Soberania de Deus e liberdade humana Gn 47

Propaganda
SOBERANIA DE DEUS E LIBERDADE HUMANA
Gn 47.13-31
INT. As coisas são como são porque tem um propósito ou elas são assim porque não tem
outro jeito? Conseguimos ter respostas para tudo que acontece, desde os grandes
eventos aos pequenos eventos? Quando um pai tentando fugir das atrocidades do grupo
autointitulado estado islâmico, sai da Turquia para a Grécia, perde sua família e nos deixa
a chocante foto do menino sírio Aylan Kurdi morto numa praia, devemos concluir que isso
foi devido à irresponsabilidade desse pai nessa tentativa, mesmo lhe tendo sido negado
asilo pelas autoridades do Canadá? Ou isso aconteceu porque foi a vontade de Deus?
Quando acontece um terremoto ou um tornado que matam milhares de pessoas e deixa
crianças órfãos, jovens mutilados, adultos sem seus filhos, isso acontece porque Deus
está por trás de todas as coisas ou porque o diabo provocou todo sofrimento? Quando
você descobre que está com câncer e que provavelmente morrerá antes de seu filho se
casar ou tem que sepultar um filho jovem, isso acontece por causa da vontade de Deus
ou porque tem que acontecer mesmo? Será que temos respostas para essas perguntas?
Nesse texto se diz que havia fome extrema e mui severa. Que todo cidadão egípcio e de
Canaã padecia por causa da fome. O dinheiro para comprar alimento acaba e eles
procuram José. José lhes diz: se o dinheiro acabou tragam o gado, o cavalo, o jumento,
os animais que vocês tem e vamos negociar. Os animais acabam e eles procuram José e
dizem: não temos mais nem dinheiro e nem animais, agora só restam o nosso corpo e a
terra aonde moramos. José lhes compra a terra e eles se tornam então escravos de
Faraó.
Como explicar que enquanto José era abençoado pelo Senhor milhares de pessoas
passavam fome, perdiam seus bens, suas terras e se tornavam escravas e pagadoras de
impostos à Faraó? Foi para isso que Deus lhe levou para o Egito? Usou o ódio dos seus
irmãos para vendê-lo e ele ir parar na casa de Potifar? Por que José teve que passar
tantos anos na prisão? Isso era Deus preparando ele? Por que Deus não foi direto aos
sonhos de Faraó, mas antes teve que fazer o copeiro e o padeiro sonharem e o padeiro
acabar enforcado? É Deus que é responsável por todas essas coisas?
Ou foi a
predileção de Jacó por José, o ciúme e ódio de seus irmãos, a imaturidade de José?
- A primeira resposta é que Deus é quem esteve no controle de todas as coisas. Porque
afinal o texto diz que foi Deus quem deu sonhos a José e planejou tudo para que ele
fosse para o Egito e assim fizesse, finalmente, o bem a muita gente. José não tinha
dúvida de que fora Deus que o mandará para o Egito.
- Se é assim, então, Deus não pode nos cobrar nada e nem os nossos pecados, pois é
Ele quem está manipulando todas as coisa como lhe apraz fazer. Foi Deus que fez Jacó
amar mais a José, colocou ódio no coração dos irmãos de José, mandou uma fome
tremenda para todo o Egito e região, foi Deus quem usou a mulher de Potifar para tentar
seduzir José... Deus então ē um grande manipulador!
I- Há resposta? Como entender essa linha tênue entre a soberania de Deus e a liberdade
humana? Podemos encheram isso na história da vida de José?
A primeira resposta me parece estar na constante duplicidade na história de José:
- são dois os filhos de Jacó com Raquel: José e Benjamin.
- José tem dois sonhos.
- por duas vezes José se vê preso: na cisterna e na prisão.
- A mulher de Potifar tenta seduzir José duas vezes e o acusa também duas vezes.
- São dois os companheiros de prisão de José, cada um tem um sonho.
- passam dois anos para Faraó sonhar.
- Faraó tem dois sonhos.
- É no segundo ano de fome que os irmãos de José vão ao Egito.
- Eles fazem duas viagens ao Egito em busca de alimentos.
- Eles têm duas audiências com José. Eles acham por duas vezes dinheiro em seus
sacos de alimento.
- Por duas vezes eles tentam convencer Jacó a deixar Benjamin ir para o Egito com eles.
- Por duas vezes José acusa seus irmãos de espionagem e por duas vezes elabora
planos para que Benjamin venha para o Egito.
Geralmente duplicação é para dar ênfase, mas esse não é o caso aqui. Parece que José
nos dá uma idéia: Gn 41.32 "O sonho de Faraó foi dúplice, porque a coisa é estabelecida
por Deus, e Deus se apressa a fazê-la".
Se a coisa é estabelecida por Deus e Deus se apressa em fazê-la e Ele é todo poderoso
para fazer, por que ainda não fez?
Por que no meio do caminho tem a maldade do homem, tem a liberdade do homem, tem
a teimosia do homem. Deus permanece sabendo o que quer fazer em sua história, o
problema é que você, de certa forma, atrapalha!
Observem o que temos no texto:
1- 50.20 José disse a seus irmãos: o que vocês fizeram, na verdade, foi mal, foi pecado;
odiar é pecado, vender irmãos é pecado, mas Deus tornou o mal em bem.
Então, "eu posso pecar que Deus no final vai fazer o bem?" Nenhum de nós sabe o que
Deus está fazendo no presente, mas podemos saber o que nós estamos fazendo. Os
irmãos não podiam dizer: nós estamos odiando você e vendendo você, porque Deus quer
levar você para o Egito. Portanto, o princípio que temos aqui é: Não tente dar explicações
do futuro para o que acontece no presente. Jesus disse para os seus discípulos que o que
ele fazia no presente eles só entenderiam no futuro. José não dizia enquanto era odiado e
vendido pelos irmãos e enquanto estava na prisão: Eu sei que Deus está me levando para
o Egito...
Então, que resposta nós temos?
O que você está passando é culpa sua ou é Deus quem está trabalhando em sua vida?
Geralmente a gente se culpa e inocenta Deus por causa da nossa fé: se eu tivesse orada
mais, não tivesse sido teimoso, se naquele dia eu pensasse duas vezes antes de casar,
se eu tivesse conversado mais, amado mais... E inocentamos Deus dizendo: foi da
vontade dele, Ele sabe o que faz, Deus tem seus planos...
Nós não temos como saber essas coisas, não temos respostas, perguntar não vai trazer
solução simplesmente porque não temos como saber ao certo o que Deus está fazendo.
Viva esse momento: chore, lamente.... Vai passar e quando passar você se lembrará que
todas as coisas contribuem conjuntamente para o bem daqueles que amam a Deus.
2- Dê o melhor de você e experimente a boa, perfeita e agradável vontade de Deus
vivendo.
Agostinho propôs a seguinte resposta nas "Confissões de Agostinho": "Uma vez que, na
verdade, foi um Deus bom quem me fez, todo bem que eu posso fazer é fruto exclusivo
da minha vontade. Está muito claro que Um Deus bom me deu vontade para esse fim. Se
o Movimento pelo qual a vontade se manifesta desse modo não fosse um ato voluntário e
não estivesse em nosso poder realizá-lo, então não poderíamos ser louvados quando,
repentinamente, nos voltamos para as enfermidades".
"Qualquer mundo possível em que existem seres humanos com livre-arbítrio é melhor que
qualquer mundo possível em que os seres humanos careçam de livre-arbítrio".
O povo se tornou escravo de José, de Faraó. José diz ao povo: vocês tem semente e
terra diante de vocês, plantem e tenham o que comer e como alimentar os seus filhos.
Eles disseram, 47.25 "A vida nos tens dado! Achemos mercê perante meu senhor e
seremos escravos de Faraó." Mas José lhes respondeu: somente a quinta parte é para
Faraó, o restante é para vocês semearem, comerem, darem de comer aos seus e às suas
crianças. José estava lhes dizendo: vivam!
José continuaria enfrentando a vida: seu pai morreria, ele mesmo morreria. Ou seja, a
vida continua. Mas que ela continue com você sabendo viver é saber viver não é ter
explicações para vida, mas viver cada dia com a responsabilidade de fazer o melhor de
mim.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards