síntese do novo testamento - Conselho das Igrejas de Nova Vida do

Propaganda
SÍNTESE DO NOVO TESTAMENTO
Conselho de Ministros das Igrejas de Nova Vida do Brasil
Prof: Pr. Marco Aurélio Correa, ThM.
SÍNTESE DO NOVO TESTAMENTO
O Novo Testamento é composto de 27(vinte e sete) livros, ordenados na seguinte disposição:
Mateus, Marcos, Lucas, João, Atos dos Apóstolos, Romanos, 1 e 2Coríntios, Gálatas, Efésios,
Filipenses, Colossenses, 1 e 2Tessalonicenses, 1 e 2Timóteo, Tito, Filemon, Hebreus, Tiago, 1 e
2Pedro, 1, 2 e 3João, Judas e Apocalipse.
Demonstraremos inicialmente uma sequência, em ordem cronológico da elaboração dos
livros neo-testamentários e seus respectivos autores, segundo a Bíblia de Estudo de Genebra, 2ª.
Edição Revisada e Ampliada – Editora Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil.
44 - 62 d.C. – Epístola de Tiago – autor: Tiago, o irmão de Jesus
49 - 55 d.C. – Epístola aos Gálatas – autor: apóstolo Paulo
50 - 51 d.C. – 1 Epístola aos Tessalonicenses – autor: apóstolo Paulo
50 - 52 d.C. – 2 Epístola aos Tessalonicenses – autor: apóstolo Paulo
55 d.C. – Epistola de 1Coríntios – autor: apóstolo Paulo
55 d.C. – Epístola de 2Coríntios – autor: apóstolo Paulo
55 - 57 d.C.- Epístola aos Romanos – autor: apóstolo Paulo
58 - 65 d.C. – Evangelho de Lucas – autor: Lucas
60 - 62 d.C. – Epístola aos Efésios – autor: apóstolo Paulo
60 d.C. – Epístola aos Colossenses – autor: apóstolo Paulo
60 d.C. – Epístola a Filemon – autor: apóstolo Paulo
60 - 64 d.C. – Atos dos Apóstolos – autor: Lucas
60 - 68 d.C. – 1Epístola de Pedro – autor: apóstolo Pedro
61 d.C. – Epístola aos Filipenses – autor: apóstolo Paulo
62 – 64 d.C. – 1 Epístola a Timóteo – autor: apóstolo Paulo
62 – 64 d.C. – Epístola a Tito – autor: apóstolo Paulo
64 – 68 d.C. – 2 Epístola à Timóteo – autor: apóstolo Paulo
64 - 67 d.C. – Epístola de Judas – autor: Judas(irmão de Jesus)
65 - 67 d.C. – 2Epístola de Pedro – autor: apóstolo Pedro
62 - 69 d.C. – Evangelho de Marcos – autor: João Marcos
66 a 96 d.C. – Apocalipse – autor: apóstolo João
70 d.C. – Epístola aos Hebreus – autor: desconhecido
80-90 d.C. – 3Epístola de João – autor: apóstolo João
85 -90 d.C. – Evangelho de João – autor: apóstolo João
85-95 d.C – 1Epístola de João – autor: apóstolo João
85-95 d.C. – 2Epístola de João – autor: apóstolo João
80 – 100 d.C. – Evangelho de Mateus – autor: Mateus
ESBOÇO E RESUMO DE CADA LIVRO DO NOVO TESTAMENTO
EVANGELHO DE MATEUS
AUTOR: Mateus, também conhecido como Levi.
DATA: 60-65 d.C. (aproximadamente)
PÚBLICO ALVO: Especialmente para os judeus
PROPÓSITO: Provar que Jesus é o Messias, o Rei Eterno e inspirar os cristãos ao serviço grato
e fiel de promover o reino de Deus ao apresentar Jesus como o tão esperado rei e apresentar o
reino que ele trouxe como o cumprimento do plano da redenção de Deus.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Jesus cumpriu as Escrituras do A.T.; Jesus é o Rei prometido (o
Messias); Enquanto esteve aqui na terra, Jesus inaugurou o reino de Deus; Os seguidores de
Jesus devem espalhar o reino a todas as nações; Os seguidores de Jesus sofrerão, mas Jesus
está sempre com eles; Quando retornar, Jesus completará o reino de Deus. Um dos temas centrais
de Mateus é o reino de dos céus. Observe os ensinamentos de Jesus sobre o que significa ser
cidadão desse reino.
PANORÂMA: Mateus era um judeu, coletor de impostos, que se tornou um dos discípulos de
Jesus. O evangelho de Mateus estabelece um relação entre o Antigo e o Novo Testamento, por
causa da ênfase que dá ao cumprimento das profecias messiânicas.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: O livro de Mateus é repleto de expressões messiânicas
(por exemplo, “Filho de Davi” é usado diversas vezes) e de textos do A.T.(são 53 citações e outras
76 referências). Esse evangelho não contém um relato cronológico, seu propósito é apresentar a
evidência de que Jesus é o Messias, o Salvador.
PESSOAS-CHAVE: Jesus, Maria, José, João Batista, os discípulos, os líderes religiosos, Caifás,
Pilatos, Maria Madalena.
LUGARES-CHAVE: Belém, Jerusalém, Cafarnaum, Galiléia, Judéia.
VERSÍCULO-CHAVE: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar, mas
cumprir” (5.17)
ESBOÇO:
A. O NASCIMENTO E A PREPARAÇÃO DE JESUS, O REI (1.1 – 4.11)
B. A MENSAGEM E O MINISTÉRIO DE JESUS, O REI (4.12 – 25.46)
1. Jesus inicia seu ministério
2.
3.
4.
5.
Jesus profere o Sermão do Monte
Jesus realiza muitos milagres
Jesus ensina sobre o Reino
Jesus encontra diferentes reações a seu ministério
6. Jesus enfrenta conflitos com os líderes religiosos
7. Jesus ensina no monte das Oliveiras
C. A MORTE E RESSURREIÇÃO DE JESUS, O REI (26.1 – 28.20)
EVANGELHO DE MARCOS
AUTOR: João Marcos, filho de uma viúva de Jerusalém, cuja casa era local de reuniões dos
primeiros crentes (At. 12.12). Ele não foi um dos doze apóstolos, mas acompanhou Paulo em sua
primeira viagem missionária (At 13.13). Marcos talvez tenha registrado os acontecimentos
enquanto os ouvia em primeira mão do discípulo Pedro.
DATA: Entre 55 e 65 d.C.
PÚBLICO ALVO: Aos cristãos em Roma, local onde escreveu o Evangelho.
PROPÓSITO: Apresentar as boas-novas de Jesus a um público essencialmente gentio por meio
da narração do testemunho dos discípulos a respeito dos fatos notáveis sobre a vida, a morte e a
ressurreição de Cristo. O império Romano, a principal potência mundial da época, havia começado
a perseguir os cristãos, e Marcos queria encorajar os crentes sofredores. Ele mostrou Jesus como
o servo sofredor que veio para morrer. Também o apresentou como Salvador de todo o mundo,
incluindo tanto romanos quanto judeus.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Jesus era o aguardado Messias de Israel, Jesus se revelou de
modo especial aos seus doze discípulos; Jesus demonstrou que era o Filho divino de Deus; Jesus
resistiu ao reconhecimento público para sofrer e morrer em favor do seu povo; Jesus mostrou-se
muito interessado em estender a salvação aos gentios; a expansão das boas-novas acerca de
Jesus exerce poder sobre o mal.
PANORÂMA: O Império Romano durante o reinado de Tibério César, um vez que, nessa época,
havia uma única língua e excelentes sistemas de transporte e comunicação; havia boas condições
para as pessoas receberem a mensagem de Jesus, que foi rapidamente divulgada de uma nação
a outra.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: O Evangelho de Marcos foi provavelmente, o primeiro a
ser escrito. Nele há 31 versículos a mais, relativos a outros milagres que não foram relatados nos
demais evangelhos.
PESSOAS-CHAVE: Jesus, os doze discípulos, Pilatos e os líderes religiosos judeus.
LUGARES-CHAVE: Cafarnaum, Nazaré, Cesaréia de Filipe, Jericó, Betânia, monte das Oliveiras,
Jerusalém, Gólgota.
VERSÍCULO CHAVE: “Porque o Filho do Homem também não veio para ser servido, mas para
servir e dar a sua vida em resgate de muitos.” (10.45)
ESBOÇO:
A. O NASCIMENTO E A PREPARAÇÃO DE JESUS, O SERVO. (1.1-13)
B. A MENSAGEM E O MINISTÉRIO DE JESUS, O SERVO. (1.14 – 13.37)
1. O ministério de Jesus na Galiléia
2. O ministério de Jesus fora da Galiléia
3. O ministério de Jesus em Jerusalém
C. A MORTE E A RESSURREIÇÃO DE JESUS, O SERVO. (14.1 – 16-20)
EVANGELHO DE LUCAS
AUTOR: Lucas, um médico grego, um cristão gentio (Cl 4.14). Ele é o único autor gentio
conhecido no Novo Testamento. Lucas era um companheiro e amigo íntimo de Paulo. Ele também
escreveu Atos; os dois livros estão em harmonia.
DATA: Por volta de 60 d.C.
PÚBLICO ALVO: Teófilo (“aquele que ama a Deus”), os gentios, as pessoas em toda parte.
PROPÓSITO: Apresentar um relato fiel e organizado visando estabelecer os fatos a respeito do
ministério de Jesus e sua importância para a história da salvação, além de fornecer parâmetros
para a igreja em sua pregação de arrependimento e perdão em nome de Jesus para todas as
nações. Lucas amplia a história de Jesus. Encontramos novas informações em Lucas e vemos
Jesus de um novo ângulo. De todos os evangelistas, Lucas apresenta a maior variedade de
ensinos, parábolas e acontecimentos da vida de Jesus. Também vemos a perspectiva do próprio
Lucas nos episódios que registrou – por exemplo, nas histórias que demonstram o interesse de
Jesus pelo mundo não-judeu e pelos pobres.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Jesus era o Messias de Israel; Jesus trouxe o reino de Deus;
Jesus controlou conscientemente os acontecimentos de sua vida com o objetivo de cumprir o seu
ministério e entregar a si mesmo como oferta pelo pecado, por meio da crucificação; os fatos do
evangelho são verificáveis historicamente; Jesus Cristo nasceu, foi crucificado e sepultado,
ressuscitou da morte e ascendeu aos céus; a salvação está disponível a todas as pessoas, fez
inclusive aos menos privilegiados socialmente. Portanto, os cristãos devem receber e honrar todos
aqueles que se entregam a Cristo; a oração é uma parte muito importante na vida de todos os
cristãos.
PANORÂMA: Roma ou Cesaréia.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Este é o mais completo dos Evangelhos. O vocabulário e
o estilo demonstram que o autor era letrado. Ele fez muitas referências e enfermidades e
diagnósticos. Lucas enfatizou o relacionamento de Jesus com as pessoas, a oração, os milagres;
registrou a participação dos anjos no episódio do nascimento do Messias e inspirados hinos de
louvor; deu um lugar proeminente às mulheres. A maior parte do texto em Lucas (9.51 – 18.35)
não é encontrada nos outros Evangelhos.
PESSOAS-CHAVE: Jesus, Isabel, Zacarias, João Batista, Maria, os discípulos, Herodes o Grande,
Pilatos e Maria Madalena.
LUGARES-CHAVE: Belém, Galiléia, Judéia e Jerusalém.
VERSÍCULO-CHAVE: “E disse-lhe Jesus: Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é
filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (19.9-10).
ESBOÇO:
A. O NASCIMENTO E A PREPARAÇÃO DE JESUS, O SALVADOR (1.1 – 4.13)
B. A MENSAGEM E O MINISTÉRIO DE JESUS, O SALVADOR (4.14 – 21.38)
1. O ministério de Jesus na Galiléia
2. O ministério de Jesus a caminho de Jerusalém
3. O ministério de Jesus em Jerusalém
C. A MORTE E A RESSURREIÇÃO DE JESUS, O SALVADOR (22.1 – 24.53)
EVANGELHO DE JOÃO
AUTOR: João, filho de Zebedeu e irmão de Tiago, o apóstolo apelidado de “filho do trovão”. Um
dos doze discípulos originais de Cristo.
DATA: 85-90 d.C.
PÚBLICO ALVO: Novos cristãos e não cristãos.
PROPÓSITO: Apresentar a vida de Jesus de tal modo que os incrédulos possam ir a Ele pela fé e
os cristãos possam desenvolver sua fé em Cristo como o Messias e o Filho de Deus que desceu
do céu e comprovar que Jesus é o Filho de Deus e que todo aquele que nEle crê tem a vida eterna.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Jesus é o Verbo divino que veio do céu e se tornou carne; Jesus
veio para os judeus, mas apenas uns poucos o receberam; Jesus realizou muitos milagres
públicos, demonstrando que era o Messias, o Filho de Deus; Jesus ensinou que a salvação está
exclusivamente nEle.
PANORÂMA: Escrito depois da destruição de Jerusalém, em 70 d.C., antes do exílio de João na
ilha de Patmos. João estava em Éfeso, cidade correspondente à atual Turquia.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Dos oito milagres registrados, seis são singulares (em
relação aos outros Evangelhos) para João, como, por exemplo, o “Sermão no Cenáculo” (14-17).
Mais de noventa por cento do livro de João é singular; não contém uma genealogia ou qualquer
registro do nascimento de Jesus, sua infância, tentação, transfiguração, escolha dos discípulos ou
qualquer relato sobre as parábolas de Jesus, a ascensão ou a Grande Comissão. João registra
sete milagres, culminando na ressurreição de Jesus, que ele considera a prova de que Jesus é o
Filho de Deus. João também registra vários sermões de Cristo não encontrados nos outros
evangelhos (caps. 6, 10, 13-16), os quais explicam o propósito da vida de Jesus.
PESSOAS-CHAVE: Jesus, João Batista, os demais discípulos, Maria, Mart, Lázaro, a mãe de
Jesus, Pilatos e Maria Madalena.
LOCAIS-CHAVE: Interior da Judéia, Samaria, Galiléia, Betânia e Jerusalém.
VERSÍCULO-CHAVE: “Jesus, pois, operou também, em presença de seus discípulos, muitos
outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais
que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome” (20.30,31).
ESBOÇO:
A. O NASCIMENTO E A PREPARAÇÃO DE JESUS, O FILHO DE DEUS (1.1 – 2.12)
B. A MENSAGEM E O MINISTÉRIO DE JESUS, O FILHO DE DEUS (2.13 – 12.50)
1. Jesus encontra fé e incredulidade entre o povo
2. Jesus enfrenta conflito com os líderes religiosos
3. Jesus enfrenta acontecimentos cruciais em Jerusalém
C. A MORTE E A RESSURREIÇÃO DE JESUS, O FILHO DE DEUS (13.1 – 21.25)
1. Jesus ensina seus discípulos
2. Jesus completa sua missão
ATOS DOS APÓSTOLOS
AUTOR: Lucas, um médico gentio e companheiro de Paulo.
DATA: 63-70 d.C.
PÚBLICO ALVO: Teófilo e todos os que amam a Deus.
PROPÓSITO: Fornecer um relato preciso do nascimento e crescimento da igreja cristã e orientar
a igreja em sua missão permanente por meio do relato de como o Espírito Santo capacitou os
apóstolos para propagar o testemunho de Cristo ao mundo gentio. A Igreja de hoje, às vezes
perseguida, ridicularizada ou até mesmo desprezada, com frequência necessita de incentivo. O
livro de Atos lembra-nos de que, apesar dos desafios atuais, a igreja pode permanecer viva e
saudável. Atos mostra como o avivamento e o crescimento da igreja resultam não do esforço
humano, mas do poder do Espírito Santo.
VERDADES FUNDAMENTAIS: As testemunhas de Cristo são capacitadas pelo Espírito Santo; as
testemunhas de Cristo devem ir até aos confins da Terra; as testemunhas de Cristo sofrem
perseguições e as testemunhas de Cristo estabelecem igrejas para que a missão possa ter
continuidade.
PANORÂMA: Atos é o elo entre a vida de Cristo e o da Igreja, entre os Evangelhos e as epístolas.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: O livro de Atos é uma continuação do Evangelho de
Lucas. É possível que Atos termine abruptamente por Lucas ter planejado escrever um terceiro
livro, em que daria continuidade à história. Lucas escreveu como historiador, para narrar o que
aconteceu após a ressurreição. Atos é o segundo volume das Boas Novas – a continuação dos
evangelhos.
PESSOAS-CHAVE: Pedro, João, Tiago, Estevão, Filipe, Paulo, Barnabé, Cornélio, Tiago (irmão
de Jesus), Timóteo, Lídia, Silas, Tito, Apolo, Ágape, Ananias, Félix, Festo, Agripa e Lucas.
LUGARES-CHAVE: Jerusalém, Samaria, Lida, Jope, Antioquia, Chipre, Antioquia da Pídia, Icônia,
Listra, Derbe, Filipos, Tessalônica, Beréia, Atenas, Corinto, Éfeso, Cesaréia, Malta e Roma.
VERSÍCULO-CHAVE: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós: e serme-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da
terra”(1.8).
ESBOÇO:
A. O MINISTÉRIO DE PEDRO (1.1 – 12.25)
1. O estabelecimento da Igreja
2. A expansão da Igreja
B. O MINISTÉRIO DE PAULO (13.1 – 28.31)
1. A primeira viagem missionária
2. O concílio de Jerusalém
3. A segunda viagem missionária
4. A terceira viagem missionária
5. O julgamento de Paulo
EPÍSTOLA DE PAULO AOS ROMANOS
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: Provavelmente em 57 d.C., em Corínto, quando Paulo preparava sua visita a Jerusalém.
PÚBLICO ALVO: Os cristãos em Roma e em todo o mundo.
PROPÓSITO: Apresentar a mensagem do evangelho de Paulo aos crentes em Roma, e explicar
como esse evangelho corrige as divisões entre os crentes judeus e os crentes gentios. Essa
epístola oferece uma das expressões mais claras da fé cristã, tratando de grandes questões como
fé e obras ou lei e graça de forma vívida e prática. A leitura desse livro tem sido um ponto de
transição para muitos. Ela ajudou Martinho Lutero a descobrir que somente a fé justifica,
produzindo assim a Reforma. Mais tarde os comentários de Lutero acerca de Romanos fizeram
com que o coração de João Wesley ficasse “estranhamente aquecido”, desencadeando outro
reavivamento.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Judeus e gentios são pecadores sob o juízo divino; Judeus e
gentios recebem a justificação somente mediante a fé, à parte das obras; a santificação, que
conduz à glorificação, ocorre mediante a dependência do Espírito Santo; Judeus e gentios
exercem papéis interconectados na História; os cristãos judeus e gentios devem aprender a aplicar
o evangelho à vida prática. Grandes temas como fé, graça, justiça e justificação. Fundamentos e
ensinos vitais sobre a fé- nos primeiros onze capítulos. Depois, nos cinco últimos capítulos,
implicações práticas da fé – como os ensinos se aplicam à vida diária.
PANORÂMA: Aparentemente Paulo havia terminado seu trabalho no Oriente e planejava visitar
Roma, antes de seguir para a Espanha, depois de ter levado uma oferta aos irmãos em Cristo que
passavam necessidades em Jerusalém (At 15.23-28).
A igreja cristã romana era formada
principalmente por judeus, mas também tinha um grande número de gentios.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: A carta de Paulo aos Romanos foi apresentada como um
tratado organizado bem fundamentado de sua fé; não tem o formato típico de uma epístola, exceto
pela forma como o apóstolo se despediu, saudando vários irmãos romanos.
PESSOAS-CHAVE: Paulo e Febe.
LUGARES-CHAVE: Roma.
VERSÍCULO-CHAVE: “Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor
Jesus Cristo”(5.1)
ESBOÇO:
A. EM QUE ACREDITAR (1.1 – 11.36)
1. A pecaminosidade do homem
2. O perdão dos pecados por intermédio de Cristo
3. A libertação dos grilhões do pecado
4. O passado, o presente e o futuro de Israel
B. COMO DEVEMOS NOS COMPORTAR (12.1 – 16.27)
1. Responsabilidade pessoal
2. Observações pessoais
1ª EPÍSTOLA DE PAULO AOS CORÍNTIOS
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 55 d.C. próximo ao fim do ministério de três anos de Paulo em Éfeso, durante sua terceira
viagem missionária.
PÚBLICO ALVO: A igreja de Corínto, importante cidade comercial da Grécia e aos cristãos de todo
o mundo.
PROPÓSITO: Identificar problemas na igreja de Corinto, oferecer soluções e ensinar aos crentes
como viver para Cristo em uma sociedade corrupta. Combater a rebeldia, as divisões e a falta de
amor que tinham sido causadas pelo orgulho e pela presunção na igreja de Corínto. Poucas partes
da Escritura revelam a humanidade dos cristãos de maneira tão vívida como esse livro. Alguns
outros temas são: como se deve lidar com uma sociedade obcecada pelo sexo, quando o divórcio
é justificado e quando os cristãos podem e não podem ir à justiça. Nesse processo, verá como a
igreja pode causar impacto no mundo de hoje.
VERDADES FUNDAMENTAIS: A igreja deve estar unida, não dividida; Como o seu modelo de
sabedoria, os cristãos devem olhar para Deus, não para o mundo; Tanto a disciplina como o
julgamento eclesiásticos apropriados asseguram a paz e a pureza da igreja; A liberdade cristã
deve ser exercida de tal maneira que proteja aqueles que são fracos na fé; A adoração e o
exercício dos dons espirituais devem respeitar e honrar a Deus e aos irmãos em Cristo; A realidade
da ressurreição corpórea futura dos crentes é uma parte essencial do evangelho.
PANORÂMA: Corínto era uma grande cidade cosmopolita, possuía um porto e era o principal
centro de comércio – a cidade mais importante da Acaia. Havia muita idolatria e imoralidade. A
igreja era, em sua maioria, composta de gentios. Paulo estabeleceu esta igreja em sua segunda
viagem missionária. Dois ou três anos depois de deixar a igreja que havia iniciado em Corínto,
Paulo ouvir notícias inquietantes: conflitos e divisões estavam ameaçando seriamente a jovem
igreja. Alguns crentes haviam se tornado espiritualmente arrogantes, causando outros problemas
como conduta imprópria na área sexual, ofensas contra outros irmãos, abusos dos dons espirituais
e equívocos acerca de ensinamentos cristãos básicos. Paulo escreveu buscando recuperar o
equilíbrio da igreja.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Esta é uma carta direta e marcante. Paulo ofereceu aos
coríntios algo de que precisavam: conselhos honestos. Observe as informações diretas e práticas,
relevantes para a vida cristã e os relacionamentos na igreja. Aqui se encontra grande parte do
que a Bíblia tem para dizer sobre os dons espirituais. A carta também traz palavras edificantes
sobre o amor (cap. 13) e sobre a ressurreição (cap. 15).
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Timóteo e membros da casa de Cloe.
LUGARES-CHAVE: Corínto.
VERSÍCULO-CHAVE: “Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que
digais todos uma mesma coisa e que não haja entre vós dissenssões; antes, sejais inteiramente
unidos, em um mesmo sentido e um mesmo parecer” (1.10)
ESBOÇO:
A. PAULO TRATA DOS PROBLEMAS DA IGREJA (1.1 – 6-20)
1. Divisões na igreja
2. Desordem na igreja
B. PAULO RESPONDE ÀS PERGUNTAS DA IGREJA (7.1 – 16.24)
1. Instruções acerca do casamento cristão
2. Instruções acerca da liberdade cristã
3. Instruções acerca da adoração pública
4. Instruções acerca da ressurreição
2ª EPÍSTOLA DE PAULO AOS CORÍNTIOS
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 55-57 d.C. , da Macedônia
PÚBLICO ALVO: À Igreja em Corínto e aos cristãos de todo o mundo.
PROPÓSITO: Lutas internas haviam assolado a igreja de Corínto. Paulo escreveu para acalmar
os ânimos, restaurar a unidade da congregação e reafirmar o seu papel de líder. Expressar carinho
e gratidão pelo arrependimento que houve em Corínto e encorajar uma maior lealdade a Paulo
como um apóstolo de Cristo e refutar os falsos mestres.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Os cristãos deveriam se sentir consolados e encorajados com o
cuidado de Deus em meio ao sofrimento; O poder de Deus é manifestado por meio da fraqueza
humana; A nova aliança em Cristo cumpre gloriosamente as expectativas da antiga aliança; Os
cristãos devem ajudar a suprir as necessidades materiais uns dos outros.
PANORÂMA: Paulo escreveu quatro cartas aos Coríntios (duas estão atualmente perdidas). Em
1 Coríntios (a segunda destas cartas), ele usou palavras fortes para corrigir e ensinar. A maior
parte da igreja respondeu do modo esperado, porém existiam aqueles que estavam negando a
autoridade de Paulo e questionando seus propósitos.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Esta é uma carta autobiográfica e extremamente pessoal.
Entre as principais questões estão: como tratar de dissensões na igreja, os falsos ensinos, a
liderança eclesiásticas e os dilemas singulares dos cristãos no mundo. Outras questões são as
que tratam do sustento financeiro da igreja e dos pobres.
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Timóteo, Tito e os falsos mestres.
LUGARES-CHAVE: Corinto e Jerusalém.
VERSÍCULO-CHAVE: “De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por
nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus”. (5.20)
ESBOÇO:
A. Paulo explica suas ações (1.1 – 2.11)
B. Paulo defende seu ministério (2.12 – 7.16)
C. Paulo defende a oferta (8.1 – 9.15)
D. Paulo defende sua autoridade (10.1 – 13.14)
EPÍSTOLA DE PAULO AOS GÁLATAS
AUTOR: Apóstolo Paulo
DATA: 49 d.C. em Antioquia, e antes do Concílio de Jerusalém (no ano 50 d.C.)
PÚBLICO ALVO: As igrejas do Sul da Galácia fundadas na primeira viagem missionária de Paulo
(Incluindo Icônio, Listra e Derbe) e os cristãos de toda parte.
PROPÓSITO: Refutar os judaizantes (que ensinavam que os crentes gentios deveriam obedecer
à lei judaica a fim de se salvarem) e conclamar os cristãos à fé e à liberdade em Cristo. Gálatas
adverte quanto a misturar o legalismo e as obras humanas com o puro evangelho. Essa carta
apresenta aditivos espirituais artificiais e seus efeitos nocivos. Oferece um exame de saúde
espiritual – uma clara exposição do que significa ser salvo pela fé.
VERDADES FUNDAMENTAIS: A justificação diante de Deus ocorre exclusivamente pela fé; A
santificação na vida diária é operada pela fé, por meio do poder do Espírito; Podemos confiar na
mensagem de Paulo, de que a salvação é pela fé e não depende das obras; O evangelho da
salvação pela fé é ensinado ao longo de toda a Escritura; O legalismo nos faz desviar de Cristo e
nos leva ao fracasso e ao julgamento; Libertar-se do legalismo é a liberdade de viver para Cristo
por meio do Espírito; e a Salvação eterna é exclusiva daqueles que creem no verdadeiro evangelho
e vive de acordo com ele.
PANORÂMA: A controvércia mais urgente na Igreja Primitiva era o relacionamento entre os novos
crentes, particularmente os gentios, e as leis judaicas. Esse era especialmente um problema para
os controvertidos e para as jovens igrejas que Paulo havia fundado em sua primeira viagem
missionária. Paulo escreveu para corrigi-lo. Mais tarde, no Concílio de Jerusalém, esse conflito
foi oficialmente esclarecido pelos líderes da igreja.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Esta carta não foi dirigida a nenhum grupo restrito de
crentes, ela provavelmente circulou por diversas igrejas da Galácia. Para denunciar e corrigir os
falsos ensinos que se tinham infiltrado nas igrejas que Paulo e Barnabé haviam fundado. Os falsos
mestres insistiam em que os cristãos gentios observassem as leis cerimoniais dos judeus. Paulo,
sentindo ele mesmo os ataques desses mestres, também escreveu para defender a integridade
como apóstolo e para reafirmar o seu amor aos gálatas.
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Pedro, Barnabé, Tito, Abraão e os falsos mestres.
LUGARES-CHAVE: Galáica e Jerusalém.
VERSÍCULOS-CHAVE: “Estais, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não torneis
a meter-vos debaixo do jogo da servidão.” (5.1)
ESBOÇO:
A. A autenticidade do evangelho (1.1 – 2.21)
B. A superioridade do evangelho (3.1 – 4.31)
C. A liberdade do evangelho (5.1 – 6.8)
EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS
AUTOR: Apóstolo Paulo
DATA: 60 d.C., durante o período em que Paulo esteve preso em Roma.
PÚBLICO ALVO: A igreja de Éfeso e aos crentes de toda parte.
PROPÓSITO: Fortalecer a fé cristã dos crentes de Éfeso e explicar a natureza e o propósito da
igreja, o corpo de Cristo. Para incentivar os crentes em Éfeso (cidade da atual Turquia) a pensar
sobre si mesmos de modo inteiramente novo. Em vez de pessoas anteriormente envolvidas com
o culto aos ídolos, com sexo ilícito e com filosofias insensatas, Paulo queria que pensassem em
sí mesmas como pessoas “em Cristo” – pessoas com identidade radicalmente nova (2.12,13).
VERDADES FUNDAMENTAIS: A igreja havia recebido bênçãos maravilhosas pela sua união com
Cristo; A igreja foi levada da morte para a vida em Cristo; A igreja se estenderá mundialmente com
judeus e gentios unidos em Cristo; A igreja deve baralhar pela unidade em Cristo; A igreja deve
viver nos caminhos de Cristo, não retornar aos caminhos do mundo pecador; e A igreja deve
buscar em Cristo forças ara o combate espiritual.
PANORÂMA: Esta carta não foi escrita para enfrentar qualquer heresia ou problema nas igrejas.
Foi enviada por Tíquico para fortalecer e encorajar as igrejas daquela região. Paulo havia passado
três anos na igreja em Éfeso; portanto, era muito amigo de seus membros. Paulo encontrou-se
com os anciãos da Igreja em Éfeso, em Mileto (At 20.17-38) – um encontro permeado de grande
tristeza. É que Paulo acreditava estar visitando seus companheiros talvez pela última vez. Como
não, existem referências específicas a pessoas ou problemas nessa igreja e pelo fato de as
palavras “em Éfeso” (1.1) não estarem presentes nos manuscritos mais antigos, é possível que
Paulo tivesse a intenção de enviar uma carta circular para ser lida em todas as igrejas daquela
região.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Essa carta responde à pergunta que homens e mulheres
formulam em todas as épocas: “Por que estou aqui?”. A resposta pode surpreendê-lo,
considerando as ideias mais comuns que se ouvem nos programas de entrevistas da TV. Essa
resposta relaciona-se à eternidade, a fazer as pazes com Deus e a identificar-se com Cristo.
Várias imagens da igreja são apresentadas: corpo, templo, mistério, novo homem, noiva e sodado.
Provavelmente esta carta foi distribuída a várias congregações da Igreja Primitiva.
PESSOAS-CHAVE: Paulo e Tíquico.
LUGARES-CHAVE: Éfeso e Roma
VERSÍCULO-CHAVE: “Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma
só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de
todos, o qual é sobre todos, e por todos, e em todos” (4-4-6)
ESBOÇO:
A – Unidade em Cristo (1.1 – 3.21)
B – Unidade no corpo de Cristo (4.1 – 6.24)
EPÍSTOLA DE PAULO AOS FILIPENSES
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 61 d.C, durante o período em que Paulo esteve preso em Roma
PÚBLICO ALVO: Aos cristãos de Filipos e de todo mundo.
PROPÓSITO: Agradecer aos filipenses pela solidariedade enquanto esteve na prisão e animá-los
a se unirem e a se ajudarem mutuamente em Cristo.
VERDADES FUNDAMENTAIS: O evangelho de Cristo continuará a ser pregado mesmo em face
de perseguições; Sofrer por Cristo é uma alegria e traz glória para os crentes; O crentes devem
demonstrar o evangelho na própria vida ao servir uns aos outros à semelhança de Cristo; Os
crentes devem permanecer na verdade e evitar os extremos do legalismo e do antinomianismo (a
crença de que o cristão não está sujeito à lei moral de Deus); e a Apoiar os outros nos ministério
é uma importante prática cristã.
PANORÂMA: Paulo e seus companheiros fundaram a igreja de Filipos em sua segunda viagem
missionária (At. 16-11-40), e essa foi a primeira igreja a ser estabelecida no continente europeu.
Os fiéis da igreja filipense haviam enviado a Paulo uma oferta que deveria ser entregue (4.18) por
Epafrodito (um de seus membros). Nessa ocasião, Paulo estava encarcerado em uma prisão
romana e escreveu esta carta com a finalidade de expressar sua gratidão pela oferta e encorajálos na fé.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Filipos, colônia romana, foi o lugar em que Paulo fundou
a primeira igreja em solo europeu (AT. 16.11-40), talvez por volta de 50 d.C. Quando Paulo seguiu
adiante, essa igreja algumas vezes lhe enviou auxílio, uma das poucas igrejas a fazê-lo naqueles
anos (4.15). É um dos principais salmos da bíblia em louvor a Deus(2.5-11), verá também a
inutilidade da atividade religiosa comparada ao relacionamento com Cristo (3.4-11) e obterra
ferramentas práticas que moldarão o seu pensamento de acordo com os caminhos de Deus (4.49).
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Timóteo, Epafrodito, Evádia e Síntique.
LUGARES-CHAVE: Filipos.
VERSÍCULO-CHAVE: “Regozijai-vos, sempre, no Senhor; outra vez digo: regozijai-vos!” (4.4)
ESBOÇO:
A – A alegria no sofrimento (1.1-30)
B – Alegria no servir (2.1-30)
C – Alegria em crer (3.1 – 4.1)
D – Alegria em dar (4.2-23)
EPÍSTOLA DE PAULO AOS COLOSSENSES
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 60 d.C., durante a prisão de Paulo em Roma
PÚBLICO ALVO: A igreja em Colossos, uma cidade na Ásia Menor, e todos os crentes, em todos
os lugares.
PROPÓSITO: A epístola aos Colossenses foi dirigida aos cristãos que estavam sob a influência
de um falso ensino que misturava elementos da filosofia grega com os judaísmo. Em parte, esse
movimento ensinava que os cristãos de Colossos estavam sujeitos a uma diversidade de forças
espirituais que precisavam ser apaziguadas por meio da veneração, do asceticismo e da
observância de dias santos especiais. Paulo escreveu para ajudar aos membros da igreja a
permanecer firmes na verdade que Deus já os havia aceitado em virtude da união deles com
Cristo.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Cristo é supremo sobre toda a criação e sobre toda a Igreja; Os
cristãos não devem ser confundidos pelos falsos credos que misturam fé verdadeira com falsas
religiões e filosofias; Cristo é totalmente suficiente para trazer a plenitude e a novidade de vida
para os cristãos; Os cristãos devem viver na dependência de Cristo e não de outros poderes.
PANORÂMA: Paulo nunca tinha visitado Colossos. Evidentemente, a igreja havia sido fundada
por Epafras e outros crentes que se converteram durante as viagens missionárias de Paulo. A
igreja, porém, havia sofrido a infiltração de um relativismo religioso, gnosticismo, religião e filosofia
híbrida que misturava crenças cristãs, judaicas e possivelmente pagãs. Alguns cristãos tentavam
combinar elementos do paganismo e da filosofia secular com a doutrina cristã. Paula confronta
estes falsos ensinos e afirma a suficiência de Cristo.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Cristo é apresentado como tendo absoluta supremacia e
exclusiva suficiência. A carta aos Colossenses tem semelhanças com Efésios, provavelmente por
ter sido escrita aproximadamente na mesma época, mas possui uma ênfase distinta.
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Timóteo, Tíquico, Onésimo, Aristarco, Marcos e Epafras.
LUGARES-CHAVE: Colossos e Laodicéia (4.15.16)
VERSÍCULO-CHAVE: “Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade. E estais
perfeitos nele, que é a cabeça de todo principado e potestade”. (2.9,10).
ESBOÇO:
A – O que Cristo fez (1.1 – 2.23)
B – O que os cristãos devem fazer (3.1 – 4.18)]
1ª EPÍSTOLA DE PAULO AOS TESSALONICENSES
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 50-51 d.C, redigida em Corínto; uma das primeiras cartas de Paulo.
PÚBLICO ALVO: A igreja em Tessalônica, fundada em sua segunda viagem missionária e os
cristãos em todo o mundo.
PROPÓSITO: Assegurar aos cristãos tessalonicenses do amor que Paulo tinha por eles e instruílos a respeito da importância de viver para Cristo e entender corretamente as etapas do seu
retorno.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Devemos agradecer a Deus pela fidelidade do seu povo; Os
cristãos devem ser elogiados pela sua fidelidade; Os cristãos devem viver de maneira a agradar a
Deus; Os cristãos que morreram ressuscitarão quando Cristo voltar; Os cristãos devem estar
sempre prontos para o retorno de Cristo.
PANORÂMA: A igreja em Tessalônica era muito jovem, tendo sido estabelecida apenas dois ou
três anos antes de esta carta ser escrita. Os cristãos tessalonicenses precisavam amadurecer em
sua fé. Também havia um mal-entendido com relação à segunda vinda de Cristo pois alguns
pensavam que Ele retornaria imediatamente, e deste modo ficaram confusos quando seus entes
queridos morreram. Os cristãos dessa igreja esperavam que Cristo retornasse antes de eles
morrerem. Além dessa confusão toda, eles também estavam sendo perseguidos.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Paulo recebeu de Timóteo um relatório favorável sobre os
tessalonicenses. Porém, escreveu esta carta para corrigir as concepções erradas dessa igreja
sobre a ressurreição e a segunda vinda de Cristo.
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Timóteo e Silas.
LUGARES-CHAVE: Tessalônica.
VERSÍCULO-CHAVE: “Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos
que em Jesus dormem Deus os tornará a trazer com Ele”. (4.14)
ESBOÇO:
A – A fidelidade ao Senhor (1.1 – 3.13)
B - A vigilância pelo Senhor (4.1 – 5.28)
2ª EPÍSTOLA DE PAULO AOS TESSALONICENSES
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 51 ou 52 d.C., alguns meses depois de primeira Tessalonicenses. Foi escrita em Corínto.
PÚBLICO ALVO: Aos crentes em Tessalônica, que em sua opinião necessitavam de uma dose
mais forte dos conselhos que ele havia oferecido na primeira carta.
PROPÓSITO: Complementar a sua carta anterior, quanto o volta de Jesus e a importância de um
viver diário responsável, já que os crentes em Tessalônica estavam vivendo desordenadamente.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Os crentes devem perseverar em meio aos sofrimentos até a vinda
de Cristo; Os seguidores de Cristo não devem se deixar enganar por especulações a respeito da
sua segunda vinda; O retorno de Cristo trará grande juízo e recompensa; Enquanto aguardam a
volta de Cristo, os crentes devem viver de maneira responsável em suas atividades diárias neste
mundo.
PANORÂMA: Muitos da igreja estavam confusos sobre quando ocorreria a volta de Cristo. Devido
ao aumento da perseguição, estes crentes pensavam que o Dia do Senhor devia ser iminente, e
interpretaram a primeira carta de Paulo como uma afirmação de que a segunda vinda de Cristo
aconteceria a qualquer momento. Levando em conta este engano, muitos persistiram em
permanecer ociosos, vivendo desordenadamente, alegando estarem à espera da volta de Cristo.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Paulo indica vários acontecimentos que devem preceder
a segunda vinda de Cristo.
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Silas e Timóteo.
LUGARES-CHAVE: Tessalônica.
VERSÍCULO-CHAVE: “Ora, o Senhor encaminhe o vosso coração na caridade de Deus e na
paciência de Cristo.” (3.5)
ESBOÇO:
A – A gloriosa esperança da volta de Cristo (1.1 – 2.17)
B – Vivendo sob a expectativa da volta de Cristo (3.1-18)
1ª EPÍSTOLA DE PAULO A TIMÓTEO
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 62-64 d.C., pouco depois que Paulo foi liberto da prisão em Roma.
PÚBLICO ALVO: Timóteo, dando conselhos sobre como conduzir melhor a igreja de Éfeso.
PROPÓSITO: Aconselhar Timóteo sobre as qualificações para os líderes da igreja, adoração
pública, confronto ao falso ensino e como tratar vários grupos dentro da igreja.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Devemos resistir à falsa doutrina na igreja; As doutrinas legalistas
afastam as pessoas do verdadeiro evangelho; O culto e a autoridade da igreja devem ser
cuidadosamente ordenados; Diversos grupos dentro da igreja têm necessidades especiais e o
Amor pelo dinheiro não tem lugar no ministério do evangelho.
PANORÂMA: Timóteo era um dos companheiros mais íntimos de Paulo. Paulo enviou Timóteo à
igreja em Éfeso para deter o falso ensino, que alí havia surgido (1.3-4). Timóteo provavelmente
serviu por algum tempo como líder na igreja de Éfeso. Paulo esperava visita-lo (3.14,15; 4.13),
mas enquanto isso, escreveu esta carta para dar a Timóteo instruções práticas sobre o ministério.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: A primeira carta de Paulo a Timóteo é tanto um
documento pessoal como um manual de administração e disciplina da igreja.
PESSOAS-CHAVE: Paulo e Timóteo.
LUGARES-CHAVE: Éfeso
VERSÍCULO-CHAVE:
“Ninguém despreza a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na
palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza” (4.12)
ESBOÇO:
A – Instruções sobre a crença correta (1.1-20)
B – Instruções para a Igreja (2.1 -3.16)
C - Instruções para os presbíteros (4.1 – 6.21)
2ª EPÍSTOLA DE PAULO A TIMÓTEO
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 66 a 67 d.C., durante a prisão em Roma. de um ano ou dois de liberdade, Paulo foi
novamente preso e executado durante o governo do imperador Nero.
PÚBLICO ALVO: Timóteo e os cristãos de todo o mundo.
PROPÓSITO: Convidar Timóteo para visitar Paulo em seus últimos dias e animar Timóteo em seu
ministério contra os falsos mestres em Éfeso.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Falsos mestres sempre a Igreja; Os líderes da igreja precisam ser
corajosos em sua luta contra os falsos mestres; A liderança da igreja precisa estar baseada nas
Escrituras; Deus manterá os crentes verdadeiros em segurança, mas outros da igreja serão
julgados.
PANORÂMA: Paulo estava praticamente só na prisão; apenas Lucas estava com ele. Paulo
escreveu esta carta com a finalidade de “passar o bastão” para a nova geração de líderes da Igreja.
O apóstolo também pediu a visita de seus amigos e seus rolos de papel, especialmente os
pergaminhos – possivelmente partes do Antigo Testamento, os Evangelhos e outros manuscritos
bíblicos.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Por esta ser a última carta de Paulo, o apóstolo revela os
sentimentos de seu coração e suas prioridades – a sã doutrina, a fé resoluta, a confiante
perseverança e o amor duradouro.
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Timóteo, Lucas, Marcos e outros.
LUGARES-CHAVE: Roma e Éfeso.
VERSÍCULO-CHAVE: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de
que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2.15)
ESBOÇO:
A – Fundamentos do serviço cristão (1.1 – 2-26)
B – Tempos difíceis para o serviço cristão (3.1 – 4.22)
EPÍSTOLA DE PAULO A TITO
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 62-64 d.C., na mesma época em que a primeira carta a Timóteo foi escrita; provavelmente
foi escrita na Macedônia, durante as viagens que Paulo fez entre os períodos que esteve preso
pelo romanos.
PÚBLICO ALVO: Tito, um grego, provavelmente convertido a Cristo através do ministério de Paulo
(tornou-se o representante oficial do apóstolo na ilha de Creta), e todos os crentes, em todos os
lugares.
PROPÓSITO: Incentivar Tito a completar a organização das igrejas em Creta, confrontar as ações
de falsos mestres nessa região e instruir os crentes a terem uma conduta cristã apropriada.
VERDADES FUNDAMENTAIS: A igreja deve ser organizada com líderes qualificados; Deve-se
resistir aos falsos mestres; Há responsabilidades especiais para grupos específicos da igreja;
Algumas responsabilidades gerais devem ser compartilhadas por todos os crentes; e Toda
conduta cristã deve apoiar-se no trabalho salvador de Deus em Cristo.
PANORÂMA: Paulo enviou Tito para organizar e supervisionar as igrejas em Creta. Nesta carta
apóstolo diz a Tito como fazer este trabalho. Paulo exige ordem na igreja e um viver correto em
uma ilha conhecida pela preguiça, glutonaria, mentira e maldade. Os cristãos devem ser autodisciplinados como indivíduos e devem ser ordeiros como pessoas que formam um corpo, a Igreja.
Precisamos obedecer a esta mensagem em nossos dias, quando a disciplina não é respeitada ou
recompensada pela nossa sociedade. Embora outros possam não apreciar nossos esforços,
devemos viver uma vida íntegra, obedecer ao governo e falar com prudência Devemos viver
unidos e pacificamente na igreja e sermos exemplos vivos de nossa fé para a sociedade
contemporânea.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Com suas instruções aos líderes da igreja, a carta a Tito
é bem parecida com 1 Timóteo.
PESSOAS-CHAVE: Paulo e Tito.
LUGARES-CHAVE: Creta e Nicópolis.
VERSÍCULO-CHAVE: “Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as
coisas que ainda restam e, de cidade em cidade, estabelecesses presbíteros, como já te mandei
(instruí)” (1.5)
ESBOÇO:
A – Liderança na Igreja (1.1-16)
B – O viver íntegro na igreja (2.1-15)
C - O viver íntegro na sociedade (3.1-15)
EPÍSTOLA DE PAULO A FILEMON
AUTOR: O apóstolo Paulo
DATA: 60 d.C., durante a primeira prisão de Paulo em Roma, quase na mesma época em que as
cartas aos Efésios e aos Colossenses foram escritas.
PÚBLICO ALVO: Filemon, o qual era provavelmente um membro rico da igreja de Colossos e dono
de muitos escravos e a todos os cristãos do mundo.
PROPÓSITO: Convence Filemon a perdoar Onésimo, seu escravo fugitivo, e aceita-lo como um
irmão na fé.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Os cristãos devem demonstrar amor uns pelos outros e perdoarse mutuamente; A obediência cristã deve ser feita de modo espontâneo e não forçado.
PANORÂMA: A escravidão era muito comum no Império Romano e , evidentemente, alguns
cristãos tinham escravos. Paulo não condena a instituição da escravidão em seus escritos, porem
faz uma declaração radical ao chamar este escravo de irmão de Filemon em Cristo. A maior parte
dos escravos fugitivos, se apanhados, ficavam sujeitos a graves punições e por vezes até mesmo
à morte. Paulo esperava que Filemon se tornasse exemplo vivo da graça que Onésimo já havia
recebido por meio de Cristo.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Está é uma carta particular e pessoal para um amigo.
Filemon é uma carta que nos dá uma ilustração sobre o preço de pedir e de oferecer perdão.
PESSOAS-CHAVE: Paulo, Filemon e Onésimo.
LUGARES-CHAVE: Colossos e Roma.
VERSÍCULO-CHAVE: “Porque bem pode ser que ele se tenha separado de ti por algum tempo,
para que o retivesses para sempre, não já como servo; antes, mais do que servo, como irmão
amado, particularmente de mim e quanto mais de ti, assim na carne como no Senhor.” (1.15.16)
ESBOÇO:
A – A estima de Paulo por Filemon (1.1-7)
B - O apelo de Paulo a favor de Onésimo (1.8-25)
EPÍSTOLA AOS HEBREUS
AUTOR: Pelo fato do nome do autor não ser mencionado no texto bíblico, Paulo, Lucas, Barnabé,
Apolo, Silas, Filipe, Priscila, e outros têm sido sugeridos. Qualquer que seja o autor, refere-se a
Timóteo como um “irmão” (13.23).
DATA: Provavelmente antes da destruição do Templo em Jerusalém em 70 d.C., porque os
sacrifícios e as cerimônias religiosas são mencionados no livro, mas não é feita nenhuma menção
da destruição do Templo.
PÚBLICO ALVO: Aos cristãos hebreus (talvez cristãos da segunda geração, veja 2.3) que podem
ter pensado em retornar ao judaísmo, talvez por uma imaturidade originada de uma falta de
entendimento das verdades bíblicas; e a todos os crentes em Cristo.
PROPÓSITO: Incentivar a fidelidade de Cristo e à sua nova aliança mostrando que ele é o novo,
último e superior sumo sacerdote.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Cristo é superior aos anjos, a Moisés, a Arão e ao ministério
sacerdotal do Antigo Testamento; O Antigo Testamento admitiu o caráter temporário dessas
estruturas, de modo que a nova aliança não é de maneira alguma contrária à antiga; Deixar Cristo
e voltar-se para tipos obsoletos de fé levará ao julgamento divino; As pessoas da igreja devem
perseverar até o fim em fidelidade a Cristo ou irão sofrer o castigo divino.
PANORÂMA: Estes cristãos judeus estavam provavelmente sofrendo uma violenta perseguição
social e física, tanto de judeus como de romanos. Cristo não havia retornado para estabelecer
seu Reino, e as pessoas precisavam ser asseguradas de que o cristianismo era verdadeiro e de
que Jesus era realmente o Messias.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Embora o livro de Hebreus seja chamado de “carta”
(13.22), tem a forma e o conteúdo de um sermão.
PESSOAS-CHAVE: Homens e mulheres de fé do Antigo Testamento (cap. 11).
LUGARES-CHAVE: Roma
VERSÍCULO-CHAVE: “O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua
pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por sí mesmo a
purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas” (1.3)
ESBOÇO:
A – A SUPERIORIDDE DE CRISTO (1.1 – 10-18)
1 – Cristo é maior que os anjos
2- Cristo é maior que Moisés
3- Cristo é maior que o sacerdócio do Antigo Testamento
4 –A nova aliança é maior que a antiga
B - A SUPERIORIDDE DA FÉ (10.19 – 13.25)
EPÍSTOLA DE TIAGO
AUTOR: Tiago, irmão de Jesus, um líder da Igreja em Jerusalém.
DATA: 49 d.C., antes do Concílio de Jerusalém, ocorrido em 50 d.C.
PÚBLICO ALVO: Os cristãos judeus do primeiro século que residiam em comunidades de gentios
fora da Palestina, e todos os cristãos, em todos os lugares.
PROPÓSITO: Expor as práticas hipócritas e ensinar o correto comportamento cristão.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Os cristãos devem receber sabedoria de Deus para
permanecerem fiéis em meio aos sofrimentos e conflitos; O fato de ouvir a Palavra de Deus deve
levar a praticar a Palavra de Deus; A fé salvadora revela-se na boa obra de cuidar das pessoas
necessitadas; A sabedoria divina ensina os cristãos a amarem-se e a servirem-se mutuamente; A
harmonia na comunidade cristã é de grande importância.
PANORÂMA: Esta carta expressa a preocupação de Tiago pelos cristãos perseguidos que haviam
sido membros da igreja de Jerusalém.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Adverte aos crentes sobre alguns hábitos adquirido e que
corroíam a essência da sua fé, coisas como favoritismo, calúnias, orgulho, mau uso das riquezas
e fata de paciência.
PESSOAS-CHAVE: Tiago e as doze tribos de crentes judeus e gentios.
VERSÍCULO-CHAVE: “Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras, mostra-me a tua fé
sem as tua obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras”.(2.18)
ESBOÇO:
A – A religião genuína (1.1-27)
B – A fé genuína (2.1 -3.12)
C – A sabedoria genuína (3.13 - 5.20)
1ª EPÍSTOLA DE PEDRO
AUTOR: Pedro
DATA: 62-64 d.C..
PÚBLICO ALVO: Os cristãos judeus expulsos de Jerusalém e espalhados ao longo da Ásia Menor,
e todos o crentes em todos os lugares.
PROPÓSITO: Encorajar os cristãos perseguidos e confusos a permanecerem unidos e firmes na
fé.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Os cristãos têm o maravilhoso privilégio de ver a grande salvação
de Deus em Cristo; O privilégio da salvação traz consigo diversas responsabilidades importantes;
Os cristãos devem ser santos, amar profundamente uns aos outros e consagrarem-se à glória de
Deus; Os relacionamentos dentro e fora da igreja devem ser mantidos de acordo com os padrões
de Cristo, e não de acordo com os padrões do mundo; Os cristãos devem encarar o sofrimento
como seguidores de Cristo da perspectiva correta.
PANORÂMA:
Pedro provavelmente estava em Roma quando a grande perseguição sob o
comando do imperador Nero teve início (Pedro foi executado durante essa perseguição). Ao longo
do Império Romano, os cristãos estavam sendo torturados e mortos por causa de sua fé, e a igreja
de Jerusalém estava sendo dispersada.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Pedro usou várias imagens que lhe eram muito especiais,
porque Jesus as usou quando revelou certas verdades a Pedro. O nome Pedro (que significa
“pedra”) lhe foi dado por Jesus. A concepção da Igreja – como uma casa espiritual composta por
pedras vivas edificadas sobre a Rocha, que é Cristo – veio do próprio Senhor. Jesus encorajou
Pedro a cuidar de seu rebanho. Deste modo, não é de se estranhar ver Pedro usando palavras
como: pedras vivas (2.5-9) e pastores e rebanho (2.25; 5.2,4) para descrever a Igreja.
PESSOAS-CHAVE: Pedro, Silas e Marcos.
LUGARES-CHAVE: Jerusalém, Roma e as regiões de Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia Menor e
Bitínia.
VERSÍCULO-CHAVE: “Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que
perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo”.
(1.7)
ESBOÇO:
A – As grandes bênçãos de Deus para o seu povo (1.1 – 2-10)
B – A conduta do povo de Deus em meio ao sofrimento (2.11 – 4.19)
C – Apascentar o povo de Des em meio ao sofrimento (5.1-14)
2ª EPÍSTOLA DE PEDRO
AUTOR: Pedro
DATA: 67 d.C., três anos após a primeira carta de Pero ter sido escrita. Foi possivelmente escrita
de Roma.
PÚBLICO ALVO: Alguns autores dizem que foi dirigida as mesmas pessoas da primeira carta, mas
não há provas refutáveis.
PROPÓSITO: Encorajar os cristãos perseguidos e confusos a permanecerem unidos em sua fé.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Os cristão devem crescer espiritualmente em virtude das grandes
bênçãos em Cristo; A certeza do retorno de Cristo vem do testemunho de pessoas que viram
Cristo pessoalmente e das Escrituras; Deus irá julgar com rigor os falsos mestres que negam a
volta de Cristo; Jesus ainda não voltou porque Deus é paciente com o seu povo; Os cristãos devem
ser pacientes; contudo, devem procurar acelerar o dia do retorno de Cristo pela oração, pela
obediência e pelo evangelho.
PANORÂMA: Pedro sabia que seu tempo na terá era limitado (1.13,14). Por esta razão, escreveu
sobre o que estava em seu coração, advertindo os crentes sobre o que aconteceria após a sua
partida – especialmente sobre a presença dos falsos mestres. Lembrou seus leitores da verdade
imutável do evangelho.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: A data e o destino são incertos, e a autoria chegou a ser
questionada. Por esta razão, 2 Pedro foi o último escrito admitido no Cânone do Novo Testamento.
Há também semelhanças entre 2 Pedro e Judas.
PESSOAS-CHAVE: Pedro e Paulo.
LUGARES-CHAVE: Roma
VERSÍCULO-CHAVE: “Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e
piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua glória e virtude” (1.3)
ESBOÇO:
A – Orientações para os cristãos que estão crescendo (1.1-21)
B – Perigos para os cristãos que estão crescendo (2.1-22)
C – Esperança para os cristãos que estão crescendo (3.1-18)
1ª EPÍSTOLA DE JOÃO
AUTOR: O apóstolo João
DATA: 85 e 90 d.C., de Éfeso.
PÚBLICO ALVO: A carta não contém título e não foi escrita para nenhuma igreja em particular.
Foi enviada como uma carta pastoral para várias congregações de gentios. Foi também escrita
para todos os crentes, de todos os lugares, em todos os tempos.
PROPÓSITO: Alertar sobre os falsos mestres que ensinavam que Cristo não tinha
verdadeiramente vindo em carne e incentivar um estilo de vida apropriado para os seguidores de
Cristo.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Receber a salvação de Deus resulta numa vida reta e
especialmente em amor pelos companheiros cristãos; Jesus era totalmente humano; Muitos que
dizem seguir Cristo não são verdadeiros seguidores; Os cristãos devem estar prontos para se
auto-examinarem para ver se sua fé em Cristo é verdadeira; A plena certeza da salvação é própria
daqueles cuja vida evidencia que eles estão realmente vivendo para Cristo.
PANORÂMA: João já era um idoso, e talvez fosse o único apóstolo vivo naquele momento. Ele
ainda não havia sido enviado à ilha de Patmos, onde viveria como um exilado. Como testemunha
ocular de Cristo, ele escreveu com toda a autoridade para dar, a essa nova geração de crentes,
segurança e confiança em Deus e na sua fé.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: João é apóstolo do amor, e o amor é mencionado ao longo
desta carta. Existem várias semelhanças entre esta carta e o Evangelho de João – no vocabulário,
no estilo e nas ideias principais. João usa declarações breves e palavras simples, e faz contrastes
acentuados – luz e trevas, verdade e erro, Deus e Satanás, vida e morte, amor e ódio.
PESSOAS-CHAVE: João e Jesus.
LUGARES-CHAVE: Éfeso.
VERSÍCULO-CHAVE: “Estas coisas vos escrevi, par que saibais que tendes a vida eterna, e para
que creiais no nome do Filho de Deus.” (5.13)
ESBOÇO:
A – Deus é luz (1.1 – 2.29)
B – Deus é amor ( 3.1 – 4.21)
C - Deus é vida (5.1-21)
2ª EPÍSTOLA DE JOÃO
AUTOR: O apóstolo João
DATA: 90 d.C., em Éfeso.
PÚBLICO ALVO: Uma senhora cristã e seus filhos e para todos os crentes em todos os tempos e
lugares.
PROPÓSITO: Alertar os cristãos com respeito ao falso ensino de que Cristo não tinha vindo
verdadeiramente em carne e para incentivar a hospitalidade aos pregadores do verdadeiro
evangelho.
VERDADES FUNDAMENTAIS: O amor entre os cristãos é a preocupação moral básica dos
seguidores de Cristo; Negar a plena encarnação de Cristo leva ao julgamento de Deus.
PANOÂMA: Evidentemente esta mulher e seus filhos estavam envolvidos em uma das igrejas que
João estava supervisionando – tinham desenvolvido uma forte amizade com João. O apóstolo os
estava advertindo contra os falsos ensinadores que estavam prevalecendo em algumas das
igrejas.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: É uma carta pessoal de João para a senhora cristã e seus
filhos, mas ainda assim contém ensinamentos para todos os cristãos em todos os tempos.
PESSOAS-CHAVE: João, a senhora cristã e seus filhos.
LUGARES-CHAVE: Éfeso.
VERSÍCULO-CHAVE: “E a caridade é esta que andemos segundo os seus mandamentos. Este é
o mandamento, como já desde o princípio ouvistes: que andeis nele” (1.6)
ESBOÇO:
A – Tome cuidado com os falsos ensinamentos (1.1-11)
B – As palavras finais de João (1.12,13)
3ª EPÍSTOLA DE JOÃO
AUTOR: O apóstolo João
DATA: 90 d.C., de Éfeso.
PÚBLICO ALVO: João escreveu ao seu amigo Gaio, um cristão proeminente em uma das Igrejas
conhecidas por João e a todas as igrejas em todos os tempos e lugares.
PROPÓSITO: Incentivar o serviço ao próximo, especialmente a hospitalidade àqueles que
ministram o evangelho.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Os cristãos que são fiéis em demonstrar bondade aos outros
devem ser elogiados; Praticar a hospitalidade, especialmente para os ministros do evangelho, é
um grande privilégio e uma responsabilidade do cristão; Os líderes cristãos devem estimar-se e
apoiar-se mutuamente, e não temer e maltratar uns aos outros.
PANORÂMA: Os líderes da Igreja viajavam de cidade em cidade ajudando a estabelecer novas
congregações. Dependiam da hospitalidade dos companheiros crentes. Gaio foi quem recebeu
esses líderes em sua casa.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: Apesar de ser uma carta pessoal escrita de João para
Gaio, deixa-nos um belo exemplo a seguir de amor ao próximo, hospitalidade aos servos do
Senhor.
PESSOAS-CHAVE: João, Gaio, Diótrefes e Demétrio.
VERSÍCULO CHAVE: “Amado, procedes fielmente em tudo, o que fazes par com os irmãos e para
com os estranhos.” (1.5)
ESBOÇO:
A – Os filhos de Deus vivem de acordo com os padrões do evangelho (1.1-12)
B – As palavras finais de João (1.13-15)
EPÍSTOLA DE JUDAS
AUTOR: Judas, irmão de Jesus e de Tiago.
DATA: 65 d.C
PÚBLICO ALVO: Os judeus cristãos e os crentes em todos os lugares.
PROPÓSITO: Lembrar à Igreja a necessidade de uma constante vigilância, manter-se firme na fé
e opor-se às heresias.
VERDADES FUNDAMENTAIS: Um castigo rigoroso aguarda aqueles que se rebelam contra Deus
e Cristo; Os cristãos devem resistir com vigor aos falsos mestres na igreja; A liberdade cristã e a
livre graça de Deus não dão aos cristãos licença para pecar; Os cristãos são responsáveis por
procurar ativamente fazer boas obras e crescer espiritualmente.
PANORÂMA: A partir do primeiro século, a Igreja foi ameaçada pelas heresias e pelos falsos
ensinos. Portanto, devemos nos manter sempre em guarda.
PESSOAS-CHAVE: Judas, Tiago e Jesus.
VERSÍCULO-CHAVE: “Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da
comum salvação, tive por necessidade escrever-vos e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez
foi dada aos santos” (1.3)
ESBOÇO:
A – O perigo dos falsos mestres (1.1-16)
B – O dever de lutar pela verdade de Deus (1.17-25)
APOCALIPSE ou REVELAÇÃO
AUTOR: O apóstolo João
DATA: 95 d.C., em Patmos.
PÚBLICO ALVO: As sete igrejas da Ásia e a todos os crentes em toda parte.
PROPÓSITO: Estimular a fidelidade a Cristo em meio ao sofrimento pela afirmação de que Deus
governa a História e certamente a levará a uma gloriosa consumação de julgamento e bênção em
Cristo.
VERDADES FUNDAMENTAIS: A igreja enfrenta muito sofrimento neste mundo pecaminoso; Deus
requer arrependimento sincero e fidelidade paciente da parte do seu povo; Deus governa a História
de tal modo que o mal não prevalecerá contra a igreja; Jesus retornará em glória trazendo castigo
final para o ímpio e bênção final par o justo que triunfar.
PANORÂMA: A maioria dos estudiosos acredita que as sete igrejas da Ásia, a quem João escreve
esta obra, estavam sofrendo a perseguição realizada sob o imperador Domiciano (90-95 d.C) e
parece que as autoridades romanas haviam exilado o apóstolo João na Ilha de Patmos (na costa
da Ásia). João, que havia sido uma testemunha ocular da encarnação de Cristo, teve uma visão
de Cristo glorificado. Deus também lhe revelou o que iria acontecer no futuro – o juízo e o supremo
triunfo do Senhor sobre o mal.
CARACTERÍSTICAS PARTICULARES: O livro do Apocalipse foi escrito sob a forma “apocalíptica”
– um tipo de literatura judaica que usa imagens simbólicas para transmitir esperança (no supremo
triunfo de Deus) àqueles que estavam em meio à perseguição.
Os
acontecimentos estão
ordenados literalmente e não em um formato rigorosamente cronológico.
PESSOAS-CHAVE: João e Jesus.
LUGARES-CHAVE: Patmos, as sete igrejas e a nova Jerusalém.
VERSÍCULO-CHAVE: “Bem aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia,
e guardam as coisas que nela estão escritas, porque o tempo está próximo”. (1.3)
ESBOÇO:
A – CARTAS ÀS IGREJAS (1.1 – 3.22)
B – MENSAGEM À IGREJA (4.1 – 22.21)
1 – A adoração a Deus no céu
2 – A abertura dos sete selos
3 – O ressoar das sete trombetas
4 – A observação do grande conflito
5 – O derramamento das sete pragas
6 – A conquista da vitória final
7 – Todas as coisas são feitas novas
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards