Aula 17 - Instituto de Economia

Propaganda
Economia Monetária II
17ª aula
Prof: Francisco Eduardo Pires de Souza
Email: [email protected]
A Curva IS e seus parâmetros
i
i = (1/b)(Ca + j + G) - (d/b) Y
-(d/b)
IS
Y
Efeito de uma diminuição da sensibilidade(*) do Investimento aos juros (b)
i
b => (d/b)
-(d/b)
IS1
IS0
Y
(*) lembrando que a função investimento foi especificada como: I = -bi + j
Efeito de um aumento d, isto é, da propensão a poupar(*)
i
-(d/b)
IS1
IS0
Y
(*) lembrando que d = [1 – c (1 – t) ]
Efeito de um aumento dos gastos públicos (G)
(1/b)(Ca + j + G1)
i
(1/b)(Ca + j + G0)
IS0
IS1
Y
O deslocamento vertical da IS é: Di = (1/b) DG; o deslocamento horizontal é DY = (1/d) DG (ou seja, DG x o multiplicador).
A Curva LM e seus
parâmetros
v.
i
M/P = Lt(Y) + Ls(i)
k/h
Assumindo que as relações acima são
lineares, podemos escrever:
vi.
i = -(1/h)(M/P) + (k/h) Y
M/P = kY – hi
, k>0 e h>0
Resolvendo a equação para i, temos
vii.
i = kY/h – M/hP; ou
viii.
i = -(1/h)(M/P) + (k/h) Y (Equação
da LM)
Y
-(1/h)(M/P)
Efeito de um aumento da oferta de moeda (M/P)
i
LM0
i
LM1
i = -(1/h)(M/P) + (k/h) Y
k/h
Y
-(1/h)(M/P)
(M/P)
[-(1/h)(M/P)]
-(1/h)(M/P)
Y
Medindo o aumento da taxa de juros (decorrente
do deslocamento da LM) quando ocorre D(M/P)
•
•
•
•
Equação da LM: i = -(1/h)(M/P) + (k/h) Y
di/d(M/P) = -(1/h)
di= -(1/h) d(M/P) (deslocamento vertical da LM)
Ex: d(M/P) = 100; h = 1000
•
•
•
•
di = -(1/1000) 100 = - 0,1
E se h = 10000?
di = -(1/1000) 100 = - 0,01
Ou seja, um aumento de h (a sensibilidade da demanda por moeda à taxa de juros) faz
com que um mesmo aumento da oferta de moeda leve a uma redução menor da taxa de
juros (porque com uma redução menor da taxa de juros (1 p.p. para h=10000 x 10 p.p.
para h = 1000) obtém-se um mesmo aumento da demanda por moeda, capaz de
absorver o aumento da oferta de moeda – igual, no exercício, a 100 unidades
monetárias)
Medindo o aumento da renda (decorrente do
deslocamento da LM) quando ocorre D(M/P)
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Equação da LM: i = -(1/h)(M/P) + (k/h) Y
kY = hi + M/P
Y = (1/k) (M/P) + (h/k) i
dY/d(M/P) = 1/k; dY = (1/k) d(M/P) (deslocamento horizontal da LM)
Ex: d(M/P) = 100; k = 0,2
dY = (1/0,2) 100 = 500
E se k = 0,25?
dY = (1/0,25) 100 = 400
Ou seja, um aumento de k (a sensibilidade da demanda por moeda à renda, faz com que
um mesmo aumento da oferta de moeda leve a um aumento menor da renda (porque
com uma redução menor da renda (400 para k=0,25 x 500 para k = 0,2) obtém-se um
mesmo aumento da demanda por moeda, capaz de absorver o aumento da oferta de
moeda – igual, no exercício, a 100 unidades monetárias)
Em suma:
• Quando aumenta M/P, e a demanda transacional fica constante (i.e.,
quando a renda não se altera) a taxa de juros precisa cair para
aumentar Ls na mesma medida em que M/P aumentou, e assim
manter o equilíbrio no mercado monetário.
• E quanto maior a sensibilidade de Ls à taxa de juros (maior h), menor
a redução da taxa de juros requerida para restaurar o equilíbrio do
mercado monetário após uma expansão de M/P.
i
LM0
LM1
i0
i1
Y
Em suma:
• Quando aumenta M/P, para a taxa de juros ficar constante, a renda
precisa subir o suficiente para aumentar Lt na mesma medida em que
M/P aumentou, e assim manter o equilíbrio no mercado monetário.
• E quanto maior a sensibilidade de Lt à renda (maior k), menor o
aumento da renda requerido para restaurar o equilíbrio do mercado
monetário após uma expansão de M/P.
i
LM0
LM1
Y1
Y
i0
Y0
Exercício:
Dados:
M = 350; P = 1; Y =2000
k = 0,25; h = 3000
Calcule i
Suponha agora que h = 5000 (aumenta a
sensibilidade de L em relação aos juros)
M/P = - hi + kY; i = - (1/h) (M/P) + (k/h) Y
i = - (1/3000) x 350 + (0,25/3000) x 2000
i = - (1/5000) x 350 + (0,25/5000) x 2000
i = - 0,00033 x 350 + 0,000083 x 2000
i = - 0,0002 x 350 + 0,00005 x 2000
i = - 0,117 + 0,167 = 0,05 = 5%
i = - 0,07 + 0,1 = 0,03 = 3%
Conclusões:
a) coeficiente linear sobe de -0,0003 para -0,0002;
b)coeficiente angular se reduz de 0,00008 para 0,00005
Conclusões do exercício em termos gráficos
i
LM0
LM1
Y
Conclusões:
a) coeficiente linear sobe de -0,0003 para -0,0002;
b)coeficiente angular se reduz de 0,00008 para 0,00005
Logo, o efeito de um aumento da sensibilidade da demanda de
moeda aos juros (portanto da elasticidade-juros da moeda)
pode ser representado graficamente como:
i
LM0
LM1
Y
Exercício:
Dados:
M = 350; P = 1; Y =2000
k = 0,25; h = 3000
Calcule i
M/P = - hi + kY; i = - (1/h) (M/P) + (k/h) Y
i = - (1/3000) x 350 + (0,25/3000) x 2000
i = - 0,00033 x 350 + 0,000083 x 2000
i = - 0,117 + 0,167 = 0,05 = 5%
Suponha agora DM = 100
Di = -(1/h) DM = - 0,00033 x 100 = - 0,033 =
-3,3% (i = 5% - 3,3% = 1,7%).
Checando:
i = - 0,00033 x 450 + 0,000083 x 2000
i = - 0,15+ 0,167 = 0,017 = 1,7%
O equilíbrio conjunto nos mercados de bens e
monetário
LM
i
i0
E0
IS
Y0
Y
Efeito de uma expansão da oferta monetária (M/P)
sobre a renda e a taxa de juros e equilíbrio
LM0
i
LM1
i0
E0
E1
i0
IS
Y0
Y1
Y
Note que anteriormente
calculamos o efeito de
um aumento da oferta
monetária sobre os juros,
dado o nível de renda.
Ou o efeito sobre o nível
de renda, dada a taxa de
juros. Agora é o efeito
conjunto, que depende
da IS.
Efeito de uma expansão da oferta monetária (M/P) sobre a renda e a taxa
de juros e equilíbrio, com uma baixa elasticidade juros do investimento (b)
ou alta taxa de poupança (d)
LM0
i
LM1
E0
i0
A política monetária é
menos potente com
uma baixa elasticidadejuros do investimento
E1
i0
IS
Y0Y1
Y
Efeito de um aumento dos gastos públicos
O pessimismo das elasticidades (b, a sensibilidade do investimento aos juros, muito baixo e h, a
sensibilidade da demanda por moeda aos juros, muito alto) => armadilha da liquidez
No debate americano do início da década de 1960, Robert Mundell
colocou o debate em novas bases, ao inserir a questão no contexto de
uma economia aberta.
• Mundell argumentou que, independente das elasticidades, a potência das políticas
monetária e fiscal dependiam crucialmente, numa economia aberta, do regime de
câmbio.
• Num regime de câmbio fixo, a política monetária seria inteiramente ineficaz, mesmo que
as elasticidades fossem favoráveis (i.e., relativamente baixa elasticidade juros da
demanda por moeda e alta elasticidade juros do investimento); por outro lado, a política
fiscal seria mais eficaz do que numa economia fechada.
• Num regime de câmbio flutuante, ao contrário, a política monetária seria muito potente,
enquanto que a política fiscal seria completamente ineficaz.
Y2=Y0
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards