Chamada para Apresentação de Cartas de Intenção Hotspot de

Propaganda
Chamada para Apresentação de Cartas de Intenção
Hotspot de Biodiversidade do Cerrado
Grandes e Pequenos Apoios
Países Elegíveis: Brasil
Prazo: 30 de setembro de 2016
Diretrizes Estratégicas Elegíveis: 1 a 6
Recorte Geográfico:
Direção
Recorte geográfico
estratégica
1
Corredores prioritários: Central de Matopiba, Mirador-Mesas, Sertão Veredas Peruaçu e Veadeiros -Pouso Alto-Kalungas
Corredores prioritários: Central de Matopiba, Mirador-Mesas, Sertão Veredas-
2
Peruaçu e Veadeiros -Pouso Alto-Kalungas
Atenção: para a direção estratégica 2.3: o foco são as 62 KBAs prioritárias.
3
Porção brasileira do Cerrado hotspot.
4
Porção brasileira do Cerrado hotspot.
5
Porção brasileira do Cerrado hotspot.
6
Porção brasileira do Cerrado hotspot.
Candidaturas Elegíveis: Esta chamada é aberta a grupos e associações comunitários,
organizações não governamentais, empresas privadas, universidades, institutos de
pesquisa e outras organizações da sociedade civil.
Grande Apoios (> US$ 20.000):
Submeter carta de intenção (CDI) diretamente ao secretariado do CEPF em
[email protected] O formulário de candidaturas para grandes apoios pode ser
encontrados em inglês aqui e em português aqui.
Pequenos Apoios (≤ $ 20.000):
Submeter carta de intenção (CDI) diretamente ao Instituto Internacional de Educação do
Brasil (IEB) em [email protected] O formulário de candidaturas para pequenos
apoios pode ser encontrados em inglês aqui e em português aqui.
1. Antecedentes
O Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF) é projetado para proteger as
regiões biologicamente mais ricas e ameaçadas do planeta, conhecidos como hotspots de
biodiversidade. O CEPF é uma iniciativa conjunta da Agência Francesa de
Desenvolvimento, Conservação Internacional, União Europeia, Fundo Global para o Meio
Ambiente, Governo do Japão, Fundação John D. e Catherine T. MacArthur e Banco
Mundial. Um objetivo fundamental é garantir o engajamento da sociedade civil na
conservação da biodiversidade.
2. Resumo do Perfil do Ecossi stema
O Cerrado é a maior hotspot no Hemisfério Ocidental, abrangendo mais de 2 milhões de
quilômetros quadrados no Brasil e estendendo-se marginalmente (cerca de 1%) à Bolívia e
ao Paraguai. É extremamente rico em espécies vegetais. Com uma estação seca
pronunciada, o Cerrado abriga um conjunto único de espécies de plantas adaptadas à seca
- e ao fogo - com um elevado número de espécies endêmicas. Por essas razões, o Cerrado
é considerado uma das regiões de savana tropical do mundo biologicamente mais ricas.
Além dos seus valores de biodiversidade, o Cerrado tem grande importância social. Muitas
pessoas dependem dos recursos naturais da região para sobreviver e prosperar, incluindo
povos indígenas, quilombolas, geraizeiros e ribeirinhos, que são parte do património
histórico e cultural do Brasil, e que detêm e compartilham conhecimentos tradicionais de
sua biodiversidade.
O hotspot inclui as cabeceiras das três principais bacias hidrográficas da América do Sul
(Amazonas/Tocantins, São Francisco e Prata) e é, portanto, de grande importância para a
segurança hídrica regional.
Atualmente, o Cerrado é uma das áreas mais importantes do planeta para a produção
agrícola e pecuária. Até 2010, 47% do Cerrado já havia sido convertido para diferentes usos
humanos e a maioria das áreas remanescentes de vegetação natural já se encontrava
fragmentada. Essa tendência é exacerbada por uma rede de áreas protegidas ainda pouco
desenvolvida: Apenas 8% do bioma Cerrado é legalmente protegido. Este é um dos mais
baixos níveis de proteção de qualquer hotspot. O Cerrado demanda, portanto, ação urgente
para garantir a sustentabilidade ambiental e o bem-estar da sua população.
3. Candidaturas elegíveis
O IEB – Equipe de Implementação Regional (RIT) do CEPF no hotspot de biodiversidade do
Cerrado – e o CEPF têm o prazer de solicitar cartas de intenção de candidaturas elegíveis
oriundas de grupos e associações comunitárias, organizações não governamentais,
empresas privadas, universidades, institutos de pesquisa e outras organizações da
sociedade civil para projetos de conservação da biodiversidade no hotspot de
biodiversidade Cerrado. Empresas ou instituições do governo são elegíveis somente se
puderem demonstrar que:
I.
têm uma personalidade jurídica independente de qualquer agência ou ator
governamental;
II.
têm mandato para solicitar e receber fundos privados; e
III.
não podem invocar o seu direito de imunidade soberana.
Esta chamada está aberta para organizações da sociedade civil tanto locais quanto
internacionais. Notem, contudo, que o IEB e o CEPF acolhem especialmente candidaturas
de organizações locais e de base (por exemplo, organizações de povos indígenas e
tradicionais, associações de mulheres e jovens, e organizações sem fins lucrativos).
Indivíduos devem trabalhar com organizações da sociedade civil para desenvolver
candidaturas, em vez de se candidatar diretamente.
A organização deve ter sua própria conta bancária e estar autorizada, ao abrigo da
legislação nacional relevante, a receber contribuições beneficentes.
Qualquer dúvida sobre se você é elegível para se candidatar a um financiamento do CEPF,
contacte o IEB em [email protected] br após consultas às seguintes páginas:
-
Elegibilidade
-
Vídeo sobre eligibilidade em português
-
Perguntas Frequentes em inglês
-
Perguntas Frequentes em português
4. Geografias Elegíveis
O recorte geográfico é específico para cada direção estratégica:
Direção estratégica
1
2
Recorte geográfico
Quatro corredores prioritários
Quatro corredores prioritários
Atenção: para a direção estratégica 2.3: o foco são as 62 KBAs prioritárias
3
Porção brasileira do Cerrado hotspot.
4
Porção brasileira do Cerrado hotspot.
5
Porção brasileira do Cerrado hotspot.
6
Porção brasileira do Cerrado hotspot.
Os quatros corredores prioritários são: Matopiba, Mirador-Mesas, Sertão Veredas-Peruaçu
e Veadeiros-Pouso Alto-Kalungas. Mais informações sobre as áreas prioritárias podem ser
encontradas no perfil do ecossistema e no Anexo 2. Os KBAs prioritários estão listados no
Anexo 3 e no mapa.
Esta chamada abrange a porção brasileira do hotspot de biodiversidade do Cerrado;
portanto, os projetos devem estar localizadas dentro dos limites do hotspot no Brasil.
5. Diretrizes Estratégicas Elegíveis: 1 a 6
Esta chamada está aberta às Diretrizes Estratégicas 1 a 6 e às suas respectivas prioridades
de investimento, apresentadas na estratégia geral de investimento do CEPF definida no
perfil do ecossistema e que são resumidas abaixo. Candidatos são fortemente encorajados
a familiarizarem-se com a estratégia de investimento completa para o hotspot de
biodiversidade Cerrado – resumidas em inglês aqui e em português aqui – e a entrarem em
contato com o IEB em [email protected] se tiverem alguma dúvida ou quiserem
discutir ideias ou propostas de projectos.
Por favor, observem que se dará preferência aos projetos que mais se adequem à
estratégia de investimento e demonstrem um papel de liderança para organizações da
sociedade civil local. Os projetos devem abordar uma única direção estratégica, mas podem
abranger uma ou mais prioridades de investimento dentro desta.
Os apoios não podem ser usados para: (i) a aquisição de terras; (Ii) a remoção ou a
alteração de qualquer característica cultural material (incluindo as com valores
arqueológicos, paleontológicos, históricos, religiosos ou naturais singulares); (iii) a
relocação de pessoas ou qualquer outra forma de reassentamento involuntário; ou (iv) a
capitalização de fundos fiduciários. Todas as atividades devem estar de acordo com as
políticas salvaguarda sociail e ambiental do CEPF, que podem ser encontradas aqui.
Direção Estratégica 1. Promover a adoção das melhores práticas em agricultura nos
corredores prioritários.
- Prioridade de Investimento 1.1. Identificar e divulgar as tecnologias e práticas
sustentáveis de produção no setor agropecuário para garantir a proteção da
biodiversidade, a manutenção dos serviços ecossistêmicos e a segurança alimentar.
- Prioridade de Investimento 1.2. Promover a formulação e adoção de políticas
públicas e incentivos econômicos para a melhoria das práticas de produção agrícola
e pecuária, promovendo paisagens produtivas sustentáveis.
Direção Estratégica 2. Apoiar a criação/expansão e a gestão eficaz das áreas
protegidas nos corredores prioritários.
- Prioridade de Investimento 2.1. Apoiar estudos e análises necessários para justificar
a criação e expansão das áreas protegidas públicas, promovendo a conservação e o
uso sustentável da biodiversidade e a valorização da cultura local e tradicional.
- Prioridade de Investimento 2.2. Promover a inclusão de indígenas, quilombolas e
populações tradicionais existentes, respeitando e integrando os seus conhecimentos
tradicionais, para o planejamento da conservação/restauração por parte do governo e
da sociedade civil.
- Prioridade de Investimento 2.3. Incentivar a criação e implementação de áreas
protegidas privadas (RPPNs) para estender a proteção legal em KBAs prioritárias .
Direção Estratégica 3. Promover e fortalecer as cadeias produtivas associadas ao uso
sustentável dos recursos naturais e à restauração ecológica no hotspot.
- Prioridade de Investimento 3.1. Apoiar o desenvolvimento de mercados e cadeias
produtivas para produtos não-madeireiros sustentáveis, em especial para as
mulheres e os jovens.
- Prioridade de Investimento 3.2. Promover iniciativas de capacitação, em particular
entre coletores de sementes, produtores de mudas e aqueles que realizam atividades
de restauração, para melhorar as capacidades técnicas e de gestão e tecnologias
ecologicamente adequadas de baixo custo na cadeia produtiva de restauração
ecológica.
- Prioridade de Investimento 3.3. Promover a adoção de políticas públicas e
incentivos econômicos para ampliar a escala e a eficácia da conservação e
restauração de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e Reservas Legais (RLs),
por meio de sistemas produtivos melhorados que reforcem os serviços
ecossistêmicos.
Direção Estratégica 4. Apoiar a proteção das espécies ameaçadas no hotspot.
- Prioridade de Investimento 4.1. Apoiar a implementação de Planos de Ação
Nacionais (PANs) para espécies prioritárias, com foco na gestão e proteção de
habitat.
Direção Estratégica 5. Apoiar a implementação de ferramentas para integrar e
compartilhar dados sobre monitoramento para melhor informar os processos de
tomada de decisão no hotspot.
- Prioridade de Investimento 5.1. Apoiar a divulgação de dados sobre a cobertura
vegetal nativa e a dinâmica do uso da terra, buscando maior confiabilidade e
menores intervalos entre as análises e a tomada de decisão informada baseada em
evidências.
- Prioridade de Investimento 5.2. Apoiar a coleta e divulgação de dados de
monitoramento da quantidade e qualidade dos recursos hídricos, para integrar e
compartilhar dados sobre as principais bacias hidrográficas do hotspot.
Direção Estratégica 6. Fortalecer a capacidade das organizações da sociedade civil
para promover a melhor gestão dos territórios e dos recursos naturais e para apoiar
outras prioridades de investimento no hotspot.
- Prioridade de Investimento 6.1. Fortalecer as capacidades das organizações da
sociedade civil para participar dos órgãos e processos coletivos relacionados com a
gestão de territórios e recursos naturais.
- Prioridade de Investimento 6.2. Desenvolver e fortalecer as capacidades técnicas e
de gestão de organizações da sociedade civil em matéria de meio ambiente,
estratégia e planejamento de conservação, diálogo político e mobilização de
recursos, em conformidade com os regulamentos e outros temas relevantes para as
prioridades de investimento.
- Prioridade de Investimento 6.3. Facilitar os processos de diálogo e cooperação
entre os atores públicos, privados e da sociedade civil para identificar sinergias e
catalisar ações e políticas integradas para a conservação e desenvolviment o
sustentável do Cerrado.
- Prioridade de Investimento 6.4. Disseminar informações sobre as funções
biológicas, ecológicas, sociais e culturais do Cerrado para as diferentes partes
interessadas, incluindo líderes da sociedade civil, tomadores de decisão e públicos
nacionais e internacionais.
6. Como se Candidatar
O CEPF apoia a conservação da biodiversidade por meio de dois tipos de apoios: pequenos
apoios de até US $ 20.000 (vinte mil dólares) – ver seção 6.1 – e grandes apoios de mais
de US $ 20.000 – ver seção 6.2.
Antes de submeter cartas de intenção (CDIs) formais, os candidatos são encorajados a
discutir ideias de propostas e elegibilidade com o IEB em [email protected] Por
favor, observem que não aceitaremos cópias impressas de CDIs, pois só anexos de
mensagens eletrônicas serão aceitos.
Orientações para a candidatura estão disponíveis em inglês aqui e em português aqui.
Respostas a perguntas frequentes podem ser encontradas aqui (em inglês) e aqui (em
português), e dicas (em inglês) para obter financimento para a sua ideia de proposta podem
ser encontradas aqui.
6.1. Para um Pequeno Apoio (≤ $ 20.000)
Todos os candidatos a pequenos apoios podem apresentar uma CDI em português ou
inglês. Formulários de CDI para pequenos apoios estão disponíveis em inglês aqui e em
português aqui. CDIs para pequenos apoios de até US $ 20.000 preenchidas de modo
completo devem ser enviadas como um anexo de mensagem eletrônica diretamente ao IEB
para [email protected]
A recepção da candidatura será acusada por e-mail. Os candidatos serão contactados
posteriormente a respeito dos próximos passos. Dúvidas ou preocupações durante es se
processo podem ser enviadas para [email protected]
6.2. Para um Grande Apoio (> $ 20.000)
Todos os candidatos a grandes apoios devem apresentar uma CDI (LOI) em inglês
apenas. Formulários de CDI (LOI) para grandes apoios estão disponíveis em inglês aqui e
em português aqui. CDIs (LOIs) para grandes apoios acima de US $ 20.000 preenchidas de
modo completo devem ser enviadas como um anexo de mensagem eletrônica diretamente
ao Secretariado do CEPF para [email protected]
A recepção da candidatura será acusada por e-mail. Candidatos que apresentarem a CDI
(LOI) para um grande apoio que recebam uma avaliação positiva serão convidados a
apresentar uma proposta completa. Propostas completas que recebam uma avaliação
positiva levarão à concessão de um apoio da Conservation International, sede do
Secretariado do CEPF, para o beneficiário (o "donatário"). Os apoios serão designados em
dólares norte-americanos e os contratos serão em Inglês. Dúvidas ou preocupações
durante esse processo podem ser enviadas para [email protected]
7. Data de Encerramento
O prazo final para a recepção de CDIs, tanto para grandes quanto pequenos apoios, é
18hs horário de Brasília (BRT), ou equivalentes 17hs de Washington, DC (EDT), de 30 de
setembro de 2016.
Candidatos são encorajados a submeter CDIs antes do prazo final para que o
processamento e análise de suas candidaturas posse começar mais cedo.
8. Para mais Informações
Favor dirigir quaisquer perguntas ou preocupações ao RIT do CEPF:
IEB - Sede Brasília
SCLN 210 Bloco C Salas 209/214
CEP: 70.862-530 - Brasília, DF – Brasil
Telefone: (61) 3248-7449
Fax: (61) 3248-7440
[email protected]
www.iieb.org.br
Todos os candidatos potenciais devem consultar o perfil do ecossistema, os modelos de
formulário (CDIs) e os seguintes recursos adicionais:








Anexo 1 - Espécies Prioritárias tal como no Perfil do Ecossistema
Anexo 2 - Corredores de Conservação Prioritários tal como no Perfil do Ecossistema
<Quadro Lógico do Perfil do Ecossistema em Inglês>
<Quadro Lógico do Perfil do Ecossistema em Português >
<Diretrizes Estratégicas e Prioridades de Investimento (tabela e breve descrição) em
Inglês>
<Diretrizes Estratégicas e Prioridades de Investimento (tabela e breve descrição) em
Português>
Banco de Dados de Projetos do CEPF:
www.cepf.net/grants/project_database/Pages/default.aspx
Políticas de Salvaguarda do Banco Mundial: http://go.worldbank.org/WTA1ODE7T0
Anexo 1 – Tabela de Espécies Prioritárias, tal como no Perfil do Ecossistema
Grupo
Taxonômico
Espécie
Status de
ameaça na
lista nacional*
Status de
ameaça na lista
internacional*
Estratégias Prioritárias de Conservação
- Aumentar o conhecimento sobre as espécies, com foco em áreas protegidas e sua
dinâmica populacional
Planta
Discocactus horstii
CR
VU
- Valorizar e fortalecer as políticas públicas relacionadas com Cactaceae, especialmente
para a colaboração científica internacional
- Criar incentivos e/ou reformular políticas públicas para mitigar e compensar as ameaças
e proteger as populações de Dimorphandra wilsonii
- Integrar instituições governamentais, não governamentais, o setor privado e as
Dimorphandra
comunidades locais em ações para a conservação de Dimorphandra wilsonii e promover
Planta
CR
CR
wilsonii
atividades educacionais sobre a sua proteção e conservação nas áreas de ocorrência da
espécie
- Expandir e proteger as populações de Dimorphandra wilsonii e combater e/ou mitigar as
ameaças à sua área de ocorrência
PAN Aves do Cerrado
Aves
Columbina cyanopis
CR (PEX)
CR
- Reduzir as perdas e melhorar a qualidade do habitat para a conservação das espécies
Conothraupis
- Reduzir os impactos negativos das atividades do agronegócio sobre as espécies
Aves
EN
CR
mesoleuca
- Reduzir os impactos negativos dos assentamentos humanos, projetos de infraestrutura e
exploração de recursos naturais
Aves
Sporophila melanops
CR
- Aumentar o conhecimento científico sobre as espécies
- Apoio às ações de conservação da espécie e seu habitat
- Aumento de pesquisa e acompanhamento da sua ocorrência
Aves
Mergus octosetaceus
CR
CR
- Promover ações de sensibilização e de formação para a conservação da espécie
- Apoiar a colaboração e comunicação internacional
Inseto
Heliconius nattereri
EN
CR
PAN Lepidoptera
- Aumentar a informação sobre espécies com dados insuficientes e monitorar o status de
espécies ameaçadas de conservação ou que ocorrem em habitats com altas taxas de
conversão
- Promover ações voltadas à redução da perda de habitat
Inseto
Nirodia b elphegor
CR
EN
- Fortalecer as instituições envolvidas na conservação e gestão dos Lepidoptera
- Assegurar a conscientização pública sobre a conservação dos Lepidoptera
- Aumentar o controle e a proteção dos Lepidoptera
- Intensificar a investigação para obter conhecimento taxonômico, genético e biológico
- Ações de apoio para diminuir a perda de habitat e incêndios
- Fortalecer as políticas públicas relacionadas com o uso e ocupação do solo e dos
recursos hídricos que afetam a ocorrência da espécie
Anfíb io
Phyllomedusa ayeaye
-CR
- Estabelecer e implementar estratégias para melhorar a qualidade do habitat e a
conectividade em áreas protegidas e prioritárias para a conservação de espécies
- Desenvolver práticas de educação para a sustentabilidade alinhadas com o
desenvolvimento local, beneficiando a conservação das espécies
(*) CR (PEX): Extinto na natureza; CR: Criticamente ameaçada; EN: Ameaçada; VU: Vulnerável.
Anexo 2 – Corredores de Conservação Prioritários para Investimento do CEPF no Hotspot do Cerrado, tal
como no Perfil do Ecossi stema
Corredores
População PIB Médio
2011
(R$)
IDH
Médio
Nível de Ameaça
Médio (IPA)*
Área
2
(km )
% de Cobertura
Vegetal Original
Central de Matopiba
844,577
11,809
0.62
4.95
99,096
81.2
Mirador-Mesas
901,360
11,117
0.57
5.45
64,238
85.0
Sertão Veredas-Peruaçu
703,335
10,577
0.62
5.58
80,995
70.2
Veadeiros-Pouso Alto-Kalungas
IPA = Índice de Pressão Antrópica
335,345
12,599
0.65
5.49
78,124
75.3
Annex 3: Priority Key Biodiversity Areas for CEPF Investment in the Cerrado Hotspot as in the Ecosystem Profile
Código
Nome
Corredor prioritário
KBA área (ha)
Em uma Área
Protegida (ha)
% Protegido
BA11
Ri o de Ja nei ro
Centra l de Ma topi ba
22.856,73
21.885,74
95,8
BA16
Ca becei ra da s La jes
Centra l de Ma topi ba
63.431,96
4.279,37
6,7
BA42
RVS da s Vereda s do Oes te
Sertã o Vereda s - Perua çu
Ba i a no
113.236,25
46.982,42
41,5
BA45
Correnti na
Sertã o Vereda s - Perua çu
148.151,87
0
0
BA47
Gua rá
Sertã o Vereda s - Perua çu
129.657,93
0
0
BA5
EE Ri o Preto
Centra l de Ma topi ba
790.151,49
290.763,53
36,8
BA50
Sa nto Antôni o
Sertã o Vereda s - Perua çu
92.016,74
0
0
BA60
PN Gra nde Sertã o Vereda s Sertã o Vereda s - Perua çu
611.513,58
302.952,22
49.\,5
BA61
Côcos
Sertã o Vereda s - Perua çu
61.313,22
0
0
BA63
Ita gua ri
Sertã o Vereda s - Perua çu
456.336,02
58.840,97
12,9
GO106
Ri bei ra o Sa nta na
37.822,39
37.822,39
100
65.747,88
65.747,88
100
66.882,06
34.466,02
51,5
99.232,14
61.512,89
62
18.056,59
18.056,59
100
170.243,13
62.399,63
36,7
61.378,63
0
0
108.532,79
50.409,96
46,4
130.908,96
3.426,44
2,6
115.838,86
0
0
126.157,55
6.569,72
5,2
21.568,74
21.568,74
100
124.638,72
0
0
134.394,65
54.179,58
40,3
47.835,13
47.832,45
100
GO109
GO119
GO125
GO126
GO139
GO14
GO143
GO15
GO19
GO27
GO35
GO37
GO38
GO40
Vea dei ros
Ka l unga s
Vea dei ros
Ri o Cl a ro
Ka l unga s
RPPN Fa zenda Branca Terra Vea dei ros
dos Anões
Ka l unga s
Vea dei ros
Sã o Ba rtol omeu
Ka l unga s
Vea dei ros
Sã o Bento
Ka l unga s
Vea dei ros
Sucuri
Ka l unga s
Vea dei ros
Ba ca l ha u
Ka l unga s
Vea dei ros
Toca nti zi nho
Ka l unga s
Vea dei ros
Ba co Pa ri
Ka l unga s
Vea dei ros
Bi l ha gua
Ka l unga s
Vea dei ros
Ca l hei ros
Ka l unga s
Vea dei ros
Córrego Arei a
Ka l unga s
Vea dei ros
Córrego Ronca dor
Ka l unga s
Vea dei ros
Corri ol a
Ka l unga s
Vea dei ros
Couros
Ka l unga s
- Pous o Al to –
- Pous o Al to –
- Pous o Al to - Pous o Al to –
- Pous o Al to –
- Pous o Al to –
- Pous o Al to - Pous o Al to –
- Pous o Al to –
- Pous o Al to - Pous o Al to –
- Pous o Al to –
- Pous o Al to - Pous o Al to –
- Pous o Al to –
GO6
APA da s Na s centes do Ri o Vea dei ros - Pous o Al to –
Vermel ho
Ka l unga s
74.524,00
72.655,21
97,5
GO64
La ra nja l
Vea dei ros - Pous o Al to –
Ka l unga s
136.670,50
60.571,13
44,3
GO66
Ma ca cã o
Vea dei ros - Pous o Al to –
Ka l unga s
161.833,11
92.281,82
57
GO67
Ma qui né
Vea dei ros - Pous o Al to –
Ka l unga s
125.085,42
125.085,42
100
GO74
Muquém
Vea dei ros - Pous o Al to –
Ka l unga s
35.175,29
35.175,29
100
GO81
Pa rque Es ta dua l de Terra Vea dei ros - Pous o Al to –
Ronca
Ka l unga s
268.560,46
58.426,32
21,8
132.526,16
132.516,41
100
40.859,84
40.859,84
100
GO82
GO89
Pa rque Nacional da Chapada Vea dei ros - Pous o Al to –
dos Vea dei ros
Ka l unga s
Vea dei ros - Pous o Al to Pi ça rrã o
Ka l unga s
MA1
Al perca ti nha
Mi ra dor-Mes a s
70.241,64
70.229,14
100
MA38
Ri o Ita pi curu
Mi ra dor-Mes a s
3.049,99
0
0
MA44
Sa nto Antôni o de Ba l s a s
Mi ra dor-Mes a s
39.360,10
0
0
MG113
RVS Ri o Pa ndei ros
Sertã o Vereda s - Perua çu
38.431,58
7.646,27
19,9
MG33
EE Sa ga ra na
Sertã o Vereda s - Perua çu
331.829,06
2.319,07
0,7
MG85
PE Vereda s do Perua çu
Sertã o Vereda s - Perua çu
138.748,80
135.364,15
97,6
MG89
PN Ca verna s do Perua çu
Sertã o Vereda s - Perua çu
238.615,50
39.520,39
16,6
PI19
PN da s Na s centes do Ri o
Centra l de Ma topi ba
Pa rna íba
279.146,20
261.980,07
93,9
PI28
Uruçuí-Preto
Mi ra dor-Mes a s
605.948,42
64.842,40
10,7
TO13
Brejã o do Ja l a pã o
Centra l de Ma topi ba
78.969,50
78.780,45
99,8
TO23
Des a bus o
Centra l de Ma topi ba
8.965,92
8.962,28
100
TO26
Es teneu
Centra l de Ma topi ba
27.075,35
27.075,27
100
TO28
Fri to Ga do
Centra l de Ma topi ba
38.650,67
38.650,67
100
TO3
Al ma s
Centra l de Ma topi ba
102.710,49
58.904,99
57,4
TO43
Ma nuel Al ves
Centra l de Ma topi ba
318.737,89
38.126,61
12
TO44
Ma tei ros
Centra l de Ma topi ba
11.765,86
11.765,86
100
TO46
Montes Cl a ros
Vea dei ros - Pous o Al to –
Ka l unga s
198.155,27
28.880,10
14,6
TO49
Na ti vi da de
Vea dei ros - Pous o Al to –
Ka l unga s
235.778,06
0
0
TO51
Novo Ja rdi m
Centra l de Ma topi ba
425.536,22
132,61
0
TO54
Pa rque Estadual do Jala pã o Centra l de Ma topi ba
21.481,73
21.481,73
100
TO59
Pedra de Amol a r
Centra l de Ma topi ba
36.675,54
36.675,54
100
TO61
Perdi da
Centra l de Ma topi ba
260.603,92
0
0
TO65
Ponte Al ta
Centra l de Ma topi ba
330.253,92
134.931,62
40,9
TO66
Porto Na ci ona l
Centra l de Ma topi ba
319.932,12
460,75
0,1
TO72
Ri o da Vol ta
Centra l de Ma topi ba
24.237,76
24.229,66
100
TO75
Ri o Novo
Centra l de Ma topi ba
4.015,70
4.013,70
100
TO87
Soni nho
Centra l de Ma topi ba
198.439,09
69.840,78
35,2
TO90
Ta qua ra çu
Centra l de Ma topi ba
106.260,70
55.509,75
52,2
TO93
Toca
Centra l de Ma topi ba
24.825,51
24.823,21
100
Download