estrela estrela -dois

Propaganda
Monições para a celebração do III Domingo de Advento C 2012
Entrada: O nosso caminho de Estrelas aproxima-nos da Luz do Natal e enche o
nosso coração de alegria. Neste domingo da alegria, brilha, para nós a Estrela dos
pobres, a quem queremos levar a Boa Nova. Depois dos santos e dos profetas, são
agora os pobres, que nos guiam ao encontro de Cristo. “A autêntica alegria das
«boas festas» está na dádiva generosa aos outros” (CEP, Mensagem de Natal 2012).
Acendamos a terceira vela da coroa de Advento, para que, no encontro com os
pobres, sejamos conduzidos até Cristo.
(acender a terceira vela da coroa de advento e colar colocar a terceira estrela:
estrela cadente – cor de laranja)
Cântico da 3ª estrofe do Hino para o Ano da Fé
Caminhamos cansados e doridos de feridas ‘inda abertas
Tu nos curas nos desertos desta Vida. Tua mão cuida sempre de nós.
Credo, Domine. Credo!
Com os pobres que estão ‘sperando à porta,
Senhor, nós Te pedimos:
Aumenta, aumenta a nossa fé. Credo, Domine! Aumenta a nossa fé!
Oração coleta
Homilia no III Domingo de Advento C 2012
“Com os pobres que estão esperando à porta,
Senhor, nós Te pedimos: Aumenta, aumenta a nossa fé”.
1. À porta da fé, batem também os pobres e todos os feridos pela vida, órfãos da
alegria! Eles espreitam pela nossa porta e esperam que este nosso encontro, com
Cristo, nos abra os olhos para o seu mundo decadente, e se traduza, da nossa
parte, em mãos largas, que partem e repartem, o pão de cada dia! Assim, a porta
da fé não é apenas “uma porta de entrada na vida de comunhão com Deus e com a
sua Igreja” (PF1). A porta da fé é também uma porta de saída, para o vasto mundo
dos pobres, dos cansados, dos doridos, dos que têm feridas abertas, pelo
desemprego, pelo desabrigo, pelo abandono, pela indiferença, ou até mesmo pela
descrença. É, aos pobres, em primeiro lugar, que o Espírito do Senhor nos envia, a
anunciar a Boa Nova! Foi esse o caminho de João Batista, que “anunciava ao povo
a Boa nova” (Lc.3,18). E foi essa a opção de Cristo, ungido do Espírito e enviado do
Pai, para anunciar a Boa nova aos pobres! (cf. Lc.4,18; Is.61,1).
2. Mas também nós perguntaremos a João Batista: «Que devemos fazer»? Ou
«como devemos anunciar a Boa Nova aos pobres»? O Batista sugere-nos duas
formas concretas: a primeira, é nem sequer falar de Deus, para deixar Deus falar
na eloquência de um gesto de amor, que nem sequer faz ruído. A segunda é
anunciar explicitamente a Boa Nova, levando a cada um a alegre notícia do amor
de Deus: “o Senhor teu Deus, está perto de ti, como poderoso salvador” (Sof.3,17).
3. Comecemos então pelo anúncio aos pobres, que passam fome, sede, frio, dor,
solidão, vítimas da injustiça e da violência! Para estes, o anúncio da Boa Nova
dispensa qualquer sermão ou exortação. A estes, o anúncio faz-se por gestos! A
estes pobres, a fé transmite-se pela caridade! A estes, as boas festas do Natal
escrevem-se em gestos de proximidade. Aliás, “o cristão sabe quando é tempo de
falar de Deus e quando é justo não o fazer, deixando falar somente o amor. O cristão
sabe que Deus é amor, e que este Deus se torna presente, precisamente nos
momentos em que nada mais se faz, que não seja amar” (Bento XVI, DCE 31). Neste
sentido, o Ano da fé, não é apenas desafio a um renovado anúncio do evangelho!
“É também ocasião propícia, para intensificar o testemunho da caridade” (PF 14).
Para este anúncio concreto, para este gesto de amor, não se quer, nem se requer,
como condição, a fé dos pobres; pelo contrário, para este serviço aos pobres,
exige-se, a quem o pratica, uma maior força e riqueza da própria fé, sem a qual a
caridade corre o risco de se tornar um sentimento, à mercê da dúvida, sob
condição e a prazo.
4. Mas há, de facto, hoje, outras formas de pobreza, que requerem o anúncio
explícito e corajoso da Boa Nova. Pensemos naqueles, nos quais a fé se debilitou,
e que se afastaram de Deus, deixando de O considerar relevante na própria vida:
são pessoas que, no fundo, perderam uma grande riqueza, «decaíram» de uma
alta dignidade – não económica, mas espiritual –, e perderam a orientação segura
e firme da vida: estes tornaram-se mendigos do sentido da existência. Estas
inúmeras pessoas, que estão à nossa porta, fora e dentro de portas, “precisam de
uma nova evangelização, isto é, de um novo encontro com Jesus Cristo, o Filho de
Deus (cf. Mc 1, 1)” (Bento XVI, Homilia no encerramento do Sínodo, 28-10-2012).
5. Nesta terceira semana de advento, vamos, pois, com alegria, ao encontro de
Cristo, guiados pelos pobres, como estrelas cadentes. O encontro com os pobres
“muda as pessoas, mais do que um discurso; ensina fidelidade, permite compreender
a fragilidade da vida, pede oração; em suma, leva-nos a Cristo» (Mensagem Final, Sínodo
dos Bispos 2012, n. 12).
Esta semana, acendamos a terceira vela e coloquemos a terceira estrela na coroa
de advento. E a tua estrela irá brilhar, se a tua fé atuar pela caridade; se a tua
caridade, for sustentada pela fé; se o outro for o centro das tuas atenções e
serviços; se souberes oferecer o teu tempo e o teu carinho, sobretudo às pessoas
que vivem sozinhas, aos doentes, aos tristes aos mais desanimados; se fizeres
tudo o que podes, em família, para acolheres e ajudares os membros que passam
por maiores dificuldades; se as prendas que ofereceres forem ajuda, para quem
precisa (cf. CEP, Mensagem Natal 2012), se reacenderes nos mais débeis de esperança a
chama da fé.
“Renovemos, irmãos, o nosso espírito de serviço aos pobres, principalmente para
com os mais abandonados. Esses hão de ser os nossos senhores e protetores” (São
Vicente de Paulo, Carta 2546), serão
mesmo as estrelas cadentes, de uma fé ascendente,
na direção de Cristo, que, por eles, chega até nós!
Credo
Resposta: Creio, Creio. Àmen!

Credes na bondade de Deus Pai, que, por amor, criou a beleza dos céus e
todas as coisas boas da terra, e a todos chama pelo nome?

Credes em Jesus, o Filho de Deus, que veio a este mundo revelar a bondade
infinita do Pai que está próximo de todos e de cada um?

Credes no Espírito Santo e nos seus frutos de amor, de alegria, de bondade e
de Paz?

Credes na Igreja, chamada a manifestar a todos os homens a bondade divina?

Credes que a bondade e a graça de Deus, vos acompanham todos os dias da
vossa vida e que habitareis na casa do Senhor, para todo o sempre?
Aclamação: Esta é a nossa fé…
Oração dos Fiéis
P. “Caminhamos cansados e doridos de feridas ainda abertas. Tu nos curas nos
desertos desta Vida. Tua mão cuida sempre de nós. Com os pobres, que estão
esperando à porta, Senhor, nós Te pedimos”, cantando:
R: Aumenta, aumenta a nossa fé. Credo, Domine! Aumenta a nossa fé!
1.
Pela Santa Igreja: para que dê lugar privilegiado aos mais pobres, sendo assim
reflexo do amor preferencial de Cristo por eles. Com os pobres, que batem à
porta, Senhor, nós te pedimos, cantando…
2.
Pelos que governam os povos: para que desenvolvam políticas justas, que
erradiquem a pobreza e garantam o bem essencial e integral de cada pessoa.
Com os pobres, que batem à porta, Senhor, nós te pedimos, cantando…
3.
Pelos que desconhecem a alegria da dádiva e da partilha: para que o espírito
do Natal os converta, de modo a caminharem ao encontro dos mais pobres.
Com os pobres, que batem à porta, Senhor, nós te pedimos cantando…
4.
Por aqueles que, na nossa comunidade, cuidam dos mais pobres, dos doentes
e dos mais sós: para que o façam à luz da fé, vendo nos mais pequeninos o
rosto de Cristo. Com os pobres, que batem à porta, Senhor, nós te pedimos,
cantando…
P- Ouvi, Senhor, a nossa pobre oração, e a oração de todos os pobres, a fim de que
uns e outros, nos encontremos em Ti e Te reconheçamos neles. Tu que és Deus
com o Pai na unidade do Espírito Santo.
R: Ámen.
Prefácio do Advento II – Oração Eucarística II
Oração para depois da comunhão
" Senhor, a temperatura baixou.
Quando atravesso a rua para entrar no calor do automóvel,
ou sinto a proteção das estações de metro,
dos cafés, do interior dos locais de trabalho,
penso nos que dormem e vivem ao relento.
É verdade que somos todos,
de alguma maneira, gente sem-abrigo.
Que, em certas horas de solidão ou de sofrimento,
trazemos todos a alma
enregelada na imensidão ferida do nosso peito.
Mas quando a temperatura desce,
só me dá para rezar para que o Teu Espírito Santo nos desassossegue,
nos desinstale, nos faça caminhar
ao encontro dos mais pobres."
(José Tolentino Mendonça, Um Deus que dança, 60).
AVISOS
1.
Segunda-Feira, dia 17, às 21h30, 1ª formação vicarial sobre o Concílio Vaticano II,
no Auditório de Lavra, com o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, sobre a
Constituição Pastoral “Gaudium et Spes” que trata a relação da Igreja com o
mundo.
2.
Terça-Feira, dia 18, às 21h30: Reunião da Equipa Paroquial de Pastoral Familiar;
3.
Celebração da Reconciliação (Confissões): Quarta-feira, dia 19: em Leça da
Palmeira, às 16h00; em Lavra e Perafita, às 21h3o. Quinta-feira, dia 20: em
Matosinhos, às 16h00; na nossa Paróquia, às 21h00.
4.
Sexta-Feira, dia 21, às 21h30: Catequese de adultos, Grupo I.
5.
Sábado, dia 22: Não há Catequese, mas há Missa com, Catequese. Catequistas
podem livremente combinar algum encontro com os respetivos grupos;
6.
Sábado, dia 22, às 21h30: Concerto Anúncio de Natal - Coral e Tuna de São Paio
de Oleiros;
7.
Missas de Natal: Dia 24, às 16h30. Dia 25, às 10h30 e 19h00.
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards