Oferta, demanda e preço de equilíbrio

Propaganda
Oferta, demanda
e preço de equilíbrio
No livre mercado, os preços são determinados pela lei da oferta e da procura. O encontro
das duas curvas determina o preço de equilíbrio. Nem sempre esse preço permanece neste estado.
Existem forças que podem alterar o preço e/ou a quantidade demandada e ofertada. Muitas vezes, o
próprio governo pode agir para forçar o equilíbrio no mercado, quer seja subsidiando determinados
produtos ou, por outro lado, sobretaxando outros.
A decisão de consumir, por parte dos indivíduos, e a de produzir, por parte das empresas, é constantemente afetada pela lei da oferta e da procura.
Vamos ver como esses mecanismos de oferta e procura funcionam.
Decisões do consumidor e a curva de demanda
O objetivo do consumidor é maximizar o seu nível de satisfação, ou seu prazer. Para isso, ele precisa escolher que conjunto de bens e serviços comprar dentre as diversas opções disponíveis no mercado.
O consumidor tem o poder da escolha, que é livre e que se limita a sua restrição orçamentária.
12
Economia e Mercado
Restrição orçamentária
A restrição orçamentária significa que o consumidor pode gastar um total igual ou menor que sua
renda – o salário, por exemplo. Se for menor, nem toda a renda que ele ganha é consumida e será destinada a uma poupança – renda não-consumida chama-se poupança, na economia, para ser utilizada
em consumo futuro.
Se o total gasto é maior do que a renda adquirida, ou ele utiliza poupanças passadas para complementar a renda que lhe falta, ou utiliza empréstimos, contraindo dívidas. Nesse caso específico, a necessidade de pagar as dívidas restringirá a capacidade de consumo no futuro.
Assim, a restrição orçamentária limita o conjunto de bens e serviços que o indivíduo pode adquirir.
Por exemplo, uma família que tem renda de três salários mínimos não conseguirá ter acesso à compra
de um carro novo, cujo valor é muito alto para a renda dessa família. Nem com financiamento isso seria
possível, porque a prestação comprometeria toda a renda da família e não sobraria para as demais
necessidades a serem satisfeitas.
O consumo dos diversos produtos resulta em benefícios e custos. Os benefícios advêm da satisfação gerada pelo consumo. Qual seria a satisfação de se beber um copo de água no deserto depois de
um dia inteiro de caminhada? Os custos correspondem ao preço pago pelo produto e ao seu custo de
oportunidade (o que o consumidor deixa de adquirir por escolher determinado produto).
O objetivo do consumidor é maximizar a diferença entre benefícios e custos, ao escolher o conjunto de produtos que a sua renda lhe permite comprar.
Preço do produto (gráfico de demanda)
Quantas vezes os torcedores iriam ao campo de futebol assistir a uma partida de seu time se o ingresso passasse de R$10,00 para R$50,00?
Quanto maior for o preço do produto, menos unidades serão compradas. Por duas razões importantes: porque isso aumenta o custo do consumo e seu custo de oportunidade, ou seja, aquilo que o indivíduo deixa de comprar para poder pagar esse aumento pode levá-lo a não ter renda suficiente para
comprar o produto mais caro, levando-o até a compra de bens substitutos.
Tem-se aí a lei da demanda – quando o preço de um produto sobe e tudo se mantém constante, cai a quantidade demandada, ou o número de unidades compradas do produto. Quando o
preço do ingresso sobe de R$10,00 para R$50,00, poucas pessoas estão dispostas ou podem pagar por esse aumento; conseqüentemente, cai a demanda por ingressos e o clube pode ter uma
perda na receita total se a queda for muito grande.
O gráfico 1 mostra a relação existente entre o preço do produto e a quantidade demandada.
Por causa da lei da demanda, a curva tem inclinação positiva, ou seja, um preço maior (ou menor)
corresponde a uma quantidade demandada menor (ou maior).
Oferta, demanda e preço de equilíbrio
13
Um aumento no preço
reduz a quantidade
demandada
Um aumento no preço
aumenta a quantidade
demandada
Gráfico 1 – Curva de demanda.
Gostos e preferências
Os gostos podem mudar. A moda é o maior exemplo dessa mudança. Cada estação tem cores, estilos e acessórios diferentes. Quando as pessoas passam a gostar mais de determinado bem, aumentam
os benefícios com o consumo deste. O consumidor tende a comprá-lo mais, mesmo que não haja alteração de preço. A curva de demanda se desloca para a direita, de DoDo para D1D1 (gráfico 2). Aumenta a
quantidade demandada do bem porque ele está na moda.
E, em caso contrário, quando as pessoas deixam de gostar de determinado produto, a curva da
demanda se desloca para a esquerda de DoDo para D2D2. Cai a venda do produto porque já passou a
moda e as pessoas não estão mais interessadas em comprar aquele produto. As patinetes são exemplos
disso, já que não estão mais na moda.
A curva de demanda
desloca-se para cima
quando:
– a renda aumenta;
– o preço do bem substituto aumenta;
– o preço do bem complementar cai;
– os gostos deslocam-se
a favor do produto.
Gráfico 2 – Curva de demanda.
14
Economia e Mercado
A curva da demanda desloca-se
para a direita quando:
A curva da demanda desloca-se
para a esquerda quando:
A renda aumenta.
A renda diminui.
O preço do bem substituto aumenta.
O preço do bem substituto cai.
O preço do bem complementar cai.
O preço do bem complementar aumenta.
Os gostos deslocam-se a favor do produto.
Caem as preferências pelo bem.
(ANDRADE; MADALOZZO, 2003. Adaptado.)
A curva da demanda
Bens normais, inferiores, complementares e substitutos
::: Bens normais: são aqueles cuja demanda aumenta quando a renda dos indivíduos se eleva.
Por exemplo, as pessoas deixam de comer em casa e passam a freqüentar restaurantes sofisticados.
::: Bens inferiores: são aqueles cuja demanda se reduz quando a renda dos indivíduos cresce. Por
exemplo, as pessoas deixam de andar de ônibus e passam a andar de carro.
::: Bens complementares: são aqueles que são consumidos em conjunto. A característica desses
produtos é que, quando o preço de um deles sobe, a demanda do outro cai. Quando aumentam os preços dos artigos de tênis, auto­ma­ticamente cai a procura por aulas ou locação de
quadras de tênis.
::: Bens substitutos: são aqueles que, quando o preço de um bem sobe, as pessoas substituem
por outro, aumentando a demanda deste. Quando sobe o preço do café, as pessoas passam a
tomar chá, por exemplo, aumentando as vendas deste produto.
Decisões do produtor e curva de oferta
O objetivo de toda empresa é maximizar o seu lucro resultante da diferença entre a receita total
e os custos totais.
Lucro = receita total – custo total
A receita total advém do número de unidades vendidas do produto multiplicado pelo seu preço; é também chamado de faturamento de uma empresa. Os custos totais são os gastos totais dispendidos no processo produtivo, como pagamentos da folha de salários, aluguéis do imóvel, depreciação,
entre outros.
Existem empresas cujo objetivo principal não é o lucro, são as chamadas empresas sem fins lucrativos, como as ONGs (organizações não-governamentais), empresas do governo e instituições filantrópicas (como algumas creches, asilos etc.).
Oferta, demanda e preço de equilíbrio
15
Em muitos mercados, o número de produtores é muito grande, e nenhum deles pode influir significativamente no preço do bem que deseja vender no mercado. É a chamada concorrência perfeita.
É o caso da indústria têxtil, calçadista, moveleira, de laticínios, entre outras.
Como não pode estabelecer o preço do produto, o empresário determina o preço de seus produtos a partir do preço praticado no mercado.
Quando o preço do produto sobe no mercado, os lucros aumentam e os produtores são incentivados a produzir e a vender mais. A relação entre o preço e a quantidade ofertada é dada pela lei de
oferta: quando o preço de um bem se eleva, com tudo mais permanecendo constante, a quantidade
ofertada do bem também aumenta. No gráfico 3, vemos a inclinação positiva, ou seja, um preço maior
(ou menor) leva a uma quantidade ofertada maior (ou menor).
Um aumento no preço
aumenta a quantidade
ofertada.
Uma redução no preço
diminui a quantidade
ofertada.
Gráfico 3 – Curva de oferta.
Muitos fatores podem alterar a quantidade a ser produzida pelos empresários. O aumento do preço dos insumos pode inviabilizar o lucro do processo produtivo. A redução da quantidade produzida
desloca a curva da oferta de SoSo para S1S1 (gráfico 4). Outro fator muito importante diz respeito à mudança tecnológica que pode aumentar a produtividade e reduzir os custos de produção, incentivando
o empresário a aumentar as quantidades ofertadas, deslocando a curva da oferta de SoSo para S2S2 (gráfico 4). O empresário, quando compra uma máquina que produz mais, poderá aumentar a quantidade
ofertada, afetando o preço no mercado (os preços caem porque aumenta a oferta do produto).
Gráfico 4 – Deslocamento da oferta.
16
Economia e Mercado
Preço e quantidade de equilíbrio
Quando juntamos a curva da oferta com a curva da demanda (gráfico 5), temos a quantidade de
equilíbrio. Quando as duas curvas se encontram, a quantidade demandada é igual à quantidade ofertada (Qo). Quando isso ocorre, diz-se que o mercado está em equilíbrio – e a quantidade Qo é a quantidade de equilíbrio. E, somente em Po, o número de unidades que os consumidores querem comprar é igual
ao número de unidades que os produtores desejam vender. Este é exatamente o preço de equilíbrio. O
preço de equilíbrio é a representação do livre mercado, ou seja, no qual se faz uma negociação de preços. O comprador diz quanto quer pagar e o vendedor diz por quanto vale a pena vender.
Gráfico 5 – Preço e quantidade de equilíbrio – excesso de oferta.
Se o preço do produto (P1) for superior ao preço de equilíbrio (Po), tem-se um excesso de oferta, pois, pelo preço (P1), a quantidade ofertada (Qs1) é maior do que a quantidade demandada (Qd1).
Quando isso acontece, os produtores preferem fazer liquidações para não ter seu capital parado em
estoques, correndo até o risco da obsolescência (depreciação tecnológica – imagine se uma loja comprasse uma quantidade enorme de computadores para um ano de vendas; com certeza, teria prejuízo,
porque, a cada mês, os fabricantes lançam computadores mais modernos e mais velozes, por isso, o comerciante jamais poderá fazer estoque).
No caso oposto, o preço inicial P2 (gráfico 6) é menor do que o preço de equilíbrio (Po). Nesse caso,
existe um excesso de demanda, ou seja, a quantidade demandada (Qd2) é maior do que a quantidade
ofertada (Qs2) pelo preço P2. Quando muitas pessoas desejam o mesmo produto, ele pode se tornar escasso no mercado e a tendência é o preço subir. Quando o dono de um apartamento coloca-o à venda
por um preço inferior ao de mercado, muitos compradores disputarão a compra do imóvel. Quando o
preço de um produto está abaixo do preço de equilíbrio, as forças de mercado tendem a levá-lo de volta ao equilíbrio.
Oferta, demanda e preço de equilíbrio
17
Gráfico 6 – Preço e quantidade de equilíbrio – excesso de demanda.
Mercado de trabalho e salário de equilíbrio
A análise da curva da oferta e da demanda para bens e serviços também pode ser utilizada para
determinar o preço dos insumos empregados no processo produtivo.
Um dos mais importantes insumos utilizados no processo produtivo é o salário.
Os trabalhadores ofertam mão-de-obra no mercado. Quanto maiores os salários, mais os trabalhadores estão dispostos a trabalhar. Quando o salário é muito baixo, não compensa trabalhar. Portanto,
a curva de oferta de trabalho tem inclinação positiva. Por outro lado, as empresas demandam mão-deobra. Quanto maior o salário, menos disposição de contratar trabalhadores elas têm. As empresas, nesse caso, preferem substituir trabalhadores por máquinas. Dessa forma, a curva de demanda de trabalho
apresenta inclinação negativa. O encontro da curva de demanda e oferta determina o salário de mercado e o número de pessoas empregadas em equilíbrio (gráfico 5).
Mudanças no equilíbrio
Os autores Eduardo Andrade e Regina Madalozzo (2003) apresentam a mudança de equilíbrio no
mercado por meio de dois exemplos:
Exemplo 1: cidades turísticas.
No período de férias, as cidades turísticas, como Gramado (RS), ficam lotadas, principalmente em
julho, quando há a expectativa de neve. Nessa época, todos os restaurantes, hotéis e passeios turísticos
ficam mais caros, dado o número elevado de turistas. Há um excesso de demanda, fazendo com que a
curva se desloque de DoDo para D1D1; nesse caso, o preço não é mais o preço de equilíbrio; o novo preço de equilíbrio passa a ser P1.
18
Economia e Mercado
Exemplo 2: o dólar.
O dólar pode ser considerado um produto qualquer, portanto, sujeito às variações de mercado e
cujo preço é determinado pelo encontro da oferta e da procura.
Durante a guerra entre os EUA e o Iraque, no primeiro semestre de 2003, houve uma ameaça concreta
ao abastecimento de petróleo no mundo. Como o Brasil é importador de petróleo, ocorreria um aumento na
demanda de dólares no País, o que, por sua vez, acarretaria o aumento na demanda de dólares para essa
importação, ou desva­lorização, do real.
De outra forma, quando o Brasil aumenta suas exportações, aumenta a oferta de dólares no mercado interno, ocasionando uma queda no preço, com o novo preço de equilíbrio sendo P1, ou seja, ocorre uma valorização do real.
A lei da oferta e da procura é a lei que fundamenta a concorrência no mercado capitalista. Cada
vez que o governo interfere na economia, acaba afetando as livres forças do mercado. A capacidade
produtiva das empresas define a oferta dos bens e serviços na economia, e a renda das famílias representa a demanda do mercado consumidor. As empresas têm sua concorrência ampliada pela globalização da economia, com a abertura dos mercados mundiais. A ampliação da concorrência é positiva para
os consumidores, porque melhora a qualidade e tende a baixar os preços pelo aumento do número de
competidores.
Atividades
1.
Fiscalize os preços dos produtos que sua família consome durante um mês e escreva-os numa
planilha. Observe o que acontece nos meses seguintes e a influência do mercado na determinação dos preços finais.
2.
Por que quando aumenta o número de pessoas interessadas em alugar um imóvel, automaticamente,
sobe o valor do aluguel?
Oferta, demanda e preço de equilíbrio
3.
19
O que se entende por preço de equilíbrio?
a) Os preços estão estagnados.
b) É o ponto de encontro entre a curva da oferta e da demanda.
c) É o preço definido pela balança comercial.
d) É o preço que agrada produtores e compradores.
4.
Como a curva da demanda influencia no poder de decisão dos empresários, também chamados produtores?
5.
Quais as medidas tomadas numa situação de excesso de oferta num sistema de economia de
mercado?
a) Liquidando preços.
b) Aumentando postos de venda.
c) Demitindo funcionários.
d) Cortando horas extras de funcionários.
6.
Quando os salários estão em baixa, dizemos que:
a) a oferta de MO* é baixa em relação à demanda.
b) a oferta de MO é muita alta em relação à demanda.
c) a demanda de MO é crescente.
d) a demanda de MO está em equilíbrio.
MO* = mão-de-obra.
20
Economia e Mercado
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards