Lipoaspiração e Lipoescultura Corporal: Uma Técnica em Discussão

Propaganda
artigo de revisão
Lipoaspiração e Lipoescultura Corporal
UMA TÉCNICA EM DISCUSSÃO
André Luis Castro de Magalhães Mattos*
LIPOASPIRAÇÃO
A lipoaspiração foi criada na década de 80 com a finalidade de retirar tecido adiposo acumulado em
pequenas áreas corporais. A lipoescultura é um avanço da técnica que nos permite retirar gordura de onde ela
é indesejada e utilizá-la como preenchimento em depressões causadas por celulite ou até traumas.
A TÉCNICA
A cirurgia apesar de bastante popularizada deve ser realizada por profissionais habilitados e experientes,
podendo trazer graves seqüelas quando seus princípios básicos não são obedecidos.
A popularização do procedimento fez com que médicos de várias áreas se aventurassem a realizá-la,
muitas vezes em consultórios ou outros ambientes impróprios.
A cirurgia é realizada com anestesia local ou geral, dependendo da extensão do procedimento. São
utilizadas pequenas incisões por onde são introduzidas as cânulas. Quando o procedimento é isolado, ou seja,
sem associação com outras cirurgias, a recuperação é rápida e a volta às atividades normais se dá em poucos
dias.
A quantidade de gordura a ser retirada depende de cada caso e um dos fatores limitantes é o hematócrito.
Toda lipoaspiração resulta em uma anemia de extensão proporcional ao tamanho do procedimento.
A referida anemia é tratada com dieta e medicação. Assim como na anemia, pode também ocorrer febre
nos três primeiros dias após a cirurgia (até 38ºC ).
Em certos casos, quando se prevê uma perda sanguínea maior, podemos recorrer à auto-hemotransfusão.
Após a cirurgia o edema persiste por três a seis meses e massagens pós-operatórias estão indicadas para
acelerar a recuperação.
Caso a cirurgia tenha sido só a lipoaspiração não há restrições, exceto evitar exposição solar até que as
equimoses tenham desaparecido. Caso tenha havido outra cirurgia, deve-se seguir as orientações do
procedimento de maior porte.
A INDICAÇÃO
Como em toda cirurgia plástica, a indicação precisa é fundamental. A lipoaspiração não é um método de
emagrecimento, mas sim, uma forma de retirarmos de algumas áreas do corpo o acúmulo indesejável de
gordura.
O paciente obeso deve inicialmente procurar um serviço de endocrinologia para perder peso e se
candidatar a uma plástica convencional ou lipoaspiração.
Outros fatores limitantes do procedimento são idade e flacidez da pele, fatores em geral interligados e as
diversas regiões corporais com suas características próprias.
O PROCEDIMENTO
O cirurgião deve explicar detalhadamente ao paciente os limites da cirurgia, resultados possíveis,
complicações relacionadas, de modo que não haja frustração no pós-operatório por um resultado não atingido.
O procedimento deve ser feito em ambiente hospitalar. O paciente deve ter sido submetido a exames préoperatórios comuns a procedimentos cirúrgicos de médio e grande porte.
Em casos excepcionais, pode se programar auto-hemotransfusão ou transfusão de sangue homólogo como
já citado anteriormente.
A internação normalmente é de 24 horas e a anestesia utilizada é a geral. Quando se faz lipoaspiração em
região dorsal deve-se evitar a anestesia peridural.
A quantidade de gordura retirada não deve exceder 7% do peso corporal na técnica infiltrativa (quando se
injeta soluções de composição variável com adrenalina) e 5% na não infiltrativa, devendo também não
exceder 40% da área corporal. Esses limites foram definidos em recente resolução do CFM (resolução 1711,
de 10 de dezembro de 2003).
O objetivo da cirurgia é retirar gordura e não sangue.
Observe na foto (3 litros de aspirado) que a quantidade de sangue é bem menor que a de gordura.]
O PÓS-OPERATÓRIO
Diferentemente do que é comumente divulgado, a lipoaspiração não é seguida de dor espontânea. As áreas
aspiradas ficam, entretanto, doloridas ao toque, dor que vai diminuindo progressivamente. Nessa fase, a ajuda
do fisioterapeuta, com tratamento específico como drenagem linfática, melhora o edema e diminui a
sensibilidade local.
Deve-se evitar exposição solar enquanto perdurarem as equimoses.
COMPLICAÇÕES
Inerentes a qualquer procedimento cirúrgico como: infecção, necrose, embolia pulmonar que,
estatisticamente, não é maior que em outras cirurgias. E outras específicas desse procedimento como
pequenas assimetrias que podem ser tratadas com refinamento em nível ambulatorial.
CONCLUSÃO
A lipoaspiração deve ser considerada como uma cirurgia de médio ou grande porte e, como tal, deve ser
realizada por profissionais habilitados: cirurgiões plásticos membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia
Plástica.
A resolução 1711 do CFM determina também que apenas especialistas podem realizar a cirurgia.
O procedimento deve ser exaustivamente discutido com o paciente, evitando frustações posteriores. A
documentação fotográfica pré-operatória é fundamental para uma melhor avaliação do resultado.
Que impere sempre o bom senso, tanto do cirurgião quanto do paciente
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ILLOUZ,Y-G. BODY CONTOURING BY LIPÓLISIS: A 5-YEAR EXPERIENCE WITH OVER 5000
CASES, PLAS.RECONSTRUTIVE SURG, 72:591 , 1983
KLEIN, J. A. TUMESCENT TECHNIQUE PERMITS LIDOCAINE DOSES OF 35 mg/kg FOR
LIPOSUCTION: PEAK PLASMA LIDOCAINE LEVELS ARE DIMINISHED AND DELAYED 12
HOURS. J. DERMATOL. SURG. ONCOL. 16:248, 1990
MAXWELL, G. P. ,GINGRASS, M.K. ULTRASOUND ASSISTED LIPOPLASTY: A A CLINICAL
STUDY OF 185 CONSECUTIVE PATIENTS. PLASTIC RECONST.SURGERY, 1997
PITANGUY,I. TROCHANTERIC LIPODYSTROFY. PLAST.RECONSTR.SURG. 34:280,1964
TEIMOURIAN,B., ROGERS W.B. A NATIONAL SURVEY OF COMPLICATIONS ASSOCIATED WITH
SUCTION LIPECTOMY: A COMPARATIVE STUDY. PLAST RECONST. SURG. 84:628, 1989
RESOLUÇÃO 1711 EM 10 DE DEZEMBRO DE 2003 DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards