resumo_bioCaps7e8

Propaganda
Natália Juliano Ferreira
2ºF - Nº27
RESUMO DE BIOLOGIA – CAPÍTULOS 7 E 8 (livro verde) e ITEM 6.1 (livro azul)
Capítulo 7 – Núcleo e Cromossomos
O NÚCLEO está presente apenas em células EUCARIÓTICAS e é onde se localizam os
cromossomos.
CROMOSSOMOS são estruturas filamentosas portadoras dos genes, nas quais se
encontram instruções escritas em código que comandam a produção de proteínas
celulares.
As proteínas participam de todas as reações metabólicas e, por isso, o núcleo é o
centro controlador do metabolismo.
O núcleo desaparece durante a divisão celular, mas ao final desta cada uma das duas
célula-filhas reconstitui um núcleo idêntico ao da célula original.
O núcleo celular é composto pelo CARIOTECA (estrutura constituída por duas
membranas lipoprotéicas e forrada internamente por uma lâmina de filamentos
protéicos, que possue poros através dos quais ocorre troca de substâncias entre o
núcleo e o citoplasma), pela CROMATINA (conjunto de filamentos – cromossomos –
presente no núcleo celular), pelo NUCLÉOLO (aglomerado dinâmico de partículas
ribossômicas em formação) e pelo NUCLEOPLASMA (solução aquosa que envolve a
cromatina e os nucléolos).
O CROMOSSOMO é um filamento longo, constituído por uma única molécula de DNA
associada a proteínas em um arranjo altamente complexo. O número de cromossomos
no núcleo varia de espécie para espécie.
Quando a célula está se dividindo para originar duas células-filhas, o cromossomo
enrola-se sobre si mesmo e fica em um estado altamente condensado.
CICLO CELULAR:
- INTERFASE: período em que a célula não está se dividindo
G1 – fase que antecede a síntese de DNA
S – fase de duplicação ou síntese de DNA
G2 – fase posterior à síntese de DNA
- DIVISÃO CELULAR: período em que a célula está em processo de reprodução para
originar duas células-filhas.
CROMÁTIDE-IRMÃS são cópias unidas de um cromossomo duplicado.
CENTRÔMERO é a região que os cromossomos duplicados se prendem aos
microtúbulos encarregados de separar as cromátides durante as divisões celulares.
Metacêntrico: centrômero no meio; braços de tamanho aproximadamente
igual
Submetacêntrico: centrômero um pouco deslocado da região mediana; braços
de tamanho desigual
Acrocêntrico: centrômero localizado perto de uma das extremidades; um dos
braços bem maior que o outro
Telocêntrico: centrômero localizado junto a uma das extremidades do
cromossomo; há praticamente só um braço
TELÔMERO é a extremidade de um cromossomo que possuem organização especial. A
TELOMERASE é a enzima que ajuda na síntese das extremidades da molécula de DNA.
GENE é o trecho de DNA que contém a informação para uma proteína.
GENOMA é o conjunto de moléculas de DNA de uma espécie que contém todos os
seus genes e também as sequências de bases nitrogenadas que não possuem
informação codificada.
AUTOSSOMOS são os tipos de cromossomos presentes tanto em células masculinas
quanto em células femininas.
CROMOSSOMOS SEXUAIS são os que variam entre os sexos e caracterizam células
masculinas e femininas.
CROMOSSOMOS HOMÓLOGOS são os dois representantes de cada par cromossômico
originalmente herdados nos gametas.
CÉLULAS DIPLÓIDES (ou 2n) são células que possuem pares de cromossomos
homólogos (ex: primeira célula de nosso corpo e todas as demais que descendem dela)
CÉLULAS HAPLÓIDES (ou n) são células que possuem apenas um lote de cromossomos
(ex: óvulos e espermatozóides)
CARIÓTIPO: conjunto de características morfológicas dos cromossomos de uma célula.
MULHER: 22 pares de autossomos e um par de cromossomos sexuais X ( 22AA+XX)
HOMEM: 22 pares de autossomos, um cromossomo X e um Y (22AA+XY)
ABERRAÇÕES CROMOSSÔMICAS são desvios em relação ao cariótipo normal que
geralmente causam grandes transtornos ao funcionamento celular, produzindo
doenças graves ou até morte. As alterações cromossômicas podem ser numéricas ou
estruturais.
SÍNDROME DE DOWN – TRISSOMIA DO CROMOSSOMO 21: as células da pessoa
afetada possuem três exemplares do cromossomo designado pelo número 21.
SÍNDROME DE TURNER: a pessoa afetada tem apenas um cromossomo sexual
(monossomia), o cromossomo X e é do sexo feminino.
SÍNDROME DE KLINEFELTER: a pessoa tem três cromossomos sexuais (dois X e um Y) e
é do sexo masculino.
Capítulo 8 – Divisão Celular: Mitose e Meiose
DIVISÃO CELULAR é o processo pelo qual uma célula se transforma em duas célulasfilhas. (Dividir = duplicar).
As CÉLULAS-FILHAS são exatamente equivalentes quanto aos aspectos cromossômico e
genético.
CICLO CELULAR:
-MITOSE (divisão do núcleo)
-CITOCINESE (divisão do citoplasma)
-INTERFASE (período entre duas divisões celulares consecutivas; os filamentos
permanecem descondensados e distribuídos no interior do núcleo, constituindo a
cromatina). Nesse período o DNA cromossômico está em plena atividade, produzindo
moléculas de RNA com instruções para a síntese de proteínas. Durante essa fase que a
célula cresce e as moléculas de DNA dos cromossomos se duplicam, preparando a
célula para outra divisão.
A frequência das divisões celulares varia com o tipo e o estado fisiológico de cada
célula.
A MITOSE é um processo contínuo em que uma célula se transforma em duas célulasfilhas (com mesmo número e mesmos tipos de cromossomos da célula-mãe). Divide-se
em:
PRÓFASE: os cromossomos se condensam, os núcleos desaparecem e a
carioteca se desfaz. (Ao condensar, o cromossomo torna-se inativo, pois a
compactação impede que o DNA produza moléculas de RNA).
METÁFASE: desagregação da carioteca liberta os cromossomos; os
microtúbulos que ligam as cromátides-irmãs a pólos celulares opostos começam a se
encurtar, tensionando o centrômero. (O termo metáfase refere-se ao fato de os
cromossomos se alinharem no ‘meio’ da célula).
ANÁFASE: fase em que as cromátides-irmãs se separam.
TELÓFASE: última fase da mitose; os cromossomos se descondensam e uma
nova carioteca surge ao redor de cada conjunto cromossômico, reconstituindo dois
novos núcleos. (os cromossomos retornam à atividade e voltam a produzir RNA e os
nucléolos reaparecem)
Quando uma célula diplóide (2n) sofre mitose, formam-se duas células diplóides, e
caso a célula-mãe seja haplóide (n) a mitose originará duas células-filhas haplóides.
CITOCINESE é o processo de divisão do citoplasma que ocorre ao final da mitose.
Na MEIOSE há uma única duplicação cromossômica seguida de duas divisões nucleares
(a meiose I e a meiose II)e formam-se quatro células-filhas, cada uma com metade do
número de cromossomos originalmente presente na célula-mãe.
PRÓFASES I E II: condensação dos cromossomos
METÁFASE I E II: os cromossomos se ligam aos microtúbulos do fuso e se dispõe
na região equatorial da célula
ANÁFASE I E II: os cromossomos migram para os pólos opostos da célula
TELÓFASES I E II: descondensação dos cromossomos e formação de núcleosfilhos nos pólos da célula em divisão
É na PRÓFASE I, quando ocorrem as quebras nas cromátides de cromossomos
homólogos emparelhados, logo seguidas por soldaduras de reparação, que ocorre a
troca de pedaços entre cromossomos homólogos, ou seja PERMUTAÇÃO (ou
CROSSING-OVER).
PERMUTAÇÃO é um evento importante para a correta separação dos cromossomos
homólogos. Se algum dos pares de cromossomos não passa por permutação a célula
morre. A troca de fragmentos entre cromátides homólogas aumenta as misturas
genéticas, levando a uma maior variedade de gametas formados por um indivíduo.
A MEIOSE II é muito semelhante à mitose. As duas células resultantes da meiose I
entram simultâneamente em prófase II. Após a telófase II, o citoplasma se divide
(citocinese II) e surgem duas células-filhas para cada célula que passou pela segunda
divisão meiótica.
A NÃO-DISJUNÇÃO CROMOSSÔMICA na meiose resulta na produção de gametas com
cromossomos faltando ou em excesso (síndromes de Down, Turner e Klinefelter). A
não-disjunção cromossômica aumenta drasticamente em mulheres com mais de 35
anos de idade, aumentando assim o risco de serem geradas crianças portadoras de
anomalias cromossômicas.
A MEIOSE nos animais ocorre nas gônadas para a formação dos gametas e, por isso, é
chamada de MEIOSE GAMÉTICA.
A MITOSE ocorre nas CÉLULAS SOMÁTICAS (todas as células do corpo) e a MEIOSE
ocorre nas CÉLULAS GERMINATIVAS (células que originam gametas).
Capítulo 6 – Herança e Sexo; 6.1 – Determinação cromossômica do sexo (Livro Azul)
Na REPRODUÇÃO ASSEXUADA um único indivíduo transmite a seus descendentes um
conjunto gênico idêntico ao seu.
Na REPRODUÇÃO SEXUADA, a cada geração, ocorre mistura entre os genes de origem
paterna e materna (recombinação gênica); Um indivíduo transmite a seus
descendentes combinações gênicas diferentes das que recebeu de seus pais.
HERMAFRODITAS (ou monóicas) são espécies em que o mesmo indivíduo forma
ÓVULOS (gametas femininos) E ESPERMATOZÓIDES (gametas masculinos).
DIÓICAS são espécies que há indivíduos que produzem óvulos e indivíduos que
produzem espermatozóides.
A determinação do sexo nas espécies dióicas depende da ação de genes específicos
que atuam no desenvolvimento do novo ser. Há espécies (como crocodilos e
tartarugas, por exemplo) em que as CONDIÇÕES AMBIENTAIS tais como a
TEMPERATURA que determinam o sexo dos animais. (Se os embriões dos crocodilos se
desenvolvem em temperaturas relativamente baixas são sempre do sexo feminino, e
os machos são produzidos apenas se a incubação ocorrer acima de 30°C). Na maioria
das espécies a determinação do sexo é definida pela constituição cromossômica
(genética) dos indivíduos.
SISTEMA XY (ocorre em mamíferos, vários insetos, muitos peixes e algumas plantas)
-Macho e fêmea possuem o cromossomo sexual X; o cromossomo sexual
presente apenas em machos é o cromossomo Y. (fêmeas (XX); machos (XY))
-Fêmeas: sexo HOMOGAMÉTICO (forma apenas um tipo de gameta em relação
ao cromossomo sexual)
-Machos: sexo HETEROGAMÉTICO (forma dois tipos de gameta quanto aos
cromossomos sexuais) – define o sexo da prole
SISTEMA X0 (ocorre em diversos insetos, como o gafanhoto)
Fêmeas tem um par de cromossomos homóligos XX e os machos tem um único
cromossomo X. (fêmeas (XX); machos (X0))
-Fêmeas: sexo HOMOGAMÉTICO (forma apenas um tipo de gameta em relação
ao cromossomo sexual)
-Machos: sexo HETEROGAMÉTICO (forma dois tipos de gameta quanto aos
cromossomos sexuais) – define o sexo da prole
SISTEMA ZW (ocorre em vários insetos, como borboletas e mariposas)
Macho e fêmea possuem o cromossomo sexual Z; o cromossomo sexual
presente apenas em fêmeas é o cromossomo W. (fêmeas (ZW); machos (ZZ))
-Fêmeas: sexo HETEROGAMÉTICO (forma dois tipos de gameta quanto aos
cromossomos sexuais) – define o sexo da prole
-Machos: sexo HOMOGAMÉTICO (forma apenas um tipo de gameta em relação
ao cromossomo sexual)
SISTEMAS
SEXO HOMOGAMÉTICO
SEXO HETEROGAMÉTICO
XY
Fêmea (XX)
Macho (XY)
X0
Fêmea (XX)
Macho (X0)
ZW
Macho (ZZ)
Fêmea (ZW)
_____________________________________________________________________
MEIOSE I e II:
MITOSE:
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards