Payment Card Industry (PCI) - PCI Security Standards Council

Propaganda
Payment Card Industry (PCI)
Indústria de Cartões de Pagamento (PCI)
Padrão de Segurança de Dados
Procedimentos para o
Scanning de Segurança
Version 1.1
Portuguese
Distribuição: Setembro de 2006
Índice
Objetivo ........................................................................................................... 1
Introdução........................................................................................................ 1
Escopo do Scanning de Segurança PCI ......................................................... 1
Procedimento de Scanning ............................................................................. 2
Relatório de Cumprimento............................................................................... 4
Leitura e Interpretação dos Relatórios ............................................................ 5
Nível 5 ....................................................................................................... 6
Nível 4 ....................................................................................................... 6
Nível 3 ....................................................................................................... 6
Nível 2 ....................................................................................................... 7
Nível 1 ....................................................................................................... 7
Procedimentos para o Scan de Segurança v 1.1
ii
Objetivo
Este documento especifica os objetivos e escopo do Scan de Segurança da
Indústria de Cartão de Pagamento (PCI) para os estabelecimentos e os
prestadores de serviço que executam os Scans de Segurança PCI para
ajudar a validar o compliance com o Padrão de Segurança de Dados PCI
(PCI Data Security Standard - DSS). Os Provedores Aprovados de Scanning
(Aproved Scanning Vendors - ASVs) também usam estes documentos para
auxiliar os estabelecimentos e prestadores de serviços a determinar o
escopo do Scan de Segurança PCI.
Introdução
A PCI DSS detalha as exigências de segurança para os estabelecimentos e
prestadores de serviço que armazenam, processam ou transmitem os dados
do portador de cartão. Para demonstrar o cumprimento das exigências da
PCI DSS, pode ser requerido que os estabelecimentos e prestadores de
serviço efetuem Scans de Segurança PCI periódicos de acordo com o
definido por cada empresa de cartão de pagamento.
Os Scans de Segurança PCI são executados através da Internet por um
ASV. Os Scans de Segurança PCI são uma ferramenta indispensável a ser
usada em conjunto com um programa de administração de vulnerabilidade.
Os scans ajudam a identificar vulnerabilidades e erros de configuração de
web sites, aplicativos e infraestruturas de tecnologia de Informação (IT) com
endereços de protocolo (IP) de Internet externos.
Os resultados do scan fornecem informações de grande valor que dão
suporte à administração de patchs e outras medidas de segurança para
melhorar a proteção contra os ataques à Internet.
Os Scans de Segurança PCI podem ser aplicados a todos os
estabelecimentos e prestadores de serviços com endereços de IP externos.
Mesmo que uma entidade não ofereça transações com base na web, há
outros serviços que fazem com que os sistemas possam ser acessados
através da Internet. Funções básicas como e-mail e acesso à Internet pelos
funcionários resultarão no acesso à rede de uma companhia através da
Internet. Estas vias aparentemente insignificantes de e para a Internet
podem prover caminhos desprotegidos nos sistemas do estabelecimento e
do prestador de serviço e potencial exposição dos dados do portador de
cartão de crédito se não for controlado adequadamente.
Escopo do Scanning de Segurança PCI
A PCI exige que todos os endereços de IP externos sejam “scanned” para
detectar vulnerabilidades. Se forem encontrados endereços de IP que não
foram originalmente providos pelo cliente, o ASV deve consultar o cliente
Procedimentos para o Scan de Segurança v 1.1
1
para determinar se aqueles endereços de IP devem estar no contexto. Em
alguns casos, as empresas podem possuir um grande número de endereços
de IP disponíveis embora usem apenas um pequeno número para a
aceitação de cartões e processamento. Nestes casos, os prestadores de
serviço de scan podem ajudar os estabelecimentos e prestadores de serviço
a definir o âmbito apropriado do scan requerido para cumprir com a PCI. Em
geral, os seguintes métodos de segmentação podem ser usados para reduzir
o âmbito do Scan de Segurança PCI.
•
Estabelecer uma segmentação física entre o segmento que manuseia os
dados do portador de cartão e outros segmentos
•
Utilizar a segmentação lógica apropriada onde o tráfego é proibido entre
o segmento ou rede manuseando os dados do portador de cartão e
outras redes ou segmentos
Os estabelecimentos e provedores de serviço possuem a total
responsabilidade pela definição do âmbito do seu Scan de Segurança,
embora eles possam pedir ajuda profissional dos ASVs. Se ocorrer um
comprometimento dos dados de uma conta via um endereço do protocolo de
Internet (IP) ou componente não incluído no scan, o estabelecimento ou
prestador de serviço deve ser considerado responsável pelo fato.
Procedimento de Scanning
Para serem considerados como cumpridores da exigência do Scanning de
Segurança PCI, os estabelecimentos e prestadores de serviço devem
executar o scan dos seus websites ou infraestruturas de IT com endereços
de IP externos, de acordo com as seguintes diretrizes:
1. Todos os scans devem ser realizados por um ASV selecionado de uma
lista de prestadores de serviços de scanning fornecida pela PCI Security
Standards Council
Os ASVs devem efetuar os scans de acordo com os procedimento
descritos nas “Exigências Técnicas e Operacionais para os
Prestadores de Serviços de Scanning” (Technical and Operational
Requirements for Approved Scanning Vendors - ASVs). Estes
procedimentos estabelecem que a operação normal do ambiente do
cliente não deve sofrer impacto e que o ASV não deve nunca
penetrar ou alterar o ambiente do cliente.
2. São exigidos scans trimestrais de acordo com a exigência 11.2 do PCI
DSS
3. Antes de fazer o scanning no website e na infraestrutura de IT, os
estabelecimentos e provedores de serviços devem:
•
Prover ao ASV uma lista de todos os endereços ativos de IP externos
Procedimentos para o Scan de Segurança v 1.1
2
•
Prover o ASV com uma lista de todos os domínios que devem ser
scanned se for usado um host virtual baseado em domínio
4. Ao usar o intervalo de endereços de IP dados pelo cliente, o ASV deve
conduzir um exame da rede para determinar quais endereços de IP e
serviços encontram-se ativos
5. Os estabelecimentos e prestadores de serviços devem entrar em contato
com o ASV para executar scans periódicos de todos endereços de IP (ou
domínios, se for aplicável) e dispositivos ativos
6. O ASV deve executar scan de todos os dispositivos de filtragem, tais
como firewalls ou routers externos (se usados para filtrar tráfego). Se
estiver usando um firewall ou router para estabelecer uma zona
desmilitarizada (DMZ), estes dispositivos devem ser scanned para
detectar vulnerabilidades
7. O ASV deve executar o scan de todos os servidores da web
Os servidores da web permitem que os usuários tenham acesso às
web pages e interajam com os estabelecimentos da web. Em
decorrência destes servidores serem totalmente acessíveis na
Internet pública, é essencial fazer o scanning para a busca de
vulnerabilidades.
8. O ASV deve executar o scan de todos os servidores de aplicativos se
estiverem presentes
Os servidores de aplicativos atuam como uma interface ou
intermediário entre o servidor da web e os bancos de dados de backend e sistemas de legado. Por exemplo, quando os portadores de
cartão compartilham os números de contas com os estabelecimentos
ou prestadores de serviços, o servidor de aplicativo provê a
funcionalidade para fazer a entrada e saída dos dados da rede
segura. Os hackers se aproveitam das vulnerabilidades destes
servidores e dos seus scripts para ter acesso aos bancos de dados
internos que podem armazenar potencialmente os dados de cartões
de crédito.
As configurações de alguns web sites não incluem servidores de
aplicativos; o servidor de web está configurado para agir dentro de
uma capacidade de servidor de aplicativo.
9. O ASV deve executar o scan de todos os Servidores de Nome de
Domínio (Domain Name Servers - DNSs)
Os servidores de DNS aprovam os endereços de Internet traduzindo
os nomes de domínio nos endereços de Protocolo de Internet (IP). Os
estabelecimentos ou prestadores de serviço podem usar seus
próprios servidores de serviço de DNS fornecidos pelo seu Provedor
de Serviço de Internet (ISP). Se os servidores de DNS estiverem
vulneráveis, os hackers podem entrar na página da web de um
Procedimentos para o Scan de Segurança v 1.1
3
estabelecimento ou prestador de serviço e coletar as informações
sobre cartões de crédito.
10. O ASV deve executar o scan dos servidores de mail
Os servidores de e-mail existem tipicamente na DMZ e podem ser
vulneráveis a ataques de hackers. Eles são um elemento crítico na
manutenção da segurança global dos sites da web.
11. O ASV deve executar o scan dos Hosts Virtuais
É uma prática comum ao usar um ambiente de hosting compartilhado
que um único servidor venha a hospedar mais de um web site. Neste
caso, o estabelecimento compartilha o servidor com outros clientes
da companhia proprietária do host. Isto pode permitir que o web site
do estabelecimento seja manipulado através de outros web sites
existentes no host do servidor.
Todos os estabelecimentos cujos websites possuem um host devem
exigir que os seus prestadores de serviço de hosting façam o scan de
toda a sua infraestrutura externa e demonstrem o cumprimento dos
requisitos e que sejam requeridos aos seus estabelecimentos ter os
seus próprios domínios scanned.
12. O ASV deve executar o scan dos pontos de acesso wireless em LANs
(WLANs)
A utilização de WLANs introduz riscos de segurança que necessitam
ser identificados e mitigados. Os estabelecimentos, processadores,
portais, provedores de serviços e outras entidades devem fazer o
scan dos seus componentes wireless para identificar vulnerabilidades
e erros de configuração potenciais
13. Devem ser feitos arranjos para configurar o sistema de detecção de
intrusão/sistema de prevenção de intrusão (intrusion detection
system/intrusion prevention system - IDS/IPS) para aceitar o originador
do endereço de IP do ASV. Se isso não for possível, o scan deverá ser
originado em uma localidade que previna a interferência do IDS/IPS
Relatório de Cumprimento
Os estabelecimentos e prestadores de serviços deverão seguir os requisitos
para os relatórios de cumprimento respectivos para cada companhia de
cartão de crédito com o objetivo de assegurar que cada uma reconheça o
status de cumprimento de uma entidade. Embora os relatórios de scan
devam ter um formato comum, os resultados devem ser submetidos de
acordo com os requisitos da companhia de cartão de crédito. Favor entrar
em contato com o seu banco adquirente ou verificar o website regional de
cada companhia de cartão de crédito a quem os resultados devam ser
encaminhados.
Procedimentos para o Scan de Segurança v 1.1
4
Leitura e Interpretação dos Relatórios
Os ASVs produzem um relatório informativo baseado nos resultados do scan
da rede.
O relatório de scan descreve o tipo de vulnerabilidade ou risco, um
diagnóstico dos problemas associados e a orientação de como consertar ou
patch as vulnerabilidades isoladas. O relatório determinará uma classificação
para as vulnerabilidades identificadas no processo de scan.
Os ASVs podem ter um método único de reportar as vulnerabilidades;
entretanto, os riscos de alto nível deverão ser reportados consistentemente
para assegurar uma classificação justa de cumprimento. Favor consultar o
seu prestador de serviço ao interpretar o seu relatório de scan.
A tabela 1 sugere como uma solução de scan de rede aprovada pode
categorizar vulnerabilidades e demonstra os tipos de vulnerabilidades e
riscos que são considerados de alto nível.
Para ser considerado aprovado, um scan não pode conter um alto nível de
vulnerabilidades. O relatório de scan não deve conter quaisquer
vulnerabilidades que indiquem características ou configurações que estão
em violação da PCI DSS. Se estas violações existirem, o ASV deve consultar
o cliente para determinar se estes são de fato, violações da PCI DSS e
portanto motivo de um relatório de scan mostrando resultados de não
atendimento.
As vulnerabilidades de alto nível são designadas como nível 3, 4, ou 5.
Procedimentos para o Scan de Segurança v 1.1
5
Nível
Severidade
Descrição
5
Urgente
Trojan Horses, têm a capacidade de ler e escrever o arquivo,
execução de comando remoto
4
Crítica
Trojan Horses potenciais, têm a capacidade de ler o arquivo
3
Alta
2
Média
Os hackers podem obter informações confidenciais da
configuração
1
Baixa
Os hackers podem obter informações confidenciais da
configuração
Utilização limitada da leitura, navegação dos diretórios e DoS
Tabela 1 Níveis de Severidade da Vulnerabilidade
Nível 5
As vulnerabilidades de nível 5 proporcionam aos intrusos remotos uma raiz
(root) remota ou capacidades remotas de administração. Com este nível de
vulnerabilidade, os hackers podem comprometer o host inteiro. O nível 5
inclui vulnerabilidades que dão aos hackers remotos capacidades completas
de leitura e escrita do sistema de arquivo, execução remota de comandos
como uma raiz ou usuário administrador. A presença de backdoors e Trojans
também se qualificam para uma vulnerabilidade de nível 5.
Nível 4
As vulnerabilidades de nível 4 oferecem aos intrusos o uso remoto, mas não
com capacidades de usuário administrador ou de raiz. As vulnerabilidades de
nível 4 proporcionam aos hackers um acesso parcial aos sistemas de
arquivo (por exemplo, acesso completo à leitura sem acesso completo à
escrita). As vulnerabilidades que expõem as informações altamente
sensíveis também são classificadas como vulnerabilidades de nível 4.
Nível 3
As vulnerabilidades de nível 3 proporcionam aos hackers o acesso a
informações específicas armazenadas no host, incluindo configurações de
segurança. Este nível de vulnerabilidades pode resultar em potencial uso
indevido do host por intrusos. Exemplos das vulnerabilidades de nível 3
incluem a revelação parcial do conteúdo do arquivo, acesso a determinados
arquivos no host, navegação dos diretórios, descoberta de regras de
filtragem e mecanismos de segurança, susceptibilidade para recusa de
ataques ao serviço (DoS), e uso não autorizado de serviços tais como a
substituição de correspondência.
Procedimentos para o Scan de Segurança v 1.1
6
Nível 2
As vulnerabilidades de nível 2 expõem algumas informações confidenciais do
host, tais como versões precisas de serviços. Com estas informações, os
hackers podem planejar ataques potenciais contra um host.
Nível 1
As vulnerabilidades de nível 1 expõem informações, tais como portos
abertos.
Procedimentos para o Scan de Segurança v 1.1
7
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards