Apresentação Dr Eduardo Oliveira

Propaganda
História Natural da Infecção
pelo HIV
Eduardo Campos de Oliveira
Hospital Nereu Ramos
Gerência de DST/HIV/Aids
DIVE-SES
História Natural da Infecção pelo
HIV
• Para o paciente, a aids começa no
diagnóstico da infecção pelo HIV:
– Auto-estima;
– Insegurança;
– Depressão/Ansiedade;
– Sexualidade;
– Estigma.
História Natural da Infecção pelo
HIV
• Com repercussões
– Pessoais;
– Domésticas;
– Conjugais;
– Afetivas;
– Profissionais;
– Outras.
Patients with illnesses that, in retrospect, were manifestations of acquired immunodeficiency
syndrome (AIDS) were first described in the summer of 1981.
Fonte:
CDC. Pneumocystis pneumonia--Los Angeles. MMWR 1981;30:250-2.
CDC. Kaposi's sarcoma and Pneumocystis pneumonia among homosexual men--New York City
and California. MMWR 1981;30:305-8.
Associação HIV-Aids
•
1982: Vírus Linfotrópico de Células T Humanas tipo III / Vírus Associado à
Linfadenopatia (HTLV-III/LAV)
– Fonte: CDC. Update on acquired immune deficiency syndrome (AIDS)-United States. MMWR 1982;31:507-14.
•
•
Reconhecido como causador da AIDS.
Manifestações clínicas da infecção pelo HTLV-III/LAV atribuídas a efeito
direto do vírus ou a condições secundárias a disfunção imune conseqüente
à ele.
O espectro de manifestações clínicas variam de nenhum a sintomas não
específicos, desordens imunológicas e neurológicas, uma variedade de
doenças oportunistas e vários tipos de doenças malignas (neoplasias).
Testes laboratoriais para detectar anticorpos anti-HTLV-III/LAV melhoram a
especificidade da definição utilizada para a notificação de casos.
•
•
– Fonte: CDC. MMWR- June 28, 1985 / 34(25);373-5
História Natural da Infecção
pelo HIV (Não Tratada)
1000
800
+
600
Infecções Precoces
CD4
Infecções Tardias
400
200
0
1
Infecção
2
3
4
5
6
7
8
9
Tempo em Anos
10 11 12 13 14
Quando Iniciar a TARV?
Risco Relativo de Progressão
Clínica (em relação a CD4>
350/mm3)
(Relação entre Risco de Progressão e
Valor de CD4 no Início do Tratamento)
4,5
4
3,5
4,3
3
2,5
2
1,5
1
0,5
0
n = 1.162
Fonte: Sterling, 2002
1
1,6
CD4 > 350
CD4 200-350
CD4 < 200
Relação entre Progressão Clínica e
Marcadores Laboratoriais
Indicação de TARV baseada no CD4
> 350
350
200 < 200
Tratar
Aguardar
Recomenda-se tratar
Considerar
razões para
tratar
Considerar razões
para não tratar
Limitações da Terapia
HAART


Falha inicial de tratamento de 10%–50%
Requer boas opções de resgate
•

Problemas de resistência cruzada
Adesão
•
Tolerância ao regime de drogas
 Efeitos colaterais
•
Complexidade dos regimes
Taxa de Resposta Virológica com a Terapia
Anti-Retroviral em Diferentes Situações
90
80
70
Tratamento Inaugural
60
50
90%
Primeira Falha
40
30
Múltiplas Falhas
20
30%
15%
10
0
Tratamento
Inaugural
Primeira
Falha
Múltiplas
Falhas
Evolução da Imunodepressão e as Doenças
Oportunistas
Candidíase oral (pseudo-membranosa)
Evolução da Imunodepressão e as Doenças
Oportunistas
Tuberculose
Miliar
CAVITÁRIA
(não-Aids)
MILIAR
(Aids)
Estrófulo
Neurotoxoplasmose
Cisto
Caminho da resistência e falha
terapêutica
HIV I Variantes resistentes
 Pré-existentes
• Transmitidos
• Polimorfismo
Níveis sub-inibitórios
das drogas ARV
 Selecionado
Replicação persistente do HIV
Evolução para resistência
Falha terapêutica
Falha imunológica do
hospedeiro
Melhorando a Aderência
•
•
•
•
•
•
Boa relação médico-paciente
Boa relação instituição-paciente
Boa qualidade do atendimento
Reforço permanente
Apoio social
Regimes simples
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards