Enviado por Do utilizador1743

biologia I , mandar por email

Propaganda
Filo Porífera
Pedro Roberto Severino Braga
Vinicius Ribeiro de Campos
Poríferos;
O poríferos ( do latim porus, “poro” e ferre, “ter”) é
constituído pelos animais vulgarmente denominados
esponjas. São descritas atualmente cerca de 3 mil espécies,
onde a maioria hoje vivem no fundo dos mares, algumas
poucas habitam águas doces
Estrutura corporal;
Todas as esponjas tem uma cavidade interna denominada átrio.
Sua comunicação com o átrio e o ambiente externo é feito por uma abertura denominada ósculo
localizada na parte superior da esponja.
A esponja possui vários poros em torno de seu copo, o qual a água pode entrar.
Existem três tipos de formas de corpo de esponja:
 Aconoide ; se assemelha a um vaso e os esporos atravessam a parede da esponja, assim atingindo o
átrio.
 Siconoide; parede corporal dobra-se em si mesma, e cada dobra delimita uma pequena câmara na
parede corporal.
 Leuconoide; câmaras interligadas por canais , padrão de dobras complexo.
A circulação de água:
As esponjas possuem poros na parede corporal por onde a água
do meio circundante penetra o corpo do animal. O movimento da
água é provocado pelo batimento dos flagelo dos conócitos. A
água presente no interior do átrio é impelida para fora do corpo da
esponja, saindo do ósculo.
PORO  ÁTRIO  ÓSCULO
Nutrição e exreção
A água que circula no interior do corpo das esponjas traz partículas nutritivas – detritos orgânicos –
algas microscópicas – protozoários – bactérias – fitoplâncton. As esponjas se alimentam por filtração.
A digestão é intracelular ( os conanócitos fagocitam as partículas nutritivas).
A excreção dos resíduos alimentares são digeridos ocorre por exocitose.
Reprodução
Reprodução assexuada
Brotamento ou gemiparidade: ocorre em algumas esponjas, que ocupando um ambiente adequado em termos
de temperatura, de oferta de oxigênio e de alimento, crescem bastante e podem desenvolver brotos laterais.
Regeneração: as esponjas possuem enorme capacidade de regeneração. Quando cortadas em vários fragmentos
e colocadas em condições favoráveis, cada fragmento pode originar um novo indivíduo.
Reprodução sexuada
Os espermatozoides são produzidos a partir de amebócitos e lançados na cavidade central. Esses espermatozoides
podem entrar em outra esponja através dos poros e capturados pelos coanócitos, que auxiliam na fecundação do
óvulo.
Forma-se então um zigoto que forma uma larva móvel, que nada até se fixar em um substrato, dando origem a nova
esponja.
Cnidários
Características gerais
Os cnidários apresentam dois tipos morfológicos, as medusas e
os pólipos. Algumas espécies podem apresentar as duas formas em
diferentes períodos da vida.
Os cnidários apresentam um tipo específico de célula em seus
tentáculos, o cnidócito. Essas células lançam o nematocisto, uma
espécie de cápsula que contém um filamento com espinhos e um
líquido urticante.
O nematocisto é responsável por injetar substâncias tóxicas que
auxiliam na captura de presa e na defesa. Em humanos, pode causar
queimaduras.
Os cnidários apresentam dois tipos morfológicos, as medusas e
os pólipos. Algumas espécies podem apresentar as duas formas em
diferentes períodos da vida.
Pólipos e Medusas
As medusas são representadas pelos organismos natantes, como as
águas-vivas. Apresentam um corpo gelatinoso em forma de sino,
com tentáculos em sua margem e a boca central.
Os pólipos constituem os organismos sésseis, ou seja, fixos a um
substrato. Apresentam formato tubular, como as anêmonas-do-mar.
Eles podem viver em colônias ou isolados.
Os cnidários não apresentam sistema circulatório, digestório e
respiratório.
Apomorfia
• Cavidade gástrica
• Boca
• Digestão intra e extracelular
• Células nervosas
• Alternância de gerações
Alimentação
Os cnidários apresentam sistema digestório incompleto, eles não
apresentam ânus.
O sistema digestivo dos cnidários é constituído por uma cavidade
dotada de uma única abertura. Esse local serve tanto para a entrada
de alimentos como para a saída de dejetos.
Ao capturarem o alimento, com auxílio dos tentáculos, o
introduzem na cavidade digestiva. Daí, são parcialmente fracionados
por ação das enzimas, sendo os nutrientes distribuídos por todas as
partes do corpo.
Reprodução
A reprodução assexuada ocorre por brotamento. Na superfície do
corpo existem brotos que ao se desenvolverem, desprendem-se e
originam novos indivíduos. Esse tipo de reprodução é comum em
hidras de água doce e em algumas anêmonas marinhas.
A reprodução sexuada é possível graças a existência de cnidários
dióicos (sexos separados) ou monóicos (hermafroditas).
Nesse tipo de reprodução, há formação de gametas masculinos e
femininos. O macho libera seus espermatozoides na água, os quais
fecundam o óvulo feminino, presente na superfície. corporal.
Platelmintos
Características gerais
Os platelmintos são os vermes achatados, como a planária, a tênia e
o esquistossomo. A primeira é de vida livre e pode ser aquática e
terrestre; já a tênia e o esquistossomo são parasitas e, por conta
disso, causam prejuízo ao ser humano.
Os platelmintos já são dotados dos três folhetos, isso é,
endoderme, mesoderme e ectoderme. No entanto, não apresentam
uma cavidade interna, logo, são acelomados.
Apomorfia
• Simetria bilateral
• Adaptação a vida parasitária
• Sistema digestório incompleto
• Possuem ocelos
• Alguns possuem cutículas
Doenças
Platelmintos são causadores de diversas doenças devido a seus
hábitos parasitas, e o ser humano pode atuar como hospedeiro
intermediário ou definitivo, dependendo do tipo de reprodução que
ocorre em seu interior.
Tênias são responsáveis pela teníase (quando os cisticercos são
ingeridos por humanos, ou seja, a fase larval) e pela cisticercose
(quando os ovos são ingeridos por humanos, e não a fase larval).
O esquistossomo, ‘Schistomosoma mansoni’, é responsável
pela esquistossomose, e tem o homem como seu hospedeiro
definitivo, enquanto o intermediário é o caramujo planorbídeo.
Reprodução
Reprodução assexuada
Algumas espécies de planária conseguem se reproduzir pelo fascinante processo de fragmentação do seu
corpo, apesar de não ser essa a principal forma de reprodução.
Um fragmento reconstitui uma planária completa, através de sua elevada capacidade regenerativa. Cada um
de seus pedaços pode dar origem um corpo inteiro, se for cortado em até um décimo de seu tamanho.
Reprodução sexuada
Algumas espécies de platelmintos, como o esquistossomo, são dioicas (sexos separados). Outras, como
planárias e tênias, são monoicas (hermafroditas).
O sistema reprodutor feminino da planária de água doce constitui-se de um par de órgãos produtores de
gametas, os ovários, conectados a tubos, os ovidutos, por onde saem os óvulos maduros. É produzida uma
substância nutritiva para os embriões em glândulas vitelínicas, onde os ovidutos desembocam.
Nematelmintos
Características gerais
Os nematelmintos são os vermes cilíndricos, representados pelas
lombrigas, pelos oxiúros, pelo ancilóstomo e pela filaria. Como você
pode ter percebido, este filo possui vários organismos causadores de
diversas verminoses. O tubo digestivo dos seus integrantes é
completo, ou seja, possui boca e ânus. Além disso, são
triblásticos (apresentam os três folhetos embrionários),
pseudocelomados (apresentam uma cavidade interna, mas a origem
não é mesodérmica), e o sistema nervoso é mais centralizado.
Verminoses
Entre as verminoses, estão a ascaridíase (cujo causador é o ‘Ascaris lumbricoides’, a famosa lombriga),
a oxiurose (cujos causadores são os oxiúros), a elefantíase (cujo causador é a filária), a ancilostomose,
ou “doença do jeca-tatu” (causada pelo amarelão, o ancilostoma), entre outras.
Apomorfia
• Sistema digestório completo (de boca á anús)
• Adaptação a vida parasitária
• Possui celoma
• Ganchos (ventosas)
• Possui cutículas
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards