JANEIRO É o mês da lavoura das terras e preparação de todas as

Propaganda
JANEIRO
É o mês da lavoura das terras e preparação de todas as
das culturas de Inverno, como a da batata, iniciandose, onde for possível, a plantação precoce. A poda na
Lua Minguante é recomendável, mas nas figueiras,
laranjeiras e macieiras os grandes cortes são
prejudiciais. Enxertos só no Crescente.
Semear :abóbora, cenoura, ervilha,
feijão, nabiças e tomate. Em estufa ou
cama quente plantar tomate, pepino,
melão, pimento e abóboras. Em local
definitivo: cenouras, alho, cebolas,
alface, ervilhas, alho-porro e salsa.
Transplantar para viveiro: couve-flor,
favas, feijão, etc.
Na Horta:
Fazer uma limpeza geral, arrancando os últimos restos
de colheitas que possam estar ainda na terra. Semear
(em canteiros ou em alfobres bem abrigados e
defendidos das geadas): alfaces romanas, couves
repolho e saboia, rabanetes, favas, ervilhas e grão-debico. Colher couves, espinafres, etc.
No jardim
Nos terrenos enxutos, já se pode
semear begónias, ervilhas de
cheiro, gipsófilas, girassóis, lírios,
paciências, flor-de-lis. Colher
violetas, amores-perfeitos,
camélias, jacintos, tulipas sécias, zínias, papoulas,
goivos, girassóis, miosótis e todas as plantas anuais ou
de estação. Planta-se quase tudo neste mês. Quem
ainda não podou as roseiras não deve deixar de o fazer
agora, convindo também adubar bem os jardins, sem o
que não pode obter-se flores.
Gado:
Abrigam-se as galinhas do frio e
da humidade, mantendo-se o
solo das capoeiras seco e limpo.
Excitam-se-lhes a postura dando-lhes aveia e trigosarraceno.
Vacinar o gado bovino, cavalar, ovino e caprino, além
dos porcos contra as doenças rubras.
Provérbios:
Em Janeiro dá a capa ao marinheiro e em Maio tira-a.
Em Janeiro deixa o rábano ao rabaneiro.
Em Janeiro não metas obreiro.
Em Janeiro o boi e o leitão engordarão.
Em Janeiro pasta a lebre no lameiro e o coelho à beira
do regueiro.
Em Janeiro põe-te no outeiro: se vires verdejar, põe-te
a chorar e se vires terrear põe-te a cantar.
Em Janeiro sete casacos e um sombreiro.
Em Janeiro todo o cavalo é verdadeiro.
Em Janeiro um porco ao sol, outro no fumeiro Janeiro
fora, cresce o dia uma hora.
Janeiro fora, mais uma hora e, se bem contar, hora e
meia há-de achar.
Janeiro quente, traz o Diabo no ventre.
A água de Janeiro vale dinheiro.
FEVEREIRO
Semear abóbora, cenoura, couves, ervilha, pimento,
feijão, nabiça, pepino, tomate e melancia. Semear
milho de sequeiro nas terras altas. Transplantar as
cebolas a colher em Maio-Junho e as couves semeadas
em Dezembro a colher em Junho-Julho (repolhos);
colher os espinafres, couve-flor e brócolos; plantar
batata (colher em Junho).
Podar no Minguante da Lua, menos damasqueiros e
morangueiros (instalar os novos até ao dia 15). Plantar
árvores e semear pinheiro-bravo, no Crescente da Lua.
Trasfegar o vinho.
Face à geada, a rega melhora a resistência das plantas
á queima.
Na Horta:
Semear abóboras, alho-francês,
beterraba, cebolas, cenouras,
coentros, couve-flor serôdia,
couve-de grelos, couve-nabo,
espargos, ervilhas, espinafres, favas, feijão,
melancia, nabiças, nabos serôdios, pimentos,
rabanetes, repolho, salsa, segurelha, tomate.
Colhemos abrigos cenouras e couves de Bruxelas.
No Jardim:
Neste mês há que proteger os pés-mães de
crisântemos por meio de palhuço (palha miúda)
para se conseguir uma grande provisão de estacas.
Semear todas as flores anuais, ervilhas-de-cheiro,
espargos, gipsófilas, manjericos, etc. Colher
amores-perfeitos, violetas, etc.
Gado:
Fornecer às vacas leiteiras
suplementos de farinha,
amendoim, linhaça, etc.
Provérbios:
Em Fevereiro, cada sulco um regueiro.
Em Fevereiro chuva, em Agosto uva.
Em Fevereiro, no primeiro jejuarás, no seguinte
guardarás, no terceiro dia de São Brás.
Em Fevereiro, deixa a fonte e vai ao ribeiro.
Em Fevereiro neve e frio, é de esperar ardor no estio.
Em Fevereiro foice ou fumeiro.
Fevereiro, afoga a mãe no ribeiro.
Fevereiro coxo, em seus dias vinte e oito.
Fevereiro engana as velhas no soalheiro
Fevereiro faz dia e logo Santa Maria.
Fevereiro quente, não o vejas tu nem o teu parente.
Fevereiro seca as fontes ou leva as pontes.
Fevereiro trocou dois dias por uma tigela de papas.
MARÇO
Preparar a terra para o
milho e a batata de
regadio, e nas regiões com
menos geada semear trigo,
aveia, centeio e cevada. No
Minguante da Lua podar
as árvores frutíferas.
Resinar os pinheiros, concluir as trasfegas e, na vinha,
combater o oídio.
Na Horta:
etc.
Preparar as estacas para feijões
e ervilhas. Semear: abóbora,
alface, beterraba, couves,
nabiças, ervilhas, espinafres,
feijão, melancia, melão,
nabiças, pepino, salsa, tomate,
Colher cebolas brancas e
cebolinhos, rabanetes e
azedas.
No Jardim:
Semear amores-perfeitos, cravos, crisântemos, dálias,
bocas-de-lobo e chagas, além das indicadas nos meses
anteriores. Colher as flores de túlipas serôdias,
campainhas brancas, narcisos e goivos.
Provérbios:
Em Março chove cada dia um pedaço.
Em Março espetam-se as rocas e sacham-se as hortas.
Em Março a merenda e o pedaço (sesta).
Em Março tanto durmo como faço.
Em Março queima o velho o maço.
Em Março onde quer eu passo.
Em Março merendica e folgaço.
Em Março, nem rabo de gato molhado Março amoroso
faz o ano formoso.
Março marçagão, manhã de inverno, tarde de verão.
Março marçagão, pela manhã rosto de cão e à tarde
bom verão.
Março ventoso, Abril chuvoso.
Março, queima a dama do paço.
Março virado de rabo é pior que o diabo.
"Em Março, esperam-se as rocas e sacham-se as
hortas."
ABRIL
Em Abril mondar e sachar, os campos semeados no
mês anterior e rega matutina. Plantar espargos e
morangueiros. Semear milho e plantar batata nas
terras mais secas e, no final do mês, nas terras mais
fundas.
Na Horta:
Semear no Crescente da Lua
em local definitivo: abóbora
trepadeira, alcachofra, alface,
batata, beterraba, brócolos,
cenouras, couves, favas, feijão,
melão,
melancia,
nabos,
pimentos, rabanetes, salsa, etc.
Em viveiro semear morangueiros, cebola, pepinos e
tomate.
No Jardim:
Semear cravos, manjericos,
trepadeiras e plantas anuais.
Colher flores para semente.
Semear estrelas do Egipto,
girassóis e malmequeres.
Colher as flores dos lilases,
amores-perfeitos,
camélias,
margaridas,
malmequeres,
rosas,
tulipas,
violetas, etc.
Gado
Higiene das
vacas: separar os vitelos das mães. Tosquia das
ovelhas no Minguante da Lua.
Provérbios:
Em Abril a velha sai e volta ao seu covil.
Em Abril águas mil coadas por um funil.
Em Abril ainda queima a velha o carro e o caril e deixa
um tição para Maio, para comer as cerejas ao borralho.
Em Abril dá a velha a filha por pão a quem lha pedir.
Em Abril guarda o gado e vai aonde tens de ir.
Em Abril lavra as altas mesmo com água pelo machil.
Em Abril queijos mil.
Em Abril queijos mil e em Maio três ou quatro
Em Abril águas de mil
MAIO
Lavre à volta das matas (limpas ... ) para e evitar
incêndios. Tratar e regar os batatais. Iniciar a
transplantação do arroz.
Semear girassol e soja não
transgénica. Enxertar
medronheiros,
damasqueiros, amendoeiras,
cidreiras e laranjeiras;
plantar tomate.
Na Horta:
Em local definitivo há
que semear no
Crescente da lua
abóboras, agriões,
alfaces, beterrabas,
brócolos, cenouras,
couves, ervilhas,
espinafres, favas, feijões,
melancia, melão de
Inverno, nabos, pepinos,
pimentos, rabanetes,
repolho, tomate. Colher
alcachofras, espargos,
ervilha, cebola verde,
No Jardim:
Semear cravos, manjericos,
trepadeiras e algumas
plantas anuais. Colher
flores para semente.
Gado:
Animais no Crescente da Lua: castrar gado, tosquiar as
ovelhas, procria de cabras e coelhos.
Provérbios:
Em Maio a chuvinha da Ascensão dá palhinha e pão.
Em Maio ainda os bois estão oito dias ao ramalho
(pasto seco)
Em Maio, as cerejas uma a uma leva o gaio; em Junho
a cesto e a punho.
Em Maio com sono caio, em São João por esse chão.
Em Maio gradai-o.
Em Maio há muito ceifão, mas em Junho é que se vê
eles quem são.
Em Maio nem à porta de casa saio.
Em Maio o rafeiro é galgo.
Em Maio onde quer eu caio.
Em Maio verás a água com que regarás.
Maio ventoso, ano formoso.
Maio couveiro não é vinhateiro.
Maio faz o pão e Agosto o milhão.
JUNHO
Cavar, estrumar e semear. Ceifa, no Minguante da
lua, do trigo, centeio e cevada. Colher a batata
plantada em Fevereiro. Sulfatar e sachar milharais,
batatais e tratar do morangal. Continua a sementeira
do feijão para consumo em verde. Plantar batata,
pimento e tomate. Colher cereja, cebola, alho, alfaces
e aipo, da sementeira de Janeiro. Extrair o mel e a
cortiça.
Vigiar os aceiros e caminhos e prevenir incêndios.
Na Horta:
Semear em viveiro
alface, alho-porro, couverábano, couve-de-bruxelas, couve-flor, nabos, repolho.
Semear em local definitivo alface, batata, beterraba,
cenoura, chicória (de raiz), couve-nabo, couve-rábano,
favas, nabos, rabanetes, salsa, etc.
No Jardim:
Semear begónias sempre em flor, calêndulas,
gipsófilas, etc. Colher rosas, cravos, etc.
Gado:
O Gado, bem bebido, sai dos estábulos na alba ou ao
entardecer. Vacinar contra o carbúnculo. Evitar que as
galinhas incubem.
Provérbios:
Em Junho foicinha em punho.
Em Junho frio como punho
Em Junho, perdigoto como punho.
Junho, a ceifar.
Junho calmoso, ano formoso. Junho chuvoso, ano
perigoso.
Junho, dorme-se sobre o punho.
Junho floreiro, paraíso verdadeiro.
Ande onde há-de andar o Verão, há-de vir no S. João.
JULHO
Mês de ceifa e debulha.
Lavrar os canteiros.
Terminar a colheita da
batata tempo rã e começar
a destinada a semente. Semear feijão verde e alfaces
(para antes dos primeiros frios do Inverno), nabo e
couves tardias, e no final do mês, cenoura, rábano,
salsa e plantas análogas. Colher alfaces, alho,
beterraba roxa, beringela, cebola, cenoura, couves,
espinafre de Verão, feijão, tomate. No final do mês, os
aipos e alguns melões.
Roçar mato para estrume. No Crescente da lua cobrir
cepas.
Na Horta:
Semear ao ar livre agriões,
alface de Outono e Inverno,
beldroegas, cenoura, couvede-bruxelas, couve-nabo,
couve-flor tardia, feijão de
trepar e anão, nabos,
rabanetes, repolho de Inverno,
salsa.
Regar bem.
No Jardim:
Semear
amoresperfeitos,
calêndulas, etc.,
bem como as
plantas bienais e
vivazes de demorada germinação, para serem
transplantadas no Outono.
Colher as primeiras sementes.
Provérbios:
Em Julho abafadiço, fica a abelha no cortiço.
Em Julho eu o ceifo e o debulho.
Em Julho já há pouco gorgulho
Julho é o mês das colheitas, Agosto o mês das festas.
Julho fresco, inverno chuvoso, estio perigoso.
Julho, o verde e o maduro
Julho quente, seco e ventoso, trabalha sem repouso.
Pelo Santiago pinta o bago e cada pinga vale um
cruzado.
Ai por Sant'Ana limpa a pragana.
Por muito que queira Julho ser, pouco há-de chover.
AGOSTO
Cavar e sachar o
milharal e as hortaliças, e
regar bem antes das
sementeiras e das
transplantações; em
estufa semear as ervilhas
e feijão.
Monda dos arrozais.
Na Horta:
Mês das colheitas.
Ao ar livre e em local
definitivo há que semear
acelgas, alface romana e
cortar agriões, alface,
cebolas, cenouras, chicória
amarga, couve-nabo,
ervilhas, espinafres, favas,
feijão anão e de trepar, nabos, rabanetes, repolho de
Inverno, salsa.
Recolher fruta e no Minguante da Lua fazer passas e
fruta seca.
No Jardim:
Regar as roseiras para
darem melhores flores no
Outono; mudar as
cinerárias e amoresperfeitos e colher rosas (de
manhã a melhor ocasião) e
todas as mais flores das
plantas em plena floração.
Gado:
Completar a forragem com suplemento alimentar
natural.
Provérbios:
Em Agosto aguilhoa o preguiçoso e sê cuidadoso.
Em Agosto apanha macela que livra da botica o uso
dela.
Em Agosto dá o Sol pelo rosto.
Em Agosto deve o milho ferver no carola.
Em Agosto espingarda ao rosto.
Em Agosto frio no rosto.
Em Agosto malha a teu gosto.
Em Agosto, sardinha e mosto.
Em Agosto secam os montes, em Setembro as fontes,
em Outubro seca tudo. Em Agosto toda a fruta tem seu
gosto.
Em Agosto vale mais vinagre que mosto
SETEMBRO
Vindimar.
Estercar as terras a
semear no Minguante da
lua . Ceifar arroz. Colher
amêndoa e apanhar a azeitona.
No Crescente da Lua continuar
a semear (centeio e cevada,
nas terras quentes) e a plantar,
com as primeiras chuvas, os
morangueiros, regando até
pegarem.
Na Horta
Semear ao ar livre e local
definitivo as acelgas, agriões,
alface (romana e de cortar),
alho-porro, cebola, cenoura,
chicória, favas, feijão, nabos,
rabanetes, repolho, salsa,
tomate. Colher feijões e cebolas maiores para semente.
No Jardim:
Semear amoresperfeitos, begónias,
cravos, gipsófilas,
margaridas, e todas as flores que florescerão na
Primavera. Plantar jacintos e tulipas (bolbos).
Provérbios:
Em Setembro, andando e comendo.
Em Setembro ardem os montes e secam as pontes.
Em Setembro, palha no palheiro e meninas ao
candeeiro.
Em Setembro planta, colhe e cava que é mês para
tudo.
Setembro cara de poucos amigos e manhã de figos.
Setembro é o Maio do Outono.
Setembro molhado, figo estragado
Setembro que enche o celeiro dá triunfo ao rendeiro
Águas verdadeiras - por S. Mateus as primeiras.
Lua setembrina sete luas domina.
No S. Mateus vindimam os sisudos e semeiam os
sandeus.
Pelo S. Mateus pega nos bois e lavra com Deus.
OUTUBRO
Iniciar a colheita da
azeitona e combater
a gafa.
Semear cereais
praganosos e, em
viveiro,
amendoeiras, pessegueiros e, nos lugares mais secos e
abrigados, as oliveiras. Estercar no Minguante as covas
para árvores a transplantar na Primavera. Plantar
árvores de fruto. Podar as árvores resistentes ao frio.
No fim do mês, plantar morangueiros, alhos e
cebolinhas.
Colocar em local
definitivo as couves
de Primavera e as
alfaces de Inverno;
transplantar alfaces,
cebolas e salsa.
Colher a castanha,
noz e avelã e, para
guardar em local
seco, abóboras e melões de Inverno.
Na Horta:
Há que preparar a horta para a produção de hortaliças
de Inverno e resguardar as plantas dos gelos e os
canteiros para a sementeira das favas, rabanetes,
alfaces, etc. Sementeira ao ar livre e em local definitivo
agriões, alfaces (de cortar, de Inverno e de Primavera),
cebola, cenouras, ervilhas, favas, rabanetes. Colher
feijões.
No Jardim:
Estrumar, semear as mesmas espécies do mês
anterior e plantar roseiras, crisântemos, jacintos,
tulipas, assim como, as flores da Primavera. Colher as
flores do Outono: dálias, rosas, etc.
Provérbios:
Em Outubro, centeio ruim.
Em Outubro não vás ao mar para pescar, mas vai ao
celeiro e abre o mealheiro.
Em Outubro, Novembro e Dezembro quem come do
mar tem de jejuar.
Em Outubro paga tudo e recolhe tudo.
Em Outubro ou secam as fontes, ou
passam os rios por cima das pontes.
Em Outubro centeio ruivo
Outubro nublado, Janeiro molhado.
Outubro quente traz o diabo no ventre.
NOVEMBRO
Pomares, estercá-Ios
no crescente, podá-los
no Minguante,
protegê-los das
geadas. Plantar
cerejeiras,
pessegueiros, pereiras
e macieiras, no
Crescente da Lua.
Plantar batata (nas
zonas secas para
colher no seco), alho,
couve temporã,
tremoço.
Semear cereais, fava, ervilha, e em camas quentes
alface, beterraba, cebola, nabiça, nabo, rabanete e
tomate. Colher azeitona, beterraba. Arejar o fruteiro.
Na Horta:
Semear agriões, alfaces de
Inverno, cenouras, espinafres,
couves diversas, com exceção
da couve-flor, e brócolos.
Continua a sementeira de favas e ervilhas.
No Jardim:
Abrir covas (e estrumar) para a plantação na
Primavera de árvores ou arbustos e estacar as plantas
que possam sofrer com os ventos fortes. Plantar bolbos
de várias flores e roseiras. Podar as roseiras.
Gado:
O Gado transita para o
regime seco com feno,
palha e grão.
Provérbios:
Em Novembro chuva,
frio e sol e deixa o
resto Novembro à porta, geada na horta.
Novembro pelos Santos, neve nos campos.
Por Todos os Santos semeia trigo e colhe cardos.
Dos Santos ao Natal é bom chover e melhor nevar.
No dia de Santo André diz o porco «quié-quié».
De Santa Catarina ao Natal - mês igual.
No dia de Santo André vai à esquina e traz o porco pelo
pé.
Por S. Clemente alça a mão da semente
Por S. Martinho semeia fava e linho.
Pelo São Martinho vai à adega e prova o vinho
DEZEMBRO
Resguardar as plantas do gelo. No Crescente da Lua,
continuar as cavas e a estrumagem, as sementeiras de
trigo e centeio, e a de fruteiras, se não houver geadas,
bem como a de cebola, couves, beterraba, nabiça,
pimentos, tomate e salsa. Em sítios abrigados pode-se
ainda semear agrião, espinafre, alfaces, fava e ervilha.
Arrotear terras e mato para as sementeiras da
Primavera. Plantar ainda
macieiras e pereiras. Cortar
madeiras, no Minguante da
Lua. Iniciar a mergulhia
das vinhas.
Fim da apanha da
azeitona, e limpeza dos
lagares.
Na Horta:
Semear ao ar livre agriões,
alface de cortar, espinafres e
salsa (a lanço), favas e
ervilhas (em sulcos), chicória
amarga e melhorada.
No Jardim:
Colhem-se as últimas bagas
ou frutos de ornamento.
Prossegue a plantação de
roseiras, gladíolos, iris,
cíclames e lírios que também se abrigam para se
defenderem das geadas nocivas . Semear cíclames,
ervilhas-de-cheiro, etc.
Gado:
Abrigue o Gado do frio e chuva, e acarinhe-o.
Provérbios:
Em Dezembro a uma lebre galgos cento.
Em Dezembro descansa, em Janeiro trabalha.
Em Dezembro descansa mas não durmas.
Em Dezembro treme o frio em cada membro.
Em dia de Santa Luzia, cresce a noite e mingua o dia.
Dezembro frio, calor no estio.
Dezembro, nasceu Deus para nos salvar.
Dezembro quer lenha no lar e o pichei a andar.
Natal à segunda-feira, lavrador larga a eira.
Natal à quarta ou sexta-feira, guarda o arado e vende
os bois.
Natal ao Domingo vende os bois e compra trigo.
Natal ao sol, Páscoa ao fogo fazem o ano
famoso.
Até ao fim do Natal, crescem os dias um
saltinho pardal.
Ande frio por onde andar, no Natal cá vem parar.
Montemor-o-Novo é uma cidade que fica localizada no
distrito de Évora. É sede de concelho e está subdividido
em dez freguesias.
Em termos económicos, destacam-se, no concelho
de
Montemor-o-Novo,
atividades
ligadas
à
agricultura, pecuária (sendo um dos concelhos do
país que mais carne produz, borrego, vitela e porco)
e atividades florestais, com produções ao nível da
cortiça, azeite, vinho e mel.
Em termos de agricultura produzimos em grandes
terrenos, cereais (trigo arroz e milho), girassol,
tomate e em hortas (quintas, quintais e urbanas
todos os produtos hortícolas e frutíferos que já
foram mencionados.
Também damos particular relevo á plantação das
Ervas
aromáticas
essenciais
na
tradicional
alentejana, assim não há horta, quintal ou varanda,
que não tenha salsa, coentros, hortelã, hortelã da
ribeira, poejos, tomilho, manjericão, segurelha,
cebolinho ou poejos.
A componente industrial
do concelho reflete-se
também nas indústrias
de artigos de madeira e
cortiça.
Outros trabalhos realizados no concelho: apanha da
azeitona com produção de azeite, vindima com
produção de vinho, apicultura com produção de mel,
tirada da cortiça, ceifa, enfardamento e enrolamento
de pastos.
Mas felizmente no nosso concelho a Agricultura
Biológica é já uma tradição, porque temos bons
exemplos a seguir nomeadamente a Herdade do
Freixo do Meio e a Rede de Cidadania que através
do projeto “Banco de Terras” distribuiu uma horta a
quem o solicitasse e a procura foi muito superior à
oferta.
Em relação às embalagens dos poucos produtos
utilizados são encaminhados para os sítios certos,
de modo a proteger o Ambiente.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

Criar flashcards