resumo biologia

Propaganda
1. Teoria da Evolução
Todos os seres vivos do nosso planeta descendem de organismos muito simples que
surgiram há bilhões de anos. A enorme diversidade de seres atuais é resultado de um longo
processo de evolução biológica, pela qual a vida vem passando desde que surgiu.
No Ocidente até metade do século XIX ,dominou a hipótese fixista ou fixismo,
segundo a qual todas as espécies vivas haviam sido criadas por ato divino tal e qual se
apresentam hoje. A partir do século XVII, alguns estudiosos começaram a questionar a
imutabilidade das espécies. Para eles, os seres vivos se modificavam ao longo do tempo, as
formas atuais de vida eram descendentes de espécies ancestrais que haviam se extinguido.
Essa hipótese ficou conhecida como evolucionista.
1.1 Ideias Evolucionistas de Lamarck
Jean – Baptiste Lamarck (1744-1829 ) foi um dos primeiros a propor uma hipótese
consistente que explicava o mecanismo do processo evolutivo.
Hipóteses lamarckista ou lamarckismo:
 As características de um ser vivo podem modificar no decorrer da vida, em função do uso e
desuso: Lei do uso e desuso.
 As características adquiridas durante a vida podem ser transmitidas aos descendentes
(
o desenvolvimento ou atrofia de um órgão pelo uso ou desuso eram transmitidas aos filhos):
Lei da transmissão das características adquiridas.
1.2 As Ideias evolucionistas de Darwin(darwinismo)
O Naturalista Charles Darwin (1809-1882), lançou a ideia de que a evolução dos seres
vivos era dirigida pela Seleção Natural.
A teoria de Darwin ficou conhecida como darwinismo enunciada em três conclusões,
opinadas em 4 observações.
 Observação 1 – As populações naturais de todas as espécies tendem a crescer rapidamente
pois o potencial reprodutivo dos seres vivos é muito grande.
 Observação 2 - O tamanho das populações naturais a despeito de seu crescimento se
mantém constante ao longo do tempo, sendo limitado pelo ambiente(disponibilidade de
alimento de locais de procriação, presença de inimigos, parasitas, etc.)
 Conclusão 1: Morrem muitos indivíduos de cada geração sem deixar descendentes.
 Observação 3 – Os indivíduos de uma população diferem quanto as diversas características
para explorar com sucesso os recursos naturais e de deixar descendentes.

Conclusão 2: Os indivíduos que sobrevivem e se reproduzem, a cada geração são os que
apresentam determinadas características relacionadas a adaptação e condições ambientais.
Essa conclusão resume a conceito darwinista de seleção natural, ou sobrevivência dos mais
aptos.
 Observação 4 – Grande parte das características é herdada dos pais.
 Conclusão 3: A Seleção Natural favorece ao longo das gerações sucessivas, a permanência e
o aprimoramento de características relacionadas à adaptação.
Os pontos fundamentais da teoria evolucionista de Darwin foram confirmados pela ciência
contemporânea e ampliadas pelas modernas descobertas cientificas.
1.3 Um pouco da historia do darwinismo
Muitas das observações que levaram Charles Darwin a elaborar a sua teoria evolucionista
acontece durante uma viagem em 1831 que durou por 5 anos, visitou locais da América do
Sul(inclusive o Brasil) e da Austrália além de vários arquipélagos. Durante a viagem fez
observações na Patagônia, onde encontrou fosseis de mamíferos já extintos. Nas Ilhas
Galápagos encontrou uma fauna e uma flora altamente peculiares, que variam de ilha para
ilha.
1.4 Darwin se torna adepto do evolucionismo
Darwin só se tornou evolucionista vários meses após regressar de sua viagem, em cerca
de 1837. Só então pode compreender o significado evolutivo de suas observações em
Galápagos e em outros locais ao rever suas anotações e submeter ao material coletado na
viagem a diversos especialistas.
Darwin acabou concluindo que a fauna e a flora de ilhas próximas são semelhantes
porque se originam de ancestrais comuns, provenientes dos continentes próximos. Em cada
uma das ilhas, as populações colonizadoras sofreram adaptações especificas, originando
diferentes variedades ou espécies.
1.5 Ideias e pessoas que influenciaram Darwin
Darwin foi influenciado pelos trabalhos de cientistas famosos, como o astrônomo John
Herschel ( 1792 – 1895 ) e o naturalista e viajante Alexandr Hamboldt ( 1767 – 1835 ).
O cientista Alexandr Hamboldt e o trabalho do geólogo Charles Lyell, marcaram os estudos
de Darwin, pelo fato de impulsioná – lo a terras desconhecidas e a estudar primeiro temas de
geologia.
Darwin também aponta a influência das idéias do vigário inglês Thomas R. Malthus
para a sua elaboração do conceito de seleção natural. Malthus sugeriu que a principal causa
da miséria humana era o descompasso entre o crescimento das populações e a produção de
alimentos. Segundo ele, enquanto o crescimento populacional se dá em progressão
geométrica, a produção de alimentos cresce em progressão aritmética. Esse foi um dos
grandes méritos de seu trabalho, que chamou a atenção de Darwin para as ideias de luta pela
vida e sobrevivência dos mais aptos.
1.6 Seleção Artificial
Darwin em favor da seleção dos mais aptos, baseou – se no estudo de espécies
cultivadas pelo homem. Sabia – se que pelo menos alguns animais domésticos e vegetais
cultivados pertenciam a espécies com representantes ainda em estado selvagem, Os
exemplares domésticos entretanto, diferiam em tantas características dos selvagens que
podiam, quanto ao seu aspecto geral, até ser classificado como espécie diferente.
Darwin se dedicou á criação de pombos, cujas variedades domésticas eram sabiamente
originadas de uma única espécie selvagem, a Columba Lívia, a partir da seleção
artificialmente conduzida pelos criadores. Sua conclusão foi que a seleção artificial podia ser
comparada àquela que a natureza exercia sobre as espécies selvagens. Da mesma forma que o
homem seleciona reprodutores de uma determinada variedade ou raça, permitindo que apenas
os que tem as características desejadas se reproduzam, a natureza seleciona, nas espécies
selvagens, os indivíduos mais adaptados às condições reinantes.
1.7 Publicação da teoria de Darwin
Em 1844 Darwin escreveu um longo trabalho sobre a “origem das espécies e a seleção
natural”. Em junho de 1858 Darwin recebeu uma carta do naturalista inglês Alfred Russel
Wallace onde tinham conclusões semelhantes às suas. Chegando à conclusão de que as
espécies se modificam por seleção natural dentre outras coisas , como por exemplo, Wallace
tinha também se inspirado em uma fonte não biológica, o livro de Malthus, Ensaio sobre a lei
da população.Darwin fez um resumo de suas ideias que foram publicadas junto ao trabalho de
Wallace em 1º de julho de 1858. Um ano depois Darwin publicou o trabalho completo no
livro “A origem das espécies”.
1.8 Evidências da evolução biológica
Pesquisas em diferentes áreas da biologia fornecem farta evidência da evolução
biológica:
 Documentário fóssil;
 Adaptação dos seres vivos a seus ambientes;
 As semelhanças anatômicas, fisiológicas e bioquímicas entre as espécies.
O estudo dos fósseis permite aos cientistas deduzir o tamanho e a forma dos
organismos . Os fósseis constituem a mais forte evidência que nosso planeta já foi
habitado por seres diferentes, sendo uma das principais evidências da evolução
biológica.
1.9 Anatomia Comparada
As semelhanças encontradas entre embriões de determinado grupo de animais são
ainda maiores do que as semelhanças encontradas nas formas adultas.
Certos órgãos ou estruturas nos embriões se desenvolvem de modo muito semelhante nos
embriões de todos os vertebrados: órgãos homólogos.
Quando dois órgãos ou estruturas desempenham a mesma função, mas tem origem
embrionária diferente: órgãos análogos.
Estruturas atrofiadas, sem função evidente no organismo: órgãos vestigiais.
Ex: o apêndice cecal do intestino humano e dos animais carnívoros ( não desempenha
nenhuma função ), já nos animais herbívoros tem importante papel na digestão da celulose:
nele vivem substâncias que atuam na digestão dessa substância.
1.10 Evidências moleculares
1.10.1 Semelhanças entre moléculas de DNA: a comparação entre moléculas de DNA de
diferentes espécies tem revelado o grau de semelhança de seus genes, o que mostra o
parentesco evolutivo _
HIBRIDIZAÇÃO MOLECULAR: as comparações entre moléculas
de DNA de duas espécies.
1.10.2 Semelhanças entre proteínas: em última análise, refletem as semelhanças e
diferenças genéticas.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
AMABIS, José Mariano. MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia das populações. Vol. 3. – São
Paulo: Moderna, 1994.
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards