- SBEnBio

Propaganda
EIXO TEMÁTICO 2: ESTRATÉGIAS, MATERIAIS E RECURSOS DIDÁTICOS NA EDUCAÇÃO EM
CIÊNCIAS E BIOLOGIA.
MODALIDADE: ATELIÊ DE CRIAÇÃO - AC.63
OFICINA PEDICULOSE: UMA PROPOSTA DE ABORDAGEM NA FORMAÇÃO
DE PROFESSORES, RUMO À PRÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL.
Sheila da Mota dos Santos, Fiocruz/Instituto Oswaldo Cruz, Especialista em Ensino em Biociências e
Saúde, [email protected]
Cristianni Antunes Leal, Fiocruz/Instituto Oswaldo Cruz, doutoranda em Ensino em Biociências e Saúde
e docente de biologia na SEEDUC-RJ, [email protected]
Júlio Vianna Barbosa, Fiocruz/Instituto Oswaldo Cruz, Laboratório de Educação em Ambiente e Saúde,
[email protected]
RESUMO
A Pediculose é uma doença acometida nos humanos pelo inseto áptero denominado Pediculus
humanus capitis, popularmente chamado de “piolho”. É uma moléstia milenar, mundial e que
se mantém atual e expressiva, predominante em crianças na fase escolar, na faixa etária entre
04 a 12 anos. É de fácil contágio e se multiplica rapidamente, ocasiona danos físicos,
psicológicos e de ordem social aos parasitados. Em relação ao aspecto físico, manifesta a
coceira, como um dos principais sintomas da presença do parasito no indivíduo. Por ser
hematófago, causa intenso prurido, originado pela abertura no couro cabeludo em busca do
seu alimento. Em alta carga parasitária, poderá ocasionar abertura de feridas que poderão
servir como porta de entrada para bactérias oportunistas, possibilitando desta forma a
evolução de outras doenças. Provoca o distúrbio do sono, deixando a criança sonolenta e
desatenta na sala de aula prejudicando a aprendizagem. Na ordem psicológica destaca-se a
baixa autoestima, já que entre os populares e escolares, a presença do piolho é comumente
associada à ausência de higiene e a criança quando visivelmente infestada, é apontada por
seus colegas, sendo constrangida. E apesar disso, a Pediculose não é reconhecida como uma
doença, sendo considerada pela polução em geral como uma fase do desenvolvimento infantil.
Constitui-se como um desafio para saúde pública, haja vista; que não se confina ao ambiente
escolar, e facilmente manifesta-se em outros vínculos sociais, sendo o domiciliar um dos mais
atingidos. Contornar tal visão e educar em saúde é a proposta deste trabalho, cujo objetivo é
apresentar uma sequência didática (SD) sobre a Pediculose aos estudantes do curso Normal de
formação de professores em nível médio, que serão habilitados para lecionar no primeiro
segmento do ensino fundamental, etapa na qual o piolho se faz mais presente. Assim,
elaborou-se a SD em cinco etapas, a fim de mobilizar e informar os normalistas acerca desta
doença. A primeira etapa se justifica pela necessidade de conhecer os saberes prévios destes
alunos, aplicando um questionário semiestruturado, em caráter investigativo, devendo ser
avaliado com um olhar atencioso, pois por meio dele irá balizar as próximas etapas. A
segunda etapa é usar o lúdico (jogos e RPG) para conscientização sobre a doença. Intencionase debater para esclarecer crendices e responder as dúvidas existentes sobre a doença. A
terceira etapa é convocar os estudantes que participaram do lúdico para que os mesmos
avaliem a estratégias, as possibilidades e limites de se empregar tais propostas na primeira
etapa da educação infantil. Desta forma, serão mobilizados para reflexão sobre a sua futura
prática docente. A quarta etapa se caracteriza pela apresentação de seminários elaborados
pelos alunos a sua própria turma; cooperando para a instrumentalização, desenvolvimento de
habilidades, capacidades e criatividades na formação profissional. Uma vez que terão que
pesquisar o assunto, que por vezes é negligenciado nos currículos escolares. A última etapa é
a análise das propostas, através de uma avaliação dialógica com os participantes da oficina,
para fomentar a educação em saúde sobre Pediculose, aplicando o último questionário.
Espera-se que a SD favoreça a abordagem da doença na formação didática dos professores. E
que por meio dos jogos educativos, estes discentes sejam mobilizados, ainda em sua formação
inicial, para que reflitam sobre a presença desta doença no âmbito escolar e os danos
ocasionados ao parasitado. A Oficina Pediculose apresenta-se como uma proposta didática, na
tentativa de promover um ensino mais significativo, e consciente sobre esta doença que deve
ser erradicada e debatida na escola. Poderá servir como estímulo a uma ação reflexiva, sobre
como irão abordar a temática entre as crianças, possibilitando-os desvelar habilidades e
dinamizar possíveis estratégias a serem aplicadas em sala de aula. É tempo de debater,
questionar e formar sobre a Pediculose.
Download
Random flashcards
Criar flashcards