Zoologia

Propaganda
Zoologia
Filo Porifera
Animais portadores de poros
Animais aquáticos (quase todos marinhos),
que vivem geralmente fixados pela sua
base em recifes de corais.
Não apresentam órgãos e tecidos
verdadeiros.
São animais filtradores, alimentando-se de
partículas presentes na água que é
bombeada através das paredes do corpo.
Estrutura dos poríferos:
- Extremidade aberta por onde sai a
água contendo resíduos,
espermatozóides, etc (ósculo).
- Cavidade interna por onde
circulam os nutrientes e os gases
respiratórios (átrio).
São considerados os únicos animais
que não possuem sistema nervoso
nem muscular.
Células dos poríferos:
- Coanócitos: células exclusivas dos
poríferos, atuando nos processos de
nutrição, respiração, excreção e também
reprodução sexuada.
- Pinacócitos: células achatadas que
revestem o corpo das esponjas.
- Porócitos: responsáveis pela formação
dos poros.
- Amebócitos: células capazes de englobar
os nutrientes capturados pelos
coanócitos e distribuir às outras células.
Estrutura esquelética
Espículas – estruturas minerais
semelhantes a agulhas, encontradas
espalhadas internamente no corpo
das esponjas, formando a estrutura
de sustentação.
Tipos anatômicos
Áscon: tipo anatômico mais simples, onde a
espongiocele ocupa um grande volume,
sendo completamente revestida pelos
coanócitos.
Sícon: apresentam parede mais espessa e
enrugada, formando canais abertos para fora
e para dentro (inalantes e exalantes).
Lêucon: apresentam a espongiocele menor, no
entanto a parede do corpo é mais
desenvolvida e formada por um sistema de
canais ramificados. Com isso, a intensidade
na circulação da água é maior, assim como a
capacidade de filtração.
Reprodução
Reprodução sexuada
As esponjas podem ser dióicas (sexos separados) ou monóicas
(hermafroditas), apresentando fecundação interna e desenvolvimento
indireto, ou seja, fase larval.
Reprodução assexuada
Brotamento (gemiparidade)
Formação de pequenos agregados de
células que migram para a superfície.
Quando
crescem,
desenvolvem
pequenas esponjas que podem se
destacar do organismo original ou não.
Gemulação
Brotos internos ou gêmulas são
estruturas formadas em condições
desfavoráveis, como frio ou seca.
Depois da morte do animal, as
gêmulas sobrevivem até que as
condições se normalizem.
Filo Cnidaria
São mais complexos que as esponjas, pois:
- apresentam certos tecidos organizados
(formando o revestimento do corpo)
- possuem uma cavidade digestória
- possuem um sistema nervoso primitivo
Estrutura dos cnidários
Animais diblásticos (ectoderme e
endoderme).
Ectoderme origina o revestimento
externo e a endoderme o
revestimento interno da cavidade
digestória.
O revestimento externo possui células
musculares e nervosas.
Como os cnidários não apresentam
nenhum centro de comando nervoso,
dizemos que esses animais possuem o
sistema nervoso difuso.
Simetria: dividindo o corpo
Alguns animais são assimétricos (como
algumas esponjas); outros, como os
cnidários, possuem uma simetria
radial; porém, a maioria dos outros
filos são simétricos bilaterais.
Cnidócito
Células urticantes presentes na região dos tentáculos e que atuam
na defesa contra predadores e captura de presas.
Formas do corpo
Pólipos: fixos
Medusas: livres
Os pólipos, como os corais e
anêmonas, vivem fixos no
substrato (com exceção das
hidras)
Animais natantes que possuem
a boca e os tentáculos voltados
para baixo.
Classificação dos cnidários
Hydrozoa – Hidras e caravelas.
- Organismos isolados ou formadores de
colônia, com predomínio de pólipos
sobre medusas.
Schyphozoa – Águas-vivas.
- Podem ocorrer isoladamente ou em
grandes grupos.
Anthozoa – Anêmonas e corais.
- Classe mais numerosa dos cnidários
- Não existem medusas.
Nutrição
Pequenos animais (zooplâncton) e peixes.
Captura com o auxílio dos cnidócitos.
Digestão primitiva (ausência de ânus).
Digestão extra e intracelular.
Reprodução
Alternância de gerações ou metagênese
Platelmintos
 Vermes achatados
 Triblásticos (mesoderme
forma a musculatura).
 Sistemas digestório e excretor.
 Acelomados (não possuem o
espaço que abriga os órgãos do
animal e os separam da parede
do corpo
Platelmintos
Cefalização – primeiros
animais a apresentarem a
cabeça na região anterior
do corpo.
Simetria bilateral
Classificação dos platelmintos
 Turbellaria – Platelmintos adaptados à
vida livre, não sendo parasitas. Como
exemplo típico temos as planárias.
 Trematoda – Todos os vermes são
parasitas. Caracterizam-se pela presença
de ventosas para a fixação no hospedeiro.
Um dos representantes mais importantes
é o Schistosoma mansoni.
 Cestoda – Nesta classe estão agrupadas as
tênias ou solitárias. São vermes muito
finos, mas que podem atingir 6 metros de
comprimento.
Cestoda
- Cabeça (escólex) com ventosas.
- São animais monóicos, não
necessitando de parceiros sexuais
para a reprodução.
- Proglotes grávidas se desprendem e
saem nas fezes, liberando centenas
de ovos no solo.
Funcionamento do corpo
São mais complexos e desenvolvidos
que os cnidários, entretanto não
apresentam ainda os sistemas
respiratório e cardiovascular.
Trocas gasosas ocorrem por difusão.
Nutrientes são distribuídos por
difusão e osmose.
Nutrição
- sistema digestório incompleto
(sem ânus).
Excreção
- primeiros animais a apresentarem
sistema excretor.
- Excreção é realizada por um grupo
de células denominadas célulasflama.
- Estas células removem o excesso
de água e amônia.
Sistema nervoso
Formado por dois conjuntos de células
nervosas localizadas na região
cefálica, os gânglios cerebrais.
De cada gânglio parte um cordão
nervoso que percorre o corpo todo.
Comunicação com o restante do corpo
por meio de fibras nervosas.
Reprodução
Assexuada
Reprodução
Sexuada
 Fecundação cruzada
Verminoses humanas
Esquistossomose
- Causada por parasitas do gênero
Schistosoma.
- O verme parasita se hospeda no
sistema porta-hepático, que é um
conjunto de pequenas veias que
estabelecem uma conexão entre
intestino, fígado e baço.
Sintomas
Hepatomegalia
Esplenomegalia
Barriga d’água
Prevenção
- Evitar o contato com a água de locais suspeitos e
contaminados com os caramujos portadores dos parasitas.
- Saneamento básico
Teníase: solitária
- Assim como na esquistossomose, o homem é o hospedeiro
definitivo.
- Taenia solium é transmitida pela carne de porco e Taenia
saginata pela ingestão de carne bovina (hospedeiros
intermediários).
- Ocorre quando a pessoa se alimenta da carne malpassada que
esteja contaminada com as larvas da tênia (cisticercos). Estes
cisticercos podem sobreviver anos na musculatura dos
hospedeiros intermediários.
Prevenção
-Evitar a ingestão de carne com
suspeita de contaminação.
- Assar bem a carne, pois as larvas
morrem com o calor.
- Saneamento básico.
Cisticercose humana
 É a doença que o homem adquire
quando ingere diretamente os ovos
de Taenia solium.
 Os ovos podem encontrar-se em
alimentos contaminados, como
verduras e frutos.
 Os ovos transformam-se em larvas
(cisticercos), que podem migrar
para o cérebro ou para o olho.
Nematelmintos
Vermes cilíndricos.
Ocorrem em ambientes terrestres,
dulcícolas e marinhos.
Maioria de vida livre, porém com
alguns parasitas importantes.
Pseudocelomado – cavidade não é
totalmente delimitada pelas células
da mesoderme.
Organização do corpo
Revestimento protegido por uma
cutícula dura e resistente
(adaptação para a vida dentro do
tubo digestório do hospedeiro).
Assim como os platelmintos, não
possuem sistema respiratório e
circulatório.
Nutrição
- Sistema digestório completo
- Alimento é conduzido em um único sentido, no interior de um tubo
reto com uma abertura de entrada (boca) e um orifício de saída (ânus).
Excreção
Sistema excretor do tipo tubular, sendo formado por dois tubos
na forma da letra H.
Sistema nervoso
Possuem um anel nervoso ao redor do esôfago, de onde partem
cordões nervosos para o resto do corpo.
Reprodução
Animais dioicos (sexos separados)
Verminoses humanas
Ancilostomose: amarelão
- São vermes parasitas do intestino
delgado humano.
- Possuem dentes para “morder” a
mucosa intestinal.
- Seu ciclo de vida possui apenas
um hospedeiro: o homem.
Ancylostoma duodenale
Sintomas
- O sangramento causado pelos
dentes do ancilóstomo provoca
anemia.
- Crianças podem ter o
desenvolvimento físico e mental
afetados, devido à falta de ferro.
Prevenção
- Andar calçado
- Lavar os alimentos
- Tomar água fervida...........
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards