fórum permanente de monitoramento de tempo e clima para a

Propaganda
FÓRUM PERMANENTE DE MONITORAMENTO DE TEMPO E CLIMA PARA A AGRICULTURA NO RIO
GRANDE DO SUL
VII REUNIÃO TÉCNICA
I – SITUAÇÃO ATUAL E PROGNÓSTICOS CLIMÁTICOS:
O monitoramento da temperatura da superfície do mar, no Oceano Pacífico Equatorial nos
últimos meses, tem mostrado a continuidade do fenômeno “La Niña”. Conforme estava previsto para janeiro e fevereiro as
chuvas foram, em geral, abaixo da média climatológica, com períodos significativos de estiagem como, por exemplo, entre
5 e 21 de fevereiro. Em março o total mensal de chuva esteve próximo ou acima da média climatológica, mas, assim
como nos meses anteriores, as chuvas foram mal distribuídas, com um período de estiagem entre os dias 8 e 21.
Os modelos globais de previsão climática gerados pelos Centros Meteorológicos indicam que
haverá um enfraquecimento das condições de “La Niña” e retorno das condições normais até o final do mês de maio. Estes
mesmos modelos mostram que as chuvas devem ficar próximas a normal no leste do Estado, enquanto que no centro e
oeste a tendência é de que as chuvas fiquem pouco abaixo da normal. As temperaturas devem ficar próximas da
normalidade.
Podemos observar que, em anos de “La Niña” as chuvas apresentam uma distribuição, tanto
temporal quanto espacial, muito irregular, ou seja chuvas mal distribuídas. Lembra-se, ainda, que com a chegada do
outono, aumenta a frequência de entrada de massas de ar frio no Estado, com maior possibilidade de ocorrência de
temperaturas mínimas menores.
Enfatiza-se mais uma vez que as previsões climáticas são feitas por modelos, ainda em
caráter experimental, e devem ser usadas com cuidado, conforme recomendam os próprios centros que fazem essas
previsões.
RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS:
II - ORIENTAÇÕES GERAIS :
1)
2)
3)
4)
5)
6)
7)
8)
9)
10)
11)
Por ocasião da colheita dos cultivos de verão, manter a palha sobre o solo;
Consultar os serviços de previsão de tempo (curto prazo), especialmente para as culturas de verão em fase de colheita;
Racionalizar o uso da água e irrigar quando necessário, preferencialmente nos períodos críticos das culturas;
Mobilizar o solo o mínimo possível, por ocasião do preparo e da semeadura das culturas de inverno;
Descompactar o solo quando necessário;
Dar preferência ao plantio direto na palha;
Seguir as recomendações técnicas emanadas pela pesquisa para cada cultura de inverno;
Implantar as culturas sob adequadas condições de umidade e temperatura do solo;
Observar o zoneamento agrícola;
Dentro do sistema de produção, observar práticas de rotação de cultivos;
Consultar a assistência técnica da Emater, Irga, Cooperativas e outros.
III - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS ESPECÍFICAS:
PARA A CULTURA DO ARROZ:
1) Suprimir a água de irrigação dos quadros tão logo seja possível. Por exemplo, em solos pesados ela deve ser retirada
15 dias após o florescimento pleno. Em solos leves, suprimir após o completo enchimento de grãos;
2) Monitorar a colheita de acordo com a capacidade estática do silo secador, de maneira a evitar redução na qualidade do
grão colhido.
PARA AS CULTURAS DA SOJA, MILHO, SORGO E FEIJÃO:
1) Colher assim que amadurecer, secar imediatamente e armazenar corretamente.
PARA AS HORTALIÇAS:
1) Dar especial atenção para evitar irrigação em excesso e não irrigar em dias nublados ou chuvosos. Quando necessário
irrigar , proceder o mesmo pela manhã. Usar cobertura morta e dar preferência à irrigação por gotejamento. Dar
especial atenção à qualidade da água utilizada, com vista a evitar a presença de contaminantes. Recomenda-se, no caso
de uso da irrigação, a procura de um técnico habilitado para dimensionar o sistema e seu correto manejo.
2) Fazer o monitoramento de pragas, especialmente vaquinhas, broca , trips e percevejos e dar ênfase no monitoramento
de doenças, principalmente daquelas favorecidas pelo molhamento da parte aérea ou excesso de umidade no ar e/ou no
solo ;
3) Em ambientes protegidos (túneis e estufas) proceder a abertura o mais cedo possível, exceto nos dias frios, nos quais a
abertura deverá ser retardada de acordo com a temperatura do ar (em geral acima dos 10º C) e a condição de
disponibilidade de radiação solar. Realizar o fechamento cerca de uma hora antes do pôr-do-sol. Em dias frios,
antecipar o fechamento em uma hora e em dias com previsão de ocorrência de geadas, antecipá-lo em cerca de duas
horas.
PARA A FRUTICULTURA:
1) Promover o manejo da vegetação em pomares, com coberturas verdes, de forma que propicie a cobertura morta na
projeção da copa das frutíferas para proteger o solo e reter a umidade;
2) Usar o raleio de frutos (em bergamoteiras), com a maior brevidade possível, como prática indispensável para melhorar
a qualidade do produto;
3) Suplementar com irrigação, pomares com frutos em crescimento e/ou maturação, assim como pomares jovens para
favorecer a disponibilidade de umidade no solo. Utilizar cobertura morta ao redor das plantas, sempre que possível.
4) Realizar adubação somente quando o solo apresentar umidade adequada.
5) Realizar o monitoramento de pragas e doenças, especialmente para evitar que ocorra o desfolhamento precoce das
plantas.
PARA FORRAGEIRAS:
1) Realizar o plantio de forrageiras de inverno, anuais ou perenes imediatamente, havendo condições de umidade do solo;
2) Realizar as roçadas normais de outono;
3) Diferir potreiros para sementação das espécies de verão e reserva de pastagens para o fim do outono e inverno;
4) Realizar o desmame, particularmente em vacas com baixa condição corporal e novilhas de primeira cria;
5) Planejar o uso de suplementações estratégicas para as categorias mais necessitadas no período outono/inverno.
PARA AS CULTURAS DE INVERNO:
1) Escalonar época de semeadura dentro do período indicado pelo zoneamento agrícola;
2) Utilizar sementes de boa qualidade, preferencialmente das classes fiscalizada e certificada.
O Fórum Permanente de Monitoramento de Tempo e Clima para a Agricultura no Rio Grande do Sul, é
coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, e conta com o apoio da Fundação Estadual de
Pesquisa Agropecuária –FEPAGRO e da EMATER/RS. Além destas, colaboram outras instituições, destacadamente a
Faculdade de Agronomia da UFRGS, o Centro de Pesquisas Meteorológicas da UFPEL e o 8º Distrito de Meteorologia –
INMET/MA.
Este Fórum, tem por objetivo maior, monitorar os fenômenos climáticos e meteorológicos e estabelecer uma
análise destes fenômenos em relação à atividade agrícola em nosso Estado, orientando usuários; principalmente
cooperativas, sindicatos e associações de agricultores, nas recomendações de manejos e práticas que possibilitem melhorar
a produção e minimizar prejuízos na agricultura.
A SAA/RS, em conjunto com a comunidade científica e setorial, estará acompanhando o monitoramento e as
previsões climáticas, analisando as informações e divulgando-as ao público interessado.
As seguintes Instituições e Entidades, participaram desta reunião:

















Secretaria da Agricultura e Abastecimento – SAA;
EMATER / RS;
Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária - FEPAGRO;
Faculdade de Agronomia da UFRGS;
Centro Estadual de Pesquisas em Sensoriamento Remoto e Meteorologia (UFRGS, SCT, INPE);
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE;
Secretaria de Ciência e Tecnologia – SCT;
Instituto Rio - Grandense do Arroz – IRGA;
Companhia Nacional de Abastecimento - CONAB/RS - MA;
EMBRAPA - Trigo;
8º DISME – Instituto Nacional de Meteorologia - INMET – MA;
Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul - FECOAGRO/RS;
Cooperativa Central dos Assentamentos do RS – COCEARGS;
Sociedade Brasileira de Agrometeorologia – SBA;
Centro de Pesquisas Meteorológicas – CPMET/UFPEL;
Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul – FARSUL;
Coordenadoria Estadual de Defesa Civil.
Estas recomendações ora elaboradas, serão divulgadas através das instituições/entidades participantes, bem como
através da Internet, através dos seguintes sites: http://www.emater.tche.br, http://www.cpmet.ufpel.tche.br,
http://www.viarural.com.br e http://www.ufrgs.br/agro/tempoeclima .
Para acesso aos serviços de previsão de tempo (curto prazo) indicamos as seguintes instituições:
 8º Distrito de Meteorologia (Porto Alegre) – fone: 51 – 334.7412 ou http://www.inmet.gov.br;
 Centro de Pesquisas Meteorológicas da UFPel (Pelotas) - tele-previsão CPMET :53 – 277.6699 ;
 Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos - CPTEC/INPE : (Cachoeira Paulista – SP) http://www.cptec.inpe.br.
A próxima reunião do Fórum está agendada para o dia 10 de maio de 2000.
Porto Alegre - RS, 05 de abril de 2000.
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards