COOPEN – Cooperativa de Ensino de Rio Verde Ltda

Propaganda
Data
___/___/2015
DNA - Sistema Hércules de Educação
[email protected]
Série:
Turma: U
Professor:
Estudante:
Disciplina:
Lista do Dia
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
O ASSINALADO
Tu és o louco da imortal loucura,
o louco da loucura mais suprema.
A terra é sempre a tua negra algema,
prende-te nela a extrema Desventura.
Mas essa mesma algema de amargura,
mas essa mesma Desventura extrema
faz que tu'alma suplicando gema
e rebente em estrelas de ternura.
Tu és Poeta, o grande Assinalado
que povoas o mundo despovoado,
de belezas eternas, pouco a pouco.
Na Natureza prodigiosa e rica
toda a audácia dos nervos justifica
os teus espasmos imortais de louco!
(SOUSA, Cruz e. Poesia completa. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura, 1981. p. 135)
1. O título do texto - "O ASSINALADO" - remete a uma concepção de poeta que se associa, a um só
tempo, às correntes estéticas do Simbolismo e do Romantismo. Apresente essa concepção.
2. Sobre a poesia parnasiana, assinale o que for correto.
01) Acima de todas as características do Parnasianismo ressalta o primado da emoção e a aparente
rejeição do racionalismo.
02) A poesia parnasiana é um ritual mágico, uma combinação alquímica de palavras de outras
dimensões de existência, uma simbiose do som e do sentido.
04) A ênfase formalista do estilo parnasiano levou-o a desprezar o assunto em função da
supervalorização da técnica e, portanto, separar o sujeito criador de seu objeto criado.
08) A ênfase na característica formal induz a associação mais analógica do que lógica entre as palavras e
permite a criação do poema-prosa.
16) O fazer artístico fundamenta-se na "transpiração", ou seja, no cuidado com a linguagem, a forma, a
lapidação e o refinamento do texto.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Alma fatigada
Para quem faz DNA, a seleção é natural!
Nem dormir nem morrer na fria Eternidade!
mas repousar um pouco e repousar um tanto,
os olhos enxugar das convulsões do pranto,
enxugar e sentir a ideal serenidade.
A graça do consolo e da tranquilidade
de um céu de carinhoso e perfumado encanto,
mas sem nenhum carnal e mórbido quebranto,
sem o tédio senil da vã perpetuidade.
Um sonho lirial d'estrelas desoladas,
onde as almas febris, exaustas, fatigadas
possam se recordar e repousar tranquilas!
Um descanso de Amor, de celestes miragens,
onde eu goze outra luz de místicas paisagens
e nunca mais pressinta o remexer de argilas!
(CRUZ E SOUSA. Obra completa. Rio de Janeiro: Editora José Aguilar, 1961, p. 191-192.)
Carta a Manuel Bandeira, S.Paulo, 28-III-31
Manú,
bom-dia. Amanhã é domingo pé-de-cachimbo, e levarei sua carta, (isto é vou ainda rele-la pra ver
si a posso levar tal como está, ou não podendo contarei) pra Alcantara com Lolita que tambem ficarão
satisfeitos de saber que você já está mais fagueirinho e o acidente não terá consequencia nenhuma.
Esse caso de você ter medo duma possivel doença comprida e chupando lentamente o que tem de
perceptivel na gente, pro lado lá da morte, é mesmo um caso serio. Deve ser danado a gente morrer
com lentidão, mas em todo caso sempre me parece inda, não mais danado, mas semvergonhamente
pueril, a gente morrer de repente. Eu jamais que imagino na morte, creio que você sabe disso. Aboli a
morte do mecanismo da minha vida e embora já esteja com meus trinteoito anos, faço projetos pra
daqui a dez anos, quinze, como si pra mim a morte não tivesse de "vim"... como todos pronunciam. A
idea da morte desfibra danadamente a atividade, dá logo vontade da gente deitar na cama e morrer,
irrita. Aboli a noção de morte prá minha vida e tenho me dado bem regularmente com êsse
pragmatismo inocente. Mas levado pela sua carta, não sei, mas acho que não me desagradava não me
pôr em contacto com a morte, ver ela de perto, ter tempo pra botar os meus trabalhos do mundo em
ordem que me satisfaça e diante da infalivel vencedora, regularisar pra com Deus o que em mim sobrar
de inutil pro mundo.
(MÁRIO DE ANDRADE. Cartas de Mário de Andrade a Manuel Bandeira. Rio de Janeiro: Organização
Simões, 1958, p. 269-270.)
3. Os dois textos apresentados focalizam, sob pontos de vista distintos, a relação entre a vida e a morte
ou entre a vida e a eternidade. Releia atentamente o soneto de Cruz e Sousa e, partindo do pressuposto
de que o Simbolismo brasileiro desenvolveu e ampliou algumas características do Romantismo,
identifique no desenvolvimento do conteúdo do soneto, sobretudo no desejo manifestado nos últimos
três versos, uma característica típica do Romantismo.
Para quem faz DNA, a seleção é natural!
4. Reflita sobre a charge.
A charge ilustra uma problemática que afeta parte da população brasileira. Identifique a alternativa cuja
interpretação esteja coerente com a ideia do chargista.
a) Toda quarta-feira de cinzas é um dia triste porque todos devem voltar ao trabalho.
b) Os banqueiros se divertem com o dinheiro do povo durante o período de Carnaval.
c) Nos meses de fevereiro, o salário sempre acaba depois da quarta-feira de cinzas.
d) Durante o Carnaval, algumas pessoas fazem despesas acima de seus rendimentos.
e) Os brasileiros têm excelentes condições de vida apenas nos dias de Carnaval.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
AS VELHAS ÁRVORES
"Olha estas velhas árvores, - mais belas,
Do que as árvores moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas...
O homem, a fera e o inseto à sombra delas
Vivem livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas,
E alegria das aves tagarelas...
Não choremos jamais a mocidade!
Envelheçamos rindo! Envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,
Na glória da alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!"
BILAC, Olavo. Obra reunida, Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1996, p. 336.
5. Quanto à forma, destaque uma característica do Parnasianismo presente no poema.
Para quem faz DNA, a seleção é natural!
6. A população mundial está concentrada sobretudo nos países subdesenvolvidos, ainda que alguns
desenvolvidos estejam entre os mais populosos. Em termos absolutos, qual é o continente mais
populoso?
a) Oceania.
b) Ásia.
c) Europa.
d) África.
e) América.
7. Observe a charge.
O ritmo do crescimento demográfico da espécie humana perante os recursos naturais disponíveis no
planeta gera polêmica entre cientistas há, pelo menos, dois séculos.
A ilustração expressa uma perspectiva sobre o crescimento da população mundial coerente com a
seguinte teoria demográfica:
a) liberal.
b) malthusiana.
c) marxista.
d) neomalthusiana.
e) reformista.
8.
Os índices de analfabetismo são alarmantes. O ser humano fica impossibilitado de desenvolver as suas
potencialidades, de conhecer os fatos, de comparar, de enxergar melhor o mundo que está em sua volta
e ao qual ele pertence.
É mais provável que o texto anterior possa ser aplicado a milhões de pessoas que vivem na:
a) África e América Anglo-Saxônica.
b) Europa e América Anglo-Saxônica.
c) América Latina e Rússia.
d) Ásia Meridional e Europa.
e) África e América Latina.
Para quem faz DNA, a seleção é natural!
9. Considere o gráfico apresentado a seguir.
A análise do gráfico e seus conhecimentos sobre a população mundial permitem afirmar que os atuais
índices de aumento da produção mundial de alimentos:
a) não eliminam a fome das áreas pobres uma vez que os maiores aumentos na produção ocorreram
nas áreas desenvolvidas, beneficiando uma pequena parcela da população mundial.
b) reduzem consideravelmente o problema da fome, sobretudo nos países com acentuada vocação
agrícola.
c) refletem o esforço realizado pelos países de mais avançada tecnologia, no sentido de promover uma
revolução agrícola em nível mundial.
d) revelam a eficiência de programas conjuntos de controle de natalidade e desenvolvimento agrícola
realizados nos países subdesenvolvidos.
e) tornam a teoria malthusiana definitivamente ultrapassada, possibilitando à população voltar a
crescer aos níveis anteriores aos de 1950.
10. Um estudo sobre a dinâmica e a distribuição da população de uma determinada área é realizado a
partir do conhecimento e da compreensão dos seus indicadores demográficos. Em relação a alguns
desses indicadores, analise as proposições abaixo.
I. [ ] A densidade demográfica é obtida a partir da divisão da superfície territorial de um lugar pela
sua população absoluta.
II. [
] A taxa de fecundidade é um indicador populacional que influencia diretamente o
comportamento de um outro indicador, o da natalidade.
III. [ ] A taxa de mortalidade infantil identifica o número de óbitos de crianças menores de um ano.
IV. [
] O crescimento vegetativo é calculado com base nas taxas de natalidade, mortalidade e
migração.
V. [ ] O superpovoamento de uma área não é identificado apenas pela densidade demográfica, mas
também pelas condições socioeconômicas existentes.
As alternativas verdadeiras são:
a) I e IV apenas.
b) I, II e III apenas.
c) I, III, IV e V apenas.
d) II, III e IV apenas.
e) II, III e V apenas.
11. Leia o texto abaixo:
Para quem faz DNA, a seleção é natural!
“No século V a.C. surgiu em Atenas um grupo de pensadores conhecidos pelo nome de sofistas, os
quais dominavam e ensinavam as artes da oratória e da retórica. Originários de diferentes regiões de
Grécia, eles estudavam as obras filosóficas de seus antecessores, para, depois, viajarem pelas cidades
(póleis) governadas por regimes democráticos, como Atenas, onde, após discursarem em público,
ensinavam sua ‘sabedoria’ em troca de pagamento”. (Fonte: Curso especial de Filosofia – Apostila de
Filosofia do Terceiro Ano, Vol. 01, 2011, p. 12).
Levando em conta o excerto acima, e nossas discussões em sala, EXPLIQUE qual foi exatamente a
função teórica e pedagógica que os sofistas desempenharam em Atenas e o porquê de Sócrates
recriminá-los:
12. Apesar de Sócrates não ter deixado suas ideias registradas por escrito, algumas frases filosóficas
muito importantes foram atribuídas a ele. Uma dessas frases é “Conhece-te a ti mesmo”. A partir de
seus conhecimentos, EXPLIQUE em que consistia o método socrático de aquisição da verdade:
13. Após o período cosmológico, surge outro movimento muito importante para a filosofia (nascente) no
ocidente. Passa a ser abordado agora um novo tipo de problema e teremos, então, não só as figuras
principais do novo cenário da filosofia grega, mas de toda a história da razão ocidental: Sócrates, Platão
e Aristóteles. Com Sócrates, a filosofia ganha uma nova “roupagem”. Sócrates viveu em Atenas no
momento de apogeu da cultura grega, o chamado período clássico (séculos V e IV a.C.), fase de grande
expressão na política, nas artes, na literatura e na filosofia. O que há de mais forte na filosofia de
Sócrates é o seu método e a maneira pela qual ele buscava discutir os problemas relacionados à
filosofia .
A partir do texto acima e dos conhecimentos que você possui sobre a filosofia de Sócrates, é
CORRETO afirmar QUE: (QUESTÃO SOMATÓRIA, SOME OS NÚMEROS DOS ITENS CORRETOS E
COLOQUE O VALOR NO QUADRADO ABAIXO)
(01) Sócrates oferecia grande importância às experiências sensíveis, o que caracterizou fortemente o
seu método filosófico.
(02) Ao proceder em suas investigações, Sócrates partia sempre de sua “dúvida metódica”.
(04) Sócrates sempre buscava pessoas em praça pública para dialogar e questionar.
(08) A célebre frase de Sócrates, que caracterizava parte de seu método é: “só sei que nada sei”, por
isso questionava as ideias de seus interlocutores.
(16) Para fazer com que os seus interlocutores enxergassem a verdade por si próprios, Sócrates
praticava o método “maiêutico” (assinalado por ele), ou “parto das ideias”, no qual ele demonstrava os
erros e opiniões comuns entre os homens.
14. Sócrates representa um marco importante da história da filosofia; enquanto a filosofia pré-socrática
se preocupava com o conhecimento da natureza (physis), Sócrates procura o conhecimento indagando
o homem. ASSINALE o que for CORRETO.
(01) Sócrates, para não ser condenado à morte, negou, diante dos seus juízes, os princípios éticos da
sua filosofia.
(02) O método socrático compõe-se de duas partes: a maiêutica e a ironia.
(04) Tal como os sofistas, Sócrates costumava cobrar dinheiro pelos seus ensinamentos.
(08) Sócrates, ao afirmar que só sabia que nada sabia, queria, com isso, sinalizar a necessidade de
adotar uma nova atitude diante do conhecimento e apontar um novo caminho para a sabedoria.
Para quem faz DNA, a seleção é natural!
(16) Discípulo de Sócrates, Platão utilizou, como protagonista da maior parte de seus diálogos, o seu
mestre.
15. Na Grécia antiga, principalmente na cidade de Atenas no século V a.C., desenvolveu-se uma
corrente de pensadores conhecidos como Sofistas. Tidos como “sábios”, eram pagos para ensinar os
jovens principalmente a arte da argumentação. Abaixo, CONSIDERE as afirmações sobre a importância
que esta (arte) tinha em seu pensamento.
I – Os sofistas não acreditavam na verdade absoluta, para eles o importante era conseguir convencer
os outros de suas ideias.
II – Os sofistas acreditavam que uma boa argumentação era a única maneira de se chegar ao
conhecimento da verdade absoluta.
III – Os sofistas acreditavam que através dos argumentos era possível se chegar à melhor solução em
cada caso.
a) Apenas a III é verdadeira.
b) Apenas a I é verdadeira
c) Apenas a I é falsa.
d) Apenas a II é verdadeira.
e) Apenas a II é falsa.
Para quem faz DNA, a seleção é natural!
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Criar flashcards