Prova Comentada EGI 5º periodo

Propaganda
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
SÍNDROMES PEDIÁTRICAS
Questão 1.
No seu ambulatório fixo de pediatria do Centro de Saúde Lagoa, você atende Kauã, um menino de 18
meses de idade. A mãe relata que não faz acompanhamento regular porque já tem de levar o filho várias
vezes a UPA, devido a problemas respiratórios. A criança tem crises de tosse 4 vezes por semana, que se
iniciaram nos primeiros 2 meses de vida. Ele não tem tido ganho adequado de peso mas, segundo a mãe,
foi-lhe explicado que esse fato é o esperado para um menino que se “interna tanto” e usa sulfato ferroso
para tratamento de anemia. Não há história de doenças familiares semelhantes. Ao exame físico, o
paciente está hipocorado, peso e altura em Escore Z entre -2 e -3 e presença de sibilos expiratórios difusos,
sem outros achados. Qual é a hipótese diagnóstica correta para esse paciente?
a) Bronquiolite não corretamente tratada.
b) Asma não controlada.
c) Refluxo gastroesofágico.
d) Insuficiência cardíaca em lactente.
Justificativa: O paciente acima apresenta sintomas sugestivos de RGE oculto, um tipo de RGE patológico
que cursa com manifestações atípicas, como tosse crônica, sem refluxo ou golfadas evidentes. A
bronquiolite é um quadro agudo, sendo, portanto, descartado. A asma não tem início tão precoce e não há
outros preditores com história familiar. Não há outros sinais que justifiquem a insuficiência cardíaca, como
sopro ou cianose.
Questão 2.
Ter conhecimento sobre o desenvolvimento ponderal infantil é de extrema importância para detecção
precoce de possíveis alterações. Sobre o crescimento infantil, no 1o ano de vida, é INCORRETO afirmar
a) que perda de peso de 8% detectada no quarto dia é patológica e deve ser avaliada através de
propedêutica complementar adequada.
b) que a estatura da criança aumenta em 15 cm até os seis meses de idade e, em 25 cm, ao
final do primeiro ano.
c) que a criança dobra seu peso até os seis meses de idade e triplica aos 12 meses.
d) que, particularmente, no primeiro semestre de vida, o ganho de peso mensal é um dos mais
importantes parâmetros para a avaliação do crescimento da criança.
Justificativa: A perda de peso é esperada nos primeiros dias de vida devido à eliminação de mecônio e
mobilização de edema. É normal a perda de até 10% até o 10 dia de vida em RN termos. As demais
alternativas estão corretas.
Questão 3.
A triagem neonatal, também conhecida como “Teste do Pezinho”, possibilita o diagnóstico de doenças
passíveis de tratamento, impedindo o aparecimento de sintomas. São doenças que fazem parte da triagem
neonatal em Minas Gerais, EXCETO:
a) Fenilcetonúria.
b) Colestase neonatal.
c) Fibrose Cística.
1
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
d) Doença Falciforme.
Justificativa: A colestase neonatal está relacionada ao aumento sérico de bilirrubina direta. A mesma é a
única não incluída na triagem neonatal. As quatro doenças triadas são: anemia falciforme, hipotireoidismo
congênito, fibrose cística e fenilcetonúria.
Questão 4.
Sobre a diarreia aguda na infância, assinale a alternativa a seguir que contém informação correta.
a) A diarreia é um quadro autolimitado, na maioria das vezes.
b) O leite de vaca deve ser retirado da dieta de quem está com diarreia.
c) Quando o quadro da diarreia for intenso, deve ser dado antidiarreico.
d) Na maioria das vezes, em caso de qualquer diarreia, é necessário o uso de antibiótico.
Justificativa: Como a diarreia aguda é autolimitada na maior parte dos casos, não há necessidade de
medicações como antidiarreicos ou antibióticos. Em pacientes com diarreia mais persistentes, pode-se
tentar dietas isentas de lactose.
Questão 5.
Sobre a icterícia neonatal, é correto afirmar que
a) somente o nível de bilirrubina isolado, independente de outros fatores, é determinante
sobre o risco da criança.
b) asfixia perinatal, hipotermia e sepse são indicações para tolerar maiores níveis de bilirrubina
antes de instituir fototerapia.
c) qualquer aumento de bilirrubina direta é considerado patológico, independente das horas de
vida do recém-nascido.
d) qualquer icterícia detectada com menos de 24h de vida é de alto risco e deve ser tratada
com exsanguíneotransfusão.
Justificativa: Os níveis isolados de bilirrubina não são significativos, pois dependem da idade (horas de
vida), fatores de risco associados, como sepse e asfixia, que tornam o recém-nascido menos tolerantes à
bilirrubina. A icterícia detectada com menos de 24hs de vida é realmente de maior risco, mas o RN deve ser
colocado em fototerapia e acompanhado os níveis de bilirrubina. Dependendo desses, pode ser indicado a
exsanguíneotransfusão. O aumento de bilirrubina direta é indicativo de colestase, que não é considerado
normal em nenhum momento da vida.
Questão 6.
Sobre amigdalite, assinale a alternativa abaixo que apresenta informações INCORRETAS:
a) Se possível, deve-se colher swab de orofaringe para confirmação de etiologia bacteriana.
b) Os anti-inflamatórios têm boa eficácia e devem ser utilizados amplamente nesse tipo de
infecção de via aérea superior.
2
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
c) Em caso de etiologia bacteriana, é imprescindível o uso de antibiótico e pode ser necessário
tratamento cirúrgico na presença de abscesso peritonsilar.
d) A amigdalite bacteriana é rara em menores dos 3 anos de idade.
Justificativa: Deve-se evitar o uso rotineiro de anti-inflamatórios em pacientes com amigdalite. Pode-se
lançar mão de sintomáticos quando necessário. As demais alternativas estão corretas e são autoexplicativas.
Questão 7.
NÃO é um sinal de gravidade na avaliação de bronquiolite em lactentes:
a) presença de atelectasia.
b) episódios de apneia.
c) tiragem subcostal.
d) febre.
Justificativa: Por se tratar de um quadro infeccioso, a bronquiolite pode ser acompanhada de febre e não
ser indicativo de gravidade do quadro. As demais alternativas são indicativas de gravidade por sinalizar
esforço respiratório, como na tiragem subcostal, e piora do prognóstico como na atelectasia e apnéia.
Questão 8.
Adolescente do sexo masculino foi atendido pelo pediatra devido a queixa de epigastralgia intensa. Mora
em região sem sistema de esgoto e adora andar descalço. Sobre este caso clínico responda, qual é o
melhor tipo de exame parasitológico de fezes a ser solicitado:
a) Grahan
b) Baermann-Moraes
c) Faust
d) Hoffman, Pons e Janer
Justificativa: no presente caso “queixa de epigastralgia intensa. Mora em região sem sistema de esgoto e
adora andar descalço”. A hipótese mais provável é S. stercoralis e o melhor exame é o Baermann-Moraes.
Questão 9.
Você atendeu no ambulatório um paciente com sinais clínicos de anemia e solicitou um hemograma, cujo
esfregaço sanguíneo mostrou anisocitose. Poiquilocitose com presença de drepanócitos, dacriócitos,
estomatócitos e esquizócitos. Sobre este esfregaço sanguíneo pode-se afirmar corretamente que:
a)Anisocitose significa esfregaço com hemácias hipocrômicas
b) Dacriócitos são hemácias em forma de foice.
c) Estomatócitos são hemácias em forma de gota.
d) Poiquilocitose significa hemácias com diferentes formas
Justificativa: o único termo correto é a poliquilocitose, que significa hemácias com diferentes formas.
Anisocitose são hemácias com diferentes tamanhos no esfregaço. Dacriócitos são hemácias em forma de
lágrima. Estomatócitos são hemácias em forma de boca.
3
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
Questão 10.
Qual das alternativas abaixo apresenta, corretamente, uma modalidade de Teste Estatístico nãoparamétrico?
a) Kruskal-Wallis.
b) Análise da Variância.
c) Qui-quadrado.
d) "T de Student".
Justificativa: O Teste de Kruskal-Wallis é um método de análise não paramétrico e os demais são
paramétricos.
SÍNDROMES DIGESTÓRIAS
Questão 11.
As afirmativas abaixo descrevem informações sobre medicamentos antiulcerosos. Leia atentamente as
opções que seguem e marque a que contém informação INCORRETA.
a) O sucralfato é efetivo no tratamento da ulcera péptica e na doença do refluxo
gastroesofágico.
b) Os compostos de bismuto exercem efeitos tóxicos sobre o Helicobacter pylori, sendo
benéfico na terapia de erradicação dessa bactéria.
c) Inibidores da bomba de prótons são superiores aos antagonistas H2 no tratamento da doença
do refluxo gastroesofágico.
d) Tanto a ranitidina quanto o omeprazol possuem indicação no esquema de tratamento da
erradicação da infecção pelo Helicobacter pylori em pacientes com úlcera péptica
duodenal.
Justificativa: O sucralfato é um fármaco antiulceroso que não tem indicação no tratamento da doença do
refluxo gastroesofágico. O sucralfato é um fármaco antiulceroso que não tem indicação no tratamento da
doença do refluxo gastroesofágico. O bismuto é tóxico para o Helicobacter pylori, os ensaios clínicos
controlados demonstram que tanto inibidores de bomba quanto os antagonistas H2 são efetivos na DRGE
e nos esquemas de erradicação da bactéria e há superioridade de efeito dos primeiros na DRGE.
Questão 12.
A endoscopia digestiva alta (EDA) faz parte da propedêutica da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE).
Sobre a EDA, assinale a alternativa que contém a informação INCORRETA.
a)
b)
c)
d)
É o método de escolha para avaliar alterações da mucosa esofágica.
Possui alta sensibilidade para o diagnóstico da DRGE.
É indicada em todos os pacientes que apresentam sintomas de alarme.
Permite avaliar a presença do esôfago de Barrett.
Justificativa: a EDA possui BAIXA sensibilidade para o diagnóstico da DRGE, já que grande parte dos
pacientes com DRGE podem apresentar EDA com mucosa esofágica normal. A EDA é o método de escolha
para avaliar as mucosas do sistema digestório, incluindo a biópsia de áreas com alterações sugestivas de
4
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
metaplasia colunar (esôfago de Barrett) e está sempre indicada nos pacientes com manifestações de
alarme.
Questão 13.
Ana Cláudia, 30 anos, procurou a UPA Oeste com relato de dor epigástrica, que a acordou durante de
madrugada. Ao ser avaliada pelo plantonista, a paciente respondeu que vem apresentando esta dor
também durante o dia e que nota alívio quando ingere alimentos. Além disto, afirmou já ter apresentado
episódios desta mesma dor anteriormente. Considerando as informações fornecidas, o diagnóstico MAIS
PROVÁVEL para essa paciente é
a) colecistolitíase.
b) pancreatite aguda.
c) úlcera péptica.
d) diverticulite.
Justificativa: a paciente apresenta dor epigástrica, com ritmicidade e periodicidade, além do despertar de
madrugada (clocking), característica da doença ulcerosa peptica. No caso da pancreatite, a irradiação é
faixa no andar superior do abdome e a posição de cócoras alivia o sintoma. A dor da colecistolitíase irradia
para o ombro direito. A dor da diverticulite não é epigástrica e o paciente tem febre.
Questão 14.
São considerados sinais de alarme na constipação intestinal, EXCETO:
a) hematêmese
b) emagrecimento
c) fezes em fita
d) início súbito do quadro
Justificativa: o sinal de alarme é a hematoquezia (eliminação de sangue vivo pelo ânus) e não hematêmese
(vômito com sangue). A hematêmese sinaliza hemorragia digestiva alta. As demais opções (emagrecimento,
fezes em fita e início súbito) sinalizam a necessidade de investigação para o devido esclarecimento da
etiologia da constipação intestinal, podendo tratar-se de neoplasia ou abdome agudo.
AS QUESTÕES 15 E 16 REFEREM-SE AO CASO CLINICO DA SRA. TERESA.
A Sra. Teresa foi atendida em UBS e relatava dor em hipocôndrio direito, desencadeada após ingestão de
farofa de ovo. À dor, seguiu-se quadro de vômitos alimentares e posteriormente biliosos. Esse episódio de
dor teve duração de aproximadamente duas horas.
Questão 15.
Em relação ao quadro apresentado pela Sra. Teresa, é INCORRETO afirmar que
a) devemos pesquisar, na anamnese, dados que apontem para fatores de risco associados à
doença.
b) a forma de apresentação do quadro não indica complicação da doença.
c) endoscopia digestiva alta é o exame indicado, já que se trata de um quadro de dispepsia.
5
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
d) uma complicação possível para o quadro descrito pode ter como manifestação febre com
calafrios e icterícia.
Justificativa: o quadro descrito é bastante sugestivo de cólica biliar, presente em casos de colecistolitíase.
O primeiro e principal exame para o diagnóstico é a ultrassonografia abdominal. A identificação dos fatores
de risco auxiliam tanto no diagnóstico diferencial, quanto contribuem para o diagnóstico definitivo. A
duração da dor, muito prolongada, não é sugestiva de dispepsia. A presença de febre com calafrios e
icterícia, associada à dor apresentada pela Sra. Teresa, sugere complicações da colecistolitíase
(coledocolitíase e colangite).
Questão 16.
Ainda, em relação ao quadro descrito da Sra. Teresa, podemos afirmar, corretamente que
a) o uso de antiespasmódico não melhora o quadro de dor, por não se tratar de cólica.
b) não há necessidade de orientação dietética para a paciente, até que o diagnóstico seja feito.
c) o tratamento medicamentoso pode ser indicado, de acordo com a preferência do paciente.
d) a prevenção das complicações é o principal objetivo do tratamento proposto.
Justificativa: O tratamento cirúrgico na colecistolitíase previne as complicações e está indicado no caso da
Sra. Teresa. Até o diagnóstico de certeza, a pacientedeverá ser orientada a evitar alimentos
colecistocinéticos, que podem recidivar os sintomas, e usar antiespasmódicos e antieméticos, sendo a via
parenteral a mais indicada.
Questão 17.
CDD, sexo feminino, 38 anos de idade, obesa, multípara, apresenta dor abdominal intensa que se irradia
para as costas; então, procura atendimento médico de urgência. Não há história de consumo de álcool ou
outras drogas. A pressão arterial é de 90/45 mmHg, as incursões respiratórias são de 32 irpm e o pulso é de
100 bpm. O exame físico revela sensibilidade abdominal, postura antálgica e rigidez. Exames laboratoriais
indicam elevação sérica de amilase e da lipase, e hipocalcemia. A paciente evolui para óbito após as 72
horas de internação. Qual das seguintes patologias é a causa correta para o óbito da paciente?
a) Aneurisma dissecante da aorta
b) Colecistite aguda
c) Hepatite alcoólica
d) Pancreatite aguda
Justificativa: A pancreatite aguda manifesta-se por dor abdominal que se irradia para o dorso, em geral
intensa, persistente, que pode se associar a taquicardia e hipotensão. Achados laboratoriais incluem níveis
séricos elevados de amilase nas primeiras 24 horas e, posteriormente, de lípase no 3º - 4º dias.
Hipocalcemia resulta da deposição de cálcio no tecido necrótico (processo de saponificação que resulta no
aparecimento das “manchas em pingo de vela”). A pancreatite aguda necro-hermorrágica apresenta alta
taxa de mortalidade. As principais causas de pancreatite aguda são obstrução do ducto pancreático por
cálculos biliares e ingestão de álcool. A paciente CDD, sem histórico de ingestão de álcool, apresenta
fatores de risco para o desenvolvimento de litíase biliar (sexo feminino, obesidade e gestações múltiplas), o
que pode ter sido a causa da pancreatite aguda.
6
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
Questão 18.
JNC, sexo masculino, 28 anos de idade, procura atendimento médico por apresentar, nos últimos dois
meses, quadro de diarreia sanguinolenta, cólicas abdominais e fadiga. A palpação abdominal revela
sensibilidade sobre o quadrante inferior esquerdo. A colonoscopia evidenciou mucosa difusamente
avermelhada, com esparsas ulcerações, superficiais, estendendo-se do reto ao cólon transverso. O estudo
histopatológico das biópsias realizadas nas áreas acometidas revelou moderado infiltrado inflamatório,
predominantemente mononuclear, difuso e contínuo, em mucosa e submucosa, sem tendência a formar
granulomas. Assinale a alternativa que contém o diagnóstico correto da patologia apresentada pelo
paciente JNC.
a) Adenocarcinoma
b) Colite pseudomembranosa
c) Colite ulcerativa
d) Doença de Crohn
Justificativa: A colite ulcerativa é uma doença inflamatória crônica, que acomete reto e sigmoide, se
estendendo proximalmente, de forma retrógrada e contínua. Trata-se de doença que evolui
caracteristicamente de modo recorrente. A doença ocorre, principalmente, em adultos jovens. No início e
durante as exacerbações, podem aparecer diarreia sanguinolenta, com muco e pus, cólicas abdominais,
desidratação, desnutrição, anemia ferropriva, que regridem nas fases de remissão. Na colite ulcerativa, o
processo inflamatório inespecífico limita-se à mucosa e submucosa da parede intestinal e apresenta um
padrão de acometimento contínuo, não segmentar.
Questão 19.
Você está reavaliando um paciente que retorna após completar o tratamento de erradicação do H. pylori.
Segundo o II Consenso Brasileiro sobre H. pylori, o controle de erradicação deve ser realizado das seguintes
formas, EXCETO.
a) 7 a 10 dias após a suspensão da medicação antissecretora, e oito semanas após o final da
medicação anti-H. pylori.
b) através da sorologia, nos casos de dispepsia funcional.
c) através do teste respiratório com ureia marcada, nos casos de úlcera duodenal.
d) através do teste da urease e histologia, nos casos de úlcera gástrica.
Justificativa: As alternativas (a), (c) e (d) estão corretas, de acordo com o Consenso Brasileiro sobre H.
pylori. A sorologia não é utilizada para confirmar a erradicação em nenhuma situação, incluindo a
controversa indicação de erradicar esta bactéria nos portadores de dispepsia funcional.
Questão 20.
Em relação aos tipos de variáveis utilizadas nos Estudo Clínicos, qual das alternativas abaixo apresenta uma
associação INCORRETA ?
a) Dosagem de colesterol total – variável quantitativa contínua;
b) Intensidade de preconceito – variável categórica ordinal;
c) Numero de pessoas que moram em uma determinada residência - variável quantitativa
ordinal;
d) Preconceituoso ou não preconceituoso – variável categórica nominal.
7
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
Justificativa: As Variáveis Categóricas: dividem o grupo avaliado em uma ou mais categorias, que são
excludentes (cada indivíduo só pode estar em uma categoria): a alternativa (a) está correta – Contínuas - a
diferença entre os valores pode ser variável. Ex.: Dosagem de colesterol total (100, 110, 115, 118, 124); a
alternativa (b) está correta – Ordinais – Ex: sem preconceito, pouco preconceituoso; a alternativa (c) está
INCORRETA – Discretas – pois os valores diferem entre si por quantidades fixas. Ex: o número de pessoas
que reside em uma determinada casa (1, 2, 3, …); a alternativa (d) está correta – Nominais- Ex:
preconceituoso, não preconceituoso.
SÍNDROMES RESPIRATÓRIAS
Questão 21.
A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é uma doença caracterizada pela limitação do fluxo aéreo
que não é totalmente reversível. Analise as informações abaixo sobre esta doença e assinale a
alternativa que apresenta informação INCORRETA.
a) A DPOC é uma doença progressiva e associada a uma resposta inflamatória anormal dos pulmões a
partículas ou gases nocivos.
b) O fator de risco mais importante para o desenvolvimento do DPOC é a fumaça do cigarro.
c) O diagnóstico de DPOC deve ser confirmado em qualquer indivíduo que apresente sintomas e história
característicos, sem a necessidade de exames complementares.
d) O tratamento farmacológico, para a DPOC, melhora sintomas, reduz a frequência e gravidade das
exacerbações e aumenta a tolerância aos exercícios físicos.
Justificativa: O diagnóstico da DPOC é feito após anamnese, exame físico e análise de exames
complementares. Os sinais e sintomas podem estar presentes em outras doenças pulmonares como por
exemplo a asma , sendo indispensável a realização de espirometria com prova broncodilatadora para o
fechamento do diagnóstico de DPOC.
Questão 22.
O diagnóstico de tuberculose deve ser feito após realização de exames e da interpretação correta de seus
resultados. Sobre a propedêutica para a tuberculose, assinale a afirmação que se apresenta INCORRETA.
a)A prova tuberculínea, baseia-se na reação celular após inoculação intradérmica de um derivado proteico
e a leitura dessa reação deve ser realizada após 72 a 96 horas da aplicação.
b)Os principais achados tomográficos da tuberculose miliar são micronódulos menores que 6 mm, bilaterais
e difusamente distribuídos .
c)Linfonodomegalia mediastinal e hilar são as manifestações radiológicas mais importantes na tuberculose
pós-primária.
d)A pesquisa bacteriológica direta do escarro é o método prioritário tanto para o diagnóstico quanto para o
controle do tratamento.
Justificativa: Linfonodomegalia mediastinal e hilar são manifestações radiológicas encontradas na
8
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
tuberculose primária e não na pós–primária. As corretas se auto-explicam.
Questão 23.
A inalação de poeira de sílica está associada à ocorrência de silicose e ao aumento do risco de tuberculose
pulmonar. Em relação a esta importante Pneumoconiose, assinale a opção que apresenta uma informação
INCORRETA.
a)Quanto mais precoce for o diagnóstico e a interrupção da exposição, melhor será o prognóstico do
paciente.
b) A identificação de micronódulos que podem coalecer, juntamente com a história ocupacional do
paciente, é suficiente para o diagnóstico de silicose.
c)As manifestações clínicas podem ser de dispneia, astenia, perda de peso e hipoxemia.
d)A forma crônica é a menos comum e geralmente ocorre após meses da exposição.
Justificativa: A forma crônica da silicose é a forma mais comum da doença, e ocorre após anos da
exposição.
Questão 24.
São objetivos do manejo bem sucedido no tratamento da Asma, EXCETO:
a)
b)
c)
d)
Manter nível de atividades cotidianas normais, incluindo exercícios físicos.
Prevenir exacerbações e mortalidade da asma.
Fazer com que o paciente use apenas medicação de resgate como tratamento de manutenção.
Manter a função pulmonar o mais próximo possível do normal.
Justificativa: A medicação de resgate, broncodilatadores de curta duração, deve ser usada apenas nas
crises de asma e não para tratamento de manutenção.
Questão 25.
No cor pulmonale, a hipertensão pulmonar secundária à doença pulmonar é a base para o
desenvolvimento dos efeitos sobre o coração. Sobre o exposto, assinale a alternativa que apresenta uma
informação INCORRETA:
a) A sobrecarga causada pela hipertensão pulmonar leva à hipertrofia e dilatação do coração direito.
b) Doenças que levam a destruição do leito vascular ou hipoxemia crônica podem causar cor pulmonale.
c) A policitemia e a presença de hipercapnia em paciente com cor pulmonale são indicações de uso de
oxigenioterapia domiciliar.
d) Na asma, a broncoconstrição crônica é o fator mais importante na patogênese da hipertensão
pulmonar e consequente cor pulmonale.
Justificativa: A broncoconstrição, que é o mecanismo fisiopatológico da asma , junto com a inflamação
crônica afetam as vias aéreas e não os vasos ,o que não causa hipertensão pulmonar.
9
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
Questão 26.
A pneumonia adquirida na comunidade (PAC) é a principal causa de morte por doenças infecciosas no
mundo. Em relação a esta patologia, assinale a alternativa com informação INCORRETA.
a) Os germes atípicos possuem baixa prevalência, e não têm importância epidemiológica na etiologia das
PAC.
b) O tratamento das PAC deve abranger germes típicos e atípicos e pode ser feito com um único
antibiótico.
c) A radiografia de tórax deve ser pedida em todos aos pacientes com suspeita de PAC.
d) Pacientes jovens, sem comorbidades , com via oral pérvia e exame físico normal, podem ser tratados
ambulatorialmente.
Justificativa: Os germes atípicos são responsáveis por 30% de todas as pneumonias, e devem ser sempre
considerados na etiologia das PAC.
Questão 27.
Sr. Wesley de 78 anos, tabagista há 60 anos (2 maços/dia), refere dispneia e tosse com expectoração
levemente amarelada, mais comumente pela manhã, há dois anos. Sua radiografia de tórax atual mostra
hiperinsuflação pulmonar, retificação de costelas e imagem sugestiva de massa em região central, com
linfoadenomegalia evidente. Com relação à massa tumoral apresentada pelo Sr. Wesley, assinale a
afirmação INCORRETA.
a) Considerando o sexo do paciente e o tabagismo, o tipo histológico mais provável seria o carcinoma de
células escamosas.
b) Considerando a localização da massa, a possibilidade de um adenocarcinoma é mais provável por que
neste tipo histológico, em geral, o acometimento é na região central do pulmão.
c) Nesse caso, a possibilidade de este tumor ser uma metástase é mínima, uma vez que as metástases
formam massas arredondadas, múltiplas e de tamanhos variados.
d) Nesse caso, a possibilidade de este tumor ser um carcinoma de pequenas células é mínima.
Justificativa: Os adenocarcinomas tem localização preferencialmente na periferia do pulmão e não se
relacionam com o tabagismo.
Questão 28.
Em relação ao exame físico e complementar de um paciente com diagnóstico de pneumonia adquirida na
comunidade (PAC) que evoluiu com derrame pleural à direita, assinale a alternativa que contém
informação INCORRETA.
a) O ultrassom torácico desse paciente pode auxiliar a avaliação do derrame pleural, evidenciando e
estimando o volume do líquido.
b) Na radiografia de tórax deste paciente, na incidência póstero-anterior, o recesso costofrênico direito
estaria velado.
c) O exame físico do tórax desse paciente poderá evidenciar expansibilidade simétrica, frêmito tóracovocal
aumentado na região do derrame pleural.
10
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
d) A tomografia de tórax desse paciente pode esclarecer o diagnóstico da PAC, quando revelar
consolidação da área acometida.
Justificativa - Na área do derrame pleural o frêmito toracovocal estará diminuído.
As questões 29 e 30 referem-se ao caso clínico abaixo:
Paciente, sexo masculino, 25 anos de idade, apresenta, há uma semana, quadro de febre, calafrios, dor
torácica, além de tosse produtiva. O paciente relata uso de tabaco, álcool e drogas ilícitas. Ao raio X de
tórax, verifica-se a existência de área de consolidação homogênea em lobo inferior de pulmão direito. Em
24 horas o paciente evolui para óbito e à necropsia observa-se lobo inferior de pulmão direito de
coloração avermelhada, aspecto compacto e consistência maior que a habitual.
Questão 29.
Assinale a alternativa que contém o diagnóstico correto da patologia apresentada pelo paciente:
a) Broncopneumonia.
b) Tuberculose pulmonar.
c) Pneumonia lobar.
d) Pneumonia intersticial
Justificativa: na pneumonia lobar, o processo inflamatório tem disseminação relativamente uniforme
nos lobos pulmonares, dando ao parênquima acometido, padrão homogêneo de consolidação, pela
substituição do ar dos alvéolos e sacos alveolares por exsudado inflamatório.
Questões 30.
Assinale a alternativa que contém os achados corretos do estudo histopatológico do pulmão direito do
paciente:
a)Processo inflamatório crônico, granulomatoso, com extensas áreas de necrose do tipo caseosa.
b)Processo inflamatório do parênquima pulmonar, com exsudado inflamatório agudo no interior dos
alvéolos e bronquíolos, acompanhado de edema e destruição da parede dessas estruturas.
c)Processo inflamatório no interstício alveolar, com alargamento dos septos alveolares por células
mononucleares.
d) Processo inflamatório agudo, com células polimorfonucleares no interior dos alvéolos e preservação
dos septos alveolares, além de edema e congestão vascular.
Justificativa: na pneumonia lobar verifica-se exsudado inflamatório composto por células
polimorfonucleares preenchendo os alvéolos e sacos alveolares, enquanto as vias aéreas maiores
permanecem permeáveis. Além disso, não se observa destruição do parênquima pulmonar como na
broncopneumonia.
SÍNDROMES CARDIOLÓGICAS
Questão 31.
HTR, masculino, 29 anos, é sedentário, está estressado no trabalho, tem uma avó portadora de
hipertensão arterial (HAS), apresenta-se com IMC de 26,3Kg/m2 e Pressão Arterial (PA) de 138/84 mmHg
11
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
(média de três medidas em dias diferentes). Não é tabagista, não possui dislipidemia e nem diabetes. Qual
a MELHOR orientação terapêutica para o caso?
a) A PA está normal e não necessita de nenhuma orientação terapêutica.
b) A PA está limítrofe e deve ser prescrito fármaco anti-hipertensivo devido à história familiar
positiva para hipertensão arterial.
c) A PA está limítrofe e deve ser recomendado o tratamento não farmacológico (perda de
peso e início de atividade física).
d) Trata-se de HAS estágio I e deve ser recomendado o acompanhamento nutricional e
redução da ingestão de sal.
Justificativa: De acordo com a VI Diretriz de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) da Sociedade Brasileira
de Cardiologia, trata-se de paciente portador de HAS limítrofe, sem risco cardiovascular adicional. Para
estes pacientes, é indicado o tratamento não farmacológico.
Questão 32.
Os seguintes exames são considerados na rotina da avaliação inicial dos pacientes portadores de
hipertensão arterial, EXCETO.
a) Potássio e creatinina no plasma
b) Glicemia de jejum
c) Eletrocardiograma
d) MAPA (Monitorização Ambulatorial da Pressão)
Justificativa: De acordo com a VI Diretriz de HAS da Sociedade Brasileira de Cardiologia, os exames
complementares sugeridos na avaliação inicial dos pacientes portadores de HAS são: urina rotina,
potássio plasmático, creatinina plasmática, glicemia de jejum, lipidograma, ácido úrico plasmático e o
Questão 33.
Qual é a medicação anti-hipertensiva preferencial em um paciente portador de hipertensão arterial e
diabetes?
a) Diurético como terapêutica inicial.
b) Inibidor da enzima conversora de angiotensina como terapêutica inicial.
c) Beta-bloqueador associado a um diurético tiazídico.
d) Alfa-bloqueador como terapêutica inicial.
Justificativa: Os efeitos benéficos do tratamento anti-hipertensivo no que se refere às complicações macro
e microvasculares em pacientes portadores de diabetes são muito evidentes. Os inibidores da enzima
conversora de angiotensina e os bloqueadores do receptor da angiotensina são medicamentos de escolha
para o tratamento da HAS em pacientes portadores de diabetes, pois não apresentam efeitos metabólicos
indesejáveis, além de oferecer proteção renal; os diuréticos e beta-bloqueadores podem elevar os níveis
glicêmicos e dos lípides plasmáticos; os alfa-bloqueadores não são considerados medicamentos de
primeira linha para o tratamento da HAS, uma vez que apresentam pouca eficácia em relação a redução
12
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
de eventos cardiovasculares quando usados em monoterapia.
Questão 34.
Em relação à classificação da fibrilação atrial, qual das apresentadas abaixo está correta?
a) Persistente é aquela que não se interrompe, exceto se for feita cardioversão elétrica ou
farmacológica.
b) Paroxística é aquela com duração de menos de 24hs e que não necessita cardioversão elétrica.
c) Permanente é aquela com duração mais de 30 dias.
d) Crônica é quando sua duração é maior que 7 dias.
Justificativa: A Fibrilação Atrial (FA) persistente é aquela com mais uma semana de duração que requer a
cardioversão elétrica ou farmacológica para o retorno ao ritmo sinusal. A FA paroxística tem duração de
até 7 dias e pode ter seu ritmo convertido espontaneamente. A FA permanente é aquela resistente à
cardioversão ou aceita como rítmo para um determinado paciente. O termo FA crônica não se encontra
mais em uso para classificação da FA.
Questão 35.
O exame físico pode sugerir a presença de fibrilação atrial (FA) pelos seguintes achados, EXCETO.
a) Pulso arterial irregular
b) Variação da intensidade da primeira bulha cardíaca
c) Desaparecimento da quarta bulha cardíaca previamente audível em ritmo sinusal
d) Hiperfonese da segunda bulha cardíaca
Justificativa: Todos os achados descritos acima podem ser encontrados ao examinarmos um paciente com
FA, exceto a hiperfonese da segunda bulha cardíaca que é um achado visto em portadores de hipertensão
pulmonar.
Questão 36.
No Brasil, a principal etiologia da insuficiência cardíaca é:
a) cardiopatia isquêmica crônica.
b) cardiopatia chagásica crônica.
c) doença reumática valvar.
13
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
d) miocardiopatia alcoólica.
Justificativa: A principal etiologia da insuficiência cardíaca no Brasil, e no mundo, é a doença arterial
coronariana (cardiopatia isquêmica crônica).
Questão 37.
Ao considerar o sistema de classificação da insuficiência cardíaca (IC), qual das seguintes alternativas
contém a associação correta entre estágios, características clínicas e tratamento?
a) Estágio A: paciente sob risco de desenvolver IC, uma vez que já apresenta sinais de
alterações estruturais do miocárdio, apesar de se ainda encontrar assintomático. Deverá
fazer uso de um inibidor da enzima conversora da angiotensina (IECA) e um betabloqueador
b) Estágio B: paciente com sintomas para esforços moderados e alterações cardíacas
estruturais. Deverá fazer uso de um IECA, um beta-bloqueador e do diurético de alça
(furosemida)
c) Estágio C: paciente com alterações cardíacas estruturais e sintomas. Aqueles com dispnéia
para mínimos esforços devem receber: um IECA, um beta-bloqueador, um diurético de
alça e um bloqueador do receptor da aldosterona. A digoxina não é obrigatória
d) Estágio D: pacientes refratários ao tratamento clínico. A única alternativa efetiva é o
transplante cardíaco.
Justificativa: Os pacientes no estágio A possuem fatores de risco para IC e não apresentam sintomas ou
alterações estruturais cardíacas; No estágio B os pacientes são assintomáticos e apresentam alterações
cardíacas estruturais, sendo indicado o uso do IECA ou BRA associado ao beta-bloqueador; No estágio C os
pacientes apresentam alterações cardíacas estruturais e sintomas, nos pacientes em NYHA III (que é o
caso da letra “C”) está indicado o uso do bloqueador da aldosterona associado ao IECA, beta-bloqueador e
um diurético de alça. Nestes pacientes a digoxina é opcional, devendo ser adicionada caso os sintomas
persistam. Os pacientes no estágio D estão refratários ao tratamento clínico e devem receber tratamento
especializado; no entanto, o transplante cardíaco não é a única opção disponível.
Questão 38.
Em relação às Síndromes Coronarianas Agudas (SCA), podemos afirmar, corretamente, que
a) elas devem ser diferenciadas quanto à presença ou não do supradesnivelamento do
segmento ST; na ausência desta alteração ao ECG o diagnóstico passa a ser angina instável
ou infarto do miocárdio sem supradesnivelamento do ST.
b) a elevação dos marcadores bioquímicos de dano miocárdico não define a diferença entre
angina instável e infarto do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST,
14
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
necessitando do complemento eletrocardiográfico.
c) o diagnóstico de angina instável se define na ocorrência de quadro anginoso típico e
alteração ao ECG de infradesnível do segmento ST.
d) todos pacientes com dor torácica devem ser enquadrados como SCA e, portanto, devem
realizar exames bioquímicos de dano miocárdico.
Justificativa: Em pacientes com SCA, a ausência do supradesnivelamento do segmento ST afasta o infarto
do miocárdio com supradesnivelamento do segmento ST, restando dois possíveis diagnósticos: angina
instável ou infarto sem supradesnivelamento do segmento ST, que poderão ser diferenciados pela
anamnese e exames bioquímicos de dano miocárdico.
Questão 39.
A necropsia de uma paciente, de 70 anos de idade, revela, após estudo histopatológico, infarto
circunferencial subendocárdico de parede do ventrículo esquerdo. Assinale a alternativa que contém a
causa correta para o infarto nesse paciente.
a) Oclusão trombótica da artéria circunflexa
b) Choque hipotensivo
c) Oclusão trombótica da artéria coronária direita
d) Complicações de placas ateroscleróticas em ramo descendente anterior.
Justificativa: Trata-se de um infarto subendocárdico, que é a forma menos frequente de infarto agudo do
miocárdio e se associa a condições de baixa perfusão sanguínea em pacientes portadores de doença
aterosclerótica coronariana. A forma mais comum de infarto agudo do miocárdio é do tipo transmural,
decorrente da oclusão trombótica de coronárias com lesões ateroscleróticas. O paciente do caso clínico
apresentou, como causa do infarto agudo subendocárdico, choque hipotensivo, em que se verifica a baixa
perfusão tecidual. (Brasileiro Filho, G. Bogliolo. Patologia. Oitava Edição. Guanabara Koogan).
Questão 40.
Assinale a afirmativa INCORRETA em relação à cardiopatia reumática:
a) Trata-se doença cuja patogênese relaciona-se à predisposição genética e a fatores
ambientais.
b) A presença de reação cruzada decorre de reação imunomediada tardia e a patologia evolui
com episódios de remissão e recorrência
c) As lesões cardíacas graves relacionam-se à presença de infiltrado inflamatório crônico,
notadamente intramiocárdico, em região perivascular.
d) As alterações cardíacas da fase aguda são, na maioria dos casos reversíveis, caso a patologia
seja diagnosticada precocemente e tratada com antibioticoterapia.
Justificativa: As lesões cardíacas mais graves são aquelas que acometem as valvas cardíacas na fase
crônica, em que as lesões, recorrentes e cumulativas podem determinar: valvas com as cúspides
espessadas, encurtadas e às vezes calcificadas. Nos casos típicos há fusão das comissuras, que ficam com
aspecto de “boca de peixe”, o que leva a estenose valvar. A histologia observa-se infiltrado do tipo
mononuclear, neoformação vascular, fibrose e áreas de calcificação. As alterações miocárdicas podem
ocorrer na fase aguda da doença e são na maioria dos casos reversíveis. (Brasileiro Filho, G. Bogliolo.
15
Curso de Medicina – UNIFENAS Belo Horizonte – Unidade Itapoã
Exame Geral Integrado Teórico – 5o período - 2013.2
Nome do(a) Aluno(a): _______________________________________________________________
Data: ..... /..../2013
Patologia. Oitava Edição. Guanabara Koogan).
Fim das Questões
16
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards