Estudos Dirigidos - Desenvolvimento - Aula 2

Propaganda
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS
INSTITUTO DE ECONOMIA
Curso de Extensão: Formação de Professores – O Mundo do Trabalho e o Currículo
Integrado na Formação de Trabalhadores Jovens e Adultos
ESTUDOS DIRIGIDOS I
1º e 2º semestre de 2011
Disciplina: Desenvolvimento Econômico e o Mundo do trabalho
Parte I – Aula 2
Roteiro de Estudos Orientados
Texto 1
COUTINHO, Luciano Galvão – “Das políticas de recuperação à II Guerra Mundial”, texto mimeografado.
Apresentação
O texto do professor Luciano Coutinho discute as políticas de recuperação econômica nos países
centrais durante a grande depressão dos anos 30. Com o colapso das principais economias a partir da crise
de 1929, os governos destes países procuraram criar mecanismos de combate ao desemprego em massa,
a deflação e depressão de suas economias.
Coutinho analisa como os governos dos Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e França construíram
aparatos institucionais para combater a depressão. O ponto central da discussão do texto é a mudança de
postura e do papel que o Estado passa a ter em relação à condução da economia. Segundo o autor, a
grande mudança diz respeito à implantação de um importante e decisivo aparato regulatório com grande
poder discricionário por parte dos poderes executivos destes países e a criação de diversos órgãos estatais
para combater a depressão e comandar a recuperação da economia.
Dando especial atenção ao “New Deal”, o autor demonstra como o governo do presidente Roosevelt
enfrentou a crise, criando mecanismos de fomento à indústria, combatendo a queda de preços dos produtos
agrícolas, estimulando a concentração econômica, modificando toda legislação bancária e criando uma
série de leis de proteção social com a finalidade de combater o desemprego e o desalento da população.
O autor mostra também como a questão do aumento dos gastos do governo foi peça central nos
mecanismos de recuperação, mesmo sendo o presidente americano à época contrário ao aumento do
déficit público.
Com relação aos demais países, Coutinho demonstra que a superação da grande depressão passa
por caminhos similares. Alemanha, França, Inglaterra e demais países irão utilizar mecanismos de
intervenção estatal para estimular suas economias e tirá-las da paralisia.
Um último aspecto diz respeito aos efeitos práticos destas políticas; Coutinho demonstra que elas
foram eficazes para enfrentar os efeitos da depressão, mas salienta que somente a partir da grande guerra
é que as principais economias irão progressivamente aumentar o nível de emprego e também o
crescimento de suas economias.
Em suma, a partir da crise dos anos 30 a capacidade de recuperação econômica passa por uma nova
forma de relação entre o Estado e a economia, onde a presença Estatal passa a interferir diretamente nos
rumos econômicos dos países.
Na sequência o autor discute como a partir das experiências dos anos 30 foi possível no pós-guerra
criar mecanismos mundiais de regulação e como os Estados construíram melhores mecanismos de controle
e coordenação econômica.
Questões:
1) Como o gasto público ajudou a enfrentar a crise econômica dos anos 30?
2) Como a mediação do estado nas relações entre empresários e trabalhadores pode ser benéfica no
que diz respeito à melhoria dos salários e na manutenção do nível de emprego?
3) Por que dizemos que a crise dos anos 30 marca o colapso do chamado liberalismo econômico?
1
Texto 2
MAZZUCCHELLI, Frederico – “O capitalismo reformado: Notas sobre o New Deal.”, in: Os anos de chumbo:
economia e política internacional no entreguerras. Campinas; Edições Facamp/UNESP. 2009.
Apresentação
O texto do professor Mazzucchelli faz uma minuciosa análise do New Deal, mostrando como foi que o
governo do presidente Roosevelt procurou enfrentar a grande depressão dos anos 30. O autor discute que
o New Deal não foi um programa de política econômica, ao contrário, foi sim uma construção política fruto
de um conjunto de ideias até certo ponto conflituosas, que foram aos poucos dando forma ao aparato
institucional que modificou a estrutura econômica dos Estados Unidos. Mazzucchelli ressalta a importância
das agências reguladoras direcionadas à agricultura e à indústria como forma de regular os preços e os
níveis de demanda.
Toda a criação de leis de proteção social, antes inexistentes no país, foi fundamental para manter os
níveis de renda e de salários minimante estáveis. A criação da previdência social, a mediação do Estado
nas relações entre Sindicatos e Empregadores, a criação do seguro-desemprego, um grande programa de
obras públicas e todo mecanismo regulatório criado pelo governo formaram o grande eixo de recuperação
da economia. Mazzuchelli também partilha da ideia de que apesar de todo este esforço, é apenas com a
entrada americana na Guerra em 1941 que a economia do país vai seguir na senda do crescimento
econômico.
A criação do “Glass Steagall Act” que regulamentou toda a atividade bancária, separando os bancos
comerciais dos bancos de investimentos foi a garantia governamental para coibir os desmandos de um
sistema financeiro desregulado.
Por fim o autor argumenta que aspecto decisivo do New Deal foi o reconhecimento explicito de que
somente a intervenção consciente do Estado poderia livrar a nação dos efeitos dissolventes da concorrência
desabrida.
Questões:
1) Comente a partir das novas relações entre Estado, trabalhadores e empresários, a criação de leis
de proteção social, e o impacto delas na organização da sociedade americana a partir dos anos 30.
2) Por que o setor bancário necessita de regulação por parte do governo?
2
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards