30/08/2011 - Diário de jornalista

Propaganda
Clipping - Departamento DST/AIDS e Hepatites Virais
ÍNDICE
Justiça autoriza dupla maternidade .........................................................................................................2
Teste positivo de HIV para indústria pornô .............................................................................................2
Derrubar mitos: Fórum discute Leishmaniose Canina em Palmas dia 2 ...........................................3
30/08/2011 - Campanha no HOL encerra atividades de agosto .........................................................5
30/08/2011 - Serra Azul promove mês de atenção à saúde da mulher .............................................5
30/08/2011 - Ações da Sespa marcam o Dia Nacional de Combate ao Fumo ................................6
30/08/2011 - Show no méxico vai arrecar fundos para combate a aids ............................................7
30/08/2011 - Diário de jornalista: muito fina no Palácio do Governo com as misses ......................8
30/08/2011 - Parada do Orgulho LGBT será dia 18..............................................................................9
30/08/2011 - Crianças e adolescentes com Aids ganham qualidade de vida com novo
medicamento .............................................................................................................................................10
30/08/2011 - Indústria de filmes pornô americana para por conta de teste positivo de HIV ........11
30/08/2011 - Nobreza alemã perdeu privilégios, mas mantém títulos e prestígio .........................12
Vírus ignorado está causando cirrose hepática e câncer do fígado.................................................14
Cultura e solidariedade na "Boa Noite Cinderela" ...............................................................................15
30/08/2011 - Festa do Peão arrecada mais de R$3 milhões para o Hospital do Câncer .............16
30/08/2011 - Eliziane denuncia atendimento precário a soropositivos ............................................17
30/08/2011 - Olinda realiza oficina de prevenção a AIDS e hepatites virais para lésbicas ..........18
Vacinação contra pólio termina nesta quarta-feira ..............................................................................18
29/08/2011 - Emidio participa do projeto "Prefeito no Seu Bairro" no Rochdale............................19
30/08/2011 - Bolt promete se superar nos 200m ................................................................................21
Secretaria de Saúde realiza capacitação sobre hepatites virais .......................................................21
30/08/2011 - Teste positivo de HIV lança pânico na indústria porno ...............................................22
30/08/2011 - Planos vão ter que ressarcir SUS por atendimento de alto custo .............................23
30/08/2011 - Ministro Padilha critica lei paulista que reserva parte do atendimento do SUS a
clientes de planos de saúde, informa Folha de S.Paulo ....................................................................24
30/08/2011 - Teste positivo de HIV paralisa indústria pornô nos EUA, informa BBC ...................24
30/08/2011 - Em artigo para o Estadão, ministro Padilha compara a dificuldade do combate ao
crack aos desafios da resposta à aids ..................................................................................................25
30/08/2011 - Ministério Público acata nova representação do Fórum de ONG/Aids de SP contra
`dupla porta` no Emílio Ribas..................................................................................................................27
30/08/2011 - Representante de populações indígenas diz que falha no acompanhamento de
índios diagnosticados com HIV provoca muitos suicídios .................................................................28
DESTAK - DF | BRASIL
LGBT
31/08/2011
Justiça autoriza dupla maternidade
Um casal de lésbicas de Jandira, interior de São Paulo, conseguiu registrar a filha com o nome de ambas as mães. Janaína
Santarelli e Iara Brito, as mães da criança, conseguiram autorização judicial para colocar o nome na filha de Kaylla Santarelli
Brito, após terem entrado com ação na Justiça há três anos, quando Kaylla era recém-nascida.
DESTAK - DF | MUNDO
AIDS | CAMISINHA | CONTRACEPTIVOS
31/08/2011
Teste positivo de HIV para indústria pornô
A indústria pornô de Los Angeles, principal polo de produção dos EUA, interrompeu as atividades depois que uma pessoa que
participou de filmes eróticos recebeu resultado positivo em um teste de HIV.
Segundo a BBC, o ator não teve seu sexo ou nome divulgados e ainda será submetido a novos testes, a fim de confirmar o
diagnóstico. Como os atores filmam sem PRESERVATIVO, as atividades foram interrompidas até que se saiba se essa pessoa
realmente está infectada e se teria ou não propagado o vírus.
Caso o diagnóstico venha a ser confirmado, a entidade vai pedir que os colegas nos filmes pornôs também sejam testados.
Segundo regras acatadas pelos envolvidos na produção de filmes pornôs, os atores precisam se submeter a testes mensais de
HIV, mas não há pressão pelo uso de camisinhas.
Em 2010, o ator Derrick Burts foi diagnosticado como portador do HIV. Desde que contraiu o vírus, Burts passou a militar pelo
uso de camisinhas nas produções, junto com outros ex-atores e entidades que lutam contra a AIDS.
O GIRASSOL - TO |
AIDS
31/08/2011
Derrubar mitos: Fórum discute Leishmaniose Canina em Palmas dia 2
Evento reunirá palestrantes especialistas e doutores no assunto e que dão palestras no Brasil inteiro sobre a doença
Reprodução da internet
Inicia no dia 2 de setembro, o V Fórum de Discussão sobre a Leishmaniose Canina em Palmas. O evento acontecerá no
Auditório do Sebrae, em Palmas. Segundo a veterinária Lucilândia Maria Bezerra, todos os anos o fórum procura discutir um
assunto específico referente a doença que mata cães e pessoas. "As questões mais polêmicas realmente são o controle
vacinal e o tratamento. O governo não quer discutir isso porque considera que não há um tratamento eficaz pra doença, mas
se não tentarmos, nunca vamos conseguir sucesso em nenhum protocolo com essa proibição sem nenhum embasamento
prático, apenas baseado em teorias. O que queremos nesses fóruns é realmente discutir essas questões muito básicas e que
podem nos trazer respostas mais conclusivas se houver mais respeito pelos médicos veterinários e pelos animais", conta a
veterinária.
Lucilândia explica que em nenhum momento se pede para que as pessoas mantenham seus animais em casa, sem um
controle eficaz contra o calazar. "Queremos que essas pessoas tenham o direito de concluir o diagnóstico dos seus cães com
segurança, e que tenham o direito de decidir sobre o futuro do seu animal, sem imposição e autoritarismo abusivo. O que
queremos, é obter respostas sobre os métodos de controle hoje empregados para evitar tantas mortes, muitas vezes sem
motivo, porque um unico exame não confirma leishmaniose", ressalto.
O fórum reunirá palestrantes especialistas e doutores no assunto e que dão palestras no Brasil inteiro sobre a doença.
Programação
Horário: 8:00 as 18h30 horas
DATA: 02 de setembro de 2011
8h30 as 8h45 - Abertura
8h45 as 10h20 - O que é verdade e o que não é- sobre a leishmaniose canina ( Dr. Andre Fonseca- UFMT)
10h20 as 10h30 - Coffee break
10h30 as 11h40 - Alterações clínico patológicas na leishmaniose canina X diagnóstico laboratorial ( Dr. Paulo Tabanez - DF)
11h40 as 12:00h - Momento do patrocinador ( Pfizer)
12:00 as 13h30 - Almoço
13h30 as 14h45 - Aspectos jurídicos da leishmaniose do ponto de vista do animal e do proprietário ( Dr. Sergio Eustáquio- MG)
14h45 as 15:00h - Café
15:00 as 16:00h - Aspectos jurídicos da leishmaniose do ponto de vista médico veterinário ( Dr. André Fonseca - UFMT)
16:00 as 16h40 - Momento do patrocinador ( Intervet e Hertape)
16h40 as 18:00 - Mesa redonda - dúvidas da platéia com os palestrantes
18:00 - Encerramento e coquetel
Realização: ANCLIVEPA- SEÇÃO TOCANTINS
Apoio: Conselho Regional de Medicina Veterinária - Tocantins
LOCAL: Auditório do Sebrae - 102 Norte, Av. LO-4, Lote 01 Bairro: Plano Diretor Norte CEP: 77.006-006 (63) ... / Tocantins /
Palmas
Verdades e mentiras sobre a leishmaniose canina
A leishmaniose criou e ainda cria um enorme pavor em pessoas mal informadas, por isso, acredito que a informação
verdadeira é a maior arma contra a doença e a favor dos milhares de animais que são sacrificados cotidianamente nos Centros
de Controle de Zoonoses no Brasil.
Esta doença tem vários mitos, o maior deles é colocar os cães infectados como os grandes ou, muitas vezes, os únicos
responsáveis pela disseminação da doença.
Todavia, o maior problema da doença são as questões socioeconômicas mal resolvidas, desafios diários que o Brasil precisa
vencer. Se não houver saneamento básico e alimentação adequada para todos os brasileiros, a leishmaniose ainda terá campo
de atuação, e não é justo os animais pagarem o preço.
O absurdo maior é a proibição de tratamento para os animais! Entretanto, por meio da via jurídica já é possível conseguir este
feito, pois várias ONGs de proteção animal têm conseguido o direito de tratar os animais por meio de ações na justiça,
portanto, o tratamento não é crime, e sim direito do cidadão!
Transmissão
A leishmaniose é transmitida por insetos hematófagos (que se alimentam de sangue) conhecidos como flebótomos ou
flebotomíneos. Seus nomes variam de acordo com a localidade; os mais comuns são: mosquito-palha, tatuquira, birigui,
cangalinha, asa branca, asa dura e palhinha. O mosquito-palha ou asa branca é mais encontrado em lugares úmidos, escuros,
onde existem muitas plantas.
É o inseto que transmite a doença de um animal para outro. É uma doença que afeta principalmente cães, mas também
animais silvestres, gambá ou saruê, e urbanos como ratos, gatos e humanos (principalmente crianças com desnutrição, idosos
imunossuprimidos e, atualmente, pessoas com AIDS).
Não se pega leishmaniose de cães e outros animais, apenas pela picada do inseto que estiver infectado.
O cão é apenas mais um hospedeiro da leishmaniose visceral. É também o mais estudado e injustiçado, já que mesmo que
todos os cães do mundo deixassem de existir, a leishmaniose visceral continuaria a crescer, como inclusive ocorre nas cidades
onde há matança indiscriminada de cães como "forma de combate à doença".
Sintomas
Os sintomas são variáveis. O cão pode apresentar emagrecimento, perda de pelos, gânglios inchados, fraqueza, feridas,
crescimento exagerado das unhas, lesão de pele ulcerada, blefarite e anemia. Também há sintomas nos órgãos internos, como
crescimento do fígado e outras alterações. Entretanto, esses sintomas são comuns em outras doenças bem menos graves;
assim, se seu cão apresentar esses sintomas não quer dizer que o mesmo está com leishmaniose. O diagnóstico preciso só
pode ser feito por um médico veterinário, que combinará exames de sangue com exames clínicos. O teste sorológico feito pelo
governo como forma de triagem não deve ser encarado como diagnóstico e, portanto, não justifica a eutanásia dos animais. O
diagnóstico é complexo e necessita de maior investigação.
Prevenção
O verdadeiro transmissor da doença - o mosquito-palha - gosta de lugares com matéria orgânica, então sempre mantenha
quintal e canis limpos e telados. Esse inseto é de hábito noturno, portanto coloque seus cães para dormir em lugares telados e
use coleiras e/ou líquidos repelentes para ajudar na proteção.
O efeito da coleira é repelente, justamente para evitar a picada do inseto; a coleira é uma importante arma contra a doença.
Além disso, existe vacina para leishmaniose. Ela previne que 80 a 95% dos cães se infectem com leishmania pela picada do
inseto.
Na verdade, a vacina contra a leishmaniose pode apresentar um efeito bloqueador de transmissão, capaz de interromper o
ciclo epidemiológico, isto é, torna o animal não transmissor da doença.
A vacina tem cobertura de mais de 90% - afirmam os especialistas - e não é possível confundir infectados com vacinados. Mas
pela produção ainda reduzida, os preços são inviáveis para boa parte dos tutores de cães. (fonte: Anda)
AGÊNCIA DO GOVERNO DO PARÁ |
AIDS | DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS | CONTRACEPTIVOS
30/08/2011
30/08/2011 - Campanha no HOL encerra atividades de agosto
Para reforçar o estoque técnico de sangue, a Fundação Hemopa desenvolveu, com o apoio de instituições públicas e privadas,
durante todo o mês de agosto, ações externas que resultaram em 1.270 doações de sangue e 389 novos cadastros e doadores
de medula óssea. A programação deste mês será encerrada com uma campanha no Hospital Ophir Loyola (HOL), nesta terça,
30, e quarta-feira, 31, das 8h às 18h, para coleta de sangue e cadastramento de doadores de medula óssea, com o tema "Pra
você uma gota... para o outro uma vida".
Essa é a segunda campanha deste ano feita em parceria com o HOL para atendimento da demanda de pacientes com câncer,
internados para quimioterapia ou intervenção cirúrgica, assim como pacientes de ambulatório. A ação estimula a captação de
doadores em grande escala para que a demanda do hospital seja atendida na quantidade requerida e com qualidade.
Durante o evento, serão distribuídas 200 camisas para mobilizar os potenciais doadoras a interagir com o HOL e abraçar essa
causa em favor da vida. De acordo com a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, assistente social Juciara Farias, o
HEMOCENTRO promoveu 14 campanhas externas neste mês. "Agradecemos a todos que atendem nossos apelos para salvar
vidas. É a solidariedade que nos move todos os dias", finalizou.
Quem pode doar: candidatos com boa saúde; peso acima de 50 kg; idade entre 18 anos completos e 67 anos, 11 meses e 29
dias. Poderão ser aceitos candidatos à doação com idade entre 16 e 17 anos, desde que haja consentimento formal do
responsável legal.
É necessária a apresentação de documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário,
recomenda-se estar bem alimentado. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas AIDS, SÍFILIS,
Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a
cada três.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudáveis na faixa etária de 18 a 55 anos.
Necessário portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, das 7h30
às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 12h30. Mais informações pelo fone 0800 280 8118.
Vera Rojas - Ascom/Hemopa
AGÊNCIA DO GOVERNO DO PARÁ |
AIDS | DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS
30/08/2011
30/08/2011 - Serra Azul promove mês de atenção à saúde da mulher
30/08/2011
PREVENÇÃO - Secretaria Municipal da Saúde de Serra Azul melhora suas especialidades e realiza parcerias para melhor
atender.
No sábado (13/08), a Secretaria Municipal da Saúde de Serra Azul, em parceria com o Hospital do Câncer de Ribeirão Preto
(SOBECCan) e o apoio da Prefeitura Municipal, realizaram um grande evento para a população serrazulense. O evento
direcionado à prevenção do câncer de mama em mulheres com mais de 40 anos teve a adesão de mais de 70 mulheres,
sendo que os exames foram realizados pela equipe multidisciplinar, através do Mama-Móvel.
"Em nenhuma outra cidade da região se conseguiu números de exames tão expressivos. Isso mostra o empenho e o
reconhecimento por parte da população quando se trata de prevenção e saúde", diz o coordenador do Mama-Móvel, Edmilson
Silva.
Também foi realizado no município serrazulense a palestra de DST-AIDS na escola estadual Francisco Ferreira de Freitas, e
contou com a participação de profissionais da saúde, professores e funcionários da escola. Além de 60 adolescentes que
puderam assistir o evento e tirar todas as dúvidas.
Amamentação
Ainda na primeira semana de agosto a equipe do PSF I coordenou a Semana da Amamentação, direcionada a todas as
gestantes e mães, tendo como incentivo e orientação da necessidade de amamentar pelo menos até o 6° mês de vida todas as
crianças.
Reportagem: Assessoria de imprensa
AGÊNCIA DO GOVERNO DO PARÁ |
AIDS | DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS
30/08/2011
30/08/2011 - Ações da Sespa marcam o Dia Nacional de Combate ao Fumo
Lembrado em todo o país em 29 de agosto, o Dia Nacional de Combate ao Fumo foi referência de várias ações de
conscientização realizadas nesta terça-feira, 30, pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) no hall de cardiologia da
Unidade de Referência (URE) Presidente Vargas, que abriga o Centro de Referência em Abordagem e Tratamento do
Fumante.
Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Controle do Tabagismo, Raquel dos Anjos, as abordagens deste ano
concentram o foco na relação entre o público juvenil e os chamados "cigarros aditivados", ou seja, aqueles que apresentam
sabores e aroma variados de chocolate, menta, cereja e canela, entre outros. "À primeira vista são inofensivos, mas a vilã es tá
lá, a nicotina, pronta pra seduzir jovens, nossos focos de agora. Se pudermos evitar o início do vício, melhor ainda, pois futuras
gerações não terão esse hábito", explica.
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o consumo de cigarros aromatizados entre adolescentes de 13 a 15 anos
e adultos e jovens de 17 a 35 anos no país chega a 44%. A pesquisa foi realizada entre 2002 e 2005. O adolescente A. B, de
apenas 14 anos, está no Centro querendo se livrar justamente dos cigarros com aditivos. "Diziam que deixava um hálito
bacana, que exercia sedução nas garotas, mas vejo que só tô me ferrando, pois ando sem pique e gripando muito fácil", relata.
Durante a panfletagem no centro, a abordagem mais frequente dizia respeito à colocação de sabores nos cigarros como
pretexto de fazer com que jovens não desistam de experimentar por causa do gosto ruim e do mal-estar das primeiras
tragadas.
A diretora do Centro de Referência em Abordagem e Tratamento do Fumante, pneumologista Fátima Amine, afirma que a
equipe multidisclipinar já está preparada para trabalhar com esse tipo de abordagem. "Esses cigarros que parecem ser
saborosos liberam maior quantidade de nicotina livre, ou seja, são imediatamente absorvidos pelo organismo e causam maior
impacto nos centros nervosos cerebrais", explica.
Durante a manhã, a equipe do Centro já atuava na capitação dos fumantes dispostos a procurar tratamento e que passavam
pela calçada da própria avenida Presidente Vargas a conhecer o trabalho desenvolvido na URE. O autônomo João Batista, de
53 anos, foi um que buscou o programa, há algum tempo, ainda meio ressabiado. "Já havia tentado parar de fumar por meio de
um tratamento particular, que me custou, na época, mais de 200 reais. Aqui foi tudo de graça e estou sem fumar há mais de
um ano", disse ele, antes de receber um cerficado de abstêmio de uma das técnicas do Centro.
Quem procurou o Centro de Referência em Abordagem e Tratamento do Fumante pela primeira vez, aproveitou os serviços
disponíveis especialmente para o evento. Houve distribuição de material informativo sobre a dependência do tabaco, feita pela
Liga de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular do Pará, vinculada à Universidade do Estado do Pará (Uepa); verificação de
pressão arterial e testes de glicemia ofertados pelo grupo Extrafarma; testes de dependência da nicotina e de níveis de
monóxido de carbono nos pulmões realizados pela Action Laser, além de testes rápidos de HIV disponibilizados pelo Centro de
Testagem e Aconselhamento (CTA) Itinerante da Coordenação Estadual de DST/AIDS.
O momento cultural ficou por conta de apresentações de grupo de dança do programa Maturidade Saudável, da Fundação de
Seguridade Social (GEAP) do Pará; aeróbica para a melhor idade e dança de salão, com a equipe do Instituto Helena
Coutinho, além de palestra sobre o marketing das indústrias de cigarro e certificação e depoimentos de ex-fumantes.
Em média, o Centro de Referência em Abordagem do Tratamento do Fumante atende diariamente de 50 a 100 pessoas que
procuram os serviços da Unidade para tentar parar de fumar. "Muitos fumantes desejam parar, mas apenas 3% conseguem se
livrar da nicotina por conta própria, sem recorrer a nenhum tipo de ajuda médica ou terapêutica", explica a pneumologista
Fátima Amine.
A diretora orienta que quem decidir parar de fumar pode se inscrever no próprio Centro, sem necessidade de ser referenciado
por unidade de saúde. Para demais orientações, o fumante pode procurar dicas pelo 0800-611997 ou pelo telefone do Centro:
3242-5645.
Mozart Lira - Ascom/Sespa
ANSA LATINA |
AIDS | LGBT
30/08/2011
30/08/2011 - Show no méxico vai arrecar fundos para combate a aids
CIDADE DO MÉXICO, 30 AGO (ANSA) - A cantora colombiana Fanny Lu realizará na sexta-feira um show no México para
arrecadar fundos para o combate a AIDS.
O valor obtido com os ingressos será revertido para a Fundação México Vivo, que trabalha para a melhoria da qualidade de
vida dos portadores do vírus HIV e na prevenção e pesquisa da AIDS.
O show acontecerá em um clube privado da capital mexicana frequentado pela comunidade HOMOSSEXUAL.
A apresentação de Fanny Lu, intérprete de sucessos como "Celos" e "Tu no eres para mi", marca o retorno ao México da
cantora ao país, depois do lançamento de seu terceiro álbum "Felicidad y perpetua". (ANSA)
30/08/2011 13:34
BAND |
AIDS
30/08/2011
30/08/2011 - Diário de jornalista: muito fina no Palácio do Governo com as misses
Estava na redação editando os vídeos de Miss Universo quando a Clarissa Mirzeian me disse: "falaram que você precisa estar
de social para o jantar de hoje à noite no Palácio do Governo". E eu de sandálias de dedo. Já tinha até deixado um vestidinho
preto para a ocasião no carro, mas não pensei que fosse ser algo tão fino para exigir o salto. Desci correndo para a sala de
figurino da Band atrás de sapatos. Lá encontrei com outros tantos desinformados, atrás de paletó e vestidos. Todos iriam ao
jantar. Uma correria se instaurou. Não gostei de nenhum.
Acabei pegando os sapatos da Tici Aguiar aqui do Portal emprestado. Aliás, obrigada, Tici! Ia saindo com a minha mochila,
com câmera, luzinha, microfone, bloco, carteira e óculos de sol. Nossa chefe Eli Leme não deixou. Imagina, o Portal da Band
não pode dar um vexame como esse. "Vamos mostrar que somos finos", disse. Levei um bloquinho, celular e caneta na mão.
Só. Vestida, devidamente calçada, maquiada e "fina", fui finalmente ao Palácio.
Um tapete vermelho se estendia. Passei por ele, subi as escadas do Palácio e comecei o meu trabalho. As mesas estavam
decoradas com rosas e cravos, rosa e branca. Enquanto as misses não chegavam, fui em busca de minha primeira vítima:
Hélio Vargas, nosso diretor artístico e de produção. Ele disse que a escolha do Brasil para sediar o Miss Universo neste ano foi
perfeita, já que os dias estão todos lindos e ensolarados. Ainda lembrou que o concurso irá abrir a temporada de eventos que o
Brasil vai receber, como Olimpíadas, Copa do mundo e Copa das Confederações.
Próximo: Johnny Saad. Muito atencioso e simpático - além de meu chefe - disse estar muito orgulhoso pela Band em receber o
Miss Universo neste ano. E está torcendo pela Miss Brasil, Priscila Machado, pois já conversou com ela algumas vezes e a
achou muito desenvolta e preparada.
Adriane Galisteu, que irá apresentar o Miss Universo ao vivo pela Band, também acha a brasileira um espetáculo, simpática e
com uma ótima retórica. Mas alerta para o perigo: Miss China e Miss Estados Unidos, lindas demais, segundo a
apresentadora. É tanto patriotismo que ela acha que vai ser difícil ser profissional o bastante para não torcer pela brasileira no
dia do evento.
Chegada
Burburinho lá fora. As misses chegaram. Como são 89, elas vieram em dois ônibus. Foram descendo, uma a uma, e se
posicionaram na escada. Com vestidos longos e exuberantes, tiraram fotos com o governador, Geraldo Alckmin, Lu Alckmin,
Johnny Saad e Claudia Saad. Fizeram até o famoso "xis" para os fotógrafos. Engraçado, achava que o "xis" fosse brasileiro.
A Miss Japão se destacou com seu quimono. A Miss Brasil estava linda em um longo azul estampado, de Arthur Caliman. E
usava seu cabelo preso, pois jogou futebol pela manhã e não teve tempo de arrumar, revelou ela, muito bem humorada. Cá
entre nós, nem todos os vestidos se "encaixavam" na moda brasileira. Mas elas estavam lindas, de qualquer jeito.
A filha de Alckmin, Sofia, estava ao lado dos fotógrafos, registrando tudo em sua máquina. Ela, que é advogada, tem também
um site de moda e estilo, o www.bettys.com.br. Ainda não tive tempo de conferir, mas fica a dica. Alckmin disse que está muito
feliz em receber o Miss Universo em São Paulo, já que é uma cidade cosmopolita e representa bem todos tipos de beleza.
Terminado os cliques, as belas entraram e se sentaram à mesa. Algumas foram ao banheiro. Fui atrás. Lá tinha uma caixinha
com itens de higiene, como lenço de papel, absorvente, band-AIDS, pasta de dente e remédios de dor de cabeça. Uma miss
pegou um band-aid para cobrir os seios e não marcar no vestido. A Miss Filipinas usava um vestido de oncinha porque "queria
ser diferente". A Miss Sri-Lanka vestia um "saree", traje típico de seu país. Tive que deixar o banheiro. A chaperona de uma
delas pediu para eu não entrevistar no banheiro. Íntimo demais, será? Bom, voltei para as mesas. As misses tiravam fotos dos
pratos. Peguei o menu e anotei tudo:
Entrada:
Atum selado com gergelim e cuscuz de açafrão ao perfume de limão siciliano sobre folhas verdes.
Prato principal:
Vitela assada ao vinho branco e sávia, risoto de açafrão, pontas de aspargos frescos e tomates gratinados.
Sobremesa:
Mini copa de suspiros com morangos e calda de frutas vermelhas e frutas fatiadas.
Quantas pessoas são necessárias para esse banquete todo? Fui até a cozinha descobrir. Nossa, que calor! Deveria estar mais
de 40 graus lá dentro, com todas aquelas panelas ligadas. Conversei com Paula Mesquita, a dona do Buffet responsável pelo
evento. Ela contou que se dividem entre 28 garçons, um maitre e 12 cozinheiros. Ao lado da cozinha, havia um espaço com
mesas compridas onde eles montavam os pratos. Um coloca o risoto, outro os tomates e por aí vai. Uma verdadeira linha de
produção. E eu, ali, sem jantar, vendo toda aquela comida. E não é que a dona do Buffet me oferece um prato? "Experimenta e
veja o que acha". Minha avó sempre me dizia que era falta de educação recusar comida. E eu, muito fina, aceitei.
* Denise Meira do Amaral
Fotos: Guilherme Lara/ Foto Arena
BV NEWS - RR |
AIDS | LGBT
30/08/2011
30/08/2011 - Parada do Orgulho LGBT será dia 18
Alegria é o que não vai faltar na 10ª edição da Parada do Orgulho LGBT, por conta das participações especiais das artistas
Silvety Montilla e Dimmy Keer (o ex-BBB Di César). O evento será realizado dia 18 de setembro, no palco da Praça Velia
Coutinho - Centro, a partir das 17h. Para o evento, que tem como tema Homofobia é Crime, Direitos Iguais e Inclusão Social,
são esperadas aproximadamente 20 mil pessoas.
Mas na semana que antecede a parada, nos dias 12, 13, 16 e 17, acontecerá a Semana Cultural LGBT, quando serão
realizadas diversas atividades, como atendimentos com teste rápidos de HIV e outros exames nos postos de saúde dos bairros
Nova Cidade e 13 de Setembro.
Na programação constam ainda blitz e palestras educativas, filmes com temáticas LGBT, seminário e exposição de fotos. No
dia 18, além da parada, haverá a feira de artesanato e produtos regionais na Praça Velia Coutinho,
Além de artistas, participam ainda o presidente da ABGLT, Toni Reis, e o primeiro casal gay do Brasil a oficializar união
estável, Léo Mendes e Odílio Torres, de Goiás. O evento contará ainda com a participação de Tathiane Araújo, representante
nacional da Antra e secretária de Direitos Humanos ABGLT.
Dentro da programação da 10ª Parada, o modelo Kadu Lago lançará o livro Confissões ao Mar, em uma festa beneficente (PréParada) que será realizada no Espaço Domus, a partir das 22h30. Quem adquirir convite vip ou mesa ganhará um livro
autografado. A renda do evento será destinada à ações sociais do Grupo DiveRRsidade.
O presidente do Grupo DiveRRsidade, Sebastião Diniz, disse que no livro, Kadu Lago fala Confissões ao Mar fala de
descobertas, conflitos internos, conflitos com a família e com o mundo. "Neste livro, ele trata das dificuldades que um
HOMOSSEXUAL tem de assumir sua orientação sexual diante da sociedade", comentou.
Ainda na festa no Espaço Domus, será feita uma homenagem para aqueles que contribuem com o Grupo Diversidade, como
personalidades da sociedade roraimense que fizeram e fazem a diferença na construção da cidadania LGBT.
"Serão homenageados o representante do Departamento Nacional de AIDS, Dr. Eduardo Luis Barbosa, o ativista Toni Reis, e
o primeiro casal gay do Brasil a oficializar união estável Leo Mendes e Odílio Torres, além da Liga Roraimense de Combate ao
Câncer.
CASSILANDIA JORNAL |
AIDS | ANTIRRETROVIRAIS
30/08/2011
30/08/2011 - Crianças e adolescentes com Aids ganham qualidade de vida com novo
medicamento
Crianças e adolescentes que vivem com AIDS no Brasil ganham uma nova esperança para o tratamento da doença e a
qualidade de vida. Nesta semana, o Ministério da Saúde disponibiliza pelo SUS (Sistema Único de Saúde) o primeiro
antirretroviral (ARV) desenvolvido exclusivamente para o tratamento desses pequenos pacientes.
O tipranavir também é o primeiro medicamento de resgate - quando o tratamento inicial não apresenta mais resposta ou tem
falha - adotado no país para utilização em crianças menores de 6 anos de idade, segundo o Ministério. Até então, o esquema
de resgate terapêutico de 3ª linha era feito com ARV indicados para adultos e utilizados por crianças como medida
excepcional.
As secretarias estaduais de saúde já receberam nota técnica sobre o medicamento, que deve ser distribuído conforme a
solicitação de cada Estado. Em Mato Grosso do Sul, ele já é utilizado na formulação para adolescente por um menino de 13
anos.
A aquisição do tipranavir é tida como um avanço no esquema de medicamentos dos pacientes dessa faixa etária, já que ele é
uma medicação indicada como 3ª linha de tratamento, quando o esquema inicial de remédios não tem mais efeito no
organismo - a 1ª linha é composta por medicamentos mais usuais e utilizados em tratamentos iniciais.
A médica infectologista pediatra, Marcia Dal Fabbro, ressalta que o medicamento na formulação para crianças representa uma
conquista no tratamento dos pacientes, principalmente, menores de 16 anos que não respondiam mais aos esquemas de
medicamentos.
Isso reflete diretamente na melhoria da qualidade de vida, já que o organismo poderá responder melhor ao tratamento com o
combate da replicação do HIV e, sendo assim, ficar menos suscetível ao contágio de outras doenças.
Ela explica que muitas crianças já aos 11 anos não respondem a várias combinações de medicamentos - coquetel - e
anteriormente não tinham a opção de aderir ao tratamento com o tipranavir, quando ainda não apresentavam o peso
compatível para a dosagem do comprimido - 35 quilos. Agora, a medicação será fornecida para crianças sem exigência mínima
de peso com a fórmula em xarope.
"Criança que não respondia mais ao tratamento aos 11, 12 anos e não tinha mais o que tomar. Chegavam a ter que esperar
até os 16 anos - ou quando atingiam o peso ideal para a dosagem - para entrarmos com o medicamento de resgate para
adolescente - tipranavir - ou outra fórmula para adulto", diz.
A médica esclarece que a maioria dos pacientes tem peso abaixo da sua idade por apresentarem problemas de
desenvolvimento e pouca massa muscular.
O tipranavir em xarope será utilizado em combinação com a solução oral do ritonavir, estes medicamentos são potencializados
e inibem a replicação do HIV, ajudando a reduzir a infecção das células saudáveis do organismo.Conquista - Em Mato Grosso
do Sul, o garoto Salomão*, de 13 anos, foi o primeiro a ter o tipranavir incluído no esquema de medicamentos. A droga foi
prescrita após o organismo do menino não responder aos outros ARV.
Em meados de 2010, os exames de Salomão alertaram para a baixa imunidade do organismo, que já não respondia as
combinações de medicamentos. Com o organismo indefeso, ele foi internado várias vezes com doenças respiratórias e outras
infecções.
Dal Fabbro explica que a droga foi prescrita após testes com vários medicamentos para analisar a resposta do organismo. No
entanto, o ARV só foi liberado em março deste ano após ser comprovado que Salomão, mesmo com recém completos 13
anos, já tinha o peso compatível para a fórmula em comprimidos, já que a droga em xarope - sem peso mínimo - ainda não
estava disponível no Brasil.
Ele é uma das crianças atendidas pela Afrangel (Associação Franciscanas Angelinas) - Lar das Crianças com HIV/AIDS, e a
irmã responsável pela enfermaria, Marlene da Silva, conta que foram cerca de quatro meses de espera para a chegada do
medicamento e que a melhora na saúde do garoto foi visível.
"O Salomão passou por um período muito difícil, ficou doente várias vezes. Mas agora está bem, respondendo a medicação.
Sua imunidade voltou a subir", diz.
O Lar oferece gratuitamente assistência social, médica e pedagógica a crianças e adolescentes com o vírus HIV de todo o
Estado.
Além do tipranavir, o garoto toma outros 6 medicamentos diferentes por dia. Ao todo, são 13 comprimidos, mais duas injeções.
Panorama - O Ministério da Saúde oferece 13 drogas para crianças com AIDS. O orçamento para o acesso universal aos
ANTIRRETROVIRAIS no Brasil é da ordem de R$ 846,7 milhões e o investimento brasileiro em ARV para crianças é de R$ 9,7
milhões.
Atualmente existem no Brasil 4.006 menores de 13 anos em tratamento, sendo que 186 deles estão utilizando medicamentos
de 3ª linha. A secretaria estadual de saúde não tem os dados sobre o número de crianças SOROPOSITIVO em todo o Estado.
Praticamente 100% das transmissões nessa faixa etária são por meio das mães SOROPOSITIVO, que transmitem o vírus na
gestação e parto ou quando amamentam os filhos. Quando o tratamento é realizado adequadamente pela mãe, a chance do
bebê adquirir o HIV cai para níveis menores que 1%, segundo o Ministério da Saúde.
Serviço: O Lar das Crianças fica na rua Seminário, 2.170 - Jardim Seminário. Quem quiser mais informações sobre o
atendimento no local ou quiser fazer doações pode entrar em contato pelo telefone: 3365-0590.
*Nome fictício
CORREIO24HORAS |
AIDS | CAMISINHA
30/08/2011
30/08/2011 - Indústria de filmes pornô americana para por conta de teste positivo de HIV
Em 2010 o ator Derrick Burts também foi diagnosticado como portador do vírus e hoje milita pelo uso obrigatório da
CAMISINHA
30.08.2011 | Atualizado em 30.08.2011 - 11:30
Redação CORREIO
O resultado positivo em um teste de HIV paralisou a produção de filmes na indústria pornô americana nos últimos dias. Em Los
Angeles, principal polo de produção de filmes eróticos nos Estados Unidos, as atividades estão momentaneamente
interrompidas até que exames confirmem se o artista, que não teve seu sexo ou nome divulgados, está realmente infectado.
Não é o primeira vez que um diagnóstico como esse estremece o ramo multibilionário. Em 2010, o ator Derrick Burts também
descobriu ser portador do vírus HIV, e desde então passou a militar pelo uso de camisinhas nos elencos de filmes pornôs. A
causa é também defendida pela entidade AIDS Healthcare Foundation, que pretende coletar assinaturas para um plesbicito
que tornaria obrigatório o uso de camisinhas em produções do gênero.
Segundo o Los Angeles Times, a diretora-executiva da organização Free Speech Coalition, organização que representa a
indústria pornô, pediu uma "moratória" na produção de filmes até que saiba com certeza se houve contágio, e se houve
propagação do vírus com os parceiros ou parceiras sexuais do artista.
Apesar dos atores passarem por testes mensais que detectam o HIV, não há qualquer pressão pelo uso da CAMISINHA, fator
que ficaria a critério do elenco e dos seus diretores.
DEUTSCHE WELLE WORLD (ALEMANHA) |
AIDS | CONTRACEPTIVOS
30/08/2011
30/08/2011 - Nobreza alemã perdeu privilégios, mas mantém títulos e prestígio
Com a renúncia do imperador Guilherme 2º da Prússia, a monarquia alemã acabou. Hoje, nobres alemães se dividem entre os
que vivem nas manchetes e os que usam a riqueza e o prestígio para fins sociais e culturais.
Com a Constituição de Weimar, de 1919, a nobreza alemã teve que renunciar a uma série de privilégios. Todos os cidadãos da
Alemanha passaram a ser tratados de forma igual perante a lei, com os mesmos direitos e deveres. Para os nobres, isso
significava, por exemplo, ter de pagar impostos. No entanto, eles mantiveram seus títulos de nobreza e suas posses.
A lista das dinastias alemãs é interminavelmente longa: entre as mais famosas, estão a dos Habsburg, Wittelsbach,
Hohenzollern e Welfen. No caso de muitas dessas famílias, apenas o sobrenome as conecta com o passado nobre. Seus
membros levam hoje uma vida comum, pagando aluguel e exercendo uma profissão, por exemplo.
A coisa muda de figura quando se trata da vida por trás dos muros de grandes propriedades da nobreza, onde vivem famílias
como os Von Thurn & Taxis, Zu Sayn-Wittgenstein ou ainda os Von Preussen. Essas famílias possuem o que ainda hoje traz
glamour para a nobreza: um castelo, um príncipe, uma princesa e, claro, riqueza.
Ex-ministro da Economia e da Defesa Karl-Theodor von Guttenberg e família
Nobreza na política e escândalos
Mesmo que a nobreza como instituição tenha sido abolida na Alemanha, ela ainda existe como classe social, segue regras
próprias e prefere ficar entre si. Quando se analisa a árvore genealógica dessas famílias, vê-se que não é comum o casamento
de nobres com "plebeus". O ex-ministro alemão da Economia e da Defesa Karl-Theodor zu Guttenberg é um exemplo. Sua
esposa não é uma Stephanie qualquer, mas uma Stephanie von Bismarck-Schönhausen.
Durante algum tempo, a família Guttenberg conseguiu levar um pouco do charme da nobreza à cena política de Berlim. Mas o
nada nobre escândalo em torno do plágio do doutorado de Guttenberg pôs fim a isso: Guttenberg perdeu sua credibilidade, seu
título de doutor, seu ministério e sua boa reputação. A família tenta agora começar uma nova vida nos Estados Unidos.
Nobreza está associada a escândalos e a tabloides. Dentre os nobres alemães preferidos da mídia está o marido da princesa
Caroline de Mônaco, o príncipe de Hannover. Seu nome completo é Ernst August Paul Otto Ruprecht Oskar Berthold FriedrichFerdinand Christian-Ludwig Príncipe de Hannover, duque de Braunschweig e Lüneburg. Com seu casamento com a princesa
Caroline, ele conquistou um lugar entre a alta nobreza europeia. Mesmo assim, seu comportamento não é de alto nível.
O príncipe de Hannover bate em fotógrafos, repórteres, câmeras, sejam homens ou mulheres, e espancou um hoteleiro no
Quênia. Foi preso na Expo 2000 por urinar numa parede do pavilhão turco. Já foi multado por dirigir em alta velocidade. Enfim,
a lista de escândalos do príncipe é extensa. Até condenado o príncipe já foi, porém cumpriu a pena em liberdade condicional.
Títulos de nobreza à venda
Há também na Alemanha nobres que compraram seus títulos. O mais famoso é o príncipe Frédéric von Anhalt. Um homem de
origem plebeia que se ofereceu para ser "adotado" por uma princesa em troca de dinheiro, para assim obter um título de
nobreza.
Aliás, "falsos" nobres não são raros na Alemanha. Existe até um comerciante de títulos que se autointitulou cônsul. Há
décadas, ele recebe o jet set internacional em sua casa e agencia títulos de nobreza, de universidades e diplomáticos.
O príncipe Frédéric conquistou fama ao casar-se com a ex-Diva de Hollywood Zsa Zsa Gabor. O príncipe desfila na alta
sociedade como se o mundo lhe pertencesse. É geralmente fotografado e filmado com um charuto na boca, ou aparece em
reality shows na tevê.
O que no entanto incomoda os nobres de "sangue azul" é o fato de ele adotar plebeus, aos quais repassa o título. Até agora,
quatro donos de clubes noturnos, academias de ginástica e de bordéis se tornaram príncipes graças a Frédéric.
Gloria von Thurn und Taxis
Apesar de homens liderarem as listas de escândalos da nobreza alemã, uma mulher conseguiu durante muitos anos
predominar nas manchetes de tabloides: a exótica Gloria von Thurn und Taxis. Nos anos 1980, ela escandalizou a nobreza
com suas roupas e penteados punk.
Depois da morte do marido, Gloria von Thurn und Taxis mudou seu comportamento. Ela foi a grande responsável pelo
salvamento do patrimônio da família. Em 2001, voltou a escandalizar ao afirmar em um programa de televisão que o problema
da AIDS na África não se deve à falta de métodos CONTRACEPTIVOS, mas porque os africanos praticam muito mais sexo do
que as pessoas em outras partes do mundo.
Alta nobreza da Alemanha
Mas há também os nobres retraídos, como a família Sayn-Wittgenstein-Berleburg, que mora em um castelo romântico na
região do Rothaargebirge. Grande parte do castelo construído no século 13 foi transformada em museu, apresentando objetos
históricos da família, como material de caça, brasões, uniformes, armas, vidros, porcelanas e objetos de arte da coleção
particular da família.
O parque de 4300 hectares em volta do castelo é uma reserva florestal, para onde há cerca de um ano e meio foi trazido um
rebanho de bisões. Ameaçados de extinção, esses animais encontraram na reserva um local calmo para se reproduzirem.
Castelo da família Sayn-Wittgenstein-Berleburg
Já o duque Franz da Baviera é o chefe da grande dinastia dos Wittelsbacher e descendente do último rei da Baviera, Ludwig
3º. Ele não é personagem da mídia sensacionalista nem dá assunto a paparazzi.
Colecionador inveterado e interessado por ciências naturais e por arte, ele apoia uma série de organizações e galerias e é
membro de várias curadorias de arte. É um homem culto, quieto, sem alardes e sem filhos. O portal online do jornal Die Zeit
escreveu em abril, por ocasião do casamento real em Londres, que se a Alemanha precisasse de um rei, esse seria o homem.
Casamento de Georg Friedrich da Prússia e Sophie, princesa de Isenburg
Alemanha precisa da nobreza?
No último sábado, aconteceu em Potsdam o casamento do príncipe de Hohenzollern, Georg Friedrich da Prússia, tataraneto do
último imperador alemão, com Sophie, princesa de Isenburg. O casamento "real" alemão foi transmitido por uma emissora
pública de televisão, o que causou polêmica. Chegou a haver até um rápido protesto antes do casamento, segundo a polícia,
mas tudo ocorreu de forma pacífica. Cerca de 160 mil telespectadores acompanharam o casamento pela tevê.
Os nobres da Alemanha se dividem entre os que vivem nas manchetes e os que usam a riqueza e o prestígio para fins sociais
e culturais. Os nobres da Prússia, por exemplo, abrem as portas de suas propriedades à população de Brandemburgo e
disponibilizam suas posses como parte da cultura do estado.
Autor: Silke Wünsch (cs)
Revisão: Roselaine Wandscheer
DIÁRIO DA SAÚDE |
AIDS | CONTRACEPTIVOS | HEPATITE
31/08/2011
Vírus ignorado está causando cirrose hepática e câncer do fígado
Redação do Diário da Saúde
Decisão errada
O vírus da hepatite G foi identificado em 1995.
Depois de uma pesquisa pequena sobre o vírus, a Food and Drug Administration (FDA), órgão de saúde dos Estados Unidos,
declarou o vírus como não-nocivo.
Mas cientistas da Arábia Saudita agora estão divulgando indícios de que esta pode ter sido uma decisão muito errada.
Eles sustentam que a transmissão do vírus através do sangue doado que não foi examinado para detectar sua presença, bem
como a infecção por outras vias, levou a um aumento da cirrose hepática e do câncer de fígado.
Suas conclusões foram publicadas International Journal of Immunological Studies.
Vírus da hepatite G
O vírus da hepatite G (HGV) foi rebatizado como vírus GB C - ou GBV-C, do inglês Hepatitis G Virus C.
Ele é um vírus da família Flaviviridae, mas ainda não foi associado a um gênero.
Curiosamente, alguns indícios sugerem que a co-infecção com o vírus da AIDS, o HIV, de alguma forma reforça o sistema
imunológico destes pacientes.
No entanto, são os efeitos danosos do vírus sobre o fígado de pacientes saudáveis que se tornou motivo de preocupação para
Mughis Uddin Ahmed, do Hospital Rei Abdulaziz (NGHA) em Al-Ahsa, Arábia Saudita.
DOAÇÃO DE SANGUE com vírus
O médico ressalta que, desde que a FDA declarou que o vírus não causa problemas de saúde aos seres humanos, em 1997, o
sangue doado não tem sido rastreado para este vírus.
O Dr. Ahmed fez uma revisão da literatura científica dos últimos 16 anos, que mostra que o vírus tem alta prevalência em todo
o mundo.
Além disso, há uma correlação da infecção com este vírus com a hepatite e com a cirrose do fígado, e indícios de uma
associação com o carcinoma hepatocelular.
Ahmed também identificou uma ligação do HGV com distúrbios hematológicos e doenças hematológicas.
Decisão correta
Por esta razão, o pesquisador sugere que o vírus deve ser pesquisado para determinar se ele é um patógeno humano
verdadeiro e uma substância viral cancerígena.
Ele também aconselha que a triagem de sangue doado para detecção deste vírus seja restabelecida com urgência, em vez de
permitir que os profissionais de saúde continuem a transferir o vírus sem saber para os receptores de sangue.
Segundo o médico saudita, isso está colocando os receptores de sangue sob o mesmo risco de morbidade e mortalidade
observados com o vírus da HEPATITE C sendo transferidos entre o doador e o receptor.
E isto só vai acabar quando o rastreamento do sangue doado for restabelecido.
DIÁRIO DO PARÁ ONLINE |
AIDS
31/08/2011
Cultura e solidariedade na "Boa Noite Cinderela"
Uma festa diferente, cheia de arte e com uma proposta solidária. Assim pode se definir a "Boa Noite Cinderela", que acontece
hoje, das 18h à meia-noite na boate Malícia, que terá parte de sua renda doada a entidades que apoiam portadores do HIV e
parte destinada à realização de uma festa em outubro, para as crianças portadoras do vírus.
A iniciativa é do Comitê de Jornalistas e Artistas - Arte pela Vida e acontece desde 1996. Essa é a primeira vez que o evento
acontece em uma boate. Nos anos anteriores, era realizado sempre em teatros, unindo música, dança, arte e performance. A
ideia continua a mesma, mas dessa vez o formato é diferente e os artistas ficam mais próximos do público.
Na festa de hoje, muitas atrações. Música ao vivo com as cantoras Sônia Nascimento e Ester Sá, acompanhadas por Renato
Torres no violão, os DJ's Eddie Pereira e Fernando Wanzeler, do Coletivo África Brasil, e Leo Bitar. Lucas Govêa apresenta o
"Improvídeo" e Nando Lima mostra "Lie", ambos em Vj Performance. A Cia de Investigação Cênica leva o solo do Danilo
Bracch, Jeferson Cecim apresenta trechos do espetáculo "Red Bag", Franco Saluzio, da Cia Mirai, dança street dance e hip
hop e Aníbal Pacha e Mariléa Aguiar, do Grupo de Experimentação de Teatro em Miniatura, também participam do "Boa Noite
Cinderela".
Jeferson Cecim vai apresentar trechos do seu novo espetáculo "Red Bag", que estreou em fevereiro desse ano e estava em
turnê por São Paulo. Ele participa das ações do Arte Pela Vida desde sua primeira edição e acredita que o evento tem muita
importância no meio artístico.
"Todo artista deveria participar. É uma causa mundial e nossa contribuição é muito importante", diz o ator. Francisco
Vasconcelos, coordenador e um dos fundadores do comitê Arte Pela Vida, conta que os artistas paraenses têm participado do
evento. "Só temos que agradecer a todos os artistas do Pará. Todos são muito receptivos conosco e participam ativamente da
causa", revela.
Um brechó chique também faz parte da programação com peças das lojas paraenses Ná Figueredo, Manufatura, além de
camisetas e objetos de decoração produzidos pelas entidades parceiras do Arte Pela Vida, como o GEMPAC - Grupo de
Mulheres Prostitutas do Estado do Pará, Viconve - Grupo de Mulheres Vivendo, Convivendo e Vencendo a AIDS e da RNP+ Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/AIDS. O público também pode comprar cupons promocionais disponíveis na
entrada do evento e concorrer a diversos brindes.
O comitê tem planos de realizar o evento pelo menos uma vez por mês e, segundo Francisco, o resultado vale a pena.
"Além de promover a cultura na cidade, existe o lado da solidariedade. É uma mostra do que os artistas estão produzindo e
quando vemos o resultado, a felicidade estampada no rosto das pessoas, é um retorno que não é mensurável. É muito
gratificante".
PARTICIPE:
Festa "Boa Noite Cinderela" - programação do Comitê de Artistas e Jornalistas Arte Pela Vida. Hoje, na Boate Malícia (travessa
Rui Barbosa, 375), das 18h à meia-noite. Ingressos a R$ 5. Informações: 8280-2188 e 9989-3945. (Diário do Pará)
GLOBO ESPORTE |
AIDS | DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS
30/08/2011
30/08/2011 - Festa do Peão arrecada mais de R$3 milhões para o Hospital do Câncer
Iniciativa que é referência na prevenção e no tratamento da doença atende pacientes de 1.372 mil cidades. Foram cerca de 3
mil atendimentos por dia
Por GLOBOESPORTE.COM
Barretos, SP
Hospital do Câncer de Barretos realizou cerca de
3 mil atendimentos por dia (Foto: Divulgação)
Além das provas de rodeio, a 56ª Festa do Peão de Barretos, no interior de São Paulo, promoveu um show de solidariedade.
Toda a renda do último domingo, data de encerramento do maior rodeio da América Latina, teve renda revertida para o
Hospital de Câncer, mantido pela Fundação Pio XII. Após as emocionantes finais das competições no Parque do Peão, foram
arrecadados R$ 3,7 milhões, através do "Desafio do Bem".
Na despedida do rodeio, o diretor do Hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata, desafiou o cavalo Panther no cutiano. A
"brincadeira" beneficente tinha como objetivo incentivar o público, as autoridades e os artistas a realizarem doações. Prata
venceu o animal, resistindo os oito segundos em cima do animal, como mandam as regras da modalidade.
A arrecadação bateu recorde, já que no ano passado o "Desafio do Bem" foram somandos R$ 1,853 milhão para a Fundação
Pio XII.
O Hospital de Câncer de Barretos, referência no tratamento e prevenção de câncer no país, atendeu pacientes de 1372 mil
cidades brasileiras. A estimativa foi de aproximadamente 3 mil atendimentos por dia.
Hospital de Câncer de Barretos e Campanha de Medula Óssea
No ano passado, foi inaugurado um pavilhão de 2.200 metros no Hospital de Câncer de Barretos, que conta com um
departamento de radiologia onde são realizados exames de diagnóstico por imagem como ressonância magnética, radiologias,
ultra-sons, mamografias, tomografias e biópsias. Atualmente, são feitos 9 mil exames por mês, 2.500 tomografias, 670
ressonâncias e 250 biópsias.
O rodeio provou como o esporte é capaz de movimentar uma causa que tanto precisa de ajuda. E não foi apenas público que
prestou solidariedade em Barretos. A maioria dos cantores sertanejos que se apresentou na festa doou seus cachês para o
Hospital de Câncer, totalizando quase R$ 1 milhão em doações.
Além desta iniciativa, uma outra campanha promete salvar vidas, dessa vez, em prol da medula óssea. Pelo terceiro ano
consecutivo, o Ministério da Saúde promoveu o lançamento nacional de campanhas em plena Festa do Peão (em 2008, foi
realizada a campanha da TUBERCULOSE, em 2009, a DST/ AIDS e, no ano passado, aconteceu campanha de doadores de
medula óssea, que resultou em 2 mil possíveis doadores).
O Rancho do Doador realizou uma operação que
reuniu mais de 3 mil doadores (Foto: Divulgação)
Só no primeiro dia da campanha para encontrar doadores voluntários de medula óssea, em 2010, foram registrados mais de
1.200 doadores. O Hospital de Câncer cadastrou milhares de pessoas de diferentes regiões e etnias, aumentando as chances
de achar doadores compatíveis.
Cerca de 200 pessoas ajudaram no registro de doadores de medula, entre cadastradores, técnicos de enfermagem e
enfermeiros. O sucesso da operação foi traduzido em números: 3.200 possíveis doadores.
JORNAL PEQUENO ONLINE - MA |
AIDS
30/08/2011
30/08/2011 - Eliziane denuncia atendimento precário a soropositivos
30 de agosto de 2011 às 14:43
Da Assecom/Gab. da dep. Eliziane Gama
A presidente da Comissão de Direitos Humanos e das Minorias, deputada Eliziane Gama (PPS) denunciou na manhã desta
terça-feira (30), a precariedade no atendimento a pessoas portadoras de HIV/AIDS e também a demora na realização de
exames para estes pacientes no Maranhão. A denuncia chegou ao conhecimento da parlamentar por meio do Fórum
Maranhense de Luta contra a AIDS no início da manhã de hoje.
Segundo a parlamentar, a denuncia é que uma das deficiências no atendimento está relacionada a realização de exames, pois
tanto no laboratório do município de São Luís, quanto no laboratório do Estado esta havendo demora para a realização e
entrega de resultados de exames, o que implica no tratamento e no risco de morte destes pacientes.
"O laboratório central do município está em reforma há meses e por conta disso os exames básicos que precisam ser feitos de
forma rotineira pelas pessoas portadoras de HIV/AIDS estão demorando meses para serem realizados. Outro exame
fundamental é a genotipagem, essencial para troca de medicamentos e que é feito em laboratório central do Estado também
demora às vezes até um ano para sair esse resultado", lamentou.
Eliziane Gama destacou a necessidade da implementação de ações imediatas para assegurar os direitos destas pessoas.
"Precisamos da efetividade do plano já foi elaborado de inclusão social para pessoas com HIV/AIDS e também dos planos
estaduais de enfrentamento da doença e acima de tudo a Rede Diagnósticos do Maranhão para a realização de exames como
o CD4 e a genotipagem , vitais para os portadores do vírus HIV/AIDS", disse.
A deputada também fez referência à prevenção da doença e lembrou a audiência realizada no ano passado com
representantes do Ministério Púbico e Secretaria de Estado da Saúde solicitada por ela para tratar sobre a aplicação de testes
de HIV nas escolas públicas de São Luís.
"No ano passado fizemos alguns direcionamentos para que a família pudesse participar desse processo e ao mesmo tempo
também resultados desses exames não fossem entregues dentro da escola para evitar o constrangimento ilegal dos
adolescentes, mas que fossem entregues no Posto de Saúde", disse.
ENFERMAGEM
Na tribuna Eliziane Gama reforçou o apoio aos profissionais da enfermagem e ao projeto de lei de autoria da deputada Valéria
Macedo sobre estabelecimento de piso salarial para estes profissionais. "Acredito que esta luta é extremamente importante e
merece o apoio de todos nós, pois esses profissionais que são fundamentais, especialmente para a saúde do nosso Estado",
ressaltou.
OLINDA - PE |
AIDS | DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS | CONTRACEPTIVOS | LGBT
30/08/2011
30/08/2011 - Olinda realiza oficina de prevenção a AIDS e hepatites virais para lésbicas
O evento aconteceu dentro da programação da semana da visibilidade LÉSBICA de Pernambuco
Por Cristiane Cruz
A oficina faz parte da semana da visibilidade LÉSBICA de Pernambuco e aconteceu na policlínica Barros Barreto - Foto:
Secretaria de Saúde de Olinda
A secretaria de saúde de Olinda, junto com a coordenadoria de DST/AIDS, realizou sexta-feira (26) no auditório da policlínica
Barros Barretou uma oficina sobre feminização da AIDS e a prevenção das hepatites virais. O evento faz parte da semana da
visibilidade LÉSBICA de Pernambuco e teve como objetivo discutir e chamar atenção para a importância de discutir a saúde
das lésbicas e mulheres bissexuais.
O evento contou com a participação da professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco e representante do Grupo
de Trabalho (GT) e Pesquisa sobre Raça, Gênero e Sexualidade, Denise Botelho; da coordenadora de Saúde da Mulher de
Olinda, Roberta Magalhães; da coordenadora do Conselho Municipal de Saúde de Olinda, Cristina Santiago; da técnica da
Coordenação de Saúde da Mulher de Olinda, Renata Miranda, e da representante do Movimento de TRAVESTIS e
TRANSEXUAIS, Chopelly.
Uma palestra foi ministrada pela coordenadora de DST/AIDS de Olinda, Sony Santos, bem como pela representante da
Coordenação Estadual de DST/AIDS de Pernambuco, Betânia Cunha.
A oficina contou também com a parceria das Coordenações da Saúde da Mulher, População Negra, do Grupo Coletivo de
Lésbicas (LUAS), e do Fórum LGBT/PE.
No final foram distribuídos materiais educativos sobre DST/AIDS e hepatites virais, também foram entregues
PRESERVATIVOS e camisas do movimento de lésbicas.
PERNAMBUCO.COM |
AIDS
31/08/2011
Vacinação contra pólio termina nesta quarta-feira
Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
A vacinação contra a poliomielite termina nesta quarta-feira (31). Segundo os dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES),
25.703 crianças que vivem no estado faltam receber a imunização. Até agora mais de 95% das crianças entre 0 e menos 5
anos receberam a dose da vacina em Pernambuco. Isso quer dizer que 670.325 meninos e meninas receberam as duas
gotinhas.
De acordo com a SES, na primeira etapa da campanha, Pernambuco foi o estado brasileiro com o maior índice de cobertura
vacinal contra a poliomielite: 726.040 meninos e meninas (104,31%) com menos de 5 anos imunizados. A meta estadual da 2º
etapa da campanha é imunizar todas as 696.028 crianças inclusas na faixa-etária prioritária.
No Recife, até a última segunda-feira (29), 98.613 crianças receberam as duas gotinhas que protegem contra a doença. A
quantidade corresponde a 95,1% das 103.695 que fazem parte do público alvo na cidade.
Em geral, a vacina contra a poliomielite não possui contra-indicação. Porém, recomenda-se que as crianças que estejam com
febre acima de 38º ou com alguma infecção sejam avaliadas por um médico antes de se vacinarem.
Também não é recomendado vacinar crianças que tenham problemas de imunodepressão (como pacientes de câncer e AIDS
ou de outras doenças e ou tratamentos que afetem o sistema imunológico, de defesas do organismo) e anafilaxia (reação
alérgica severa) a dose anterior das vacinas.
Recife - Na capital pernambucana, os pais podem ligar para o 0800.281.1520 para saber os locais onde a vacina está
disponível
PLANETA OSASCO |
AIDS | DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS
29/08/2011
29/08/2011 - Emidio participa do projeto "Prefeito no Seu Bairro" no Rochdale
O prefeito de Osasco, Emidio de Souza, acompanhado do deputado federal João Paulo Cunha, permaneceu durante todo o
sábado, 27 de agosto, no bairro Jardim Rochdale conversando com moradores e comerciantes em conformidade com a 5ª
edição do projeto "Prefeito no Seu Bairro 2011". Emidio e João Paulo percorreram as tendas montadas na Rua Manaus, que
tinham o objetivo de oferecer uma série de serviços públicos municipais gratuitos à população e aproximar a administração da
comunidade.
Nas tendas, a população teve acesso a atendimento pela equipe do DST/AIDS, orientações a respeito da Saúde Bucal,
exames de Dextro (diabetes) e PA (Pressão Arterial), e atividades de grupos do programa Práticas Corporais e Saúde do
Osasco Saudável, atendimento SAMU, dinâmica com agentes comunitários de saúde e campanha de vacinação, distribuição
de álcool em gel.
Além de receber os serviços, o bairro passou por limpeza completa, por meio do projeto Operação Cidade Limpa, realizado
pela Secretaria de Obras, incluindo tapa-buraco, pinturas de guias, poda de árvores, limpeza de praças e boca de lobo,
capinação, roçagem e retirada de entulhos.
A garotada pode se divertir com palhaços, pintura facial, gincanas, distribuição de bexigas, contação de histórias, cama
elástica, pula-pula, voleibol e várias outras modalidades esportivas e musicais, como: xadrez de mesa, damas e dominó, mesa
de pingue-pongue e pebolim, jogo de cartas, artes marciais, axé, ginástica aeróbica, dança do ventre, samba de rua e dança
de salão. Ainda houve entrega de doces e pipoca, além da participação do projeto de Educação para o Trânsito, percorrendo
uma mini pista em bicicletas e triciclos. O programa Recreio nas Férias também marcou presença no evento.
A programação incluiu ainda, artesanato, distribuição de mudas de plantas, orientação sobre poda e corta de árvores,
confecção de bijuterias, cortes de cabelo, trança afro, unhas artísticas, limpeza de pele, sobrancelhas e massagens,
apresentação de fanfarras, além de cadastro para emprego, pré-cadastro do cartão BEM Social, emissão de Carteira de
Trabalho, informações sobre projeto Biodiesel, ervas medicinais e borboletário, orientações e atendimento do Procon,
atendimento à abertura de empresas, orientação nutricional de distribuição de brindes, informações do Banco de Alimentos/
Programa de Saúde Alimentar, entrega de dicionários, roupas, divulgação da Campanha do Agasalho e atendimento social,
exposição de produtos dos empreendimentos do Programa Osasco Solidária e esclarecimento sobre projetos habitacionais,
dentre vários outros serviços.
Durante todo o dia o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) intensificou as orientações de Combate à Dengue, realizou
atividades educativas e promoveu doações de animais.
Além de percorrer as tendas, Emidio e João Paulo conversaram com a população. O deputado destacou o crescimento do
Rochdale na gestão atual. "O Prefeito no Seu Bairro aproxima o prefeito e toda sua equipe técnica da população. Nesta etapa,
a administração define o que a sociedade e o poder público desejam para o crescimento da cidade. Antigamente as pessoas
tinham vergonha de dizer que moravam em Osasco, principalmente no Rochdale, pelas enchentes e a violência, mas hoje a
situação mudou, muitos investimentos estão sendo feitos e a população reconhece o avanço", avaliou.
Com uma variedade de programação, o projeto ganhou admiração dos moradores. "Toda família pode aproveitar o dia e cada
um faz uma tarefa que quer. Não é só diversão não, tem também alguns serviços ótimos para o dia-a-dia, como confecção de
documentos e algumas dúvidas que temos sobre a cidade", comentou Rosalina Duarte, moradora do Jardim Rochdale, que
levou o marido e dois filhos.
Plenária do "Prefeito no Seu Bairro" com lideranças
Emidio e João Paulo também participaram de um almoço e uma plenária na Cemei Vilma Fotran Portela, na Avenida Cruzeiro
do Sul, no Jardim Rochdale, com lideranças do bairro, vereadores, delegados do Orçamento Participativo, presidentes de
entidades e associações.
Os trabalhos foram intermediados pelo secretário de Governo, Jorge Lapas, que convidou o presidente da Câmara Municipal,
Aluísio Pinheiro, para abrir a plenária. O vereador destacou a transformação vivida pelo bairro sob a administração do prefeito
Emidio e também pela transparência na prestação de contas e diálogo franco com a sociedade.
Em seguida, Emidio destacou os benefícios que já foram levados, com apoio do deputado João Paulo, ao bairro. "O Rochdale
já começou a deixar os problemas para trás. Estamos trabalhando muito para finalizar obras contra enchentes e faremos em
breve ações nas ruas Manaus, Pinheirinho, Cuiabá e toda essa região. A canalização do córrego Ribeirão Vermelho já foi
muito importante, mas falta mais. Precisamos canalizar desde a avenida Onix até a rodovia Anhanguera. O custo da obra é de
R$ 42 milhões. O João Paulo, por meio de recursos do governo federal, conseguiu a liberação de R$ 36 milhões. O governo do
Estado entrou com a contrapartida de R$ 6 milhões, mas quem executa a obra é o Estado, porque o problema começa em São
Paulo e chega a Osasco. Por isso, é importante as pessoas pressionarem para que as obras sejam feitas", reforçou.
O prefeito também ressaltou as obras aceleradas de recapeamento da avenida Atlântica; retirada de favelas do local;
ampliação e construção da Cemei Oswaldo Gonçalves de Carvalho, no Rochdale, que será interligada à EMEF Professora
Terezinha Martins Pereira, formando uma Cemeif, ou seja, o primeiro mini-CEU do bairro; ampliação do Parque do Rochdale e
urbanização completa do braço morto do córrego Ribeirão Vermelho. Emidio também destacou o estudo de urbanização do
Rochdale, elaborado por arquitetos de Torino, na Itália, como outro importante dispositivo para transformação do espaço.
Dentre inúmeras ações para o Rochdale, o prefeito também falou sobre a breve instalação de 31 novos conjuntos de
equipamentos de ginástica da Academia da Terceira Idade, adquiridos por meio da Secretaria de Saúde; melhoria no entorno
do cemitério dos Girassóis, com a instalação do velório da zona Norte nas dependências do local, fator que melhorará a
segurança, o fluxo de pessoas e iluminação; urbanização completa do Rochdale e do Jardim Santa Rita; melhoria da
sinalização das vias e também ampliação do vídeo-monitoramento para as principais ruas e avenidas; aumento da presença da
Guarda Municipal; estudo para ligação da zona Norte e Sul de Osasco; adequação das linhas de ônibus e travessia de
pedestres; revitalização e ampliação do estádio do Rochdale e a implementação dos serviços 156, como outra importante
ferramenta de participação popular.
Após a plenária, a convite do vereador Nelson Matias, Emidio de João Paulo ainda tomaram um café da tarde na rua Belém, no
Rochdale, na casa do munícipe José Valdemar dos Santos, conhecido como "Seu Valdemar", importante liderança da paróquia
São João Batista, e prestigiaram o aniversário do vereador Rogério Lins, no Clube Floresta, na região central de Osasco.
Também participaram do evento o deputado Marcos Martins (estadual); os secretários municipais Carlos Marx (Meio
Ambiente), Cláudio Chapecó (Esportes, Recreação e Lazer), Sandra Praxedes Faé (interina - Desenvolvimento, Trabalho e
Inclusão), José Amando Mota (Segurança e Controle Urbano), Gilma Rossafá (Assistência e Promoção Social), Luciano
Jurcovichi (Cultura), Jorge Lapas (Governo), Rubens Bastos (Indústria, Comércio e Abastecimento), Mazé Favarão
(Educação), Sérgio Gonçalves (Habitação e Desenvolvimento Urbano) e Waldyr Ribeiro Filho (Obras e Transportes e Trânsito
e Mobilidade Urbana); o presidente da CMTO, Valdir Roque; a coordenadora da Mulher e Promoção da Igualdade Racial,
Sonia Rainho; o coordenador da Defesa Civil, Delcides Regatieri; o diretor do Departamento Municipal de Trânsito, Eduardo
Muzzolon; os vereadores Aluisio Pinheiro (Presidente da Câmara Municipal), Valmir Prascidelli (líder do prefeito na Câmara),
Antonio Toniolo, Eduardo Martins (o Eduardão), Fumio Miazaki, João Góis, Mário Luiz Guide, Osvaldo Vergínio, Toninho
Enfermeiro e Valdomiro Ventura; dentre outras autoridades.
SUPERESPORTES |
AIDS
30/08/2011
30/08/2011 - Bolt promete se superar nos 200m
Publicação:30/08/2011 07:00
O velocista jamaicano Usain Bolt, que perdeu no domingo o título mundial dos 100m no Campeonato Mundial de Atletismo, em
Daegu, Coreia do Sul, ao ser desclassificado por queimar a largada, admitiu, ontem, que está decepcionado e disse esperar
uma vitória nos 200m. O atleta passou a ser ainda mais assediado que antes, quando colecionava vitórias e conseguia um feito
atrás do outro.
Além dos 200m, Bolt também disputará a prova do revezamento 4x100 metros. "Com certeza estou extremamente
decepcionado por não ter tido a oportunidade de defender meu título por uma saída em falso. Fui me sentindo muito bem à
medida que passavam as eliminatórias e estava pronto para correr rápido na final. Trabalhei muito duro para chegar preparado
a este Mundial e as coisas pareciam ir bem." A grande estrela do atletismo mundial protagonizou a maior decepção do Mundial
até o momento, ao queimar a largada dos 100m e ser desclassificado A prova foi vencida por outro jamaicano, Yohan Blake,
com o tempo de 9s92.
O Mundial de Daegu entra para a história como o primeiro em que um dos países mais pobres, o africano Botsuana,
conquistou sua primeira medalha. Amantle Monstho, de 28 anos, conquistou o ouro, ao vencer os 400m, com o tempo de
49s56. No final da prova, ela quase foi ultrapassada pela americana Allyson Felix, que chegou só três centésimos depois,
49s59.
Botsuana é um país de 2 milhões de habitantes, dos quais se estima que 300 mil sejam portadores do vírus HIV. Em proporção
de doentes de AIDS em todo o mundo, só aparece atrás da Suazilândia.
AMPUTADO O sul-africano Oscar Pistorius, primeiro corredor paraolímpico amputado a enfrentar a elite do atletismo, ficou fora
da final dos 400m no Mundial. Ele ficou em oitavo e último lugar na sua série, com o tempo de 46s19. Na classificação geral, o
sul-africano terminou na 22ª colocação. O melhor tempo da semifinal foi do norte-americano LaShawn Merritt, com o tempo de
44s76. Pistorius vai disputar ainda o revezamento 4x400m. Pistorius teve as duas pernas amputadas abaixo do joelho aos 11
meses. Com suas próteses feitas de fibra de carbono, o sul-africano é o 18º corredor mais veloz nos 400m nesta temporada.
O cubano Dayron Robles, que havia conquistado o título dos 110 metros com barreira, foi desclassificado por obstrução,
conforme anunciou o porta-voz da IAAF. "Robles foi desclassificado pelo árbitro da pista baseando-se na regra 163.2, por
obstrução". O cubano travou uma dura batalha com o chinês Liu Xiang, o que causou sua desclassificação. Com isso, o norteamericano Jason Richardson, que ocupava a segunda posição, com 13s16, atrás de Robles (13s14), fica com o ouro, o chinês
Liu Xiang (13s27), que foi terceiro, leva a prata, enquanto o bronze é transferido para o britânico Andrew Turner (13s44).
A americana Carmelita Jeter venceu, ontem, a prova dos 100m rasos no Mundial de Atletismo de Daegu com um tempo de
10s90. A jamaicana Veronica Campbell (10s97) ganhou a prata e o bronze ficou com Kelly Ann Baptiste (10s98), de Trinidade
e Tobago.
UMUARAMA ILUSTRADO-PR |
AIDS | DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS
31/08/2011
Secretaria de Saúde realiza capacitação sobre hepatites virais
Umuarama - A Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro de Referência em Infectologia e do programa de
DST/HIV/AIDS e Hepatites Virais, promoverá capacitação (hepatites virais) voltada a enfermeiros e médicos de hoje (31) a 2
de novembro, no campus III da Universidade Paranaense (Unipar). Os instrutores serão Rosangela Aparecida de Menezes
Alvanhan (enfermeira), Maria Elizabete Ferraz (bióloga), Renato Antonio Teixeira Lopes (enfermeiro) e Ricardo Perci (médico
infectologista).
"Ao lado de um serviço de prevenção efetiva e de um atendimento adequado e eficiente, a área de vigilância acaba sendo um
instrumento poderoso de produção de informação para indicar tendências do agravo e permitir avaliação das medidas de
controle, solidificando políticas públicas de saúde sintonizadas com a realidade da população", diz a coordenadora do
programa DST/AIDS, Fabiane Pereira Xavier.
"O treinamento visa dar capacidade técnica e operacional à implantação e implementação das ações de controle e prevenção
das hepatites virais (PNHV), no Sistema de Vigilância (VE), habilitando os profissionais de saúde para a prevenção, a
detecção, assistência, tratamento e notificação, proporcionando aos técnicos uma padronização de abordagem e de
procedimento", explica.
Um dos objetivos da capacitação é propiciar aos profissionais informações para coordenar, planejar e executar as ações de
vigilância das hepatites virais em seus locais de trabalho. Serão disponibilizadas 60 vagas para os municípios abrangentes da
12ª Regional de Saúde de Umuarama, parceira da iniciativa - ao lado da Universidade Paranaense - Unipar.
VISÃO (PORTUGAL) |
AIDS | CONTRACEPTIVOS
30/08/2011
30/08/2011 - Teste positivo de HIV lança pânico na indústria porno
A produção de filmes pornográficos em Los Angeles está suspensa até que novas análises confirmem, ou não, a infeção com
HIV de um ator. Em 2012, quando forem eleger o novo Presidente, os norte-americanos poderão também votar pelo uso
obrigatório de PRESERVATIVOS
15:05 Terça feira, 30 de Ago de 2011
Um dos testes de rotina realizados pelos atores da indústria de filmes pornográficos de Los Angeles, o principal polo de
produção deste género de cinema dos Estados Unidos, deu positivo para o vírus da SIDA.
O ator, cuja identidade não foi revelada, vai agora ser submetido a novas análises para confirmar o diagnóstico. Até lá, a
produção de filmes pornográficos fica suspensa, uma interrupção que deverá prolongar-se até que seja possível avaliar se o
vírus se propagou.
Plebiscito em 2012
Esta não é a primeira vez que a indústria porno norte-americana enfrenta uma interrupção pelos mesmos motivos. Ainda em
2010, o ator Derrick Burts foi diagnosticado como portador do vírus HIV e, desde então, passou a militar pelo uso de
PRESERVATIVOS durante as filmagens, uma bandeira que também passou a ser defendida por outros ex-atores e pela
entidade AIDS Healthcare Foundation.
Esta organização pretende angariar assinaturas para pedir um plebiscito sobre o uso obrigatório de PRESERVATIVOS por
atores de filmes porno. Serão necessárias mais de 41 mil assinaturas para que o pedido possa ir a plebiscito nas eleições de
2012, no mesmo ato eleitoral em que irão eleger o próximo presidente dos Estados Unidos da América.
Ler mais: http://aeiou.visao.pt/teste-positivo-de-HIV-lanca-panico-na-industria-porno=f619749#ixzz1WbhyCsiy
AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA AIDS |
AIDS
30/08/2011
30/08/2011 - Planos vão ter que ressarcir SUS por atendimento de alto custo
30/08/2011 - 17h10
O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou medidas que pretendem ampliar e dar maior agilidade ao processo de
ressarcimento ao Sistema Único de Saúde (SUS) pelos planos de saúde. Além de internações que já eram cobradas, a
Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) solicitará o reembolso de atendimentos ambulatoriais de alta complexidade, as
chamadas APACs. Incluem-se neste grupo, por exemplo, a quimioterapia (tratamento do câncer), acompanhamento em saúde
mental e o atendimento em Hospital Dia. O ressarcimento está previsto na lei dos Planos de Saúde (lei 9.656, de junho de
1998).
Outra novidade é a definição de novos critérios para a destinação dos recursos arrecadados pela agência. Com a publicação
no Diário Oficial da União da lei federal número 12.469, fica estabelecido que a ANS repassará ao Fundo Nacional de Saúde
(FNS) todo o valor recolhido a título de ressarcimento. "A destinação dos recursos ao FNS, é uma mudança importante já que
agora se garante uma forma de que os recursos cobrados dos planos de saúde retornarem ao SUS, beneficiando a
população", afirma Padilha. Segundo ele, estes valores serão aplicados em ações estratégicas de saúde.
Até então, os valores eram destinados aos gestores do SUS, que transferiam à unidade de saúde prestadora do serviço.
Agora, os recursos cobrados vão para o Fundo. Atualmente, a agência possui em caixa R$ 62 milhões em ressarcimento e
ainda não transferidos aos estados. O montante será creditado ao FNS.
VALOR MÍNIMO - Atualmente, 46 milhões de brasileiros possuem planos de saúde para o atendimento médico hospitalar e
ambulatorial. Somente em 2011 (de janeiro a julho), a ANS obteve ressarcimento de R$ 32,6 milhões cobrados junto às
operadoras. O total supera a soma arrecada nos últimos quatro anos (R$ 27,6 milhões). A quantidade de Autorizações para
Internações Hospitalares (AIHs) ressarcidas neste ano foi de 20.917.
Pela nova lei, a ANS também definirá critérios para a criação de um "Valor Mínimo de Cobrança". Este mecanismo servirá para
evitar a cobrança de procedimentos que possuem um "custo administrativo de cobrança" maior do que o próprio valor de
ressarcimento a ser obtido.
O ministro Padilha considera que este conjunto de ações - somadas às medidas já adotadas - resultará em redução da
defasagem entre o atendimento feito pelo SUS e sua cobrança junto à operadora de plano de saúde. Em 2010, este período
era de dois anos. "Com o aprimoramento do sistema de informação e com esta mudança do valor mínimo, nossa expectativa é
zerar a defasagem do período de cobrança em 2012."
Fonte: Agência Saúde
AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA AIDS |
AIDS
30/08/2011
30/08/2011 - Ministro Padilha critica lei paulista que reserva parte do atendimento do SUS
a clientes de planos de saúde, informa Folha de S.Paulo
30/08/2011 - 10h20
Segundo o jornal, o Conselho Nacional de Saúde oficializou nesta segunda-feira, dia 29, posicionamento contrário à Lei
Complementar nº 1.131/2010, que permite a hospitais estaduais de São Paulo gerenciados por Organizações Sociais oferecer
até 25% dos leitos a clientes de planos privados. "Não podemos tomar medidas que aumentem a desigualdade do acesso à
saúde", disse o ministro Alexandre Padilha, que preside o órgão. Em diferentes ocasiões, ativistas de luta contra a AIDS
também criticaram a lei, instituída pelo governo paulista.
O Conselho afirma que a lei fere os princípios da Constituição Federal, do Estado e da Lei Orgânica da Saúde, além de dar
preferência no atendimento aos clientes de planos privados.
Manifestações
No mais recente Dia Mundial da Saúde (7 de abril), militantes do movimento social de luta contra a AIDS de São Paulo
realizaram um protesto em frente a Secretaria Estadual de Saúde contra a lei 1.131/2010. Segundo eles, a lei destina no
mínimo mais de mil leitos ao planos privados. Para chamar a atenção do público, os manifestantes usaram roupas pretas com
a inscrição "Sou 100% SUS". Também utilizaram adereços como correntes, imitações de cédulas de dólar, apitos, chapéus e
nariz de palhaço.
"Os usuários de planos privados, já com o diagnóstico em mãos, irão furar fila. Serão atendidos na frente e em melhor
hotelaria, enquanto os usuários do SUS aguardam meses pelo agendamento, até serem encaminhados pela rede básica. É
assim que funciona a dupla porta do Incor (Instituto do Coração), modelo que agora será estendido", avaliou Mário Scheffer,
presidente do Grupo Pela Vidda-SP.
A ONG presidida por Mário liderou uma representação junto ao Ministério Público Estadual (MPE) contra a iniciativa do
governo de São Paulo. A representação teve apoio de diversas entidades da sociedade civil, entre elas o Fórum de ONG/AIDS
do Estado de São Paulo e o Grupo de Incentivo à Vida (GIV). No último dia 9, o MPE deu entrada na Justiça a uma Ação Civil
Pública com pedido de liminar para anular a lei.
O Conselho Regional de Medicina do Estado também pediu a revogação da lei.
Fonte: Redação da Agência de Notícia da AIDS
AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA AIDS |
AIDS | CAMISINHA
30/08/2011
30/08/2011 - Teste positivo de HIV paralisa indústria pornô nos EUA, informa BBC
30/08/2011 - 17h30
A indústria pornô de Los Angeles, principal polo de produção dos Estados Unidos, interrompeu suas atividades após um artista
que participou de filmes eróticos ter feito um teste de HIV que teria produzido resultado positivo, informa a BBC Brasil em
notícia publicada no site UOL.
A pessoa que integrou o elenco de um filme pornô não teve seu sexo ou nome divulgados e ainda será submetida a novos
testes, a fim de confirmar o diagnóstico. Mas Diana Duke, a diretora-executiva da organização Free Speech Coalition, que
representa a indústria pornô, disse que a ``moratória`` na produção durará até que se saiba se o ator ou atriz está de fato
infectado e se teria ou não propagado o vírus.
Caso o diagnóstico venha a ser confirmado, a entidade vai pedir que os parceiros ou parceiras sexuais da pessoa que atuou
nos filmes pornôs também sejam testados. A interrupção teria contado com a aprovação dos principais executivos de
produtoras pornô e afeta a multibilionária indústria.
Segundo regras acatadas pelos próprios autores de filmes pornô, os atores precisam se submeter a testes mensais de HIV,
mas não há qualquer pressão pelo uso de camisinhas.
Caso anterior
Não é a primeira vez que a indústria pornô americana enfrenta uma interrupção. Em 2010, o ator Derrick Burts foi
diagnosticado como portador do vírus HIV.
Desde que contraiu o vírus, Burts passou a militar pelo uso de camisinhas por parte de integrantes dos elencos de filmes
pornôs, uma bandeira que também passou a ser defendida por outros ex-atores pornô e pela entidade AIDS Healthcare
Foundation.
A organização pretende angariar assinaturas para pedir um plebiscito sobre o uso obrigatório de camisinhas para atores de
filmes pornô. Serão necessárias mais de 41 mil assinaturas para que o pedido possa ir a plebiscito nas eleições de 2012.
Fonte: BBC Brasil
AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA AIDS |
AIDS
30/08/2011
30/08/2011 - Em artigo para o Estadão, ministro Padilha compara a dificuldade do
combate ao crack aos desafios da resposta à aids
30/08/2011 - 12h
No texto escrito em parceria com o coordenador de Saúde Mental do Ministério da Saúde, Padilha afirma que apesar das
poucas informações sobre a AIDS no início da epidemia, foi preciso dar os primeiros passos na luta contra a doença. Agora, no
combate ao crack, diz, é necessário criar uma rede multissetorial preocupada com a reinserção dos usuários. Confira a seguir
o artigo na íntegra.
Crack - solução é acolher e reconstruir vidas
No início dos anos 1980, quando os primeiros casos de HIV foram registrados no País, a comunidade médica e as estruturas
de saúde desconheciam a forma mais eficaz de tratar os pacientes, cujo número crescia em progressão geométrica. O dedo foi
posto na ferida. Assim, apesar de todos os avanços ainda necessários, demos passos para começar a enfrentar essa epidemia
mundial.
Hoje é mais do que evidente que o abuso e a dependência de drogas no Brasil - em especial do álcool e do crack - se
transformaram numa nova chaga social. As vítimas acumulam-se, com graves repercussões na ocupação do espaço urbano,
na exclusão econômica e social, na rede de saúde e na vida das famílias. Dados de pesquisadores da Universidade Federal de
São Paulo evidenciaram a complexidade que é tratar esses pacientes. Durante 12 anos acompanharam 107 dependentes do
crack. Após esse período, 32,8% estavam abstinentes, 20,6% haviam morrido (a maioria, pela violência), 10% encontravam-se
presos, 16,8% continuavam usando crack e cerca de 20% estavam desaparecidos, num destino incerto para quem esbarra em
algum momento da vida com essa realidade.
A dependência, inclusive do crack, reúne situações sociais muito diversas: desde recursos para suportar a exclusão até
estratégias para se sentir incluído. Nas estatísticas estão crianças na rua que se iniciaram nas drogas para suportar a fome e o
frio, os trabalhadores rurais que acreditam que a pedra lhes pode fazer suportar toneladas a mais de cana-de-açúcar,
profissionais liberais pressionados pelo desempenho no trabalho e jovens que querem alcançar, cada vez mais rapidamente, a
inserção na turma. Para todos é crucial construir novos projetos e redescobrir sentido para a vida.
As raízes do problema são externas ao campo da saúde pública, mas sabemos que a rede de ambulatórios, de hospitais e de
profissionais pode interferir no curso da dependência. Estamos convencidos de que uma abordagem bem-sucedida está
relacionada a uma reestruturação do Sistema Único de Saúde (SUS) que possibilite aos Estados, aos municípios, à sociedade
civil atuar em conjunto com o Ministério da Saúde, de forma articulada, no enfrentamento do crack e de outras drogas. O SUS,
pela sua capilaridade e pelo seu compromisso com a defesa da vida, deve estar mais presente junto aos indivíduos, grupos e
no ambiente social onde se inicia ou se perpetua a dependência de drogas.
Para uma ação eficaz é preciso distinguir o que precisa ser distinto: por um lado, reprimir e criminalizar, de forma vigorosa, o
tráfico de drogas e o contrabando; por outro, acolher de forma humanizada e possibilitar o acesso dos usuários às diversas
terapias, salvando vidas e evitando mortes precoces. Uma resposta da área de saúde poderá prevenir sofrimento pessoal,
conflitos familiares, violência e acidentes urbanos.
Somente com a estruturação de uma rede de serviços que ofereça abordagens diferentes para diferentes indivíduos é que será
possível aumentar as chances dos dependentes de reconquistarem sua vida e de a sociedade ganhar de volta seus cidadãos.
Para ter sucesso o tratamento deve considerar e se adequar a necessidades distintas. Qualquer proposta que se paute em
apenas uma forma de ação ou um tipo de serviço está fadada ao fracasso. Ou seja, não pode ser só ambulatorial, nem
somente clínicas de internação ou apenas espaços de internação prolongada.
Por isso o Ministério da Saúde propôs uma parceria à sociedade com Estados e municípios para uma nova rede de serviços.
Num mesmo território serão ofertados unidades básicas/Programas de Saúde da Família, consultórios volantes para
abordagem e cuidado das pessoas em situação de rua, enfermarias especializadas em pacientes dependentes de álcool e
drogas, unidades de acolhimento para pessoas que necessitem de internação prolongada, parcerias com entidades do terceiro
setor e com comunidades terapêuticas. Além disso, vai capacitar os serviços de urgência e emergência como portas de
entrada possíveis. E também ampliar para 24 horas o funcionamento dos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas.
O tema é polêmico, mas não nos devemos paralisar diante de dúvidas. Toda iniciativa que se paute pelo respeito aos direitos
individuais e pela proteção à vida deve ser defendida, até mesmo com o recurso à internação involuntária, na forma da lei. Mas
nem ela - muito menos o uso da força - pode ser o centro da estruturação dos serviços de saúde e da estratégia de saúde.
Nesse sentido, saudamos o recente protocolo organizado pelo Conselho Federal de Medicina, que apresenta uma abordagem
contemporânea e equilibrada do tema.
A qualificação profissional e o uso de tratamentos bem estruturados são fundamentais, mas uma abordagem multissetorial será
decisiva para o sucesso desta empreitada. Nós, profissionais de saúde, precisamos estar cada vez mais preparados para
proporcionar os cuidados necessários, porém sabemos que é imprescindível o envolvimento da sociedade e de outras políticas
públicas - como educação, qualificação profissional, moradia, esportes e convívio comunitário - para produzir resultados
duradouros.
Essa não é uma tarefa nova. Ao longo dos seus 22 anos, o SUS enfrentou vários desafios que também exigiram abordagem
multissetorial. E mostrou-se capaz de enfrentá-los quando uniu a capacidade de quem sofre e agregou quem estava disposto a
se mobilizar.
Este é o desafio: criar uma grande frente de saúde pública, comprometida com o tratamento, a recuperação e a reinserção dos
milhares de crianças, jovens e adultos machucados pelo crack e outras drogas. Estamos prontos para pôr o dedo nessa ferida
e começar a cicatrizá-la. Dessa forma estaremos cumprindo nossa missão.
Fonte: O Estado de S.Paulo
AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA AIDS |
AIDS
30/08/2011
30/08/2011 - Ministério Público acata nova representação do Fórum de ONG/Aids de SP
contra `dupla porta` no Emílio Ribas
30/08/2011 - 19h20
O promotor de justiça Luiz Roberto Cicogna Faggioni, da Promotoria de Justiça dos Direitos Humanos - Área de Saúde Pública
do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP), acatou nesta terça-feira, 30 de agosto, representação do Fórum de ONGs
AIDS do Estado de São Paulo sobre a possível implantação da dupla porta (atendimento a pacientes particulares e de planos
de saúde) no Hospital Emilio Ribas e sua possivel expansão em outras unidades do complexo dos Hospital das Clínicas da
Faculdade de Medicina da USP.
Em entrevista à Agência de Notícias da AIDS o promotor Luiz Roberto Faggioni explicou que o MP defende que a dupla porta
nega a essência do Sistema Único de Saúde (SUS).
"Todos devem ter o mesmo tratamento no sistema público de saúde. Se as pessoas que tem mais dinheiro ter um acesso
privilegiado ela jamais irá lutar pela melhora no serviço. Retirar leito é alienar a obrigação de lutar pelos direitos e qualidade da
saúde."
O Fórum alertou o Ministério Público que está em tramitação final na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp),
com previsão de ser votado em Plenário no início setembro de 2011, o Projeto de Lei complementar (PLC) nº 79, de 2006 , que
transforma o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP) em Autarquia
Especial. Dentre outras determinações, o PLC prevê que as fundações de apoio da FMUSP podem angariar recursos do
atendimento a convênios médicos e particulares.
"Como a Fundação Faculdade de Medicina é uma fundação de apoio, o Emílio Ribas, em tese, poderá abrir suas portas e
vender parte dos leitos para os planos de saúde e particulares", advertiu o Fórum.
Além de ter solicitado à Assembleia Legislavia o detalhamento da tramitação do PLC 79, o Ministério Público pretende
participar da audiência pública prevista antes da votação fina. Se aprovada pela Assembleia, o Ministério dará entrada na
Justiça com Ação Civil Pública, alegando inconstitucionalidade da lei.
Governo responde
Em nota enviada a esta agência, a Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo informou que "não haverá, de maneira
nenhuma, reserva de leitos ou ´dupla porta, tampouco preferência a pacientes de convênios atendidos em hospitais estaduais".
"Agora as unidades poderão cobrar dos planos o ressarcimento pela assistência médica prestada a seus clientes, investindo a
receita extra obtida em melhorias no atendimento e na oferta de serviços à população", diz a nota. Leia aquina íntegra.
Redação da Agência de Notícias da AIDS
DICAS DE ENTREVISTA:
Fórum das ONGs AIDS de São Paulo - (11) 3334-0704
Ministério Público Estadual - (11) 3119-9027
AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA AIDS |
AIDS | DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS | HEPATITE
30/08/2011
30/08/2011 - Representante de populações indígenas diz que falha no acompanhamento
de índios diagnosticados com HIV provoca muitos suicídios
30/09/2011 - 19h
Eliana, que integra a comunidade indígena da Ilha do Bananal, no Tocantins, explicou que os técnicos de saúde chegam às
aldeias, realizam o teste de HIV, quando o resultado é positivo conversam por pouco tempo com o infectado, e vão embora.
Para ela, o ideal seria capacitar os indígenas que já atuam na área da saúde para darem suporte aos pacientes infectados. "Eu
quero que um índio fale para o outro sobre a doença", disse.
Estima-se uma prevalecia de HIV de 0.1% entre os índios brasileiros. Na população em geral, esta média é de 0.6%. As
populações indígenas que vivem mais próxima dos meios urbanos são as mais vulneráveis à infecção.
Representando a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) no evento, estiveram presentes as técnicas Vera Lopes e
Hiojuma Figueiredo.
Hiojuma justificou que a secretaria sempre busca o apoio dos índios para controlar doenças como a AIDS, a SÍFILIS e as
hepatites. "Sabemos que é fundamental a presença deles no momento das ações, mas para fazer o teste de HIV, por exemplo,
não é só capacitar as pessoas, até mesmo porque a legislação diz que somente um profissional formado na área de saúde
pode executar o exame", explicou.
Segundo ela, o governo não tem conhecimento desses suicídios. "Os dados do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI)
indicam que desde 1981 houve 14 suicídios entre a população indígena que recebeu o diagnostico de HIV, mas somente um
foi em decorrência do resultado. Os outros estavam ligados a problemas como alcoolismo, o que é muito comum entre os
índios", completou.
Já Vera Lopes disse que as principais dificuldades de trabalhar a saúde da população indígena são as barreiras culturais.
"Temos no Brasil 220 povos indígenas e 180 línguas", observou. "As pessoas que recebem o diagnostico de HEPATITE B, por
exemplo, precisam ficar afastadas um ano e meio da sua comunidade para fazerem o tratamento, pois as aldeias são muito
distantes de grandes centros", argumentou.
CAMS
A Comissão de Articulação com os Movimentos Sociais (CAMS) foi criada em 2005 para promover integração entre o
DEPARTAMENTO DE DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde e os movimentos sociais.
O objetivo é atingir bons resultados nas políticas públicas voltadas à prevenção e à assistência das DST/AIDS, assim como na
promoção dos direitos humanos de pessoas que vivem com HIV.
Talita Martins
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards