129860904920631_Leitura-complementar-01-1

Propaganda
Componente curricular: Filosofia
Professor(a): Luis Fernando Gallo
Aluno(a):_____________________________________Turma:________ Série:_____________Data:___/___/__
O texto abaixo apresentado representa uma possibilidade de complementação, aprofundamento e fixação dos
conceitos trabalhados em sala de aula. Para tal é necessário seguir os seguintes passos:
1. Proceder uma leitura atenta e minuciosa do texto.
2. Identificar os principais argumentos do texto.
3. Pesquisar (ou anotar) as palavras cujo significado ou utilização desconheces, ou não ficou claro.
4. Apresentar por escrito o significado e o sentido das palavras sublinhadas e escritas em vermelho.
Origens da filosofia
Pré-socráticos procuram explicar o mundo a partir da natureza
Antonio Carlos Olivieri*
No livro "Paixão pelo Saber - Uma breve História da Filosofia", os filósofos norte-americanos Robert C. Solomon
e Kathleen M. Higgins, ambos professores de filosofia na Universidade do Texas, apresentam de modo bastante
sintético alguns pontos básicos sobre as origens da filosofia. Vale a pena conhecer o que os dois escreveram:
Se voltamos os olhos para o passado e contemplamos a totalidade da existência humana, o
surgimento da filosofia e de filósofos parece um fenômeno realmente bastante estranho, uma
secreção etérea que não pode ser explicada em termos de fisiologia ou de necessidade física.
Talvez essa atividade notoriamente “inútil” fosse um subproduto de nossos cérebros avantajados, o
resultado de pensamentos que ultrapassam as rotinas cotidianas e olham para além de si. A filosofia
representou, sem dúvida, uma complicação a mais em nosso uso crescente da linguagem, à medida
que um vocabulário rico de conceitos abstratos e subjetivos substituiu nossos grunhidos e rosnados
utilitários e expressivos. Mas idéias filosóficas, de alguma forma – idéias sobre a natureza, suas
forças e questões, sobre a morada da alma na vida após a morte, por exemplo –, são praticamente
universais e podemos encontrar sua origens há dezenas de milhares de anos, na pré-história. Os
homens de Neandertal tinham rituais de sepultamento e práticas que sugerem uma crença na
continuidade da vida após a morte. Idéias sobre a existência de espíritos, deuses e deusas, e seres
ativos e forças além do alcance da percepção humana direta têm também uma longa história. A
curiosidade acerca da natureza, não apenas como necessidade prática mas como deslumbramento
genuíno, remonta provavelmente a Cro-Magnon. Várias concepções de identidade coletiva e justiça
– não só costumes e hábitos de vida em comum, mas mitos e racionalizações do território, do poder
e da comunidade – antecedem sem dúvida a “civilização” por muitos séculos.
Em algum momento entre os séculos 6 e 7 antes da era cristã, no entanto, idéias filosóficas
plenamente articuladas e sistemas de pensamento começaram a aparecer em vários lugares
esparsos do globo. Em torno do Mediterrâneo e no Oriente Médio, na Índia e na China, surgiram
filósofos, grandes filósofos cujas idéias iriam estabelecer os termos da filosofia em suas várias
tradições por milênios no futuro. No Oriente Médio, os antigos hebreus desenvolveram sua
concepção de um Deus uno e de si mesmos como o “povo escolhido”. Na Grécia, filósofos
elaboraram as primeiras teorias científicas da natureza. Na China, os taoístas desenvolveram uma
visão muito diferente da natureza, enquanto Confúcio criava uma poderosa concepção da sociedade
e do indivíduo virtuoso que rege o pensamento chinês até hoje. Na India antiga, os primeiros teóricos
hindus (os vedistas) comentavam a origem da natureza e do mundo, tal como descrita nos Vedas, e
especulavam sobre ela, criando um rico panteão de deuses, deusas e idéias grandiosas.
Além de referir-se a épocas, Solomon e Higgins deixam claro que tipo de questões e idéias formam o que chamamos de
pensamento filosófico. De acordo com alguns estudiosos, a filosofia inclui todo tipo de especulação sobre a vida e a
morte que o ser humano tenha levantado, incluindo aí as reflexões de caráter religioso.
Para outros filósofos, porém, o pensamento filosófico surge na Grécia, por volta do século VI a.C., quando surgem as
primeiras tentativas de explicação natural (e não sobrenatural) para os fenômenos da natureza. De fato, isso foi uma
coisa nova e um dos momentos essenciais ao desenvolvimento humano, que deram um enorme impulso ao nosso
conhecimento.
*Antonio Carlos Olivieri é escritor, jornalista e diretor da Página 3 Pedagogia & Comunicação do site UOL.
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards