Aula 2- Biologia 2- VETOR Cadeia Alimentar: A cadeia alimentar

Propaganda
Aula 2- Biologia 2- VETOR
Cadeia Alimentar: A cadeia alimentar constitui uma contínua transferência de energia entre os seres de um
ecossistema em função de uns consumirem a matéria de outros com a finalidade alimentar, num constante
reprocessamento molecular. Cada etapa de uma cadeia alimentar é chamada de nível trófico. Podemos identificar
três níveis distintos:
A) Produtores: São seres autotróficos que produzem o próprio alimento (matéria orgânica), a partir de compostos
minerais ou inorgânicos (água, gás carbônico e sais minerais) através da fotossíntese ou quimiossíntese. As
moléculas orgânicas produzidas são os carboidratos (“açúcares”), que acumulam nas ligações químicas de suas
cadeias de carbono, a energia retirada da luz do sol. Assim, os produtores são considerados introdutores de energia
na cadeia alimentar, pois, esta será repassada de um organismo a outro ao longo da cadeia.. Os produtores não
incluem apenas organismos fotossintetizantes (apesar destes comporem a maior fatia deste nível trófico) como as
plantas, algas e algumas bactérias. Dentro do grupo dos produtores também se incluem organismo
quimiossintetizantes (organismos que utilizam a energia da oxidação de compostos inorgânicos para produzir matéria
orgânica), como alguns tipos de bactéria que vivem no solo.
B) Consumidores: Os organismos heterotróficos (incapazes de produzir seu próprio alimento) são chamados de
consumidores uma vez que dependem da matéria orgânica fabricada pelos produtores. De acordo com sua posição
na cadeia alimentar, os consumidores são classificados em: primários, secundários, terciário, etc. Os consumidores
primários são representados pelos herbívoros que se alimentam diretamente dos produtores. Os herbívorosservem
de alimento para os consumidores secundários (carnívoros) e que por sua vez servirão de alimento para outros
(consumidores terciários) assim por diante. Veremos que cadeias não podem possuir muitos níveis tróficos, pois a
quantidade de energia e matéria se dissipa ao longo dela.
C) Decompositores: Parte da matéria orgânica presente nos alimentos é oxidada no processo de respiração celular
com o objetivo de gerar energia para atender o funcionamento do corpo. Durante esse processo, além da liberação
de energia, parte da matéria orgânica é devolvida ao meio na forma de gás carbônico. A outra parte é fixada, durante
a formação do corpo do organismo (crescimento e regeneração). Essa última é devolvida ao ambiente depois de sua
morte graças ao processo de oxidação realizado pelos decompositores ou sapróbios representados por bactérias e
fungos que vivem no solo e na água. Através da decomposição (oxidação) da matéria orgânica presente em
cadáveres e excretas (amônia, uréia, ácido úrico) esses organismos conseguem energia para o funcionamento de
suas atividades vitais. Durante o processo de decomposição o CO2 é devolvido à atmosfera e os nutrientes ao solo
são devolvidos aos produtores para a realização da fotossíntese. Assim, o papel fundamental dos decompositores se
encontra na reciclagem de matéria orgânica, fornecendo matéria inorgânica para fotossíntese. Se os produtores são
vistos como introdutores de energia na cadeia, podemos considerar os decompositores como reintrodutores de
matéria na cadeia.
Teias alimentares: Devido aos hábitos
alimentares variados, de alguns animais,
estes não se enquadram em apenas um
nível trófico. O inter-relacionamento dos
seres vivos de um ecossistema é muito
mais complexo do que uma simples
cadeia alimentar pode mostrar. Na
verdade, o fluxo de energia pelos seres
pode
seguir
diversos
caminhos
alternativos através de diferentes cadeias
alimentares opcionais que se cruzam.
O fluxo de energia: Da energia luminosa
que atinge um ecossistema, apenas 1% é
utilizado na realização da fotossíntese.
Entretanto esse 1% é suficiente para gerar
no planeta de 150 a 200 bilhões de
toneladas de matéria orgânica por ano. A
energia luminosa que os organismo
fotossintetizantes
absorvem
é
transformada
em
energia
química,
armazenada nas ligações das moléculas
de compostos orgânicos produzidos. Uma
parte desses compostos é consumida nos
processos oxidativos da respiração celular, visando obter energia para manutenção dos processos celulares. Durante
esse processo a matéria orgânica é eliminada na forma de água e gás carbônico. O restante dessa matéria é
incorporada na estruturas celulares das plantas e algas (como a parede celular), formando partes dos corpos desses
organismos (caules, folhas e raízes). É exatamente essa matéria orgânica fixada que servirá de alimento para os
consumidores primários (herbívoros). Uma parte dessa matéria ingerida é consumida na respiração celular. Outra é
eliminada no processo de excreção (fezes e urina). O restante é incorporado.
A produtividade e os ecossistemas: A quantidade de matéria orgânica produzida ou transferida em certa área
e em determinado intervalo de tempo para um nível trófico é denominada de produtividade. Podemos dividi-Ia em:
 Produtividade primária: Quantidade de matéria orgânica produzida pelos autotróficos;
 Produtividade secundária: quantidade de matéria orgânica incorporada pelos consumidores:
-Produtividade bruta: total de matéria orgânica acumulada;
-Produtividade líquida: Total de matéria orgânica acumulada depois de descontados os gastos com
a respiração celular.
Pirâmides ecológicas: Para uma análise quantitativa é muito comum o uso de pirâmides ecológicas, que
representam os níveis tróficos de um ecossistema através de retângulos sobrepostos, onde os produtores são
sempre colocados na base. Como a quantidade tanto de energia quanto de massa tende a diminuir de um nível
trófico para o outro, podemos criar um concepção gráfica, onde a base é sempre mais larga que o ápice. Existem três
tipos de pirâmide, cada qual com suas peculiaridades: -Pirâmide de Número, Pirâmide de Biomassa e Pirâmide
de Energia.
Exercícios:
1) UERJ: Na maioria dos casos, a energia de um ecossistema
origina-se da energia solar. A figura ao lado mostra alguns seres
componentes do ecossistema de um lago. Considere que, no
lago, existam quatro diferentes espécies de peixes. Cada uma
dessas espécies se alimenta exclusivamente de um dos quatro
componentes indicados. O peixe que teria melhores condições
de desenvolvimento, em função da disponibilidade energética,
seria o que se alimentasse de:
(A) algas (B) insetos (C) copépodes (D) crustáceos
2) ENEM 2010-61: No ano de 2000, um vazamento em dutos de
óleo na baía de Guanabara (RJ) causou um dos maiores acidentes ambientais no Brasil. Além de afetar a fauna e a
flora, o acidente abalou o equilíbrio da cadeia alimentar de toda a baía. O petróleo forma uma película na superfície
da água, o que prejudica as trocas gasosas da atmosfera com a água e desfavorece a realização de fotossíntese
pelas algas, que estão na base da cadeia alimentar hídrica. Além disso, o derramamento de óleo contribuiu para o
envenenamento das árvores e, consequentemente, para a intoxicação da fauna e flora aquáticas, bem como
conduziu à morte diversas espécies de animais, entre outras formas de vida, afetando também a atividade pesqueira.
LAUBER, L. "Diversidade da Maré Negra". In: Scientific American Brasil 4(39), ago. 2005 (adaptado).
A situação exposta no texto e suas implicações
A indicam a independência da espécie humana com relação ao ambiente marinho.
B alertam para a necessidade do controle ambiental para a redução do efeito estufa.
C ilustram a interdependência das diversas formas de vida (animal, vegetal e outras) e o seu habitat.
D indicam a alta resistência do meio ambiente a ação do homem, além de evidenciar a sua sustentabilidade mesmo
em condições extremas de poluição.
E evidenciam a grande capacidade animal de se adaptar às mudanças ambientais, em contraste com a baixa
capacidade das espécies vegetais, que estão na base da cadeia alimentar hídrica.
3) UERJ 2001: Analise a tabela. Considerando a variação dos dados apresentados, foi possível concluir que as seis
populações estão funcionando aproximadamente no mesmo nível trófico. Dentre as variáveis apresentadas na
tabela, a que permite comprovar essa conclusão é:
(A) biomassa (B) densidade (C) fluxo de energia (D) dimensão característica do indivíduo
4) ENEM 2011: Os personagens da figura estão representando
uma situação hipotética de cadeia alimentar. Suponha que, em
cena anterior a apresentada, o homem tenha se alimentado de
frutas e grãos que conseguiu coletar. Na hipótese de, nas
próximas cenas, o tigre ser bem-sucedido e, posteriormente,
servir de alimento aos abutres, tigre e abutres ocuparão,
respectivamente, os níveis tróficos de
A produtor e consumidor primário.
B consumidor primário e consumidor secundário.
C consumidor secundário e consumidor terciário.
D consumidor terciário e produtor.
E consumidor secundário e consumidor primário.
5) ENEM 2002: Na charge, a
arrogância do gato com relação ao
comportamento
alimentar
da
minhoca, do ponto de vista
biológico,
(A) não se justifica, porque ambos,
como consumidores, devem “cavar”
diariamente o seu próprio alimento.
(B) é justificável, visto que o felino
possui função superior à da minhoca
numa teia alimentar.
(C) não se justifica, porque ambos
são consumidores primários em uma teia alimentar.
(D) é justificável, porque as minhocas, por se alimentarem de detritos, não participam das cadeias alimentares.
(E) é justificável, porque os vertebrados ocupam o topo das teias alimentares.
6) ENEM 2002: Segundo a legislação brasileira, o limite máximo permitido para as concentrações de mercúrio total é
de 500 nanogramas por grama de peso úmido. Ainda levando em conta os dados da tabela e o tipo de circulação do
mercúrio ao longo da cadeia alimentar, pode-se considerar que a ingestão, pelo ser humano, de corvinas capturadas
nessas regiões,
(A) não compromete a sua saúde, uma vez que a concentração de mercúrio é sempre menor que o limite máximo
permitido pela legislação brasileira.
(B) não compromete a sua saúde, uma vez que a concentração de poluentes diminui a cada novo consumidor que se
acrescenta à cadeia alimentar.
(C) não compromete a sua saúde, pois a concentração de poluentes aumenta a cada novo consumidor que se
acrescenta à cadeia alimentar.
(D) deve ser evitada, apenas quando entre as corvinas e eles se interponham outros consumidores, como, por
exemplo, peixes de maior porte.
(E) deve ser evitada sempre, pois a concentração de mercúrio das corvinas ingeridas se soma à já armazenada no
organismo humano.
7) PUC 2012: Ecologia é a ciência que estuda as relações dos seres vivos com o ambiente e entre si. Sobre a
ecologia, está incorreto afirmar que:
(A) nicho ecológico é sinônimo de habitat.
(B) os níveis tróficos representam as relações energéticas entre os organismos de uma comunidade.
(C) sucessão ecológica é a mudança da(s) comunidade(s) ao longo do tempo.
(D) população é um conjunto de indivíduos da mesma espécie num determinado local.
(E) comunidade são populações de diferentes espécies que vivem num determinado local.
8) UFRRJ – 2003: A cidade de Seropédica onde está a Universidade Rural recebeu esse nome devido ao grande
desenvolvimento da sericicultura na região há muito tempo atrás. As larvas do bicho-da-seda 'Bombyx mori',
produtoras da seda, atacavam as folhas da amoreira, comuns na região. Sob o ponto de vista ecológico, um predador
dessas larvas se comporta
como:
a) produtor.
b) decompositor.
c) consumidor primário.
d) consumidor secundário.
e) consumidor terciário
Gabarito: 1) A 2) C 3) C
4) C 5) A
6) E
7) A
8) D
Download
Random flashcards
teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards