JESUS COMO O ADVOGADO - II JOÃO 2:1

Propaganda
ADVOGADO
II João 2:1
“Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e , se alguém pecar, temos um
advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo”.
INTRODUÇÃO
O versículo lido inicia falando do tratamento do apóstolo para com a igreja, “meus filhinhos”,
porque é assim que o Senhor nos trata, de uma forma carinhosa, amorosa.
DESENVOLVIMENTO
E a palavra inicia advertindo nossas vidas “não pequeis”, porquê?, Porque Deus ama o
pecador, mas aborrece o pecado. E o pecado é a barreira que impede a aproximação a Deus.
“Mas se alguém pecar temos um advogado”, a palavra nos diz que “todos pecaram e foram
destituídos da glória de Deus”, mas o Senhor conhecendo tudo isto, providencia da eternidade um
advogado.
Porque a palavra dá esse tratamento ao Senhor Jesus como “advogado”? Porque o
advogado é o único que tem acesso ao juiz. Por ser o homem pecador, ele precisa de um advogado
para com o pai, I Tim. 2:5 “Porquê há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus
Cristo homem”.
Na lei terrena quando o homem é acusado de ter cometido algum delito, ele precisa
contratar um advogado, mesmo sendo ele inocente, pois quem vai tratar de sua causa? O
advogado.
Assim também é o homem diante de Deus, pois ele por si só não pode justificar-se, precisa de um
intermediário para com o Pai.
Para se ter um advogado é preciso pagar, mas Jesus pagou um preço, derramando seu
sangue na cruz para sermos justificados diante do Pai.
Há algumas características que identifica Jesus como o nosso advogado: O réu precisa ter
total confiança para com seu advogado, ou seja, o advogado de defesa procura passar para seu
cliente essa confiança, assim também é o Senhor Jesus, ele inspira total confiança, nele podemos
confiar, porque ele é vencedor e nele não há derrotas.
Nos sabemos que muitos advogados por mais habilidosos que sejam, eles podem perder a
causa de seu cliente, mas a palavra é cheia de exemplos mostrando que Jesus nunca perdeu uma
causa àquele que foi a Jesus foi bem defendido.
O réu não pode esconder nada de seu advogado, precisa contar os mínimos detalhes dos
acontecimentos, o homem precisa confessar seus pecados ao Senhor Jesus, “se com tua boca
confessares teus pecados, será salvo”. Tudo que o réu entregar a seu advogado como defesa ficará
sobre sua responsabilidade e sendo de total sigilo. Quando o homem entrega seus problemas, suas
culpas, aquilo que tem pesado em sua consciência, são banidos pelo sangue de Jesus, e não mais o
acusador do homem tem com que o condenar, “nenhuma condenação há para os que estão em
cristo Jesus”.
Ex: A mulher pecadora
O que dizia a lei: a lei mandava a matar, pois pela lei ela já estava condenada, mas Jesus
com o poder da sua palavra repreendeu os acusadores ganhando aquela causa, e disse a mulher
depois que seus acusadores foram embora, “vai e não peques mais”, o Senhor Jesus só não defende
a causa do homem, mas mostra-lhe o caminho da santidade.
1
ÁGUA
João 7: 37-38
“Ora, no seu último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem
sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de
água viva.”
OBJETIVO
Apresentação Jesus como aquele que tem a água da vida.
INTRODUÇÃO
O texto nos fala de um momento especial na vida de Israel, por ocasião de uma festa.
É importante a compreensão, de que as festas em Israel não eram meros acontecimentos
sociais
Mas estavam dentro de uma orientação dada por Deus. (LEV. 23:34).
DESENVOLVIMENTO
A Festa – A festa mencionada, refere-se à festa dos tabernáculos colheita.
O momento era o último dia da festa profeticamente fala da ultima hora que estamos
vivendo, pois breve a igreja será colhida arrebatada e levada para a eternidade.
Jesus se colocou de pé – Quando Jesus se coloca de pé , o seu corpo ficou em evidencia,
todos podiam vê-lo.
Nessa hora em que vivemos, Deus colocou a igreja (o corpo de Jesus) em evidência através
da pregação do evangelho “clamou dizendo:” Há um clamor que está sendo feito direcionado a
todo aquele que quer benção da Salvação.
Mais do que um convite,Jesus tem feito um clamor ,mostrando todo o seu desejo de salvar o
homem.
Se alguém tem sede- Jesus revela qual seria a maior necessidade do homem, no momento em
que a igreja estaria vivendo o ultimo dia da festa.
Muitas são as necessidades do homem, mas a sede da alma supera a todas.
CONCLUSÃO
A sede da alma coloca todos no mesmo nível: o rico e o pobre, o doente e o que tem saúde
(doença física)
O doutor e o lavrador, o desconhecido e o famoso.
-
Há uma multidão de sedentos nessa ultima hora
Sedentos de justiça, de compreensão ,de amor,de amizade e tantas outras coisas .
O Clamor de Jesus para os sedentos é
“ QUEM tem sede vem a mim e beba”
Se você tem sede de uma vida melhor ,de paz , de felicidade. Vem , Jesus esta te chamando.
“ Rios de água viva correrão do seu ventre”.
Há um rio que nasce na eternidade, e traz de sua fonte eterna, vida para todo o que crê.
2
ÁGUA
Apocalipse 22:17
“E o Espírito e a noiva dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser,
receba de graça a água da vida.”
INTRODUÇÃO
Dentro do momento profético que vivemos, podemos destacar dois aspectos importantes:
1º - a Benção da Presença do Espírito Santo.
2º - A esposa – Igreja Fiel (Obra).
Há um povo que tem se preocupado com a voz do Espírito e que fala a mesma língua, que
como noiva adornada, está preparada para que nesta hora transmita uma mensagem, um chamado:
Vem!
Um chamado para fazer parte deste povo, para o encontro com o Senhor Jesus.
DESENVOLVIMENTO
Este chamado não é feito a qualquer um, são para aqueles que tem sede, no livro do Profeta
Isaías Capítulo 55-1 diz: Todos vós que tendes sede vinde às águas, e quantos hoje estão com sede,
sede de justiça, de Salvação, o coração está como uma terra seca, mas que hoje estão podendo
ouvir o convite, o chamado do Espírito: Vinde as águas; VEM! O encontro com Jesus.
E quem quiser tome de graça, não uma imposição, mas uma entrega voluntária ao Senhor, no
mesmo capítulo de Isaías diz, vinde, comprai sem preço. O preço alto Jesus pagou na cruz,
derramando seu sangue para que através deste sangue houvesse a nossa remissão.
Tomar da Água da Vida, é gozar a Vida Eterna, é fazer parte deste povo, desta Igreja, que está
ouvindo a voz do Espírito, preparada para o encontro com o esposo.
CONCLUSÃO
O Espírito do Senhor te faz um chamado: VEM , está com sede Venha, se você quiser tome de
graça da Água da Vida, que é o próprio Senhor Jesus .
3
Água
João 7:37
“ E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou dizendo: Se alguém tem sede,
que venha a mim e beba”.
INTRODUÇÃO
A água é algo essencial na vida do homem, sem ela não há vida na terra. Jesus se define
como a própria água que dessedenta a sede espiritual.
No decorrer do ministério de Jesus, Ele sempre se preocupou em revelar-se de maneira simples
e clara.
A sede é uma dor subjetiva e terrível para a vida do homem, ele é capaz de resistir à fome,
mas a sede pode levá-lo à loucura.
Os gregos chamam a sede da alma de ansiedade, Jesus conhecia, e conhece a sede da
alma. A ansiedade é a doença do século. Sede da alma? Quem pode dessedentar? Psicólogos,
psiquiatras, analistas, remédios? Não. A sede da alma só é tratada com a água, cuja fonte foi aberta
no Calvário.
DESENVOLVIMENTO
Muitos têm buscado saciar a sede, mas as miragens que a religião formula e oferece nem
sequer atendem a razão, quanto mais a sede da alma. O fenômeno da sede é imperceptível pelas
pessoas que estão à nossa volta. Sem água o homem não vive, sem Jesus não tem a vida eterna.
A água penetra em lugares difíceis de outros elementos chegarem. Assim é Jesus, que penetra
em lugares inatingíveis pelo homem, Jesus é a fonte de água viva, e pelo Espírito Santo penetra na
necessidade do homem, que passa a ter vida, onde não nascia nada, quando nasce essa água,
nasce vida.
CONCLUSÃO
O anseio pela água, é a sede da alma, que só pode ser saciada no poço de águas vivas, que
é Jesus.
A água da vida é a benção para o homem que muda o seu interior.
O convite é condicional “ Se alguém”. Há os que não aceitam o convite, e há os que
aceitam impondo as suas condições, continuar gozando do mundo.
“Se” mostra o livre arbítrio quem aceita vir “Venha a mim e beba”, participar desta fonte de
águas vivas.
A igreja descobriu este mistério que para muitos está oculto e faz uso deste maravilhoso
recurso para não morrer de sede neste mundo, todo dia provando desta água que é Jesus.
4
Água
Salmos 63:1
"Ó deus, tu és o meu Deus; de madrugada te buscarei. a minha alma tem sede de ti; a minha carne te
deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água"
INTRODUÇÃO
Davi mesmo sendo Rei de Israel, era homem sujeito às fraquezas, limitações e angústias, mas
ansiava por Deus, viveu grandes experiências com o Senhor não esquecendo que tinha uma
necessidade espiritual que é a “sede da alma”.
DESENVOLVIMENTO
No texto que lemos, Davi fala daquele que é o Senhor da nossa vida “Ó Deus, tu és meu
Deus”, é a expressão da alma sedenta. Neste texto ele nos mostra como encontrá-lo, quando ele diz:
“de madrugada te buscarei” falando de uma intimidade, dependência com aquele que é dono da
nossa alma.
Davi expressa a sua maior necessidade quando ele diz: “ a minha alma tem sede de ti”.
Porque o homem por mais que ele possa ter tudo nesta vida ele não pode dessedentar a sede da
alma, mas somente quando tem um encontro com aquele que é a fonte das águas vivas, o Senhor
Jesus, que nos dá o refrigério.
E ele expressa o quanto ele precisa do Senhor no texto “ a minha carne te deseja muito” isso é
o que precisa estar no coração daquele que quer uma benção para sua vida, “desejar o Senhor”,
porque o lugar que Davi se refere era “terra seca e cansada” tipo do mundo em que vivemos não
tem nada para oferecer e nem a água que mais precisamos para dessedentar a sede da alma.
CONCLUSÃO
O Senhor Jesus também nos chama para vivermos novidade de vida com a maior
necessidade da alma suprida, porque ele é a fonte das águas vivas, assim com Davi reconheceu o
senhorio e foi vitorioso, o Senhor quer que nós reconheçamos isto também, que Jesus é essa água
que dessedenta a nossa sede.
5
Água
OBJETIVO:
Jesus como a água da vida
João 4:12-15
“DISSE-LHE A MULHER: SENHOR DÁ-ME DESSA ÁGUA, PARA QUE NÃO MAIS TENHA SEDE E NAO
VENHA AQUI TIRÀ-LA.”
INTRODUÇÃO
O momento em que vivemos é de grande expectativa na vida do homem, e esta,
expectativa, o leva a insegurança, ao medo.A mulher samaritana é um tipo de pessoa desta hora, á
beira do poço, buscando água, resistente á voz de Deus, e a conseqüência é o vazio da alma.
Pessoas sem respostas, decepcionadas, angustiadas; este é o quadro do homem que tem se
encontrado com o Senhor.
A mulher samaritana expressa o que é a vida do homem e o que este homem precisa:
O que é a vida do homem?
O homem sem Jesus passa a vida no engano das tradições religiosas que tudo ensina menos
eternidade, toma a água mas volta a ter sede.
O que o homem precisa?
Água viva, significa Jesus, pois se esta tem sido sua vida; Jesus, pode lhe dar o melhor em lugar
do engano; a verdade, em lugar de uma tradição uma obra verdadeira.
Se você conhecesse quem é que te diz:
As coisas reveladas acontecem quando você conhece a voz, conhece a revelação.
Onde tens a água viva;
Jesus é a água viva, Jesus é a vida, é a vitória.
Formará nele uma fonte que salta para a vida eterna;
A nossa vida não se resume aqui, as revelações do Senhor, seu sacrifício, sua bondade, tudo
vai formando o servo espiritual que morre para esta vida, vence os obstáculos, já vive a eternidade.
CONCLUSÃO
Jesus tira de nossas vidas tudo que é complexo religioso, tradição e engano e estabelece
conosco um pacto eterno de nos conduzir à eternidade, à salvação. A mulher sentiu esta
necessidade para si e na verdade só quando sentimos também esta necessidade vamos deixar o
poço conhecer a voz, a revelação, vamos passar do engano para a verdade, para a obra.
DÁ-ME DESTA ÁGUA
É o pedido do homem nesta hora, dá-me resposta, dá-me paz, dá-me refrigério, esta é a
conclusão daquele que se chega a Jesus, Dá-me desta água, é o mesmo que dizer dá-me desta
vida.
6
Água
João 7:37-38
“E no ultimo dia ... venha a mim e beba... ...rios de água viva correrão do seu ventre”.
A água é uma substância essencial para todo o ser vivo. O homem consegue ficar sem se
alimentar, mas pouco tempo ele resiste sem a água. Justamente por isso a Bíblia faz uma analogia
entre a água e Jesus.
A experiência do deserto levou o povo a uma dependência total do Senhor para a
caminhada, e água era provida por Deus, para ensinar da mesma forma que necessitavam da água,
eles também necessitavam que o Senhor estivesse presente no meio deles.
I Cor 10:4 – “E beberam todos duma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que
os seguia, e a pedra era Cristo”.
Davi também alcançou este entendimento quando disse: “A minh’alma tem sede de Deus...”,
mostrando que só o Senhor pode trazer o refrigério, o renovo, o fortalecimento à vida do homem
para ele continuar nesta jornada.
Da mesma forma que Jesus se revelou em Jerusalém, no dia da festa dos tabernáculos, onde
pessoas de toda parte vinham sedentas, em busca de uma bênção para os seus corações; Jesus tem
se revelado ao homem nesta proclamação: “Quem tem sede venha a mim e beba”.
Como Ele mesmo disse: “rios de águas vivas correrão”.
Sabemos que a Bênção é abundante, não cessa, pois é para a eternidade.
7
JESUS É O ALTAR
Ex 27:1 á 8
Todo homem deveter como prioridade em sua vida , a salvação, isto é a autêntica felicidade.
Estamos cientes de que vivemos um momento profético, o tempo das densas trevas , do qual alertounos Jesus , com muita veemência. É impossivel falarmos com base na palavra de Deus , ao homem
natural , ser feliz nos dias atuais . Vejamos a incoerência de homens que buscando segurança , cria a
propria insegurança através de armamentos sofisticados , como dizem: de ultima geração, bombas
atômicas, armas quimicas de destruição em massa, homens bombas, foguetes capazes de levar a
destruição, a infelicidade, a morte, a distancia incalculaveis, etc...Buscando a paz fazem guerra.
Como acabamos de afirmar, não há a mais remota possibilidade, analizada pela lógica, pelo ótica
humana, de que o homem encontre essa felicidade tão almejada.
Entretando Deus nos criou para sermos felizes, para louvarmos constantemente ao seu nome, porém
o pecado roubou-nos está benção .
Para nossa alegria ELE não submeteu o seu projeto a esta situação. E é por este plano perfeito que
nós podemos alcançar a felicidade, a salvação.
O Altar no VT – Tipo de Jesus
Segunda a tipologia do VT, Jesus é o altar. Era sobre o altar de bronze, onde era sacrificado o
cordeiro, que o pecado encontrava o jugamento e o pecador a sua absolvição. O bronze é tipo do
julgamento e justiça de Deus. Ali o homem era aceito por Deus abrindo caminho para sua felicidade.
Apontava para o sacrificio vicário que Jesus faria a tomar nosso lugar na cruz. Mencionamos que o
altar era de bronze, mas na verade era de madera de acácia, revestida de bronze, esta madeira era
encontrada em uma árvora que crescia em lugares secos, bastante restentes inclusives aos ataques
de insetos, como os cupins.
Lendo o texto de Isaias 53:2
“Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz duma terra seca...” e comparando com
essa madeira podemos associa-la a Jesus. Nosso Senhor é indestrutivel, um altar eterno.
Não vamos aqui discriminar todos os detalhes, mas o suficiente para entendermos que o altar era tipo
de Jesus. O mesmo era quedrado e possuía chifres nas quatro pontas e sobre esse era oferecido
“ofertas” queimadas. Esta palavra no original quer dizer que o sacrifício que era feito na terra eram
aceitos na eternidade.
O cordeiro imolado realçava um sacrificio vicário, que se referia a Cristo como nosso substitudo na
cruz do cálvario. Deus aceitou o sacrifício de Jesus possibilitando sermos também, aceitos por Ele nos
céus. Nesta aceitação, está o valor do Seu sangue para nossa salvação. Valor este que não se pode
especificar, muito alêm das coisas corruptíves como ouro ea prata.
Os chifres se fundiam numa só peça com o altar e esse era tipo de Jesus, também os chifres são
simbolo do poder, força, grandeza, lebrando-nos a Onipotência de Jesus.
Em I Reis 1:50-51 Adonias para escapar da ira do rei Salomão que típifica o Espirito Santo, segurou
forme na ponta do altar, que eram os chifres e foi salvo. Ele era culpado, descobriu-se mais tarde,
todavia recorreu ao lugar de segurança e alcançou a vida.
A forma quadrada do altar, que é a mesma da Nova Jerusalém (AP.21:16) refere- se a abrangência
do sacrificio de Jesus. Todos podiam e deviam chegar-se aquele altar para serem perdoardo e
aceitos por Deus. Todos, não alguns privilegiados mostrando assim essa figura que Jesus não faz
acepção de pessoas ou raça como esta escrito em COL. 3:11 “Onde não pode haver grego nem
judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárboro nem cita, escravos, livres, porém Cristo é tudo em
todos”.
Conclusão :
Só em um altar, Jesus encontramos a salvação. A plena felicidade, segurança, proteção , etc...
Somos salvos do juizo decretado sobre a humanidade.
Jesus foi colocado no altar para ser morto. Hoje quando nos colocamos nele recebemos vida e vida
eterna.
8
ALTAR
Hebreus 13:10 “Temos um altar, de não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo”
Introdução
Quando o povo, no Velho Testamento, entrava no tabernáculo, a primeira coisa que
encontrava era o altar. Ali era feita a expiação do pecado. Era impossível aproximar-se de Deus, quer
fosse para oferecer incenso, quer para ter qualquer contato com Deus, sem ter que passar pelo altar.
Para nós, que vivemos a nova aliança, temos um altar: Jesus. Nele depositamos nossa oferta, nossa
vida, e recebemos a vida, a vida eterna.
Desenvolvimento
A palavra altar significa “levantado” ou “lugar alto”. “...irei ao monte da mirra e ao outeiro de
incenso...” Cant. 4:6 Jesus, quando sobe ao monte, é levantado como o Novo Altar, diante de Deus.
Nele está a expressão máxima do amor de Deus. Nele está a única intermediação entre Deus e os
homens.
No altar do tabernáculo eram feitas as ofertas pelo pecado, pela culpa, onde o homem
recebia o perdão. Jesus, é para nós, o altar onde depositamos o pecado e a culpa. Nele recebemos
o perdão “...mas contigo está o perdão...” Salmo 130:4
No altar, o homem encontrava segurança. Jesus é o altar onde encontramos segurança. Ele é
o nosso refúgio. Ele nos livrou da morte e cuida das nossas vidas. Nele descansamos todos os dias,
porque Ele é o nosso descanso.
O altar, no velho testamento, era o lugar de adoração, onde o homem se apresentava, para
agradecer a Deus por alguma bênção alcançada. Hoje, nos prostramos todos os dias, diante de
Jesus, o altar, para trazer nossa gratidão, nossos sacrifícios de louvor, pelos muitos benefícios que
temos alcançados.
Em Jesus, o altar, colocamos nossa vida, nossas incertezas, nossas falhas e recebemos
livramento e vida.
Conclusão
Jesus, é o Altar, daqueles que vivem a nova aliança, dos que estão sob a graça. Estes podem
desfrutar desse Altar e se servir dos seus benefícios.
9
AMANHECER
Provérbios 4:18
“Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito”.
INTRODUÇÃO
O texto nos revela um caminho que Deus preparou para que o homem ande nele, pois um
preço muito alto foi pago para isso. Vemos então que encontrar o Senhor Jesus é como o amanhecer
de um novo dia, como a aurora que dissipa as trevas, trazendo Luz, direção e Salvação para o
homem.
DESENVOLVIMENTO
Vereda dos justos nos faz lembrar o caminho apertado/estreito citado por Jesus no evangelho
de Mateus. Um lugar onde só passa uma pessoa. É a escolha pessoal do homem de servir ao Senhor e
caminhar segundo seus mandamentos.
Esta escolha (vereda dos justos) é comparada ao fenômeno da luz da aurora (amanhecer),
este fenômeno é caracterizado por densas trevas (noite) que pouco a pouco vai sendo dissipada
pela luz da aurora (Jesus) dando lugar ao novo dia.
Este fenômeno representa o maravilhoso trabalho de Jesus no coração do homem que o
aceita como Salvador, onde seus pecados, vícios, rebeldias, desobediências, valores contrários à
vontade de Deus, que representa um coração em trevas, vão sendo dissipados pouco a pouco à
medida que o homem pode absorver esta transformação, porque Jesus através do Espírito Santo leva
o homem a trilhar um novo e vivo caminho aberto na cruz do calvário, um caminho santo e separado
deste mundo.
Vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito, o trabalho de Jesus na vida do homem é
progressivo e dinâmico porque o resultado é o dia eternal, dia perfeito, que é a Eternidade, este
processo só acaba na eternidade, que é o dia perfeito.
CONCLUSÃO
O homem tem duas escolhas: 1) continuar no seu caminho largo, espaçoso pelo qual segue a
multidão sem um compromisso com Deus e seu Reino e o coração nas trevas e perder a salvação; 2)
conhecer o caminho dos justificados em Jesus.
10
AMANHECER
Gênesis 19:15
“E ao amanhecer os anjos apertaram com Ló, dizendo: levanta-te, toma tua mulher, e tuas
duas filhas que aqui estão, para que não pereças na injustiça desta cidade”.
INTRODUÇÃO
A palavra que nós lemos fala da saída da família de Ló para um lugar seguro, pois haveria
de cair um juízo de Deus sobre a cidade em que viviam, pois os seus moradores estavam cada vez
mais amantes de si mesmo, voltados para as coisas terrenas e não para as coisas Deus, quando a
palavra ensina: “Buscai primeiro o reino de Deus e sua justiça e as demais coisas vos serão
acrescentadas”.
Da mesma forma se encontra o mundo de hoje, o amor de muitos se esfriando (lares se
desfazendo, filhos se voltando contra pais, e vice-versa). Mas Deus pelo seu grande amor envia um
escape para aquela família, onde tudo era escuridão, Deus fez surgir um novo amanhecer (JESUS) em
suas vidas.
DESENVOLVIMENTO
Este novo amanhecer nos fala do Senhor JESUS, que é luz, salvação, este amanhecer
sempre surgi para vida do homem, o intuito do amanhecer é dissipar as trevas, mandar embora os
temores e mostrar ao homem onde ele está e o que tem em sua volta. Os anjos foram até Ló retirá-los
das trevas, mandar embora os temores por que o povo queria invadir sua casa e violar a sua família
(o amanhecer (JESUS) é segurança), e os anjos os mostrou que também seriam alvos do juízo que
estava em sua volta se não abraçasse a luz deste novo amanhecer (JESUS), no amanhecer encontrase salvação.
Para nós não foi diferente, pois estávamos também sob a mesma condenação (JUÍZO)
que há sobre este mundo, mas o Senhor enviou seu filho JESUS, como um novo amanhecer para nós,
pois o mundo está em trevas, mas nos temos luz, toda nossa vida já não é mais a mesma, o velho dia,
a velha vida passou, e surgiu um amanhecer, surgiu JESUS que nos trouxe segurança, paz, e um dia
voltará para nos levar para a eternidade.
Amanhecer – é o momento da saída.
11
AMANHECER
Êxodo 19:16
“Ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões, relâmpagos, e uma nuvem espessa sobre o monte; e
ouviu-se um sonido de buzina mui forte, de maneira que todo o povo que estava no arraial
estremeceu.”
INTRODUÇÃO
Dentre todas as fases do dia, a que traz mais esperança ao homem é, sem dúvida, o
amanhecer. O anoitecer traz as incertezas do dia seguinte. Já à noite e suas vigílias são momentos
que trazem o sono, temores e lágrimas. ... “mas a alegria vem pela manhã”.
DESENVOLVIMENTO
Jesus sempre se apresentou como o Amanhecer para a humanidade desde o seu início:
Para Noé: o fim do dilúvio – o amanhecer para uma nova geração
Para Abraão: mais do que uma nova terra, um filho, um povo – Israel
Para Israel: a libertação do cativeiro
Para Daniel na cova dos leões: o livramento
Para os que temem o seu nome é o Amanhecer onde brilha o sol da justiça, em saindo sua luz
(revelação) ilumina os pés e os passos para a caminhada. Não existe nada melhor para seus servos
poder se fortalecer na luz dos seus olhos.
CONCLUSÃO
Como foi no passado hoje Jesus quer ser em sua vida o seu amanhecer. Para você que
chegou sem esperança, com dúvidas, nas trevas sem poder ver a luz. Hoje Jesus quer ser o
Amanhecer em sua vida, se há amanhecer, há um dia inteiro pela frente onde terá sempre alegria de
poder ver Jesus, de poder tê-lo te guiando e ajudando na resolução de todos os seus problemas.
Um Amanhecer está para raiar para a igreja: o arrebatamento de sua igreja. Tome hoje uma
decisão deixe hoje o amanhecer brilhar em sua vida e ele vai fazer brilhar o amanhecer eterno para
você.
12
AMANHECER
Êxodo 19:16-17
“Ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões, relâmpagos, e uma nuvem espessa sobre o monte; e
ouviu-se um sonido de buzina mui forte, de maneira que todo o povo que estava no arraial
estremeceu. E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do
monte...”
INTRODUÇÃO
O povo de Israel havia saído do Egito, onde havia passado por um longo período de
escravidão, cerca de 430 anos. Agora no deserto o Senhor preparava este povo para um novo
amanhecer ( Jesus ), uma nova ordem de coisas. O Senhor lhes daria as tábuas da lei uma nova de
conduzir, coisa que nenhum outro povo possuía.
Israel havia se preparado para aquele momento, o povo se consagrou, os limites foram
colocados junto ao monte Sinai, havia um grande temor nos corações. “Deus ia falar com o povo”
Semelhante o que aconteceu com Israel, também amanheceu um novo dia ( Jesus ) para a
igreja, apontando o um novo e vivo caminho através de sua morte e ressurreição.
DESENVOLVIMENTO
“...Ao terceiro dia, ao amanhecer...”
A ressurreição de Jesus trouxe para nós o amanhecer de um novo dia, o período da graça se
iniciava, a salvação gratuita para todos sem exceção, basta deixar Jesus entrar no coração.
“...houve trovões, relâmpagos, e uma nuvem espessa sobre o monte...”
A glória do Senhor desceu sobre o monte, declarando a todos os juízos do Senhor. A glória do
Senhor está na sua obra a sua presença enche este lugar e quer encher a sua vida.
“...e ouviu-se um sonido de buzina mui forte, de maneira que todo o povo que estava no arraial
estremeceu...”
O toque da buzina é a voz do Espírito Santo, que anuncia o dia da Salvação para o homem, a
igreja reconhece este som, pois é o som festivo. Deus está presente.
“...E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus...”
Jesus que ressuscitou, voltará para nos tirar do mundo e levar-nos ao encontro do Pai na
eternidade.
“...e puseram-se ao pé do monte...”
A igreja estará para sempre na comunhão do Pai, de quem receberá novos estatutos uma
ordenação eterna.
CONCLUSÃO
O amanhecer do terceiro dia ( Jesus ) trouxe para nós vida e paz, e em breve seremos levados
para o encontro com o Pai.
Todos aqueles que deixaram este amanhecer ( Jesus ) raiar em suas vidas estarão juntamente
com a igreja aos pés do Pai.
13
O BATIZADOR
João 1:33 e 34 “E eu não o conhecia, mas o que me mandou a batizar com água, esse me disse:
sobre aquele que vires descer o Espírito Santo, e sobre ele repousar, esse é o que batiza com o Espírito
Santo. E eu vi, e tenho testificado que esse é o Filho de Deus.”
Introdução
A doutrina do batismo está bem clara em toda a Palavra de Deus. Pela primeira vez, o batismo
aparece no Novo Testamento com João Batista, que pregava o arrependimento dos pecados. Os
que, atendiam à mensagem, eram batizados no rio Jordão, em simbolismo do morrer para o mundo e
o nascer para uma nova vida com Deus. João, contudo, anunciava que viria Um que seria maior do
que ele e que não batizaria com água, mas com o Espírito Santo.
Desenvolvimento
O anúncio profético de João Batista se cumpre quando vê descer a pomba e pousar sobre
Jesus. Ali João descobre e identifica o Batizador: Jesus. “..eu não o conhecia, mas o que mandou a
batizar...esse me disse...esse é o que batiza com o Espírito Santo.” A descoberta do Batizador é
resultado da revelação de Deus na vida do homem.
Jesus mostrou que era O Batizador em todo o seu ministério, anunciando a promessa do
derramar do Espírito Santo: “...não vos deixarei órfãos...”, “... e havendo dito isso, assoprou sobre eles e
disse-lhes: recebei o Espírito Santo.”
Assim como o batismo nas águas é o testemunho, para o mundo, do arrependimento dos
pecados, o batismo com o Espírito Santo, reveste o homem com o poder de Deus para testemunhar,
ao mundo, de uma nova vida em Jesus.
Jesus, o Batizador, através do seu próprio sangue, batiza a sua igreja com o Espírito Santo,
selando-a com o penhor da salvação, identificando-a com o reino de Deus, apresentando ao
homem o ensino da verdade e o caminho da vida eterna. “...e tendo nele crido, fostes selados com o
Espírito Santo da promessa...”
Conclusão
Nenhum outro nome é mencionado, em toda a Palavra, como capaz de batizar o homem com
Espírito Santo. Só Jesus, o batizador, derramou o seu sangue para a salvação do homem.
14
O BATIZADOR
Lucas 3:15-16
“Ora, estando o povo em expectativa e arrazoando todos em seus corações a respeito de João, se
porventura seria ele o Cristo, respondeu João a todos, dizendo: Eu, na verdade, vos batizo em água,
mas vem aquele que é mais poderoso do que eu, de quem não sou digno de desatar a correia das
alparcas; ele vos batizará no Espírito Santo e em fogo.”
INTRODUÇÃO:
Batismo é novo nascimento e Jesus é o único que tem poder para dar um novo nascimento ao
homem; o batismo nas águas é uma ordenança de Jesus, e Ele batiza com o Espírito Santo dando ao
homem condição de viver uma nova vida cheia de poder.
DESENVOLVIMENTO:
Quando Jesus foi assunto aos céus, Ele disse ficai em Jerusalém até que do alto sejais revestidos de
poder, e poder é batismo com o Espírito Santo. Jesus cumpriu esta promessa batizando a igreja com o
Espírito Santo no pentecostes naqueles dias e continua em nossos dias vivo e glorificado batizando
seu povo com o Espírito Santo, dando uma nova forma de vida, concedendo poder para testemunhar
e entendimento do projeto de Deus para salvação, preparando assim a sua igreja para o
arrebatamento.
CONCLUSÃO:
Quando João Batista disse: “um mais poderoso”, ele estava falando de um batizador que é Jesus
Cristo, porque só quem recebeu o poder no céu e na terra pode batizar com o Espírito Santo.
João realizou a obra do Senhor, mas ele passou, mas o batizador com o Espírito Santo é eterno.
Todos os que recebem o batismo com o Espírito Santo pelo Senhor Jesus, pela fé alcançam o poder
para testemunhar do projeto de Deus.
15
CABEÇA
Efésios 1:22
“...o constituiu como cabeça da igreja”.
INTRODUÇÃO
Na cabeça temos os olhos, os ouvidos, a boca, o nariz. Todos os sentidos do corpo são
analisados nela, por isso que a igreja é o corpo de Cristo e Cristo é a cabeça.
A cabeça que é Jesus comanda todo o corpo.
O cérebro é o centro do controle do nosso corpo, ele recebe, seleciona, interpreta e
armazena sensações e informações.
Jesus é a cabeça, pois dele vem todas as informações para o corpo (Igreja) funcionar bem.
DESENVOLVIMENTO
Na cabeça tem um hormônio que é responsável pelo controle do crescimento. Este hormônio
é produzido numa glândula chamada hipófise. Cristo, a cabeça da igreja, controla o seu
crescimento, por que? Porque tem que seguir um padrão, crescer na graça e no conhecimento.
A mente que dá forma à imagem e transmite para o corpo.
O sangue nutre e alimenta o corpo, assim age o Espírito Santo no meio da igreja.
A cabeça comanda o corpo e ele não faz o que quer e sim o que a cabeça manda. Se no
corpo Jesus é a cabeça Ele é quem comanda, se não o homem é que comanda.
CONCLUSÃO
A igreja fiel é comandada pelo cabeça que é Jesus.
Jesus é a cabeça perfeita, por isso a igreja é saudável.
Devemos deixar o Senhor Jesus governar a nossa vida, direcionar o nosso caminho.
O corpo jamais reage sem primeiramente a cabeça receber a mensagem.
O homem enquanto não tem Jesus comandando sua vida, toma suas decisões por impulso,
emoção, razão e sentimentos, mas quando Jesus passa a governar, ser a cabeça, tudo ele passa a
depender do Senhor (“... e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim”. Gal. 2:20).
16
O CAJADO
Gênesis 32:10 “Não sou digno da menor de todas as tuas beneficências e de toda a fidelidade que
tens usado para com teu servo; porque com o meu cajado passei este Jordão, e agora volto em dois
bandos”.
O cajado era instrumento de grande utilidade na vida do pastor, pois com ele o pastor consolava a
ovelha, dando-lhe a direção, corrigindo-a porém sem feri-la.
No texto acima, Jacó o pastor, se sente o menor, o mais indigno, frágil, necessitado. Ao atravessar o
Jordão, ele era a ovelha, e como tantos servos no passado, no meio de seu abatimento, descobre o
cajado e afirma: com meu cajado passei o Jordão.
No velho testamento o cajado tem muitas utilidades:





Como Jacó, você pode se apoiar no cajado e passar também o seu Jordão.
Pode como Davi no salmo 23 encontrar consolo.
Pode vencer o adversário – Davi venceu Golias com o cajado na mão.
Poder desarmar o adversário como fez Benaia, quando desarmou o egípcio – I Cr. 11:23.
O povo de Israel saiu do Egito com o cajado nas mãos.
CONCLUSÃO
O cajado é instrumento de Deus para condução da ovelha, com ele Deus a consola, guia, fortalece
contra o inimigo, ele é uma arma. O cajado que consola e guia a ovelha, é também a ferramenta
para desarmar o adversário, para vencer o gigante. Assim o cajado é um símbolo do Senhor Jesus no
velho testamento, pois para nós, ovelhas do seu pasto, ele é consolo, direção, nós apoiamos nele
quando estamos cansados e sobrecarregados. Enquanto o cajado é arma contra o inimigo e ele tem
medo do cajado, para nós ele é amado e querido, é instrumento para consolo e livramento.
17
O CAJADO
II Samuel 23:21
“Matou também um egípcio, homem de temível aspecto; tinha este uma lança na mão, mas Benaía
desceu a ele com um cajado, arrancou-lhe da mão a lança, e com ela o matou.”
O texto relata-nos sobre um homem chamado Benaia que foi um dos 37 valentes de Davi. Ele lutou
com um “homem egípcio, homem de respeito”, segundo o texto, indicado que esse egípcio era uma
pessoa admirada e respeitada pelos seus.
O egípcio possuía uma lança, com a qual investiu sobre Benaia para o destruir, porém, Benaia
defendeu-se com um instrumento aparentememte inadequado, e frágil para uma luta, um cajado. A
palavra nos diz que Benaia com seu cajado arrancou a lança da mão do egípcio e o matou com
sua própria lança.
O egípcio é tipo daquilo que é gerado pelo mundo, daquilo que agrada a carne e tudo o que é
gerado pelo mundo é com competência, velocidade e precisão, levando as pessoas a ter grande
admiração.
Ele usou as armas do mundo (lança), que são para matar, destruir a vida do homem, separando-o de
Deus para sempre (lança=morte).
Benaia é tipo do servo fiel a Deus, que se opõe ao egípcio, e o faz também com competência,
velocidade e precisão, pois, quando lutou contra o egípcio, teve agiliddade suficiente para tomar a
lança de suas mãos, utilizando um instrumento completamente diferente da lança, e que
aparentemente não seria capaz de faze-lo, esse instrumento foi o cajado.
Quem olhasse para os dois lutando, humanamente diria que o egípcio venceria Benaia facilmente,
pois a lança é uma arma própria para um combate, o cajado não.
Com o cajado Benaia venceu o que foi gerado pelo mundo, venceu a carne (“a carne não herdará
o reino de Deus” – I Cor. 15:50). O que o mundo gera é para a morte e para vence-la só a direção
que se obtém através do cajado.
O cajado é a arma do servo desta obra, pois representa o Senhor Jesus e com ele (cajado)
derrotamos o egípcio. Com o cajado vencemos o que é gerado pelo mundo. O que o mundo gera é
para a morte, mas o cajado em nossas mãos temos a direção para a vida eterna.
Conclusão
Egípcio – o que é gerado pelo mundo
Lança – arma da carne que leva a morte
Benaia – servo desta obra
Cajado – arma do servo que nos leva a vida eterna, pois simboliza o governo, a direção, o
apascentar, o cuidado do Senhor para com nossas vidas.
18
CAMINHO
João 14:6
“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por
mim.”
INTRODUÇÃO
Jesus reúne os discípulos e instrui-lhes a ter sua atenção voltada para ele, o Pai, o projeto, as
promessas, a eternidade. Não é hora de olhar para o mundo e suas confusões.
DESENVOLVIMENTO
- Disse-lhe Tome: “Senhor, nós não sabemos para onde vais.”
Está é a condição de muitos nesta hora, tem a palavra, não é inocente mas a mente está
confusa, perturbada com os caminhos que o mundo aponta.
- E como podemos saber o caminho?
Sem Jesus, o homem está totalmente perdido.
- Eu sou o caminho.
Hoje esta palavra se repete a todo o momento.
O desejo do Senhor é se revelar ao homem – EU SOU.
Palavra que leva o homem à definição, é objetiva, é incontestável.
Este é o meu nome – CAMINHO.
- Verdade.
O homem quando anda no caminho que é Jesus, os sinais do poder de Deus faz com que a
dúvida, a confusão, o medo de estar sendo enganado saia e fique a certeza; Ele é o caminho.
- E a vida.
A grande sede da alma do homem, vida eterna com Deus.
O homem só entende isso quando desfruta do cuidado de Deus neste caminho, pois ele vive
o projeto de Deus para sua vida. Desfruta dos benefícios da eternidade.
- Ninguém vem ao Pai, senão por mim.
A palavra é clara, Jesus é o elo de ligação do homem a eternidade, o caminho.
Só ele pode dar vida eterna, salvação para o homem.
CONCLUSÃO
Agora não mais perdido.
Quem está no caminho sabe de onde veio, onde está e para onde vai.
19
CAMINHO
Salmos 110:7
“Pelo caminho beberá da corrente, e prosseguirá de cabeça erguida.”
INTRODUÇÃO
Podemos observar a figura da trindade:
- caminho
- ribeiro
- cabeça erguida
- Pai
- Filho
- Espírito Santo
Resultado da ação do Espírito Santo.
DESENVOLVIMENTO
Jesus é o caminho que nos leva ao Pai. É o caminho que devemos percorrer diariamente, pois
Ele abriu este caminho na cruz, e está a nossa frente. A nossa alegria é estar neste caminho, nele
temos as nossas necessidades supridas quando encontramos o ribeiro.
Assim prosseguiremos pelo caminho, pois nesta Obra, o homem não pára e, cada dia
podemos contar com as vitórias gloriosas, nos mantendo de pé, não desviando dele.
Por mais lutas que passemos, elas não podem nos desviar deste caminho, pois é o único que
nos dá vida e vida eterna.
Cabeça erguida: mantermos a nossa mente erguida para o alvo, que é a eternidade.
CONCLUSÃO
A maior certeza é que Ele está conosco, que nos levará para morarmos com ele, no céu, para
todo sempre.
Esforcemo-nos e lutemos, com todas as nossas forças, para nos mantermos de pé, e
chegaremos até aquele grande dia, onde receberemos do Senhor a nossa coroa.
O alcance profético de Davi foi ver a salvação como um processo dinâmico onde o homem
teria uma experiência, conhecendo a Jesus, onde todas as suas necessidades seriam supridas.
Caminho – dinâmica – ribeiro – Espírito Santo – sustento para caminhada.
Cabeça erguida, alcance da vida eterna.
20
CARPINTEIRO
Marcos 6:3
“Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? E não
estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele”.
INTRODUÇÃO
Jesus veio cumprir um projeto do Pai, estabelecido desde a eternidade.
Tudo que Jesus fez, seus atos, seus feitos era profético, até sua profissão era profética.
E qual era a sua profissão?
Jesus era carpinteiro.
DESENVOLVIMENTO
A matéria prima do carpinteiro é a madeira.


A Madeira - Homem;
Carpinteiro
- Jesus;
Jesus veio como o carpinteiro, para fazer com o homem o que o carpinteiro faz com a
madeira.
O PROCESSO DE FABRICAÇÃO


Adquirir a madeira
Local de trabalho -
- O preço
Carpintaria
: Jesus pagou um preço pelo homem;
: A igreja;
Todo trabalho é feito na carpintaria é lá que ele de um tronco de uma árvore, e trabalha com
suas próprias mãos e vai dando forma até fazer da madeira um móvel pronto para ser usado.
É assim que Jesus faz com o homem, tira lá do mundo e traz para o ceio da igreja (o corpo), e
começa a trabalhar na vida do homem, vai dando forma, até ficar pronto.
Não é a madeira que escolhe o carpinteiro, mas o carpinteiro é que escolhe a madeira. (Jesus
disse: não vos escolhestes a mim...).
Quando corta a árvore - as raízes ficam na terra, é desta mesma forma que Jesus trabalha
com o homem, as suas raízes ficam para traz, deixar tudo para seguir a Jesus, (quem estar em cristo
nova criatura é, as cosas velhas ficam para traz, tudo se faz novo), deixar a tradição, sua razão, etc.
Há carpinteiros que só trabalha com determinadas madeiras, mais Jesus trabalha com todas,
ele não faz acepção.
Há madeiras que muitos carpinteiros rejeitam, mais Jesus não rejeita ninguém, porque ele
opera milagre.
O carpinteiro conhece a madeira só no olhar, Jesus também conhece o homem a sua
intimidade etc...
Quando o carpinteiro escolhe a árvore ele já tem em mente o que fazer com aquela madeira.
O projeto de Jesus é fazer do homem um vaso de honra, de glória e louvor.
O móvel depois de pronto ele tem um destino, levar para casa.
O que o carpinteiro o Senhor Jesus quer e trabalhar na vida do homem, fazer dele um móvel,
levar para sua casa, que é a eternidade, por isso ele disse: na casa de meu Pai tem muitas moradas.
CONCLUSÃO
21
Hoje este Carpinteiro esta aqui p/ trabalhar na vida do homem, dar uma nova forma, moldar
sua vida, e preparar porque ele tem um lugar separado para homem, que é a casa do Pai.
O homem esta sem forma, vazio, etc..., mas Jesus veio para da uma nova forma de vida.
22
CARPINTEIRO
Marcos 6:2-3
“Ora, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ao ouví-lo, se maravilhavam,
dizendo: Donde lhe vêm estas coisas? e que sabedoria é esta que lhe é dada? e como se fazem tais
milagres por suas mãos? Não é este o carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, de José, de Judas e
de Simão? e não estão aqui entre nós suas irmãs? E escandalizavam-se dele.”
INTRODUÇÃO
O carpinteiro é aquele que trabalha com a madeira. Ele a pega bruta, cheia de cascas, de
nós, de defeitos e a transforma numa peça lisa, fina.
Jesus precisava saber lidar com a madeira, porque Deus o enviou para resgatar o homem de
sua natureza pecaminosa, cheio de defeitos, de vontade própria, cheio de razão, madeira bruta.
O texto que lemos, fala que Jesus estava na sinagoga ensinando a palavra, Ele estava a
trabalho do Pai, trabalhando na madeira, revelando aos homens Seu projeto de salvação e esse
trabalho do Senhor Jesus ainda não parou, porque hoje este mesmo Jesus está aqui em nosso meio
como o bom carpinteiro, querendo trabalhar nas nossas vidas.
Seja qual for o tipo de madeira, seja qual for a dificuldade que for apresentada, esse bom carpinteiro
quer começar a trabalhar na sua vida.
Basta apenas que você comece a conversar com Ele e contar pra Ele o que você precisa tirar
nesta hora. É necessário abrir o coração e deixar Jesus transformar sua vida. Não tenha receio de
contar pra Jesus suas limitações, suas ansiedades, seus desejos, porque todos eles Jesus conhece,
mas hoje Ele quer ouvir de você, que a sua vida está nas mãos do bom carpinteiro e que Ele tem
liberdade de operar, de trabalhar na sua vida. Deixa o Espírito te convencer, porque este é o projeto
de Deus para sua vida.
JESUS O CARPINTEIRO
Jesus era o filho primogênito, era carpinteiro filho de José o carpinteiro.
Durante a maior parte de sua vida ele trabalhou com seu pai na carpintaria de José. Jesus foi
batizado quando tinha quase 30 anos de idade.
Após o seu batismo ele deixa a carpintaria de seu pai. Alguém que procurasse a carpintaria
de José (Jesus) a encontraria fechada.
Fechou-se uma carpintaria e abriu-se a maior carpintaria do mundo porque Jesus passou a trabalhar
o homem, fazendo como o carpinteiro, quando trabalha a madeira, transformando, dando forma,
razão de ser e de viver.
23
CARPINTEIRO
Marcos 6:1-3
“Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simeão...”
OBJETIVO
Mostrar Jesus como o Carpinteiro
INTRODUÇÃO
Jesus apesar de estar realizando, naquele momento, um trabalho espiritual (ensinando na
sinagoga), ao invés de ser identificado como um SÁBIO OU MESTRE, foi identificado como “O
CARPINTEIRO”.
Essa posição seria significativa no ministério de Jesus porque; também no campo espiritual,
Jesus estaria trabalhando com madeira, já que a Palavra apresenta madeira como o tipo do homem.
DESENVOLVIMENTO
Transformação – O Senhor veio trabalhar a vida do homem e, como no caso do carpinteiro,
esse também seria um trabalho árduo:
a) A ÁRVORE PRECISAVA SER RETIRADA DA MATA – Mostra o homem cheio de raízes que dificultam
seu desprendimento – Ás vezes o homem tem a consciência da necessidade de acertar, mas se
vê preso por tantas coisas dessa vida (são as raízes) – Não foi fácil para o Senhor nos tirar do
mundo; o esforço foi muito grande, mas hoje, nossa vida diante de Deus é um testemunho de
vitória.
b) TRANSPORTAR – A árvore não poderia ficar lá na mata. O CARPINTEIRO tinha que ser forte;
carregar as toras. Era necessário tirar a árvore dali. O homem não é salvo para ficar no mesmo
lugar ou na mesma posição; o projeto do Senhor Jesus (CARPINTEIRO) é nos trazer para um novo
lugar, uma nova realidade (”Aquele que está em Cristo nova criatura é...”). Quando o Senhor
quer nos tirar do mundo, muitas forças se levantam contra, mas o CARPINTEIRO (Jesus) forte –
Nossa vida é o testemunho dessa vitória;
c) TRABALHAR A MADEIRA – Fomos trazidos para a presença do Senhor, mas ainda há muito para
fazer – SERRAR, TIRAR A CASCA, LIXAR, etc... Trabalho do Senhor todos os dias em nossas vidas,
ajustando, acertando para que estejamos em condições de sermos úteis e usados na Obra.
CONCLUSÃO
JESUS É O CARPINTEIRO que tem trabalhado para nos apresentar assim diante de Deus;
prontos e em condições de sermos usados na presença do Senhor. A BOA MADEIRA É AQUELA QUE SE
DEIXA TRABALHAR – NÃO OFERECE RESISTÊNCIA AO PROJETO DO SENHOR. PARA QUE ESTEJAMOS
DIANTE DE DEUS, PREPARADOS COMO INSTRUMENTOS NA REALIZAÇÃO DA SUA OBRA.
24
CARPINTEIRO
Marcos 6:3
“Não é este o carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E não vivem aqui entre
nós suas irmãs? E escandalizavam-se nele.”
INTRODUÇÃO
Na bíblia encontramos em muitas passagens a tipificação do homem por madeira:
O justo florescerá como a palmeira.
O justo é como árvore plantada junto a corrente de água...
DESENVOLVIMENTO
O Senhor, na sua onisciência, no projeto para salvar o homem, enviou Jesus e fê-lo nascer em
um lar simples aonde o sustento vinha do trabalho de José, marido de Maria, na carpintaria. Ali Jesus
viveu até o início do seu ministério, trabalhando com José na oficina, cuidando da arte de preparar
madeira para uso nas mais diversas aplicações.
Certamente, isto implicava em retirar cascas, nódulos, aplainar as peças enfim, transformar a
madeira bruta em madeira útil.
Com certeza, também, manuseava, deslocando toras, peças grandes, pesadas e, isto tudo
profeticamente, pois seria levado ao calvário e Ele mesmo carregaria sua cruz.
Mas, nesta mensagem, queremos demonstrar a beleza da Palavra de Deus, completa,
profética e perfeita, pois estamos diante do Carpinteiro e, nós somos a madeira que um dia fomos
trazido para sua “oficina” para, por Ele, sermos trabalhados.
Quando viram os sinais, as maravilhas, a multidão que já se aglomerava, admirados
perguntaram: “Não é este o carpinteiro...?”.
Sem saber, estavam proferindo mais um nome pelo qual o Senhor Jesus é conhecido no Novo
testamento: O Carpinteiro.
Porque sabe trabalhar com madeira.
Para nós, o que sabe trabalhar o homem. Sabe retirar as tradições, sabe tirar os costumes do
mundo, sabe limpar o coração, sabe libertar a mente, sabe tornar manso aquele que era arrogante,
sabe fazer humilde o antes orgulhoso, enfim, sabe endireitar para que possa ser usado.
CONCLUSÃO
O Carpinteiro, só Ele pode tirar a madeira (o homem) da floresta (o mundo) levá-la a oficina
(sua presença, sua obra) para algo útil.
Na verdade, o Carpinteiro, o Senhor Jesus, depois de trabalhar o homem o reveste do seu
poder. Isto também está figurado na Palavra de Deus quando mandou preparar as tábuas do
Tabernáculo e revesti-las de ouro.
25
CARPINTEIRO
Marcos 6:3
“Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? E não
estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele.”
INTRODUÇÃO
Jesus estava despertando a curiosidade e a admiração daquelas pessoas. Havia um misto de
contentamento e de perplexidade em seus corações.
Aquelas pessoas conheciam Jesus, o carpinteiro, filho de José e Maria e viam, também, o
poder de Deus sendo revelado em Suas obras e nas Suas palavras.
O DILEMA
Aquelas pessoas estavam diante de um paradoxo:
-
Viam um homem pobre e, ao mesmo tempo, poderoso em obras
Viam um homem simples e, ao mesmo tempo, rico em sabedoria
Viam um homem humilde e, ao mesmo tempo, com autoridade do alto
Viam um homem comum e, ao mesmo tempo, cheio da graça de Deus
A PERGUNTA DA ALMA
De onde vinham estas coisas?
Não vinha de Nazaré.
Que sabedoria é esta que Ele possuía?
Não fora dado pelas escolas da Galiléia.
Como se fazem tais maravilhas pelas suas mãos?
Não fazia parte do aprendizado do ofício de carpinteiro, ensinado por seu pai, conhecido naquela
região.
A SITUAÇÃO
Aquelas pessoas conheciam as habilidades naturais de Jesus no ofício de carpinteiro, porém
não compreendiam a Suas habilidades maravilhosas, que agora eram realizadas pelas mesmas mãos
que, outrora, faziam cadeiras e mesas na oficina em Nazaré. Conhecia o Jesus homem carpinteiro e
não o Jesus carpinteiro do homem.
Mais uma vez vemos o homem compreendendo erroneamente o projeto de Deus para sua
vida. Eles tinham uma visão horizontal (ao nível dessa terra) e não vertical (contemplando as coisas
do alto).
A incredulidade desses homens impediu a realização de coisas maiores e maravilhosas no
meio deles.
O CARPINTEIRO DO HOMEM
Temos como exemplo de Jesus agindo como carpinteiro na vida do homem na história de Paulo
(o que antes era Saulo de Tarso):
-
Jesus o identificou como árvore de boa madeira = “... este será para mim um instrumento
escolhido...” Atos 9:14
26
-
Jesus o corta e o abate = “...e, caindo por terra, ouviu uma voz...” Atos 9:4
-
Jesus trabalha na madeira cortada (trabalha na sua vida trazendo o ensino e dando
experiências) = Naufrágios, prisões, açoites perseguições “... quanto a mim ninguém me moleste;
porque eu trago no corpo as marcas de Jesus.” Gálatas 6:17
-
Jesus faz dele um instrumento de honra = “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de
Deus...” II Co 1:1
CONCLUSÃO
Para que o homem alcance o projeto de Deus para sua vida e tenha uma caminhada
vitoriosa na presença do Senhor é necessário que ele receba Jesus como o carpinteiro que trabalha
com habilidade em nosso ser. É necessário que sua visão não seja terrena e que não haja com
incredulidade diante da vontade de Deus.
27
CARPINTEIRO
Mateus 13:55
“Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão,
e Judas?”
OBJETIVO
Apresentar Jesus como o carpinteiro.
INTRODUÇÃO
Jesus filho de carpinteiro e carpinteiro, sua vida cotidiana no seu lar com o pai, o
acompanhava na profissão de carpinteiro, trabalhando com madeiras fazendo casas e moveis.
O trabalho na época era artesanal, feito a mão e bastante trabalhoso, quando seu pai Jose ia
até a floresta levando ferramentas manuais e usando de bom conhecimento para a escolha da
madeira.
Jesus acompanhou tudo no seu tempo de infância e juventude até aos trinta anos vendo
a habilidade de seu pai.
DESENVOLVIMENTO
Aos trinta anos começou seu ministério trabalhando com homens que é tipo da madeira.
Esse carpinteiro nos chama para trabalhar em nossas vidas.
Tira da floresta , que significa o mundo, madeiras para diversas utilidades, neste trabalho tira a
casca da madeira que é a aparência e não olha para os nós que são as nossas dificuldades pois só
ele aperfeiçoa as nossas vidas, os nós também falam da resistência que estão no nosso interior. Só
ele trabalha em nossas vidas sem nos ferir através do seu Espírito Santo e usa nossas vidas para adorno
em sua obra
Não devemos olhar o Senhor Jesus como os homens de Nazaré, como eles olharam, mas
como Salvador, e nem para sua genealogia terrena, mas eterna, pois é filho de Deus .
Nós devemos pedir ao Senhor que trabalhe em nossas vidas como um hábil carpinteiro.
CONCLUSÃO
Nas mãos do Senhor somos como madeiras preciosas, cada vez mais aperfeiçoados com
as características do carpinteiro, para que possa transparecer nas nossas vidas. É transformar o
homem terreno para ter visão espiritual (eternidade).
Esse trabalho é com o objetivo de preparar o homem para ser útil na Obra do Senhor.
28
O CONSELHEIRO
João 14:26 – “...esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.”
INTRODUÇÃO
Conselheiro – aquele que dá o conselho.
Deus sempre quis aconselhar o homem para que este vivesse na sua presença, desfrutando do
melhor, desde a criação, quando falava ao homem no Édem, mas este preferiu ouvir outro conselho.
Em toda trajetória do povo no passado, Deus fez chegar o seu conselho através de figuras como Noé,
Moisés, a vara, o cajado, a arca, os sacerdotes, os profetas, os reis, orientando, dando a direção,
suprindo as necessidades, conduzindo à vitórias, dando sempre o melhor, mas na dureza de coração,
muitos acabaram indo por outros caminhos.
DESENVOLVIMENTO
Diante da situação do homem, o Pai, por seu grande amor, decide na eternidade, enviar seu único
Filho para dar ao homem a oportunidade de receber o seu conselho, recebendo Jesus, ouvindo suas
palavras, cujo efeito todos à época puderam ver, sentir e testemunhar: “nunca ninguém falou como
este homem.”
Com seu conselho (sua palavra) curou os enfermos, libertou os oprimidos, apontou um caminho,
apresentou um projeto de vida eterna.
Mas o homem, mesmo conhecedor de seus grandes feitos, não somente o rejeitou como levou-o a
morte na cruz, preferindo ouvir a multidão (carne).
Deus o constituiu “Conselheiro”, e Ele cumpriu a vontade do Pai, dando-nos o verdadeiro conselho
que consola, conforta, descansa, orienta, dirige, pois ao derramar seu sangue, deixou-nos o seu
Espírito Santo, sua vida, seu amor, para que aquele que esteja debaixo desde conselho, seja
preparado em todas as coisas lembrando da sua Palavra (verdade), andando no caminho e vivendo
o projeto de vida eterna.
CONCLUSÃO
O Conselho do Senhor dá ao homem o que há de melhor (salvação), e aquele que valoriza o
sacrifício do Senhor Jesus (o conselheiro), guarda seu conselho (Espírito Santo) tem a certeza
alcançará vitória nesta vida e viverá eternamente com o Senhor.
29
CORDEIRO
Gênesis 22 : 7
“Então, falou Isaque a Abraão, seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui meu filho! E ele disse:
Eis aqui o fogo e lenha, mas onde está o cordeiro para holocausto?”
INTRODUÇÃO
O homem perdeu e está à procura do seu referencial com Deus, que é a vida. A vida eterna.
A perda deste referencial trouxe ao homem conseqüências, entre elas a morte; sendo
para ele um grande desafio e anseio encontrar algo que substitua a morte pela vida.
Na procura por esse referencial, ele aceita tudo o que entende ser melhor, mais conveniente
o tornando insatisfeito, porque o referencial escolhido por ele, não atinge sua maior necessidade que
é a da alma.
DESENVOLVIMENTO
Chegando a terra de Moriá, Isaque juntamente com seu pai Abraão, preparam tudo para o
sacrifício, conforme Deus havia orientado.
A vitima para o sacrifício seria Isaque, mas ele não sabia e se preocupou com a ausência do
cordeiro, pois era de fundamental importância a vitima para o sacrifício. Então ele faz uma pergunta
a seu pai: Onde está o cordeiro?
A ausência do cordeiro representava morte para Isaque, mas Deus providenciou o cordeiro
que substituiu Isaque. Assim a presença do cordeiro significou vida para Isaque; pois na morte está a
vida.
O homem que não tem um referencial com Deus, pergunta: onde está o cordeiro? Onde está
Jesus? Porque ele projeta muitos planos, mas sabe que está morrendo.
Deus na expressão máxima do seu amor, providência o cordeiro, Jesus; pois na sua morte e
ressurreição está a vida que substitui a morte do homem.
CONCLUSÃO
Tudo está preparado. O Espírito Santo nesta última hora tem falado ao homem de forma
clara e precisa, não estando o ele enganado.
Deus responde a pergunta do homem, entregando Jesus para morrer em seu lugar,
trocando a morte do homem pela vida eterna que está em Jesus.
Desta forma, o homem não precisa mais morrer, agora ele tem novamente um
referencial, se assim aceitar; Jesus, o cordeiro de Deus, que conduz o homem à eternidade.
30
DEUS FORTE
Salmos 24:8
“Quem é esse Rei da Glória? O Senhor Forte é poderoso, o Senhor poderoso na guerra.”
INTRODUÇÃO
O texto que lemos nos fala de um dos nomes como Jesus é conhecido no Velho Testamento Senhor Forte, Deus Forte - nome que assinala um atributo do Senhor Jesus e que contém evidente
contraste com a essência da natureza material do homem: sua fragilidade.
DESENVOLVIMENTO
Quando o homem fala do seu tempo e de tudo aquilo que ele enfrenta neste mundo (suas
lutas, seus anseios, suas limitações) o que fica logo transparente é a marca da sua fragilidade diante
da vida. Nada é mais fraco do que o homem na natureza física. Alguns só descobrem isso quando
estão passando pela prova da enfermidade. Outros, quando vitimados por fatalidades, acidentes e
circunstâncias adversas que mudam, de forma abruta e definitiva, o destino e a razão de suas
existências. E, além disso, a maior fragilidade do homem é a sua necessidade interior, da sua alma.
São suas lutas interiores.
O salmista, neste versículo, mostra o aspecto profético da força do Senhor Jesus.
E Deus, que conhece o profundo da natureza humana, não quer que o homem passe os seus
dias sem saber que existe um projeto, através do qual Deus enviou o seu Filho Jesus para que, como
homem, na sua fragilidade, desde a manjedoura até o calvário, enfrentasse todas as lutas pelas quais
um homem pode vir a passar.
Morreu e ressuscitou, vencendo a morte, o que foi a maior expressão da sua força. “Tragada
foi à morte na vitória” I Coríntios 15:54.
Isto quer dizer que o homem não está sozinho, ao sabor de sua própria sorte, mas o Deus Forte
quer ajudá-lo. Jesus quer se revelar a ele, demonstrar a sua natureza e o seu amor. Revelar-se
como Deus Forte, “o Senhor Forte e poderoso na guerra” Salmo 24:8.
Como Deus Forte, o Senhor Jesus é aquele que vem resgatar e salvar o homem, aquele que
deposita nele a sua confiança. Jesus é o que socorre o necessitado. O que traz, do seu santuário, da
sua glória, a vitória que é a vida eterna.
“Quem é esse Rei da Glória? O Senhor Forte e Poderoso” Salmo 24:10.
CONCLUSÃO
Quando o homem entende e vive essa descoberta, começa também a experimentar, na sua
natureza frágil, a força e o poder do Rei da Glória.
“Quem é esse Rei da Glória? O Senhor Forte e poderoso, o Senhor poderoso na guerra” Salmo
24:8.
31
DEUS FORTE
Isaías 9:6
"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se
chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz"
INTRODUÇÃO
Quando o profeta Isaías neste texto se refere a este menino que haveria de nascer ele
estabelece um contraponto diante dos conceitos humanos. Porque aquilo que o homem vê em uma
criança é a fragilidade, a necessidade de cuidados, a limitação, etc. Mas Isaías diz: e se chamará o
seu nome Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz, ou seja, atributos
que aos olhos humanos não poderiam pertencer a uma criança.
DESENVOLVIMENTO
Este menino fala do Senhor Jesus. E Isaías profetizou a respeito de Jesus, quase 700 anos do
seu nascimento.
... um menino nos nasceu ... Jesus iria nascer 700 anos depois, mas Isaías fala de algo que já havia
acontecido, porque Jesus estava presente antes da fundação do mundo (... o cordeiro que foi morto
antes da fundação do mundo)
...um filho se nos deu .... Deus enviou seu único Filho para trazer a salvação ao homem
CONCLUSÃO
Jesus é o Deus forte porque:


Na cruz do calvário ele venceu a morte por amor às nossas vidas
Jesus é aquele que estabelece um contraponto diante da ótica do homem. Veio como
homem, nascido de mulher, concebido pelo Espírito Santo, sofreu (... homem de dores,
experimentado nos trabalhos..), mas dentre todos os atributos que o profeta fala a seu respeito,
ele é o Deus Forte. Era a manifestação do poder de Deus que estava sobre a sua vida.
32
DEUS FORTE
Isaías 25:4
“Porque foste a fortaleza do pobre, e a fortaleza do necessitado na sua angústia; refúgio contra a
tempestade, e sombra contra o calor;...”
INTRODUÇÃO
Toda a palavra do Senhor aponta para um projeto de salvação e resgate do homem, por
intermédio de Cristo Jesus.
Ele recebe, tanto no novo com no Velho Testamento, nomes que definem as suas
características. Um desses nomes é Deus Forte.
DESENVOLVIMENTO
Jesus é Deus Forte.
Porque é nosso amparo e fortaleza.
Porque venceu a morte, nos dando vida.
Porque nos alegra; retira a nossa angústia, com a esperança de uma vida eterna.
Porque neste mundo de aflições, tem sido a nossa proteção e o nosso refúgio.
Os servos do passado puderam experimentar a força e o poder de Deus, que concedia vitória
e direção nas batalhas.
CONCLUSÃO
Hoje Jesus tem sido nosso Deus Forte, pois tem preservado os necessitados, tem alegrado
aqueles que estão angustiados e sido refúgio e abrigo aos que o buscam.
33
DEUS FORTE
Isaías 9:6
“E o seu nome será... ...Deus Forte”
INTRODUÇÃO
O profeta Isaías fala de alguém que surgiria como referência para o povo de Israel e
estabeleceria um reino de paz.
O verbo “será” mostrava que em um futuro próximo toda situação que envolvia aquele povo
mudaria. Uma promessa iria se cumprir, nasceria um rei que seria capaz de vencer os mais fortes dos
nossos inimigos, porque este rei profetizado era o próprio filho de Deus que na simplicidade e
fragilidade da aparência humana mostraria ao mundo a sua força.
DESENVOLVIMENTO
Hoje esta profecia se cumpre no nosso meio porque o verbo profetizado “se fez carne e
habitou entre nós” e como rei nos mostrou os grandes valores celestiais e como Deus forte venceu o
maior dos nossos inimigos (a morte) ele ressuscitou.
E como Deus ressurreto, Ele a cada dia tem revelado a sua força vencendo as nossas batalhas
e incertezas, onde nós não temos condição de agir, a sua forte mão se move em nosso favor e
define a vitória desejada.
Se as portas estão fechadas “Ele é o que tem a chave de Davi, que abre e ninguém fecha”.
Se as dúvidas e incertezas nos cercam “o Senhor é o meu pastor e nada me faltará”.
Se a luta travada é dentro do lar, Ele é o Senhor dos exércitos apto e destro em todas as
batalhas.
Mas quem é este Deus? “O Senhor forte e poderoso, o Senhor forte na batalha”.
CONCLUSÃO
E hoje nós que somos Israel espiritual temos vivido uma nova vida cheia de vitórias e certezas
porque o Deus que tem se revelado a nós é vencedor e nos faz a cada dia vencedores com ele.
É hoje o presente da igreja, o seu nome, é, e sempre será, o Deus forte.
34
DEUS FORTE
Salmos 24:8
“Quem é o Rei da Glória? O Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso na batalha.”
INTRODUÇÃO
As pessoas e as nações do mundo inteiro, têm se esforçado muitíssimo para adquirir uma
supremacia qualquer em relação aos outros. Isso se tornou assunto de suma importância para governos
e governantes deste mundo. É importante porque todos querem sobreviver e isso faz parte da batalha
pela vida.
O servo de Deus porém, aprendeu a olhar estas coisas com o descanso e a paz adquiridos no
aprendizado da palavra de Deus. Ele não está confiado numa forma de governo, ou organização
qualquer, que detenha o poder por alguns anos apenas. Antes, ele espera o Rei da Glória, o Deus Forte,
aquele cujo reino não terá fim e cuja proposta não se resume apenas em melhoria da qualidade de vida,
mas sim em Vida Eterna.
DESENVOLVIMENTO
“Quem é o Rei da Glória? O Senhor Forte e Poderoso, o Senhor poderoso nas batalhas.” – Quem
no mundo deteria estes atributos? Nenhum homem, nenhum governo poderia se conceituar assim. Nada
é forte e muito menos invencível neste mundo. Homens caem. São derrotados com os seus mais altos e
espetaculares projetos. Porém o Deus Forte vence as batalhas e continua de pé. “Do Senhor é a guerra “
1sm 17:47 .
Jesus é tudo o que o homem precisa, porque é o único que pode vencer por ele a mais terrível das
batalhas que é a morte, e o mais ferrenho dos inimigos que é o pecado.
Isso é tudo o que o homem precisa. Um Deus Forte para garantir a ele a vitória sobre a depressão,
sobre a dor da mente enferma pelo pecado, pela vergonha, pelas cicatrizes do passado. Um Deus Forte
para vencer a solidão, o medo, a insegurança e a falta de amor. Um Deus Forte que aniquilou a morte,
que é o salário do pecado e que doou vida para os que são seus.
CONCLUSÃO
Glorificamos ao Senhor porque Ele foi Forte quando lá na cruz do calvário tomou sobre si todas as
nossas misérias e repartiu conosco o seu espírito de vida. Agora a igreja se prepara para receber o Rei
da Glória, o Deus Forte. Ela se alegra porque sabe que o seu reino não terá uma duração de apenas
quatro ou cinco anos, mas que ele não terá fim.
35
ENVIADO
I João 4:9
“Disse-lhe então a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou
mulher samaritana? (Porque os judeus não se comunicavam com os samaritanos.)”
OBJETIVO
A prova do amor do Pai para dar-nos vida eterna.
ALVO
Visitante
REVELAÇÃO
Jesus (enviado), veio com uma missão: perdoar os nossos pecados, libertar e curar as nossas
enfermidades, transformando os nossos corações, através da fé que vem da eternidade. O Senhor
Jesus como servo, nos ensina a tomar uma atitude de fé com sua obra missionária, como os apóstolos
“enviado”.
INTRODUÇÃO
Deus enviou seu filho para resgatar (salvar) o homem do pecado.
Porque Deus nos ama e nós temos experimentado este amor, enviou seu filho para cumprir o
projeto de salvação na vida do homem.
DESENVOLVIMENTO
Quando amamos uns aos outros, Jesus continua a habitar em nós, e quando entendemos o
perfeito sacrifício de Jesus na cruz, passamos a ter uma vida eterna. Por isso, caminhamos neste
mundo guardando a sua palavra, que é a verdade.
Deus está falando pelo seu Espírito Santo, para nos mostrar o mistério de seu filho, que é
eterno.
CONCLUSÃO
Jesus (enviado), veio com uma missão: perdoar os nossos pecados, libertar e curar as nossas
enfermidades, transformando os nossos corações, através da fé que vem da eternidade. O Senhor
Jesus como servo, nos ensina a tomar uma atitude de fé com sua obra missionária, como os apóstolos
“enviado”.
36
FÉ
Josué 14:11
“Ainda hoje me acho tão forte como no dia em que Moisés me enviou; qual era a minha
força então, tal é agora a minha força, tanto para a guerra como para sair e entrar.”
INTRODUÇÃO
O povo de Israel havia saído do Egito debaixo de vários sinais e milagres operados por Deus.
Foram os livramentos das dez pragas, a passagem no meio do mar, a derrota do exército de Faraó,
tudo foi presenciado por mais de seiscentos mil homens (Ex. 12:37), inclusive Calebe.
Quando estiveram no deserto e sentiram sede, Deus proveu água, quando sentiram calor Deus
proveu a nuvem, quando sentiram fome, Deus proveu o maná, frio, Deus proveu a coluna de fogo
para aquecer e iluminar. Entretanto muitos do povo desanimaram, sentiram saudade do Egito,
murmuraram contra o Senhor, e, sobretudo, esqueceram da grande promessa: herdar Canaã. E por
isso morreram no deserto (por perderem as forças).
DESENVOLVIMENTO
Um dia fomos resgatados do mundo (Egito). O Senhor operou grandes sinais para que
estivéssemos aqui, nunca deixa nos faltar água (refrigério do Espírito Santo), maná (alimento
revelado), nuvem (consolo para suportar a prova – Sol), coluna de fogo (direção). E nos fez uma
grande promessa: Eternidade.
Na palavra lida, vemos o testemunho de um servo que havia sofrido as mesmas provas que
todos. Foram 40 anos no deserto. Quantas lutas, momentos difíceis ele havia passado, mas a sua fé e
o seu testemunho nunca foram alterados (Num. 13:30), ele sempre tinha uma palavra de ânimo para
seus irmãos.
Todo segredo de Calebe estava na fé de possuir uma herança que lhe tinha sido prometido. A
palavra fala que a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se
não vêem. Ele podia não estar vendo Canaã, mas estava firmado na esperança de possuí-la, porque
quem o havia prometido era o mesmo que o havia livrado da escravidão, e isto renovava sua força
no deserto (“estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou”). Para a igreja, hoje o firme
fundamento (fé) é Jesus, que nos dá suporte para vencermos o mundo e esperança para chegar à
eternidade.
CONCLUSÃO
A herança é para quem persevera na fé de seguir ao Senhor (vers. 9). Ainda que venham os
momentos de lutas travadas no deserto, quando houver a certeza da eternidade (fé para chegar a
Canaã), no nosso coração haverá forças para seguirmos adiante. Dos mais de 600.000 que saíram do
Egito, somente 2 pisaram o solo de Canaã, um deles foi Calebe, porque em momento algum teve sua
fé abalada pelos acontecimentos no deserto. Foi conservado em vida.
OBJETIVO
Quem tema fé como fundamento (Jesus – a rocha) vence o deserto (mundo) e alcança
Canaã (eternidade). A fé não envelhece (“estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou”)
37
FILHO DE DAVI
Jeremias 23:5-8
“Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um renovo justo; e, sendo rei, reinará, e
prosperará, e praticará o juízo e a justiça na terra...”.
OBJETIVO
Mostrar Jesus como o Filho de Davi
INTRODUÇÃO
Quando se aproximava o momento da morte de Davi e no seu coração o desejo de construir
o templo Natã, o profeta do seu tempo, profetizava sobre o nascimento de um a qual Deus através
dele, restabeleceria o seu reino. A profecia se referia a Salomão, e profeticamente a Jesus o filho de
Davi o mesmo Jesus profetizado por Jeremias aproximadamente 400 anos antes do seu nascimento.
Semelhanças entre Davi e o Sr. Jesus são muitas desde o local onde ambos nasceram, Belém, até o
sentimento de amor que ambos tinham pela Obra de Deus, a ponto de Davi ser identificado por Deus
como um homem segundo o seu coração que faria toda a sua vontade, assim como Jesus que até o
fim foi fiel ao Pai para que a obra se estabelecesse em nosso meio.
DESENVOLVIMENTO
Davi ficou conhecido como um dos reis que mais guerras enfrentou para que os limites de
Israel fossem estabelecidos, preparando profeticamente o local onde Jesus haveria de nascer e
estabelecer o plano de Deus para o homem. Jesus não conquistou terras por que o seu reino não era
deste mundo e sim outras “terras” o coração do homem. Uma luta incessante e determinada por um
propósito que não era natural mais movida pela revelação de Deus. Assim como Davi, que deixa
Salomão, tipo do Espírito Santo naquilo que ele agradou a Deus, para dar continuidade ao seu
reinado, Jesus deixou o Consolador o Seu Espírito para que os seus discípulos marchassem com a
mesma determinação do Mestre. Ele é o “ ...Renovo Justo..” que com justiça, o poder do seu sangue,
tem estabelecido o seu domínio sobre a vida do homem. Nós a sua igreja, não vamos estabelecer a
salvação pela força ou utilizando recursos do homem como a religião tem feito, a nossa vitória está
em fazermos uso das armas espirituais e levando conosco o sentimento de OBEDIÊNCIA, tão presente
em Davi e uma marca no ministério de Jesus.
38
FILHO DE DAVI
Jeremias 33:15
“Naqueles dias e naquele tempo farei que brote a Davi um Renovo de justiça; ele executará juízo e
justiça na terra.”
INTRODUÇÃO
Israel estava vivendo um momento de prova, luta por causa de sua desobediência em não
atender a orientação do Senhor, e isto o levou ao cativeiro numa terra estranha, mas Deus, pela sua
misericórdia, usou o profeta para levar uma palavra de despertamento para o seu povo, pois ele era
um servo que clamava, orava a Deus em favor deste povo, e chorava por causa desta situação.
DESENVOLVIMENTO
Apesar de toda esta situação difícil em que Israel se encontrava, Deus sempre esteve com os
seus olhos voltados para o seu povo escolhido, sempre pronto para operar com a sua misericórdia.
A palavra de Deus é profética, pois ela alcança a necessidade do homem, que muitas vezes
se encontra na mesma situação que o povo de Israel se encontrava, envolvido no pecado, longe de
Deus, aflito, com o coração fechado sem a bênção do senhor.
Naqueles dias e naquele tempo: o profeta estava falando de um tempo profético em que
Deus iria enviar Jesus o filho de Davi , da descendência real, para resgatar o homem que está preso
ao pecado, vivendo longe do Senhor, andando nos seus próprios caminhos, sem fé e sem a bênção
da Salvação.
Renovo de justiça - há um juízo de morte sobre o homem por causa de seu pecado, porque o
mundo só tem a condenação para ele, mas a justiça de Deus através da sua misericórdia e amor, e
o sacrifício de Jesus, levou o homem a encontrar novamente este projeto de Salvação e vida eterna,
que é o grande benefício daquele que entrega a sua vida ao Senhor, “entrega o teu caminho ao
senhor, confia nele e ele tudo fará” Salmo 37:5.
Certa vez Jesus estava passando perto de Jericó e um homem cego clamou “Jesus filho de
Davi tem misericórdia de mim”, foi o momento em que ele entendeu todo o projeto do Senhor e
pôde receber a benção da Salvação para a sua vida.
CONCLUSÃO
Deus usou o profeta para apontar a direção para o povo de Israel, e hoje o Espírito Santo
através da palavra de Deus tem apontado para Jesus filho de Davi, o único caminho que leva o
homem para a eternidade, restaurando a sua vida, nascendo no seu coração o desejo de alcançar
a herança eterna que é a Salvação.
39
FILHO DE DEUS
Mateus 3:17
“E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”
Quando Jesus passou pela terra, é evidente que existiram muitos julgamentos a seu respeito.
Uns entenderam a missão de Jesus, outros não.
Nas vezes em que Ele se apresentou como filho de Deus, houve muitas contestações por parte
daqueles que não o aceitavam. A ira dos homens o acusou, injustamente, de ter blasfemado contra
Deus.
Mas nós, que conhecemos a palavra, sabemos que a origem de Jesus é divina.
Em Lucas 1:26-35, a palavra narra a concepção de Jesus. Ele foi gerado, milagrosamente,
pelo Espírito.
Neste texto que lemos (Mat 3:17), há uma confirmação feita pelo próprio Senhor. E a palavra,
que sai da boca de Deus, não volta vazia, mas confirma todo projeto.
Ali Jesus estava iniciando seu ministério e era importante que fosse declarado como herdeiro
para que, após a sua morte e ressurreição, a herança fosse concedida também aos que fossem
gerados pelo Espírito (sua igreja fiel).
Jesus nos deu grande exemplo de santidade e obediência quando, mesmo tentado, não
pecou. E, mesmo conhecedor das aflições que deveria passar, obedeceu ao Pai até o fim.
No Getsêmane (Mat 26:42), Jesus foi firme, quanto à necessidade de que à vontade do Pai
fosse operada em sua vida. E este é o grande ensino que temos recebido: que os que são gerados
pelo Espírito, vivam em comunhão, santidade e obediência diante de Deus.
40
O GRÃO
Deuteronômio 33:28 - “Israel, pois, habitará só, seguro na terra da fonte de Jacó, na terra de Grão e
de mosto; e os seus céus gotejarão orvalho”.
INTRODUÇÃO:
Israel habitará em terra de grão. O grão é usado como semente ou alimento.
O Grão como alimento:
Após a morte da semente que é lançada na terra, ela gera uma nova planta com as mesmas
características genéticas, garantindo assim a seqüência e perpetuação da espécie. Produz grãos em
abundância que serão usados como alimento para o sustento do corpo ( igreja ).
DESENVOLVIMENTO:
Qualidade:
É importante que a semente seja pura em sua genética, para que as suas qualidades e frutos tenham
sempre as mesmas características, e não venha correr o risco da mutação e a planta perder o seu
valor ou capacidade de multiplicação. “Não usar dois tipos de grãos”.
O Senhor Jesus como Grão, vindo da eternidade, se fez homem como nós, porém, armazenou em si o
poder e as qualidades recebidas de Deus Pai, para com a sua morte nos dar a vida. Este Grão foi
separado e nos apresentado no velho testamento de várias formas (Sl 22:30, Is.:13 ), para que nós
tomássemos conhecimento das qualidades e do poder de Deus, o qual nos oferece os recursos
necessários para a nossa existência e sobrevivência, e assim, efetuar a boa escolha, a qual garantiria
o ciclo de vida do homem, vindo da eternidade e voltando para a eternidade ( Zc. 6:12 ).
O Senhor Jesus usou todo o poder que recebeu de Deus Pai, não em seu benefício próprio, mas usou
para o que estava pré-destinado (sua morte), para nos dar continuidade de vida; isto foi cumprido no
terceiro dia após a sua morte e ressurreição, tirando das nossas vidas o jugo da morte.
Agora, este Grão (palavra revelada), se encontrar uma terra fértil (nossos corações ), e for irrigada por
água (Espírito Santo), produzirá sementes com a mesma genética ( Gl 6:17 , I cor. 4:15 ) e haverá
uma grande produção de frutos e se tornará alimento.
O Senhor Jesus como alimento:
Para que o Grão se torne um alimento, é preciso que ele passe por um processo, até chegar a nós, o
grão é preciso ser moído, “Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades”.É
preciso ser acrescido de água, e levado ao fogo.
Jesus passou por todas as provações, sem conhecer a corrupção, e agora nos oferece a palavra
revelada, já submetida a todo um processo para o sustendo do corpo (igreja).
O Pão vivo que desceu do céu e nos alimenta com esta palavra quando subimos á casa do Senhor
famintos de vida, consolo, refrigério, libertação e paz. Assim, o Senhor nos sustenta para alcançarmos
a vida eterna.
CONCLUSÃO:
Há uma promessa para um povo que está sendo preparado para herdar na terra prometida e os
benefícios a eles concedidos.
Israel habitará só e seguro: um povo escolhido do Senhor, sem mistura com outras tradições,
mentalidades, lideranças, confiante somente no poder de Deus, onipotente;
Terra da fonte de Jacó: local onde há abundância do Espírito Santo;
E os céus gotejam orvalho: o derramar do Espírito Santo diretamente da eternidade a cada instante
sobre o seu povo.
41
GRÃO
I Samuel 17:17
“Disse então Jessé a Davi, seu filho: Toma agora para teus irmãos uma refa deste grão tostado e estes
dez pães, e corre a levá-los ao arraial, a teus irmãos.”
INTRODUÇÃO
A palavra do Senhor nos fala que os irmãos mais velhos de Davi seguiram a Saul (I Samuel
17:13).
Jessé pede que Davi levasse até seus irmãos o grão tostado e pães. O versículo que lemos
nos fala de tomar atitude, de assumir uma responsabilidade diante do pedido do Pai, do obedecer ao
Pai.
REVELAÇÃO
A atitude de Davi é típica de Jesus pois tem sido exatamente este o proceder do Senhor, pois
nesta hora muitos estão longe dos caminhos do Senhor, muitos estão longe da casa do Pai lutando
na guerra pela sobrevivência, como os irmãos de Davi.
Muitos têm chegado desfalecendo, sem mesmo ter forças para lutar, por isto Senhor tem
agido como Davi agiu com seus irmãos. Não que o Senhor tenha dado ao homem o alimento
material, mas tem apresentado o Grão
Tostado, que nos fala de Jesus revelado,
um Jesus que
preenche não o vazio do corpo físico, mas um Jesus que preenche o vazio de sua alma. Um alimento
que dá paz, alegria, segurança, e principalmente o sustento para prosseguir nesta caminhada.
Com Sua Palavra, que é alimento, tem trazido forças para o homem, pois este Jesus traz para
o homem que está na guerra, a certeza de vitória.
Davi só levou aquele alimento porque o seu Pai deu para que ele levasse, assim a igreja tem
apresentado este Jesus revelado, porque também Deus Pai nos concedeu Jesus como o Grão
Tostado, o pão que desceu do céu.
Mesmo Jessé tendo Davi do seu lado, ele estava preocupado com os seus outros filhos que estavam
na guerra. Hoje o Senhor tem a sua igreja, o seu povo que o adora em espírito e em verdade, mas
Ele também se importa com o homem que por muitas vezes, está sendo derrotado, por isso Deus
enviou Jesus (Grão Tostado).
Jesus veio para dar o homem à vitória na sua guerra, pois a palavra do Senhor nos fala que a
luta daqueles que servem ao Senhor não é nossa, mas é do Senhor, aquele que tem dado a vitórias
em nossas mãos. (I Crônicas 20:15).
42
GRÃO
Levíticos 2:14
"... tostadas ao fogo, isto é, do grão trilhado de espigas verdes"
INTRODUÇÃO
Em toda a palavra encontramos figuras que representam o Senhor Jesus. Uma delas é o grão.
A figura do grão é encontrada, principalmente, na oferta de manjares alçados ao Senhor. Como os
diversos elementos da oferta de manjares, o grão também representa uma característica do
sofrimento de Jesus (sofrimento que foi aceito pelo Pai).
DESENVOLVIMENTO
No grão da oferta de manjares encontramos as seguintes características do ministério do Sr. Jesus:
1) Verdes  Fala do grão que ainda não secou. Mesmo antes da sua morte o Senhor Jesus
agradou ao Pai;
2) Tostados no fogo · Demonstram o sofrimento e a aflição pela qual Jesus passou antes de sua
morte, os momentos de oração, as perseguições, a fome, etc;
3) Trilhado  Aponta para a morte de cruz, para sua dor e exposição.
CONCLUSÃO
O nome do Senhor Jesus como “o Grão” tem para nós um significado grandioso, pois
conforme esteve presente na vida de Israel no passado, hoje, tem estado conosco gerando vida. “O
Grão - Jesus” apresenta um sentido de adoração e obediência à vontade do Pai. Este sentimento de
realização da vontade do Pai encontrado na vida de Jesus é o mesmo que o Pai almeja encontrar
em cada um de nós.
43
GRÃO
Deuteronômio 33:28
“Israel, pois, habitará só, seguro na terra da fonte de Jacó, na terra de grão e de mosto; e os céus
gotejarão orvalho.”
INTRODUÇÃO
Sabemos que o grão é elemento fundamental para o renovo da vida na terra, e para suprir
uma das maiores necessidades dos seres viventes: alimentação.
Essa essencialidade do grão é desde o princípio, quando foi determinado ao homem tirar da
terra o seu sustento. (Gn. 3:17b).
A terra produz de tudo. Porém, podemos prepará-la para que ela produza aquilo que
semearmos.
É tendência natural do homem e os animais habitar em lugares onde a terra propicia maior
produção de alimentos. A maioria das cidades foi formada às margens de rios, em vales, pois eram
lugares mais férteis e para essas regiões migravam os povos.
Hoje, os povos estão famintos, poucos lugares oferecem condições de vida, alimento para
todos. Eis aí a necessidade de termos alimento em abundância para alimentar o faminto que chegar
em nosso meio.
A VIDA A PARTIR DO GRÃO – A MARAVILHA DO RENOVO NA TERRA
Não há definição melhor do que a que Jesus fez a respeito da vida a partir do grão: “Na
verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se
morrer, dá muito fruto.” (João 12:24).
Jesus teve que morrer para que ao ressuscitar, junto com ele nascesse a igreja que vem
dando fruto há mais de 2000 anos.
A terra estava se tornando deserta, improdutiva, sem vida (o homem sem a salvação),
precisava de um renovo, o qual veio através de Jesus. A humanidade condenada à morte, agora
pode ter vida abundante em Jesus.
O grão quando semeado brotará uma planta de igual espécie. – Ao plantar o grão de trigo,
nascerá trigo e não joio. Quem nasce em Jesus tem as mesmas características.
A multiplicação da vida através do grão é algo muito extraordinário, pois a partir de um
pequeno grão pode-se formar uma grande plantação, uma grande floresta.
Assim foi o nascimento da igreja a partir do Sr. Jesus, o grão que morreu para gerar um povo
numeroso, lugar de alimento abundante (pois ali o Senhor ordenou a vida e a bênção para sempre),
para onde migra muitos povos.
Assim deve ser cada um de nós, pois precisamos gerar (se o grão não morrer ficará ele só),
mas devemos lembrar que a nova planta nascerá com as mesmas características de quem a gerou.
Se formos servos, geraremos servos...
CONCLUSÃO
Quando falamos do grão que dá vida, alimento a partir de Jesus, é por que a partir dele é
que foram formadas todas as coisas.
Tudo isso Deus fez para aqueles que o amam e que ele tem escolhido. Primeiro, para aquele
que ele criou, porém este rejeitou (Adão). Depois, para aquele que ele formou, este também rejeitou
(Israel). Agora para aqueles que ele transformou, para nós que entregamos a nossa vida, aceitando
tudo que ele fez por nós.
Israel, pois, habitará só,...
44
O mundo é um deserto sem água, sem vida, alimento. A igreja fiel habita só em lugar seguro,
vale fértil, alimento abundante, fonte de águas e o orvalho que desce do céu dando refrigério e paz
sobre o povo de Deus.
Só a igreja fiel estará para todo o sempre com o Senhor Jesus, amém!
45
GRÃO
Deuteronômio 33: 28
“Israel habitará só, seguro, na terra da Fonte de Jacó, na terra de Grão e de Mosto; e os seus céus
gotejarão orvalho”.
INTRODUÇÃO
A peregrinação no deserto havia chegado ao fim, agora a nova geração de israelitas
estavam prontos para entrarem na terra prometida (Canaã). A nova geração na sua maioria não
viveu as experiências as bênçãos de Deus sobre Israel; não tinham lembrança da primeira Páscoa, a
travessia do Mar Vermelho, a outorga da Lei no Monte Sinai. Moisés exorta a nova geração sobre os
Atos poderosos de Deus e de suas promessas sobre seu povo; bem como seus deveres como a fé, a
obediência e a necessidade de se dedicarem ao Senhor, andando em seus caminhos, amando-o e
honrando-o, tendo como resultado o cuidado e as bênçãos abundantes do Senhor e a terra
prometida (vida eterna).
DESENVOLVIMENTO
A palavra profeticamente aponta para a promessa do Senhor sobre sua igreja fiel, e todo
aquele que o aceitar como salvador –Qual promessa? Bênçãos Abundantes e Vida Eterna.
Habitará só  Só aqui não é no sentido de sozinho ou solitário, mas está relacionado a uma vida
separada do mundo – em santificação e comunhão com Senhor;
Seguro  O Senhor é o abrigo seguro para todo aquele que Nele confia; nos momentos de lutas e
provas temos a quem recorre - O Esconderijo do Altíssimo como descanso e proteção.
Terra da Fonte de Jacó  è a fonte que foi aberta por Jacó em Sicar (Samaria) para suprir a
necessidade de água – apontando para o projeto de Deus para abrir uma fonte de água viva (Jesus)
para dessedentar a sede da alma do homem – è o projeto de salvação de Deus para o homem. (O
PAI)
TERRA DE GRÃO  O Grão é uma semente que possui vida latente; é uma célula vegetal que ao ser
semeada, perde suas características de grão e adquire vida na forma de planta. O Grão é o
princípio da vida, o grão quando semeado tem que morrer para que haja vida (planta). – aponta
para o Senhor JESUS, no qual esta inserido todo o princípio da verdadeira vida (Vida Eterna). Aponta
para o Sacrifício de Jesus na Cruz do Calvário que morreu (mas ressuscitou), se entregou para gerar
vida ao homem (Vida Eterna); Jesus fala a seus discípulos e a alguns gregos, comparando-se ao Grão
de Trigo (João 12:24) que ao ser semeado tem que morrer para produzir muito fruto. O grão esta
relacionado ao trigo que é usado para fazer o pão, é o alimento, o sustento, o renovo. Jesus se
revela como o Pão da Vida que desceu do céu para saciar a fome do homem. Jesus fala de uma
vida eterna, e a fome aqui mencionada não é fisiológica, mas a fome da alma; de paz, alegria,
descanso, refrigério, vida eterna – Jesus é o Pão Vivo que pode saciar a fome da alma do homem.
(O FILHO)
Terra de Mosto  O mosto é um tipo de vinho que aponta para a benção do Espírito Santo no meio
da igreja, o consolo, o refrigério, que alegra o coração da igreja – a alegria da Salvação. (O ESPÍRITO
SANTO)
Céus gotejam Orvalho  É o derramar da graça do Senhor, as bênçãos a cada dia para
os remidos do Senhor Jesus que aguardam o arrebatamento da igreja. A cada culto, madrugada,
reunião o orvalho está caindo – renovo espiritual e físico, refrigério, descanso, paz, vitórias,
livramentos, experiências, alegria da Salvação.
“Alegria do Senhor é a vossa força”.
46
CONCLUSÃO
O homem quando se alimenta do Pão Vivo (Jesus), sua alma é satisfeita e ele passa a
desfrutar do amor e cuidado de Deus em sua caminhada para Eternidade.
HOMEM
João 11:33-35
“Jesus, pois, quando viu chorar e também chorando os judeus que com ela vinham, moveuse muito em espírito e perturbou-se.”
E disse: Onde puseste?
Disseram: Senhor, vem e vê.
Jesus chorou.”
A palavra diz que Jesus amava a Maria, Marta e a Lázaro. E Lázaro estava com uma
enfermidade que o levou à morte. E quando ainda estava enfermo, suas irmãs mandaram dizer a
Jesus. E Jesus voltou para ir naquele lar onde a situação havia-se agravado, mesmo tendo sido
ameaçado de vida dias antes. Jesus o homem, sendo amigo de Lázaro, atendeu a sua necessidade,
sem olhar para si. A sua preocupação não era com quem queria matá-lo e sim com quem iria morrer
(Lázaro, seu irmão).
Jesus foi até o sepulcro e quando chegou até lá encontrou um povo aglomerado e
chorando. Quando viu chorar Maria e também os judeus, Jesus moveu-se muito em espírito e
perturbou-se. Por quê? Porque estava como um homem, com as mesmas dores, com os mesmos
sentimentos porque ali estava o seu semelhante, estava o seu povo (judeus). E nisto Jesus como
homem mostrou o seu sentimento, porque se tratava de um homem que o amava e como homem
perturbou-se.
Jesus como homem, mas também tinha e tem poder para reverter qualquer situação até
transformar a morte em vida. Por isso ele disse onde o puseram? Jesus sabia muito bem como e onde
estava Lázaro, mas ele quer que o homem mostre para ele a sua situação em que se tem colocado,
para que o homem possa confiar nele e ter a certeza que ele pode ajudá-lo e que ele é a solução.
Jesus chorou porque quando olhou para Lázaro viu o fim de todo homem. A morte tornou-se o maior
inimigo do homem. E Jesus como um homem chorou por ver a situação de Lázaro, e os que estavam
em volta reconheceram o amor daquele homem (Jesus), pela sua vida. Porque Deus não criou o
homem para a morte, mas para uma herança eterna que é a vida eterna com ele. Para nós hoje o
homem Jesus demonstrou o seu amor por nós morrendo na cruz, dando o seu sangue para nos dar a
vida. Este foi o grande amor do homem Jesus para com as nossas vidas e assim nos livrando da morte
para uma vida eterna.
47
HOMEM
João 19:5
“Saiu, pois, Jesus, trazendo a coroa de espinhos e o manto de púrpura. E disse-lhes Pilatos: Eis o
homem!”
OBJETIVO
Mostrar a posição do homem espiritual
“Saiu, pois, Jesus, levando a coroa de espinhos e a veste de púrpura. E disse-lhes Pilatos: Eis
aqui o homem”
INTRODUÇÃO

A palavra de DEUS nos mostra que o verbo se fez carne e habitou entre nós (JESUS homem)
COMO HOMEM






Era experimentado no trabalho
Teve sede
Teve fome
Chorou
No Getsêmane angustiou-se
JESUS muitas vezes usou a expressão (o filho do homem)
DESENVOLVIMENTO

JESUS já havia cumprido a determinação do pai, já havia manifestado aos homens a salvação
com sinais, libertações, ressurreições, e por isso estava sendo julgado.

Como homem, Pilatos quando o apresenta ao povo, diz não Ter achado nele crime algum, e diz:
“Eis aqui o homem”.

Como homem ele não tinham do que o acusar, apesar dele Ter as mesmas necessidades de um
homem natural, não foi vencido por nenhuma delas.

-
Sempre manteve o equilíbrio e uma postura irrepreensível.
No momento do julgamento quiseram impor sobre ele, aquelas coisas que não haviam
encontrado lugar em sua vida.
COROA DE ESPINHOS – Mostrando que os cuidados do mundo não puderam penetrar na sua
mente, estavam do lado de fora, pois sua mente só tinha lugar para as coisas de DEUS o pai.
48
VESTIDO DE PURPURA - Ele não se deixou seduzir pelo reino deste mundo e valores desta vida,
que são passageiros, antes valorizava a glória eterna de DEUS (o reino eterno).
CONCLUSÃO
-
Pilatos o apresentou como “O homem”, aquele em quem não se achou culpa.
O HOMEM PERFEITO.
HOMEM
João 7:46
“Responderam os guardas: Nunca homem algum falou assim como este homem.”
INTRODUÇÃO
Jesus foi o único Homem perfeito e, que atendeu toda à vontade do Pai; O que pode justificar
a humanidade perante seu criador.
DESENVOLVIMENTO
“Nunca homem algum falou” – Nem um homem havia falado com tanta autoridade do
Espírito Santo. A voz de Jesus marca o coração do pecador, não deixa duvida, fala da necessidade
da alma, cura o coxo, faz o cego ver, ressuscita os mortos...
“Assim como este homem” – Muitos nesta hora tem um conceito histórico sobre este homem,
mas aqueles que já ouviram a sua voz podem testemunhar da transformação que lhe trouxe.
CONCLUSÃO
Este Homem quer falar nesta hora das suas necessidades, seus problemas; Ele pode resolver
aquilo que você acha impossível.
49
HOMEM
Lucas 19:2
“Disse, pois: Certo homem nobre partiu para uma terra remota a fim de tomar para si um reino e voltar
depois.”
INTRODUÇÃO
Este homem é Jesus, foi o único homem perfeito que pisou nesta terra, não houve e nem
haverá homem como este, pois é um nobre homem. Ele é santo e através da sua santidade nos dá
um exemplo de um perfeito. Pois sem santidade homem nenhum verá a Deus.
DESENVOLVIMENTO
As palavras deste homem eram diferentes pois ele falava de uma nova vida, e havia
testificação disto entre o povo (ninguém nunca falou como este homem); este homem é aquele que
abre os olhos de quem precisa ver uma nova vida que é o projeto de salvação, sendo uma
operação de maravilhas este homem partiu para uma terra distante para tomar para si um reino, e
ele é o nobre neste reino, onde ele expressa toda sua nobreza esse reino é um reino eterno que em
breve estaremos nele. Ele é nobre porque foi ele que morreu como homem, sem merecer a morte,
mas ele morreu por nós, assim descobrimos toda a sua nobreza.
Na sua volta nos vamos receber a coroa da vida coroa é para rei, rei só é rei se tiver reino,
então nos vamos receber um reino de vida, vida eterna.
CONCLUSÃO
Como homem, Jesus sofreu as aflições e padeceu, conhecendo assim todas as necessidades
do homem, podendo resolver todos os nossos problemas. Ele foi como homem, e tomou posse de um
reino, e ele voltará como rei dos reis para nos levar para este reino, e nós aguardamos esta grande
volta, pois desde já estamos desfrutando da nobreza do reino pois nós já fazemos parte dele. Este
homem é o Senhor que agora glorificado está entronizado em nosso meio, pois ele é o rei deste reino.
50
JUSTO JUIZ
II Timóteo 4:8
“Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia;
e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.”
INTRODUÇÃO
Hoje com todo avanço da tecnologia, o homem já conseguiu mudar muitos de seus conceitos
sobre a vida, mas o maior inimigo do homem hoje é a certeza de que ele vai morrer.
O homem necessita da Salvação porque sendo pecador, o pecado que nele está após ser
consumado, gera morte. Por isso todo projeto de Deus está revelado na pessoa de seu Filho Jesus
como aquele que pode dar vida eterna ao homem.
O texto nos fala de uma recompensa que Deus tem para aqueles que o buscam: “A coroa da
justiça”.
REVELAÇÃO
Esta coroa é o resultado da nossa busca pela Salvação. Mas ela não é concedida por
homens, nem através de religião, mas sim pelo Senhor Jesus que é apresentado como sendo Justo
Juiz, aquele que nos justifica de todo pecado.
A justiça de Deus não está apoiada em obras que os homens possam praticar, mas no sangue
de Jesus que ao ser derramado na cruz, pode livrar a todos os homens da condenação que há no
pecado.
Jesus conquistou o direito de ser chamado “Justo”, porque ele é o único que tem poder de
justificar todo aquele que vem até ele. Com ele não há pecado algum.
Justo juiz porque não julga segundo a lei de morte, mas segundo a sua palavra de vida. “Eu
vim para que tenhais vida” João 10:10.
A palavra diz também que ele é juiz, ou seja, aquele que pode absolver todo aquele que nele
crer, isto é, em Jesus não há condenação, (“...dos teus pecados não me lembro mais” Hebreus 8:12).
Esse poder foi concedido pelo Pai, que fez com que toda plenitude habitasse no Filho, diferente dos
juízes humanos que julgam pelo que apresentam a eles. Jesus como juiz, ele não julga o homem, mas
sim o justifica diante do Pai, aquele que nele crê.
Haverá um dia em que Deus trará toda obra a juízo, daí a urgência de nos aproximarmos do
Senhor Jesus e de entregarmos a Ele toda a nossa vida, para recebermos dele, o Justo, a justificação
e para que como Juiz, ele nos livre da condenação que há no pecado.
Quando cremos na sua Palavra, e a obedecemos, saímos da condenação e passamos da
morte para a vida, e recebemos d’Ele a coroa da justiça.
51
LEÃO
Provérbios 28:1
“Fogem os ímpios, sem que ninguém os persiga; mas qualquer justo está confiado como o filho do
leão.”
INTRODUÇÃO
Vivemos um mundo atribulado cheio de aflições, em que o homem busca insaciavelmente
uma solução para os seus problemas, temores e ansiedades. Nesta incessante busca pela sua
satisfação ou por uma resposta aos seus anseios, sem nada encontrar, ele busca uma fuga dos seus
males, e esta fuga além de não solucionar sua situação ainda agrava a sua angustia.
DESENVOLVIMENTO
Os males que atingem a humanidade só apenas coisas visíveis, mas há um mal maior que
aflige a alma, por isso se diz nesta palavra que o ímpio, ou seja, aquele que não vive na presença do
Senhor, foge sem que ninguém o persiga.
O homem neste mundo sem o Senhor, não sabe o que o persegue, desconhece aquilo que é
articulado pelo adversário de nossa alma para tirar-lhe a oportunidade de conhecer aquele que é o
nosso verdadeiro refúgio - O Senhor Jesus. Ele foge sem que ninguém o persiga. Na verdade, a luta
que se trava é contra as forças espirituais da maldade, os poderes tenebrosos deste mundo, não é
algo físico, material, o que o homem sem Jesus ainda desconhece.
Mas àquele que se refugia em Jesus encontra não só o socorro para sua alma, mas ousadia
para proclamar seus átrios de justiça. O leão era para a tribo de Judá o símbolo de força, coragem,
ousadia, tanto que era o emblema de sua bandeira.
E hoje Jesus é a bandeira da igreja é O Leão da tribo de Judá, Ele é à força da igreja fiel. O
Senhor quer ser para você esta bandeira, e pela ação do Espírito Santo quer lhe fazer ousado assim
como Ele foi ao trazer ao mundo a palavra da Salvação, atendendo e cumprindo toda à vontade do
Pai ao entregar a sua vida no calvário.
O homem justo é aquele que foi justificado pelo sangue de Jesus, e assim adquirir o direito à
vida eterna. E este homem é comparado, no texto, ao filho do leão, ou seja, tem a mesma natureza
de Jesus, a sua herança. Por isso ele tem essa confiança, por ter a identidade de filho.
CONCLUSÃO
O Senhor Deus chama o homem para desfrutar da Sua graça, se refugiar nEle e ser vitorioso.
52
Deus quer identificá-lo com a marca do sangue de Jesus, a marca da salvação, e como
nova criatura imitador de Cristo se assemelhar a Ele, o Leão da tribo de Judá, que com ousadia
venceu na cruz por você, por nós, e nos dá ousadia não de homens mas ousadia em nosso Deus
para falar o evangelho , no meio deste grande combate pelo qual passa a humanidade (I Tess. 2:2).
LEÃO
Provérbios 30:30
“O leão, que é o mais forte entre os animais, e que não se desvia diante de ninguém.”
INTRODUÇÃO
Este animal, está desde os primórdios da história universal, o leão é visto com o rei dos animais
por estar no ápice da cadeia alimentar é forte, extremamente territorial.
DESENVOLVIMENTO
Jesus, desde os primórdios da história bíblica, é visto como o Leão, o rei apontado em sua
ascendência desde Judá como: “o Leão da tribo de Judá.”
Neste texto, a palavra Leão é em hebraico: “gibbor” = valente, pois a estes valentes animais
eram comparados os guerreiros que bravamente lutavam suas batalhas.
O leão, que é o mais forte entre os animais
Assim é o Leão Jesus, o valente, o mais forte pois só ele pode vencer a morte ressuscitando ao
terceiro dia e vive eternamente. “... Do forte saiu doçura...” (Jsaías 14:14)
E que não se desvia diante de ninguém
Provado e tentado pelo inimigo recusou toda riqueza deste mundo. E sua vontade, comida
era e é fazer a vontade do Pai, mesmo sabendo que irai a cruz não desviou, foi como ovelha muda
diante de seus tosquiadores. Antes foi ao Getsêmani orou mas cumpriu sua missão.
CONCLUSÃO
O Leão Jesus conquistou seu reino, morreu e ressuscitou vencendo o mais forte dentre todos
os inimigos. No seu sacrifício e ressurreição ganhou o direito de conquistar sua vida para o Pai, ele vai
adiante, não se desviará de seu objetivo até que todos seus eleitos sejam seus súditos.
53
O LEÃO
Juízes 14:14 - “Então lhes disse: Do comedor saiu comida, e doçura saiu do forte.E em três dias não
puderam declarar o enigma.”
INTRODUÇÃO:
Foi proposto um enigma que trazia um segredo que precisava ser descoberto; quem declarasse o
enigma receberia uma recompensa: 30 lençóis e 30 vestidos.
Este enigma era diferente dos demais, pois era fruto de uma experiência vivida, que envolveu a
morte do Leão.
DESENVOLVIMENTO:
O Leão morreu e da sua morte resultou alimento, o mel .
Jesus disse: a minha carne verdadeiramente é comida e meu sangue bebida.
Do comedor saiu comida e do forte saiu doçura, e em 3 dias não puderam decifrar o enigma, pôr
que? Porque 3 fala da morte e ressurreição do Senhor Jesus, e só o que tem experiência com o novo
nascimento descobre o mistério. Quem descobre o mistério, recebe lençóis, lugar de descansar,
eternidade.
Vestidos nos fala de veste ,de veste de salvação.
O prazo para descobrir o enigma era de 7 dias. O número 7 nos fala da obra perfeita, obra que o
Espírito Santo realiza, revelando o forte, aquele que venceu a morte e na sua ressurreição nós
provamos da doçura do seu amor em se entregar, ou seja, sendo crucificado por nós e participamos
da sua palavra ( mel ) para que no sétimo dia, ou seja, no concluir do seu projeto, aqui nós
pudéssemos descansar com ele na glória para sempre.
CONCLUSÃO:
O Senhor Jesus como leão da tribo de Judá, rei de Israel, está em todo o Velho Testamento como
enigma, e vem reinando de Gênesis a Apocalipse, e só que descobre o enigma, o conhece e pode
desfrutar deste reinado eterno. A igreja fiel descobriu o segredo para conhecer o enigma: o Clamor
pelo Poder do Sangue do Senhor Jesus, a doçura do Espírito Santo (morte e ressurreição).
“Se não lavrásseis com minha...”:
Aqueles que estão envolvidos com a obra de Deus estão descobrindo o enigma, através da igreja fiel
que está aos pés do Senhor, pois Ele lhe revela todas as coisas; passam a desfrutar das bênçãos da
eternidade, se alimentando da palavra revelada ( mel ) .
54
LUZ
Objetivo que se pretende atingir : Apresentar Jesus como “A LUZ”
A quem atingir? Todos que não conhecem a Jesus
Gênesis 1:3-4
“Disse Deus: Haja luz; e houve luz. E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as
trevas.”
INTRODUÇÃO
A palavra de Deus nos ensina de forma clara, a diferença entre as trevas e a Luz. Podemos
dizer, que este é o assunto mais abordado em toda a Bíblia.
DESENVOLVIMENTO
A luz e as trevas são opostas entre si. Na ausência da luz aparece as trevas. Jesus disse: “Eu sou
a Luz do mundo”, e em outro trecho da Bíblia aparece: “..o povo que andava em trevas viu grande
luz..” Quando você permite que Jesus esteja em sua vida, toda a sombra será desfeita pela Luz do
Senhor. Então ao entender a diferença entre Luz e trevas, você passa a compreender o grande
propósito que Deus tem em estabelecer a Luz.
Disse Deus: Haja luz; e houve luz – Nesta ordem do Pai, Jesus foi manifesto aos homens como
“a Luz que resplandece sobre as trevas”.
Esta ação continua, iluminando, resplandecendo e tirando toda a dúvida do seu coração.
E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas.
CONCLUSÃO
Separe a Luz das trevas em sua vida também. A Luz dissipará toda a escuridão e você
também provará que a Luz é boa.
O homem que conhece Jesus, anda na luz, ou seja, na revelação de Jesus, fazendo com que
as trevas (pecado, mundo) seja dissipadas por completo de sua vida, mostrando a luz que conduz o
homem à vida eterna.
55
LUZ
JOÃO 8:12
“Então Jesus tornou a falar-lhes dizendo: Eu sou a Luz do mundo”
INTRODUÇÃO
Jesus estava falando a um povo que não o conhecia como Luz, pois aquele povo andava sob
caminhos de trevas, que os levavam à morte.
Jesus veio se revelando como a única Luz que poderia dissipar as trevas. Apresentou-se como a
Luz da Vida, sendo toda a glória do Pai no meio do povo.
A maior glória que há é a glória da vida eterna.
DESENVOLVIMENTO
A Luz que Jesus falava, não se referia a luminares, mas sim à luz que brilhava eternamente,
portanto é a luz que nos conduz no caminho que nos leva ao Pai. Para ter comunhão é preciso andar
na luz, que é o próprio Senhor Jesus, sendo ele também o caminho onde descobrimos a Luz da
revelação.
Quem não tem esta Luz não sabe de onde veio, onde está e para onde vai, por não terem esta
luz anda em trevas, e não conseguem ver o Senhor Jesus que é a Luz.
Devemos nos revestir das obras da Luz, e no afastar da obras das trevas, pois a Luz nos coloca
sempre em novidade de vida, e nesta luz está a fonte que é Jesus glorificado na vida da Igreja e em
nossas vidas.
CONCLUSÃO
Quem vive nesta Luz se distancia das trevas, sai do tempo do homem e entra no tempo de Deus,
sai do tempo mortal e entra no tempo eterno.
56
LUZ
Salmos 34:5
“Olhai para ele, e sede iluminados; e os vossos rostos jamais serão confundidos.”
OBJETIVO
A luz esclarece a caminhada, traz segurança.
Tanto a vida de Saul quanto de Davi sempre houve muitas guerras e dificuldades.
Interessante é observar que Saul viva atormentado, sem paz e com medo; mesmo estando
em um palácio com muitos soldados e poder. Davi por outro lado, como no texto em que lemos,
apesar de estar em uma caverna escura e fria sendo perseguido sem saber seu futuro, louvava ao
Senhor e afirmava não estar confundido.
Vem então uma inevitável pergunta: Qual a diferença? O que leva pessoas a possuírem tanta
confiança diante de adversidades. A resposta está na luz, a glorificação de Davi partia de alguém
que tinha uma experiência própria com o Senhor. Ele havia sido sustentado até ali e o Senhor não o
abandonaria enquanto estivesse olhando para a luz. Jesus se apresenta como a luz do mundo.
O homem que olha para Jesus. Não importa o momento que esteja vivendo a situação que
esteja enfrentando, as acusações que fizerem, este homem continua em paz, por mais que tentem o
confundi-lo possui a luz para direcionar o seu caminho. As adversidades e lutas neste mundo estão
para todos mas somente aqueles que tem a luz vivem seguros em paz, pois estes têm certeza da
vitória.
57
LUZ
Êxodos 10:23
“Não se viram uns aos outros, e ninguém se levantou do seu lugar por três dias; mas para todos os
filhos de Israel havia luz nas suas habitações.”
OBJETIVO
Salvação
INTRODUÇÃO
A Palavra relata acerca de um juízo sobre o Egito, as trevas, através dos Juízos o Senhor
prepara o povo para a saída, para uma terra a qual o Senhor havia prometido.
DESENVOLVIMENTO
O momento que estamos vivendo, é justamente esse juízo: O mundo encontra-se em
trevas pois está distante do Senhor Jesus, podemos observar que o mundo, o homem não tem mais
direção, perdeu a visão espiritual, encontra-se acomodado com as situações dessa vida, onde
ninguém se levanta do seu lugar, mas o povo do Senhor tem a luz na sua habitação, ou seja, tem
Jesus no seu coração pois não vive mais em trevas, mas anda na luz, tem quem os move e dá a
direção, que é o Espírito Santo. Aquilo que está acontecendo nesses últimos momentos à igreja tem
discernido, pois sabe que o Senhor Jesus está preparando as nossas vidas para sairmos desse mundo
e herdarmos a eternidade, os três dias falam do sacrifício de Jesus e nós a cada dia temos que estar
valorizando este sacrifício, pois somos lavados no Sangue de Jesus.
CONCLUSÃO (MOMENTO PROFÉTICO = SAÍDA)
É necessário que a cada dia a luz esteja em nossas casas (vidas). É preciso reter as bênçãos,
as revelações do Senhor Jesus nos nossos corações para que quando o Senhor Jesus vier possamos
estar preparados. Hoje a luz do Senhor Jesus está em nossas casas, nos preparando para a saída
deste mundo, ou seja, o arrebatamento da Igreja.
58
MANÁ
Êxodo 16:14
“Quando desapareceu a camada de orvalho, eis que sobre a superfície do deserto estava uma coisa
miúda, semelhante a escamas, coisa miúda como a geada sobre a terra.”
INTRODUÇÃO
A saída do povo hebreu do Egito foi seguida de prodígios, sinais e maravilhas (as pragas sobre
os egípcios, o mar que se abriu, as colunas de nuvem e fogo), retratando a forma maravilhosa como
o Senhor liberta o homem do pecado, e da sentença de morte que estava sobre ele.
Durante os longos 40 anos que passou no deserto, o povo aprenderia a viver do milagre e da
misericórdia de Deus; algo desconhecido para aquela geração tão distante dos patriarcas (Abraão,
Isaque e Jacó), uma vez que na terra do Egito conviveram com toda sorte de pecado, idolatria,
feitiçarias, etc. Era então necessário que uma nova mentalidade fluísse no meio do povo, pois não
bastou libertá-lo do jugo egípcio, era preciso sustentá-lo durante os anos que estiveram peregrinando
no deserto. Na caminhada da igreja, neste deserto que é o mundo, também o Senhor quer que o seu
povo aprenda a viver do milagre e do seu poder, alcançando uma nova forma de vida, numa
dependência total da operação do Espírito Santo na vida de cada servo.
Ao ouvir que o povo estava com fome e se lembrava com saudades das panelas de carne do
Egito, o Senhor se manifesta de uma maneira extraordinária, fazendo descer do céu o MANÁ, algo
jamais visto, e que estaria, a partir daquele dia, presente no meio do povo até que entrasse na terra
de Canaã. Para sua igreja o Senhor também reservou algo extraordinário, para que seu povo fosse
sustentado em sua presença: Jesus revelado, a palavra viva. O alimento que a alma tanto anseia e
que tem descido da eternidade para um povo que pertence ao Senhor.
DESENVOLVIMENTO
O maná, assim como Jesus revelado, teve características próprias.
Origem: o maná descia do céu, como do céu veio Jesus satisfazer a faminta alma do homem.
Era encontrado somente ao amanhecer: Jesus é vida nova a cada manhã. A igreja anda em
novidade de vida.
Porção individual ou familiar: Jesus é salvação que não depende da ação de outros, mas é
resultado de uma busca individual e constante do projeto do Senhor.
59
Seu pequeno tamanho, miúdo: Jesus é aquele que se fez pequeno e habitou neste mundo,
sendo considerado o mais indigno dentre os homens.
Sua forma arredondada: Jesus é o Pai da Eternidade, não tem princípio nem fim, pois Ele
próprio é o princípio e o fim.
Seu sabor como bolos de mel: A doce voz de Jesus que fala ao coração do servo, e o
sustenta em seu caminhar.
Durante 40 anos: Tempo de uma geração: a certeza que Jesus dá ao servo, de que jamais o
abandonará, dizendo: “Eis que estou convosco todos os dias...”.
Exclusivamente para o povo Hebreu: De todas as caravanas que circulavam pelo deserto,
apenas Israel era sustentado por algo tão maravilhoso. Nesta última hora somente um povo tem
conhecido e desfrutado de Jesus revelado.
CONCLUSÃO
Vivemos em um tempo em que o homem está inquieto por muitas coisas, pelo ser, pelo ter,
pelo alcançar, pelo recuperar. No entanto tudo isto é resultado de uma alma faminta de Deus; e
como disse o salmista, não de um deus qualquer, mas do Deus Vivo, Jesus Revelado. Pois assim como
o maná sustentou em vida o povo no deserto, Jesus vivo, presente e revelado é o que sustenta o
homem até que alcance a terra prometida, a Canaã celestial.
MEDICO
Mateus 9:12
“Jesus, porém, ouvindo lhes disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos , mas sim os doentes”.
INTRODUÇÃO
O médico é a figura daquele que pode restabelecer a saúde física .
A palavra nos diz que Jesus é o medico dos médicos , por isto opera tanto no físico quanto no
espiritual ; pois ele é o médico perfeito.
Sabendo da enfermidade do homem, Jesus revela-se a ele como médico; e está ao alcance
de todos
Aos que se sentem doentes e que se confessam que necessitam de uma cura .
Jesus quer curar os enfermos de alma , libertar os oprimidos e dar salvação ao perdido
pecador.
“Os sãos não necessitam de médico”. São aqueles que estão conformados com este mundo,
que se satisfazem com as derrotas. Nas suas angústias, refugiam-se nos vícios e na mentira. Na
verdade estão doentes; infelizes ,frustrados e necessitam do médico.
O homem sem Jesus é um ser infeliz , sem paz , doente de alma e por conseqüência ,
fisicamente também.
CONCLUSÃO
O bom médico conhece a história do seu paciente, lhe trata com atenção e carinho, é sincero
no diagnóstico.
Jesus é o nosso médico , antes mesmo de nascer já nos conhecia; sabe de todas as nossas
necessidades; e sabe da enfermidade do homem (pecado) .
É o médico que todos necessitam para estar presente em nossas vidas, em nossas famílias.
Hoje ele quer curar a enfermidade da tua alma.
60
MEDICO
João 5:6-8
“E Jesus vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe:
Queres ficar são? O enfermo respondeu-lhe Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é
agitada, me meta no tanque; mas, enquanto vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe:
Levanta-te toma tua cama e anda.”
INTRODUÇÃO
Ali se ajuntava todo tipo de necessitados, enfermos, cegos e mancos.......
Pois havia um anjo que de tempo em tempo descia nas águas agitava as águas e aquele que
primeiro entrasse era curado.
DESENVOLVIMENTO
Havia ali um homem, que a trinta e oito ano estava enfermo e não tinha ninguém que o
colocasse no tanque, Jesus vendo-o disse-lhe: Queres ficar são? Ele respondeu Senhor, não tenho
homem algum que, quando a água é agitada me meta no tanque.
Muitas vezes estamos de frente para aquele que pode resolver todos os nossos problemas,
mas mesmo assim os nossos pensamentos estão voltados para a terra, que são o médico, o
advogado, o amigo etc.....
Às vezes ate mesmo no alto conhecimento, na razão (Se eu fizer assim acho que vai dar certo
...) E nos esquecemos daquele que pode todas as coisas, que pode te curar, te libertar, e solucionar
todos os teus problemas; Jesus é o Médico para sua enfermidade e está aqui ao seu lado e te
pergunta?
Queres ser curado? Conta para ele qual é a sua enfermidade; talvez ela seja física,
financeira, sentimental ou mesmo espiritual.
CONCLUSÃO
Você está diante que te formou, que te criou e te conhece profundamente e pode te curar.
O Médico para sua enfermidade está ao seu lado.
E hoje te pergunta queres ficar são? Diga a Ele sim, eu quero ficar são Senhor.
61
MEDICO
Lucas 8:43-44
"E certa mulher, que tinha uma hemorragia havia doze anos [e gastara com os médicos todos os seus
haveres] e por ninguém pudera ser curada, chegando-se por detrás, tocou-lhe a orla do manto, e
imediatamente cessou a sua hemorragia.”
INTRODUÇÃO
No texto percebemos uma mulher que fez tudo que podia sem poupar nada, e o seu desejo
era ser curada. Recorreu a Jesus e sem que ninguém percebesse num só toque conseguiu suprir todas
as suas necessidades.
DESENVOLVIMENTO
A existência humana é marcada por necessidades diversas. Sempre estamos precisando de
alguma coisa que os nossos recursos são insuficientes para alcançá-las, mesmo assim nos
desgastamos em tudo que podemos e até o que não podemos às vezes. Somos capazes de fazer
qualquer coisa quando imaginamos que vá nos trazer bem estar, pois o mais importante como dizem
alguns.
Aquela mulher não sabia qual a sua real necessidade, por isso Jesus quis saber quem o tocou
pois Ele tinha mais para fazer em sua vida. Quando a mulher aproximou e explicou. Jesus lhe disse: a
tua fé te salvou, pois se ela tivesse salvação teria com ela um Jesus que pode curar a todo o
momento pois é o médico dos médicos, e que ele realiza a cura mais difícil que é a da alma.
CONCLUSÃO
Tem muitas pessoas como essa mulher passando por aflições, e tudo que tem não é o
bastante para resolver. E hoje temos aqui como naquele dia, o mesmo Jesus, e o que ele tem para
nós é o mesmo que deu àquela mulher, a resolução de nossos problemas e proporcionar a nós o bem
estar tão desejado, não precisa falar com ninguém. Podemos tocar em Jesus agora e ter o
suprimento que a nossa alma precisa pois está aqui o médico dos médicos, o que trata o interior do
homem (alma). Repare que não há gastos. Pela graça, somos salvos.
62
MEDICO
Lucas 8:43-44;48
“E certa mulher, que tinha uma hemorragia havia doze anos [e gastara com os médicos todos os seus
haveres] e por ninguém pudera ser curada, chegando-se por detrás, tocou-lhe a orla do manto, e
imediatamente cessou a sua hemorragia.”
”Disse-lhe ele: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz.”
INTRODUÇÃO
É natural que uma pessoa, quando tem alguma necessidade, procure ajuda para resolver o seu
problema, se é uma enfermidade, médico em busca de um diagnóstico certo e uma solução.
DESENVOLVIMENTO
O Sr. Jesus por onde passou realizou curas e milagres, e muitas pessoas puderam presenciar
estes sinais naquele momento a multidão apertava Jesus, pois muitos estavam ali por interesse
pessoais ou estavam sendo levados pela multidão. No meio daquela situação, uma mulher
necessitada que já havia gastado todos os seus recursos com médicos, sai por trás da multidão e
toca no Sr Jesus, e imediatamente ficou curada. Muitas pessoas tocavam em Jesus, mas o seu toque
foi diferente, pois moveu o coração do Sr. Jesus, e ele perguntou quem o havia tocado.Há
momentos da nossa vida em que nossos recursos e esperança se acabam, e não conseguimos
enfrentar a multidão de frente, que são as nossas lutas e enfermidades, mas Jesus passa pela nossa
vida e nos mostra que há uma esperança, precisamos tocá-lo
diferente, pois precisa ser o toque de um coração sincero, na certeza de que só ele
pode nos ajudar.
O Sr. Jesus disse a ela: " ... tem bom ânimo, a tua fé te salvou, vai-te em paz."
O Sr. Jesus após realizar este sinal na vida daquela mulher, mostra o seu
63
projeto para ela.
bom ânimo: forças para uma nova caminhada.
tua fé te salvou: cura da alma (perdão dos pecados).
vai-te em paz: Jesus presente em seu coração .
Jesus tem a solução para os problemas do homem.
CONCLUSÃO
Hoje Jesus está presente para curar a tua vida, pode ser uma cura física, da enfermidade, da
dor. Mas a maior cura é a da alma. Perdoar os pecados tirando a angústia e dando nova vida, com
alegria verdadeira para sua vida.
A vida daquela mulher mudou a partir do encontro com o médico, Jesus, e a sua também
pode mudar se através da fé, se tocares nas vestes de Jesus.
MEDICO
Mateus 9:10-12
“...mas, sim, os que estão enfermos”.
OBJETIVO
Mostrar o processo da cura e da salvação da alma do homem através do médico o Senhor
Jesus.
1 – Estando ele em casa sentado à mesa
Nos mostra que o Senhor Jesus está presente na sua casa (igreja), onde tem sempre alimento
para aqueles que participam da sua comunhão, seus filhos que se assentam com ele à mesa, e aí há
alegria e fartura.
2 – Chegaram muitos publicanos e pecadores
Esse processo é constante na vida da igreja em que todos os dias entram uma grande
quantidade de pessoas necessitadas de uma benção de cura para suas almas. Há também aqueles
que vão a busca de algo material, mas o Senhor fala aos seus corações de uma maneira tão
especial que eles entendem o projeto do Senhor e mudam seus desejos, recebendo uma benção,
algo que será remédio para suas vidas.
3 – E sentaram-se juntos à mesa com Jesus e seus discípulos
64
Segundo a sua boa vontade e amor infinito todos esses são recebidos pelo Senhor e
convidados a participar da sua comunhão com a igreja, a benção é para todos que vão à sua casa,
não há acepção de pessoas.
4 – E os fariseus vendo isto
São aqueles que estão sempre presentes mas nunca participam porque se acham melhores,
vêm à operação do Senhor e não entendem, às vezes até criticam, embora todo ministério do Senhor
Jesus fosse bem trans-parente; a esses ele repreende com palavras profundas e maravilhosas para
que todos pudessem entender o seu projeto.
5 – Não necessitam de médico os sãos
Essa repreensão àqueles que se julgavam melhores e superiores, mostra como eles estavam
desperdiçando a oportunidade de terem uma experiência com o Senhor que poderia mudar suas
vidas, devido ao seu orgulho.
mas aqueles que reconheceram as suas necessidades e buscaram a Jesus humildemente e com fé,
foram curados.
6 – Mas, sim, os que estão enfermos
Ele fala do pecador que necessita de ser curado do pecado; para esses ele veio, aos que
vem a ele com arrependimento, humildade e fé.
Vejamos o seguinte: o que leva o homem enfermar?
O tipo de vida que ele leva, sua comida, sua bebida, o clima em que ele vive, a poluição e
tantas outras coisas praticadas por ele mesmo, que levam a conseqüências drásticas. Quando
estamos enfermos logo procuramos um médico para nos orientar ou nos medicar, se não fizermos isto
sabemos qual será o fim.Isto falando no aspecto físico.Com a nossa alma não é diferente, ela
também requer cuidados especiais, e eu pergunto: nesta hora, quem pode medicar a alma do
homem? Quem pode curar a alma do homem do pecado que corrói, destrói, deixando-o insensível à
operação do Senhor, levando-o até a morte? Somente o Senhor Jesus, pois “ele tomou sobre si as
nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si”. Ele é o Médico dos médicos que veio para
nos medicar e nos dar uma nova forma de vida, uma nova maneira de viver, comendo o “pão vivo
que desceu do céu”, bebendo da “água da vida” e do seu “sangue que é verdadeira bebida” - o
cálice da nova aliança, para remissão dos pecados “(cap 26:28)- para que as nossas almas venham
a estar sempre bem nutridas, fortes e sadias na presença do Senhor”.
O MÉDICO
Mateus 9:12 - “Jesus , porém, ouvindo, disse-lhe: Não necessitam de médico os sãos, mas sim, os
doentes”
Introdução:
-
Saúde – Equilíbrio físico e mental
Salvação -> Soteria -> Gozo -> Saúde
* Salvação cura da alma
2 – Alma Adoece?
-
A alma que pecou esta morrerá
65
-
O pecado é a doença da alma – leva a morte
3 – Quem pode CURAR a alma?
Qual o Remédio?
-
Jesus cura a alma
Seu Sangue nos purifica de todo pecado (o Remédio)
4 – Todas curas do Senhor Jesus incluíam:
“Vai em paz a tua Fé te Salvou”
5 – A cura física não dá vida, prolonga os dias, a cura da alma dá vida eterna.
6 – O homem sem Deus, é uma alma doente que está morrendo.
7 – “Eu vim para tenhais vida e vida em abundancia (Vida Eterna)”
8 – Jesus é o único médico que examina (alma) faz o diagnostico e cura - por isso é chamado
Médico dos Médicos.
MESTRE
Lucas 18:18-22
“E perguntou-lhe um dos principais: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?
Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom, senão um, que é Deus. Sabes os
mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; honra a teu
pai e a tua mãe. Replicou o homem: Tudo isso tenho guardado desde a minha juventude. Quando
Jesus ouviu isso, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens e reparte-o pelos pobres,
e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me.”
OBJETIVO
Salvação.
ALVO
Visitante.
66
O texto aponta para um tipo de pessoa, que aparentemente não tinha necessidade; pois era
jovem, conhecia a bíblia (instrução religiosa), bem relacionado socialmente (status), possuía muitas
propriedades (bens materiais). Mas apesar das aparências, aquele jovem tinha uma necessidade,
que era interior, era na sua alma (faltava-lhe uma coisa). Aquele jovem tinha uma preocupação com
respeito à eternidade. Quando o homem identifica esta necessidade em sua vida, ele tem certeza
que só o Mestre (aquele que ensina – Jesus) tem a resposta para sua indagação.
A pergunta daquele jovem: “...que farei para herdar a vida eterna?” Com esta indagação aquele
jovem inicia um diálogo com Jesus, trava-se uma luta na alma do homem, que necessita descobrir o
mistério acerca da salvação (eternidade).
“Que farei” – o homem sabe que precisa fazer algo, mas não sabe que necessita de alguém que o
ensine, aquele jovem procurou então o Mestre.
“Para herdar” – os valores que aquele jovem possuía não lhe eram suficientes para dar certeza,
garantia de salvação, mesmo conhecendo os mandamentos desde a juventude; por isso procurou o
Mestre.
Por herança – a herança surge a partir da morte de alguém. Estava ali o mistério – sem o
sacrifício de Jesus não há eternidade.
Como fazer parte desta herança? Só o herdeiro tem direito à herança. Para ser herdeiro é
necessário ter o mesmo sangue. Jesus nos deixou uma herança, o seu sangue (que é o seu Espírito
derramado). Somente conseguimos fazer parte da herança quando recebemos o Espírito Santo em
nossas vidas.
Como alcançar este mistério em nossas vidas?
O Mestre revela o mistério àquele jovem, quando responde á sua pergunta: “vai, vende tudo,
e segue-me.”
“Vender tudo”: A eternidade começa na vida do homem a partir do novo nascimento. Vender tudo
é voltar a zero e começar de novo. O homem só tem direito a herança eterna quando inicia uma
nova vida com Jesus (Mestre), quando se desprende da sua velha natureza, de tudo aquilo que é seu
(gênio, costumes, maus pensamentos, etc.).
“Segue-me”: O Mestre precisa estar na frente porque Ele é o que nos ensina o caminho, pois ele é o
caminho que conduz o homem à eternidade.
CONCLUSÃO
Este é o mistério que precisamos descobrir para alcançarmos a eternidade. Vender tudo:
nascer de novo; seguir o Mestre: salvação dinâmica, manter-se no caminho.
O MESTRE
João 11:28 - “E, dito isto, retirou-se e foi chamar em segredo a Maria, sua irmã, e lhe disse: O Mestre
está aí, e te chama”.
INTRODUÇÃO:
Jesus veio como Mestre, pois dele estava profetizado; Mestre é aquele que tem conhecimento
profundo daquilo que ensina.
O Mestre que estamos enfatizando é Jesus, que trouxe-nos seus grandes conhecimentos acerca do
projeto eterno de Deus.
DESENVOLVIMENTO:
67
Jesus veio para ensinar o caminho, e sendo Mestre trouxe-nos pela sua sabedoria o conhecimento da
verdade absoluta e incontestável.
Quando o Mestre manda chamar em segredo é porque Ele queria ensinar algo individual, com
experiências; o ensino de Jesus não era teórico, e sim prático, todas as suas ações através dos sinais
operados traziam um ensino para o homem.
“O Mestre está cá e chama-te”, é necessário atender o seu chamado. Maria tinha uma necessidade
central e não tinha solução, mas quando o Mestre a chama, era para trazer-lhe um ensino com
solução e experiência.
Maria representa a igreja fiel e para essa igreja Jesus ensina em segredo, o segredo da vida eterna.
CONCLUSÃO:
A igreja do Senhor continua recebendo os mesmos ensinamentos, pois o Mestre Jesus esta presente
na vida da sua igreja.
Jesus como Mestre ensina além do que o homem pode ensinar, porque o Mestre sabe tudo.
MORADA SEGURA
I Samuel 22: 19 a 23
“Também a Nobe, cidade desses sacerdotes, passou a fio de espada; homens e mulheres, meninos e
criancinhas de peito, e até os bois, jumentos e ovelhas passou a fio de espada. Todavia um dos filhos
de Aimeleque, filho de Aitube, que se chamava Abiatar, escapou e fugiu para Davi. E Abiatar
anunciou a Davi que Saul tinha matado os sacerdotes do Senhor. Então Davi disse a Abiatar: Bem
sabia eu naquele dia que, estando ali Doegue, o edomeu, não deixaria de o denunciar a Saul. Eu sou
a causa da morte de todos os da casa de teu pai. Fica comigo, não temas; porque quem procura a
minha morte também procura a tua; comigo estarás em segurança.”
Introdução:
Houve uma grande destruição em Nobe, o Rei Saul furioso querendo destruir tudo.
Aquilo que estava ligado a Davi e nos diz o texto que a cidade foi destruída e seus
68
Moradores com ela, e os Sacerdotes do Senhor Mortos.
Porém um foge, porque se lembra que Davi era o único que poderia lidar morada,
Naqueles dias tão difícies de perseguição.
1- Hoje nós vivemos dias semelhantes, dias de grande destruição.
Os valores, a verdade, a obediência,o amor, os lares , o mundo,
Estão sendo tocados , não mais por Saul, porém pelo nosso
Adversário, deixando o homem vulnerável, sem proteção, sem.
Abrigo, sem moradia.
2- Abiatar quando foge lembrando-se de Davi, nos mostra o homem desta hora.
Que em meio a tantas lutas se lembra de Jesus, aquele que pode nos dar abrigo,
Segurança, moradia.(proteção no dia da Angústia).
3- Quando Abiatar encontra Davi, ele expressa tudo aquilo que ele passa, suas lutas,
Seus problemas e Davi os ouve.
4- Mostrando que o Senhor no ouve e conhece, pois Davi cita uma situação que
apontaria para aquele problema vivido por Abiatar.
5- Davi então fala para ele ficar ali, fazer daquele lugar uma nova casa( Morada) e.
Ainda diz: Fica comigo, não temas quem procurar a minha morte procurará
a tua e comigo estarás salvo.
6- Hoje o Senhor nos faz um convite(uma morada com ele), onde iremos ter tudo.
Que precisamos para o nosso conforto e proteção.
7- Estar com Davi é estar com Jesus, e estar com Jesus, é viver com ele em uma nova casa
(morada) a Eternidade.
MORADA
Objetivo: Evangelização – Mostrar Jesus como a Morada Eterna daquele que se entrega ao Senhor.
Isaías 32:18 – “ E o meu povo habitará em morada de paz, em moradas bem seguras, e em lugares
quietos de descanso.”
1. Introdução.
A morada é o lugar que escolhemos para nosso descanso e proteção (como a nossa casa). É
também o lugar onde passamos os nossos dias, nos identificamos com ele e também somos
identificados pelo lugar em que moramos através dos hábitos e costumes do lugar, cidade ou país.
Na criação o homem tinha morada junto a Deus, estava seguro e se identificava com Ele sendo sua
imagem e semelhança, entretanto o pecado fez separação entre o homem e Deus e assim o
homem perdeu o direito da morada eterna.
Este mundo não é a morada ideal para o homem pois é um lugar de aflições, incertezas,
insegurança, falta de paz, enfermidades, guerras, violência, etc...
Deus porém estabeleceu um projeto para que o homem pudesse retornar a esta morada.
69
2. Desenvolvimento
O meu povo – Aquele que entregou sua vida ao Senhor (Pai) e agora pertence à Ele, um povo que
foi comprado por um alto preço (Sangue de Jesus) e que é guiado por Ele dando-lhe a devida
obediência.
Habitará em morada de paz – Jesus é esta morada, nele temos a paz que o mundo não pode dar.
Bem segura – Em Jesus temos segurança e proteção pois Ele é mais forte do que a morte e tomou
sobre si toda a nossa dor para nos proteger.
Lugar de Descanso – Na sua ressurreição Jesus nos deu o Espírito Santo que nos consola, nos
refrigera e nos guia e assim podemos descansar Nele, no seu amor, no seu poder.
3. Conclusão
Aquele que está em Cristo nova criatura é, eis que tudo se fez novo. Nos identificamos com esta
morada (Jesus) e assim mostramos ao mundo esta ligação com Ele no falar e no agir.
A segurança que temos nessa morada é que ela não poderá jamais ser destruída pois é eterna, é
celestial.
PAI DA ETERNIDADE
Isaías 9:6-7
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o principado está sobre os seus ombros e o seu
nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Do incremento
deste principado e da paz, não haverá fim, ...”
INTRODUÇÃO
No versículo 2 deste capítulo, o profeta fala de um povo que andava em trevas (sem luz).
A luz é a Revelação, a Eternidade (o senhor Jesus)
Ele falava então de pessoas que hoje andam sem eternidade, sem vida eterna, sem Jesus.
DESENVOLVIMENTO
Um menino nos nasceu = A luz resplandeceu (Jesus). Ele disse: quem crer em mim não andará em
trevas. Jesus quer nascer nos corações para que tenham luz, para que tenham eternidade.
O seu nome... Pai da Eternidade = Ele veio revelar a Eternidade de Deus. Aqueles que andam na luz
entram no tempo de Deus, na Eternidade. Andar na luz é andar em comunhão com o Espírito de
Deus.
70
Não haverá fim = Eterno = A bênção que Deus tem para nós é duradoura, não é algo passageiro, Ele
é o Pai da Eternidade, Ele age eternamente em nosso favor.
CONCLUSÃO
O Senhor Jesus é o Pai da Eternidade, aquele que nos foi enviado por Deus, para que através
do seu sacrifício na cruz nos desse acesso para entrar na Eternidade (vida eterna). Você também
pode entrar...
PAI DA ETERNIDADE
Isaías 9:6
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o
seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”
A grande angústia do homem é incerteza do depois da vida; é desconhecer o destino da sua
alma, o que a psicologia enfatiza como o vazio existencial, que é o grande mal do presente século.
O homem sente que, diferente dos animais, ele tem uma alma que ultrapassa os limites da
vida material, da qual ele não tem o domínio. A palavra diz (Ecl. 3:11) que “Deus pôs a eternidade no
coração do homem”. Deus o fez a sua imagem e semelhança, para viver a eternidade. Toda a
palavra fala de um desejo de Deus de que o homem viva a eternidade junto Dele; mas é clara
também em esclarecer que o homem tem toda a liberdade de escolha. Se ele quer passar a
eternidade junto ou longe de Deus. Esta é a decisão mais importante da sua vida.
Quando o homem pecou, e destituído foi da glória de Deus (Rom. 3:23) ele perdeu o seu bem
mais precioso, em que constitui a essência da “imagem e semelhança” de Deus: a vida eterna. O
pecado passou a ser o seu maior problema, porque separa o homem de Deus, e tira a sua vida
(eterna); representando uma real condenação à morte. O salário (conseqüência) do pecado é a
morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna (Rom. 6:23), vida esta, reconquistada através do
sacrifício do cordeiro.
O desconhecimento e a incerteza quanto à vida eterna produz um grande vazio no coração
do homem, e é este vazio que o move a buscar, muitas vezes sem mesmo perceber, a reconciliação
com o Pai da eternidade; voltar à casa do Pai (Luc. 15:18/20) para reaver todo o tesouro que um dia
desprezou. O objetivo da Obra redentora é alcançado quando o homem, através do
arrependimento, pela eficácia do sangue do cordeiro, volta para a presença de Deus, deixando a
morte (pecado) e voltando à vida (reconciliação com Deus).
71
O mesmo Deus criador de todas as coisas que no princípio diz: “façamos o homem a nossa
imagem e semelhança” (Gen. 1:26), é também o que, ao findar o projeto da Obra Redentora, dirá
aos salvos: “vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a
fundação do mundo”, porque Ele é o único que pode nos dar vida eterna. Ele é o Pai da Eternidade.
PAI DA ETERNIDADE
Isaias 9:6
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o principado está sobre os seus ombros; e o seu
nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.
INTRODUÇÃO
Um dos nomes que Isaias se refere ao senhor Jesus é como Pai da Eternidade. A eternidade
nos fala daquilo que é sem fim (duradouro) uma morada eterna. Ao contrario do que é temporal e
passageiro. Pela desobediência o tempo do homem foi contado para a morte. Mas aprouve ao Pai
pelo seu grande amor, pela humanidade, enviar Jesus, para resgatá-lo para estar com ele nas
moradas que foram criadas desde a fundação do mundo. Todo o propósito de Deus foi revelar a
eternidade na pessoa do Senhor Jesus através do sacrifício na cruz, consumando a obra redentora
(salvação).
DESENVOLVIMENTO
Porque Pai da Eternidade? Por que é ele que gera a vida eterna, Deus Pai ao apresentar seu
filho através do profeta, anuncia-nos aquele que pode gerar em nós a eternidade, pois ele veio para
que todos que crêem tenham acesso através dele, a uma vida eterna.
72
Jesus sempre existiu porque é eterno, foi desde o principio. Criou todas as coisas (obras de suas
mãos). Exerce domínio sobre tudo porque sem Ele nada do que foi feito se fez. Aquele que recebeu
todo o poder nos céus e na terra.
CONCLUSÃO
Jesus como o Pai, tem nos feito conhecer já a sua glória. No nosso meio, temos desfrutado das
bênçãos da eternidade (a igreja). Todo o anseio da Igreja é tomar posse desta benção que é a
Eternidade.
PAI DA ETERNIDADE
Isaías 9:6
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e seu
nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da paz.”
INTRODUÇÃO
O profeta Isaías tinha uma missão de anunciar a Israel a respeito do Messias, o Salvador Jesus
Cristo. Isaías descreve com certos detalhes que chamam a atenção, como no capítulo 53.
DESENVOLVIMENTO
Neste versículo que lemos, Isaías declara alguns nomes pelo qual o Salvador seria conhecido,
nomes que demonstram a missão do Senhor Jesus.Jesus é chamado por muitos nomes e um deles é
Pai da Eternidade.
O Senhor Jesus tem um Projeto para o homem, um projeto imutável, eterno que se chama
Salvação.Jesus veio trazer ao homem aquilo que ele não tinha, veio trazer a paz que o mundo não
dá, a vida abundante, vida eterna.Tudo isso o Senhor Jesus trouxe da eternidade e isto é que voltará
para a eternidade.
Jesus é chamado de Pai da Eternidade pois Ele é quem concede ao homem o direito de
salvação, de eternidade com Deus. O homem deseja a eternidade, está dentro de sua alma , pois
ele foi criado para ser eterno, pecou, errou, escolheu um outro projeto de vida, e isto lhe custou à
eternidade com Deus. Deus por sua vez é justo e também misericordioso, lhe proveu um meio de
73
escape da morte eterna , o sangue de Jesus, a vida de Jesus, vida eterna. Só alguém eterno poderia
trazer ao homem o direito a eternidade.
CONCLUSÃO
Muitos passaram , Pedro, João mas só o Senhor Jesus venceu a morte, e Ele é o único que pode nos
dar vida eterna, Ele é o Pai da Eternidade.
PEDRA DE ESQUINA
Salmos 118:22-23
“A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta como pedra angular. Foi o Senhor que fez isto
e é maravilhoso aos nossos olhos.”
INTRODUÇÃO
Pedra de Esquina: Pedra usada no início de uma construção, era a principal base, onde o
edificador continuaria o projeto da casa.
DESENVOLVIMENTO
A pedra rejeitada pelos edificadores
Israel que rejeitou a principal pedra (Jesus).
O homem substituiu a pedra principal (Jesus revelado), utilizando na sua construção espiritual,
seus próprios fundamentos (razão, argumentos, letra). Excluindo assim do projeto a base estabelecida
pelo pai.
Foi o Senhor que fez isto
Foi o pai que o fez o principal de sua obra redentora.
74
E é coisa maravilhosa aos nossos olhos
Onde está a maravilha?
Em ter conhecido-o, aceitado e colocado como a base principal da nossa construção
espiritual e assim estarmos inclusos no projeto do pai.
Ele é a única base onde todo homem pode edificar sua construção espiritual.
PEDRA DE ESQUINA
Isaías 28:16
"Eis que assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, uma pedra preciosa de esquina, que
está bem firme e fundada , aquele que crer não se apresse."
INTRODUÇÃO
São vários os textos bíblicos no Velho Testamento que prefiguram o Senhor Jesus no Velho
Testamento. Cada figura mostra uma operação grandiosa do ministério do Senhor Jesus que é
completo.
DESENVOLVIMENTO
Quando Isaías fala de Sião, ele diz a respeito da cidade preparada por Deus para que Israel: o
local preparado para Deus tabernacular com o povo, o lugar onde o povo iria adorar a Deus, onde
Ele se faria presente todos os dias na vida do seu povo.
Sião ..... fala do projeto de eternidade de Deus para com o homem. Este projeto foi realizado com
todos os detalhes. O projeto de eternidade é um projeto de salvação: um projeto realizado por Deus
para remir e libertar o homem do pecado e transportá-lo para as mansões celestiais. Este projeto foi
realizado baseado em um fundamento. Este fundamento é Jesus.
75
-
-
assentei em Sião uma pedra ..... Deus estabeleceu o projeto com um fundamento. A pedra é
usada para alicerçar, estruturar, sustentar uma construção. É só olharmos para uma construção
de alvenaria que veremos diversas aplicações de pedra com o objetivo de garantir que a
edificação não caia. Esta pedra é Jesus.
pedra já provada .... Jesus veio para consumar o projeto de Deus e veio como homem, sendo
provado, passou pela fornalha da aflição, entregou a sua vida para nos salvar.
pedra preciosa ... Jesus é o bem maior da vida do homem. È o maior valor que o homem pode
adquirir em sua vida.
de esquina - Esquina / Angular – ambas as palavras falam do lugar de maiores esforços numa
construção de civil. A pedra angular é a pedra mestra, a pedra fundamental. Jesus é esta pedra.
Ele é o fundamento da nossa fé, é o marco inicial da caminhada espiritual da vida do homem.
firme e bem fundada - O projeto de Deus é inabalável ("passará o céu e a terra mas as minhas
palavras não hão de passar"). Jesus é o firme fundamento da vida espiritual daquele que crê.
Jesus é Pedra de Esquina, Pedra Angular, porque somente através dele o homem pode alicerçar,
estruturar a sua vida diante de Deus. É a pedra angular porque ele é o fundamento de toda a Obra
de Deus. Sem Jesus é impossível a construção da Casa Espiritual para vida eterna.
CONCLUSÃO
O homem que deseja ter segurança nesta vida, e preparar para eternidade, necessita ter o
Senhor Jesus estruturado na sua vida, hoje.
PEDRA DE ESQUINA
Isaías 28:16
“Portanto assim diz o Senhor Deus: Eis que ponho em Sião como alicerce uma pedra, uma pedra
provada, pedra preciosa de esquina, de firme fundamento; aquele que crer não se apressará.”
INTRODUÇÃO
Isaías era também chamado profeta Messiânico, porque o alvo de suas profecias era o
Messias, aquele tão aguardado pelo povo de Israel.
Nesse texto ele aponta para o Senhor Jesus como pedra, rocha firme, inabalável.
DESENVOLVIMENTO
Nessa passagem bíblica, há uma correlação do Senhor Jesus, a Rocha Eterna, com a Igreja –
Sião.
“... assentei em Sião uma pedra ...” – Jesus está estabelecido como base na vida da Igreja. Senhor
dos senhores, Rei dos reis, cabeça da Igreja.
76
“... pedra já provada ...” – Jesus se fez homem, habitou entre nós, sofreu tudo aquilo que um homem
podia sofrer. Foi perseguido e morto e moído por nós. Mas cumpriu todo o projeto do Pai, vencendo a
morte – Ele é vencedor.
“... pedra preciosa ...” – Tudo o que a igreja tem, seu grande tesouro precioso é Jesus. Só Ele pode
salvar.
“... pedra de esquina ...” – (ou pedra angular) – É a pedra colocada no ângulo de dois muros, fazendo
a amarração, não deixando brechas. Jesus veio para nos unir ao Pai.
Uma união firme e segura, removendo toda brecha gerada pelo pecado. Ele é a pedra principal
dessa esquina.
“... que está bem firme e fundada...” – Ele é o fundamento da Igreja, no qual podemos construir, com
segurança, nossa vida espiritual
“aquele que crer, não se apresse.”
CONCLUSÃO
Aquele que tem Jesus na sua vida, como Pedra Preciosa de Esquina, Pedra provada e firme,
não tem o que temer. A Igreja fiel não se apressa, pois sabe em quem tem crido e espera no Senhor.
PEDRA DA ESQUINA
I Pedro 2:6
“Pelo que também na Escritura se contem: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita
e preciosa, e quem nela crer não será confundido.”
INTRODUÇÃO
JESUS está contido em toda a palavra, (velho e novo testamento), como Isaias, Pedro
também fala de JESUS como a pedra da esquina, um projeto eterno para transformar o coração do
homem, tirando-o de um viver conturbado pelo mundo que ai esta.
DESENVOLVIMENTO
ESCRITURA – A palavra da verdade, onde está contido o projeto de vida eterna..
77
SIÃO – Colina – lugar elevado, lugar em destaque.
PEDRA PRINCIPAL – JESUS – que está em primeiro lugar, primeiro ontem, hoje e eternamente.
PEDRA DA ESQUINA – Canto exterior, um ponto visível, onde todos possam vê-la., ver a salvação em
JESUS.
PEDRA ELEITA – Segundo a presciência de DEUS, escolhido do PAI, para demonstrar seu grande amor
ao mundo.
PEDRA PRECIOSA – Grande valor, valor incomparável, e a maior riqueza para o homem esta na vida
(vida eterna).
CONCLUSÃO
QUEM NELA CRER NÃO SERA CONFUNDIDO – Esta pedra (JESUS), rejeitada por muitos, hoje esta diante
de vós e se nela crermos e a escolhermos, não seremos confundidos pelas perturbações do mundo
que ai está, pois, JESUS, é a direção segura para uma nova vida.
PORTA
Salmo 118:20
“Esta é a porta do Senhor pela qual os justos entrarão”
INTRODUÇÃO
Sabemos que toda porta dá acesso de um lugar para outro (separam ambientes). Jesus é a
porta da eternidade, que liga o homem ao tempo de Deus. Esta Porta permite ao homem viver um
projeto definido por Deus que o conduz à vida eterna.
DESENVOLVIMENTO
A palavra se refere à Porta do Senhor: “Esta é a Porta”, a palavra Esta aponta algo que está
próximo de quem fala, Deus definiu isto na eternidade com seu Filho e o apontou como a A Porta.
Através de Jesus que se revela como A Porta, o homem tem a oportunidade de conhecer a salvação
e contemplar a glória de Deus.
“Pela qual os justos entrarão”, o homem conhece a justiça de Deus através do sacrifício de
Jesus, no qual ele é justificado. “Porque pela Graça sois salvos”
78
Esta Porta separa os dois ambientes morte e vida, como aconteceu com Lázaro que estava
morto há quatro dias, chegando Jesus que é a Porta da vida o tirou da morte para uma nova vida,
dando-lhe um novo nascimento
CONCLUSÃO
Jesus é a única porta que permite ao homem conhecer e desfrutar os benefícios da
eternidade. Todos que passarem por esta Porta viverão a excelência do amor de Deus e a sua justiça,
sairá do universo criador (onde tudo tem fim) e entrará no universo redentor para viver eternamente
com o Senhor.
PORTA
Êxodo 12:22-24
Então tomareis um molho de hissopo, embebê-lo-eis no sangue que estiver na bacia e marcareis com
ele a verga da porta e os dois umbrais; mas nenhum de vós sairá da porta da sua casa até pela
manhã. Porque o Senhor passará para ferir aos egípcios; e, ao ver o sangue na verga da porta e em
ambos os umbrais, o Senhor passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas
para vos ferir. Portanto guardareis isto por estatuto para vós e para vossos filhos, para sempre.
O homem não gosta de ouvir falar de morte. Ele tem pavor, ele se entristece, mesmo
assim ele não se preocupa em servir ao Senhor. Havia um juízo para o Egito, e o povo do Senhor
habitava lá, e neste juízo Deus tinha uma promessa para o seu povo. A promessa era que ele não
seria atingido enquanto estivesse dentro das orientações do Senhor (revelação).
O juízo era a morte dos primogênitos.
A revelação que Deus tinha para o povo era ter o sangue nas ombreiras e vergas da porta e
não sair para fora até o amanhecer.
Para o mundo atual em que vivemos e habitamos há uma sentença de morte mas para todo
aquele que tem buscado uma benção o Senhor vai livrar desta sentença, porque o Senhor estará
cuidando particularmente de cada um de nós.
Quando o Senhor disse para não sair da porta para fora, significa não sair da revelação, do
projeto de Deus, porque a porta é Jesus e fora de Jesus só há morte.
79
Quando a palavra fala sobre a manhã, ela refere-se a um novo dia pra a igreja: é o
arrebatamento.
Não sair é permanecer dentro da casa, ou seja, em comunhão com Deus. Dentro da casa nós
estamos protegidos contra o inimigo. O mundo vai perecer, mas a igreja do Senhor irá gozar com o
Senhor na Eternidade para todo o sempre.
PORTA
Salmos 118:20
“Esta é a porta do Senhor; por ela os justos entrarão.”
INTRODUÇÃO
O homem vive a procura de várias soluções para suprir suas necessidades. O mundo
oferece muitas portas para ele, nas quais encontra tristeza, ilusão, derrota e o fim é sempre de morte
mas Deus oferece ao homem a porta da vitória.
DESENVOLVIMENTO
O pecado separa o homem de Deus, e separando de Deus sua alma sente-se vazia.
Deus providencia uma porta, Jesus é essa porta onde encontra entrada para uma nova vida.
O homem natural, na sua razão não consegue enxergá-la, pois o pecado cega e tira a
percepção espiritual.
O Espírito Santo age no coração fazendo entender a necessidade de se entrar por essa porta
para ter a vida transformada e justificada.
80
Jesus disse: ”Eu sou a porta se alguém entrar por mim salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará
pastagens”
A porta que Deus abriu para salvação do homem. É a justificação pelo sangue de Jesus.
Somente entrarão por esta porta àqueles que foram justificados pelo sacrifício de Jesus.
CONCLUSÃO
Jesus é a porta que conduz para a eternidade, com o derramar do seu sangue, nos remiu dos
nossos pecados e deu-nos acesso à eternidade.
PASTOR
Ezequiel 34: 23
“E levantarei sobre elas um só Pastor, e Ele as apascentará; o meu servo Davi é que as há de
apascentar, ele lhes servirá de pastor.”
INTRODUÇÃO
O Senhor usa o profeta Ezequias para profetizar contra os pastores infiéis, contra homens que
não conduziam bem ao povo, não davam importância para as necessidades vividas pelo povo.
Isaías profetizou pelo Espírito o projeto redentor do Senhor.
DESENVOLVIMENTO
Um só Pastor = Jesus, o único que pode cuidar bem das nossas vidas. Não há outro salvador, não há
outro caminho.
No versículo 3 deste capítulo, o profeta se referiu a homens que tiravam proveito,
defraudavam as ovelhas.
81
Apascentará = as ovelhas são apascentadas porque conhecem a voz do seu pastor e lhe
obedecem. O senhor Jesus é aquele que fala para nos orientar e quem lhe obedece tem uma vida
orientada (apascentada) por Ele.
Ele é o bom Pastor que deu a sua vida pelas suas ovelhas. Ele é bom porque busca a perdida
e a desgarrada, ele cuida da quebrada e da enferma. Ele nos conforta pelo seu Espírito.
Meu servo Davi = Ele veio da linhagem de Davi = Valente, luta pelas suas ovelhas.
CONCLUSÃO
Jesus o Bom Pastor tem buscado muitas ovelhas (pessoas) que precisam ser apascentadas.
O Pai nos enviou seu Filho para nos livrar das mãos dos homens (maus pastores) e do
Adversário.
Se hoje ouvires a voz do Senhor (o bom Pastor), não endureças o teu coração (obedeça) e tu
serás apascentado por Ele.
PASTOR
Ezequiel 34:12
“Como o Pastor busca o seu rebanho, no dia em que está no meio das ovelhas dispersas, Livra -las-ei
de todo os lugares para onde foram espalhadas no dia de nuvens e escuridão.”
INTRODUÇÃO
No momento em que os pastores não atentavam para o Senhor, as ovelhas sofreram e foram
dispersas e abandonadas .
Mas o Senhor, o bom pastor, veio resgatá-las para o seu aprisco, Igreja.
DESENVOLVIMENTO
Estávamos dispersos, longe do único rebanho que o Senhor conduz.
O Senhor Jesus fez tudo para resgatar cada ovelha perdida, trouxe a palavra de salvação. Foi
ao calvário e pagou alto preço por cada um de nós para nos dar o direito a herança eterna.
O Pastor tem a conta de suas ovelhas, ele está sempre junto, para em todos os momentos
ajudar as ovelhas na caminhada, curando, limpando, amando assim seu rebanho.
O bom Pastor está junto no nascimento de cada ovelha, a primeira voz que se ouve é a do
Pastor dando as boas vindas. No momento do nosso novo nascimento, reconhecemos a voz deste
pastor, que nos chamou para o seu rebanho.
Nós voltamos do nosso caminho agora, temos um novo e vivo caminho, não estamos
espalhados, somos unidos pelo mesmo espírito, pois só temos um sentimento: de corpo, onde o
cabeça é o Bom Pastor.
Os que não conhecem esse único pastor, que deu sua vida pelas ovelhas, estão debaixo da
nuvem, que nos fala da frieza espiritual, e com isto vivem um momento de trevas.
82
CONCLUSÃO
O Bom Pastor nos resgatou e tem nos orientado em todo tempo, com sua doutrina, para nos
preparar para o arrebatamento da igreja fiel.
PASTOR
Zacarias 11:7
“Eu pois apascentei as ovelhas destinadas para a matança, as pobres ovelhas do rebanho. E tomei
para mim duas varas: a uma chamei Graça, e à outra chamei União; e apascentei as ovelhas.”
OBJETIVO
Dedicação, trabalho na igreja.
ALVO
Igreja.
DESENVOLVIMENTO
Deus criou o homem com um projeto de vida eterna. Mas o homem pecou, e com o pecado
o homem foi destituído do projeto de Deus. O pecado afastou o homem do projeto de Deus,
trazendo ao homem um juízo de morte. Desde o pecado do homem, Deus tem trabalhado em favor
do homem, para resgatá-lo, trazê-lo novamente ao projeto de eternidade.
Apascentai – Na eternidade, o Pai faz um acordo com o Filho (Jesus). É o projeto de Deus para
salvação do homem. É a manifestação do amor de Deus para com o homem que estava perdido.
Jesus é enviado por Deus como Pastor (apascentai), e Jesus disse: “Eu sou o bom pastor, o bom
pastor é aquele que dá a vida por suas ovelhas.”
83
As ovelhas da matança – é o homem debaixo de um juízo, destinado á morte eterna, fora do projeto
de Deus, sem direito de vida, sem esperança.
Tomei duas varas – Jesus em seu ministério, como o bom pastor, é aquele que apascenta ao homem
com estas duas varas, trazendo ao homem a direção.
Primeira vara (graça) – Jesus tem apascentado o homem através da sua graça, de sua
misericórdia, do favor que nós não merecemos, sua salvação.
A segunda vara (união) – o homem é apascentado por Jesus no corpo, a sua igreja é o corpo,
onde Jesus é o cabeça, o pastor deste corpo, deste rebanho. Nós somos apascentados no corpo,
salvação é no corpo. Ovelha fora do corpo é ovelha sujeita à matança.
Jesus desceu de sua glória e veio ao mundo que estava perdido para resgatar, arrebanhar o
homem que estava como ovelha sem pastor, destinado á morte, debaixo do juízo. Jesus em seu
ministério cumpriu a função que lhe foi confiada pelo Pai, quando Ele diz: “nenhum dos que me deste
se perdeu...”. Ele é o bom pastor, que nos apascenta com cuidado, com desvelo, que entregou sua
própria vida por nós, e nos deixou um compromisso, quando diz a Pedro: “tu me amas, apascentai as
minhas ovelhas.”
Assim como ele tem cuidado de nós, ele deseja que nós também cuidemos de sua igreja, suas
ovelhas, as quais ele salvou da matança com seu precioso sangue.
PASTOR
Salmo 23:1
"O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará"
INTRODUÇÃO
É notável a identificação que Davi faz neste salmo do Deus de Israel, aquele a quem ele servia como
o seu pastor.
Davi era pastor. Ele conhecia o que era o pastoreio. Tinha consciência que as ovelhas são impotentes
diante do mundo que as rodeia. Ele sabia que o verdadeiro pastor era aquele que cuidava do
rebanho, vigiava nas noites, as guiava pelos caminhos, dava o alimento, o descanso.
DESENVOLVIMENTO
Quando Davi fala: "O Senhor é o meu pastor" , ele ressalta todas as características desse pastor e elas
se extrapolam para o sentido profético, porque todas as características deste pastoreio foram
evidenciadas no ministério de Jesus. O Deus a quem Davi servia seria aquele que, quase 1000 anos
depois, iria enviar seu Filho para levantar um rebanho, levantar um povo, tomar um povo para si.
Jesus é o pastor porque é aquele que:

não deixa que nada falte ao seu rebanho (nada me faltará)
84




nos guia às águas tranqüilas (faz seu rebanho desfrutar da bênção do Espírito Santo)
é o alimento para nós (verdes pastos - pão da vida)
é o consolo bem presente (ainda que eu andasse pelo vale da morte ...)
morre pela vida das ovelhas (Jesus morreu por nós)
CONCLUSÃO
Davi tinha uma consciência: ele era uma de suas ovelhas. Jesus ainda não havia se revelado a este
mundo, mas Davi alcançou profeticamente quem era o seu pastor, porque ele sai do seu tempo
mortal e entra no tempo de Deus. Ele é o nosso pastor e as evidências deste pastoreio que são nítidas
no Salmo 23, para a vida de Davi, são claras para nós e também evidenciadas no ministério do Sumo
Pastor, o Senhor Jesus.
PORTA
Salmos 84:10
“Porque vale mais um dia nos teus átrios do que em outra parte mil. Preferiria estar à porta da casa do
meu Deus, a habitar nas tendas da impiedade.”
INTRODUÇÃO
O mundo tem muitos valores (religiosos, políticos, materiais, etc...) O homem tem buscado
estes valores julgando assim alcançar felicidade. Mas a verdadeira felicidade do homem é quando
ele tem um encontro com Jesus.
DESENVOLVIMENTO
O homem está diante de muitas portas que não levam à solução definitiva para os seus
problemas. Para o povo de Israel entrar na presença de Deus, deveria entrar no tabernáculo (ou no
templo) para isto deveria passar pela porta.Para o salmista a sua maior alegria era estar à porta,
porque ali ele sentia a presença de Deus em sua vida. Hoje, o homem para entrar na presença de
Deus também tem de passar pela porta que é Jesus. Jesus disse: “Eu sou a porta...”
85
Para alcançar a bênção de vida eterna, o homem tem de fazer uma opção em sua vida. Há
muitas ofertas e opções neste para o homem, são os valores deste mundo, que o salmista chama de
tendas da impiedade. Aponta para aquilo que é passageiro e leva ao pecado e à perdição. Que
distancia o homem de Deus.
Através da porta que é Jesus, o homem alcança o projeto de Deus e tem acesso ao santuário,
ou seja à vida eterna. Só em Jesus temos a verdadeira alegria e certeza de salvação.
CONCLUSÃO
Jesus é a porta e não há outro meio de se chegar a Deus. Há tantas coisas que o homem
pode fazer nesta vida. Cada um pode fazer sua escolha. Para o salmista a melhor coisa era estar à
porta da casa do Senhor. Era a sua experiência, é a experiência de todo aquele que conhece a
Jesus e por Ele passa a viver todas as bênçãos que Deus reservou para seus escolhidos.
PRÍNCIPE DA PAZ
Isaías 9:6
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros;
e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz.”
OBJETIVO
Homem sem paz.
INTRODUÇÃO
O homem está em busca de paz. Paz para as nações, para as cidades, para as famílias, para
seu lar, casamento, filhos. Paz para seu interior.
O homem já não suporta as lutas, violências, guerras, os conflitos pessoais. E a sua busca tem
sido cada dia frustrada, pois ele busca naquilo que é material, o social, político, econômico e outros
no misticismo, na religião e outras.
86
DESENVOLVIMENTO
A palavra diz que um dos nomes de Jesus é Príncipe da Paz.
Príncipe – filho do rei, aquele que exerce governo sobre um principado.
Da paz – A paz ela é principado de Jesus. Ele é o dono da paz, ele é quem governa a paz,
tem poder e autoridade sobre ela.
Hoje através da obra que o Espírito Santo tem realizado, o Senhor têm levado muitos a
descobrir esse segredo que o homem na razão não sabe, mas no espírito ele descobre – Jesus o
príncipe da paz.
Quando o homem aceita Jesus como o seu salvador, ele recebe como benefício da salvação
a paz (eternidade, o príncipe e o principado). É a evidência da presença de Jesus na sua vida. O
esposo percebe, os filhos, os amigos, os familiares; todos.
Como conservar a paz em nossas vidas? Isaías 26:3 – “Tu conservarás em paz aquele cuja
mente está firme em ti; porque ele confia em ti.”
E confiando no Senhor, depositando nele sua vida a cada dia, deixando ele governar a sua
mente e seu coração, assim a paz será conservada em sua vida. O Senhor, o príncipe da paz.
CONCLUSÃO
O homem precisa deixar Jesus nascer na sua vida.
Deus, o Pai, já o deu por amor ao homem e confiar nele, pois dessa forma garantimos a
conservação da paz em nossas vidas para essa vida mais a eternidade.
Jesus é o príncipe da paz, apesar das lutas serem inerentes à vida do homem. E o homem por
sua vez só alcança esta paz quando descobre o principado, isto é, o governo de Jesus na sua vida.
PROFETA
João 7:40 e 46
“Então muitos da multidão, ouvindo esta palavra, diziam: Verdadeiramente este é o profeta”.
INTRODUÇÃO
Tudo aquilo, tipificava um tempo diferente ao tempo que o homem estava acostumado a
viver, a convocação era para todos, mostrando o desejo do Senhor de que todos possam viver a Sua
grande festa. Ali não havia tristeza, pois o vinho estava presente. Não havia dor, pois o azeite, era o
instrumento de cura, bem como era o combustível para que não faltasse a luz.
DESENVOLVIMENTO
Na verdade aquela festa era um ato profético que apontava justamente para aquele
momento, momento em que Jesus se coloca de pé e se apresenta como uma fonte inesgotável de
87
alegria para a vida do homem. A festa já acontecia há sete dias e no oitavo dia (a graça)
considerado como o grande dia da festa, Jesus aparece e sem que ninguém esperasse se põe de pé
e diz: “Se alguém tem sede venha a mim e beba”. Na vida do homem existe também um grande dia,
e este dia, é o dia em que ele tem um encontro com o seu salvador. Na maioria das vezes é em um
momento em que você também não espera, mas Jesus aparece diante da sua vida, diante dos seus
problemas e fala ao seu coração: “Se você tem sede venha a mim e beba”, “Eu sou a fonte da vida,
Eu sou o que posso te ajudar. Mas para isso, você precisa vir a mim”.
Naquele último dia da festa era também o início da estação do semear e do lavrar a terra, e
era justamente o que Jesus estava fazendo ao se colocar diante de um grande campo (a multidão):
“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede
venha a mim e beba”.
Ele estava ali lavrando a terra (o coração do homem), semeando ali as palavras de vida que
só ele poderia oferecer.
- Quem aceitar: “... Rios dagua vivas correram do seu ventre”, o Espírito Santo agindo no interior do
homem, operando e salvando.
- O clamor da multidão: ”... verdadeiramente este é o Profeta”.
O profeta era o elo de ligação de Deus com o homem, uma pessoa a qual o povo tinha um
grande respeito e admiração. E isso pelos sinais que eles faziam.
E o que mais chamava a atenção do povo é que os sinais que Jesus fazia estavam diante de
suas vidas, não eram apenas testemunhos contados pelos seus antepassados, mas algo que os seus
olhos podiam contemplar.
No tempo de Jesus já havia cerca de 300 anos que Deus não falava ao homem pela boca de
um profeta, até o nascimento de João. Era um tempo de angustia, de tristeza, pois por mais que o
povo pecasse existia nos seus corações o desejo de ouvir a voz do Senhor, pois só ela lhes traziam a
esperança. O povo estava vivendo sobre um domínio romano, e não faltava nos seus corações o
desejo de um profeta se levantar para profetizar o fim daquela escravidão.
E isso foi o que eles viram em Jesus um profeta. ”... verdadeiramente este é o Profeta”. Eles
discerniram que suas palavras provinham de Deus, pois suas vidas naquele momento foram cheias de
esperança. “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos
profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho” Heb. 01:01. A voz do profeta continua
clamando: “se alguém tem sede venha a mim e beba”. A profecia estava se cumprindo, “O Senhor
teu Deus despertará um profeta no meio de ti, ..., como eu; a ele ouvireis” Deut 18:15
CONCLUSÃO
Hoje Jesus está realizando os mesmos sinais. Ele ainda é o Profeta de Deus. O nosso elo de
ligação com Deus, e é por ele que podemos ouvir a voz do Senhor falar as nossas vidas através do
Seu Espírito. É ele quem tem feito maravilhas diante dos nossos olhos, fazendo-nos vivenciar a cada
culto, uma grande festa. Nós não nos retemos a ouvir falar das maravilhas do Senhor, mas nós as
vivenciamos porque o Profeta tem continuamente falado aos nossos corações.
E sendo Jesus o nosso profeta não nos falta à direção para andarmos nos caminhos de Deus,
na sua presença não nos falta o vinho, não nos falta o azeite, não nos falta nada. Porque
verdadeiramente um Profeta se revelou as nossas vidas.
88
PROFETA
João 4:19
“Senhor, Disse-lhes a Mulher: Vejo que tu és profeta”.
INTRODUÇÃO
Jesus tem um diálogo com uma mulher, mas o objetivo deste diálogo era mostrar que Jesus é
que conhece o que esta no coração do homem. A mulher não sabia quem era aquele homem, mas
Jesus conhecia os segredos do seu coração e a necessidade da sua alma.
89
DESENVOLVIMENTO
Todos os sinais que Jesus realizou não foram isolados, mas sempre foram frutos de um propósito
de Deus para a vida do homem.
e era-lhe necessário passar por Samaria - O encontro com aquela mulher em Samaria não foi uma
coincidência. Tudo já estava determinado desde a eternidade. O encontro de Jesus com aquela
mulher no poço de Jacó é tipo do encontro do homem com Jesus. Foi um encontro profético, fruto
de uma eleição para a salvação (“... eleitos segundo a presciência de Deus” I Pe 1:2)
Jesus revelou tudo que havia no coração daquela mulher. Como profeta sabia dos seus problemas e
das suas necessidades, pois revelou o que estava oculto, escondido no seu coração, e quando isto
aconteceu, a mulher entendeu que não era um homem comum que estava ali, e sim um profeta,
pois foi revelado o seu segredo.
Quando temos o contato com a profecia, ou seja, a revelação, a nossa vida é transformada.
O Senhor transformou todo o sentimento daquela mulher, pois não apenas demonstrou que a
conhecia como lhe deu certeza de uma nova vida.
CONCLUSÃO
Diante de tudo que pode ouvir, a mulher disse: “Vejo que és profeta”. Quando o homem
conhece Jesus, a principal evidência de sua presença é a profecia.
Se Jesus não revelasse o segredo daquela mulher, ela não o reconheceria como profeta, e a
profecia faz com que cada dia, vivamos em novidade de vida, ou seja, não sendo corrompido por
este mundo.
PROFETA
João 7:40
“Então alguns dentre o povo, ouvindo essas palavras, diziam: Verdadeiramente este é o profeta.”
OBJETIVO
Chamar o visitante a dar ouvidos à palavra de salvação.
90
DESENVOLVIMENTO
O Senhor anunciou por Moisés que levantaria um profeta no meio de Israel semelhante a si,
que poria as suas palavras em sua boca e que falaria tudo o que o Senhor ordenasse, ao qual todos
deveriam ouvir. (Dt 18: 15 – 18).
Muitos profetas foram levantados e todos falaram da parte de Deus; alguns foram tão
marcantes que encontram – se registrados na Bíblia, mas ainda assim não foram aquele a quem o
Senhor se referia.
Sendo o profeta aquele que fala da parte de Deus, que mensagem especial deveria esse
trazer? A mensagem da salvação, a mensagem da chegada do reino de Deus, a libertação para
aqueles que ouvissem e o seguissem e, ainda, que mediasse a reconciliação do homem com Deus,
estabelecendo uma aliança (nova) entre ambos, visto a que Moisés estabelecera não mais satisfazia
nem a Deus que não falava mais com o povo há aproximadamente 480 anos, nem a eles, que não
ouvindo mais sua voz mas praticando uma religião ritual e formal, estavam insatisfeitos e vazios. Jesus
realizou tudo isso e as suas palavras caíram como água em terra seca (Is 44:3). Os que creram na
mensagem de Jesus reconheceram ser ele esse profeta não um profeta a mais, mas “ o Profeta”, e
até mesmo os que não o criam não tinham como contestar a sua pregação singular “ homem jamais
algum falou assim como este homem” (V 46). Todos os que deram ouvidos à sua palavra tiveram
uma experiência extraordinária como foi o caso da mulher samaritana (cap 4) que primeiro
reconheceu ser ele um profeta e por fim o próprio “ Cristo”, que quer dizer “ Ungido”, o que mudou a
sua vida imediatamente pelas palavras de vida eterna que ele anunciou – lhe. Ali naquela festa
religiosa era costume naquele último dia as pessoas seguirem em procissão a buscar água numa
fonte para lavarem o altar, mas Jesus se levanta e anuncia que um novo tempo estava inaugurado
em que ele era a fonte à qual o homem podia recorrer, que estava perto, acessível a todos não mais
ocasionalmente, mas contínua e eternamente, porque essas águas haveriam de jorrar de seus
próprios interiores, água da vida – vida eterna porque só ele, e nenhum outro profeta, concede o seu
Espírito Santo, o Espírito de Deus que está sempre presente em nossos corações, porque só ele deu a
sua vida (eterna) para nossa salvação, para que tivéssemos vida.
CONCLUSÃO
A mulher samaritana provou dessa água e esse rio jorrou do seu interior porque ela deu
ouvidos, creu nas suas palavras.
Os homens presentes àquela festa que lhe deram ouvidos também provaram dessa água e
descobriram a grande profecia de Deus Jesus a salvação dos homens.
APELO
Jesus_ “O Profeta” tem uma palavra também para o seu coração que pode mudar sua vida e
dessedentar sua sede. Hoje, dê ouvido a ele, creia e tenha vida eterna.
PROFETA
João 4:19
91
“Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta.”
INTRODUÇÃO
Jesus cansado, chega ao poço de Jacó onde sabia que encontraria alguém muito
necessitado. Naquela época havia uma separação entre os judeus e samaritanos, de tal maneira
que seque se comunicavam. Uma mulher samaritana, chega para tirar água e o senhor Jesus lhe
dirige a palavra e pede água, surpresa a mulher lhe pergunta porque ele lhe dirige a palavra, sendo
ele judeu e ela samaritana.
DESENVOLVIMENTO
Ao senhor conhecendo o segredo do coração daquela mulher, quis revelar-se a ela, pois
desde a eternidade já tinha um propósito de restaurar a comunhão dos homens com o Pai.
Ate hoje o senhor Jesus se apresenta a qualquer homem sem preconceito algum, fala com o
necessitado, com o homem sedento de ouvir uma palavra sábia. Jesus pediu água testando aquela
senhora, e lhe ofereceu água viva, beber a água é uma vida espiritual plena que equivale a estar
junto a Jesus que é a fonte da água da vida, a samaritana desejou beber desta água pois o Senhor
lhe transmitiu segurança, ao pedir-lhe que chamasse seu marido e ela lhe respondeu sinceramente
“não tenho marido” (ou seja, não tenho ajudador, amparador, salvador) tenho sede.
Disse Jesus: “disseste bem não tenho marido pois até o que tens não é teu”. A senhora
admirada percebeu que um profeta lhe dirigia a palavra.
CONCLUSÃO
Todos que se aproximam do senhor recebem uma benção de transformação de vida, pois o
propósito de Deus é apresentar ao homem o caminho para a eternidade. Jesus como este único e
vivo caminho antecipou ao pedido daquela necessitada. É assim que o senhor cuida do homem
para fazê-lo voltar para o verdadeiro sentido da vida que é viver a eternidade, ele conhece os
segredos do nosso coração e quer ser para aqueles que estão desamparados, o verdadeiro esposo.
PROFETA
João 6:14
92
“Vendo, pois aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito dizia: este é verdadeiramente, o profeta
que devia vir ao mundo”.
INTRODUÇÃO
O profeta foi reconhecido por um grande milagre que operou e trouxe para o povo algo
maravilhoso. Era também o cumprimento de uma profecia que haveria de ser levantado entre o
povo, o profeta, o Senhor Jesus que está operando em nosso meio milagres através do seu ministério
profético.
DESENVOLVIMENTO
Há pessoas que não crêem que Deus fala, no passado ele falou através dos profetas, e hoje
ele nos fala pelo seu filho. O profeta é aquele que traz uma mensagem, que não fala dele mesmo,
mas de Deus (“...eu não vim de mim mesmo...”), à profecia traz a luz fatos que estão ocultos, traz uma
mensagem, uma orientação da parte de Deus para o momento presente apontando o momento
futuro. O profeta era honrado, ou seja, o seu ministério era reconhecido quando a profecia que o
mesmo trazia se cumpria (“...tudo quanto diz, sucede infalivelmente...”), o profeta é aquele que
aponta o caminho de Deus para a salvação dos homens. Onde não há liberdade para que Deus
revele seus mistérios, o povo se corrompe (é a situação do mundo e das religiões sem a profecia).
Sem a profecia do profeta que é o Senhor Jesus, o homem entra por outros caminhos, segue por
desvios que resultam em morte.
CONCLUSÃO
Hoje o profeta que é Jesus está presente na vida da igreja, direcionando todas as coisas
revelando a vontade de Deus para o bem de nossas vidas trazendo uma palavra profética que
alimenta a nossa alma e nos traz uma grande esperança de uma vida melhor que é a vida eterna.
93
REDENTOR
Jó 19:25
“Pois sei que o meu redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra”
Jó servia a Deus, era homem reto e íntegro, temente a Deus e desviava-se do mal, (Jó 01:01),
tinha posses, filhos e filhas. Mas aprouve a Deus permitir que ele fosse provado, pois sabia que ele não
desviaria de Sua presença. Jó perdeu todos os seus bens, família, saúde, amigos, mas restaram-lhe a
fé e paciência no Senhor, pois sabia que o Deus a quem ele servia olhava por ele e no momento
certo mostraria o seu poder.
Todos nós passamos por provas, conforme podemos suportar, no entanto a nossa força está
em sermos servos de Deus. O mundo busca recursos, deposita suas esperanças e confiança em bens,
pessoas e deuses em vida, que não lhe trazem soluções, mas quando reconhecemos na pessoa de
Jesus, o Redentor, saímos do julgo do pecado para sermos servos do Deus que nos criou e que
mesmo tendo sido rejeitado pelo homem, não hesitou em construir um novo projeto que desse ao
homem condição de receber a Vida Eterna.
Deus criou o homem, colocou no Jardim do Éden, onde ele tinha todo recurso, pois tudo
estava à sua disposição, nada lhe faltava e ainda gozava da presença de Deus, mas o homem
pecou ao desobedecer ao limite que Deus lhe havia estabelecido e foi destituído da glória de deus.
Perdeu o direito de vida eterna e passou a contar seus dias para a morte.
O homem se torna então escravo do mundo, sujeito aos males que o mundo oferece. Preso
ao pecado, o homem não podia se livrar da escravidão e precisava de alguém, de um redentor que
o resgatasse.
Conforme a lei de Moisés (Lev. 25:48 e 51) um escravo só poderia ser resgatado por alguém de
sua parentela, o redentor pagaria o valor que lhe desse direito à liberdade perante o que prenda, e
ao ser resgatado o escravo assumia uma dívida com aquele que o resgatou.
Nos evangelhos vemos então o cumprimento desta profecia. Jesus veio da Eternidade, se fez
homem, tornou-se nosso parente para ser nosso redentor. O preço pago pelo nosso resgate foi o seu
sangue derramado na cruz. Hoje somos livres e podemos gozar novamente da glória de Deus. Temos
uma dívida de gratidão com o Senhor por nos Ter resgatado e devemos a Ele nosso louvor e nossa
vida.
Jesus é nosso Redentor, pois nos tirou da situação de escravos na qual estávamos no mundo
para sermos seus servos. Demonstrando assim o imensurável amor de deus por nossas vidas.
Jó confiava em seu redentor pois sabia que em qualquer situação o seu senhor estaria com
ele. Assim como Jó podemos dizer que nosso Redentor vive, pois Jesus ressuscitou, venceu a morte
para resgatar a nossa vida. Jesus está vivo e isto nos faz livres, ninguém sem vida pode remir um
escravo.
O nosso resgate só é completo quando Jesus está vivo em nós. Nosso coração deve estar
firmado neste redentor. Assim, nos momentos de provas saberemos que o Senhor não nos
abandonará e que Ele pode nos dar a vitória.
A vitória de Jó estava em contar com um redentor vivo, pois só estando vivo é que ele
poderia agir em seu favor, ajudar, fortalecê-lo nos momentos em que nele não houvesse mais forças
e enfim, recompensá-lo. Nada pôde ajudá-lo, senão o Senhor. Pois somente o seu redentor vivo
poderia ajudá-lo a vencer aquela situação.
Este é o mesmo Deus a quem nós servimos e no qual confiamos. Cremos num redentor vivo.
Enquanto o mundo se ilude crendo em deuses sem vida, confiando em bens, vivendo de aparências,
nós podemos nos alegrar por termos um Deus presente, que nos ajuda e direciona em todos os
momentos da nossa vida.
REDENTOR
Hebreus 9:12
94
“Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário,
havendo efetuado uma eterna redenção.”
OBJETIVO
Mostrar o Senhor Jesus como aquele que redime a alma do homem.
INTRODUÇÃO
A palavra remir significa libertar alguém de algum ônus, ou de algum peso, carga, algo que o
sobrecarrega. O homem quando pecou adquiriu sobre si o peso do pecado, tornando-se escravo
do pecado, cujo salário é a morte eterna. Para que ele alcançasse a liberdade foi necessário um
remidor.
DESENVOLVIMENTO
O preço do resgate da vida do homem custou o sacrifício do Senhor Jesus na Cruz do
Calvário. “Pelas suas pisaduras fomos sarados. Quando o aceitamos como o nosso redentor, ele
passa a ser o nosso salvador, e então ficamos livres do peso do pecado”.
CONCLUSÃO
Todas as vezes que vamos ao Pai, através do Senhor Jesus, Ele não vê o nosso pecado mais
sim o perdão através do Sangue do Seu Filho.
REMIDOR
95
Lucas 23:43
“Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.”
INTRODUÇÃO
O texto relata sobre os últimos momentos de Jesus na cruz, antes de sua morte. Momento em
que respondia, afirmativamente, com amor e misericórdia, ao pedido que lhe havia sido feito por um
dos malfeitores que estavam ao seu lado, de que se lembrasse dele no seu reino.
DESENVOLVIMENTO
O Senhor Jesus cumpriu todo o projeto do Pai que havia sido elaborado na eternidade para
remir a alma do homem, que por causa do pecado está sentenciada à morte eterna, ou seja, ficar
eternamente separada de Deus e sua eternidade.
O empenho do Pai em enviar seu único e perfeito filho a este mundo vil e a disposição do Filho
em realizar o projeto do Pai, demonstram o grande amor do criador pela criatura feita à sua imagem
e semelhança. O grande objetivo do projeto era resgatar a alma do homem, fazendo-o regressar ao
caminho eterno.
Durante todo o seu ministério, Jesus anunciou o reino do céu. Era este o grande tema dos seus
ensinos. Um reino eterno, o reino dos céus. Nem todos que ouviram Jesus entenderam; até mesmo
alguns discípulos tiveram dificuldades em entender que o Messias não veio restaurar o reino de Israel,
mas veio para remir o homem do pecado que o aprisiona. Muitas pessoas, ainda nos nossos dias, não
conseguem entender tal projeto de eternidade e tem Jesus somente para esta vida, como foi o caso
de um dos malfeitores crucificado ao seu lado, o qual impelia que Jesus descesse da cruz, salvando a
si mesmo e aos ladrões, pois sua mente materialista o impedia de entender que ao seu lado estava
aquele que ao invés de descer da cruz, iria subir ao Pai como o cheiro de um sacrifício perfeito; tão
perfeito que, a partir daquele instante, qualquer outro sacrifício apresentado ao Pai seria rejeitado.
Nele estava pago o preço pelo resgate da alma do homem.
Jesus, o perfeito remidor, estava na cruz contado com os malfeitores. Sobre ele estava o peso
do pecado de toda humanidade, a enfermidade da alma, as maldições e angústias do coração do
homem. Ainda assim, quando um dos malfeitores lhe pede que resgate a sua alma dizendo:
“Lembra-te de mim...”, o Senhor Jesus lhe dá garantia de REMIDOR: “Hoje estarás comigo no paraíso.”
Remir é buscar o que se perdeu, e Jesus veio buscar e salvar o que se havia perdido; veio abrir para o
homem a porta de entrada para a eternidade com Deus.
CONCLUSÃO
Hoje temos tomado conhecimento que o preço para que a grande separação existente entre
Deus e o homem pecador foi pago ali na cruz do calvário por Jesus, que assim se tornou o grande e
único remidor da nossa alma. No entanto, para que tal remissão se concretize é necessário que se
abra o coração e que dele surja o pedido: “Lembra-te de mim quando entrares no Teu reino.”
96
REMIDOR
Rute 3:9
“E perguntou ele: Quem és tu? Ao que ela respondeu: Sou Rute, tua serva; estende a tua capa sobre a
tua serva, porque tu és o remidor.”
INTRODUÇÃO
Jesus é o tema central da Bíblia pois o objetivo da Palavra de Deus é revelar ao homem, o
projeto de salvação. No Velho Testamento o Senhor Jesus é mencionado de várias formas: cordeiro
pascal no Êxodo: príncipe da paz em Isaías.
No livro de Rute o Senhor Jesus é o remidor.
A palavra remidor significa: remir + dor.
Remir – salvar, resgatar, pagar, libertar, livrar-se do cativeiro.
Portanto, remidor é aquele que redime.
DESENVOLVIMENTO
Apenas para conhecimento do pregador
Rute era nora de Noemi. Esta era viúva de Elimeleque, homem da tribo de Judá, morava em
Belém. Noemi tinha dois filhos: Malom e Quiliom; ambos casaram-se com Rute e Órfã. Rute era
moabita (gentia).
Com a morte dos filhos, Noemi ficou com as duas noras viúvas. Órfã decidiu ficar em Moabe
enquanto Rute decidiu retornar com Noemi para Belém, a fim de adorar ao Senhor na terra de
Elimeleque, pois “ouviu que o Senhor se lembrara do seu povo dando-lhe pão” (Rt 1:6).
Noemi tinha um parente de seu marido, senhor de muitos bens, da família de Elimeleque “o
qual se chamava Boaz”. Como se encontravam em estado de pobreza. Rute foi apanhar espigas na
propriedade de Boaz: “atrás daquele que me favorecer” (Rute 2:1).
Noemi fala com Rute que Boaz “é parente chegado e um dentre nossos remidores” (Rt 2:20).
Noemi orienta Rute a trabalhar para Boaz. O objetivo de Noemi era que Rute tivesse um lar (repouso)
para que fosse feliz. Então Boaz vendo que Rute era mulher virtuosa, promete casar-se com ela. Rute
identifica Boaz como seu remidor.
Pela lei o remidor era o parente mais próximo (Lv 25). Aquele que iria suscitar o nome do morto
sobre sua herança para que este nome não fosse exterminado dentre seus irmãos = perpétuo a vida.
Rute por ser uma viúva pobre, na condição de escrava, solitária, uma peregrina em terra estranha,
necessitava do remidor. O parente mais próximo, segundo a lei, não a pode remir. Então disse a Boaz:
Compre-a tu.
CONCLUSÃO
Rute – igreja fiel (gentios)
Boaz – remidor (Jesus)
A vida é o bem mais discutido da criação; não é a criação o bem mais discutido. A situação
do homem se o Remidor é a mesma situação que Rute se encontrava antes de conhecer Boaz:
peregrino em terra estranha, pobre, escravo, faminto, sedento, sem esperança da eternidade (do lar
feliz).
A lei não pode remir Rute, assim como a lei não pode resgatar o homem. Mas o Senhor Jesus –
Remidor – nasceu em Belém, como filho de Deus revelou o seu projeto, morreu na cruz e derramou
seu precioso sangue para com sua graça remir o homem.
O homem sofre porque não sabe quanto vale a sua vida, a vida dos seus filhos e quanto vale
uma alma perdida.
97
O Senhor Jesus sabe quanto vale a vida do homem, porque ele quer ser seu, ele é o remidor,
quer dar ao homem paz, segurança, felicidade, dons espirituais, batismo com o Espírito Santo,
transformação de vida, o perdão dos pecados, certeza de salvação, uma nova razão de viver e um
lar eterno: a vida eterna.
JESUS O NOSSO REMIDOR
A palavra de Deus nos certifica que Jesus é remidor.
“Porque fostes comprados por bom preço: glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito,
os quais pertencem a Deus.” I Co. 6:20.
“Fostes comprador por bom preço: não façais servos dos homens” I Co 7:23.
“o qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu
tempo.” I Tm 2:6.
“E cantavam um cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste
morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação.”
Ap. 5:9.
JESUS O NOSSO REMIDOR.
98
REMIDOR
Levíticos 25:25 – “Quando o teu irmão empobrecer e vender alguma porção da sua possessão, então
virá o seu resgatador, seu parente, e resgatará o que vendeu seu irmão.”
As possessões em Israel
As possessões da terra de Israel foram distribuídas por Moisés, por mandado do Senhor, constituindo a
herança das tribos e das famílias.
Sabendo disso, que a porção da terra pertencente a cada família era uma herança do Senhor, o
cabeça da casa, quando empobrecia, ia vendendo tudo que possuía, preservando a terra.
Mas muitos chegavam ao limite de ter que comprometer a terra por extrema pobreza. Quando isso
ocorria, a compra e a venda eram regidas pela Lei de Moisés, dada por Deus.
O ano do Jubileu
As terras em Israel, de acordo com a Lei, não se vendiam perpetuamente, mas de acordo com o Ano
do Jubileu, que ocorria a cada 50 anos.
Nesse ano, todos que haviam vendido suas propriedades, voltavam a elas gratuitamente. Dessa
forma, o preço de venda das terras variava conforme o número de anos que faltavam para o ano do
Jubileu.
Evidentemente que estando o vendedor de certa idade, e faltando muitos anos para o Jubileu,
estava ele sem a sua herança, e empobrecido não tinha como resgata-la.
O Remidor
Quando tal fato ocorria – o homem estava sem condições de remir a terra, o Remidor – que era seu
parente mais próximo, tinha o direito de faze-lo, e acontecia assim:




O homem ficava sem a herança e sem condições de resgata-la por extrema pobreza;
Vinha o Remidor e pagava por ele, aquilo que ele não tinha condições de pagar;
E ele entrava de graça novamente à sua herança;
Evidentemente que o Remidor tinha que despender valores altos para o pagamento do
resgate da terra, por isso era um ato de amor, movido pelo Espírito de Deus.
O Senhor Jesus é o nosso REMIDOR, porque estando nós desprovidos da herança eterna, a nossa
morada celestial, sem condições de resgata-la, ele pagou o único preço aceitável por Deus a nosso
favor, que foi o resgaste de vida por vida – morrendo por nós.
Resgatados por Ele, alcançamos a condição de entrar de graça na eternidade, nossa herança
perdida.
Foi um grande ato de amor, movido pelo Espírito Santo de Deus:
“Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele
crê, não pereça, mas tenha vida eterna.”
99
Ele nos amou de tal maneira, que se fez o nosso remidor – o parente mais próximo.
RESSURREIÇÃO
João 20:11-17
“Maria, porém, estava em pé, diante do sepulcro, a chorar. Enquanto chorava, abaixou-se a olhar
dentro do sepulcro. E viu dois anjos vestidos de branco sentados onde jazera o corpo de Jesus, um à
cabeceira e outro aos pés. E perguntaram-lhe eles: Mulher, porque choras? Respondeu-lhes: Porque
tiraram o meu Senhor, e não sei onde o puseram. Ao dizer isso, voltou-se para trás, e viu a Jesus ali em
pé, mas não sabia que era Jesus. Perguntou-lhe Jesus: Mulher, por que choras? A quem procuras?
Ela, julgando que fosse o jardineiro, respondeu-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e
eu o levarei. Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, virando-se, disse-lhe em hebraico: Raboni! -que quer dizer,
Mestre. Disse-lhe Jesus: Deixa de me tocar, porque ainda não subi ao Pai; mas vai a meus irmãos e
dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.”
Sepulcro - Lugar de mortos
Jesus - Ressurreição
vs 11
Maria chorando junto ao sepulcro - hoje o homem chora pois vê no sepulcro (morte) o fim de
todas as coisas; não tem esperança de eternidade.
vs 12 Viu dois anjos assentados - Deus tem enviado seus servos para testemunharem de um Jesus
ressuscitado.
vs 13
Por que choras? Não sei onde puseram. – Há um grande lamento na vida de muitos, não
sabem onde está Jesus. E ainda esperava encontrar um Jesus morto. O homem por
desconhecer o projeto de Deus não saber onde puseram Jesus, pois não tem achado no seu
lar alegria, não achado paz na sua vida, não conhece Jesus eterno. Pergunta porque quer
atender.
vs 15
Por que choras, a quem buscas? O Senhor vê a nossa
dor e se compadece de nós, e Ele
quer ver a sinceridade do nosso coração (a quem buscas). A que Jesus está buscando?
Cuidando que era o hortelão. - Muitas vezes tornamos comum a manifestação do Senhor em
nossa vida, Jesus tem se revelado de tantas maneiras: na palavra, nos louvores, no culto e
tratamos isso como: mais um livro, mais uma música e mais uma igreja.
Eu o levarei - Pensamos que nós vamos fazer alguma coisa pra Jesus (eu vou lá pois precisam
de mim na igreja, no grupo, etc)
vs 16
Jesus nos chama pelo nome mostrando que Ele não é algo comum, mais aquele que
conhece a nossa vida que cuidou de nós em muitos momentos. Não é um corpo morto que
precisa ser levado, mas Ele é a ressurreição e nos leva para vida eterna.
vs 17
Não me detenhas - Nada pode impedir o plano redentor de Jesus, e esta benção Ele
transmite a nós. Eu subo para meu pai e vosso pai. Assim como Jesus subiu ao céu, nós
também subiremos se cremos nele, nada poderá nos deter, nem mesmo a morte pois Ele é a
ressurreição.
100
REVELAÇÃO
Gálatas 1:15-16
“Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela
sua graça, revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios, não consultei carne e
sangue.”
INTRODUÇÃO
Deus sempre quis se revelar ao homem, dar - se a conhecer através do seu projeto para salvar o
próprio homem.
DESENVOLVIMENTO
Há um momento próprio na vida do homem que Deus quer se revelar a ele.
A revelação é uma operação do Pai através do Espírito Santo mostrando ao homem Jesus - o Pai
quer revelar seu filho a nós para que assim conheçamos seu grande projeto.
O homem não vai conhecer Jesus através de ensinos humanos, tradição ou familiar (“não consultei a
carne nem o sangue”.)
Jesus sempre se revelou aos discípulos, num milagre, numa multiplicação de pães, mas eles viram sua
glória no monte quando ele se transfigurou, revelando-lhes parte de sua glória.
CONCLUSÃO
Hoje é o mesmo projeto, pois através da revelação, o pai nos revela Jesus, pelo qual alcançamos a
vida eterna.
101
A REVELAÇÃO
Mateus 16:17 “Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue
que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus”.
INTRODUÇÃO:
Jesus havia operado vários sinais e o povo estava maravilhado; falavam sobre ele acerca de vários
aspectos. Jesus interrogou os seus discípulos sobre quem os homens achavam que ele era, surgiram
muitas respostas :Elias, Jeremias, João Batista, um dos profetas. Aqueles que responderam desta
forma, na verdade não o conheciam com profundidade, pois eles não tinham revelação. A resposta
não foi considerada e Jesus redireciona a pergunta para seus discípulos: E vós?
DESENVOLVIMENTO:
Pedro responde: “Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo”.
“não te revelou a carne nem o sangue...”
Pedro descobre o segredo acerca de Jesus, ou seja, ele recebe a revelação do Pai e Jesus lhes
disse: Pedro tu és feliz. A felicidade é o conhecimento do Senhor Jesus e este conhecimento não vem
nem pela carne nem pelo sangue; não se conhece Jesus pela vontade do homem, não vem dos pais
nem das boas obras, nem da religião, nem da razão, nem da filosofia e nem da letra, mas por
revelação. A descoberta desse segredo faz com que o homem seja feliz. A felicidade só existe
quando se alcança a revelação. O desejo do Senhor Jesus é que o homem o conheça assim: sem
interferência da carne e do sangue que não herdarão o reino.
E Jesus confirma esta benção na vida da sua igreja, quando diz que “as portas do inferno não
prevalecerão contra ela”.
CONCLUSÃO:
A obra hoje é edificada na revelação (conhecimento pleno de Jesus). Todas as coisas na vida dos
seus servos estão firmadas na revelação deste projeto, que era oculto aos olhos dos homens no
passado, mas a partir do conhecimento da revelação que traz a luz, esclarece ao homem os
segredos, os mistérios, e o homem conhece a glória de Deus que é a vida eterna.
102
ROCHA FERIDA
Números 20:8
“Toma a vara, e ajunta a congregação, tu e Arão, teu irmão e falai à rocha, perante os seus olhos e
dará a sua água; assim lhes tirarás água da rocha e dará a beber à congregação e aos seus
animais”.
INTRODUÇÃO
Quando o povo de Israel saiu do Egito, atravessando o deserto, teve sede e não havia água,
elemento vital para sobrevivência.
Era uma massa de povo muito grande e certamente teriam que encontrar água com
abundância, o que simplesmente não havia. Assim o povo estava destinado a morrer.
O Senhor orientou a Moisés que tomasse o seu cajado e ferisse a rocha e disse: Eu estarei sobre
a rocha e ela dará água. Assim foi feito e a rocha deu água, abundante água.
A ROCHA FERIDA
Evidentemente que uma vara não tem como ferir uma rocha, ela se despedaçaria sem que a
rocha sofresse um arranhão. Foi feito um milagre da parte de Deus.
A rocha fala da pessoa do Filho de Deus, o Senhor Jesus, que é inatingível por qualquer ação
humana, uma vez que por suas mãos tudo foi criado e ele tem poder sobre a criação.
No entanto, por motivo inerente à própria pessoa de Deus, era necessário que Jesus se fizesse
homem e desse a sua vida por nós, quando Deus permitiu que ele fosse ferido pelos homens: a rocha
foi ferida.
O motivo que moveu a Deus a deixar a rocha ser ferida foi que se tratava de um projeto
traçado por ele para salvação do homem e o homem não teria resgate se Deus não interviesse com
esse plano eterno. Se Deus não interviesse todos nós morreríamos sem a água da vida.
Imediatamente, após isso, o Senhor fez a aliança com o Povo de Israel (O Velho Testamento),
dando as leis e os estatutos, para que eles estivessem dentro do projeto de vida.
MOISÉS FERE A ROCHA NOVAMENTE
Passados tempos e o povo estava em sua jornada no deserto e novamente faltou água e
Deus deu a orientação à Moisés para "falar à rocha".
Moisés estava indignado com o povo que murmurava diante de todos os sinais que Deus já
havia dado e disse:
"Ouvi agora, rebeldes, porventura tiraremos água desta rocha para vós?" E feriu a rocha duas
vezes com a sua vara, e saíram muitas águas e bebeu a congregação.
103
Deus repreendeu à Moisés dizendo que ele e Arão não creram nele e por essa causa não
entrariam na terra prometida.
O Senhor queria que Moisés entendesse que a rocha só foi ferida porque ele, O Senhor,
permitiu, ele estava sobre a rocha, era ele o Autor da Obra realizada.
Moisés estava lidando com o profético.
Essa obra realizada era o projeto de Deus para a Eternidade do Homem (vida), quando ele
deu o seu Filho, imune a qualquer ação humana para ser ferido pelos homens, pagando o preço de
vida por vida.
FALAI À ROCHA
O Projeto foi realizado. A aliança foi consumada. O povo agora estava dentro do projeto de
Deus (o Senhor os acompanhava).
Esse projeto não seria JAMAIS refeito, o projeto é um só. Jesus morreu uma vez pelos nossos
pecados.
Nos nossos momentos de fraqueza, de lutas, de dificuldades, até de desacertos, não temos
que pedir um novo projeto, mas CRER que estamos dentro do projeto:
A rocha não será mais ferida; agora é só: Falar à rocha;
Creiamos que estamos dentro do projeto (o projeto é um só);
Não podemos desconsiderar o pacto e querer um novo milagre (da salvação), pois não será
aceito;
Se houver algum desacerto, acertemo-nos com o projeto; Se enfrentarmos lutas, se tivermos
deslizes, acertemo-nos dentro do projeto. Devemos honrar o pacto com o Senhor.
Dentro do projeto é só falar à rocha: só falar (pedir / orar) ao Senhor Jesus.
Por outro lado devemos diligentemente observar o nosso compromisso com o Senhor, com a
aliança que foi selada no sangue de Jesus, para que não pratiquemos algum ato que vai ferir a
rocha, pois a forma de nos relacionarmos com o Senhor está estabelecida dentro projeto de
eternidade.
104
ROSA
Cantares 2:1
“Eu sou a ROSA de Sarom.”
INTRODUÇÃO
O livro de Cantares de Salomão esteve selado, por muito tempo, ao entendimento de seu
significado profético.
Através do livro podemos descobrir a forma como o Senhor Jesus se manifesta a sua Igreja, e
uma das figuras que Ele utiliza é a Rosa de Sarom.
A ROSA DE SAROM
O capítulo 2 de Cantares se refere a um tempo profético da vida da Igreja, quando ela havia
passado por um período de grandes perseguições, mas, como a mirra esmagada, exalava o perfume
de Cristo, no seu testemunho diante da morte nas arenas, nas fogueiras e nas cruzes, quando ela diz:
“O meu amado é para mim um ramalhete de mirra”. Cantares 1:13. Nesse período, a Igreja tem um
relacionamento profundo com o Senhor Jesus, que lhe diz: “eis que és formosa, amiga minha, eis que
és formosa: os teus olhos são como o das pombas”. Cantares 1:15. Ele vê a Igreja cheia do Espírito
Santo, com seu olhar terno, sendo massacrada como a mirra esmagada, mas o seu testemunho
chega diante do Senhor como um perfume de grande valor.
É nesse contexto que o Senhor Jesus se revela a sua amada como a Rosa de Sarom. Vejamos
algumas características da Rosa de Sarom que se assemelham profeticamente ao Senhor Jesus:

A Rosa de Sarom não era achada de qualquer maneira, em qualquer lugar. É rara – não se
encontra em outro lugar, a não ser na Planície de SAROM:
O Senhor Jesus não pode ser encontrado em qualquer lugar, mas só no meio da Igreja fiel – seu
corpo. “Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis: porque eu vivo, e vós
vivereis”. João 14:19. Só na Igreja fiel a Rosa de Sarom pode ser encontrada, porque Jesus vive
nela como o Cabeça, manifestando sua vontade, que é executada pelo Seu corpo.

Uma flor de uma beleza característica, simples, que a fazia diferente das demais, de cor
vermelha, inconfundível:
105
A beleza de Jesus está na vida eterna que ele tem e nos concede através do seu sangue. Só
quem tem o sangue de Jesus tem vida eterna. E vida eterna não se confunde com religião, que
tem aparência da rosa, até carrega o nome da rosa, de cristianismo, mas não tem vida, é artificial,
porque não tem o sangue que dá vida. O Espírito Santo é este sangue que circula no corpo de
Cristo, trazendo a vida, alimento, ao mesmo tempo em que elimina as impurezas, santificando os
membros deste corpo, preservando-o e preparando-o para o arrebatamento.

As pessoas, para alcançar a Planície de Sarom, tinham que transpor barreiras naturais e
humanas, porque ela se localiza entre o Mediterrâneo e uma cadeia de montanhas ao leste, e
entre o monte Carmelo e a região que era dominada pelos filisteus ao sul:
O homem, para alcançar Jesus, também precisa vencer barreiras na sua vida. É preciso vencer o
mundo (mar), a incredulidade, os conceitos filosóficos, as lutas e o cansaço do dia-a-dia, os
inimigos que lutam contra a Obra na nossa vida, no lar, no local de trabalho, nas escolas. Quando
Bartimeu clamou por Jesus, a multidão mandou que ele se calasse e não importunasse o mestre,
mas ele clamou cada vez mais alto “Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim”, até que Jesus
o ouviu, foi até ele e operou um grande milagre, transformando sua vida.
CONCLUSÃO
Uma vez possuidor da ROSA DE SAROM, esta passava a ser um símbolo de uma conquista
desejável.
As pessoas reconheciam imediatamente a Rosa e o seu possuidor. Aquele que tem o Senhor
Jesus em seu coração é reconhecido por todos através do seu testemunho, seu semblante, sua
palavra equilibrada. Seu perfume traz paz ao coração, segurança e esperança do porvir.
O homem pode alcançar muitas conquistas, valores que são importantes para ele, mas a
descoberta de Jesus é a descoberta do maior dos valores, que é único e mais valioso que todos os
valores que ele possa alcançar.
A Igreja primitiva sabia que a vida que tinha alcançado em Jesus era superior à que ela
estava perdendo por causa de sua fé, por isso não recuava diante da morte. Hoje, quem tem Jesus
também sabe que os valores celestiais são superiores aos temporais, e não recuam diante dos
oferecimentos e das lutas do mundo. “...ainda que alguém desse toda a fazenda de sua casa por
este amor, certamente a desprezariam”. Cantares 8:7
106
SACERDOTE
Hebreus 9: 11-14
"Mas vindo Cristo, o sumo sacerdote ... "
INTRODUÇÃO
Deus separou a tribo de Levi para oficiar em todos os serviços sagrados, mas a família de Arão
foi separada para entrar no santuário e interceder pelo povo, ou seja, como sacerdote. Assim eles
eram o elo entre o povo e Deus. O povo estava do lado de fora do tabernáculo e Arão no lugar
santo, oferecendo o sacrifício, o sangue que havia sido derramado em lugar do ofertante, do povo,
como nação.
Jesus Cristo é o nosso sumo sacerdote, que se apresentou num santuário, não aqui na terra,
desta geração, mas no céu, o verdadeiro santuário que foi mostrado a Moisés.
DESENVOLVIMENTO
O desejo de Deus sempre foi que o homem estivesse próximo, em comunhão; mas pelo
pecado, o homem morreu espiritualmente, perdendo a comunhão com o Pai. Mas Deus amou o
homem e deu a ele a oportunidade de salvação.
Tanto o cordeiro, o sangue derramado, eram figuras, que na verdade apontava para Jesus, o
nosso sumo sacerdote, que pelo seu sangue, ofereceu a si mesmo a Deus, para purificar as nossas
consciências das obras mortas para servirmos ao Deus vivo.
CONCLUSÃO
Temos, portanto, um sumo sacerdote que está vivo, intercede por nós e tem nos aproximado
do Deus vivo, por isso tenhamos ousadia e firmeza para estarmos na presença de Deus. Retenhamos
firmes a confissão da nossa esperança, porque temos um sacerdote, Jesus Cristo, que é fiel e que nos
levará a presença do Pai, para ali vivermos eternamente.
107
SACERDOTE
Salmos 110:4
“Jurou o Senhor, e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de
Melquisedeque.”
INTRODUÇÃO
O salmista Davi profetiza a respeito do Messias, o Senhor Jesus, como Sacerdote. A função do
sacerdote era de ministrar diante de Deus, em favor do povo, para que o Senhor aceitasse os
holocaustos e ofertas, para que Deus purificasse e perdoasse o povo.
Era um homem escolhido por Deus.
DESENVOLVIMENTO
“... O Sacerdote Eterno ...” – O sacerdócio do Senhor Jesus é uma ordem desde a eternidade, porque
Ele seria o centro do projeto de Deus para religar o homem a Deus.
Ele ministraria diante de Deus em nosso favor, advogando nossa causa, intercedendo por nós,
para que o Pai nos aceitasse.
Ele estava qualificado para ministrar diante do Pai, porque Ele bem conhecia o Pai e se fez
homem conhecendo toda a nossa realidade.
“... ordem de Melquisedeque...” – Homem sem princípio nem fim de dias. Homem de paz, fazendo
justiça, sendo sacerdote, assemelhando-se ao Senhor Jesus. Não segundo a ordem de Arão
(sacerdócio segundo a linhagem humana) determinado por Deus. Jesus veio como sacerdote,
segundo a ordem de Melquisedeque.
CONCLUSÃO
Deus estabelece um sacerdote perfeito – O Senhor Jesus – para que Ele pudesse ministrar de
forma perfeita, um sacrifício perfeito diante do Pai. Assim o homem seria aceito e justificado diante
de Deus.
108
SACERDOTE
Gênesis 14:18
“E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho: e era este sacerdote do Deus
Altíssimo”.
O sacerdote no Velho Testamento está ligado ao Senhor Jesus. A função do sacerdote era
interceder a Deus pelo povo, oferecendo a Deus dons e sacrifícios pelos pecados do povo.
Na palavra temos o sacerdote Melquisedeque uma pré-figura do sacerdote perfeito, o Senhor
Jesus. Ele era rei de Salém (paz). Jesus nosso Sacerdote nos dá a paz verdadeira com Deus,
derrubando a barreira que havia por causa das nossas transgressões. Só Ele intercede por nós e tira
nossos pecados. A paz está selada. Melquisedeque trouxe pão e vinho que nos fala da palavra
revelada, da alegria do Espírito. Jesus como Sacerdote também ofereceu pão e vinho; seu corpo e
seu sangue.
Hoje temos esse grande benefício pois Jesus se fez nosso Sumo Sacerdote, permitindo-nos viver
no corpo, nos alimentando do pão, que é a palavra revelada, bebendo deste vinho (o sangue de
Jesus), cheios do seu Espírito Santo, da alegria da salvação.
Alegremo-nos, pois o seu Sacerdócio é eterno. Ele é fiel Sumo Sacerdote, não nos
desamparará.
109
SACERDOTE
Hebreus 7:11
“De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei),
que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de
Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?”
INTRODUÇÃO
O sacerdote da lei era tomado dentre os homens, e constituído a favor dos homens nas coisas
concernentes a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados; com condições de
compadecer-se ternamente dos ignorantes e errados. Nesse sentido ele ministrava a oferta pelos
pecados.
Ninguém pode tomar para si esta honra, senão o que é chamado por Deus para tal
ministração, devendo segundo a lei, ser da tribo de Levi e da ordem de Arão – ou da casa de Arão.
Esses sacerdotes da lei eram substituídos constantemente, impedidos de continuar pela morte.
Davi, cheio do Espírito Santo, fala no Salmo 110, do levantamento de uma nova ordem
sacerdotal, da ordem de Melquisedeque, referindo-se ao Senhor Jesus.
A NOVA ORDEM SACERDOTAL
Havendo Jesus feito a Nova Aliança, encerrou a antiga, havendo naturalmente efetuado a
reforma da primeira, com diversas mudanças, permanecendo o teor profético.
Nessa nova ordem de coisas estabelecidas, Jesus passa a ser o Sacerdote. Na verdade o
sacerdote do VT apontava para o Sacerdote Jesus.
Estando vigorando a Lei, Jesus não poderia ser sacerdote, pois o sacerdócio estava na casa
de Arão, sendo manifesto que o Filho – segundo a carne, era da casa de Judá.
Ocorre que mudando o concerto (aliança), naturalmente mudou a ordem sacerdotal, sendo
manifesto que da ordem de Melquisedeque o Senhor levantasse o Filho como Sacerdote.
MELQUISEDEQUE
Era um Rei de Jerusalém (Salém à época) e Sacerdote, ou melhor: Um Rei segundo Deus, ou
segundo a vontade de Deus.
110
Foi ele ao encontro de Abraão após a milagrosa vitória sobre reis confederados de Babilônia,
mostrando a presença divina em tão grande evento, quando Deus opera a favor de Abraão que
passou a ter posição de Rei de honra perante os moradores da terra de Canaã, pois venceu os seus
enormes inimigos, passando portanto a região a gozar de uma benção de Deus, sob um domínio do
Reino Celestial.
Era Melquisedeque um tipo do Filho de Deus: sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo
principio de dias nem fim de vida, sendo portanto um sacerdote ETERNO.
JESUS SACERDOTE
Segundo essa ordem, daqueles que não morrem e por isso permanecem sem ser substituído,
foi Jesus feito o nosso Sacerdote Eterno.
Os do passado sem juramento foram feitos sacerdotes, mas quanto ao Filho o Senhor disse:
“Jurou o Senhor e não se arrependerá: Tu és um sacerdote eterno segundo a ordem de
Melquisedeque”.
Significa que nós temos nos céus um alguém que cuida de nós, um sumo sacerdote que está
assentado a destra do trono da majestade, Ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo, o qual
o Senhor fundou e não o homem.
Porque todo o sumo sacerdote é constituído para oferecer dons e sacrifícios, pelo que era
necessário que este também tivesse alguma coisa que oferecer.
Assim, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito sacrifício,
isto é, por seu próprio sangue (não por sangue de bodes e bezerros), entrou no santuário (não no
tabernáculo desta criação), efetuando uma eterna redenção.
Jesus Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, pelo seu
sangue, purificará as nossas consciências das obras mortas, pra servirmos o Deus Vivo.
E por isso é Mediador de uma Nova Aliança, para que, intervindo para remissão dos pecados,
os chamados recebam a herança eterna.
Cheguemos pois com confiança ao trono da graça para que possamos alcançar misericórdia
e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.
111
SACERDOTE
Levíticos 8:12
“Depois derramou do azeite da unção sobre a cabeça de Arão, e ungiu-o, para santificá-lo.”
INTRODUÇÃO
Desde que o homem pecou, sempre houve um plano da parte de Deus para que a sua
criatura pudesse ter novamente comunhão com o seu criador, e para estabelecer esta comunhão é
necessária à presença de um mediador, onde Deus no V.T escolhe o sacerdote que era sombra do
mediador perfeito que é Jesus o Sumo Sacerdote.
A ESCOLHA
Deus escolheu o irmão mais velho de Moisés, Arão, não foi, portanto, escolhido pela vontade
de Moisés ou do povo, mas de Deus, assim como Deus escolheu o seu filho para exercer o
Sacerdócio Eterno. Arão era o tipo do Senhor Jesus.
O PREPARO
Deveria ter sobre si o azeite da santa unção, que era usado para santificação antes de
exercer o serviço. Assim o Senhor Jesus ao iniciar o seu ministério aos trinta anos (só poderia assumir o
sacerdócio depois do 30 anos de idade) recebeu o Espírito Santo que como forma corpórea de
pomba desceu sobre ele ao ser batizado no rio Jordão.
O SERVIÇO
Uma vez por ano o sumo sacerdote entrava nos santos dos santos para oferecer o
sacrifício , ou seja, Jesus morre uma vez para abrir o novo e vivo caminho para que o pecador tenha
condição de se aproximar de Deus, de ter novamente a comunhão estabelecida.
112
O sumo Sacerdote era aquele responsável pelo culto de Israel. Não havia culto, não
havia perdão sem o Sumo Sacerdote. Da mesma forma não há culto para nos sem a presença do
Senhor Jesus.
CONCLUSÃO
Hoje nós temos o privilégio de vivermos no tempo da graça, através de um sacerdócio
perfeito, basta o homem vir até o Senhor Jesus e encontrar esta reconciliação com Deus.
Só através do Senhor Jesus, o sacerdote perfeito, o homem consegue alcançar comunhão
com Deus.
SACERDOTE
Salmos 110:4
“Jurou o Senhor,
Melquisedeque.”
e
não se arrependerá:
Tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de
INTRODUÇÃO
No velho testamento Jesus presente em toda palavra de uma forma oculta, mas sua ação era
presente em todos os atos de Deus. Neste salmo vemos a presença de Jesus na forma de Sacerdote
Eterno.
DESENVOLVIMENTO
“Jurou o Senhor” A profecia, ela rompe os séculos, a palavra de Deus não cai por terra, Deus
revela para Davi o seu projeto de Salvação.
“Não se arrependerá” Porque Jesus seria o culto completo ao Senhor. Ele seria a vítima – o
cordeiro eterno. O sacerdote – mediador entre Deus e o homem, “Ele está à destra do Pai
intercedendo por nós”. Sacerdote eterno – os sacerdotes do velho testamento passaram, mas através
de Jesus estaria assegurado ao homem um elo eterno entre Deus e o homem. Através deste
sacerdócio, teríamos acesso direto ao Pai.
“Ordem de Melquisedeque” Rei de justiça – só há justiça quando a verdade está presente:
Jesus é a verdade. Melquisedeque – Foi rei, sacerdote. Jesus nosso Rei de Justiça reinaremos com ele
na Jerusalém eternal, sacerdócio eterno.
113
SACERDOTE
Salmos 110:4
“Jurou o Senhor, e não se arrependerá: Tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de
Melquisedeque.”
Exercia a função de intermediador entre o povo e Deus, ele oferecia o sacrifício pelos
pecados do povo, e apresentava todo o povo diante de Deus pedindo perdão, reconciliação para
com Deus, através do Sangue do Cordeiro (animal), que levava em suas mãos perante o santíssimo.
Na pessoa e função de sacerdote estava, o elo de comunhão entre Deus e o homem, o
homem obtinha o perdão quando existia o Sacerdote para interceder por ele diante de Deus.
Sacerdote eterno, não haverá outro Sacerdote entre o homem e Deus a não ser o Senhor
Jesus, nos atos sacerdotais entrava o clamor do povo pelo perdão dos seus pecados, o louvor, a
glorificação a Deus, todos as etapas e atos que exercia o Sacerdote estava o culto, que se ....a Deus,
conforme a revelação que o Senhor havia dado porque tudo aquilo era profético apontava para o
Senhor Jesus, hoje nós sabemos, daí a importância em fazer, realizar, cumprir tudo do jeito que o
Senhor determinou.
Toda função e trabalho que o Sacerdote cumpria, o Senhor Jesus o fez, quando se deu como
sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, na cruz do calvário, derramando todo seu amor pelo
homem, perdoando os nossos pecados Jesus substitui o holocausto, os atos, o Sacerdote e se fez ......
pelos nossos pecados. Sacerdote eterno segundo a ordem de Melquisedeque.
114
SANTO DE ISRAEL
Isaías 41:14
“Não temas, ó bichinho de Jacó, nem vós, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o Senhor, e o
teu redentor é o Santo de Israel.”
INTRODUÇÃO
Deus se revela a Israel num momento que o povo se encontrava atribulado e em aflição.
Momento atual que vivemos de tribulação, o homem cheio de temores (insegurança no emprego,
luta no lar, a violência que o mundo vive).
NÃO TEMAS
O medo é um sentimento natural do homem quando se sente em perigo ou ameaçado, mas
só Jesus é aquele que peleja por nós, e nos dá Paz e Segurança.
BICHINHO DE JACÓ
Mostra a fragilidade do homem (bichinho – pequeno, fraco, frágil).
115
Temos que reconhecer a todo instante que esta é a nossa condição. Somos fracos e
necessitados.
POVOZINHO DE ISRAEL
Povo pequeno, sem expressão, sem forças (se o Senhor não pelejar por nós somos assim:
pequenos, fracos, presa fácil para o inimigo).
EU TE AJUDO
O homem tem buscado ajuda em muitos lugares e tem se decepcionado, mas aquele que
busca ajuda em Jesus tem encontrado o socorro (Meu socorro vem do Senhor...).
DIZ O SENHOR
O Senhor tem falado com o seu povo através dos Dons do Espírito Santo. (O meu amado fala
e me diz...).
O TEU REDENTOR
O homem tem que ver Jesus como o seu REDENTOR, aquele que pagou um alto preço pela
sua vida, nos redimiu das garras do pecado.
JESUS É O SANTO DE ISRAEL
Pois é o único capaz de santificar o homem preparando-o para a eternidade.
O NOSSO REDENTOR É JESUS, O SANTO DE ISRAEL.
SANTO (SEPARADO)
Só alcançamos santidade através do Sangue de Jesus, que nos separa do pecado, da carne,
deste mundo mal.
DE ISRAEL
Só temos direito de fazer parte deste povo escolhido por Deus se nascermos de novo em Cristo
Jesus.
SENHOR DOS SENHORES
Isaias 32:1-2
“Eis aí está que reinará um Rei com justiça e dominarão os príncipes segundo o juízo. E será aquele
varão como um esconderijo contra o vento , e um refúgio contra a tempestade, e como ribeiro de
águas em lugares secos,e como a sombra duma grande rocha em terra sedenta...”.
OBJETIVO
Mostrar ao homem Jesus como sendo Senhor dos Senhores.
INTRODUÇÃO
A Palavra nesse texto nos leva a meditar a respeito do Senhor em alguns aspectos que nem sempre
observamos.
116
É bem verdade que conhecemos a Jesus como o homem de Nazaré, como o Filho de Deus, como
nosso Salvador. Mas no texto que lemos, Isaías apresenta Jesus nos seguintes aspectos:
DESENVOLVIMENTO
“Um rei que reinará com justiça...” Quando Isaias, que viveu muitos anos antes de Jesus
afirmou isso, é porque ele tinha já a revelação de que os reinos neste mundo reinariam com injustiça,
como vemos hoje. A todo instante estamos ouvindo reclamações quanto às injustiças no nosso meio.
É a prova de que Isaias falava pelo Espírito, ou seja, profetizava que só o Senhor Jesus reinará com
justiça e ainda afirmou que esse reino estará acima de todos os reinos, pois nenhum será igual ao
reino do Senhor. Ele é um rei que reinará com justiça.
Um varão como um esconderijo contra o vento
Esse vento é o vento destruidor. É o vento que sopra com força que abala tudo, que destrói o
homem, destrói até uma cidade. É o adversário com sua fúria. É a falsa doutrina, é a filosofia ou
ideologia que contradiz a palavra de Deus. Qual é o homem que consegue ficar de pé diante da
fúria desse vento? Só o que confia no Senhor, o que se esconde n’Ele permanecerá de pé, pois só Ele
é um esconderijo contra o vento.
Um refúgio contra a tempestade
Tempestade é a força estranha que vem para derrubar o homem, a provação, a dificuldade,
o problema que surge cada dia em casa, no trabalho, na escola. É a luta financeira, a luta contra a
carne, contra o pecado, luta espiritual. Só sobrevive aquele que se refugia no Senhor Jesus. Só Ele é
um refúgio contra a tempestade.
Ribeiros de água em lugares secos
Quem caminha em um deserto sabe o quanto faz falta um ribeiro de água para matar a
sede. O mundo é um lugar seco, é um deserto. Não tem água para oferecer, a não ser essa que
tomamos e logo estamos novamente com sede. Mas quando se trata da sede espiritual, só quem
pode saciar é Jesus porque Ele é a fonte da água eterna. O homem vive aflito, angustiado, ansioso,
preocupado, insatisfeito. Isso é porque ele tem sede de Deus. Em outro texto da palavra Jesus disse à
multidão: “Quem tem sede, vem a mim e beba”. A mulher Samaritana teve uma grande experiência
com Jesus, encontrando-se com /ele no poço de Jacó. Só consegue matar a sede espiritual, quem
busca a Jesus, pois ele é quem satisfaz todo o nosso anseio. Ele é como ribeiros de águas em lugares
secos.
Sombra Duma grande rocha em terra sedenta
Não existe nada melhor para um homem que está cansado de uma longa caminhada em
terra sedenta do que uma sombra para um descanso. O salmista Davi deixou muito claro quanto à
salvação do cansaço: “Aquele que habita no esconderijo do altíssimo à sombra do Onipotente
descansará” (Salmo 91:1). O homem que está cansado da caminhada nas estradas desta vida
precisa de descansar em Jesus, que é como a sombra duma grande rocha em terra sedenta.
CONCLUSÃO



Não há razão para o homem viver triste, angustiado, inseguro, sedento. É só conhecer a Jesus
um pouco mais. Ele não é somente um homem na cruz, é mais do que isso.
Quem estiver se sentindo injustiçado pelas leis humanas, busque ao Senhor porque Ele é o Rei
que reina com justiça.
Quem estiver confuso, indeciso diante das falsas doutrinas, das filosofias, ideologias que
contradizem a palavra é só refugiar-se no Senhor, que Ele é o refúgio contra a tempestade.
117


Quem estiver enfrentando problemas de todas as espécies, provações, dificuldades em
qualquer setor da vida é só refugiar-se no Senhor que Ele é o refúgio contra a tempestade.
Aquele que estiver angustiado, ansioso, com sede de Deus, é só buscar ao Senhor porque Ele
é como ribeiro de águas em lugares secos.
SOL DA JUSTIÇA
Salmos 72:17
“O seu nome permanecerá eternamente; o seu nome se irá propagando de pais a filhos, enquanto o
sol durar; os homens serão abençoados nele: todas as nações lhe chamarão bem-aventurados.”
118
INTRODUÇÃO
Salomão introduz ao povo a descrição de um rei ideal, apresenta um conceito de justiça e
julgamento, um rei perfeito, e que esta realidade, não seria ele próprio, nem Davi e, tão pouco seus
herdeiros. Só Jesus Cristo, o verdadeiro rei de Israel poderia cumprir todas estas características.
DESENVOLVIMENTO
... O seu nome permanecerá eternamente...
O reino vindouro de Cristo será tudo aquilo que de melhor se possa descrever, e ainda muito
mais além da capacidade das palavras humanas, daquilo que nossa mente humana possa captar,
os reis passaram, deixaram suas marcas como reis, mas Jesus permaneceria no trono soberanamente,
a luz que jamais se apagaria.
...seu nome se iria propagando de pais a filhos...
Cada vez mais crescente as benções do Senhor, mais uma vez confirmando a luz que
irradiaria as nações, bendita a nação cujo Deus é o Senhor, porque serão notórios os seus feitos em
nosso meio.
...enquanto o sol durar...
O brilho intenso sobre os homens, o seu clarão (a pureza da igreja) o seu brilho (a glória futura
dos santos).
Até quando estaremos sendo beneficiados pelo esplendor deste sol? Há uma ressalva,
enquanto o sol durar, haverá um momento em que o sol não dará mais a sua luz, Jesus às portas para
buscarem os seus escolhidos.
...os homens serão abençoados...
Quem estiver sobre o brilho deste sol, será abençoado, prosperará.
...todas as nações lhe chamarão bem aventurados...
O reconhecimento de que, para os que servem ao Senhor não tem faltado à paz a alegria,
uma direção segura.
CONCLUSÃO
Jesus é o caminho de luz que nos conduzirá a eternidade do pai, e a grande preocupação
do salmista estava em mostrar esta maravilhoso luz, não encontraríamos em homem algum, mas em
um único rei, o rei eterno, no qual o seu brilho não cessaria jamais.
119
SOL DA JUSTIÇA
Malaquias 4:2
“Mas para Vós que temeis o meu Nome nascerá o Sol da Justiça, trazendo Salvação nas suas Asas
;Saíres e saltareis como bezerros soltos da estrebaria”
INTRODUÇÃO
O Profeta Malaquias, que profetizou no período que antecede o período dito Santo “Graça a
estranhável misericórdia de nosso Deus pelo qual nos visitará o Sol nascente das alturas”. Lucas 1:78
Quando Zacarias quebra o seu silencio, quebrou também o silencio bíblico de 400 anos sem
profecia, foi como terminada uma longa noite.
Vemos que a profecia especifica de Malaquias – “Sol de Justiça” começa a clarear como o
raiar de um novo dia.
120
O Envagelho de João começa dizendo: ”A verdadeira luz, que vinha ao Mundo, ilumina todo
Homem” João 1:9
Mateus cita a profecia de Isaias: “O povo que jazia em trevas viu uma grande luz, e aos que
viviam na região da sombra da morte resplandece a luz”
E por fim Jesus disse: “Eu sou a luz do Mundo” João 8:12
O grande clamor do coração do homem é por justiça, por que Deus é justo e Deus
não deixaria de fazer justiça à sua criação.
João quando descrevendo a visão afirma “O seu rosto brilhava como o Sol na sua força”
Apocalipse 1:16
E Jesus disse “não temas” Apocalipse 1:17
Abaixo de Deus o Sol é o elemento principal da vida na Terra, por isso a Bíblia tipifica Jesus
como o Sol de justiça.
COMPARANDO
SOL
Luz
Cada novo dia
Terra
Sol para todos
Temporário
JESUS
Revelação
Salvação
Homem
Justiça
Eterno
SOL é para todos, ricos, Pobres, cegos, aleijados, etc.
JESUS faz justiça a todos,a Mulher, ao doente, coxo, cego, a viúva,ao rico, o pobre, aos
gentios, e aos Judeus
CONCLUSÃO
O que seria da Terra sem o Sol, O que seria de nós sem Jesus .O Sol passará mas Jesus
permanecerá para todo o sempre. “Então não haverá noite, nem precisarão eles de luz de candeia,
nem de luz do Sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos Séculos dos Séculos”
Apocalipse 22:5
SOL DA JUSTIÇA
Mateus 17:1-2
“Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão. E os conduziu em
particular a um alto monte. E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e os
seus vestidos se tornaram brancos como a luz”
INTRODUÇÃO
A salvação não é apenas aceitar o Senhor Jesus como Salvador por um momento. A salvação
é um processo dinâmico de uma caminhada e de experiências com o Senhor Jesus. Ele é o nosso sol
da justiça, porque debaixo desta luz nós andamos, e todo o pecado na vida do homem é dissipado.
DESENVOLVIMENTO
121
Seis dias depois = os dias vão se passando e o tempo, para definição do homem diante de
Deus, está se esgotando. Aponta para o tempo que o Senhor concede ao ser humano para sua
salvação. É a necessidade do homem tomar uma decisão. O momento para a definição é hoje.
Tomou Jesus consigo a Pedro, Tiago e João = A Obra do Senhor é pequena numericamente.
O Senhor Jesus sempre teve em Sua confiança um número reduzido de servos. A multidão que O
acompanhava queria apenas ver os milagres.
E os conduziu em particular = na medida da nossa definição, nos tornamos instrumento nas
mãos de Deus, permitindo-Lhe conduzir as nossas vidas por uma caminhada de íntima comunhão.
A um alto monte = representa o lugar da presença de Deus, onde o servo alcança
experiências a mais com o Senhor é no alto monte que recebemos com maior força a luz do sol. E na
comunhão com Jesus que recebemos todos os benefícios da salvação.
E transfigurou-se diante deles = É o desejo do Senhor de se revelar a todos que aceitam o Seu
chamado e vivem na Sua presença.
O seu rosto resplandeceu como o sol = é a revelação de Jesus ao coração do homem. Jesus
tem uma aparência que o homem, sem uma verdadeira experiência de salvação, não conhece. Fala
do privilégio do servo conhecer a Jesus glorificado, como Aquele que está sempre pronto a receber
o necessitado, enxugar as lágrimas, fortalecer o coração e oferecer ao fiel a eternidade.
Os seus vestidos se tornaram brancos como a luz = a nossa instrumentalidade é revestida de
santificação, o que resulta em maior intimidade com o Senhor.
CONCLUSÃO
Quando estamos longe das coisas desta vida, passamos a ser beneficiado pela justiça eterna
de Deus, que brilha como luz para um caminho de revelação.
SOL DA JUSTIÇA
Mateus 5:45
“Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.”
OBJETIVO
*Igreja – andar de dia.
*Visitante – conhecer a Jesus que pode fazer brilhar um novo dia para si.
MENSAGEM
Jesus aqui nos fala desse sol que é do Pai, que está nos céus. Deus é a luz e Jesus é luz porque
Jesus é Deus o Filho. O apóstolo João identificou – o como a luz da criação, onde podemos observar
122
que primeiro houve luz e depois foi criado o sol (no 4º dia) que foi posto no firmamento (céu) para
governo do dia, então, o sol criado é uma manifestação da luz já existente e está no céu do Pai. Este
sol é Jesus – homem, o verbo encarnado como João disse, que se materializou para cumprimento
dos propósitos de Deus, e mesmo humano, sua origem, poder, autoridade, e ministério são do céu, do
Pai, para trazer a luz eterna à revelação do Espírito Santo ao povo que andava em trevas e trazer à
luz a justiça de Deus aos homens. Assim esse sol surgiu brilhando sobre todos os homens. Em
Malaquias (cap 4: 2) está escrito para vós que temeis ao nome do Senhor, nascerá o sol da justiça
trazendo salvação debaixo das suas asas”. Então, o grande objetivo do Pai é que pela sua justiça
que esse sol faria resplandecer todos fossem salvos. Jesus mesmo afirma que não havia ninguém
bom, só o Pai que está nos céus, então todos somos, ou éramos maus, porém quando tomamos
conhecimento por Jesus e seu Espírito Santo de toda bondade do Pai para conosco em que Jesus
satisfez a justiça de Deus que determinava que a alma que pecasse essa morreria, morrendo em
lugar dos maus, levando a nossa maldade e nos concedendo a sua bondade, então tememos e
cremos e fomos salvos, mas aqueles que rejeitaram a luz e não andam de dia, quando governa o sol
mas preferem andar de noite, tropeçam nas trevas (Jo 11:10), e porque as suas obras são más, sobre
esses permanece o juízo de morte.
CONCLUSÃO
Esse sol surgiu nas nossas vidas trazendo o alvorecer de um novo dia e, justificados por Jesus
temos vida: vida eterna saímos das trevas para a luz.
APELO
Fica – nos assim um conselho de Jesus para nós que somos do dia: “Se alguém andar de dia,
não tropeça, porque vê a luz deste mundo” (Jo 11: 9). Para quem se sente sem luz, esse sol pode
trazer – lhe um novo dia, basta crer e aceitá-lo.
SOL DA JUSTIÇA
Mateus 5:44-45
“Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis
filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover
sobre justos e injustos.”
OBJETIVO
Revelar luz e justiça do Senhor para a igreja.
123
ALVO
Igreja e visitante.
REVELAÇÃO
Sol da justiça (filho de Deus)
Do sol sai a luz (Espírito Santo)
Mostrar ao visitante que devemos andar na luz como Jesus está.
INTRODUÇÃO
O sol da justiça é a revelação de Jesus ao homem.
Jesus é o sol da justiça que ilumina as nossas vidas para a eternidade.
DESENVOLVIMENTO
Quando não temos Jesus (sol), estamos em escuridão. Quando aceitamos o Senhor, abrindo o
coração, Jesus entra, nos dá a luz, passamos então a sermos filhos de Deus (Pai).
O Senhor justificou nossas vidas na sua morte de cruz. Podemos clamar pelo sangue de Jesus e
sermos justificados e purificados do nosso pecado.
CONCLUSÃO
O sol da justiça: graça (filho de Deus)
-
Do sol sai a luz (Jesus);
Luz, vida e energia estão sendo reveladas ao coração do homem, através da operação do
Espírito Santo de Deus;
Nossas vidas são justificadas para eternidade (pelo sangue de Jesus);
Luz: revela todas as coisas, os erros, o pecado, as falhas e permite ao homem ser justificado
pelo sangue de Jesus.
SOL DA JUSTIÇA
Mateus 5:44-45
“Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis
filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover
sobre justos e injustos.”
OBJETIVO
124
Revelar luz e justiça do Senhor para a igreja.
ALVO
Igreja e visitante.
REVELAÇÃO
Sol da justiça (filho de Deus)
Do sol sai a luz (Espírito Santo)
Mostrar ao visitante que devemos andar na luz como Jesus está.
INTRODUÇÃO
O sol da justiça é a revelação de Jesus ao homem.
Jesus é o sol da justiça que ilumina as nossas vidas para a eternidade.
DESENVOLVIMENTO
Quando não temos Jesus (sol), estamos em escuridão. Quando aceitamos o Senhor, abrindo o
coração, Jesus entra, nos dá a luz, passamos então a sermos filhos de Deus (Pai).
O Senhor justificou nossas vidas na sua morte de cruz. Podemos clamar pelo sangue de Jesus e
sermos justificados e purificados do nosso pecado.
CONCLUSÃO
O sol da justiça: graça (filho de Deus)
-
Do sol sai a luz (Jesus);
Luz, vida e energia estão sendo reveladas ao coração do homem, através da operação do
Espírito Santo de Deus;
Nossas vidas são justificadas para eternidade (pelo sangue de Jesus);
Luz: revela todas as coisas, os erros, o pecado, as falhas e permite ao homem ser justificado
pelo sangue de Jesus.
SOL DA JUSTIÇA
Malaquias 4:2
“Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo curas nas suas asas; e
vós saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.”
O profeta Malaquias, que viveu e profetizou cerca de 400 anos antes de Jesus Cristo, foi quem
chamou de sol da Justiça, conforme o texto lido.
125
Em suas predições ele falava sobre “O Dia do Senhor”, usando a expressão “O Dia”, que
significaria toda era cristã, aplicada mais ao “Tempo do Fim”.
Foi João Batista quem anunciou e apresentou ao povo da sua época o “Cordeiro de Deus”, o
Messias ou o Salvador, confirmando a profecia de Malaquias predita 4 séculos antes, como o Sol da
Justiça.
O Messias viria, como efetivamente veio estabelecer de modo indiscutível, clarríssimo, a
Justiça de Deus em relação à humanidade pecadora. “Todos pecaram e destituídos estão da glória
de Deus” (Rom. 3:23), dizia o apóstolo Paulo.
Não se podem ter dúvidas quanto ao plano de Deus para a salvação do homem.
A vinda do Senhor Jesus foi a evidencia da justiça clara, sem penumbras e nem sombra da
justiça Divina diante do pecado. Jesus veio como homem, assim viveu e morreu, tomando o meu, o
seu lugar, pois pela lei nós devíamos morrer para pagar nossos pecados. “O salário do pecado é a
morte” (Rom. 6:23).
Vale á pena lembrar a profecia entregue por Simeão com relação à justiça Divina para o
homem, no dia em que o menino Jesus (oito dias de nascido) era apresentado ao Senhor, pelos seus
pais, por intermediação do Sacerdote; Simeão disse, então como está escrito em Lucas 2:34 – “Eis
que este é posto para que a queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditório”.
Efetivamente os julgamentos depois de Jesus têm sido evidentes: Judas o traiu e foi
condenado; o malfeitor na cruz aceitou a Jesus e no mesmo dia foi para o céu; hoje estarás comigo
no paraíso; Herodes, Pilatos, condenados; Paulo, Pedro e outros elevados. Queda e elevação,
resultado de um julgamento – a justiça de Deus ante a conduta de cada um. Com a vinda do Senhor
Jesus confirmou-se a profecia de Malaquias: Jesus, “Sol da Justiça”.
Sol, a maior claridade natural no nosso sistema planetário. Astro com luz própria, à disposição
de tudo e de todos, o luminar espiritual para os que obedecem ao Senhor.
Justiça de Deus que permite ao ser humano escolher de modo claro, salvação ou
condenação eterna.
Jesus, o Sol da Justiça, que nasceu para aqueles que temem, que obedecem ao Senhor.
Quem pode ignorar o nascimento, vida, morte e ressurreição do Filho de Deus? A história da
humanidade divide-se em antes de Cristo e depois de Cristo. Sua vida pode ser iluminada pelo
Senhor Jesus e a Justiça de Deus se fará plenamente para a sua salvação. “Deus quer que todos se
salvem, e venha ao conhecimento da verdade” (I Tim. 2:4). “Para os que temem ao Senhor nascerá o
Sol da Justiça”.
A profecia se cumpriu. Jesus, o “Sol da Justiça” veio, cumpriu cabalmente a missão de
iluminar, de dar vida agora a justiça se fará em sua vida para ser conduzida à eternidade com Deus,
ou sem Ele. Sem o Sol, toda forma de vida desaparecerá.
“Jesus é o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim”, eram suas
palavras.
Compete a cada um exercendo o direito de escolher seu destino, deixar-se iluminar pelo Sol
da Justiça. Para a sua salvação. Nos Salmos 23:3, o rei Davi orava ao Senhor pedindo que o guiasse
pelos caminhos da justiça.
Isaías, profeta messiânico, o mais ilustre dos Profetas, no capítulo 9:2 descreveu de modo
sugestivo a 1ª vinda do Senhor Jesus, assim: “O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e
sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz”.
A luz: O Sol da Justiça – Jesus.
VERDADE
126
João 18:38
“Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade?...”
OBJETIVO
Mostrar que Jesus é a única verdade diante de qualquer situação.
INTRODUÇÃO
Jesus antes de ser crucificado além de ser muito humilhado ele também foi muito
questionado, e uma das últimas perguntas feitas foi: O que é a verdade?
Vemos que desde os tempos antigos houve sempre interesse da parte do homem em saber,
em conhecer a verdade e às vezes o homem não obtém a resposta como foi o caso de Pilatos.
DESENVOLVIMENTO
A palavra verdade significa princípio certo, conformidade com o real.
Jesus é a verdade porque ele está em conformidade com o real (o Pai), é o princípio certo
porque não nasceu do pecado, mas foi gerado pelo espírito.
Diante de um mundo de tantas mentiras, o homem precisa descobrir a verdade que estava
na sua frente. Hoje de uma forma ou de outra Jesus tem estado diante do homem e cabe somente o
homem descobri-lo como a verdade, e o grande desafio hoje é realmente descobrir o que é a
verdade, e a verdade é descoberta quando o homem passa a ver em Jesus aquele que está
identificado, está em conformidade com o Pai, Jesus não está identificado com A e nem B e sim com
o Pai “Eu e o Pai somos um”. Jesus mais ninguém está em conformidade com o Pai. O princípio certo
do Senhor deve ser também descoberto, Jesus nunca pecou e sempre foi santo.
Pilatos ficou sem resposta. Pilatos não tinha nenhum interesse em descobrir a verdade, mas
aqueles que tem descoberto o que é a verdade o Senhor tem tido as respostas para todas as coisas.
Hoje quando o homem descobre que Jesus e o Pai é um só, ele descobriu a verdade.
CONCLUSÃO
Concluímos mostrando que Jesus tem sido a única verdade nessa Obra e nessa hora, nesses
34 anos, o Senhor sempre respondeu o seu povo, principalmente todos aqueles que tem nos visitado
tem descoberto uma coisa, que Jesus é VERDADE! A verdade não faltou até aqui.
127
VIDEIRA
Juizes 9:12-13
“Disseram então as árvores à videira: Vem tu, e reina sobre nós. Mas a videira lhes respondeu:
Deixaria eu o meu mosto, que alegra a Deus e aos homens, para ir balouçar sobre as árvores?”
PARÁBOLA DE JOTÃO
12 – Disseram então as árvores à videira: vem tu e reina sobre nós.
13 – Mas a videira lhes respondeu: deixaria eu o meu mosto, que alegra a deus e aos homens, para ir
labutar sobre as árvores?
INTRODUÇÃO
O objetivo de Jesus é preservar a sua Obra Salvadora, sem que haja mistura com o mundo e
com o materialismo, que é algo passageiro e mais: alcançar seu povo e o homem perdido e levá-lo
para a eternidade.
1) – As árvores – fala do mundo e das nações ímpias.
A videira – Jesus Rei dos reis, Salvador.
2) – Disseram então as árvores à videira: vem tu e reina sobre nós”.
O mundo pede um rei, os governos materialistas clamam por um líder onde a mente está
totalmente impregnada pela razão, sem uma única esperança de vida eterna.
Nesta última hora, o mundo tem feito muitos apelos e até ofertas tentadoras, como fizeram
com Jesus em Mateus 4:9 “... tudo te darei se, prostrado, me adorares...”
O mundo e a religião só querem Cristo para esta vida, um rei para fazer seus desejos.
3) – Mas a videira (Jesus) lhes respondeu: “Deixaria eu o meu mosto...” (Obra do Espírito Santo)
Jesus não deixaria este projeto, que alegra a Deus e aos homens, para labutar pelas coisas
materiais, humanas e passageiras, sem valores eternos, para satisfazer aos caprichos dos homens.
Em nenhum momento Jesus vacilou ou se submeteu às ordens do príncipe deste mundo.
Jesus tinha desde a eternidade um compromisso em realizar sua Obra, que o Pai lhe confiou
“cumprir todas as promessas”.
E levar aos homens perdidos a salvação, o perdão e vida eterna com Deus.
Como videira verdadeira Jesus deu sua vida, seu Espírito Santo para que tenhamos alegria,
paz, vitória e vida eterna.
“O trabalho de sua alma ele verá, e ficará satisfeito”... Isaías 53:11a
128
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards