O coração - Google Groups

Propaganda
Fisiologia
Cardiovascular
Hemodinâmica
Fonte: http://images.sciencedaily.com/2008/02/080226104403-large.jpg
Introdução
• O sistema circulatório
apresenta várias
funções integrativas e
de coordenação:
• Organização em
forma de bomba com
uma série de tubos.
Fonte: SCHMIDT-NIELSEN, 2002
– Função primordial –
Transporte de
oxigênio e nutrientes
para os tecidos e
remoção dos excretas;
O coração
• O coração está situado no mediastino (cavidade torácica)
deslocado para a esquerda.
– Envolto por uma membrana – o pericárdio;
– O coração humano possui 4 câmaras, dois átrios (átrios
direito e esquerdo), dois ventrículos (ventrículos direito e
esquerdo);
• As paredes do coração são formadas por tecido muscular cardíaco;
• O átrio direito recebe sangue venoso das veias cavas superior e
inferior;
• O átrio esquerdo recebe sangue arterial das 4 veias pulmonares;
• Os ventrículos são funcionalmente similares:
– A parede do ventrículo direito é mais fina que a do ventrículo esquerdo;
– Ventrículo esquerdo bombeia sangue para artéria aorta;
– Ventrículo direito para o tronco pulmonar;
• Divisão funcional – Coração direito e esquerdo.
• Coração direito bombeia sangue para a circulação pulmonar;
• Coração esquerdo bombeia sangue para a circulação sistêmica.
Circuito do sangue
1. O sangue venoso
retorna ao coração
através das grandes
veias cava
2. O sangue venoso
chega ao átrio direito
e soma-se ao sangue
venoso já presente
do seio coronariano.
3. O sangue venoso
passa para o
ventrículo direito pela
válvula tricúspide
4. O sangue venoso
passa para o tronco
pulmonar através
das válvulas
pulmonares;
O tronco pulmonar
se divide em duas
artérias pulmonares
5. O sangue arterial
retorna ao coração
pelas veias
pulmonares para o
átrio esquerdo
6. O sangue arterial
passa para o
ventrículo esquerdo
pela válvula bicúspide
ou mitral
7. Após o aumento da
pressão, o sangue é
bombeado para a
artéria aorta pela
válvula aórtica.
O coração como tecido excitável
Células miocárdicas ou
contráteis Gerar força.
Freqüência cardíaca
Controlada pelo marcapasso
do nodo sino atrial (AS).
Células ativas
ventricular.
Nodo átrio
• O coração é formado por tecido muscular
cardíaco – Gera a pressão necessária para
permitir a circulação de sangue pelos vasos e
perfusão dos diferentes tecidos
• Coração miogênico:
– Células marca-passo (nodo sinoatrial) – Geram
impulsos elétricos periódicos que desencadeiam com
a contração das câmaras cardíacas de modo
sincronizado;
– Inicia-se no átrio e termina nos ventrículos (Feixe
átrio-ventricular – Fibras de purkinge);
• O centro de controle situa-se na medula: Nervo vago diminui o
batimento através da acetilcolina (SNP) e o Nervo acelerador libera
noradrenalina (SNS);
• Maior volume que chega aos ventrículos origina uma contração de
maior força – o músculo cardíaco sofre uma maior contração após
ficar mais distendido.
Circulação sistêmica e pulmonar
•
•
Circulação pulmonar:
1.
Sangue + CO2 chegam ao coração;
2.
Ventrículo direito bombeia sangue
para as artérias pulmonares; Obs:
válvula pulmonar.
3.
O sangue chega ao pulmão para a
hematose (trocas gasosas);
4.
Sangue + O2 saem do pulmão para o
coração pelas veias pulmonares;
5.
O sangue chega ao átrio esquerdo
(início da circulação sistêmica);
Circulação sistêmica:
1.
Sangue + O2 saem do ventrículo
esquerdo para artéria aorta; Obs:
Válvula aórtica.
2.
Sangue chega aos tecidos para as
trocas gasosas;
3.
Sangue + CO2 retornam ao coração
pelo átrio direito (início da circulação
pulmonar).
Vídeo
Características dos grandes territórios
• O sangue ao ser bombeado pelos ventrículos vai
para as grandes artérias (artéria aorta e
pulmonar);
• Aorta é o segmento de maior pressão da
circulação com pressão sistólica (contração do
músculo cardíaco) de 120 mmHg e diastólica
(relaxamento do músculo cardíaco) de 80 mmHg;
– O volume sistólico é de ≈70 mL, este volume é maior
que o interior do segmento inicial da aorta - ocorre
aumento de diâmetro do vaso para acomodar o
volume de sangue;
– Mecanismo de complacência – Distensibilidade das
artérias
Tipos de vasos sanguíneos
• Aorta (20 a 30 mm)
• Arteríolas (70 µm)
Metarteríolas 10 a 20 µm).
• Capilares (5 a 10 µm) Hemácias em fila indiana.
-Densidade capilar: Alta e baixa.
• Veias (veia cava superior e inferior-13 mm de diâmetro)
-Vênulas (menores veias: 20 a 30 µm).
Mecanismo de
distensibilidade
das artérias
Uma vez distendida
as artérias tendem a
voltar ao seu
diâmetro original.
Isto força o sangue a
passar para o próximo
segmento do vaso.
Arteríolas
• As grandes artérias se ramificam em pequenas artérias de estrutura similar e
menor calibre – arteríola;
• Menor quantidade de fibras elásticas e menor diâmetro que artérias:
– Queda da velocidade e da pressão;
– Maior área de secção transversal (4,5 cm2 para as artérias e 400 cm2 para as
arteríolas);
– Condições importantes para a microcirculação;
• Pressão baixa e baixa velocidade permite melhor perfusão e trocas de nutrientes e excretas;
• O músculo liso das arteríolas é bastante inervado por fibras nervosas
(principalmente sistema nervoso simpático);
– Este controle acaba por influenciar na distribuição do fluxo sanguíneo para
diversos órgãos:
A maior queda na pressão
ocorre no leito arteriolar.
A pressão cai a medida que o
sangue flui pelas circulações
sistêmica e pulmonar.
Capilares
• Entre a extremidade de uma arteríola e uma vênula existe uma
rede de capilares:
– Local onde ocorrem as trocas;
• Constituídos apenas de uma camada de células endoteliais com
poros de variam de 10 a 3.000 nm de diâmetro.
• Existem esfíncteres pré-capilares que controlam a entrada de
sangue na rede (substâncias bioativas secretadas pelos pericitos).
Vênulas e Veias
• Vênulas são vasos de paredes delgadas que se unem formando veias;
– As veias se tornam mais calibrosas a medida que se aproximam do coração;
– Nas veias a pressão é quase 0 mmHg:
• Obedece o principio físico de que o líquido vai do local de maior pressão para o de
menor pressão;
• A baixa pressão não exige paredes espessas;
• Possui distensibilidade e atua como reservatório de sangue;
• Se ocorrer a necessidade de aumentar o fluxo sanguíneo para determinada parte do
corpo ocorre venoconstrição (SN simpático);
• No repouso grande quantidade de sangue pode ser armazenado nas veias.
• As veias dos membros apresenta válvulas para permitir o fluxo unidirecional.
Hemodinâmica
• Velocidades do fluxo sanguíneo
(velocidades linear) é definida
pela razão entre o deslocamento
de uma partícula por unidade de
tempo, expressa em cm/s;
• Área de secção transversal:
– A área aumenta com as
ramificações;
– A velocidade é inversamente
proporcional a área;
– A redução da velocidade nos
capilares é importante para as
trocas gasosas;
Cálculo do fluxo:
Área x velocidade:
Aorta em um cão:
40 cm/s x 1,2 cm2 = 48 mL/s
Fluxo lamelar e turbilhonar
• Em condições normais, o fluxo é lamelar:
– Apresenta maior velocidade no centro do vaso;
– A viscosidade exerce força contrária;
– Após a atingir uma velocidade crítica o fluxo passa a ser
turbilhonar;
• O fluxo turbilhonar:
– A resistência passa a ser a densidade;
– A pressão é responsável pelo surgimento do turbilhão;
• Aplicações:
– Durante o exercício físico, devido ao aumento do retorno
venoso ocorre a formação do fluxo turbilhonar.
• Volume minuto cardíaco (VMC):
– Débito cardíaco – quantidade de sangue ejetada no ventrículo
esquerdo por minuto;
– Depende da frequência cardíaca e do volume de sangue ejetado;
– FC = 65 e VS = 80 mL, Homem adulto com 70 kg = 5.200 mL/min
• Circulação em série e em paralelo:
–
–
–
–
Série: Circulações pulmonar e sistêmica;
Arteríolas renais (série);
Paralelo: Circulação cerebral e coronariana;
Aplicação:
Referências:
Guyton, C.A., Hall, E.J. 6ed. 2003;
Curi, J., Procopio, J. 2011.
Eletrocardiograma (ECG)
• Registro da atividade elétrica do coração por meio de eletródios colocados
externamente às células miocárdicas;
• Onda de despolarização pelos átrios através do Nodo SA Onda P;
• Onda QRS Manifestação da despolarização ventricular;
• Intervalo P-R Despolarização atrial e ventricular;
• Onda T Repolarização ventricular;
Prática clínica
Exemplos
Normal
Bradicardia:
Automatismo baixo
FC<60 bpm
Taquicardia:
Automatismo anormal
FC>100 bpm
Extra-sístole:
abaixo do nodo AV; o
complexo QRS é bizarro,
sem formato definido;
Padrão monomórfico;
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards