Capítulo 9

Propaganda
Resumo da Aula:
Desenvolvimento do celoma intra-embrionário
Embriogênese dos arcos, bolsas e fendas faríngeas
Desenvolvimento do celoma intra-embrionário
O celoma intra-embrionário surge a partir do mesoderma lateral e divide-se em
somático e e esplâncnico.
Durante a 3ª semana, o endoderma (originará a parte epitelial e glandular dos
sistemas digestivo e respiratório) e o mesoderma esplâncnico (originará os múscluls lisos, tecido
conjuntivo, vasos..) que formam o saco vitelino invaginam em parte em direção ao disco
embrionário, formando o intestino anterior.
Septo transverso: placa de mesênquima condensado interposta entre o saco vitelino
e o celoma intra-embrionário. Formará o tendão central do diafragma.
O dobramento longitudinal do embrião é causado pelo desenvolvimento do Sistema
Nervoso Central, principalmente em sua porção cefálica, enquanto o dobramento transversal é
conseqüência do desenvolvimento dos somitos.
Enquanto o mesoderma esplâncnico será o revestimento externo do tubo digestivo,
o endoderma do saco vitelino formará seu epitélio.
Desenvolvimento do diafragma
O diafragma é formado a partir das pregas pleuroperitoneais (formam porção próxima ao
centro tendíneo) fundidas ao septo transverso (tendão central do diafragma) e mesoesôfago
dorsal (pilares), além dos mioblastos (miótomos parietais) de origem somática (formam
musculatura intercostal interna e paredes musculares do diafragma). Ao fim de 12 semanas, o
diafragma já se encontra formado.
As membranas pleuroperitoneais, o septo transverso e os miótomos parietais são
responsáveis pelo fechamento dos canais pericardioperitoneais.
* Pregas pleuropericárdicas -> os pulmões crescem e descolam as membranas da parede
do corpo do embrião até que se fundam com o mesoesôfago. Desta forma, separam a cavidade
pericárdica das pleurais.
Embriogênese dos arcos, bolsas e fendas faríngeas
O estomodeu é a boca primitiva, estrutura composta por ectoderma. O que há por trás
dele, ou seja, por trás da membrana bucofaríngea, compõe-se por endoderma.
O intestino faríngeo, primeira parte do intestino anterior, é composto por expansões do
endoderma para dentro do mesoderma, formando as bolsas faríngeas.
Enquanto as bolsas são formadas de dentro para fora, as fendas são formadas de fora para
dentro, com invaginação do ectoderma para dentro do mesoderma. As últimas três fendas
faríngeas são responsáveis pelo contorno do pescoço em adultos.
Aos 25 dias já há dois arcos faríngeos formados internamente por mesoderma. Os arcos
faríngeos são, grosseiramente, um sanduíche de mesoderma onde o pão de cima (externo) é de
ectoderma e o de baixo (interno), de endoderma.
Células da crista neural migram para os arcos formando um novo mesênquima além
daquele que já havia lá. O mesênquima original é responsável pela formação de elementos
musculares e ligamentares, enquanto o novo mesênquima originário da crista neural dará origem
aos elementos ósseos e cartilaginosos dos arcos faríngeos.
Arcos faríngeos: características
A estrutura geral de todos os arcos faríngeos é semelhante, tendo eles uma barra de
cartilagem, um nervo e uma artéria.
1º Arco (Mandibular)
O 1º arco tem duas proeminências (processos): maxilar e mandibular.
A cartilagem deste arco recebe um nome especial - cartilagem de Meckel - e fica no
processo mandibular.
INERVAÇÃO
* Ramos do nervo trigêmeo (V)
DERIVADOS ÓSSEOS
* Martelo, bigorna: cartilagem de Meckel degenera e o pericôndrio restante sofre ossificação
intramembranosa.
* Pré-maxila, maxilar, zigomático, escama do temporal, mandíbula
DERIVADOS LIGAMENTARES
* Ligamentos esfenomandibular e anterior do martelo
DERIVADOS MUSCULARES
* Músculos da mastigação, milohióideo, ventre anterior do digástrico, temporal, masseter,
tensores do tímpano e palato
2º Arco (Hióide)
Este arco possui também uma cartilagem com nome especial: cartilagem de Reichert
INERVAÇÃO
* Ramos do nervo facial (VII)
DERIVADOS ÓSSEOS
* Estribo, processo estilóide do temporal, corno menor e parte superior do osso hióide
DERIVADOS LIGAMENTARES
* Ligamento estilohióide
DERIVADOS MUSCULARES
* Músculos da mímica facial, estapédio, estilohióide, ventre posterior do digástrico
3º Arco
INERVAÇÃO
* Ramos do nervo glossofaríngeo (IX)
DERIVADOS ÓSSEOS
* Corno maior e parte inferior do osso hióide
DERIVADOS MUSCULARES
* Músculos estilofaríngeos (extrínsecos da laringe)
4º e 6º Arcos
As cartilagens destes dois ossos fundem-se, por isso são apresentados juntos.
INERVAÇÃO
* Nervo vago (X): ramos superior e inferior
DERIVADOS CARTILAGINOSOS
* Todas as cartilagens da laringe, exceto epiglote.
DERIVADOS MUSCULARES
* 4º arco: Cricotireóides, constritores da faringe e levantador do véu palatino
* 6º arco: Músculos intrínsecos da laringe
Bolsas faríngeas: derivados
1ª Fenda
*
Meato acústico externo, revestimento do tímpano (revestimento externo: ectoderma;
revestimento interno: endoderma).
1º Bolsa
*
Recesso tubotimpânico: cavidade timpânica e antro mastóideo; tuba faringotimpânica.
*
Fossa tonsilar, epitélio das tonsilas palatinas e suas criptas.
*
*
Asa dorsal: paratireóide inferior
Asa ventral: timo
*
*
Asa dorsal: paratireóide superior
Asa ventral: corpo ultimobranquial
2ª Bolsa
3ª Bolsa
4ª Bolsa
5ª Bolsa
Ao se desenvolver, torna-se parte da quarta bolsa faríngea e ajuda a formar o corpo
ultimobranquial.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards