O SR

advertisement
15/09/2004
O SR. MARCUS VICENTE (PTB-ES) pronuncia o seguinte
discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, é com muita
alegria que comemoramos, em nome do povo capixaba, os 30
anos de Fundação do Mosteiro Zen-Budista Morro da Vargem,
no Espírito Santo. Entre montanhas, próximo ao litoral norte do
estado, uma antiga fazenda de 120 hectares viu nascer e
crescer a primeira instituição do gênero na América Latina,
destinada à prática e à formação de monges budistas e leigos,
de acordo com os princípios da chamada Escola Soto Zen.
O mosteiro é uma entidade sem fins lucrativos, que
depende de doações para sua sobrevivência. Ali, onde se
praticam as atividades próprias da filosofia budista, como
meditação, canto, leitura e trabalho, também se desenvolve um
consistente programa de educação ambiental para os visitantes,
aberto a todos os interessados. Cem hectares da área
pertencente ao mosteiro estão hoje reservados à recuperação e
2
conservação do meio ambiente, os outros vinte destinados à
atividade agrícola de subsistência.
A presença de um mosteiro budista no estado é um
privilégio de que devemos todos, de uma maneira ou de outra,
desfrutar. A beleza do lugar, tão bem cultivada, soma-se ao
ambiente de absoluta tranqüilidade, como convém à rotina dos
monges e praticantes. Buscando a verdade da existência, de
acordo com os preceitos de Buda, as pessoas entregam-se a
uma rotina absolutamente simples e disciplinada, por meio da
qual pretendem encontrar a iluminação espiritual. Aberto aos
leigos e simpatizantes, o espaço convida à reflexão, ao
recolhimento interior, ao encontro profundo com a natureza e a
harmonia universal.
A filosofia budista, criada há dois mil e seiscentos anos na
parte da Índia onde hoje se localiza o Nepal, é um verdadeiro
manancial de paz, alegria e fraternidade, em assombroso
contraste com o estresse e o artificialismo da vida urbana
moderna, com o materialismo e a violência que assolam o
planeta na época contemporânea. Buscando conhecer a
3
Verdade ou o Dharma, seus adeptos submetem-se a uma rotina
de meditação, frugalidade e trabalho coletivo, por meio da qual,
gradativamente,
abrem mão de seus interesses pessoais e
materiais, desfazendo-se assim da ilusão do ego, principal
causa do sofrimento humano e de sua perpetuação. A simples
presença em um lugar como esse já oferece ao visitante um
momento de grande paz no coração.
Mas as atividades do Mosteiro Morro da Vargem não se
limitam às práticas espirituais, generosamente compartilhadas
com todos os que pretendem se iniciar. Consolidando um
trabalho que já se realizava há muitos anos, em 1992, o
Mosteiro transformou-se em Pólo de Educação Ambiental da
Mata Atlântica, oferecendo oficialmente cursos de Educação
Ambiental para professores, estudantes, líderes religiosos e
comunitários, agricultores, policiais, políticos, enfim, para todos
aqueles cuja atividade, de um modo ou de outro, diga respeito à
exploração e conservação do meio ambiente.
Atualmente, os municípios de Ibiraçu, Aracruz, João Neiva
e Fundão, que contêm em seus territórios remanescentes de
4
Mata Atlântica, fazem parte da área de abrangência do Pólo do
Mosteiro, em parceria com a Secretaria de Estado de
Desenvolvimento Sustentável, a Aracruz Celulose S/A e a
Companhia Vale do Rio Doce. Para se ter idéia da amplitude da
atividade do mosteiro, basta dizer que hoje doze mil pessoas
dela participam, sendo que sete mil são estudantes do primeiro
grau.
Mas vai ainda além o trabalho do Mosteiro do Morro da
Vargem, Senhor Presidente. Não bastasse a atividade espiritual
e ambiental, ainda se desenvolve, ali, uma importante estação
cultural, um espaço-residência destinado a artistas de todas as
áreas, para que, em temporada de intenso convívio com a
natureza, possam desenvolver novos projetos. Como se vê, a
filosofia zen-budista perpassa toda a vida e o trabalho realizados
no mosteiro, desdobrando-se e oferecendo-se como dádiva
preciosa a quantos procurem o santuário, para meditar,
aprender ou criar.
É por tudo isso, Senhor Presidente, que não hesitamos em
render homenagens à instituição, cujos benefícios, em termos
5
pessoais e coletivos, não cessam de se evidenciar. Ciosos do
privilégio que temos, em abrigar em nosso Estado essa fonte de
luz, sabedoria e bem-estar, desejamos muito sinceramente que
seu trabalho permaneça e frutifique, alcançando ainda muitas
gerações .
Muito obrigado,
Marcus Vicente
Deputado Federal
PTB/ES
2004.10369 Marcus Vicente
Download