ATIVIDADES ONLINE 9.1,9.2,9.3- HISTÓRIA 1

Propaganda
ATIVIDADES ONLINE 9.1,9.2,9.3- HISTÓRIA
1-Com relação à revolução de 1930, do ponto de vista econômico-social, é possível afirmar que
ela:
a) assinala o início da primazia política das classes médias sobre o Estado;
b) representa a derrota da burguesia mercantil diante das pressões conjuntas do campesinato
e operariado urbano;
c) traduz a vitória do tenentismo, das camadas médias e dos segmentos industriais sobre os
setores agroexportadores;
d) identifica a passagem para a dominação burguesa no Brasil, com a vitória dos grupos
industriais;
e) significa o início do desenvolvimentismo e a decadência da agricultura de exportação.
2-Segundo Anita Prestes, "o tenentismo vinha preencher o vazio deixado pela falta de
lideranças civis aptas a conduzirem o processo revolucionário brasileiro que começava a
sacudir as já caducas instituições políticas da República Velha".
PRESTES, Anita. "A Coluna Prestes". São Paulo: Brasiliense, 1995, p. 73.
De acordo com o texto, é correto afirmar que
a) os "tenentes" queriam moralizar a vida política nacional, propondo uma ampla aliança de
esquerda.
b) os "tenentes" queriam deixar de ser meros "jagunços" nas mãos das oligarquias estaduais,
amparados por um programa democrático.
c) os "tenentes" queriam pôr fim à política democrática instaurada com a República Velha e
promover um regime ditatorial, único capaz de finalizar o atraso econômico representado
pelas antigas oligarquias cafeeiras.
d) os "tenentes" apresentaram-se como substitutos dos frágeis partidos políticos de oposição
aos regimes oligárquicos e à desorganização da sociedade.
e) o tenentismo representou um movimento que buscava romper com a tradição de
intervenção militar na política, presente desde a Proclamação da República.
3- Leia.
O encontro de Rodolfo Cavalcante com Lampião
(Trecho de Cordel)
Foi Virgulino Ferreira
Pobre homem injustiçado
E por isto vingativo
Se tornou um acelerado,
Se a justiça fosse reta
Nem jornalista ou poeta,
O teria decantado.
(...)
Embora seja criança
Com meus 15 anos de idade
Pude ver em Lampião
Vítima da sociedade.
Talvez ele em outro meio
(Posso dizer sem receio)
Era útil à humanidade ! (...)
CAVALCANTE, Rodolfo Coelho. O encontro de Rodolfo Cavalcante com Lampião Virgulino.
Salvador: [s.n.], 1973. In: CATELLI Jr, Roberto. História: texto e contexto. São Paulo: Scipione,
2006. p. 499.
Para o autor do Cordel Lampião é uma “vítima da sociedade”.
Dentro desta perspectiva histórica, o cangaço é um fenômeno social resultante
a) das alianças firmadas entre jagunços e coronéis no sentido de perpetuar o poder oligárquico
no sertão brasileiro.
b) das brigas entre os grandes coronéis, que incentivavam a formação de grupos de
cangaceiros para se fortalecerem.
c) dos conflitos entre famílias poderosas, que levavam alguns de seus membros a entrarem no
cangaço para eliminar os inimigos.
d) das poucas oportunidades oferecidas aos sertanejos em um contexto social marcado pela
exploração oligárquica, pela miséria e pela fome.
e) das disputas políticas entre grupos de jovens sertanejos, que se armavam e lutavam entre si
para garantir o domínio de algumas cidades ou região.
4- A Coluna Prestes, que percorreu cerca de 25 mil quilômetros no interior do Brasil entre 1924
e 1927, associa-se
a) ao florianismo, do qual se originou, e ao repúdio às fraudes eleitorais da Primeira República.
b) à tentativa de implantação de um poder popular, expressa na defesa de pressupostos
marxistas.
c) ao movimento tenentista, do qual foi oriunda, e à tentativa de derrubar o presidente Artur
Bernardes.
d) à crítica ao caráter oligárquico da Primeira República e ao apoio à candidatura presidencial
de Getúlio Vargas.
e) ao esforço de implantação de um regime militar e à primeira mobilização política de massas
na história brasileira.
5- Nós, marinheiros, cidadãos brasileiros e republicanos, mandamos esta honrada mensagem
para que Vossa Excelência faça aos marinheiros brasileiros possuirmos os direitos sagrados
que as leis da República nos facilitam. Tem Vossa Excelência 12 horas para mandar-nos a
resposta satisfatória, sob pena de ver a Pátria aniquilada.
Adaptado do memorial enviado pelos marinheiros ao presidente Hermes da Fonseca, em 1910.
In: MARANHÃO, Ricardo e MENDES JUNIOR, Antônio. Brasil história: texto e consulta. São
Paulo: Brasiliense, 1983.
Os participantes da Revolta da Chibata (1910-1911) exigiam direitos de cidadania garantidos
pela Constituição da época.
As limitações ao pleno exercício desses direitos, na Primeira República, foram causadas pela
permanência de:
a) hierarquias sociais herdadas do escravismo.
b) privilégios econômicos mantidos pelo Exército.
c) dissidências políticas relacionadas ao federalismo.
d) preconceitos étnicos justificados pelas teorias científicas.
6-"Não é por acaso que as autoridades brasileiras recebem o aplauso unânime das autoridades
internacionais das grandes potências, pela energia implacável e eficaz de sua política
saneadora das epidemias [...]. O mesmo se dá com a repressão dos movimentos populares de
Canudos e do Contestado, que no contexto rural [...] significavam praticamente o mesmo que
a Revolta da Vacina no contexto urbano".
Nicolau Sevcenko. A revolta da vacina.
De acordo com o texto, a Revolta da Vacina, o movimento de Canudos e o do Contestado
foram vistos internacionalmente como MOVIMENTOS :
a) provocados pelo êxodo maciço de populações saídas do campo rumo às cidades logo após a
abolição.
b) retrógrados, pois as agitações provocadas por estes movimentos populares dificultavam a
modernização do país.
c) decorrentes da política sanitarista de Oswaldo Cruz.
d) indícios de que a escravidão e o império chegavam ao fim para dar lugar ao trabalho livre e
à república.
e) conservadores, porque ameaçavam o avanço do capital norte-americano no Brasil.
7-Os movimentos messiânicos eram mais comuns do Brasil do que imaginávamos. Além de
Canudos, várias revoltas envolvendo seguidores destes movimentos eclodiram durante a
primeira metade de século passado.
Como o Messianismo foi possível?
a) Devido a concentração latifundiária, o estado de miséria dos camponeses, a prática do
coronelismo e a forte religiosidade popular.
b) Devido unicamente a religiosidade do sertanejo que encontrava nas práticas do messias um
conforto para a vida miserável que estava submetido.
c) Devido ao grande poder dos líderes messiânicos cujo prestígio era medido pela quantidade
de eleitores que controlasse conseguindo desta forma se eleger para os cargos políticos.
d) Em virtude do temor que as profecias dos beatos causavam à população mais pobre,
preferindo resignar-se a vida de perigrinações e orações para salvação da alma.
e) Em razão do clima de insegurança que assolava o campo causado pelo banditismo
obrigando a população mais pobre abrigarem-se nos movimentos messiânicos para se
proteger.
8- Embora fossem movimentos ligados a questão agrária e a falta de justiça no campo Canudos
e o Cangaço possuem finalidades distintas.
Em relação a esta diferenciação dos objetivos do Cangaço e de Canudos podemos afirmar
como correto que:
a) O cangaceiro tinha um fim social na sua prática, pois busca a posse da terra e a justiça social,
saqueando e roubando dos ricos para doar aos pobres. Eram considerados os justiceiros
pobres.
b) O cangaceiro não tinha nenhum fim social na sua prática, não busca a posse da terra e
tampouco a justiça social. Luta simplesmente pela sobrevivência praticando a violência.
c) O cangaceiro é um tipo de bandido social que procura aplicar a justiça contra os desmandos
dos poderosos no sertão nordestino.
d) Canudos não tinha nenhum fim social na sua prática, não busca a posse da terra e tampouco
a justiça social. Luta simplesmente pela sobrevivência praticando o fanatismo religioso.
e) Canudos tinha um fim social, mas não busca a posse da terra apenas a justiça social mesmo
que fosse alcançada por métodos violentos justificados pelo fanatismo religioso.
9-Sobre a Revolta de Canudos, assinale a alternativa INCORRETA.
a) O seu principal líder foi Antônio Conselheiro.
b) Os sertanejos de Canudos lutavam contra a injustiça e a miséria persistente na região.
c) Caracterizou-se como um movimento de caráter messiânico.
d) A Guerra de Canudos foi tema do livro “Os Sertões”, do escritor Euclides da Cunha.
e) Os revoltosos de Canudos receberam apoio incondicional dos coronéis da região.
10-Leia o texto sobre o Contestado (1912-1916), conflito ocorrido no sul do país e motivado,
entre outros fatores, pela disputa de terras. “A revolta teve sobretudo um caráter social e
religioso. O que manteve os caboclos unidos foi a crença em um profeta conhecido como
monge José Maria, um guerreiro místico como Antônio Conselheiro. O Contestado foi um
movimento milenarista, ou seja, impregnado de temores apocalípticos e esperanças de
salvação para os iniciados. Os caboclos acreditavam no fim deste mundo e no surgimento de
outro melhor, sem fome nem miséria. Até hoje a população local se refere ao episódio como a
guerra dos fanáticos, diz o historiador Paulo Pinheiro Machado, da Universidade Federal de
Santa Catarina (UFSC).” (Adaptado de Superinteressante, maio de 2000.)
A expressão “guerra dos fanáticos” era usada para definir a participação dos revoltosos e foi
criada naquela época pelas autoridades políticas e pelos latifundiários. Sob um ponto de
vista crítico atual, pode-se dizer que a expressão indica a intenção de:
a) desqualificar os participantes da rebelião.
b) apoiar as idéias monarquistas dos revoltosos.
c) enfatizar o caráter degenerado dos caboclos revoltosos.
d) destacar a indolência de origem psicoclimática dos camponeses.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Criar flashcards