Historia_Moderna_I

Propaganda
Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação – FAED
PLANO DE ENSINO
DEPARTAMENTO:
CURSO:
DISCIPLINA:
CARGA HORÁRIA:
PROFESSORA:
DH – DEPTO. DE HISTÓRIA
HISTÓRIA
HISTÓRIA MODERNA I
72
Silvia Liebel
ANO/SEMESTRE:
FASE:
TURNO:
CRÉDITOS:
2016 - 1
3a
Noturno
04
1 EMENTA
Sociedade e Cultura na passagem do medievo aos tempos modernos. O Renascimento. A Formação do
Estado Nacional e o absolutismo. Expansão ultramarina, os sistemas coloniais e o mercantilismo. As
reformas religiosas. O liberalismo e o Estado Nacional. Cultura Popular no período moderno. O Barroco
e o Neo-Clássico.
2 HORÁRIO DAS AULAS
DIA DA SEMANA
Segunda-feira
Sexta-feira
3 CRONOGRAMA DAS AULAS
MÊS
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
HORÁRIO
18:10-19:50
18:10-19:50
CRÉDITOS
02
02
DIAS
22, 26, 29
04, 07, 11, 14, 18, 21, 28
01, 04, 08, 11, 15, 18, 25, 29
02, 06, 09, 13, 16, 20, 23, 30
03, 06, 10, 13, 17, 20, 24, 27
4 OBJETIVOS
4.1 OBJETIVO GERAL
A disciplina visa destrinchar as mutações da Europa dos séculos XVI e XVII: a construção do aparelho
estatal, as rupturas religiosas, os choques entre os reinos em afirmação, o lento processo de refinamento
dos hábitos e controle das pulsões sob o impacto do processo civilizador e da ação judiciária que
moldaram o indivíduo moderno. Busca-se, com o favorecimento do temático sobre a cronologia,
enfatizar as transformações nas mentalidades que levaram às mudanças na ordem então vigente.
4.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Analisar o processo de centralização do poder monárquico e seu impacto sobre as populações e a
ordem internacional;
- Apreender a diversidade dos contextos espaço-temporais discutidos;
- Considerar os desníveis culturais no período abordado e os esforços conjuntos dos Estados e da Igreja
visando à uniformização das consciências;
- Estudar a formação da sociedade curial e a relação entre o centro e as margens;
- Compreender a pluralidade de pensamentos coexistentes no período, do humanismo à Europa das
fogueiras;
- Refletir acerca das crises do século XVII e das consequentes mudanças nos centros de poder;
- Desenvolver criticidade em relação às interpretações historiográficas sobre aspectos destacados da
história moderna;
- Da historiografia às fontes primárias, passando pelo cinema e pela literatura, procurar-se-á ponderar
sobre os contextos sociais no período analisado e seus sistemas de representação no imaginário.
5 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
I – A gênese do mundo moderno
 Periodização e conceitos
 Continuidades e rupturas na transição do Medievo à Era Moderna
II – A Renascença
 A Itália como berço
 O humanismo
 François I: o rei da Renascença francesa
 O período elisabetano e a Renascença inglesa
 A revolução científica
III – Os mundos do impresso
 A revolução de Gutenberg
 O mercado editorial no Antigo Regime
 A difusão de modelos de comportamento
 Utopia e crítica social
IV – As guerras confessionais
 A Reforma protestante
 As guerras de religião
 A Reforma católica e a Contrarreforma
 A reforma dos costumes
 A caça às bruxas
V – Choques culturais
 O tempo dos mediadores
 O Carnaval: festa e revolta
 Os reinados da juventude
 O mundo às avessas
 O centro e as margens: o avanço do processo civilizador
VI – O Estado moderno
 Maquiavel, o bom príncipe e o problema da religião na política
 Absolutismo: conceitualização, reforço do aparato estatal, mecanismo de coerção
 A França dos Bourbon
 A Inglaterra Tudor
 A Espanha de Filipe II
VII – As crises do século XVII
 A Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) e a nova dinâmica internacional
 A Guerra Civil inglesa (1641-1649)
6 METODOLOGIA
Aulas expositivas com discussão de textos previamente selecionados. Além da produção historiográfica,
serão analisadas fontes primárias e filmes seletos representando aspectos do período.
7 AVALIAÇÃO
ATIVIDADE
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Prova escrita individual e sem consulta: avaliação Coesão, clareza, gramática, estilo,
do conteúdo apresentado em aulas e textos. Data aprofundamento teórico
prevista: 25/04. Valor: 10
Ensaio a partir de bibliografia indicada no início do
semestre. Entrega: 20/05 (entrega fora do prazo
receberá o desconto de 1 ponto/dia). Atividade que
contará parcialmente como aula não-presencial,
prevista para ocupar 04 horas/aula. Valor: 10
Prova escrita individual e sem consulta: avaliação
do conteúdo apresentado em aulas e textos. Data
prevista: 24/06. Valor: 10
PESO
1
Análise da bibliografia indicada,
iniciativa de pesquisa, reflexão
individual sobre o tema, coesão,
clareza, gramática, estilo
1
Coesão, clareza, gramática,
aprofundamento teórico
1
estilo,
Relatório de fonte (opcional): análise de fonte Inserção da fonte em seu contexto,
indicada no início do semestre. Data prevista: análise documental, coesão, clareza,
06/06 (não será aceito após o prazo) Valor: 1 ponto gramática, estilo, aprofundamento
na média.
teórico
Observação: Plágio é crime. Plagiar significa apropriar-se do texto de outrem, integral ou parcialmente,
sem referenciar a origem. Esta prática resultará em nota zero em qualquer das atividades e no
encaminhamento do caso ao colegiado do curso.
8 BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BAKHTIN, Mikhail. A Cultura popular na Idade Média e no Renascimento. São Paulo: HUCITEC, 1987.
BERCÉ, Yves-Marie. Fête et révolte. Des mentalités populares du XVIe au XVIIIe siècle. Paris: Hachette, 1994.
____. O Rei oculto: salvadores e impostores. Mitos políticos populares na Europa moderna. São Paulo: EDUSC,
2003.
BLOCH, Marc. Os Reis Taumaturgos. São Paulo: Cia. das Letras, 1993.
BODIN, Jean. Os Seis livros da República. São Paulo: Ícone, 2011.
BREMMER, Jan; ROODENBURG, Herman (org.). Uma história cultural do humor. Rio de Janeiro: Record,
2000.
BURCKHARDT, Jacob. A Cultura do Renascimento na Itália. São Paulo: Cia. das Letras, 1991.
BURKE, Peter. A Cultura popular na Idade Moderna: Europa 1500-1800. São Paulo: Cia das Letras, 1991.
DAVIS, Natalie Z. Culturas do Povo: sociedade e cultura no início da França Moderna. Rio de Janeiro: Paz &
Terra, 1990.
DELUMEAU, Jean. Le Catholicisme entre Luther et Voltaire. Paris: PUF, 1984.
____. A Civilização do Renascimento. Lisboa: Estampa, 1994.
____. Au Cœur Religieux du XVIe siècle. Paris: Le Livre de Poche, 1983.
____. História do medo no ocidente: 1300-1800. Uma cidade sitiada. São Paulo: Cia. das Letras, 1989.
EISENSTEIN, Elizabeth L. The Printing revolution in Early Modern Europe. Cambridge: Cambridge University,
2005.
ELIAS, Norbert. O Processo Civilizador. Rio de Janeiro: Zahar, 1993. 2 v.
ERASMO DE ROTTERDAM. Elogio da Loucura. São Paulo: M. Fontes, 2000.
EARTMAN, Thomas. Birth of the Leviathan. Cambridge: Cambridge University, 2004.
FEBVRE, Lucien. O Problema da incredulidade no século XVI: a religião de Rabelais. São Paulo: Cia. das
Letras, 2009.
____. Michelet e a Renascença. São Paulo: Scritta, 1995.
FEBVRE, Lucien; MARTIN, Henri-Jean. L’apparition du livre. Paris: A. Michel, 1999.
GARIN, Eugenio (org.). O Homem Renascentista. Lisboa: Presença, 1991.
GINSZBURG, Carlo. Os Andarilhos do Bem: feitiçaria e cultos agrários nos séculos XVI e XVII. São Paulo: Cia.
das Letras, 1988.
____. História noturna: decifrando o sabá. São Paulo: Cia. das Letras, 1991.
____. O queijo e os vermes: o cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Cia.
das Letras, 1987.
GRAFTON, Anthony. What was History ? The Art of History in Early Modern Europe. Cambridge: Cambridge
University Press, 2007.
HILL, Christopher. O Mundo de Ponta Cabeça. Idéias Radicais durante a Revolução Inglesa de 1640. São Paulo:
Cia. das Letras, 1987.
_____. O eleito de Deus: Oliver Cromwell e a Revolução Inglesa. São Paulo: Cia. das Letras, 1988.
HOBBES, Thomas. Leviatã. São Paulo: Nova Cultural, 1997.
JARDINE, Lisa. Wordly Goods. A new history of the Renaissance. New York/London: W. W. Norton, 1996.
JOUANNA, Arlette, et all. La France de la Renaissance. Histoire et dictionnaire. Paris: R. Laffont, 2001.
____. Histoire et dictionnaire des Guerres de Religion. Paris: R. Laffont, 1998.
____. La Saint-Barthélemy. Les mystères d’un crime d’État. Paris: Gallimard, 2007.
LADURIE, Emmanuel Le Roy. O Carnaval de Romans. Da Candelária à Quarta-Feira de Cinzas 1579-1580.
São Paulo: Cia. das Letras, 2002.
____. O Estado Monárquico França 1460-1610. São Paulo: Cia. das Letras, 1994.
LEVER, Maurice. Le sceptre et la marotte. Histoire des fous de cour. Paris: Fayard, 1983.
MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. São Paulo: Três, 1974.
MAN, John. A Revolução de Gutenberg. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.
MANDROU, Robert. Magistrados e feiticeiros na França do século XVII. São Paulo: Perspectiva, 1979.
MINOIS, Georges. História do riso e do escárnio. São Paulo: UNESP, 2003.
MONTEIRO, Rodrigo B. “As Reformas Religiosas na Europa Moderna: notas para um debate historiográfico”.
In: Varia Historia. Belo Horizonte, v. 23, n. 37, jan./jun. 2007, p. 130-150.
MORE, Thomas. Utopia. São Paulo: Nova Cultural, 1987.
MUCHEMBLED, Robert. Culture populaire et culture des élites dans la France moderne (XVe-XVIIIe siècle).
Paris: Flammarion, 1978.
____. História da violência. Do fim da Idade Média aos nossos dias. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.
____. L’invention de la France moderne. Monarchie, cultures et société (1500-1660). Paris : A. Colin, 2002.
____. L’Invention de l’homme moderne: Cultures et sensibilités en France du XVe au XVIIIe siècle. Paris: Fayard,
1988.
____. Uma história do Diabo. Séculos XII-XX. Rio de Janeiro: Bom Texto, 2001.
____. Passions de femmes au temps de la reine Margot 1553-1615. Paris: Seuil, 2003.
NEXON, Daniel H. The Struggle for power in Early modern Europe. Princeton: Princeton University, 2009.
RABELAIS, François. Gargântua e Pantagruel. Belo Horizonte: Itatiaia, 2003.
SHAPIRO, James. 1599: um ano na vida de William Shakespeare. São Paulo: Planeta, 2010.
SKINNER, Quentin. As Fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Cia. das Letras, 1996.
THOMAS, Keith. Religião e o declínio da magia. São Paulo: Cia. das Letras, 1991.
TREVOR ROPER, Hugh. Religião, Reforma e Transformação Social. Lisboa: Presença, 1972.
WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1983.
WILSON, Peter H. The Thirty Years War. Europe’s tragedy. Cambridge: Harvard University, 2009.
Informações adicionais em: seiziemiste.wordpress.com
Contato: [email protected]
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards