software de sistema

Propaganda
Tipos de Software
Aluna: Sabrina Ferreira dos Santos
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – Campus
Presidente Epitácio
1
Sumário
Capítulo 1 – Introdução................................................................................................3
Capítulo 2 – Desenvolvimento do Tema......................................................................5
Capítulo 3 – Conclusões..............................................................................................10
Bibliografia...................................................................................................................11
2
Capítulo 1 – Introdução
Ainda não era o computador, mas, há décadas, os veículos de comunicação
envolvem o homem alterando-o ao meio em que vive, e a tendência lógica
seria a massificação dos meios de comunicação. A forma de recepção (dos
veículos de comunicação de massa), ou seja, a mensagem, viria se tornando
uma forma intrusa e intensa capaz de alterar a forma e a relação do homem
com seu meio. Os aparelhos eletrônicos passavam a desempenhar o papel
de elementos de alto poder de dominação e também, provocadores de
outros efeitos decorrentes dessa dominação.
Antigamente um programa de computador era um conjunto de instruções
de máquina, escritas, em geral, em código binário(linguagem de máquina),
que eram colocadas na memória do computador. Após isso, era disparado o
início do mesmo e o computador se encarregava de gerar resultados. Dessa
forma, o uso de um computador estava restrito a umas poucas pessoas que
conseguiam montar esses verdadeiros hieróglifos modernos e, ao mesmo
tempo, até por causa disso, tinham uma baixa produtividade. Foi nesse
contexto que apareceram as linguagens de Montagem e os Sistemas
Operacionais. Os primeiros permitiam que os programas de computadores
fossem escritos usando mnemônicos das instruções de máquina e que o
trabalho de processamento de programas deixasse de ser artesanal; um
programa se encarregaria de fazer todas essas tarefas antes realizadas
manualmente. Assim, nasciam os Sistemas Operacionais. Daí para frente,
com a própria evolução dos computadores, eles evoluíram, para melhor
aproveitar os novos recursos que as máquinas iam oferecendo.
A seguir, surgiram o que, na época, chamavam de linguagens de
programação de alto nível e seus correspondentes compiladores. As
linguagens eram chamadas assim, pois, no entendimento da época, a forma
de construção de soluções assemelhava-se à linguagem humana. Hoje,
3
pode-se afirmar, sem temor de erros, que se tratava apenas de uma forma
mais amena de lidar com a linguagem da máquina. Os compiladores eram
programas que se encarregavam de converter programas escritos nessas
linguagens, para programas escritos em linguagem de máquina. Com o
surgimento das Linguagens de Programação e os Compiladores, surgem os
programas-fontes, escritos numa linguagem de programação e, portanto,
compreensíveis, para quem conhece essa linguagem e os programas
executáveis, os quais, simplificando o processo, poderia-se dizer que eram
gerados pelos compiladores para serem executados pela máquina, e,
portanto, absolutamente incompreensíveis. Dentro das linguagens desse
tipo que atingiram um grande sucesso, encontram-se o FORTRAN, nas
aplicações técnocientíficas e o COBOL, nas aplicações administrativofinanceiras. O surgimento dessas linguagens permitiu que o campo de ação
dos computadores se expandisse significativamente, embora continuasse
restrito às grandes corporações públicas ou privadas. Foi nesta época que
surgiram, nas empresas e as grandes corporações que incorporaram o uso
de computadores nas suas atividades, os CPDs(Centros de Processamento
de Dados). Neste local, se fixavam os computadores e o pessoal envolvido
com eles, desde os operadores, passando pelos programadores e analistas,
que não eram outra coisa que programadores mais experientes. Os cursos
de computação inexistiam nessa época. Desta forma, pode-se concluir que
o uso de computadores era totalmente centralizado; os usuários eram
treinados para usar os novos sistemas elaborados desde os CPDs e
raramente podiam influir significativamente no seu modelo. Para serem
exatos, eles eram consultados no início do projeto e, após isso, os sistemas
de computação eram projetados e desenvolvidos segundo a concepção dos
analistas.
4
Capítulo 2 – Softwares
 Softwares de Sistemas
Um programa, desde sua criação em uma linguagem de alto nível, é
manipulado por um grande conjunto de outros programas que traduzem seu
código para linguagem de máquina e controlam sua execução no computador.
Este conjunto de programas recebe a denominação genérica de software de
sistema e é o objeto de estudo deste texto.
No desenvolvimento de programas, o software de sistema é extensamente
utilizado, com as várias etapas inter-relacionadas para a criação e execução de
um programa (Fig.). Tipicamente, esse relacionamento dá-se de forma
transparente para o programador.
Figura: Etapas para execução de programa.
Programas são usualmente descritos em linguagens de alto nível.
O compilador é o programa do sistema que traduz um programa descrito
através de uma linguagem de alto nível específica para um programa
equivalente em linguagem . Esse processo de tradução é denominado
compilação.
O montador é o programa do sistema responsável por traduzir um
programa para o código de máquina. Esse processo de tradução de um
5
programa-fonte para um programa em código de máquina é denominado
montagem; o resultado da montagem é um módulo objeto contendo pelo
menos o código binário que será posteriormente executado.
Programas complexos raramente são descritos através de um único arquivofonte, mas sim organizados em módulos objetos interrelacionados. Tais
módulos podem agregar funcionalidades da aplicação sendo desenvolvida ou
recursos comuns do sistema que devem ser integrados à aplicação. O
programa do sistema ligador é o responsável por interligar os diversos
módulos de um programa para gerar o programa que será posteriormente
carregado para a memória. Essa etapa de preparação de um programa para sua
execução é denominada ligação.
Para que um programa possa ser executado, seu código de máquina deve estar
presente na memória. O carregador é o programa do sistema responsável por
transferir o código de máquina de um módulo objeto para a memória e
encaminhar o início de sua execução. O processo de transferir o conteúdo de
um módulo objeto para a memória principal é denominado carregamento. A
execução de qualquer programa deve ser precedida por seu carregamento.
Outra classificação possível é:

Software de sistema : Seu objetivo é separar usuário e programador de
detalhes do computador específico que está sendo usado. O software do
sistema lhe dá ao usuário interfaces de alto nível e ferramentas que
permitem a manutenção do sistema. Inclui, entre outros:
Sistemas operacionais
Drivers
Ferramentas de diagnóstico
Ferramentas de Correção e Otimização
Servidores





6
 Software de Aplicativo
Na informática, um software aplicativo é um tipo de software concebido
para desempenhar tarefas práticas ao usuário para que este possa
concretizar determinados trabalhos. Esta característica distingue-o de
outros tipos de programas, como os sistemas operativos (que são os que
fazem funcionar o computador), as linguagens de programação (que
permitem criar os programas informáticos em geral) e os utilitários (que
realizam tarefas de manutenção ou de uso general).
O software é o equipamento intangível e lógico de um computador. O
hardware, por sua vez, é o suporte material e físico. Diz-se que os sistemas
operativos funcionam como um elo de ligação entre o software e o
hardware.
Os processadores de texto, as folhas de cálculo e as bases de dados são
software aplicativos, o que só vem confirmar que as
aplicações informáticas possibilitam a automatização de tarefas,
nomeadamente a contabilidade ou a redação de documentos.
Em certos casos, os softwares aplicativos são desenvolvidos por medida,
isto é, a pedido do usuário. Por isso, o software permite resolver um
problema específico. Noutros casos, trata-se de programas integrados que
resolvem problemas gerais e incluem várias aplicações. Por exemplo, um
programa (ou uma suíte) para escritório combina aplicativos como
processadores de texto e folhas de cálculo.
Convém destacar que o programa para escritório mais conhecido é o
Office, uma criação da Microsoft. Esta empresa, fundada em 1975 por Bill
Gates e Paul Allen, é a do ramo de software maior do mundo. A sua
atividade não se resume aos softwares aplicativos, uma vez que a empresa
também desenvolve o sistema operativo mais popular: o Windows.

Permite aos usuários executar uma ou mais tarefas específicas, em
qualquer campo de atividade que pode ser automatizado especialmente
no campo dos negócios. Inclui, entre outros:
 Aplicações de controle e sistemas de automação industrial.
 Aplicações de informática para o escritório.
7
Software educacional.
Software de negócios.
Banco de dados.
Telecomunicações.
Vídeo Games.
Software médico.
Software de calculo numérico e simbólico.







8
Software Livre
Software Livre, software de código aberto ou software aberto é
qualquer programa de computador cujo código-fonte deve ser
disponibilizado para permitir o uso, a cópia, o estudo e a redistribuição. O
conceito de livre ou aberto se opõe ao conceito de software restritivo
(software proprietário), mas não ao software que é vendido com intenção
de lucro (software comercial). Ao distribuir o software livre, o detentor dos
direitos deve escolher uma licença de software livre que normalmente é
anexada ao código-fonte. Esta licença informará quais os direitos que o
autor estará transferindo e quais as condições que serão aplicadas.
Software Proprietário
Software proprietário ou não livre é aquele cuja cópia, redistribuição ou
modificação são em alguma medida restritos pelo seu criador ou
distribuidor. A expressão foi cunhada em oposição ao conceito de software
livre.
O termo "proprietário" é uma tradução equivocada do inglês "proprietary",
que tem o sentido de "pertencente a um proprietário", "particular",
"registrado". Aplicando-se o termo a software, a tradução mais apropriada
talvez seria "patenteado".
Normalmente, a fim de que se possa utilizar, copiar, ter acesso ao códigofonte ou redistribuir, deve-se solicitar permissão ao proprietário, ou pagar
para poder fazê-lo: será necessário, portanto, adquirir uma licença.
Alguns dos mais conhecidos softwares proprietários são o Microsoft
Windows, o Microsoft Office, o RealPlayer, o Adobe Photoshop, o Mac
OS, o WinZip, algumas versões do Unix, entre outros.
9
Capitulo 3 – Conclusão
Software, logiciário ou suporte lógico é uma sequência de instruções a
serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redirecionamento ou
modificação de um dado/informação ou acontecimento. Software também é
o nome dado ao comportamento exibido por essa sequência de instruções
quando executada em um computador ou máquina semelhante além de um
produto desenvolvido pela Engenharia de software, e inclui não só o
programa de computador propriamente dito, mas também manuais e
especificações. Para fins contábeis e financeiros, o Software é considerado
um bem de capital.
10
Bibliografia
http://www.dca.fee.unicamp.br
http://pt.wikipedia.org
http://guia.mercadolivre.com.br
http://conceito.de
11
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards