Enviado por Do utilizador1948

Modelo PCMAT - Blog Segurança do Trabalho

LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
PCMAT
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
NOME DA EMPRESA
REVISÃO: 00/2000
VALIDADE: 00/00/2000 á 00/00/2000
1
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
SUMARIO
1 – Dados da Empresa ...............................................................................................................................................3
2 - Dados do Contrato............................................................................................................ ....................................4
3 – Objetivo ...............................................................................................................................................................5
3.1 – Da NR – 18 .......................................................................................................................... ........................5
4 – Diretrizes .............................................................................................................................................................5
5 – Atribuições ..........................................................................................................................................................5
6 – Metodologia Utilizada ....................................................................................................... ..................................6
7 – Estrutura do PCMAT .......................................................................................................... .................................6
7.1 – Planejamento Anual com Estabelecimento de Metas, Prioridades e Cronograma ......................................6
7.2 – Estrategia e Metodologia de Ações ........................................................................................... ..................6
7.3 – Antecipação dos Riscos ...............................................................................................................................7
7.4 – Reconhecimento dos Riscos ................................................................................................... .....................7
7.4.1 – Riscos Ambientais ........................................................................................................... .........................7
7.5 – Avaliação dos Riscos Ambientais ...............................................................................................................8
7.6 – Forma de Registro, Manutenção e Divulgação dos Dados ..........................................................................8
7.7 – Implantação das Medidas de Controle ..................................................................................................... ....9
7.8 – Avaliação das Medidas Implantadas ...........................................................................................................9
7.9 – Periodicidade e Forma de Avaliação do Desenvolvimento do PCMAT .....................................................9
8 – Análise de Norma Regulamentadoras (NR) ......................................................................................................10
9 – Layout Inicial do Canteiro de Obras ..................................................................................................................11
9.1 – Especificação do Canteiro de Obras...........................................................................................................11
10 – Proteções Coletivas em Conformidade com as Etapas de Execução da Obra .................................................12
10.1 – Máquinas e Equipamentos .......................................................................................................................12
10.2 – Avaliação dos Requisitos Mínimos ............................................................................................ .............12
10.3 – Ferramentas ................................................................................................................. .............................13
10.4 – Sinalização ...............................................................................................................................................13
10.5 – Procedimento de Emergência .................................................................................................. ................14
11- Especificação Técnica das Proteções Coletivas e Individuais ..........................................................................14
11.1 – Equipamento de Proteção Coletiva ..........................................................................................................14
11.2 – Projeto de execução das proteções coletivas ..........................................................................................16
11.3 Equipamento de Proteção Individual ..........................................................................................................38
12 – Memorial Sobre Condições e Meio Ambiente de Trabalho nas Atividades e Operações ...............................38
12.1 – Cargos/Funções do Contrato ....................................................................................................................38
12.2 – Escopo dos Serviços ................................................................................................................................39
13 – Mapeamento Cargo/Função..............................................................................................................................44
14 – Quadro de EPI´s ...............................................................................................................................................45
15 – Características dos EPI´s .................................................................................................................................47
15.1 – Equipamento de Proteção Individual .......................................................................................................49
16 – Categorias de Riscos ........................................................................................................................................51
17 – Responsabilidade Técnica ................................................................................................................................53
18 – Descrição das Atividades Por Função .............................................................................................................55
19 – Cronograma Anual de Treinamentos ............................................................................................ ...................59
20 – Anexos.......................................................................................................................... ....................................61
2
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
1 - DADOS DA EMPRESA
 Razão Social:
 CNPJ:
 CNAE:
 Descrição do CNAE:
 Inscrição Estadual:
 Endereço:
 CEP:
 Cidade:
 Estado:
 Telefone: ( 00) 0000-0000
 Fax: ( 00) 0000-0000
 E-mail: [email protected]
 Grau de Risco da contratada: 00
 Grau de Risco da Contratante: 00
 Horário de funcionamento:

Jornada de trabalho: 00h/semanais
3
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
2 - DADOS DO CONTRATO
 Razão Social da Contratante:
 Grau de Risco: 00
 Endereço:
 CEP:
 Cidade:
 Número do contrato:
 Objeto do contrato:
 Local do exercício do contrato:
 Data do início do contrato: 00/00/2000
 Data de término do contrato: 00/00/2000
 Preposto do Contrato:
 Telefone de Contato do preposto: (00) 0000-0000
 Gerência Geral:
 Gerência do Contrato:
 Gestor do Contrato:
 Telefone de Contato do Gestor do Contrato: (00) 0000-0000
 Fiscal do Contrato:
 Número total de empregados no contrato: 000
4
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
3 - OBJETIVO
Estabelecer medidas e procedimentos de controle e sistemas preventivos de segurança e higiene do trabalho a serem implementados no processo, nas condições e nos ambientes de trabalho, com a finalidade de preservar a segurança e saúde dos trabalhadores, a níveis adequados de qualidade de vida e maior produtividade.
3.1- DA NR-18
Esta Norma Regulamentadora – NR, estabelece diretrizes de ordem administrativa, de
planejamento e de organização, que objetivam a implementação de medidas de controle e
sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na Indústria da Construção.
O PCMAT deve, ainda , estar articulado, com o disposto nas demais NRs, em especial
com o Programa de Controle Medico e Saúde Ocupacional – PCMSO, previsto na NR 7, e
com o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA, previsto na NR 9.
4 - DIRETRIZES
Todos os recursos serão utilizados a fim de garantir aos empregados da
____________________________, condições adequadas e seguras de trabalho.
Os funcionários deverão ter conhecimento dos riscos de acidentes presentes no seu
ambiente de trabalho e nos específicos da sua atividade bem como a forma adequada de sua
neutralização ou eliminação.
Todos os empregados da ______________________________, e de firmas por ela
contratada, terão o direito de questionar a realização de serviços em que as medidas de segurança não estejam devidamente atendidas, no tocante a segurança e qualidade. Não sendo
permitido a nenhum deles que se trabalhe de forma contrária às normas e procedimentos de
segurança, expondo-se a riscos de acidentes.
5 - ATRIBUIÇÕES
5.1. Diretoria/Gerência:
Cabe à gerência e a administração da ________________________ aprovar e implantar o PCMAT.
5.2. Presposto do Contrato
Coordenar e promover a execução do PCMAT; cumprir e fazer cumprir plano das determinações técnicas do programa; além de promover e participar das reuniões de avaliação do
programa.
5
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
5.3. Técnico de segurança
Coordenar, acompanhar e incentivar aplicação do programa; realizar as atividades
técnicas de prevenção e orientação aos trabalhadores; assessorar as áreas na aplicação dos procedimentos estabelecidos no programa.
5.4. Administrativo
Manter o controle sobre treinamentos previstos no PCMAT, acidentes do trabalho,
aquisição dos Equipamentos de Proteção Individual.
5.5. Encarregado
Coordenar e promover a execução do programa em área de trabalho; propor medidas
preventivas para riscos em sua área de trabalho; cumprir e fazer cumprir as determinações técnicas do programa e das normas internas de segurança do trabalho.
5.6. Demais empregados
Propor correção ou inclusão de medidas de controle para riscos existentes em sua
área de trabalho; cumprir os procedimentos constantes do PCMAT e as normas internas da empresa; informar ao chefe imediato, riscos de acidentes nas suas atividades ou locais de trabalho;
utilizar corretamente os EPI’s fornecidos pela empresa; participar ativamente deste programa.
6 - METODOLOGIA UTILIZADA
Para o desenvolvimento deste PCMAT, serão seguidas as seguintes etapas:







Reconhecimento dos riscos ambientais;
Avaliação dos riscos encontrados;
Monitoramento dos riscos ambientais;
Formas de registro e manutenção dos dados obtidos;
Implantação das medidas de controle;
Avaliação das medidas implantadas;
Divulgação do PCMAT.
7 - ESTRUTURA DO PCMAT
O Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Industria da construção
deverá conter, no mínimo, a seguinte estrutura:
7.1 - Planejamento Anual com Estabelecimento de Metas, Prioridades E Cronograma;
Vide cronograma anexo
7.2 - ESTRATÉGIA E METODOLOGIA DE AÇÕES
As estratégias e respectivas formas de atuação devem ser desenvolvidas por meio de
reuniões de planejamento, confrontação de relatos e dos dados de avaliações ambientais.
6
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Para a avaliação dos agentes ambientais, adotamos a metodologia convencional utilizada em higiene do trabalho, e firmemente assentada nas Normas e procedimentos preconizados por reconhecidas instituições, que versam sobre o assunto, tais como a FUNDACENTRO e
ABNT no Brasil, a NIOSH e a ACGIH nos Estados Unidos.
O Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho da Industria da Construção
será desenvolvido com as seguintes etapas (onde couber): Antecipação; Reconhecimento;
Avaliação para posterior Controle dos riscos ambientais cujos níveis de exposição atinjam os
respectivos Níveis de Ação; Registro e Divulgação de dados.
7.3 - Antecipação dos riscos
O programa prevê a antecipação dos riscos, através da análise conjunta de todos os
setores técnicos e administrativos da empresa na realização de novas instalações, dos métodos
ou processos de trabalho, na modificação dos já existentes com intuito de identificar preventivamente os riscos potenciais e incrementar medidas de proteção para sua redução e/ou eliminação.
7.4 - Reconhecimento dos riscos
Esta etapa envolve a identificação qualitativa e a explicitação, dos riscos existentes
nos ambientes de trabalho. As informações necessárias nesta etapa são:
A determinação e localização das possíveis fontes geradoras, identificação das funções e determinação do número de trabalhadores expostos ao risco.
A obtenção de dados existentes na empresa, indicativos de possível comprometimento
da saúde decorrentes do trabalho, possíveis danos à saúde relacionados aos riscos identificados
disponíveis na literatura técnica.
A descrição das medidas de controle já existentes na empresa e das possíveis alterações para aumentar a sua eficiência na redução ou eliminação dos riscos ambientais e informações obtidas nos seguintes documentos:



Mapas de Riscos Ambientais.
Levantamentos de Riscos nos Postos de Trabalho.
Análise de Riscos - AR
7.4.1 - Riscos Ambientais
Para efeito deste programa e de conformidade com NR-9 item 9.1.5 - Portaria
3.214/78 MTb/SSST, consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos
existentes nos ambientes de trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde dos trabalhadores.
7
LOGOTIPO DA
EMPRESA

PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Agentes Físicos
Consideram-se agentes físicos as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como ruídos, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes e não ionizantes, bem como o infra-som e o ultra-som.

Agentes Químicos
Consideram-se agentes químicos as substâncias, compostos ou produtos que possam
penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas,
gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou serem absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão.
Produtos químicos manipulados:







Produto: Cimento;
Produto: verniz;
Produto: Tintas (base de sorvente, a base d’agua);
Produto: massa corrida;
Produto: sorvente, thiner;
Produto: Cola Adesiva;
Agentes Biológicos
Microrganismos que quando presentes no ambiente de trabalho podem trazer doenças
de natureza moderada ou mesmo grave. São eles: fungos, vírus, protozoários, bacilos, parasitas,
etc.
7.5 - Avaliação dos Riscos Ambientais
A etapa da avaliação dos riscos envolve o monitoramento dos riscos ambientais para a
determinação da intensidade dos agentes físicos a concentração dos agentes químicos e a mensuração dos agentes biológicos visando o dimensionamento da exposição dos trabalhadores.
A avaliação quantitativa deverá ser realizada sempre que necessária para comprovar
o controle da exposição ou a inexistência dos riscos identificados na etapa de reconhecimento,
dimensionar a exposição dos trabalhadores e subsidiar o equacionamento das medidas de controle.
7.6 - FORMA DE REGISTRO, MANUTENÇÃO E DIVULGAÇÃO DOS DADOS
Forma de Registro
Todos os dados obtidos devem ser registrados e utilizados neste PCMAT. Durante todas as etapas de elaboração e implementação deste PCMAT se faz necessário a efetiva participação da diretoria/gerência e dos empregados da EP Engenharia, de fundamental importância
para o real diagnóstico das atividades de riscos, bem como as propostas de medidas corretivas
8
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
que terão como resultados a melhoria da qualidade de vida dos empregados e conseqüente aumento da produtividade.
Os documentos relativos ao PCMAT serão registrados por meio de:

Folha de freqüência de treinamento

Gerenciamento de Estatística de acidentes

Lista de controle de revisões do PCMAT

Ficha de controle de EPI

Identificação de perigos e danos

Análise preliminar de Tarefa

Registro de Inspeções de SSO

Registro de análise de perdas – real e potencial

Registro de ocorrência de segurança

Registro de participação nos Diálogos de Saúde e Segurança

Toda a documentação será mantida a disposição dos órgãos competentes para fiscalização.

Este Documento-Base e todos os dados referentes à sua elaboração e seu acompanhamento serão mantidos arquivados na empresa, durante o período mínimo de 20 (vinte)
anos, constituindo-se no banco de dados com o histórico administrativo e técnico do desenvolvimento do PCMAT.
Manutenção dos dados
A manutenção da dinâmica de desenvolvimento do PCMAT será feita através dos seguintes controles, a serem realizados de forma rotineira e periódica:



Avaliação periódica do Programa - para verificar o andamento dos trabalhos e o cumprimento
das metas estipuladas no cronograma.
Monitoramento - será efetuado o monitoramento periódico para avaliar a eficiência do Programa e das medidas de controle implantadas.
Controle Médico - os resultados dos exames médicos serão instrumentos informativos importantes para avaliar a eficácia do Programa.
Divulgação do PCMAT
O Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção –
PCMAT, deverá ser divulgado a todos os funcionários através de palestras, reuniões, treinamentos e/ou diálogos de Segurança, ou ainda através da CIPA ou seu designado. Além disso, deverá
estar á disposição de todos os funcionários, representantes legais e órgãos competentes, para o
seu conhecimento, em arquivo no setor administrativo da empresa.
9
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
7.7 - IMPLANTAÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE
Todas as medidas de controle já existentes serão avaliadas. As medidas de controle
existentes, com não conformidades, seguirão um cronograma proposto para sua implantação.
7.8 - AVALIAÇÃO DAS MEDIDAS IMPLANTADAS
Todas as medidas implantadas serão avaliadas, periodicamente, para se verificar o nível de conformidades.
7.9 PERIODICIDADE E FORMA DE AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DO PCMAT
Periodicidade
Deverá ser efetuada, sempre que necessário, e uma vez ao ano, uma análise global
do PCMAT para avaliação do seu desenvolvimento e realização dos ajustes necessários e estabelecimento de novas metas e prioridades e quando da ocorrência de acidentes.
A avaliação da eficácia do PCMAT será realizada através do monitoramento ou reavaliação, para verificação da eficácia das medidas de controle implementadas, através de inspeções
realizadas pela CIPA, SESMT e Lideranças.
Forma de avaliação
O PCMAT será avaliado das seguintes formas:

Avaliação do desenvolvimento;

Avaliação do cumprimento das ações;

Avaliação das metas.
8 - ANÁLISE DE NORMAS REGULAMENTADORA (NRs)
NR 4 – Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho – SESMT
Obriga todas as empresas que possuam empregados regidos pela CLT a manter um
SESMT, dimensionamento conforme a gradação de risco da atividade principal e o número total
de empregados, conforme o quadro II da referida norma.
DIMENCIONAMENTO DO SESMT:



Médico do Trabalho;
Engenheiro do Trabalho;
Técnico de Segurança do trabalho.
NR 5 – Comissão Interna de Prevenção de Acidente - CIPA
Toda Empresa com vinte ou mais empregados e que possuam suas atividades
classificadas no grau de risco superior a 2, deve constituir a Comissão Interna de Prevenção de
10
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Acidente - CIPA, com o objetivo de observar, relatar e efetuar e atuar nas situações de risco dos
ambientes profissionais.
A CIPA é composta por representantes do empregado e do empregador, dimensionada pelo grau de risco da atividade principal da empresa e pelo número de empregados do estabelecimento.
Entre as tarefas da CIPA consta a elaboração do Mapa de Riscos (por setor), bem
como o acompanhamento e cumprimento do cronograma de atividades de segurança contida no
PCMAT.
O documento relativo a CIPA estará em anexo conforme estabelece a NR -5, o registro do designado protocolado junto a SRT (Superintendencia Regional do Trabalho).
NR 6 – Equipamento de Proteção Individual – EPI
EPI é um dispositivo de uso individual, da fabricação nacional ou estrangeira, destinado a proteger o trabalhador dos agentes agressivos no ambiente de trabalho. Todo EPI possui o
certificado de aprovação (CA) e o certificado de registro do fabricante(CRF), atendo a NR 6, itens
6.5 e 6.8.1.
A empresa fornece gratuitamente EPI´s aos seus funcionários ( trabalhadores ) e estes, além de receberem orientação da forma correta de utilização, são obrigados a utilizar os
mesmos e a zelar pela sua guarda, higiene e conservação.
NR 7 – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional – PCMSO
A empresa elabora os exames admissionais, periódicos mudança de Função, de retorno ao trabalho e demissionais.
NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA
A empresa possui PCMAT conforme o item 18.3.1.1 da NR 18, diz que o PCMAT deve
contemplar as exigências contidas na NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais –
PPRA.
NR 15 – Atividades e Operações Insalubres
A Empresa possui levantamento qualitativo dos agentes agressivos, possui em planilha específica o controle de riscos por função, abrangendo a totalidade dos funcionários. A partir
deste estudo, são determinados os EPI´s e EPC´s necessários a cada setor da obra. Este documento está especificado na forma setorizada na parte que contempla as exigências do PPRA.
9 - LAYOUT INICIAL DO CANTEIRO DE OBRAS
9.1 - ESPECIFICAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRAS CENTRAL DO SOSSEGO
01 – Prédio dos escritórios c/sala da administrativa, sala da engenharia, sala da fiscalização, sala
do sesmt, copa e sala do almoxarife:
- piso cimentado liso, forro em chapa de madeirit, cobertura em telha fibrocimento, esquadrias de
madeira, paredes em alvenaria revestida c/reboco.
11
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
02 – Prédio dos escritórios c/almoxarifado, depósito de cimento:
- piso cimentado liso, não tem forro, cobertura em telha fibrocimento, esquadrias de madeira, paredes em alvenaria revestida ½ altura c/reboco.
03 – Carpintaria e armação:
- piso cimentado liso, não tem forro, cobertura em telha fibrocimento, não tem esquadrias, não tem
paredes de fechamento, só uma divisória de madeira separando as duas oficinas.
04 – depósito de madeira:
- piso cimentado liso, não tem forro, cobertura em telha fibrocimento, não tem esquadrias, paredes
de fechamento em divisórias de madeirit no fundo e laterais.
05 – Área para montagem e fabricação:
- piso cimentado.
06 – Área para guarda de andaimes tubular, containeres e banheiros químicos:
- piso cimentado, no local de guarda dos andaimes metálico uma tenda vinilica ou fibra, com uma
bacia de contenção em chapa de aço para colocação dos tambores para guarda de braçadeiras,
não tem forro, cobertura só da tenda em lona vinilica ou fibra, não tem esquadrias, não tem paredes.
07 – Baias para guarda de materiais e tijolos.
- piso cimentado liso, não tem forro, não tem cobertura, não tem esquadrias, paredes na altura de
0,80 a 1,00m para separação dos materiais.
08 – Bacia de contenção em chapa de aço para lavagem do caminhão betoneira.
- piso cimentado para colocação da bacia de contenção.
09 – Casa de tinta.
- piso cimentado para colocação da bacia de contenção em chapa de aço, não tem forro, cobertura em telha metálica ou fibrocimento, porta de madeira lisa com porta cadeado, paredes em peças de madeira com tela galvanizada.
10 – Praça de resíduos.
- piso cimentado e a plataforma da praça de resíduo em madeirit para colocação dos tambores
padronizados, não tem forro, cobertura em telha metálica ou fibrocimento, não tem esquadrias,
paredes em cantoneiras metálicas com tela galvanizada nas laterais e no fundo.
11 – Área de manobra de veículos e demais entorno.
- piso no terreno natural.
12
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
10 - PROTEÇÕES COLETIVAS EM CONFORMIDADE COM AS ETAPAS DE EXECUÇÃO DA OBRA
10.1 - MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS
 As máquinas e equipamentos elétricos serão aterrados adequadamente, e protegidos contra
impactos mecânicos.
 Todos os operadores de máquinas e equipamentos receberão instruções via Procedimentos
sobre os métodos mais seguros para cada operação.
Serra Circular
 Somente será operada por funcionários qualificados, identificados e com o devido EPI
(capacete, protetor facial e protetor auricular ou Abafador tipo Concha ). Estes EPI’s ficarão
em compartimento próprio próximos da mesa da serra e ao alcance dos operadores.
10.2 - Avaliação dos requisitos mínimos:
 Quadros de aviso “Uso exclusivo de carpinteiro” e “Uso obrigatório de EPI”.
Alguns procedimentos básicos:
 Regularmente será verificado o disco de corte.
 Será esvaziada a caixa coletora de resíduos, principalmente no final do expediente.
 Corte de cunhas somente em madeiras com mais de 30cm (trinta centímetros).
10.3 - Ferramentas
O Almoxarifado disporá de todas as ferramentas necessárias à etapa da obra. Caso algumas
ferramentas, equipamentos, instrumentos ou similares precisem ser alugados os mesmos deverão
acompanhar garantia explicitada em documento próprio, de funcionamento e de manutenção
realizada nos equipamentos alugados.
 Antes da saída (das ferramentas) do almoxarifado será verificado o funcionamento da
máquina ou equipamento. Verificação visual.
 Serão periodicamente vistoriadas todas as ferramentas e equipamentos de apoio, nas suas
proteções, estado, fiação elétrica e outros considerados necessários e recomendados pelos
fabricantes.
13
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
 Se a ferramenta requerer EPI específico, o responsável do almoxarifado entregará a
Ferramenta e o EPI obrigatoriamente.
10.4 - SINALIZAÇÃO
Interna
Toda a obra será sinalizada, informando sobre Riscos, Atenção e Avisos, conforme
orientações da assessoria de segurança do trabalho.
Externa
A execução de serviços externos (fora dos limites do canteiro de obra), principalmente
só será sinalizado com cavaletes, cones, fita zebrada e orientador de trânsito veicular e de
pedestres, quando necessário. Ainda deve ser observado o seguinte:
 Na eventualidade de obstrução temporária do passeio para fins de descarga de materiais,
deverá ser providenciado cordão de isolamento, em volta do veículo, de maneira a criar um
corredor para passagem do pedestre.
 Durante a descarga de concreto, será utilizado cordão de isolamento, como descrito no item
anterior. Pode ser utilizada fita zebrada fixa em balizas, e como complemento cones de
sinalização.
 Antes da execução de qualquer serviço, verificar e certificar-se que não exista risco contra
terceiros. Devemos priorizar a segurança dos pedestres e veículos.
Locais de fixação dos cartazes
TIPO DE CARTAZ
LOCAL RECOMENDADO
Uso obrigatório de Máscara Respiratória
Próximo a betoneiras
Coloque o Lixo na Lixeira
No local de refeições, no vestiário, no alojamento, no
almoxarifado e salas administrativas.
Use Protetor Auricular
Próximo a serra circular, máquinas e equipamentos
ruidosos.
Cuidado! Eletricidade
Nas caixas de distribuição elétrica e locais
energizados.
14
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Identificação do Circuito
Proibido Fumar
Almoxarifado, local de refeições,vestiários, locais de
armazenamento e manuseio de produtos químicos
inflamáveis e ambiente fechados.
10.5 - PROCEDIMENTOS DE EMERGÊNCIA
Em caso de ocorrência de acidente, onde a vítima precise ser removida para o centro
de atendimento médico, serão tomadas as seguintes providências:
Posto Médico:
 Dirigir-se ao Posto Médico existente na área, conforme indicado pela empresa.
Pequenos acidentes
 Encaminhar a vítima até o Posto Médico acompanhado do técnico de segurança ou
enfermeiro do trabalho.
 Comunicar imediatamente ao gestor.
11 – ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DAS PROTEÇÕES COLETIVAS E INDIVIDUAIS
11.1 EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA – EPC’S
Equipamento de Proteção Coletiva, diz respeito ao coletivo, ao grupo a ser protegido.
Quando há risco de acidente ou doença relacionada ao trabalho, a empresa deve providenciar EPC, visando eliminar o risco no ambiente de trabalho.
As proteções coletivas das máquinas e equipamentos utilizados na obra devem estar
de acordo com as recomendações técnicas dos fabricantes e atender os requisitos das normas de
segurança do MTB, como ter suas transmissões de força enclausuradas dentro de sua estrutura
ou devidamente isoladas por anteparos adequados.
As máquinas e equipamentos serão equipados com cabine de proteção contra intempéries com alarme sonoro acoplado ao sistema de cambio e serão operadas por trabalhadores
habilitados e qualificados, treinados e autorizados, com a função anotada na carteira profissional.
Os veículos de apoio às frentes de serviços serão equipados com giroflex e sinalização.
Sobre o disco e lâmina separadora da serra circular será instalada coifa de proteção
regulável e a chave de comando de partida e parada do motor será do tipo botoeira e colocada ao
15
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
alcance imediato do operador (abaixo da bancada), com tranca porta cadeado (chave de permissão). Sob a bancada, haverá um suporte destinado ao recolhimento dos resíduos de material serrado ou seja uma calha de forma a conduzir o pó da serra para uma caixa ao lado da bancada,
sendo o pó retirado periodicamente.
As polias e correias expostas e com risco de contato terão protetores fixos de compensado ou metal.
A serra será operada por trabalhador qualificado, treinado e autorizado pela empresa e
não poderá portar no pulso relógio ou pulseiras de metal durante a operação e se afastar da área
de controle do equipamento sob sua responsabilidade.
As máquinas e equipamentos serão equipados com extintor do tipo PQS de 2 e 4 quilos.
Estes são os EPC’s mínimos a serem utilizados durante a construção da obra:












Proteção de aberturas no piso;
Proteção de escavações;
Proteção em plástico rígido pra ferragens
Sinalização de advertências e orientação;
Corda de segurança;
Tela de proteção;
Proteções de partes móveis de máquinas e equipamentos;
Proteção de entrada da obra;
Escadas de mão;
Guarda-corpo
Extintores de incêndio
Cones de sinalização
EXTINTORES
Serão colocados extintores (todos de no mínimo 6Kg) contra princípio de incêndios
nos seguintes locais:
 Almoxarifado: 01 PQ (Pó Químico) e 01 água pressurizada.
 Serra Circular: 01 PQ
 Administração da obra: 02 PQ.
 Máquinas/equipamentos e veículos: 1 PQ.

Prédios dos Canteiros de Obras: 01 PQ e 01 água pressurizada.
16
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Incêndio
Princípio de incêndio que não possa ser controlado, ligar imediatamente para o Corpo
de Bombeiros pelo telefone 193 ou (00) 0000-0000.
11.2 PROJETO DE EXECUÇÃO DAS PROTEÇÕES COLETIVAS EM CONFORMIDADE
COM AS ETAPAS DA EXECUÇÃO DA OBRA
ESPECIFICAÇÕES DAS PROTEÇÕES COLETIVAS
Príncipio Básico de Segurança Adotado
Onde houver risco de queda é necessária a instalação da proteção coletiva correspondente.
Prioridade na Implementação das Medidas
A proteção coletiva deve priorizar a adoção de medidas que objetivem evitar a ocorrência de quedas. Não sendo possível, e somente nessa hipótese, deve-se utilizar recursos de
limitação de quedas.
Sistemas de Proteção Coletiva Para Evitar Quedas
Dispositivos Protetores de Plano Vertical
Sistema Guarda-corpo-Rodapé (GcR)
Esse sistema destina-se a promover a proteção contra riscos de queda de pessoas,
materiais e ferramentas. Deve se constituir de uma proteção sólida, de material rígido e resistente,
convenientemente fixada e instalada nos pontos de plataformas, áreas de trabalho e de circulação
onde haja risco de queda de pessoas e materiais.
Como elementos constitutivos o GcR (Figuras: 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7) tem:




Travessão superior (barrote, listão, parapeito) - compõe-se de barra, sem aspereza, destinada a proporcionar proteção como anteparo rígido. Será instalado a uma altura de l,20 m
(um metro e vinte centímetros) referida do eixo da peça ao piso de trabalho. Deve ter resistência mínima a esforços concentrados de l50 kgf/ metro linear (cento e cinqüenta quilogramas-força por metro linear), no centro (meio) da estrutura;
Travessão
intermediário - compõe-se de elemento situado entre o rodapé e o travessão
superior, a uma altura de 0,70m (setenta centímetros) referida do eixo da peça ao piso de
trabalho de mesmas características e resistência do travessão superior;
Rodapé - compõe-se de elemento apoiado sobre o piso de trabalho que objetiva impedir a
queda de objetos. Será formado por peça plana e resistente com altura mínima de 0,20m
(vinte centímetros) de mesmas características e resistência dos travessões;
Montante
- compõe-se de elemento vertical que permite ancorar o GcR à estrutura das
superfícies de trabalho ou de circulação (com aberturas ou vãos a proteger) e no qual se
fixam os travessões e rodapé de mesmas características e resistência dos travessões.
17
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 1. GcR de madeira - Vista A
Figura 2. GcR combinado com estrutura metálica e com montantes fixados em cavilhas deixadas ao se concretar ou cavilhas feitas após concretagem.
Figura 3. GcR combinado com estrutura metálica, com montantes Fixados por meio de parafusos.
18
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 4. GcR com corrimão em escada.
As distâncias entre os montantes dos sistemas GcR em andaimes suspensos deverão
ser de no máximo 1,50 m (um metro e cinqüenta centímetros)
Requisitos Complementares do GcR:
Para impedir a queda de materiais o espaço compreendido entre os
travessões e o
rodapé deve ser fechado por tela com resistência de 150 Kgf/ metro linear (cento e cinqüenta quilogramas-força por metro linear), com malha de abertura com intervalo entre 20 mm e 40 mm ou
material de resistência e durabilidade equivalentes e fixada do lado interno dos montantes, conforme Figura 8.
Disposições Gerais:
A fixação do sistema GcR deverá resistir a esforços transversais de, no mínimo, 150
kgf/metro linear (cento e cinqüenta quilogramas-força por metro linear) e ser feita na face interna
do sistema GcR (voltado para o lado interno da edificação, no sentido contrário à direção do esforço a que será solicitado);
O material utilizado na confecção do GcR será resistência e durabilidade equivalentes;
Não devem ser usadas peças de madeira submetidas à pintura com tinta, prática que
pode impedir a detecção de falhas no material.
É indicada a aplicação de duas demãos de verniz claro, óleo de linhaça quente ou afim, bem como a realização de inspeção antes da instalação e utilização dos pranchões;
A plataforma de trabalho em balanço terá que ter o seu guarda-corpo reforçado com a
mão francesa conforme Figuras 6 e 7;
19
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 6. GcR reforçado com mão francesa.
Figura 7. GcR reforçado com mão francesa.
Os travessões componentes do GcR, devem ser bem fixadas nas faces internas dos
montantes. Quando a altura de 1,20m (um metro e vinte centímetros) definida para o travessão
superior for insuficiente para atender as medidas necessárias à execução segura de determinado
tipo de atividade, o travessão superior será obrigatoriamente elevado até o nível compatível com o
serviço realizado, atentando-se para que as dimensões verticais entre travessões e rodapé não
sejam maiores que 0,50m (cinqüenta centímetros) com fechamento com tela de arame galvanizado de nº 14 (quatorze) ou material de resistência e durabilidade equivalente (Figura 8).
Figura 8. GcR com travessões múltiplos
20
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
O travessão intermediário poderá ser substituído por barrotes verticais, desde que, entre estes, a distância máxima não exceda 0,15m (quinze centímetros) e na sua instalação, sejam
observados os critérios de segurança e resistência já definidos neste item, com fechamento com
tela de arame galvanizado de nº 14 (quatorze) ou material de resistência e durabilidade equivalente (Figura 9);
Proteção de Aberturas no Piso por Cercados, Barreiras com Cancelas ou Similares
As aberturas no piso, mesmo quando utilizadas para o transporte de materiais e equipamentos, devem ser protegidas por cercado rígido composto de travessa intermediária, rodapé e
montantes de características e sistema construtivo idêntico ao GcR. No ponto de entrada e saída
de material o sistema de fechamento deve ser do tipo cancela ou similar (Figura 11). Na hipótese
de não ser possível o transporte vertical com o cercado fixo, pode-se utilizar o cercado removível
devidamente sinalizado (Figura12).
Figura 11. Cercado de proteção por GcR com cancela.
Figura 12. Cercado de proteção removível
21
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Os vãos de acesso às caixas dos elevadores devem ter fechamento vertical provisório,
através de sistema GcR ou de painel inteiriço de no mínimo 1,20m (um metro e vinte centímetros)
de altura, constituído de material resistente, fixado à estrutura da edificação, até a colocação definitiva das portas (Figuras 13, 14 e 15).
Figura 13. Sistema de proteção por GcR de madeira.
Figura 14. Sistema de proteção por tela metálica
Figura 15. Proteção por assoalho de madeira, fixados em peças metálicas.
22
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 16. Proteção por meio de assoalho de madeira, fixado em peças de madeira.
Figura 17. Proteção pelo sistema GcR de madeira e de estruturas metálicas.
A proteção deve ser inteiriça, sem apresentar frestas ou falhas, fixadas em peças de
perfil metálico ou de madeira, projetada e instalada de forma a impedir a queda de materiais, ferramentas e/ou outros objetos. Deve resistir a um esforço vertical de no mínimo 150 Kgf./m linear
(cento e cinqüenta quilogramas-força por metro linear), no centro da estrutura, quando se destinar,
exclusivamente, à proteção de quedas de pessoas. Quando objetivar a proteção de áreas de circulação de veículos (carrinhos) ou de cargas com peso superior ao do trabalhador, a estrutura deve ser projetada e instalada em função dos respectivos esforços a que será submetida. Elementos
diversos de instalações prediais (caixas de esgoto, água pluviais e outros), dos quais derivem
aberturas no piso devem ter fechamento provisório (tampa) sempre que forem interrompidos os
serviços no seu interior.
23
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
ESCADAS PORTÁTEIS
24
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 20
25
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 21
Figura 22
26
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 23
Figura 24
Figura 25.
27
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 26.
Figura 26
Figura 27.
28
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 27
Figura 28.
29
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 28.
SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA
30
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 29.
SEGURANÇA
USO OBRIGATÓRIO NESTA ÁREA
USE SEMPRE SEUS EPIS
SEGURANÇA
ATENÇÃO
VELOCIDADE MÁXIMA
40
PERMITIDA
Km/h
EVITE
ACIDENTES
HIGIENE
MANTENHA ESTE LOCAL SEMPRE LIMPO E ORGANIZADO
EVITE
ACIDENTES
31
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
32
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
0.2
5
LOGOTIPO DA
EMPRESA
R= 0.60
R= 0.15
0.2
5
2.2
5
R= 0.43
R= 0.22
0.2
5
1.5
0
CHAPA
R= 0.20
TELA
1.4
5
R= 0.15
NOTAS:
-TELA DE ARAME DE AÇO
1/8", MALHA 7/8".
-CHAPA DE AÇO 1020 ESPES: 1/8", LARGURA: 0.25.
-TODAS AS DIMENSÕES E ELEVAÇÕES ESTÃO EM METROS.
Figura 32.
PONTO DE ATRACAMENTO NA AMARRAÇÃO – CABO GUIA
Figura 33.
33
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
CABO DE AÇO OU CORRENTE PARA PRENDER CINTO DE SEGURANÇA
Figura 34.
PONTO DE ATRACAMENTO DO CINTO EM TELHADO (PADRÃO)
Figura 35.
34
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
PROTETOR DE PONTA DE VERGALHÃO
Figura 35
35
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 36.
INSTALAÇÃO DE ESCADAS EM ESCAVAÇÃO DE VALA COM MAIS DE 1,25 M DE ALTURA
Figura 37.
ESCAVAÇÃO TALUDADA (ESCAVAÇÃO COM PAREDES EM TALUDES)
36
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Figura 38.
QUADRO TERMINAL MÓVEL
QUADRO TERMINAL FIXO
Figura 39.
PROTEÇÃO CONTRA IMPACTO P/ LÂMPADAS
Figura 40.
PLUGS E TOMADAS BLINDADAS
11.3 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPI’S
A empresa fornecerá aos trabalhadores, como medida complementar de segurança.
 Calçado fechado de couro resistente para proteção dos pés do trabalhador com solado antiderrapante;
 Botas impermeáveis somente para trabalhos de lançamentos de concreto ou em terrenos encharcados
 Luvas adequadas ao serviço a ser executado (raspa de couro para trabalhos grosseiros e de
borracha para aplicação de massas);
37
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
 Cinto de segurança do tipo pára-quedista, para trabalhos em alturas superiores a 1,80 m (um
metro e oitenta);
 Protetor facial ou óculos de proteção e abafador de ruído para os trabalhos com serra circular;
 Capacete de segurança;
 Óculos de segurança contra impactos, para trabalhos com esmeril e lançamento de concreto;
 Óculos de segurança contra poeiras e respingos, para serviços de lixamento de concreto, pinturas e outros;
 Outros equipamentos de proteção individual adequado a riscos específicos, tais como:
 Capas impermeáveis, para chuvas;
 Outros a critério da segurança no trabalho.
12 – MEMORIAL SOBRE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NAS ATIVIDADES E OPERAÇÕES
12.1 - Cargos / Funções do Contrato
01
Engenheiro Civil
00
02
Engenheiro de Segurança do Trabalho
00
03
Técnico de Segurança do Trabalho
00
04
Técnico de Planejamento
00
05
Operador de Betoneira
00
06
Ferreiro Armador
00
07
Operador de Retro Escavadeira
00
08
Estágiario de Técnico de segurança do Trabalho
00
09
Auxiliar administrativo
00
10
Técnico em Meio Ambiente
00
11
Encarregado
00
12
Pedreiro
00
13
Carpinteiro
00
14
Pintor
00
15
Marteleteiro
00
16
Ajudante Geral
00
17
Encanador
00
38
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
18
Eletricista
00
19
Estagiário de Tecnico de Meio ambiente
00
20
Médico do Trabalho
00
21
Tecnico de medição
00
22
Técnico em edificações
00
23
Montador de Andaime
00
24
Supervisor de planejamento
00
25
Estagiario de planejamento
00
26
Estagiario de Edificações
00
27
Almoxarife
00
28
Apontador
00
29
Motorista / Operador
00
Total: 000
12.2 - ESCOPO DOS SERVIÇOS
As atividades a serem desenvolvidas na obra referente ao presente PCMAT, possuem
características já inerentes aos processos desenvolvidos pela empresa e presentes no seu objeto social.
De forma resumida, os serviços de empreitada guarda-chuva para execução de serviços civis diversos nas áreas sob responsabilidade do departamento do _____________________
em _________________________ com fornecimento de materiais.
A seguir a relação dos possíveis riscos à integridade física dos trabalhadores e terceiros, que podem acontecer durante os diversos serviços da obra, e as correspondentes medidas
de eliminação ou neutralização e controle por meio de Equipamentos de Proteção Coletiva
(EPC’s) e ou medidas administrativas de correção e por Equipamentos de Proteção Individual
(EPI’s).
O Quadro abaixo mostra os Riscos, os EPI’s e os EPC’s necessários para evitar acidentes durante esta fase da obra.
39
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
DEMOLIÇÕES E RETIRADAS
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
PRINCIPAIS RISCOS
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Na entrada e saída do terreno, sinalizar
adequadamente o local, inclusive com
anteparos (cavaletes) Manter outras
Demolições de alvenaria Risco de acidentes com o Usar protetor auricular
pessoas afastadas do local de movie retiradas de entulhos equipamento
com retro-escavadeira.
Usar proteção respiratória mentação da máquina. Orientar o operador a realizar a tarefa devagar, com
Ruído
bastante cuidado. Caso o terreno apresente declividade excessiva, redobrar
Poeiras.
os cuidados.
MOVIMENTO DE TERRA
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
PRINCIPAIS RISCOS
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Na entrada e saída do terreno, sinalizar adequadamente o local, inclusive
Limpeza e Regularização Risco de acidentes com o
com anteparos (cavaletes) Manter
Manual e Mecanizada equipamento
Usar protetor auricular
outras pessoas afastadas do local de
do Terreno.
movimentação da máquina. Orientar o
Ruído
Usar proteção respiratória operador a realizar a tarefa devagar,
com bastante cuidado. Caso o terreno
Poeiras.
apresente declividade excessiva, redobrar os cuidados.
Todo o material removido da limpeza do terreno será transportado via caminhão basculante para
uma área de lixão indicado pela empresa.
ESCAVAÇÕES
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
PRINCIPAIS RISCOS
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Pranchões (escorados horizonUsar bota de borracha
talmente se necessário em talude
Quedas de mesmo nível e com solado antiderrapante. superiores a 1,20m), Escadas de
saída de emergência. Muros, ediqueda de nível diferente.
Usar abafador de ruído
ficações vizinhas e todas as estruou
Exposição a ruído
turas adjacentes devem ser escoUsar respirador contra
radas.
Inalação de poeiras.
poeiras
O material retirado deve ficar a
distância superior à metade da
profundidade, medida a partir da
borda do talude.
Risco de desabamento.
Escavação manual
com máquina.
40
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
ESTRUTURA
Fôrmas
ATIVIDADES E OPEPRINCIPAIS RISCOS
RAÇÕES
Confecção das fôrmas
Montagem das fôrmas
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Contusões e cortes nas Usar luvas, protetor facial, Proteções no disco da serra, promãos,
partículas
nos óculos de segurança, aba- teções frontal e posterior da meolhos, ruído da serra circu- fador de ruído. Não con- sa, extintor do tipo PQ de 4kg.
lar.
feccionar cunhas com madeiras menores de 30 cm.
Risco de queda de nível Cinto de Segurança tipo Escadas de acesso às escavadiferente.
pára-quedista.
ções e lajes.
ARMADURAS
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
PRINCIPAIS RISCOS
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Confecção e montagens Ferimento nas mãos,
Luvas de raspa, máscara Proteções nas ferramentas elétridas armações de aço.
Detritos nos olhos, poeiras contra poeiras, óculos am- cas tais como a policorte, a coifa
e Quedas de mesmo nível. pla visão.
da serra circular e partes móveis.
Deve ficar instalado a Policorte sob
cobertura.
Transporte das formas de Problemas de postura.
armação para o local de
montagem ou colocação
definitiva.
Montagens das formas Queda de nível diferente
das bases e da Laje com
altura superior a 2 metros
Luvas de raspa, botina
com biqueira de aço.
Solicitar auxilio para transportar as
formas sempre que o peso for demasiado e superior a sua capacidade de cargas.
Cinto de segurança tipo
pára-quedista.
DRENAGEM / CONCRETAGEM
ATIVIDADES E OPEPRINCIPAIS RISCOS
RAÇÕES
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Concretagem
geral, Queda de nível diferente, Cinto de segurança, bota Sinalizar o local da atividade e
adensamento do concre- estouro do mangote,
de borracha, óculos, pro- montagem de guarda-corpo.
to.
respingos de concreto e tetor facial e calça de PVC.
choque elétrico.
Operações de bombea- Atropelamento, durante as O funcionário que irá reali- As áreas de acesso desde a desmento, e manobra da operações de estaciona- zar a manobra para o es- carga do concreto até o guincho
estarão desobstruídas e regulariBetoneira.
mento, descarga e saída tacionamento,
utilizará zadas.
da betoneira.
colete com refletiva em
atividades noturnas.
41
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
ALVENARIA, PISOS E REVESTIMENTOS
ATIVIDADES E OPEPRINCIPAIS RISCOS
RAÇÕES
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Assegurar a limpeza do local
Construção da alvenaria Queda de nível diferente Utilizar botina de segurança. (remover pregos da estrutura,
Queda de materiais.
Cinto de segurança tipo pá- aços de amarração de pilares e
ra-quedista.
vigas, poeiras e materiais soltos).
Realizar o transporte dos blocos
(tijolos) de forma segura.
Assentamento dos blocos Queda das paredes levan- Utilizar bota de segurança e
(tijolos).
tada
(principalmente Luvas de látex.
quando recém concluídas).
Pode
acontecer
alérgica
reação
dermatológica
pelo uso da massa.
PINTURA
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
PRINCIPAIS RISCOS
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Irritações dermatológicas e
oculares.
Luvas impermeáveis.
Óculos de segurança, pre- Manter o local em volta da tarefa
Quedas de mesmo nível e ferencialmente ampla vi- isolado com fita zebrada e pedesPintura interna e externa queda de nível diferente são.
tais de madeira ou metálico.
Intoxicação por odores.
Usar cinto de segurança.
Queda de materiais e ferramentas manuais sobre Respirador com filtro para
pessoas.
vapores orgânicos.
VIDROS E ESPELHOS
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
PRINCIPAIS RISCOS
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Queda de nível diferente
Manter o local em volta da tarefa
Assentamento de EspeBotas, luvas e óculos de isolado com fita zebrada.
lhos e Vidros
Queda de materiais e fer- segurança.
ramentas manuais sobre
pessoas.
42
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
COBERTURA / FORROS
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
EPI’S/CUIDADOS
PRINCIPAIS RISCOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Queda de nível diferente Utilizar cinto de segurança. Sinalizar e isolar a área da atividaAssentamento de calha
de.
PVC e cobertura com Queda de materiais e fer- Bota e óculos de seguran- Manter outras pessoas afastadas
telhas.
ramentas manuais sobre ça.
do local.
pessoas.
INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
EPI’S/CUIDADOS
PRINCIPAIS RISCOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Luva isolante de eletricista Sinalização e isolamento de área.
Choque elétrico
Cinto de segurança
Instalações
externas.
internas
e Queda de nível diferente
Utilização de bota com
Bloquear e sinalizar os circuitos
elétricos antes de iniciar as atividades.
Queda de materiais
biqueira de fibra ou PVC.
Oculos de segurança.
LOUÇAS, METAIS, ACESSÓRIAS E BANCADAS
ATIVIDADES E OPERAÇÕES
PRINCIPAIS RISCOS
EPI’S/CUIDADOS
EPC’S/PREVENÇÃO
Cortes e perfurações em Utilização de luva, óculos Sinalizar e isolar a área da atividaAssentamento de louças
membros.
e bota de segurança.
de.
e metais
Prensamentos e esmagamentos.
Manter outras pessoas afastadas
do local.
13 - MAPEAMENTO CARGO / FUNÇÃO
43
E: Eventual)
FUNÇÃO X EPI
(R: Rotina
Ajudante Geral
R
R
E
Almoxarife
E
E
E
E
Apontador
E
E
E
E
Armador
R
R
E
Aux. Administrativo
E
E
Carpinteiro
R
R
E
Eletricista
R
R
E
E
Encanador
R
R
E
E
Encarregado
R
R
E
E
E
E
E
E
E
E
E
E
E
E
R
E
R
E
E
R
R
R
E
44
biqueira celoplástico
Cinto de Segurança
R
Capa de chuva
R
Botina Seg. c/
Botinas de segurança
Botas impermeáveis
Luva ant-vibração
Luva isolante
Luva de PVC ou látex
Luva de Vaqueta ou
pano
Avental de PVC
Avental de raspa
Perneira de lona
Perneira de couro
Protetor auricular
Protetor facial com
lente verde
Calça Trevira
Blusão para soldador
Protetor facial com
lente incolor
Máscara para
Soldador
Manga de raspa
Máscara descartável
Óculos maçariqueiro
Óculos ampla visão
Óculos de segurança
Capuz de brim
Capacete
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
14 - QUADRO DE EPI’S
E
E
R
E
R
E
R
E
E
R
E
E
R
E
E
E: Eventual)
FUNÇÃO X EPI
(R: Rotina
Engenheiro Civil
E
E
E
R
Engenheiro de Segurança
E
E
E
R
Marteleteiro
R
R
E
R
E
Montador de Andaime
R
R
E
E
Motorista Operador
E
E
E
E
Operador de Betoneira
R
R
E
Operador de Retroescavadeira
E
E
E
Pedreiro
R
R
E
Pintor
R
R
Técnico de Planejamento
E
E
E
R
Técnico de Segurança
E
E
E
R
Técnico em Edificações
E
E
E
R
Técnico em Meio Ambiente
E
E
E
R
E
E
R
E
R
R
Cinto de Segurança
R
E
E
R
R
E
E
E
R
E
R
E
E
E
R
E
R
R
R
E
R
celoplástico
Botina Seg. c/ biqueira
Botinas de segurança
Botas impermeáveis
Luva ant-vibração
Luva isolante
Luva de PVC ou látex
Capa de chuva
R
Luva de Vaqueta ou
pano
Avental de PVC
Avental de raspa
Perneira de lona
Perneira de couro
Protetor auricular
Protetor facial com
lente verde
Calça Trevira
Blusão para soldador
Protetor facial com
lente incolor
Máscara para
Soldador
Manga de raspa
Máscara descartável
Óculos maçariqueiro
Óculos ampla visão
Óculos de segurança
Capuz de brim
Capacete
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
R
R
E
E
R
E
E
45
FUNÇÃO X EPI
(R: Rotina
Estagiário Técnico de
E
E
Planejamento
Estagiário Técnico de
R
E
Estagiário Técnico em
E
E
Edificações
Estagiário Técnico em Meio
E
E
Ambiente
Tecnico de Medição
E
E
Supervisor de Planejamento
E
E
E
E
E
Segurança
E
E
R
E
E
R
E
E
E
E
E
E
E
R
R
R
46
Cinto de Segurança
Capa de chuva
celoplástico
Botina Seg. c/ biqueira
Botinas de segurança
Botas impermeáveis
Luva ant-vibração
Luva isolante
Luva de PVC ou látex
Luva de Vaqueta ou
pano
Avental de PVC
Avental de raspa
Perneira de lona
Perneira de couro
Protetor auricular
Protetor facial com
lente verde
Calça Trevira
Blusão para soldador
Protetor facial com
lente incolor
Máscara para
Soldador
Manga de raspa
Máscara descartável
Óculos maçariqueiro
Óculos ampla visão
Óculos de segurança
Capuz de brim
E: Eventual)
Capacete
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
R
E
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
15 - CARACTERÍSTICAS DOS EPI’S
Protetor Facial: Equipamento destinado à proteção do rosto dos colaboradores.

Utilização: Deverá ser utilizado em serviços com riscos de projeções de quaisquer tipos de partículas sobre o rosto do funcionário, como durante a operação com serra circular e policorte.

Conservação: Manter sempre limpo para boa visibilidade. Utilizar apenas pano macio,
água e sabão neutro para limpeza. Nunca solventes.
Protetor Auricular: Equipamento destinado à proteção das pessoas que trabalham em locais
com ruído elevado e acima dos limites de tolerância.

Utilização: Deverá ser utilizado pelos funcionários que trabalham em operação de máquinas, corte de materiais por disco, esmerilhadeiras, lixamento de peças metálicas, e
outras onde o ruído for alto.

Conservação: Manter sempre limpo para boa higiene e conforto. Solicitar a substituição, para higienização mensal ou de acordo com a periodicidade de utilização.
Capacete: Equipamento destinado a proteger a cabeça contra impactos contundentes.

Utilização: Deverá ser utilizado pelos colaboradores dos setores de produção constantemente, e sua conservação e guarda é de responsabilidade do empregado.

Conservação: Manter limpo e evitar danos no casco e na carneira.
Luvas de raspa de couro (ou equivalente): Equipamento utilizado para a proteção das mãos
e punhos, contra riscos de ferimentos por corte, lacerações etc.

Utilização: Deverá ser utilizada nos serviços de levantamento e transporte de materiais, e em todos aqueles que tragam riscos às mãos dos funcionários da área de produção.

Manutenção: Deverá ser solicitado um equipamento novo, quando o mesmo não
apresentar condições de uso. Não deve ser submetido à umidade.
Vestimenta de Trabalho: Roupa para trabalho destinada a proteger o corpo do funcionário do
contato com as partículas em suspensão (poeiras). Recomenda-se roupa em tecido resistente,
porém leve e confortável com mangas compridas e do tipo macacão.

Utilização: Deverá ser usado durante os trabalhos de produção, observando que a
barra da calça deve ficar sempre por cima do calçado de segurança.

Manutenção: O funcionário deve providenciar sua limpeza e manutenção. Somente
será entregue uma nova muda mediante a devolução da anterior.
47
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Cinto de Segurança: Equipamento destinado a limitar uma possível queda durante a execução de um trabalho que esteja sendo realizado a mais de um metro e oitenta de altura do piso.

Utilização: Deverá ser utilizado em trabalhos superiores a um metro e oitenta de altura, principalmente durante a manutenção ou reparos de coberturas ou outros. O cinto
deve ser o tipo pára-quedista.

Manutenção: Evitar o contato com materiais cortantes e químicos. Revisar, antes do
uso, as condições das costuras, das partes metálicas, das conexões, do rabicho (não
utilizar se o cabo tiver suas fibras soltas) e do mosquetão, assim como o deve ser revisado o cabo auxiliar de segurança, seu estado e sua correta fixação.
Avental de raspa: Equipamento destinado à proteção do tronco e parte das pernas do trabalhador, quando da execução de serviços com betoneira.

Utilização: Deverá ser utilizado quando da execução de serviços com betoneira, peças
cortantes, proteção contra fagulhas (ex. no esmeril).
Máscara contra poeiras: Equipamento destinado à proteção respiratória dos trabalhadores
contra poeiras incômodas, como a cal e calcário.

Utilização: Deverá ser utilizada quando no ambiente de trabalho houver poeiras inertes, cuja concentração seja desconfortável para o trabalho. Pela quantificação realizada na empresa e análise desses particulados, recomendamos o uso de máscaras contra poeiras (descartáveis) do tipo de fibras não-tecidas e que possui tira metálica para
amoldar ao tipo de nariz e um elástico para prender a máscara à altura do nariz.

Conservação: Após o uso deve ser limpo e guardado em local seco, ventilado, evitando umidade e a exposição a contaminantes. Deverá ser trocado sempre que se encontrar saturada, perfurada, rasgada ou com falta de vedação.
Calçado de Segurança: Calçado destinado à proteção dos pés do trabalhador.

Utilização: Deve ser utilizado em todos os locais de produção da empresa, durante toda a jornada de trabalho.O calçado de segurança é de material chamado composite.

Manutenção: O calçado deve ser periodicamente limpo e engraxado para manter o
couro macio. Não deve ser submetido a locais com excesso de umidade, para tal deve
ser utilizada bota de borracha.
Óculos Ampla Visão: Equipamento destinado a proteger os olhos dos trabalhadores contra
partículas e poeiras em suspensão e produtos químicos.

Utilização: Deverá ser utilizado durante o britamento, ensacamento e carregamento
dos produtos, assim como no manuseio de produtos químicos, lixamento, pintura e similares.
48
LOGOTIPO DA
EMPRESA

PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Conservação: Devem ser mantidos sempre limpos. Utilizar pano macio, água e sabão
neutro.
Eventuais necessários: Quando da ocorrência de fatos novos (condições esporádicas e não
comuns), deve ser o EPI adequado à nova condição, consultando à Assessoria de Segurança
do Trabalho.
Obs: TODOS OS EPI’S DEVEM POSSUIR C. A (Certificado de Aprovação do Ministério do
Trabalho e Emprego).
15.1 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
Os equipamentos de proteção individual, em medida complementar às medidas
coletivas, deverão ser utilizados em atividades específicas para minimizar riscos de acidentes e
doenças ocupacionais.
Base legal: NR 6 – EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPI
6.6. Cabe ao empregador
6.6.1. Cabe ao empregador quanto ao EPI:
a) adquirir o adequado ao risco de cada atividade;
b) exigir seu uso;
c) fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão nacional competente em matéria
de segurança e saúde no trabalho;
d) orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação;
e) substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado;
f) responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica; e,
g) comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada.
Normas para Fornecimento
Os equipamentos de proteção individual – EPI serão fornecidos gratuitamente aos
empregados conforme padrão estabelecido pela ___________________ e o uso será obrigatório.
49
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
O EPI será fornecido ao empregado de acordo com o risco de sua atividade e serão
adquiridos conforme ____________________________ e mantido estoque regular de EPI, para
fornecimento imediato aos empregados.
Normas para Uso
O uso de EPI permanente é de obrigatoriedade de todos, dentro da área industrial, das
unidades de produção e de oficinas de manutenção.
O uso de EPI eventuais deve seguir conforme a lista de Relação de EPI por Função/Setor.
O uso de EPI é liberado somente nos horários de entrada e saída, apenas nas situações de descer das conduções para os vestiários e vice versa.
Todos os empregados serão treinados quanto à correta utilização dos equipamentos
de segurança fornecidos pela empresa.
A empresa realizará inspeções de segurança com objetivo de fiscalizar a utilização
correta dos equipamentos de proteção individual.
É proibido o trânsito de pessoas nas áreas industriais, sem o uso correto de EPI, em
qualquer horário.
O trânsito sem EPI somente será permitido através de condução motorizada e coberta.
Fora do horário administrativo, o trânsito sem EPI somente será permitido através da condução,
que deve ser solicitada ao Setor de Transporte.
A recusa à utilização dos EPI ou a execução de atividades sem utilização correta dos
EPI especificados constituem faltas graves e serão punidas.
Normas para Guarda e conservação
A guarda e a conservação dos EPI´s são de responsabilidade dos empregados conforme preceitua a NR06 Equipamentos de Proteção Individual, da Portaria 3214/78.
6.7. Cabe ao empregado
6.7.1. Cabe ao empregado quanto ao EPI:
a) usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina;
b) responsabilizar-se pela guarda e conservação;
50
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso.
Treinamento
Todos os empregados, antes de iniciarem suas atividades na empresa passarão por
um treinamento de integração, onde serão orientados sobre os riscos ambientais a que estarão
expostos, sobre a importância de sua prevenção, e a necessidade do uso dos EPI recomendados.
Os trabalhadores serão treinados sobre o uso correto dos EPI, os níveis de proteção
que eles proporcionam e as limitações de cada um deles.
Durante a realização do treinamento de integração os funcionários também receberão
informações e orientações referentes à Segurança, Organização e Limpeza.
16 - CATEGORIAS DE RISCOS
As definições para classificação quanto às categorias não esgotam todas as alternativas, mas
apenas servem de orientação para a classificação dos riscos quanto ao tempo de exposição ao agente e o
possível dano por ele causado
GRAU DE RISCO = POTENCIAL DE DANO X TEMPO DE EXPOSIÇÃO
POTENCIAL DE DANO
Potencial de dano
IRRELEVANTE
ATENÇÃO
CRÍTICO
Situação avaliada
Quando o agente ou as condições de trabalho, não representar risco potencial de dano
à saúde nas condições usuais descritas na literatura, ou pode representar apenas situação de desconforto e não de risco.
Quando o agente representa um risco moderado à saúde, nas condições usuais descritas na literatura, não causando efeitos agudos, porém não se verifica controle técnico
para exposição ocupacional.
Quando o agente não possui LT valor-teto, e o valor de LT média ponderada é consideravelmente alto (centenas de ppm).
Quando o agente pode causar efeitos agudos à saúde, possui LT valor-teto ou
valores de LT-médios ponderada muito baixos (alguns ppm), porém as práticas
operacionais/condições ambientais indicam controle técnico da exposição.
Quando o agente apresenta características irritantes, cáusticas ou corrosivas aos olhos,
mucosas e pele, porém as práticas operacionais/condições ambientais indicam controle
técnico sobre a exposição.
Quando o agente apresenta características de absorção via cutânea, porém as práticas
operacionais/condições ambientais indicam controle técnico sobre a exposição.
Quando não há queixas aparentemente relacionadas com o agente.
Quando há exposição a agente ambiental com potencial de gerar efeitos agudos à saúde dos trabalhadores, possui LT valor-teto ou valores de LT-médios ponderada muito
baixos (alguns ppm) e as práticas operacionais/condições ambientais indicam aparente
descontrole sobre a exposição.
Quando o agente apresenta características irritantes, cáusticas ou corrosivas aos olhos,
mucosas e pele ou carcinogênicas, porém as práticas operacionais/condições ambientais indicam aparentes descontrole ou controle insuficiente sobre a exposição.
51
LOGOTIPO DA
EMPRESA
EMERGENCIAL
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Quando o agente apresenta características de absorção via cutânea ou notação-pele,
porém as práticas operacionais/condições ambientais indicam aparente descontrole
sobre a exposição.
Quando há possibilidade de deficiência de oxigênio.
Quando há queixas específico-indicadores biológicos de exposição excedidos (vide
PCMSO).
Quando envolve exposição, sem controle, a carcinogênica.
Nas situações aparentes de risco grave e iminente.
Quando o agente possui efeitos agudos, baixos LT e IDLH (concentração imediatamente perigosa a vida/saúde) e as práticas operacionais/situação ambiental indicam
descontrole sobre a exposição.
Quando as queixas são específicas e freqüentes, com indicadores biológicos de exposição excedidos.
Quando há exposição cutânea severa a substâncias com notação-pele.
Quando há risco aparente de deficiência de oxigênio.
TEMPO DE EXPOSIÇÃO
Tempo de Exposição
Situação avaliada
EVENTUAL
Exposição ao agente com tempo de exposição inferior a 6% do total da jornada.
Exposição não cotidiana (uma vez por semana ou menos).
INTERMITENTE
Exposição diária, com tempo até 60% do total da jornada.
CONTÍNUA
Exposição diária com tempo superior a 60% da jornada.
GRAU DE RISCO
DANO / EXPOSIÇÃO
CONTÍNUA
INTERMITENTE
EVENTUAL
MODERADO
TOLERÁVEL
TOLERÁVEL
DE ATENÇÃO
SUBSTANCIAL
MODERADO
TOLERÁVEL
CRÍTICO
INTOLERÁVEL
SUBSTANCIAL
MODERADO
EMERGENCIAL
INTOLERÁVEL
INTOLERÁVEL
SUBSTANCIAL
IRRELEVANTE
17 - RESPONSABILIDADE TÉCNICA
O presente PROGRAMA DE CONDIÇÕES DO MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA
INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO - PCMAT ora elaborado, é parte integrante do conjunto maior de Ações de
Segurança do Trabalho, Higiene Industrial e Saúde Ocupacional da _____________________________,
visando à preservação da saúde e integridade de seus empregados, assim como satisfazer aos Normativos
Legais Vigentes no País.
52
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
Fica a cargo da Diretoria da ________________________________, a responsabilidade de
implementar o disposto no presente PCMAT.
A revisão deste documento ficou a cargo do ____________________________, Srº
______________________________, cuja responsabilidade limita-se somente a elaboração do documento.
A aplicação das medidas indicadas e que surgirem no andamento da obra serão de responsabilidade da
_______________________________________.
_________________________ - ___, ___ de ____________ de 2000.
_______________________________________________
Nome do responsável pela elaboração do PCMAT
CREA
53
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
18 - DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES POR FUNÇÕES
DISTRIBUIÇÃO FUNÇÕES / SETORES
ÁREA
FUNÇÃO
QUANT.
ATIVIDADE
Ajudante Geral
00
Auxiliar na execução das atividades de pedreiro, carpinteiro, encanador e pintor.
Executam instalações, reparos de manutenção e serviços de manutenção em
dependências de edificações.
Almoxarife
00
Recepcionam, conferem e armazenam produtos e materiais em almoxarifados,
armazéns, silos e depósitos. Fazem os lançamentos da movimentação de entradas e saídas e controlam os estoques. Distribuem produtos e materiais a serem
expedidos. Organizam o almoxarifado para facilitar a movimentação dos itens
armazenados e a armazenar.
Apontador
00
Apontam a produção e controlam a freqüência de mão-de-obra. Acompanham
atividades de produção, conferem cargas e verificam documentação. Preenchem
relatórios, guias, boletins, plano de carga e recibos.
Armador
00
Preparam a confecção de armações e estruturas de concreto e de corpos de
prova. Cortam e dobram ferragens de lajes. Montam e aplicam armações de fundações, pilares e vigas. Moldam corpos de prova.
Aux. Administrativo
00
Atividades adminstrativas - controle e gestão de documentação.
Mina do Sossego
Carpinteiro
Eletricista
00
00
Encanador
00
Encarregado
00
Planejam trabalhos de carpintaria, preparam canteiro de obras e montam fôrmas
metálicas. Confeccionam fôrmas de madeira e forro de laje (painéis), constroem
proteção de madeira e estruturas de madeira para telhado. Escoram lajes de
pontes, viadutos e grandes vãos. Montam portas e esquadrias. Finalizam serviços tais como desmonte de andaimes, limpeza e lubrificação de fôrmas metálicas, seleção de materiais reutilizáveis, armazenamento de peças e equipamentos. Instalações e reforma de portas e janelas de madeiras, reparos em telhados,
instalação de divisórias.
Planejar serviços de manutenção e instalação eletroeletrônico e realizar manutenção preventiva, preditiva e corretiva. Instalar sistemas e componentes eletroeletrônico e realizar medições e teste. Elaborar documentação técnica e trabalhar
em conformidade com normas e procedimentos técnicos e de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental, executar atividades relacionadas
às instalações elétricas do canteiro de obras e das instalações.
Operacionalizam projetos de instalações de tubulações, definem traçados e dimensionam tubulações; especificam, quantificam e inspecionam materiais; preparam locais para instalações, realizam pré-montagem e instalam tubulações.
Realizam testes operacionais de pressão de fluidos e testes de estanqueidade.
Protegem instalações e fazem manutenções em equipamentos e acessórios.
Coordenar a execução das atividades desenvolvidas pelas equipes de trabalho.
Planejar a execução das atividades.
55
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
DISTRIBUIÇÃO FUNÇÕES / SETORES
ÁREA
Mina do Sossego
FUNÇÃO
QUANT.
ATIVIDADE
Engenheiro Civil
00
Desenvolvem projetos de engenharia civil; executam obras; planejam, orçam e
contratam empreendimentos; coordenam a operação e a manutenção dos mesmos. Controlam a qualidade dos suprimentos e serviços comprados e executados. Elaboram normas e documentação técnica, participam de licitações para
novos contratos , gerenciam todos setores e particiapam das inspeções .
Engenheiro de
Segurança
00
Planeja, coordena e gerencia a área da segurança do trabalho. Orienta
quanto ao cumprimento das Normas Regulamentadoras, promove a realização
de atividades de conscientização e orientação aos colaboradores para a
prevenção de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais.
Marteleteiro
00
Realiza atividade de demolição, limpeza e preparação de superfícies diversas.
Montador de Andaime
00
Montagem e desmontagem de andaimes.
Motorista Operador
00
Responsável por realizar deslocamento de veículos, máquinas e equipamentos
industriais.
Operador de Betoneira
00
Programar a produção e o fornecimento de concreto e misturar seus agregados; Preparar o ambiente, os equipamentos de trabalho e os insumos
de concreto; descarregar e bombear o concreto.
Operador de Retroescavadeira
00
Deslocamento de matérias no canteiro de obra, bem como efetua carga de caminhões basculantes com materiais a granel.
Pedreiro
00
Organizam o local de trabalho na obra; constroem fundações e estruturas de
alvenaria. Aplicam revestimentos e contra pisos , reformas prediais e residenciais, reparo de cerca, arremate de paredes, aceitamento de tijolos,cerâmicas e
azulejos e preparação de massa.
Técnico de Planejamento
00
Responsável pelo planejamento executivo dos serviços de instalação e manutenção de elétrica, mecânica e telecomunicações; elaborar relatórios técnicos
em planejamento da obra; operação em micro computador; dirigir na obra.
00
Pintam as superfícies externas e internas de edifícios e outras obras civis, raspando-a amassando-as e cobrindo-as com uma ou várias camadas de tinta; revestem tetos, paredes e outras partes de edificações com papel e materiais plásticos e para tanto , entre outras atividades, preparam as superfícies a revestir,
combinam materiais etc.
00
Elaborar, participar da elaboração e implementar política de saúde e segurança
no trabalho (SSO); realizar auditorias acompanhamento e avaliação na área;
identificar variáveis de controle de doenças, acidentes, qualidade de vida e meio
ambiente. Desenvolver ações educativas na área de saúde e segurança no trabalho; participar de perícias e fiscalizações. Participar da adoção de tecnologias
e processos de trabalho; gerenciar documentação de SSO; investigar, analisar
acidentes e recomendar medidas de prevenção e controle.
Pintor
Técnico de Segurança
56
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
DISTRIBUIÇÃO FUNÇÕES / SETORES
ÁREA
FUNÇÃO
Técnico em Edificações
Técnico em Meio
Ambiente
QUANT.
ATIVIDADE
00
Realizam levantamentos topográficos e planialtimétricos. Desenvolvem e legalizam projetos de edificações sob supervisão de um engenheiro civil; planejam a
execução, orçam e providenciam suprimentos e supervisionam a execução de
obras e serviços. Treinam mão-de-obra e realizam o controle tecnológico de materiais e do solo.
00
Participa na elaboração e implementação política de meio ambiente; participa de
auditoria, acompanhamento e avaliação na área; identificam variáveis de controle
impactos e qualidade de vida. Desenvolvem ações educativas na área ambiental;
participam de perícias e fiscalizações e integram processos de negociação. Participam da adoção de tecnologias e processos de trabalho; gerenciam documentação de SGQA; investigam, analisam acidentes e recomendam medidas de prevenção e controle de impactos ambientais.
Estagiário
Técnico de
Planejamento
00
Estagiário
Técnico de
Segurança
00
Estagiário
Técnico em
00
Edificações
Estagiário
Técnico em Meio
Ambiente
00
Participa no planejamento executivo dos serviços de instalação e manutenção
de elétrica, mecânica e telecomunicações; elaborar relatórios técnicos em planejamento da obra; operação em micro computador; dirigir na obra.
Acompanhamento na elaboração e implementar política de saúde e segurança
no trabalho (SSO); realizar auditorias acompanhamento e avaliação na área;
identificar variáveis de controle de doenças, acidentes, qualidade de vida e meio
ambiente. Desenvolver ações educativas na área de saúde e segurança no trabalho; participar de perícias e fiscalizações. Participar da adoção de tecnologias
e processos de trabalho; gerenciar documentação de SSO; investigar, analisar
acidentes e recomendar medidas de prevenção e controle.
Participar os levantamentos topográficos e planialtimétricos. Desenvolvem e legalizam projetos de edificações sob supervisão de um engenheiro civil; planejam
a execução, orçam e providenciam suprimentos e supervisionam a execução de
obras e serviços. Treinam mão-de-obra e realizam o controle tecnológico de materiais e do solo.
Participar na elaboração e implementação política de meio ambiente; participa de
auditoria, acompanhamento e avaliação na área; identificam variáveis de controle
impactos e qualidade de vida. Desenvolvem ações educativas na área ambiental;
participam de perícias e fiscalizações e integram processos de negociação. Participam da adoção de tecnologias e processos de trabalho; gerenciam documentação de SGQA; investigam, analisam acidentes e recomendam medidas de prevenção e controle de impactos ambientais
Tecnico de
Medição
Supervisor de
Planejamento
00
00
Levantamento e acompanhamento dos serviços executados nas áreas e fazer
medição das atividades executadas
Participa no planejamento executivo dos serviços de instalação e manutenção
de elétrica, mecânica e telecomunicações; elaborar relatórios técnicos em planejamento da obra; operação em micro computador; dirigir na obra.
57
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
19 - CRONOGRAMA ANUAL DE TREINAMENTOS
AÇÕES PROGRAMADAS
01 Avaliação de Riscos Ambientais.
02
AGO
SET
OUT
NOV
DEZ
JAN
FEV
MAR
ABR
MAI
JUN
JUL
2010
2010
2010
2010
2010
2011
2011
2011
2011
2011
2011
2011
30
Treinamento quanto a correta utilização
e orientação sobre as limitações de proteção que o EPI oferece.
03
Apresentar aos funcionarios o PCMAT,
informando os riscos existentes no ambiente de trabalho.
04
Treinamento de produtos químicos manipulados (FISPQ)
05
Treinamento de Proteção Respiratória
06
Treinamento de Combate a Incêndio
07
Programa de Conservação Auditiva
(PCA)
08
Treinamento de Sinalização
15
25
18
24
26
18
15
30
29
17
58
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
ANEXOS
59
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
CRONOGRAMA DE AÇÕES
60
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
PLANILHA DE DESCRIÇÃO DE RISCO
61
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
PROTOCOLO DE VISITA AS INSTALAÇÕES
ONDE O CONTRATO SERÁ DESENVOLVIDO
62
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
PROTOCOLO DO DESIGNADO REPRESENTANTE DA CIPA
63
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
CERTIFICADO DE APROVAÇÃO
64
LOGOTIPO DA
EMPRESA
PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO DA INDÚSTRIA
DA CONSTRUÇÃO – PCMAT
FISPQ
FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE
PRODUTO QUÍMICO
65
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

Criar flashcards