Socilogia_Geral

advertisement
SOCIOLOGIA GERAL
“Quando desempenho meus deveres de irmão, de esposo ou de
cidadão, quando me desincumbo de encargos que contrai, pratico
deveres que estão definidos fora de mim e de meus atos, no direito e
nos costumes, mesmo estando de acordo com sentimentos que me
soam próprios, sentindo-lhes interiormente à realidade, esta não deixa
de ser objetiva, pois não fui eu quem os criou, mas recebidos através da
educação. Estes tipos de conduta são apenas exteriores ao indivíduo
são também dotados de um poder coercitivo em virtude do qual se lhe
impõem quer queira ou não.” (Emile Durkheim, IN: MAKSENAS,
2006:45).
1.2 – Conceito de Sociologia
A Sociologia é uma ciência que se define não por seu objeto de
estudo, mas por sua abordagem, isto é, pela forma com que pesquisa,
analisa e interpreta os fenômenos sociais.
1.3 – Objeto de Estudo
Os fatos sociais se constituem no objeto da Sociologia.
Um acontecimento, ou um comportamento é sociológico quando
sobre ele se debruça o sociólogo, tentando entendê-lo nos aspectos que
dizem respeito às relações entre os homens e às raízes de seu
comportamento.
1.4 – Ciência: Ramo de Conhecimento
Com
o
surgimento
da
ciência,
desencadeou-se
então
a
preocupação com as regras que organizavam a vida social. Regras que
pudessem ser observadas, medidas e comprovadas, capazes assim de
dar ao homem explicações plausíveis num mundo onde passou a
imperar o racionalismo,
O aparecimento da Sociologia significou que as questões relativas
às relações entre os homens deixaram de ser apenas matéria religiosa:
passaram a interessar também aos cientistas.
A partir de então o homem começou a desenvolver métodos e
instrumentos de análise capazes de traduzir sua experiência social de
maneira científica. Isso equivaleu a criar como nas demais ciências,
métodos de averiguação e medição e a fazer formulações sobre a
sociedade que pudessem ser comprovadas empiricamente – isto é,
através de observação e experimentação –, de modo a tornar a ação
social humana explicável em termos de regularidades e previsões. O
pensamento relativo às ligações do homem com seus semelhantes
passava assim a outra esfera de abstração, a outra maneira de formular
problemas, ligada à necessidade de descobrir leis de interpretação e
previsão de acontecimentos.
1.5 - A Sociologia Pré-Científica
Renascimento
a)
Como Platão, os filósofos renascentistas criaram uma sociedade
imaginária perfeita.
THOMAS MORUS (1478 – 1535), nasceu em Londres, idealizou
um lugar sem problemas, onde todas as soluções foram encontradas: a
Utopia. Uma ilha cujo nome significa “nenhum lugar”, onde existe
harmonia e equilíbrio, onde estão reunidos a verdade e o bem.
MAQUIAVEL (1469 - 1527) nasceu em Florença – O criador da
ciência política, escreveu “O Príncipe”.
O Príncipe é um manual de ação política cujo ideal é a
sedimentação de um poder absoluto; Maquiavel (1996) acredita que um
bom governo depende de pulso forte e mente sábia, aliados a
qualidades pessoais como astúcia, coragem e decisão.
b) A Ilustração e a Sociedade Contratual: uma
nova etapa do pensamento burguês
Novos valores guiando a vida social para a modernização da vida,
maior empenho das pesquisas e do saber para conquistar avanços
técnicos, melhora nas condições de vida – tudo isso somado levou a um
novo surto de idéias conhecido pelo nome de ilustração (ela foi
essencialmente pragmática e liberal). Fortalecida, a burguesia propunha
agora
formas
de
governo
baseadas
na
legitimidade
popular.
Conclamava o povo a aderir à defesa do liberalismo econômico, da
igualdade jurídica e do sufrágio universal.
A racionalidade estava na origem natural e física das leis de
organização da sociedade humana e na base da própria atividade
humana e do conhecimento, como defendiam René Descartes e Denis
Diderot. O racionalismo cartesiano se expressa pela frase “penso, logo
existo”, na qual mostrava ser a razão a essência do ser humano.
No plano social, o racionalismo manifestava-se na noção de que
as sociedades se baseavam em acordos mútuos entre os indivíduos que
as compunham.
JEAN – JACQUES ROUSSEAU (1712 - 1778)
JOHN LOCKE (1632 - 1704)
ADAM SMITH ( 1723 - 1790)
1.6 – A Sociologia Clássica
a) Positivismo – Uma primeira forma de pensamento social. A
primeira corrente de pensamento sociológico propriamente dita foi
o positivismo. A primeira teoria a organizar alguns princípios a
respeito do homem e da sociedade tentando explicá-los
cientificamente.
Seu representante e sistematizador foi o pensador francês
Auguste Comte (1798 -1857). O positivismo foi também chamado de
organicismo, porque concebia a sociedade como um organismo
constituído
de
partes
integradas
e
coesas
que
harmonicamente, segundo um método físico e mecânico.
funcionam
O positivismo foi, portanto, o pensamento que glorificou a
sociedade européia do século XIX, em franca expansão. Buscava
justificar, através de um método científico adequado, os padrões
burgueses e industriais de organização social. Procurava resolver os
conflitos sociais por meio da exaltação à coesão, à harmonia natural
entre os indivíduos, ao bem-estar do todo social.
A Sociologia de Durkheim
Comte – O Pai da Sociologia
Durkheim – um de seus primeiros grandes teóricos.
Características dos fatos sociais:
1. Coerção social – força que os fatos exercem sobre os indivíduos,
o grau de coerção se torna evidente pelas sanções.
2. São exteriores aos indivíduos, ou seja, atuam sobre os
indivíduos independentemente de sua vontade.
Ex: Regras sociais, costumes, leis.
3. Generalidade – é social todo fato que é geral. Manifestam uma
natureza coletiva.
Ex: A moral, formas de habilitação.
Para garantir a objetividade do fato social é preciso encarar os
fatos sociais como coisas. A generalidade de um fato social, isto é, sua
unanimidade, é garantia de normalidade na medida em que representa o
consenso social e a vontade coletiva.
A harmonia é conseguida através do consenso social, a “saúde” do
organismo social. Os fatos patológicos são considerados transitórios e
excepcionais.
Toda a teoria sociológica de Durkheim pretende demonstrar que
os fatos sociais têm existência própria e independente daquilo que
pensa e faz cada indivíduo em particular.
Ele chamou isso de consciência coletiva.
b) A Sociologia Alemã: Max Weber
Seus trabalhos abriram as portas para as particularidades
históricas das sociedades e para a descoberta do papel da subjetividade
na ação e na pesquisa social
c) Karl Marx e a História da Exploração do
Homem (1818-1883)
Esta trajetória é marcada pelo desenvolvimento de conceitos
importantes: alienação, classes sociais, valor, trabalho, mais-valia e
modo de produção.
Antônio Gramsci (1891-1937) - mostra a importância e a
necessidade do livre curso das idéias. Polemizando em todas as
direções, jamais considera a posição do adversário um simples alvo
contra o qual se deva concentrar o fogo dos argumentos contrários,
como jamais revela uma forma qualquer de tolerância passiva de
conciliação com qualquer tendência ou idéia contrária aos seus
princípios.
Habermas (Jürgen)
Admitindo-se
que
a
crítica
ao
positivismo tenha constituído o fio vermelho que transpassa todos os
trabalhos de cunho epistemológico, a crítica do Estado e da sociedade é
o fio condutor dos estudos que, sob uma perspectiva político-cultural,
procuram elucidar a relação de teoria e prática.
UNIDADE II – Socialização, Comunidade e
Sociedade
2.1
–Socialização
a) A perpetuação da Sociedade pela socialização
Socialização é o processo pelo qual os “novatos” de uma
sociedade são preparados para o convívio, para adquirir os
modos de vida que essa sociedade elaborou através de
sucessivas gerações.
 Patrimônio cultural;
 Padrões sociais universais, especiais e alternativos.
b) A Formação da Personalidade pela Socialização
 A personalidade tanto tem conteúdo social como se forma
num processo social.
c) Mecanismos Sociais de Socialização
 Educação
 Experiências Sociais
 Participação em atividades sociais
2.2 – Comunidade e Sociedade : Conceitos e
características
A. Conceitos:
 Conceitos
atitéticos.
eventualmente
Os
termos
usados
comunhão
como
e
termos
associação
correspondem melhor à caracterização.
 Comunidade – conjunto de pessoas que encontra
numa determinada área geográfica, em que convive.
 Sociedade – organização dos indivéduos mediante
interação social organizada.
B.
Características das Sociedades:
 Duração temporal
 Multifuncional
 Grupo local
 Tem sua cultura peculiar
2.3 – Tipos de Sociedades
A) Se possui, ou não, linguagem escrita;
B) Simples ou complexas;
C) Diferentes graus de estabilidade na vida social;
D) Nível de desenvolvimento;
E) Livre ou totalitária
2.4
– As
Uma
Instituições Sociais
configuração
de
conduta
integrada,
duradoura,
organizada no meio social
a) Família
b) Escola
c) Igreja
d) Estado :
 Povo
 Nação
 Estado
2.5 – A Vida em Sociedade
A) GRUPO SOCIAL – Não é apenas a soma de indivíduos,
mas sim um conjunto que nasce, adquire a sua própria
individualidade e, como pessoa, evolui. Viver em grupo é
importante para o homem. Conviver é uma aprendizagem
que deve ser desenvolvida o mais cedo possível.
B) CONTATO SOCIAL – Dá-se sob múltiplas formas,
constituindo os processos sociais. (Unidade III)
C) INTERAÇÃO SOCIAL – Significa ação recíproca entre
dois objetos. “ Todo evento com que se manifesta, em
grau tangível, a influência de uma parte sobre as ações
exteriores ou estados mentais de outra”
D) ISOLAMENTO SOCIAL – A ausência de qualquer forma
de contato de um indivíduo com os outros seres de sua
espécie. È frequentemente utilizado como forma de
punição máxima para os violadores dos costumes ou da
Lei. A reação humana ao isolamento pode ser melancolia
profunda, loucura e até suicídio. O isolamento de grupos
sociais provoca o empobrecimento cultural, a estagnação
e rigidez das estruturas.
E) CONTROLE SOCIAL – A soma de processos que a
sociedade lança mão para obter dos indivíduos e grupos
que
a
constituem
uma
conduta
enquadrada
nas
NORMAS
DE
expectativas gerais de comportamento.
 Persuasivo;
 Coercitivo.
F) INSTITUCIONALIZAÇÃO
DAS
COMPORTAMENTO – Quando a maior parte dos
membros a aceita como válida e a cumpre efetivamente.
Leis- servem para regulamentar de forma igualitária as
punições que devem ser determinadas àqueles que
transgride a norma institucionalizada.
Download