Template for Electronic Submission of Organic Letters

Propaganda
H.4.3 - Teoria e Análise Linguística
Verbos intransitivos ativos e descritivos em parkatêjê
1
2
Rafaela Maciel do Vale , Marília de Nazaré de Oliveira Ferreira
1. Mestranda em Linguística da Universidade Federal do Pará – UFPA; *[email protected]
2. Profa. Dra. do Instituto de Letras e Comunicação, Faculdade de Letras – UFPA
Palavras Chave: verbo, descritivos, intransitivos.
Introdução
A comunidade parkatêjê vive em aldeias localizadas
no município de Bom Jesus do Tocantins, às proximidades
de Marabá, no Sudeste do Estado do Pará. Os parkatêjê,
isto é, “turma de baixo” (ARAÚJO, 1989), constituem uma
população de aproximadamente 478 indivíduos, dentre os
quais
apenas
10%
são
falantes
nativos
(KRÔHÔKRENHUM JÕPAIPAIRE, 2011, p. 97).
O que permite que determinado item lexical seja
tratado como verbo em parkatêjê e nas línguas em geral é
o fato deste ser o núcleo do predicado, bem como ocorrer
com as categorias de tempo, aspecto e modo (cf. GIVÓN,
1984; ROSA, 2000). Ao tratar da divisão binária dos verbos
em ativos e estativos na referida língua, Araújo (1989, p.
84) ressalta que estes são diferentes morfologicamente,
essa diferença é visível principalmente no que diz respeito
à forma de expressão do sujeito pronominal.
Assim, o principal objetivo deste trabalho é delimitar
as diferenças e semelhanças entre os verbos intransitivos
ativos e descritivos (ou estativos) por meio da descrição
linguística de propriedades morfossintáticas inerentes a
cada um deles em parkatêjê.
Resultados e Discussão
A partir de uma abordagem tipológico-funcional
constatamos
que
há
determinados
aspectos
morfossintáticos e semânticos que permitem diferenciar os
verbos intransitivos ativos dos descritivos, dentre eles os
principais são: (i) Os sujeitos de verbos descritivos não
manifestam volição ou controle, ao contrário dos verbos
ativos; (ii) Os verbos descritivos denotam estados,
qualidades, estados fisiológicos, sentimentos, enquanto os
verbos ativos expressam ação; (iii) Os descritivos sempre
ocorrem com os pronomes dependentes, da mesma forma
que os nomes nas construções genitivas, e os verbos
ativos ocorrem com os pronomes livres; (iv) A relação
entre núcleo e argumento (sujeito e descritivo) ocorre por
meio de prefixos relacionais.
Mas também é possível notar semelhanças entre a
subclasse verbal de descritivos e os verbos intransitivos
ativos. Uma delas é o fato de que os dois apresentam
ocorrências com partículas de aspecto. Além disso, eles
recebem a mesma forma de negação e apresentam
semelhanças entre algumas formas imperativas.
Em Parkatêjê há um tipo de sistema de marcação
de caso em que os sujeitos de verbos intransitivos
manifestam-se de formas distintas. Verbos intransitivos
ativos (Sa), cuja semântica denota ação de fato, teriam
seus sujeitos pronominais manifestos com os pronomes
livres; verbos intransitivos descritivos (So), cuja semântica
denota qualificativo, ocorrem com pronomes dependentes;
os verbos descritivos (Sio), por outro lado, denotam
necessidades fisiológicas ou psicológicas e têm seu sujeito
pronominal dependente marcado pelo caso dativo, com a
partícula m . A tabela a seguir resume as semelhanças e
diferenças principais entre intransitivos
intransitivos descritivos na língua:
ativos
e
Tabela 1: Características básicas dos verbos intransitivos em Parkatêjê
(Ferreira, 2003)
Sujeito
pronominal
Prefixos
relacionais
Semântica
Formas
verbais
Predicados
Verbos intransitivos
Verbos ativos
Verbos descritivos
Sa
So
Sio
Pronome livre
Pronome
Pronome
dependente
dependente+
posposição
Não atestados
Atestados
Atestados
Ação
Qualidades e
estados
Formas
distintas
Simples/
estendidos
Formas
idênticas
Simples/
estendidos
Estados
fisiológicos;
sentimentos
Formas
idênticas
Simples/
estendidos
O que nos chama a atenção nos dados analisados é
o fato de que os verbos intransitivos descritivos, além de
semanticamente apresentar noções adjetivais, podem se
assemelhar morfossintaticamente à classe de nomes na
língua. Deste modo, estes itens compartilham
características tanto com nomes quanto com verbos
intransitivos.
Conclusões
A partir dos aspectos linguísticos analisados neste
trabalho é possível concluir que os verbos em parkatêjê
apresentam peculiaridades que não são possíveis de
visualizar em todas as línguas do mundo, o que a torna
única. E o fato de itens que expressam noções adjetivais,
por causa de sua morfossintaxe, estarem inseridos em
uma classe verbal nos mostra a visão de mundo que os
falantes desta língua possuem. Desse modo, o estudo da
categoria verbal faz-se necessário no sentido de
aprofundar as discussões já existentes sobre as classes
de palavras em parkatêjê e, assim, contribuir para os
estudos linguístico-descritivos na área indígena.
Agradecimentos
Instituição de fomento: Capes/Ufpa.
____________________
ARAÚJO, Leopoldina Maria Souza de. Aspectos da língua Gavião-Jê. Tese de
doutorado. Rio de Janeiro: UFRJ, 1989.
FERREIRA, Marília de Nazaré de Oliveira. Estudo Morfossintático da Língua
Parkatêjê. Tese de doutorado. Campinas: UNICAMP, 2003.
GIVÓN, Talmy. Syntax: A functional-typological introduction. Vol. 1.
Amsterdam, Philadelphia: John Benjamins, 1984.
KRÔHÔKRENHUM JÕPAIPAIRE, Toprãmre.
Isto pertence ao
meu povo. Marabá, PA: GK NORONHA, 2011.
ROSA, Maria Carlota. Introdução à morfologia. São Paulo: Contexto, 2000.
67ª Reunião Anual da SBPC
Download
Random flashcards
teste

2 Cartões juh16

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards