2 Subfilo Crustacea

Propaganda
Subfilo Crustacea
Classe Malacostraca
Ordem Decapoda –Caranguejos,
camarões, lagostas...
Ordem Isopoda – tatuzinho-de-jardim,
baratinhas –da-praia.
Classe Maxillopoda
Subclasse Thecostraca - cracas
Subclasse Copepoda - copepodes
Subclasse Ostracoda
Subfilo Crustacea
Morfologia externa
• Morfologia externa
• Corpo formado por: região cefálica com 5 segmentos, tronco –
tórax e abdômen com apêndices;
• Segmentos da cabeça possuem: Antênulas (1º par), antenas (2º
par), mandíbulas, maxílulas (1º par de maxila) e maxilas (2º par);
• Olhos simples em alguns e maioria olhos compostos - sésseis ou
pedunculados - móveis;
• Escudo cefálico ou carapaça presente.
• Em Malacostraca:
• De 1 a 3 segmentos torácicos (toracômeros) são fundidos à
cabeça e os apêndices desses segmentos são incorporados à
cabeça como peças bucais adicionais – os maxilípedes
• apêndices torácicos livres - pereópodes - birremes
• apêndices abdominais – pleópodes seguido de uma placa
denominada télson onde se localiza o ânus.
• Último par de pleópodes é voltado para trás diferente dos
demais – urópodes.
• Apêndices multiarticulados , unirremes e birremes.
• Apêndice padrão dos crustáceos é composto por:
• Um protopodito basal do qual podem derivar enditos
(endópodo-interno) e exitos (exópodo- externo).
MORFOLOGIA INTERNA
• NUTRIÇÃO
• variedade de dietas e mecanismos de
alimentação;
• apêndices tronco anterior adaptados ao
consumo de suspensão; predação ou coleta;
• mandíbulas e maxilas – apreensão, mordedura e
direção alimento a boca;
• maior n.º de filtradores de suspensão – cerdas
modificadas.
• Sistema Digestório
BOCA ventral
Estomodeo (região anterior) formado
por:
esôfago + estômago cardíaco
(triturar) e pilórico (absorção)
Intestino médio – vários cecos
Cecos transformados em gl digestivas
hepatopâncreas - absorção ocorre intestino
médio.
• TRANSPORTE INTERNO
• Formado por um coração dorsal com óstios inserido interior do
pericárdio e vasos com graus variados que se abrem na
hemocele.
• Forma coração e número de óstios estão associados a forma do
corpo e a localização das estruturas de trocas gasosas.
• Sangue contém tipos celulares: amebócitos granulares e
fagocitários e células explosivas especiais que liberam
anticoagulante.
• Maioria apresenta hemocianina no plasma e poucos
hemoglobina.
• Sangue=hemolinfa
• TROCA GASOSA
• BRÂNQUIAS associadas aos apêndices e carapaças que
mantém a umidade– com grande variação.
• Forma pequenas – copépodes e ostrácodes não possuem
brânquias troca é cutânea.
• Adaptações aos crustáceos terrestres (tatuzinho de jardim)que
apresentam estruturas de trocas gasosas chamadas
pseudotraquéias.
• EXCREÇÃO
• Liberam amônia tanto pelos
nefrídios com pelas
brânquias
• Nefrídios formados por um
saco terminal, um canal
excretor e duto de saída
localizados segmentos das
antenas ou maxilas –
chamados glândulas das
antenas ou maxilares
• poro excretor se abre:
– Na base 2º par de antena ou
base 2º par maxilas.
Craca
ÓRGÃO EXCRETOR DO LAGOSTIM.
Poro excretor se abre sobre a base da antena.
Reabsorção protéica ocorrem no labirinto
Ultrafiltração da hemolinfa ocorre através parede do saco
terminal e armazenamento da urina ocorre na bexiga
• Sistema Nervoso
• Formado por gânglios segmentares bem separados e ligados
por comissuras transversais e conectivos longitudinais.
• Cérebro composto por 3 gânglios fundidos: protocérebro,
deuterocérebro e tritocérebro.
• Cordão nervoso ventral com gânglios.
• ÓRGÃOS SENSORIAIS
• OLHOS – compostos e laterais, diferenciação
das cores;
– Olhos nauplianos – larvas podem permanecer até
adulto
– Olhos podem discernir formas, padrões e
movimento , a percepção de cores em algumas
espécies .
– Adaptação a visão aquática.
• PÊLOS SENSORIAIS – corpo e apêndices
• ESTATOCISTOS
• Cápsula oca forrada por células mecanorreceptoras.
• Orientação do que está para cima e para baixo;
• Camarões, lagostas, lagostins e caranguejos localizados
nas antênulas ou base abdômen
• REPRODUÇÃO
• maioria diócos;
• órgãos pareados e alongados;
• Esternitos - segmentos portam gonóporos
variáveis
• Fecundação interna com cópula ou gonópodes
(apêndices abdominais modificados)
• CÓPULA
• macho com apêndices modificados para segurar
fêmea;
• camarões, lagostas e caranguejos – espermatozóides
imóveis sem flagelo;
• alguns apresentam espermatóforo;
• ovos incubados por tempo variado;
• OVOS PODEM estar:
– presos aos apêndices,
– dentro câmara incubadora em partes variadas do
corpo;
– retidos dentro saco secretado quando ovos são
expulsos.
LARVAS planctônica livre-nadante – espécies aquáticas –
diferenciadas entre grupos;
• Tipo inicial e básico
larva – NAÚPLIO – 3
segmentos com 3
pares apêndices :
– 1ª e 2ª pares antena e
mandíbulas (com
cerdas natatórias);
– 1 olho mediano ou
naupliano na frente
cabeça;
– segmentos e
apêndices adicionais
são adquiridos
gradualmente.
• Cinco estágios pré-adulto: náuplio, metanáuplio, protozoé,
zoé e pós-larva.
• Tipo de larva distinto – ZOÉ – caranguejos e camarões –
crescimento de 8 segmentos com apêndices posteriores a
carapaça
• Com aquisição de novos apêndices torna-se PÓS-LARVA –
muito semelhante adulto – após mudas sucessivas atinge a
maturidade.
• CLASSE MALACOSTRACA (camarões, caranguejos e lagostas);
• Cabeça: 2 pares antenas (1º par antênulas e 2º par antenas
birremes), 1 par mandíbula, 2 pares maxilas
• Corpo com 19-20 segmentos: 5 segmentos cefálicos
• Tórax com 8 e o abdômen com 6 segmentos terminando no télson;
• Tórax (PÉRON)com ou sem carapaça (dobra ampla da parede do
corpo); todos segmentos com apêndices;
• 1 a 3 segmentos torácicos fundem-se a cabeça-para formar
cefalotórax;
• 3 primeiros apêndices torácicos modificados formam
MAXILÍPEDES utilizados na alimentação;
• Apêndices torácicos – PEREÓPODES (5 pares)
• Apêndices abdominais (5 primeiros pares) – os PLEÓPODOS –
utilizados natação, escavação, ventilação, transporte de ovos na
fêmea, as vezes trocas gasosas
• machos – 1º e 2º par de pleópodes - órgãos copulatórios
• ramos do 6º apêndices abdominais – URÓPODOS – grande
pedaço achatado + télson formam leque usados natação –
fuga.
• GONÓPOROS:
• femininos – 6º segmento torácico
• masculinos - 8º segmento torácico
• ORDEM DECAPODA
• camarões, caranguejos, lagostas, lagostins;
• maioria marinhas, lagostins, camarões e
caranguejos invadiram água-doce e
caranguejos terrestres;
• distinguem - 3 primeiros pares de apêndices
torácicos modificados como maxilípedes;
• 5 pares apêndices torácicos restantes são
pernas;
• 1º par aumentado com garras – denominado
quelípede;
• Carapaça envolvem as brânquias.
• Brânquias representam um caráter importante na taxonomia´.
• Todas as brânquias dos decápodes surgem nos epipoditos coxais
torácicos, mas a posição da inserção pode variar.
– Brânquias ligadas a coxa = podobrânquias
– Brânquias posicionadas na membrana de articulação entre a
coxa e o corpo= artrobrânquias
– Brânquias associadas a parede lateral do corpo =
pleurobrânquia
• Podem variar quanto tipos estruturais básicos:
• Dendrobrânquias – dois ramos principais que derivam
eixo central e subdividido em ramos;
• Tricobrânquias – série de filamentos não ramificados
que partem do ramo central
• Filobrânquias – ramos em aspecto foléaceo
• ORDEM ISOPODA
• baratinha-de-praia - marinhos, água-doce e tatuzinhos
terrestres;
• corpo dorsalmente achatado, sem carapaça, abdome curto,
parcial ou totalmente fundido.
• Possuem 20 segmentos agrupados em cabeça, tórax e
abdome.
– Cabeça formada por 7 segmentos fundidos, tórax por 7
segmentos e abdome por 6 segmentos.
• olhos compostos;
• Baratinha-da-praia (Ligia exotica)
• Cabeça formada por 5 segmentos e
encaixada numa depressão do 1º
segmento torácico;
• 1 par olhos compostos; 1 par
antênulas reduzidas e 1 par de
antenas longas.
• 1 par mandíbulas, 2 pares maxilas,
1 par maxilípodes
• Tórax – 7 segmentos
• Placas dorsais imbricadas com
projeções laterais.
• Ventralmente 7 pares de
pereópodes;
• Abertura sexual das fêmeas no 5º
pereópode
Abdome
• 6 segmentos: os dois anteriores
mais estreitos, curtos e cobertos
pelo último segmento torácico.
• Presença pleópodes que são
modificados em brânquias.
• Macho: 2 primeiros pares
pleópodes são transformados em
estiletes utilizados para cópula.
• Telso é formado pelo último
segmento abdominal e dele origina
1 par de urópodes
Classe Maxillopoda
Subclasse
Thecostracacracas, lepas
Subclasse
Copepoda copépodes
Subclasse
Ostracoda –
ostracodes
• Classe Maxillopoda
• Subclasse Thecostraca – cracas e lepas
• Crustáceos altamente modificados de hábitos sésseis e com
concha.
• Foram incorporados nos crustáceos pelas características das
formas larvais.
• CRACAS – marinhos
• sésseis – fixas rochas, conchas, corais;
• Vida livre encontradas nas zonas entremarés até grandes
profundidas.
• Tórax fundido com a cabeça;
• Não há apêndices típicos no abdômen; télson ausente na maioria
• Carapaça presente ou reduzida;
• Apêndices torácicos estão
transformados em 6 pares longos
de cirros birremes com cerdas
para capturar o alimento.
• Maioria é hermafrodita e a
fertilização cruzada.
• Ovo se desenvolve na cavidade
do manto e origina a larva
náuplio - transforma na larva
cipris e com concha (típica
bivalve) e depois em adulto.
• Larva ciprial sedimenta no
substrato através glândulas de
cimento localizadas na base 1ª
antena;
• Lepas sp
• SUBCLASSE COPEPODA
• Maior número de espécies;
• São pequenos medem 0,5-10mm, mas algumas formas
livres excedem 1,5cm - alongados e afilados
posteriormente;
• Carapaça ausente e escudo cefálico bem desenvolvido;
• Olho simples e mediano,
simples, naupliar nos
adultos;
• Antênulas unirremes;
• Antenas birremes;
• 1 ou mais toracômeros
fundidos a cabeça, 1 par de
maxilípedes unirremes;
• tórax com 6 segmentos – 4
-5 pares apêndices
torácicos natatórios
birremes;
• abdômen com 5 segmentos
destituídos de apêndices;
• ECOLOGICAMENTE
• Copépodes de vida livre – importantes e
dominam o 1º nível trófico consumidor em
comunidades aquáticas;
– Sistemas marinhos – copépodes: organismos mais
abundantes do zooplâncton;
– Compõem o percentual mais elevado da biomassa
(matéria viva);
– Formam a maior parte da dieta de peixes de
grande importância ecológica e econômica
• Subclasse Ostracoda
• Crustáceos diminutos, comprimento varia de 0,5 a
4mm, podendo alguns espécimes alcançar 20mm,
ou mais.
• São essencialmente aquáticos, vivendo
em águas doces, salobras e marinhas
Concha
Cerdas das
antenas
• Corpo com segmentação reduzida, com 6 a 8 pares de apêndices
(inclui o apêndice copulador);
• Tronco sem divisão visível - tórax e abdome e com 1 a 3 pares de
apêndices de estrutura varável;
• Ramos caudais presentes, gonóporos anteriores aos ramos
caudais;
• Carapaça bivalve articulada dorsalmente por músculo adutor;
• Carapaça com variação de forma e ornamentação;
• Olho naupliar simples (maioria)
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards