito mais fácil explicar segundo Lamarck, de que os europeus de tanto NÃO USAREM suas
peles para o sol, ficaram com elas claras,
Mas segundo Darwin:
Naturalmente precisamos tomar um pouco de sol:
Raios UV  Vitamina D  Fixação de cálcio
Os negros com muita melanina na pele precisam tomar muito sol para conseguir a vitamina D
necessária, e na África isso era possível para eles. Mas na Europa, com a menor radiação de
raios ultra-violetas, acabaria por fazer aqueles negros acostumados com grande quantidade de
sol, a terem problemas nos ossos gerados pela falta de fixação de cálcio.
Assim migraram para Europa, negros de peles escuras de tons diferentes. Aqueles com as peles
mais escuras tiveram problemas ósseos e morreram. Enquanto aqueles com peles um pouco
mais claras sobreviveram. Com o tempo, aqueles com as peles mais claras foram sendo
selecionados. Podemos ver isso geograficamente, onde os espanhóis e italianos possuem pele
um pouco mais morena do que os dinamarqueses e finlandeses, pois lá tem mais radiação solar
do que mais ao norte.
O mesmo aconteceu com o nariz:
Nariz maior – mais ar entra de uma vez
África com ar quente – ar quente entra no pulmão – sem problemas
Nariz maior na Finlândia
Mais ar entra – ar frio entra no pulmão – CHOQUE TÉRMICO – pneumonia
Mas porque os índios americanos possuem feições asiáticas, enquanto os índios
australianos possuem feições africanas?
Os índios americanos são descendentes daqueles asiáticos que eram negros, e ficaram
estacionados na África por tempo suficiente para perderem suas características africanas. Esses,
muitas gerações mais tarde, foram para a América.
Já os australianos são descendentes daqueles africanos que não estacionaram na Ásia, ou seja,
foram direto da África até a Austrália em poucas gerações.
No caso da Nova Zelândia, ocorreu o mesmo do que os índios americanos.
 Evolução da Vida na Terra
Homem – 200 mil anos
Angiospermas
100 milhões de anos
Peixes
Gimnospermas
Pteridófitas
Aves
450 milhões de anos
Anfíbios
Mamíferos
100
milhões de
anos
Répteis
Vertebrados
Briófitas
Invertebrados
Vegetais
Algas
Protozoários
Bactérias
Mutações
Primeiras Células
(2 bilhões de anos)
Coacervados (não é ser vivo, é um aglomerado de moléculas
complexas)
O universo possui cerca de 14 bilhões de anos (15), e surgiu a partir do Big Bang. Antes disso
não existia nada.
O planeta Terra tem cerca de 4,5 bilhões de anos.
No começo só havia moléculas que somente se chocavam entre si, até que algumas mais
complexas acabaram tendo seus núcleos fundidos, e ao se unirem, formaram as primeiras
células - bactérias. Essas células foram se reproduzindo e sofrendo mutações, dando origem aos
seres vivos de hoje
 A Extinção dos Dinossauros
- dinossauros existiram a cerca de 230 a 65 milhões de anos atrás – nunca chegaram a se
encontrar com os humanos.
 durante esse tempo houve uma sucessão de espécies, ou seja, não foram as mesmas
espécies que viveram ao longo de todo esse tempo.
Esses dinossauros não comiam frutas, uma vez que as angiospermas só surgiram há 100
milhões de anos. Talvez os mais recentes comiam, mas apenas os primeiros frutos, que eram
muito pequenos.
Há 65 milhões de anos atrás, um cometa relativamente pequeno, mas muito rápido atingiu a
superfície terrestre provavelmente no Golfo do México, com uma potência milhares de vezes
maior que uma bomba atômica. Muitos dinossauros morreram com o impacto do cometa.
Esse cometa levantou grandes quantidades de poeira, que cobriu a superfície e impediu que a
luz solar passasse. Logo a temperatura esfriou e muitos morreram de frio. Os que não morreram
de frio, morreram de fome, uma vez que as plantas, sem luz solar, morreram. Em questão de
meses todos os dinossauros morreram.
Com o tempo a poeira abaixou e as sementes e os esporos das plantas descongelaram. Assim, a
vegetação começa a brotar novamente. Simultaneamente, os 5% das espécies sobreviventes,
principalmente aqueles das profundezas marítimas, e pequenos roedores que se escondiam em
tocas, começaram a sair.
Esses roedores e animais marítimos, sem predadores puderam se multiplicar sem resistência, e
assim houve um boom de crescimento. Somente com toda essa variabilidade é que foi possível
selecionar roedores maiores, uma vez que antes havia dinossauros que comiam as outras
variações.
Nenhum homem vivenciou isso, mas podemos fazer essa teoria a partir de algumas fontes.
Primeiramente o fato de existir nas profundezas uma camada de dinossauros que de repente
somem. Em seguida uma camada sem nada, para depois encontrar uma cama de roedores em
grande variedade. Também há a cratera no Golfo do México e uma camada enterrada de irídio,
elemento muito comum em cometas.
 A adaptação dos répteis ao ambiente
1) Pele impermeável, seca, queratinizada para evitar perda d’água.
Os anfíbios com pele escamosa facilmente perdem água para o meio
2) Ovos com cascas calcária e os anexos embrionários para evitar a perda d’água.
Ovos gelatinosos de sapos secam fora da água.
3) fecundação interna – não depende da água para que os gametas se encontrem
Sapos ainda dependem da água para que os espermatozóides cheguem ao óvulo
4) Respiração somente pulmonar – não possuem respiração branquial ou cutânea
5) Excretam ácido úrico – pouco tóxico pode sair muito concentrado perto do ser vivo, mas não
perde água
 Quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha?
 AVE
R: O réptil descendente deu origem ao ovo de ave!
Há 100 milhões de anos atrás havia pequenos répteis bípedes. Eles acasalaram e tiveram, por
exemplo, 10 filhotes. 8 desses eram idênticos aos pais e 2 sofreram mutações, um deles possuía
pernas curtas e outro nasceu sem escamas.
Ao surgir um predador o primeiro a ser comido foi o de pernas curtas, já que não podia correr tão
rápido. O outro mutante poderia parecer mais frágil por não possuir escamas, mas exatamente
por isso, era mais leve e conseguia fugir do predador com maior facilidade. Logo esse sem
escamas começou a ter penugens.
O réptil com penugem, agora adulto se acasalou com répteis normais (pertenciam à mesma
espécie) e ao terem filhotes 50% eram normais, enquanto 50% possuíam penugens. Mas aqueles
com penugens eram mais adaptados pois conseguiam correr de predadores e atrás de presas
com mais rapidez; e assim eles sobreviveram e foram se reproduzindo.
Com o tempo, mutações foram ocorrendo e esses répteis com penugens variadas foram sendo
selecionados. Até que ocorreram tantas mutações que os répteis e esses com penas passaram a
pertencer a espécies diferentes. Surgem então as aves.
 Histórico de Darwin
- inglês, séc. XIX
- cursou medicina e teologia por causa do pai, mas acabou desistindo
- cursou Ciências Naturais
- Navegou no navio Beagle pelo mundo, até no Brasil, por 5 anos. Estudou a fauna e a flora dos
países tropicais, que eram muito diferentes das européias,
- No Arquipélago de Galápagos (Equador) – comiam carne de tartaruga
- Foram visitando as ilhas para conhecer os animais e plantas que só existiam em cada uma
- Um equatoriano comenta com Darwin a partir dos cascos de tartaruga no navio, que eles tinham
passado por ilhas diferentes – cascos diferentes para ilhas diferentes
 Variabilidade – variabilidade justificada com o meio em que a tartaruga habitava e o
que ela comia
Mas Darwin não pensou na sua teoria da evolução na viagem, pois ele não levou as tartarugas
de volta para a Inglaterra.
A mesma análise das diferentes características dos animais foi feita a partir dos Tendilhões que
possuíam bicos com formatos diferentes segundo os tipos de alimentos que comiam
Anos mais tarde ele publicou seu livro: A origem das espécies onde havia provas materiais
comprovando a evolução. Lá ele falava que o homem surgiu a partir da evolução de um ancestral
semelhante aos dos primatas.
Ele segurou a publicação de sua obra por 14 anos com medo da polêmica que geraria e da
contradição religiosa que vivia. Ele acabou publicando, pois um colega dele, o Wallace, ao viajar
pela Ásia, estava chegando às mesmas conclusões que ele.
Com a publicação da obra o mundo desabou na cabeça de Darwin
- falaram que ele matou Deus – acabou com a origem divina
- Deus não criou cada espécie como muitos achavam (a idéia de que tudo é fixo)
- críticos religiosos e jornalistas
- cientistas o apoiaram por causa das provas
A teoria de Darwin dependeu completamente de sua viagem no Beagle, mas o próprio capitão
disse que se soubesse que Darwin criaria idéias tão hereges, não o teria convidado para a
viagem.
 O Ser Humano
“O homem veio do macaco”  Darwin nunca disse isso!
Chimpanzé  homem  ERRADO
Ele disse que nós, os homens e os chimpanzés, viemos de um ancestral primata em comum!
Chimpanzé
Homem
Ancestral Primata
(fóssil)
- O dente do siso
O homem das cavernas não escovava os dentes e consequentemente na adolescência já teria
perdido todos os seus dentes. Mas a expectativa de vida deles era muito baixa, assim sendo,
aquele que possuísse uma mutação para ter mais 4 dentes mais tarde em sua vida, conseguiu
sobreviver por mais tempo e passar essa característica aos seus descendentes. Enquanto
aqueles que não possuíam, acabaram morrendo
- Apêndice
O nosso primata ancestral possuía um apêndice enorme que auxiliava na digestão de certas
plantas. Essas plantas entraram em extinção. Com o tempo, esse primata foi tendo filhotes,
alguns dos quais, com mutações genéticas. Aqueles que possuíam mutações para terem órgãos
vitais menores acabaram morrendo. Enquanto aquele que possuía a mutação para ter apêndice
menor, sobreviveu melhor, uma vez que pode economizar energia na formação de um órgão
inútil, tendo energia para outras funções.
- Sobrancelha
Proteção contra o suor que desce pela testa ajudava caçadores a enxergarem a presa sem o
incomodo.
- Glande Grande
Teoricamente a glande deveria ser menos para penetrar com maior facilidade. Mas se pensarmos
em evolução, quanto mais tempo um macho e uma fêmea ficarem juntos, maiores são as
chances de seus espermatozóide fecundar o óvulo e passar suas características aos seus
descendentes.
Esse é o caso do cachorro que fica literalmente grudado na fêmea por cerca de 30 minutos de
modo que as chances de seu espermatozóides serão maiores, uma vez que não haverá
competição com os espermatozóide de outro cachorro que copular logo depois.
Mas o homem não fica grudado, ele possui a cabeça do pênis grande, para que fosse possível
retirar os espermatozóides do macho anterior da vagina da mulher.
- Sexo Oral
Machos voltavam da caça querendo fazer sexo. Aqueles que faziam sexo oral antes percebiam
se elas tinham DSTs como gonorréia e sífilis. Enquanto os outros morriam por causa dessas
doenças.
 Órgãos Homólogos: Irradiação Adaptativa
Mesma origem embrionária --- 1 ancestral 
 vários descendentes

Ancestral
em comum
- anfíbio
Braço do
Homem
Pata da rã
Asa do
morcego
Nadadeira
do golfinho
Pata do
cavalo
1 ancestral anfíbio (400 milhões de anos) deu origem a todos esses
animais, uma vez que possuem os mesmos ossos
 Órgãos Análogos: Convergência Adaptativa
Mesma função, podendo ou não ser de mesma origem embrionária
Vários ancestrais  1 característica com função semelhante
Funções
semelhantes
Nadadeira do
golfinho
Nadadeira
de tartaruga
Nadadeira de
peixe
 Porque temos a impressão de que as mutações são sempre “dirigidas” no
sentido de melhorar o indivíduo?
R:
1eiro porque os homens não conseguem visualizar, imaginar, acontecimentos que aconteceram
há mais de alguns milhares de anos.
2ndo porque só vemos o 0,01% de mutações boas que sobreviveram e deixaram descendentes.
Todos os outros morreram sem deixar descendentes, e não vemos esses.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

Criar flashcards