Atividade_no_4.

Propaganda
ESMC
Curso EFA Escolar NS
Data: 31-10-11
CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE
Formando: Maria Helena
CLC 1 – EQUIPAMENTOS, impactos culturais e comunicacionais
Tema 1 – Reflexos da evolução dos equipamentos e sistemas técnicos na Cultura e na Arte
Resultados de Aprendizagem pretendidos:
 Reconheço a multiplicidade de funções utilitárias e criativas dos equipamentos e sistemas
técnicos, em contexto privado;
 Relaciono transformações e evoluções técnicas com as novas formas de acesso à informação, à
cultura e ao conhecimento, reconhecendo o contributo dos novos suportes tecnológicos de
comunicação
ATIVIDADE N.º4 – NOÇÃO DE CULTURA
Avalio a noção de CULTURA em diferentes contextos, do individual ao coletivo, da dimensão étnica
à dimensão massificada
DOC. A: “O que nos torna humanos não é apenas a pertença a uma espécie distinta em termos biológicos, fisiológicos
e de herança genética, mas os modos de aquisição de conhecimento, de formação de ligações afetivas, de
aprendizagem de condutas, de interiorização de crenças e costumes, ou seja, de comportamentos aprendidos no
decorrer da relação que estabelecemos com o meio histórico e social em que vivemos. O que nos diferencia face à
natureza é a cultura. (…)A partir do século XVI, a cultura deixou de significar apenas o trabalho dos campos. Cultura é
educação, civilização, conhecimentos, crenças, artes, valores, leis, costumes, capacidades e hábitos adquiridos pelo
homem em sociedade.”
Excerto do manual Área de Integração, unidade temática 1, Lisboa Editora
1. Explico a frase sublinhada no doc. A
O que nos distingue dos outros animais é a cultura ou seja a nossa capacidade de aprender uso e
costumes traduções leis modos de pensar os relacionamentos ou seja a maneira como nos
relacionamos uns com os outros…
2. Resumo o significado de CULTURA que nos dá este doc.
Cultura é tudo aquilo que o ser humano faz e tudo aquilo que ele acredita.
DOC.B: «O conceito de cultura, tal como o de sociedade, é uma das noções mais amplamente usadas em Sociologia.
A cultura consiste nos valores de um dado grupo de pessoas, nas normas que seguem e nos bens materiais que criam.
Os valores são ideias abstratas, enquanto as normas são princípios definidos ou regras que se espera que o povo
cumpra. As normas representam o «permitido» e o «interdito» da vida social. Assim, a monogamia – ser fiel a um
único parceiro matrimonial – é um valor proeminente na maioria das sociedades ocidentais. Em muitas outras
culturas, uma pessoa é autorizada a ter várias esposas ou esposos simultaneamente. As normas de comportamento
no casamento incluem, por exemplo, como se espera que os esposos se comportem com os seus parentes por
afinidade. Em algumas sociedades, o marido ou a mulher devem estabelecer uma relação próxima com os seus
parentes por afinidade; noutras, espera-se que se mantenham nítidas distâncias entre eles.
1
ESMC
Data: 31-10-11
Curso EFA Escolar NS
CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE
Formando: Maria Helena
Quando usamos o termo, na conversa quotidiana comum, pensamos muitas vezes na «cultura» como equivalente às
«coisas mais elevadas do espírito» – arte, literatura, música e pintura. Os sociólogos incluem no conceito estas
atividades, mas também muito mais. A cultura refere-se aos modos de vida dos membros de uma sociedade, ou de
grupos dessa sociedade. Inclui a forma como se vestem, os costumes de casamento e de vida familiar, as formas de
trabalho, as cerimónias religiosas e as ocupações dos tempos livres. Abrange também os bens que criam e que se
tornam portadores de sentido para eles – arcos e flechas, arados, fábricas e máquinas, computadores, livros,
habitações.
A «cultura» pode ser distinguida conceptualmente da «sociedade», mas há conexões muito estreitas entre estas
noções. Uma sociedade é um sistema de inter-relações que ligam os indivíduos em conjunto. Nenhuma cultura pode
existir sem uma sociedade. Mas, igualmente, nenhuma sociedade existe sem cultura. Sem cultura, não seríamos de
modo algum «humanos», no sentido em que normalmente usamos este termo. Não teríamos uma língua em que nos
expressássemos, nem o sentido da autoconsciência, e a nossa capacidade de pensar ou raciocinar seria severamente
limitada [...].
O principal tema deste capítulo e do próximo é, de facto, o da relação entre a herança biológica e a herança cultural
da humanidade. As questões relevantes são: o que distingue os seres humanos dos animais? De onde provêm as
nossas características distintivamente «humanas»? Qual a natureza da natureza humana? Estas questões são cruciais
para a Sociologia, porque são as bases de todo o seu campo de estudo. Para lhes responder, devemos analisar tanto o
que os humanos têm em comum como as diferenças entre as diversas culturas.
As variações culturais entre seres humanos estão ligadas a diferentes tipos de sociedade [...].»
In A Giddens – Sociologia, FCG, pp.46-47
3. Retiro do doc.B uma definição de cultura.
2
«A cultura refere-se aos modos de vida dos membros de uma sociedade, ou de grupos dessa
sociedade»
4. Segundo o doc.B, o que nos vem à cabeça quando referimos o termo CULTURA?
«Quando usamos o termo, na conversa quotidiana comum, pensamos muitas vezes na «cultura»
como equivalente às «coisas mais elevadas do espírito» – arte, literatura, música e pintura.»
5. Que dizem em comum os documentos A e B?
Ambos os textos falam que somos humanos porque somos criadores de cultura e é isso que nos
diferencia dos outros animais.
6. Procuro na internet o significado da expressão “Padrões Culturais” e encontro-o no doc.B
Padrões Culturais é um padrão de modelos de viver, ser, criar, pensar e agir próprios de um
sociedade ou grupo que se torna característica.
Problemas que decorremos padrões culturais: etnocentrismo considerarmos que a nossa
cultura é que é boa e as outras são inferiores.
Xenofobia
desconfiar
e
recear
das
culturas
diferentes
da
nossa.
Porém existe indivíduos que não aceitam os pacotes culturais prontos, reagindo de
ESMC
Data: 31-10-11
Curso EFA Escolar NS
CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE
Formando: Maria Helena
maneira adversa às imposições socioculturais as quais está submetido. Através da
dinâmica o indivíduo, de fato, nem sempre recebe passivamente a herança social que lhe
é transmitida. Ele a interpreta segundo suas características pessoais e dessa maneira
concorre para introduzir pequenas variações, criando clima próprio às inovações. Se tal
indivíduo consegue fazer com que outros absorvam suas inovações de maneira a influir
mesmo naqueles que não as aceitem poderá haver modificações em certos padrões.
7. O que são “Subculturas” e “Contraculturas”? Dou exemplos que conheço.
São grupos culturais que se desenvolvem dentro das sociedades e que tem características próprias:
forma de vestir equipamentos gostos musicais opções de vida…..ex.: góticos ipês desportistas
radicais.
Contraculturas são grupos que se opõem aos padrões dessa mesma sociedade.
Com base nos vídeos distingo CULTURA POPULAR, CULTURA ERUDITA E CULTURA DE MASSAS
Cultura de massas são produtos culturais que foram feitos para serem apreciados e consumidos pelo grande
número de pessoas e chegam até elas através dos médios.
Cultura popular tem raízes nas traduções populares de cada país ao povo e que os identifica ex.: folclore
português lendas tango argentino samba. A cultura erudita é a cultura das elites e das minorias com poder
económico político ou elevada escolaridade.
8. Busco
na
internet
imagens
que
Góticos
Hippies
ilustram
os
conceitos
pesquisados
e
Cultura popular
analisados.
3
ESMC
Curso EFA Escolar NS
Data: 31-10-11
CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE
Formando: Maria Helena
Cultura de massas
Cultura erudita
4
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards