O VINHO NOVO DA INTERIORIDADE Olhar só por fora é inútil e vão

Propaganda
O VINHO NOVO DA INTERIORIDADE
Olhar só por fora é inútil e vão.
Por dentro das coisas é que as coisas são.
(António Aleixo)
É “por dentro” que podes escutar o murmúrio do Espírito, acolher a sua luz
que te revela quem és, com o nome que Deus te deu ao criar-te…
Entra na tenda do teu coração e deixa-te encontrar pelo Senhor que nele habita…
Na intimidade que te faz ser o que és, na verdade do sonho de Deus para ti…
Na fonte onde a vida brota e ilumina o teu olhar
para saberes como és preciosa para o teu Deus…
R/ Deixa Deus entrar na tua própria casa. / Deixa-te tocar pela sua graça!
Dentro em segredo, reza-Lhe sem medo: / Senhor, Senhor, que queres que eu faça?
Acolhe o dom da graça que fecunda os teus gestos, os teus passos…
Deus, que te plasma a cada momento… ”Ele quer-te apoiada somente n’Ele”! (C. 165,2)
A relação contigo mesma só pode acontecer neste luminoso espaço de serenidade,
no abraço da paz com que o Pai te envolve como “filha muito amada”.
Permanece em silêncio sob o olhar de Deus Criador, deixando-te amar por Ele…
Que no teu “mais dentro” te encontres contigo mesma, sem tensões nem divisões:
toma consciência da medula do teu ser onde és, apenas e totalmente, o que Deus é em ti…
Este centro é o lugar privilegiado de relação contigo mesma… e com o teu Senhor.
Entra descalça, devagarinho, na terra sagrada da tua interioridade:
deixa-te tocar por Deus, que transforma o teu coração no seu Coração
para te amares como Ele te ama e Lhe confiares o teu desejo de fazeres da tua vida um Dom.
(Música de fundo muito suave, que vai baixando progressivamente… até dar lugar ao silêncio)
Após este encontro com a própria interioridade, agradeçamos ao nosso Criador o ser que Ele partilhou com cada uma de
nós. A perfeição a que aspiramos nunca será a “marca” da nossa vida: como disse Emmanuel Mounier, “nós não somos,
vamos sendo”…
Só Deus É! Só n’Ele nós podemos ir aprendendo a ser, “até atingirmos a maturidade em Cristo”!
Só na sua Luz seremos luz para o mundo…Só com a sua graça, seremos capazes de, como Paula, “velar pela Luz do
Sacrário”, pela nossa “luz interior”, sinal da sua Presença.
Cada irmã, serenamente, vai buscar a sua lamparina e permanece em oração silenciosa
Vamos fazer nosso, hoje, o Salmo 138, na atitude que Paula sempre viveu: “Como é Bom o nosso Bom Deus!”
Senhor, Tu olhas-me e lês no meu olhar
o que guardo na tenda do meu coração;
cada meu gesto Te é familiar
porque me criaste e continuamente me recrias
na liberdade do meu interior.
És a minha força no trabalho
e no meu tempo livre;
conheces os meus pensamentos e desejos,
as palavras que digo e todos os projectos que encerram.
A tua presença sempre me acompanha:
esta certeza fascina-me e conduz-me!
O que seria eu sem ti?
Que esperanças não passariam de miragens, sem a tua luz?
Todo o meu ser é um dom maravilhoso
(C. 566,4.)
criado pela tua mão, cinzelado com arte e amor,
nas entranhas do seio da minha mãe.
Como Te agradeço, Senhor, a beleza que partilhaste comigo
fazendo de mim um raio da tua beleza!
Tu conhecias os meus sonhos e os meus medos
ainda antes que eu os experimentasse;
todos os acontecimentos da minha existência
Te eram familiares mesmo antes que eu os vivesse…
Como encheste a minha vida de dons e de graças!
Tenho vontade de os ir contando a todos,
mas seria uma história muito longa:
inumeráveis pequenos sinais que sempre me projectam
para o grande e único Dom que és Tu, Senhor!
Concede-me a tua luz para me conhecer
no íntimo do meu coração.
Faz-me ir discernindo se as minhas escolhas são justas
e conduz-me pela mão, cada dia,
pelos caminhos que me levam à Vida verdadeira. Amen.
(adapt. Sergio Carrarini)
Cultiva no teu coração o silêncio e a paz. Reveste-te da serenidade do poente e da esperança do nascer de cada dia. Fazte presença a ti mesma, feliz por tudo o que te é dado, reconciliada com o que te parece que terias direito a ter e não
encontras. Livre e feliz. Grata e confiante.
Nessa atitude, poderás celebrar a vida como uma festa, a tua vida, a vida dos outros, a vida do mundo. Em ti, Deus
alegrar-se-á com o banquete da Vida: a Vida que Ele é e nos chama a partilhar, numa crescente concelebração de
esperança e de alegria.
Prepara a mesa da festa, com amor; o banquete da vida, com generosidade; acolhe cada um dos que forem chegando,
com o calor do teu coração; partilha com todos, sem fazeres acepção de pessoas, tudo o que tens e és. Tu… és tu e a
riqueza do que vive no teu coração! Tu… és tu e a relação que fores aprendendo a ter com tudo o que vai tecendo o teu
dia a dia! Tu… és tu e a feliz convivência com os teus dons, possibilidades e limites – na certeza de que vais construindo,
passo a passo, a perfeição do teu primeiro dia do Amor na plena Luz!
Cântico final:
1. No mais fundo do meu ser, / vais cantando Tu: Eu sou. / E tentando responder, / Eu vou-Te seguindo, vou…
E na força da canção, / vou abrindo o coração…
R/ Tu vais sendo corpo em mim, / eu vou renascendo em Ti. /Tu és raiz de mim, / em ti Eu sou. Em ti!
2. Vem Tu receber, Senhor, / a oferta do meu ser: / e o dom de Ti em mim / mantém novo meu viver.
E neste cantar profundo, /Tu vais transformando o mundo… R/
ENTRA NA TENDA DO TEU CORAÇÃO…
DEUS CUIDARÁ DA TUA LUZ!
CAPÍTULO GERAL XX
ROMA, OUT. – NOV. 2009
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards