RIMA BARREIROS - INPE

Propaganda
Relatório Edafo-Morfoclimático e de Impactos Ambientais da Microbacia
do Rio Una - Carimâ
Professor Cícero Carlos de Farias
.
O Município de Barreiros, localizado, na estreita
faixa
litorânea, extremo sul do Estado de Pernambuco, ocupando o espaço da Floresta
Tropical Mata Atlântica, vegetação arbórea nos Domínios Morfoclimáticos dos
Mares de Morro, relevo caracterizados pelos amelonamentos, Solos Latossolos
avermelhados e clima Tropical úmido.
Quando nos projetamos para essa região geográfica que faz parte da
Planície litorânea, encontramos o verdadeiro principio de conexidade geográfica
inserindo neste meio a Micro bacia do Rio Carimã. Um afluente do Rio Una, que
faz parte da Bacia Secundária do Nordeste. O Rio Una, como Rio Principal,
nasce no Agreste pernambucano e tem drenagem arreica, ou seja é um Rio
Temporário, mas na Região da Zona da Mata passa a ser perene em virtude
dos altos
índices pluviométricos. Com inúmeras
nascentes nos morros
circundantes, o Rio Carimã está no contexto da rede hidrográfica de Barreiros,
como um rio subsidiário, ou afluente principal do Rio Una. Este rio passa a
ser importantíssimo não só para a região natural mas também para toda uma
região geográfica. A Estação de Tratamento de
Água – ETA, situada
no
Engenho Macaco, faz a captação diretamente do Rio Carimã, abastece cidade
dos Barreiros, alem de sua utilização em atividades econômicas produtivas da
região, sejam elas primarias s e/ou terciárias.
.
Podemos dizer que os problemas da Bacia do Rio Una,
no Município dos Barreiros começam nas suas nascentes a partir da sua
cabeceira , as quais tem sido colocadas em risco de extinção pela prática
do desmatamento que se faz geralmente para a expansão imobiliária, da
policultura agrestina, da monocultura canavieira e agropecuária, haja vista as
propriedade
serem grandes e pequenos latifúndios explorativos dos recursos
naturais, digo, solo e água.
As nascentes
impermeabilização
em risco
dificultando
a
o futuro do Rio Una. Ás
desprotegidas ficam expostas
fluidez
á
do lençol freático colocando
margens destes
Rios,
encontramos
construções imobiliárias. A própria Cidade dos Barreiros margeia os rios, os
quais se encontram no centro do Município e continua seu percurso de cerca
de 10 KM até o Oceano Atlântico. Além destes visíveis problemas, As culturas
Canavieiras e de hortifrutos onde deveria ser
na sua falta,
desencadeia um sistema erosivo
intenso
ravinamento e até possíveis
voçorocas
com o splash,
solo
vegetação de mata ciliar,
que começando
que
levam
o
para o rio e como trágica conseqüência, assoreamento que impede a
absorção de águas no leito, dificultando o processo da drenagem capilar que
contribuem para o fortalecimento dos lençóis freáticos e
conseqüentemente, o
rio passa a ser uma simples calha para o transporte de água, o que dificulta a
vazão, haja vista que os altos índices pluviométricos da Cidade dos Barreiros
geram uma carga de água muito alta, que necessita de uma compensação
ambiental para que os rios dêem conta. A falta desta compensação já foi
notada com a ultima enchente que assolou a Cidade dos Barreiros.
Alem disso, na
Carimâ
a
são observados sérios
falta de uma infraestrutura
perigo
a
urbana, a Microbacia do
problemas estruturais, como por exemplo,
que
líquidos das residências, comércios
rio, pondo em
zona
saúde
permita o
tratamento dos dejetos
que os lançam diretamente
de
toda
a
população. No
sobre o
âmbito
superestrutural algo tem sido feito com a implantação do Aterro Controlado
que futuramente
dará lugar ao Aterro Sanitário,
além de Projetos de ...
que reduzirá consideravelmente os dejetos sólidos.
Auxiliar a compreensão das atitudes, comportamentos e percepções da
população frente à água fornecida, suas origens e as condições atuais dos
principais mananciais se justificam pela possibilidade, necessária, destas
populações serem fundamentadas com ações tanto de vigilância quanto na
preservação e orientação para cobranças e participação na definição das políticas
e ações dos órgãos competentes. Esta é uma meta que deve pautar-se
fortemente principalmente pela ampliação da proteção à saúde da população.
Outro aspecto é o da sensibilização das populações envolvidas e dos usuários.
As ações e campanhas padecem de elementos que possam assegurar
comportamentos pró-ambientais.
O presente relatório, a partir de conceitos e ferramentas metodológicas
das ciências humanas e ambientais, investirá nos processos inerentes aos
conhecimentos, comportamentos, atitudes e percepções da população relativas
ao contexto ambiental da bacia do Carimã. Para tanto, se efetivará em termos o
estudo da percepção da água enquanto recurso limitado e patrimônio/bem
comum, estudos prospectivos sobre a natureza da necessidade em água e os
aspectos que suscitam as práticas de consumo, a apreciação dos sistemas de
abastecimento, qualidade, custo ambiental da degradação, indicação dos agentes
contaminantes problemas das águas poluídas e os riscos sanitários, avaliação da
capacidade de sensibilização que atingem as campanhas de informação;
demonstrar as diferenças e similaridades de comportamentos, de valores
referenciais em relação às gestões das águas e em nível de tomada de
consciência individual e coletiva da necessidade de mudança de comportamento
e por fim os anseios relativos a ações necessárias para lutar contra a degradação
ambiental.
O
uma
estudo sistemático da microbacia do Carimã, poderá ser
boa oportunidade do enriquecimento do conhecimento sobre gestão
ambiental, já que o estudo de bacias hidrográficas tem passado uma visão
de síntese,
energia.
puramente hidráulica,
Acreditamos
levando-se em conta
parte da
água
para
que o êxito nas ações
consumo
ambientais
e
geração de
só acontecerão
a influência de todos os outros fatores que fazem
Bacia Hidrográfica. Por Bacia Hidrográfica devemos entender que è
algo que vai alem do rio e seus afluentes, envolve toda uma área drenada com
todos
os
seus
recursos naturais, aspectos
fisiogràficos, humanos
e
econômicos. Certamente o fato de termos Instituições de ensinos de todos
os níveis, chegando até as
IES, como as Faculdades, onde temos
que facilmente nos
remetem a problemática das
exemplos imediatos
de
que
geografia, biologia dentre
cursos
questões ambientais, a
outros mais, além do
o “gerenciamento de bacias tem sido um desafio , particularmente no
Brasil e as experiências
são poucas
e de difícil generalização. Quando
acontecem visam apenas um recurso, a água, ou tratam de recursos
ambientais
em pequenas bacias, geralmente de interesse agrícola” ( Santos,
1998 ), sabemos
bem
que
essas
discussões
poderão
se
bem
mais
aprofundadas desde o âmbito da Lei 9.433/97 ( Lei das Águas ) até os
órgãos
mais
localizados
como
os
Comitês de Bacias
Hidrográficas, a
exemplo do Comitê da Bacia do Rio Una
Portanto è de grande importância e
vista
do
conhecimento
econômicas
dessa
cientifico,
conhecer
Microbacia, de forma
as
que
riqueza do ponto de
questões
possa
naturais e
ser
feito
um
diagnostico geográfico que possibilite a interação do conhecimento de todos
os aspectos
sociais, geomorfológicos, vegetação e potencial turístico
e
demais níveis de sustentabilidade, para que assim possa haver uma melhor
e maior
conscientização do seu valor atrelada principalmente
á tomadas
de atitudes positivas pelo poder publico, usuário dos recursos e sociedade
civil.
Neste Relatório foi estudada a fisiografia da Bacia do Carimã a
partir
de áreas pontuadas
levando-se
em consideração
os aspectos
geoambientais relacionados com a ocupação humana implementando-se uma
analise mais detalhada, quanto a
erosibilidade, sedimentação, desmatamento,
qualidade da água, exploração econômica e grau de conscientização ambiental
das comunidades nestas áreas da Bacia.
Para todo este fim, contar-se-á com a população, professores,
alunos e demais
voluntários, além de
Instituições publicas e privadas.
recursos humanos
e
técnicos
de
OBJETIVOS
Objetivo geral:
Estudar
áreas relevantes da Bacia
do Rio Una - Carimã
do
ponto de vista geoambiental relacionando-os com a ocupação e a exploração
humana no
sentido
de
fomentar
debates construtivos
que
resultem
no
desenvolvimento com sustentabilidade na Região.
Objetivos Específicos:
 Pontuar vertentes de áreas relevantes através de GPS (
Global Positioning System ) para a nucleação de analises
geográficas;
 Visitar
áreas
pontuadas
e
nucleadas, localizando
nascentes e identificando seus principais problemas;

Identificar as diferentes paisagens florística, bem como as
espécies
que
permeiam
a
microbacia
descrevendo
diferentes escalas e níveis de ocupação e devastação;

Entrevistar os proprietários das áreas de nascente para
descobrir o nível de conscientização e preservação,
analisando as técnica e as condições de vida da população
que vive no contexto da Bacia do Rio Una Carimã;

Destacar as atividades econômicas e suas relações com o
uso dos recursos naturais da microbacia e expor
o grau
de impactos ambientais gerados por tais atividades;

Localizar os diferentes pontos e níveis de poluição e de
agentes poluidores
com suas
variáveis
medias
da
montante ate a jusante;

Identificar soluções que possam contribuir para a utilização
racional
através
de
atividades
econômicas
de
sustentabilidade diferenciadas visando a Elaboração de
uma cartilha ambiental específica sobre a bacia do Carimã a
partir deste estudo técnico;

Estimular a participação pública no processo de educação
ambiental Ministrando palestras, oficinas de educação
ambiental para as comunidades;

Realizar um estudo qualitativo enquanto analise de áreas
da Bacia e quantitativo
com mapeamento do rio e
fotografias de sua cabeceira ate a foz;

Detectar
sociedade
áreas
civil,
degradadas
e
ONGs
e
conjuntamente
realizar
com
um trabalho de
reflorestamento em áreas de vertentes e nascentes.
BIBLIOGRAFIA
GUERRA, Antonio Jose Teixeira – Geomorfologia do Brasil – Bertrand
Brasil- SP 2003
SANTOS, Milton – O Brasil – Record – SP 2004
ROSS, Jurandir L. Sanches – Geografia do Brasil – Edusp – SP 2005
AZIZ, Ab Saber – Os Domínios de Natureza no Brasil – Ateliê Editora - SP
2003
LACOSTE, Yves – A Geografia - Isso Serve, em Primeiro Lugar, Para
Fazer a Guerra.
Papirus – SP 2006.
LANA, A. E. L
-
Gerenciamento de Bacias
Hidrográficas. Aspectos
conceituais metodologicos
Brasília. Instituto
Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos
Renováveis.
CABRERA, V.O.; GALLEGO, N.B.E.; LOMELÍ, D.G.
Relación entre variables
demográficas, variables contextuales, conocimiento ambiental y el ahorro de
água. In: Corral-Verdugo, V. Conductas protectoras del ambiente: Teoría,
investigación
y
estrategias
de
intervención.
México:
CONACYT/Rm
Editores/UniSon, 2002.
CORRAL-VERDUGO, V. A structural model of pro-environmental competency.
Environment & Behavior, 34, p.531-549, 2002.
_____. Determinantes psicológicos e situacionais do comportamento de
conservação de água: um modelo estrutural. Estudos de Psicologia, Natal, v.8,
n.2, p. 245-252, maio/ago 2003.
FREITAS, W. P. Águas – considerações gerais. In. FREITAS, W. P. Águas:
aspectos jurídicos e ambientais. Curitiba: Juruá Editora, p.17-28, 2000.
GRAF, A. C. B. A tutela dos estados sobre as águas. In. FREITAS, W. P. Águas:
aspectos jurídicos e ambientais. Curitiba: Juruá Editora, p.51-75, 2000.
JACOBI, P.Políticas sociais e amplificação da cidadania. 2.ed. Rio de Janeiro:
Ed.FGV, 2002.
KUHNEN, A. Lagoa da Conceição – Meio ambiente e modos de vida em
transformação. Florianópolis: Cidade Futura, 2002.
IBGE. Disponível em<http://www.ibge.gov.br> Acesso em: 28 de jun., 2005.
RIBEIRO E. M.; GALIZONI F.; L. Práticas, preceitos e problemas associados à
escassez da água no vale do Jequitinhonha, Minas Gerais. Ambiente &
Sociedade. Campinas, v.5, n.2, 2003.
Barreiros, 16 de Abril de 2011
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards